Consequências dos ataques dos radicais livres a nossa saúde

4.732 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.732
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.552
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
41
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Consequências dos ataques dos radicais livres a nossa saúde

  1. 1. CONSEQUÊNCIAS DOS ATAQUES DOS RADICAIS LIVRES A NOSSA SAÚDE Radicais livres são moléculas com elétrons não pareados na órbita externa, ou seja, falta em sua estrutura química um elétron. Por esse motivo, os radicais livres atacam outras moléculas para “roubar” elétrons e assim se tornarem estáveis. Mas acontece que essas moléculas atacadas se tornam radicais livres uma vez que ficam sem elétrons pareados e irão tentar o mesmo com outras moléculas, estabelecendo assim uma reação em cascata que pode causar vários danos a um organismo. Devido à presença de elétrons desemparelhados na órbita externa, os radicais livres são altamente reativos e ao sequestrar elétrons de outras moléculas podem desencadear alterações no equilíbrio da célula que se manifestarão como doença ou com a morte celular, tecidual ou orgânica. 95 a 98% do oxigênio que entra no organismo pela respiração forma uma molécula de energia denominada ATP, e o restante, 2 a 5%, forma radicais livres. A produção de radicais livres, em condições normais, está em equilíbrio com a capacidade antioxidante é que gera a desorganização das reações químicas do organismo. Os radicais livres podem ser neutralizados de duas maneiras: 1- Uma molécula cede elétrons 2- Sistema antioxidante do organismo: constituído de diversas enzimas (como a superoxidodismutase, a catalase, a glutationa, etc.), ativas na presença de alguns nutrientes (manganês,cobre, zinco, selênio,etc.)
  2. 2. Muitas formas de câncer são consideradas como o resultado de reações entre radicais livres e DNA, resultando em mutações que podem afetar negativamente o ciclo celular e, potencialmente, levar a malignidade. Além disto, os radicais livres promovem o processo de envelhecimento e estão relacionados com as doenças cardíacas, com o Mal de Parkinson e de Alzheimer. A formação de radicais livres ocorre continuamente no nosso organismo. Os radicais livres também podem ser produzidos devido a fatores externos. Algumas fontes externas geradoras de radicais livres são a fumaça de cigarro, álcool, poluentes ambientais, radiação, luz ultravioleta, drogas pesticidas, alguns solventes industriais, Substâncias presentes em alimentos e bebidas como aditivos químicos e hormônios, entre outras. Infelizmente hoje em dia, as tensões da vida moderna combinada com a idade e as deficiências nutricionais (alimentação rica em gorduras saturadas, açúcares e pobres em nutrientes), contribuem para o aparecimento de radicais livres no organismo. Portanto é muito importante, adicionar a dieta alimentar muitas verduras, frutas, legumes, cereais integrais que são fontes de antioxidantes, que protegem o corpo dos efeitos prejudiciais dos radicais livres.
  3. 3. Os radicais livres em si não são nocivos e atualmente, a vida sem radicais livres seria impossível. Os radicais livres apresentam importante papel no sistema imunológico, possuem ação bactericida, fungicida, viricida, agindo como uma espetacular barreira de defesa do organismo frente à presença de micro-organismos. Nesses casos os radicais livres são liberados pelos glóbulos brancos, que são estimulados a defender o organismo frente a processos infecciosos. Eles também são utilizados terapeuticamente para acelerar a liberação do oxigênio ligado à hemoglobina nos glóbulos vermelhos do sangue, para o interior dos tecidos favorecendo as atividades metabólicas dos mesmos, muito importante nos exercícios físicos aeróbicos. Há ainda benefícios no processo de coagulação sanguínea, cicatrização e ação na ereção peniana em humanos.
  4. 4. Além de uma alimentação adequada, podemos combater o excesso de radicais livres com as essências florais vibracionais. Sugerimos o uso de: . Nutriger: Um composto que contêm harmônicos estimulantes dos minerais: Magnésio, Cálcio, Zinco, Manganês, Cobre, Selênio, Cromo e Molibdênio que irão nutrir por biorressonância e tornar as células biorreceptivas a absorção de tais minerais, contribuindo para uma melhor nutrição celular Flower Q10: Frequêncial da coenzima Q10, auxilia nos mecanismos de defesa antitóxicos, com finalidade de melhorar a condução energética dos sistemas enzimáticos bloqueados em caso de disfunção da cadeia respiratória do ciclo de Krebs. Estimula o aumento da energia global, provoca um melhor aproveitamento energético geral. Indicado para cardiopatias (como insuficiência cardíaca, arritmias, isquemia miocárdica), aterosclerose, fadiga muscular, astenia, fadiga crônica, transtornos endócrinos Brisium: Frequêncial do Dimetilsulfóxido (DMSO) Poderoso antioxidante, fantástico em dores reumáticas, artroses, artrites, doenças degenerativas (pulmão, cardiocirculatórias, oculares, pele, neurológicas e coluna), indicado para doenças autoimunes, dores neurálgicas e esgotamento físico.
  5. 5. Sulfanikus – Frequêncial do metilsulfonilmetano (MSM) ou enxofre biológico. O MSM aumenta a ação de muitas vitaminas e outros nutrientes, entre eles vitamina C, coenzima Q 10, todas as vitaminas do complexo B, vitamina A, D e E, aminoácidos, selênio, cálcio, magnésio e muitos outros, melhora a captação desses nutrientes e prolonga a vida deles. É um potente antioxidante capaz de se ligar e inativar radicais livres.

×