Os Thrimits
Uma pequena aventura.

Caio Ferretti
Prólogo

Olá amigo,tudo bem?Você alguma vez já se perguntou para onde vão as
canetas que você perde,aquele pé de meia que ...
Capítulo 1

Você obviamente deve estar se perguntando ‘’COMO DIABOS EU LEIO
ESSE NOME???’’Calma, todos erram no começo. O ...
Enfim,eu estava com pressa. Minha barriga IMPLORAVA (quase chorava)
por comida. Pensei alto um ‘’Que se dane’’,peguei a ch...
‘’REGRA DOS 5 SEGUNDOS!’’ e meu braço já se esticava em direção ao
chocolate.Foi quando algo me mordeu.
Capítulo 2
Ah,amigo criança,esqueci-me de você, me desculpe. O nome se lê TRÍMIT
(assim mesmo).
Com cinco ou seis cm de al...
-Ele também pode nos entender – disse o segundo maior
-QUÊ? – gritou ele cheio de raiva
-Joguei a magia do cuspe nele.Elee...
NOTA DE MM (MIM MESMO): Bizarro
-O que são vocês?
-Calma,explicaremos tudo quando chegarmos lá.
Eu estava sendo guiado pel...
Capítulo 3
Uma pequena porta se abriu na parede (com pequena eu quero dizer
MINÚSCULA).Ela se camuflava perfeitamente com ...
-O quê?
-Vamos te explicar tudo.A burrada já está feita mesmo...
NOTA DE MM: Senta que lá vem história...
600 anos.Eles es...
Ele também me explicou como são as coisas na colônia.Há um REI,que
manda em tudo,os OPERÁRIOS,que trabalham expandindo e p...
Segundo Frank, aproximadamente 300 Thrimits vivem aqui em casa. Eu
não sei até onde eles operam,mas segundo eles existem o...
O de moicano e o careca são os gêmeos Pink & Floyd..
Capítulo 4
Frank e seus irmãos agora me vigiavam.Bem,vigiar não é um termo muito
adequado...acho que nós nos tornamos amig...
-Calma – disse Nike,tentando me defender- não foi isso que ele quis
dizer,é que...
-OLHEM,UMA BARATA! – gritou Pink
Se voc...
A parede vermelha e cheia de musgo do corredor parecia bem maior
agora.
-Ninguém aparece – disse Nike,após bater palmas tr...
Capítulo 5
-Então essa é a...
-Aham
-Não tem outro jeito?
-Bom,se um chaveiro não está em seu posto,acho que os outros tam...
Ela saiu rapidamente do banheiro para procurar pelo marido. Nesse meio
tempo,Nike,Sheep,Pink e Floyd já estavam dentro da ...
feitas de pedra,com uma porta grande em uma ponta e um ‘’riacho’’ em
outra.
Frank ainda me segurava,e foi ele que me tirou...
Capítulo 6

O salão do trono era...GRANDE.Como se você estivesse em uma daquelas
igrejas sabe?Com pinturas no teto e tudo ...
Acho que foi só aí que o mestre dos magos me notou.

Espero que,julgando pelo nome dele,você não o tenha imaginado assim:
...
-O humano?O que você está fazendo aqui...e por que está do nosso
tamanho?
-Nós também gostaríamos de saber,pai – disse Fra...
-Mas nós temos o a pedra!Se nós usássemos todo seu poder
poderíamos...
-Não!Mickey,pare com isso ou eu contarei esses seus...
Capítulo 7

Depois de um súbito ataque de riso por causa dos nomes presentes na
história(imagina só, ‘’Eu sou Mickey, e vo...
-graças a isso ele é o que é hoje...todos sabem disso – disse Floyd
-E o que aconteceu com Mickey?
Bem,o rei não gostou na...
SIM!O REI DA COLÔNIA,O GRANDE,O HERÓI...irônico,não?

