Apresentacao piajet

3.366 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.366
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
906
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
64
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentacao piajet

  1. 1. Acadêmica: Débora C. Coelho M. Oliveira
  2. 2. TEORIA/CONCEPÇÃO A sua teoria chamada de EpistemologiaGenética ou Teoria Psicogenética é a maisconhecida concepção construtivista da formaçãoda inteligência. Jean Piaget, em sua teoria, explica como oindivíduo, desde o seu nascimento, constrói oconhecimento.
  3. 3. Construção do conhecimento A construção do conhecimento ocorrequando acontecem ações físicas ou mentais sobreobjetos que, provocando o desequilíbrio, resultamem assimilação ou, acomodação e assimilaçãodessas ações e, assim, em construção de esquemasou conhecimento. Em outras palavras, uma vez que a criançanão consegue assimilar o estímulo, ela tenta fazeruma acomodação e após, uma assimilação e oequilíbrio é, então, alcançado.
  4. 4. Esquema São estruturas que se modificam com odesenvolvimento mental e que tornam-se cadavez mais refinadas à medida em que a criançatorna-se mais apta a generalizar os estímulos. Por este motivo, os esquemas cognitivosdo adulto são derivados dos esquemas sensório-motores da criança e, os processos responsáveispor esses mudanças nas estruturas cognitivassão assimilação e acomodação.
  5. 5. Assimilação É o processo pelo qual o indivíduocognitivamente capta o ambiente e o organizapossibilitando, assim, a ampliação de seusesquemas. Na assimilação o indivíduo usa asestruturas que já possui.
  6. 6. Acomodação É a modificação de um esquema ou de uma estrutura emfunção das particularidades do objeto a ser assimilado. A acomodação pode ser de duas formas, visto que se podeter duas alternativas: Criar um novo esquema no qual se possa encaixar o novoestímulo, ou modificar um já existente de modo que o estímulopossa ser incluído nele. Após ter havido a acomodação, a criança tenta novamenteencaixar o estímulo no esquema e aí ocorre a assimilação. Por isso, a acomodação não é determinada pelo objeto e simpela atividade do sujeito sobre este, para tentar assimilá-lo.O balanço entre assimilação e acomodação é chamado de adaptação.
  7. 7. Equilibrio É o processo da passagem de uma situaçãode menor equilíbrio para uma de maiorequilíbrio. Uma fonte de desequilíbrio ocorre quandose espera que uma situação ocorra dedeterminada maneira, e esta não acontece.
  8. 8. O indivíduo constrói e reconstróicontinuamente as estruturas que o tornam cadavez mais apto ao equilíbrio. Essas construções seguem um padrãodenominado por Piaget de ESTÁGIOS queseguem idades mais ou menos determinadas. O importante é a ordem dos estágios e nãoa idade de aparição destes.
  9. 9. SENSÓRIO- MOTOR (0 A 2 ANOS) A partir de reflexos neurológicos básicos, o bebêcomeça a construir esquemas de ação para assimilarmentalmente o meio. A inteligência é prática. As noçõesde espaço e tempo são construídas pela ação. O contatocom o meio é direto e imediato, sem representação oupensamento.• Exemplos:O bebê pega o que está em sua mão; "mama" o que éposto em sua boca; "vê" o que está diante de si.Aprimorando esses esquemas, é capaz de ver um objeto,pegá-lo e levá-lo a boca.
  10. 10. PRÉ-ORATÓRIO (2 A 7 ANOS) Também chamado de estágio da Inteligência Simbólica . Caracteriza-se, principalmente, pela interiorização de esquemas de ação construídos noestágio anterior (sensório-motor).A criança deste estágio:• É egocêntrica, centrada em si mesma, e não consegue se colocar, abstratamente, no lugar do outro.• Não aceita a idéia do acaso e tudo deve ter uma explicação (é fase dos "por quês").• Já pode agir por simulação, "como se".• Possui percepção global sem discriminar detalhes.• Deixa se levar pela aparência sem relacionar fatos.• Exemplos:Mostram-se para a criança, duas bolinhas de massa iguais e dá-se a umadelas a forma de salsicha. A criança nega que a quantidade de massacontinue igual, pois as formas são diferentes. Não relaciona as situações.
  11. 11. OPERATÓRIO CONCRETRO(7 A 11 ANOS) A criança desenvolve noções de tempo, espaço,velocidade, ordem, casualidade, já sendo capaz de relacionardiferentes aspectos e abstrair dados da realidade. Não selimita a uma representação imediata, mas ainda depende domundo concreto para chegar à abstração, desenvolve acapacidade de representar uma ação no sentido inverso deuma anterior, anulando a transformação observada(reversibilidade).Exemplo:Despeja-se a água de dois copos em outros, de formatosdiferentes, para que a criança diga se as quantidadescontinuam iguais. A resposta é afirmativa uma vez que acriança já diferencia aspectos e é capaz de "refazer" a ação.
  12. 12. OPERATÓRIO FORMAL (12 ANOE EM DIANTE) A representação agora permite a abstração total. A criançanão se limita mais a representação imediata nem somente àsrelações previamente existentes, mas é capaz de pensar em todasas relações possíveis logicamente buscando soluções a partir dehipóteses e não apenas pela observação da realidade. Em outras palavras, as estruturas cognitivas da criançaalcançam seu nível mais elevado de desenvolvimento e tornam-seaptas a aplicar o raciocínio lógico a todas as classes de problemas.• Exemplos:Se lhe pedem para analisar um provérbio como "de grão em grão, agalinha enche o papo", a criança trabalha com a lógica da idéia(metáfora) e não com a imagem de uma galinha comendo grãos.

×