Obsessão e o movimento espírita

2.162 visualizações

Publicada em

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.162
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
119
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Obsessão e o movimento espírita

  1. 1. “A sua influência é maior do que supondes,porque, muito frequentemente, são eles que vos dirigem.”
  2. 2. Recordando: O que éobsessão ???Influência queum ou maisEspíritostentam obtersobre umindivíduo,desejandoprejudicá-lo.
  3. 3. A obsessão decorrente da sugestão mental foi perfeitamente descrita por Allan Kardec, em “OLivro dos Médiuns”, capítulo XXIII, oportunidade em que o Codificador estabeleceu umaclassificação alicerçada na gradação crescente dosefeitos opressivos sobre o encarnado, tais como a obsessão simples, a fascinação e a subjugação.
  4. 4. QUEM SÃO OS ESPÍRITOSTREVOSOS E SEUS OBJETIVOSSão espíritos extremamente inteligentes e que usam sua inteligência para a prática consciente do mal.
  5. 5. São estudiosos de magia,cientistas, hipnotizadores e magnetizadores, que conhecem muito bem anatureza humana e adoramo poder; odeiam o bem e os bons que podem por em risco sua posição de liderança. Não são simplesmente obsessores. São espíritosque, ao longo de milênios, edificaram um reinoextremamente organizado, cujo objetivo é combater as ideias de Jesus Cristo.
  6. 6. Manoel Philomeno de Miranda, na obra Transtornos psiquiátricos e obsessivos, alerta sobre uma trama das trevas organizadas para ridicularizar a DoutrinaEspírita e a mediunidade, promovendo a superficialidade, a ausência de estudos da própria mediunidade e aideia de que Allan Kardec está ultrapassado.
  7. 7. São “[...] espíritos perversos que o sofrimento embruteceu, sicários da sociedade que se não modificaram ante a derrocada pela morte, dando-se conta do prosseguimento da vida, continuam nassuas nefastas decisões de afligir e infelicitar; comprazendo-se em imiscuir-se nos grupos sociais, fomentando dissensões, ódios eguerras, que lhes facultam embriaguez pelasenergias que absorvem vampirescamente em infindáveis fenômenos de obsessão dolorosa.” Manoel Philomeno de Miranda , Trilhas de Libertação -introdução
  8. 8. QUAIS SÃO OS ALVOS DAS TREVAS? “ (...) voltam-se, sobretudo, contra os espíritas sinceros e operosos, que lhes constituem barreira à sementeira daperversidade e da luxúria, do desequilíbrio eda perversão, do ódio e dos seus sequazes (...)
  9. 9. “Agora reinvestem com vigor (...) mediante o combate aos seus adeptos. Armadilhas soezes, instrumentos cruéis, técnicas refinadas, aparatos complexos são utilizados para vencê-los, atraindo- os e dizimando-os nos seus propósitos mais sadios, ou vencendo-os com as suas sortidas infelizes, mediante intercâmbio doentio e obsessivo, para os desanimar ou perverter.”MIRANDA, Manoel Philomeno, CONVITES À REFLEXÃO E AO TESTEMUNHO, “ Sexo e Obsessão”, cap. 23.
  10. 10. Grupos Mediúnicos Sérios “(...) Os ocasionadores de perturbações não se encontram somente no meio delas (das Sociedades e das reuniões), mas também no mundo invisível. Assim como há Espíritos protetores das associações, das cidades e dos povos, Espíritos malfeitores se ligam aos grupos, do mesmo modo que aos Indivíduos. Ligam-se, primeiramente, aos mais fracos, aos mais acessíveis, procurando fazê-los seus Instrumentos e gradativamente vão envolvendo os conjuntos, por isso que tanto mais prazer maligno experimentam, quanto maior é o número dos que lhes caem sob o jugo.”O Livro dos Médiuns, Allan Kardec, item 340.
  11. 11. “(...), toda e qualquer atividade nobre que tenha por escopo livrar ascriaturas humanas do jugodas paixões inferiores seráobjeto de suas investidas, a fim de obstar-lhe odesenvolvimento. Natural, pois, que os Grupos Espíritas que lidam diretamente com esses irmãos desencarnados sejam alvo de seu assédio, que se mostra especialmente intenso.” Suely C. Schubert, Obsessão e Desobsessão
  12. 12. A casa espírita também é um alvo dos espíritos trevosos, desde que os núcleosespíritas realmente represente algum perigo para as suas intenções.
  13. 13. Os espíritos das sombras, no aspecto mundial, estão ocupados manipulando muitos Chefes de Estado, líderes governamentais, pessoas influentes dasociedade e líderes religiosos e, com isso, cuja finalidade é retardar a evolução da humanidade.
