Os primórdios da rádio-peão       Uma crítica à visão  funcionalista da comunicação             informal                  ...
IntroduçãoAtualmente, estudos sobre a Rádio-peão sãopoucos, apesar de sua importância dentrodas organizaçõesArtigo busca r...
Este trabalho foi desenvolvido a partir depesquisa bibliográfica e está dividido emquatro itens, abordando:    - as princi...
A cada um, a sua funçãoConcepção funcionalista via a sociedade (e osgrupos que a compõe) como um organismobiológico: as pe...
Algumas das funções dos meios decomunicação de massa (MERTON eLAZARSFELD, 1977, p. 236-238):      - dar prestígio e fortal...
A grapevine norte-americanaMerton interessava-se por realizar testesempíricos e desenvolver uma lógicaabrangente da teoria...
Observando a Rádio-peãoKeith Davis, um dos pioneiros nasinvestigações e elaboração de métodos depesquisa para estudos da R...
Observador participante, pesquisador passa pormembro do grupo, sem que outros saibam de seupapel de pesquisadorObservação ...
Anos 1950, Dahle estudou os meios de transmissãode informação em vários departamentos de umafábrica:     verbal e escrito ...
Funções...Transportando conceitos de função e disfunçãopara os ambientes organizacionaisMeios de comunicação de massa  ve...
... e disfunçõesRádio-peão  meio deslocado do sistema decomunicação da empresa“Provavelmente, os pesquisadores reconhecer...
Champion (1979, p.178) busca funçõespara a Rádio-peão:       - canal de comunicação à parte daestrutura formal que fornece...
Champion (1979, p.179-180) destaca duasdisfunções para a Rádio-peão:      - informação distorcida ou errada étransmitida a...
A Rádio-peão a serviço da organizaçãoConforme a teoria funcionalista:      organização  miniatura da sociedade      comun...
Rádio-peão: meio democrático de comunicação Rádio-peão:        - aparece quando os meios de comunicação formal não são ráp...
Críticas à visão funcionalista da rádio-peão       - no método “observador participante”,proposto por Davis, o pesquisador...
- utilização dos meios informais decomunicação, mais precisamente da Rádio-peão, pelos executivos das empresas, para orepa...
Allport e Postman (1953) - a importânciade um fato para um grupo social e aambigüidade nas informações referentes aesse fa...
ReferênciasALLPORT, Gordon W. e POSTMAN, Leo. Psicologia del Rumor. BuenosAires: Editorial Psique, 1953.CHAMPION, Dean J. ...
Obrigada                      katia.perez@ig.com.br
Primórdios da rádio peão
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Primórdios da rádio peão

665 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
665
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Primórdios da rádio peão