-Quando eles souberam,correram imediatamente para a sala da
pedra,on...
-OBRIGADO Nike! – disse o mestre, um pouco irritado - Será que posso
contar minha própria históriCOF COF COF – ele tossiu....
Capítulo 8

Frank parecia com medo momentos antes da partida.Todos pareciam.A
colônia INTEIRA dependia de nós.
Segundo o m...
-Eles estão em um terreno baldio, à umas três quadras daqui – disse Nike
– papai nos deu um mapa.
Eram três ou 4 horas da ...
chaveiros),que fez com que eles perdessem os sentidos.Ninguém sabia
disso,e chaveiro só foi descoberto 20 minutos antes de...
As noites desse cara devem ser chatas pra CARAMBA,imagine. Ficar
sentado a noite inteira,olhando pra uma tela e...’’Oh meu...
Capítulo 9

Foi bem rápido.Em apenas alguns segundos,o primeiro carro passou sobre
nós,assustando todos os ratos,que se se...
Seguimos viagem por aquela rua. Para nossa sorte era madrugada e não
tinha ninguém na rua,apesar do movimento na avenida.
...
-Eu não sei,ele não quer andar – disse ele,batendo com os pés na barriga
do animal
-Vem cá,deixa eu te ajudar – disse Pink...
Seguimos andando pela rua em silêncio até que Floyd o quebrou:
-Isso é música?
Capítulo 10

Um churrasco.Madrugada de DOMINGO e...um churrasco!Oh, que
maravilha! Estávamos presos entre um gato preto as...
-É um cajado antigo e MÁGICO,Frank – respondeu ele – sei tanto dele
quanto você.
-Você consegue,vai lá! – eu disse,tentand...
garfinhoe nós nossas espadas. Um ato inútil, eusei, mas estávamos com
muito MEDO.
-Ser visto ou ser comido – sussurrou Pin...
-Pessoal,o gato! – gritou Frank
Ele parecia mais lento...assim como tudo mais.A música parou e a pedra
deixou de brilhar.
...
Capítulo 11

Passar por eles foi fácil.Afinal,estavam todos CONGELADOS no tempo.
-Como foi que você fez isso,Nike?
-Bem,eu...
...naaa balaaadaaa,aaa galeeeraaa coomeçou a dançaaaaar.E passou a
menina mais lindaaa...
A música voltou ao normal.As pes...
-Quem seria tão idiota e doido para ajudar seres verdes e pequenos a
salvar sua colônia às 3h da manhã? – disse Nike - Nin...
-Não,eu conheço esse cachorro.Já até salvei a vida dele uma vez!

Capítulo 12
-Beethoven?Meu deus,você não tem criatividad...
O cachorro latiu para mim,abanando o rabo
-Mas e ele? – disse Frank,com um ar de preocupação no rosto
-O que tem ele?
-É u...
Pink estava montado no cachorro, enquanto ele tentava pegar o próprio
rabo.
-HAHAHA vocês deveriam tentar,é legal!
Nós tod...
-Não podemos passar por baixo do portão como fizemos lá em casa? –
perguntei,olhando para o pequeno (e único) portão de ma...
Capítulo 13
-É assim desde que nós nascemos – disse um dos guardas – papai nos
ensinou que os humanos são ruins e VOCÊS ta...
-Não sabemos,eu juro! – gritou o outro guarda.
-Ah,é mesmo?Vamos ver... – ele espetou a perna do primeiro com o
garfinho.
...
-Pra que toda essa brutalidade? – disse Nike, encarando Sheep – eles são
só crianças!
-Crianças com boas informações.Vamos...
-Nike,faça alguma coisa! – sussurrou Floyd
-Eu?Mas...como?
-Tenta usar o cajado de novo.
-Você tem razão...eu já venho!
-....
-Galera,uma dúvida – eu disse,enquanto andávamos nas partes mais
escuras por ali – por que ele precisa da luz do sol pra f...
-Que prazer conhecê-los! – a pedra do cajado em suas mãos brilhou.Não
azul e forte como a de Nike,mas verde e...morta.
Ime...
-Mas...por quê?Por que eu tinha que vir? – quis saber
-Seu sangue,tolo – ele disse – é um dos ingredientes.
-M-mas você de...
Aquele não era o tranqüilo e amigável cachorro que eu salvei há dois
anos.Ele estava lutando contra o gato com unhas e den...
Capítulo 15