  14. 14. TÉCNICAS INDIVIDUAISDe acordo com ManoelPhilomeno de Miranda, naobra “Trilhas da Libertação”,psicografada por Divaldo P.Franco, as trevas investemnas 4 fragilidades humanas: Sexo Narcisismo Poder Dinheiro
  15. 15. “(...) o homem (...) é um animal sexualSEXO que se compraz no prazer. Deve ser estimulado ao máximo, até a exaustão, aproveitando-se-lhe as tendências, e, quando ocorrer o cansaço, levá-lo aos abusos, às aberrações.Direcionar esse projeto aos que lutam pelo equilíbriodas forças genésicas é o empenho dos perturbadores, propondo encontros, reencontros e facilidades com pessoas dependentes dos seus comandos que seacercarão das futuras vítimas, enleando-as nos seus jogos e envolvimentos enganosos.”
  16. 16. NARCISISMO “ (...) o narcisismo é filhopredileto do egoísmo e pai doorgulho, da vaidade, inerentes ao ser humano. Fomentar ocampeonato da presunção nas modernas escolas do Espiritualismo, ensejando a fascinação, é item de alta relevância para a queda desastrosa de quem deseja a preservação do ideal de crescimento e de Iibertação. O orgulho entorpece os sentimentos e intoxica o indivíduo, cegando-o e enlouquecendo-o”
  17. 17. “(...) O poder tem prevalência em a natureza humana. Remanescente PODER dos instintos agressivos, dominadores e arbitrários, ele se expressa de várias formas, sem disfarce ou escamoteado, explorando aqueles que se lhe submetem e desprezando-os ao mesmo tempo, pela subserviência de que se fazem objeto, e aos competidores e indomáveis detestando, por projetar-lhesombra. O poder é alçapão que não poupa quem quer que lhe caia natrampa. Ademais a morte advêm, e a fragilidade diante de outras forças aniquila o iludido.”
  18. 18. DINHEIRO“(...) O dinheiro, que compra vidas e escraviza almas, será outro excelente recurso decisivo. A ambição da riqueza, mesmo que mascarada, supera a falsa humildade, e o conforto amolenta o caráter, desestimulando ossacrifícios. Sabe-se que o Cristianismo começou a morrer, quando o martirológio foi substituído pelo destaquesocial, e o dinheiro comprou coisas, pessoas e até o reino dos céus, aliciando mercenários para manter a hegemonia da fé...”
  19. 19. (...) Nossa atuação será “na surdina”.Trabalharemos silenciosamente, ocultamente, no campo dos sentimentos, sugerindo pensamentos, estimulando as irritações, o ciúme, a fofoca, a indignação, os melindres, a disputa de cargos e de tarefas, etc. Temos aí, um vasto campo de atuação junto às inferioridades humanas. Aproveitaremos asbrechas deixadas por muitos trabalhadores. (...) Eles é que, de tempos em tempos, abrembrechas, nós apenas aproveitamos os deslizes e descuidos dos “ilustres seguidores de Jesus”. Aconteceu na Casa Espírita
  20. 20. PROTEÇÃO ESPIRITUAL EQUIPE deENCARNADOSEQUIPE DAS TREVAS
  21. 21. Procuram semear adesunião entre osadeptos, atiçando o fogode pequenas paixões, deciúmes e rancores,fazendo nascer os cismas,suscitando causas deantagonismo e derivalidade entre osgrupos, a fim de levá-los aconstituir diversoscampos.
  22. 22. Utilizando-se das próprias falhas do caráter de cada um, das suas dificuldades morais, dos conflitos e das heranças da conduta pregressa, estimulam-nos o retorno às paixões, intensificando o cerco e atirando- lhes pessoas desequilibradas, que passam a aturdi-los com os seus apelos vis, a sua psicosfera mórbida, a sua presença desagradável e tóxica (...)
  23. 23. “Discussões inoperantes, rixas e impertinências, queixas e intrigas, maledicências soezes e calunias bem elaboradas, vinganças covardes e mentirosas que surgem da fantasia dos mais sonhadores e frívolos, são recursos utilizados pelos técnicos das Legiões das TrevasManoel P.Miranda, Sexo e Obsessão. (...) ”
  24. 24. RESPONSABILIDADE ANTE A DOUTRINA ESPÍRITA 642. Para agradar a Deus e assegurar a sua posição futura, bastará que o homem não pratique o mal?“Não; cumpre-lhe fazer o bem no limite de suasforças, porquanto responderá por todo mal que haja resultado de não haver praticado o bem.”
  25. 25. PROFILAXIA E SUPERAÇÃO DA OBSESSÃO
  26. 26. Oração Cultive o hábito da oração. A prece é a luz na defesa do corpo e da alma. Ocupe o seu tempo disponível ao justo refazimento. Asugestão das trevas chega até nós, pela hora vazia. (André Luiz / Chico Xavier)
  27. 27. Vigilância do pensamento e da vontadeBezerra de Menezes
  28. 28. Trabalho no bem “Trabalha no Bem e o Bem responderá com a paz na tua consciência.” Irmã Scheilla