  1. 1. Os primórdios da rádio-peão Uma crítica à visão funcionalista da comunicação informal Katia Perez Congresso Metodista UMESP - 2008
  2. 2. IntroduçãoAtualmente, estudos sobre a Rádio-peão sãopoucos, apesar de sua importância dentrodas organizaçõesArtigo busca reunir alguns estudos ereflexões dos primeiros pesquisadores doassunto publicados nas décadas de 1950 e1960 e analisa a visão funcionalista da Rádio-peão apresentada por estes primeirosestudiosos
  3. 3. Este trabalho foi desenvolvido a partir depesquisa bibliográfica e está dividido emquatro itens, abordando: - as principais características da Teoria Funcionalista - descrição de estudos realizados na época - a ótica funcionalista da comunicação organizacional e rádio-peão - avaliação crítica ao pensamento funcionalista sobre a Rádio-peão
  4. 4. A cada um, a sua funçãoConcepção funcionalista via a sociedade (e osgrupos que a compõe) como um organismobiológico: as peças que o compõe têm comoobjetivo garantir a integridade e a harmoniadesse organismo, preservando a ordem pré-estabelecida.A tendência do “organismo celular ou grupomais complexo, é manter o equilíbrio internoe reagir às mudanças de ambiências, deforma a manter esse equilíbrio” (LASSWELL,1977, p. 106).
  5. 5. Algumas das funções dos meios decomunicação de massa (MERTON eLAZARSFELD, 1977, p. 236-238): - dar prestígio e fortalecer a autoridadede indivíduos e grupos pela legitimação de seustatus, o que inclui pessoas e organizações - reforçar a aplicação de normas sociaisjá existentes - criar fenômeno chamado de “disfunçãonarcotizante”  doses crescentes deinformação lançadas pelos MCM levam a umconhecimento passivo, ao invés de umaparticipação ativa
  6. 6. A grapevine norte-americanaMerton interessava-se por realizar testesempíricos e desenvolver uma lógicaabrangente da teoria funcionalistaA partir de 1948, as organizações começarama ser vistas como sociedades emmicrocosmosNeste novo contexto, a Rádio-peão passou aser estudada, de acordo com princípios emétodos funcionalistas: através daobservação cuidadosa, de busca de suasfunções e vista como parte de um organismo
  7. 7. Observando a Rádio-peãoKeith Davis, um dos pioneiros nasinvestigações e elaboração de métodos depesquisa para estudos da Rádio-peãoECCO (Episodic CommunicationChannels in Organization), técnica deacompanhamento da informação - conformeessa informação se move através da Rádio-peão – permitindo mapear uma rede depessoas por onde a informação seguiu
  8. 8. Observador participante, pesquisador passa pormembro do grupo, sem que outros saibam de seupapel de pesquisadorObservação contínua, pesquisador acompanhafuncionário, consciente do papel do pesquisador,que observa atividades e padrões de comunicação,gravando os eventos de Rádio-peãoAmostra de comunicação, observa apenasdeterminados momentos do dia de trabalhoPesquisas gerais sobre comunicação, usaquestionários/entrevistas para obter dados decomunicação, baseando-se no julgamento ou namemória dos funcionários
  9. 9. Anos 1950, Dahle estudou os meios de transmissãode informação em vários departamentos de umafábrica: verbal e escrito combinados 7,70 apenas verbal 6.17 apenas escrito 4.91 quadro de avisos 3.72 apenas boato 3.56“Depois, testes de informação foram aplicados aosempregados a fim de determinar o quanto delaeles haviam assimilado” (McCORMICK e TIFFIN,1977, p. 191), conseguindo-se o resultado médioalcançado pelas formas de comunicação.
  10. 10. Funções...Transportando conceitos de função e disfunçãopara os ambientes organizacionaisMeios de comunicação de massa  veículos decomunicação propostos pela empresa (formais),com duas funções principais: - fortalecer a autoridade de proprietários eexecutivos da empresa - reafirmação das normas estabelecidas pelaorganização - “disfunção narcotizante”  meios formaisde comunicação informam apenas superficialmente,apesar da quantidade de informação disponível,sem oportunidade de reflexões mais profundas
  11. 11. ... e disfunçõesRádio-peão  meio deslocado do sistema decomunicação da empresa“Provavelmente, os pesquisadores reconhecerãoque uma das mais importantes e irritantesvariáveis intervenientes que afetam suasinvestigações das relações entre os fenômenosorganizacionais é a presença de uma estruturade grupo informal [...] colocam osadministradores em posição de consternação econflito. (CHAMPION, 1979, p.171)
  12. 12. Champion (1979, p.178) busca funçõespara a Rádio-peão: - canal de comunicação à parte daestrutura formal que fornece aosempregados informação importantes queos afetam - meios mais rápidos de disseminarinformação em comparação com os "canaisoficiais" - mais flexibilidade, pois, se redesformais são bloqueadas, “os quedisseminam rumores” conseguirão ainformação e repassarão
  13. 13. Champion (1979, p.179-180) destaca duasdisfunções para a Rádio-peão: - informação distorcida ou errada étransmitida aos membros de grupo - rede alternativa de comunicação podeatrapalhar a imposição de normas eautoridade de supervisão (dirigentes sentem-se humilhados quando descobrem queinformação “sigilosa” tornou-se disponível aossubordinados, diminuindo seu ‘poder’)
  14. 14. A Rádio-peão a serviço da organizaçãoConforme a teoria funcionalista: organização  miniatura da sociedade comunicação formal  função de mantero sistema existente comunicação informal  Rádio-peãoexiste, faz parte do sistema e, portanto, devecumprir a missão primordial dos subsistemas:contribuir para a manutenção do sistema“A Rádio–peão é um fator para ser considerado dentro dos assuntos administrativos. O administrador deveanalisá-la e deve conscientemente tentar influenciá-la” (DAVIS, 1988, p.289).
  15. 15. Rádio-peão: meio democrático de comunicação Rádio-peão: - aparece quando os meios de comunicação formal não são rápidos o suficiente - quando parte da notícia é reservada apenas aos altos executivos - sempre que há dúvidas e incertezas entre os funcionários
  16. 16. Críticas à visão funcionalista da rádio-peão - no método “observador participante”,proposto por Davis, o pesquisador não revelasua real posição no grupo investigado.Questão ética: pesquisados não têm direito desaber que estão participando de umexperimento? - rádio-peão como disfunção dacomunicação e não como meio democráricode participação; suas “disfunções” (repasseincorreto e vazamento de informaçõesconfidenciais) surgem da própria ineficácia dacomunicação formal
  17. 17. - utilização dos meios informais decomunicação, mais precisamente da Rádio-peão, pelos executivos das empresas, para orepasse de informações de interesse daempresa, manipulando esse meio natural decomunicação e inter-relacionamento entre osfuncionários.
  18. 18. Allport e Postman (1953) - a importânciade um fato para um grupo social e aambigüidade nas informações referentes aesse fato são as condições básicasnecessárias para surgimento dos rumorese para que estes se alastrem.A Rádio-peão é exatamente isso: nascedas inter-relações cotidianas, aumentaquando há alguma dúvida no ar, estáaberta para a participação de todos, émultipartidária.
  19. 19. ReferênciasALLPORT, Gordon W. e POSTMAN, Leo. Psicologia del Rumor. BuenosAires: Editorial Psique, 1953.CHAMPION, Dean J. A Sociologia das organizações. São Paulo: Saraiva,1979.DAVIS, Keith. Methods for Studying Informal Communication. In: Journalof Communication. Vol. 28, nº1. Winter 1978. p. 112-116.DAVIS, Keith. Management Communication and the grapevine In:Ferguson, Sherry D. and Ferguson, Stewart (edit). OrganizationalCommunication. New Brunswick (USA): Transaction Publishers, 1988.LASSWELL, Harold D. A estrutura e a função da comunicação nasociedade. In: COHN, Gabriel (org.). Comunicação e Indústria Cultural.São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1977. p. 105-117McCORMICK, Ernest J. e TIFFIN, Joseph. Psicologia Industrial. Vol. 2.São Paulo: EPU, 1977.MERTON, R.K. e LAZARSFELD, P.F. Comunicação de massa, gostopopular e a organização da ação social. In: COHN, Gabriel (org.).Comunicação e Indústria Cultural. São Paulo: Companhia EditoraNacional, 1977. p. 230-253
  20. 20. Obrigada  katia.perez@ig.com.br

×