-Frank...foi você? – perguntou Nike
-É,eu acho que sim – disse o pequeno Thrimit – só não sei como.
-Não impo...
-Droga.Rapazes,peguem os garotos! – disse Mickey – eu cuido do último
ingrediente – a máquina ainda brilhava atrás dele.
E...
-HAHAHAHA –riu Mickey – estúpido! – Ele molhou uma das mãos em meu
sangue e se dirigiu até a máquina,enquanto eu
NOTA DE M...
Capítulo 16

Beethoven caiu no chão feito um saco de batatas.
-Não...não não não NÃO NÃO – gritei,enquanto acariciava o fo...
Atrás de mim,os gritos e sons de espada haviam parado.Os irmãos
perderam?Não pode ser...
-Não posso pensar nisso agora – d...
P-por que eu não consigo tocar a fumaça?
– Eu devo ter morrido.É,eu morri,só pode ser.Agora sou um espírito.
-Você não mor...
A lágrima!
De repente,o mundo foi ficando menor.MUITO MENOR.Ou será que fui eu
que aumentei?
Capítulo 17

-Será que o Beethoven tá com fome? – disse Frank,olhando para o
cachorro
-Não,ele só está um pouco cansado – ...
-É.A pedra do meu cajado não tinha força suficiente para curar o seu
encolhimento ou as maldições jogadas em Beethoven,poi...
Ele riu.Alguns minutos depois os três voltaram,com as chaves nas mãos.
-Finalmente cumprimos nossa missão.Pegamos as chave...
Os Thrimits
Os Thrimits
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Os Thrimits

282 visualizações

Publicada em

Conto fantástico moderno, sobre algumas criaturas minúsculas que adoram acumular objetos perdidos. Caio Ferretti, 2A.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
282
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Os Thrimits