  29. 29. Ama sempre, fazendo pelos outros o melhor que possas realizar. Age auxiliando. Serve sem apego. E assim vencerás. Emmanuel/Chico Xavier
  30. 30. Estudo e EspiritismoEstudar a doutrina, eespecificamente amediunidade [...] édever inadiável a quese deve submetertodo adepto doEspiritismo e maisparticularmenteaqueles que sequeiram dedicar aoexercício dasfaculdadesmediúnicas. Atualidade do pensamento espírita, q. 213 Vianna de Carvalho / Divaldo Franco
  31. 31. “Em mediunidade, não há conquista- relâmpago. [...] Exercer a mediunidade como força ativa no ministério do bem é fruto da experiência de quantos lhe esposam a obrigação, por senda dedisciplina e trabalho, consagrando-se, dia a dia, a estudar e servir com ela.” Seara dos Médiuns, p 158.
  32. 32. Reforma íntima“Reconhece-se o verdadeiro Espírita pelasua transformação moral, e pelos esforços que emprega para domar as suas más inclinações”. Allan Kardec E.S.E., cap. XVII Sede Perfeitos
  33. 33. "A batalha mais difícilde ser travada ocorreno teu mundo íntimo.Ninguém a vê, aaplaude ou a censura.É tua. Vitória, ouderrota, pertencerá ati em silêncio.Nenhuma ajudaexterior poderácontribuir para o teusucesso, ouconjuntura alguma televará ao fracasso." Joanna de Ângelis
  34. 34. COMBATER OPERSONALISMO
  35. 35. Não subestimar o poder dos espíritos das trevas
  36. 36. A TODOS TRABALHADORES DA CASA ESPÍRITA1. Buscar cultivar nos grupos (mediúnicos,de estudo, evangelização infantil, passes,fluido terapia), a sinceridade, amizadeverdadeira e, principalmente, muito amore união entre todos os colaboradores dogrupo;
  37. 37. 2. Cultivar a prática da solidariedade, carinhoe respeito para com todas as pessoas quebuscam a casa espírita para estudar, paraserem orientadas ou para receberemassistência espiritual;
  38. 38. 3. Ter comprometimento com a causa espírita, com Jesus.
  39. 39. 4. Realizar,periodicamente, uma avaliação dos resultados obtidos, para verificar se os três itensanteriores estão realmente acontecendo.
  40. 40. Compromisso com Jesus
  41. 41. Em termos práticos para que o Médium possa tornar a sua mediunidade um compromisso de fidelidade a Jesus, e, com isso, tornar-seresistente à obsessão é necessário fazer uma avaliação honesta e autêntica sobre o nível de consciência do bem e do mal que tem praticado, em nível dos pensamentos,sentimentos e emocionais-comportamentais. É necessário tomar consciência do nível do bem que pratica, do bem que está deixandode realizar, do mal que pratica, e do mal que está aprendendo a evitar em nível dos pensamentos, sentimentos e emocionais- comportamentais.
  42. 42. Erasto Ó adeptos do Espiritismo, sois os eleitos de Deus! Ide e pregai a palavra divina.... ... Échegada a hora em que deveis sacrificar à sua propagação os vossos hábitos, os vossos trabalhos, as vossas ocupações fúteis...... Ide e pregai; os Espíritos do Alto estão convosco.
  43. 43. Sacode o pó do marasmo queintoxica, aspira o ar da esperança,nutre o pensamento comotimismo, e acordarás. Joanna de Ângelis
  44. 44. BIBLIOGRAFIAFRANCO, Divaldo – Manoel P. de Miranda - Temas da Vida e da Morte;_________, Divaldo – Manoel P. de Miranda - Nos Bastidores da Obsessão;_________, Divaldo – Manoel P. de Miranda - Sexo e Obsessão;_________, Divaldo – Manoel P. de Miranda - Painéis Da Obsessão;_________, Divaldo – Manoel P. de Miranda - Obsessão Instalação e Cura;_________, Divaldo – Manoel P. de Miranda - Trilhas da Libertação;_________, Divaldo – Manoel P. de Miranda - Transtornos psiquiátricos eObsessivos;_________, Divaldo – Joanna de Ângelis – Estudos Espíritas;_________, Divaldo – Joanna de Ângelis - Fonte de Luz;KARDEC, Allan – O Livro dos Médiuns, item 237;_________, Allan – O Evangelho Seg. o Espiritismo Cap. XXVIII – 81;_________, Allan – A Revista Espírita; CRISTIANO, Emanuel – Nora – Aconteceu na Casa Espírita, capítulo 1.
  45. 45. FRANCO, Divaldo – Vianna de Carvalho - Atualidade do pensamentoespírita - q. 213;Xavier, Francisco C. – Emmanuel - Seara dos Médiuns – pág. 158;_______, Francisco C. – Emmanuel - mensagem: Vencerás;_______, Francisco C. – André Luiz – Aulas da Vida - Preceitos De Saúde –pag. 34;Bacceli, Carlos A. – Bezerra de Menezes – A Coragem da fé – Vigiai noSenhor – pág. 28;Levy, Clayton B. – Scheilla - Mensagem do Dia - Servindo e Amando;

×