  1. 1. Os Thrimits Uma pequena aventura. Caio Ferretti
  2. 2. Prólogo Olá amigo,tudo bem?Você alguma vez já se perguntou para onde vão as canetas que você perde,aquele pé de meia que simplesmente DESAPARECE ou as suas chaves,que somem quando você mais precisa?Eu garanto que sim.E eu também garanto que você pensa ‘’Ah,isso é só uma coincidência’’ ou ‘’É o destino escrevendo sua história’’. Nada disso,são os Thrimits!
  3. 3. Capítulo 1 Você obviamente deve estar se perguntando ‘’COMO DIABOS EU LEIO ESSE NOME???’’Calma, todos erram no começo. O nome vem de um dialeto muito antigo e significa...ér...bem,eu não sei o que significa. Mas deixe-me contar como foi que eu os conheci. Era uma manhã de inverno (ou verão, não tenho certeza. Sou péssimo com estações) e eu estava seguindo minha rotina fim-de-semanal à risca: Dormir,comer,jogar videogame o dia todo e dormir de novo (pra acordar no domingo e fazer a mesma coisa).Tinha acabado de acordar e já ia ligar meu Xbox 360 quando me lembrei de uma coisa: Minha geladeira estava completamente vazia!(Não que isso seja raro,não, ela fica vazia a semana toda porque eu trabalho e moro sozinho.) Fim de semana cara, meus dois dias de glória e eu ME ESQUEÇO DE FAZER AS COMPRA DE SEXTA! Mas enfim, vocês ainda querem saber o que são os Thrimits, né?Continuando! Então eu tava lá,arrasado,triste,sem nada pra comer (chore comigo leitor) e...bem,foi aí que meu subconsciente falou comigo: - Cara,vai ao mercado e compra alguma coisa! - Mas é tão longe... - Larga a mão de ser preguiçoso! - Mas... Ele fez uma cara feia pra mim (dentro da minha mente,claro). - Tá booom, eu vou lá. ‘’São só cinco quadras’’ pensei comigo mesmo,moleza! Bem,realmente seria moleza...mas onde estão minhas chaves? Eu deixei na frente da TV,eu tenho certeza!
  4. 4. Enfim,eu estava com pressa. Minha barriga IMPLORAVA (quase chorava) por comida. Pensei alto um ‘’Que se dane’’,peguei a chave reserva em baixo do tapete e fui. Voltei 20 minutos (e 2 kg perdidos) depois,carregado de chocolates e essas coisas que engordam...estava prontinho pra voltar pra minha rotina quando meu subconsciente falou comigo novamente: - Cara,e sua chave? - Amanhã eu acho, me deixa! Liguei meu vídeo-game. - MAS VOCÊ PRECISA DELA - Calma,já vou l... - Se você não for eu vou atrapalhar sua coordenação durante o jogo! Que jogo sujo! -... droga! Lá fui eu. Não antes de pegar um chocolate, claro (Diamante Negro,meu favorito)! Cozinha,sala, quarto, nada. Cadê essa chave maldita? Pelo visto ela se escondeu muito bem. Eu fui ver em baixo do sofá e...oh...será que... SIM!É ela ali!Finalmente!A questão agora era como pegar...largar o chocolate e erguer o sofá?Nãoné,não poderia fazer isso com meu chocolate. Arrastei o sofá (com o chocolate ainda na mão) e lá estavam.Três chaves em um chaveiro de coração (não me julgue,foi minha avó quem deu).Fui me abaixar para pegar quando...não!Nãosenhor, PORQUÊ?Meu chocolate,tão jovem,tão puro,tão...no chão,do lado da chave. Como vocês já perceberam,eu sou um cara completamente preguiçoso.Mas quando coisas desse tipo acontecem,meu cérebro vai para o MODO GORDO,que inclui a função ‘’SALVE A COMIDA DE QUALQUER JEITO!’’.Um segundo após a queda meu cérebro já gritava
  5. 5. ‘’REGRA DOS 5 SEGUNDOS!’’ e meu braço já se esticava em direção ao chocolate.Foi quando algo me mordeu.
  6. 6. Capítulo 2 Ah,amigo criança,esqueci-me de você, me desculpe. O nome se lê TRÍMIT (assim mesmo). Com cinco ou seis cm de altura,pele cinza meio esverdeada,orelhas pontudas,uma aparência entre o fofo e o BIZARRO,esse é um Thrimit.Eram cinco deles,ao redor da chave e do chocolate.O maior deles gritou enquanto olhava pra mim: -Kowaskin!! Imagine a cena: Lá estava eu,de pijamas,com a embalagem do chocolate na mão, olhando para uma chave, um chocolate e cinco bichinhos estranhos que eu nunca tinha visto na vida....QUE DEMAIS CARA! O maior voltou a falar,apontando para mim,para o chocolate e para os outros quatro: -Shamiki no ivay itrate mavow! (não tenho certeza,mas acho que é um trecho obsceno). Ele continuou gritando por uns 5 minutos,com os outros tentando acalmálo e eu lá, com cara de tacho, sem saber se corria ou o que. O segundo maior gesticulou para eu me aproximarei agachei e o FILHO DE UMA MÃE VERDE cuspiu na minha cara (meu amigo, que pulmãozinho forte eles tem). O maior continuava gritando. Espera...meus ouvidos estavam clareando! -...itrow lava disse mil vezes que NÃO SE PODE MORDER UM HUMANO!A magia começa a fazer efeito Frank,ele agora pode nos ver! – disse ele para o menorzinho de todos -Se acalma cara – disse um deles,totalmente careca – nós podemos... -Não podemos nada,ele já nos viu,estamos perdidos!
  7. 7. -Ele também pode nos entender – disse o segundo maior -QUÊ? – gritou ele cheio de raiva -Joguei a magia do cuspe nele.Eleestá ouvindo tudinho... -POR QUE VOCÊ FEZ ISSO? -Ele poderia nos atacar!É melhor explicarmos tudo para ele... -Tudo?Mas isso colocaria a colônia em risco!É loucura... -Ele não faria isso...faria? – disse ele,olhando para mim -Não! - eu disse - espera...fazer o quê? -DESTRUIR NOSSA COLÔNIA,BICHO ESTÚPIDO! – disse o maior -Ah,claro que não. Obviamente eu não tinha a menor idéia do que ele estava falando,mas concordei assim mesmo (eu estava assustado,meu cérebro não funcionava direito). -Ótimo,se não eu teria que MATAR você. -Vamos,temos que te levar ao nosso pai – disse um deles,com um...moicano (???) Novamente,coloque-se em meu lugar leitor. Pense comigo...como esse mini-smurf poderia me matar? Era exatamente a pergunta que eu fazia quando o segundo maior disse: -Ah,meu nome é Nike,prazer! -Nike?Tipo...o tênis? -Sim!Nosso povo tem o costume nomear os filhos com nomes conhecidos do seu povo.Não entendo bem o porquê,é tradição antiga. -Ah....
  8. 8. NOTA DE MM (MIM MESMO): Bizarro -O que são vocês? -Calma,explicaremos tudo quando chegarmos lá. Eu estava sendo guiado pela minha própria casa, olha só. Passamos pela porta da sala e saímos de frente para o jardim. Seguimos para a direita do meu quintal, em direção a um corredor...beeeeem devagar. Chegamos até o corredor direito depois de um tempinho.Teria sido mais rápido comigo carregando eles,mas pelo visto eles tinham...medo (?) -Chegamos! – gritou o maior -O papai vai matar a gente – disse Frank -Vai matar VOCÊ,na verdade... Um deles bateu palma,de frente para o muro vermelho.Não de uma forma normal,com uma palma depois da outra,mas em intervalos irregulares...como se fosse um código! Eu não ouvi quase nada (eles eram minúsculos),mas parece que alguém ouviu...
  9. 9. Capítulo 3 Uma pequena porta se abriu na parede (com pequena eu quero dizer MINÚSCULA).Ela se camuflava perfeitamente com a parede do lado de fora. -Pai! – gritou Sheep Outro deles saiu de lá,um pouco mais velho e...por que a cabeça dele é pontuda? -Minhas crianMINHA NOSSA!! Ele me viu! (até porque é MUITO difícil ver alguém 50X maior que você né) -Mas... mas...o qu... - gaguejou -Ele está com a gente pai! – disse o de moicano -Mas é um humano! -Não tivemos escolha, o Frank o mordeu... –disse o maior novamente -Frank! -Desculpa! -Mas é magia antiga!Já foi dito mil vezes que... -Eu sei...me perdoem – disse ele,com a cara mais triste que podia fazer -Bem,o que está feito,está feito.Agora precisamos tratar DISSO pai – disse Nike,apontando para mim -Er...vocês ainda não responderam a minha pergunta.O que são vocês? – eu disse,meio sem jeito Todos eles me olharam ao mesmo tempo. -Somos Thrimits humano – disse o pai – sou o mestre Playboy, prazer. (HAHAHAHAHAHHAA)
  10. 10. -O quê? -Vamos te explicar tudo.A burrada já está feita mesmo... NOTA DE MM: Senta que lá vem história... 600 anos.Eles estão aqui há 600 anos.Cara...que maneiro.Frank me contou tudo (o pai fez ele me contar tudo que eu precisava saber,algo como um castigo...o que na realidade não aconteceu,pois nós descobrimos muitas coisas em comum entre nós). Segundo a lenda, quando os humanos começaram a tomar o mundo para si, os Thrimits não conseguiram fazer como as outras criaturas mágicas (Sim, elas existem. Dragões,Trolls,o monstro do Loch Ness,a Megan Fox...todos eles),que fugiram para lugares isolados. Eles então se adaptaram, aprenderam a viver escondidos, do seu próprio jeito. Criaram esconderijos cada vez mais complexos,senhas,se expandiram.Afinal,o que mais eles poderiam fazer? A magia em si também existe.Eles a usam para ficar invisíveis, ter proteção e às vezes para encolher as coisas (Frank me disse que uma vez encolheram um velho videogame meu...rolou campeonato e tudo mais na colônia, até os controles quebrarem). Ah,agora chegou à parte do ‘’Por que eles roubam?’’.Bem,segundo ele, apenas para a própria sobrevivência. Aquelas suas meias, que somem DO NADA...Viram roupas,camas,cabanas,depende.Aquelas chaves com chaveiro de coração que somem quando você mais precisa...Viram ferramentas,para cavar mais túneis e afins. Palhetas e canetas viram utensílios,etc.Sim, eu os peguei com a boca na botija aquele dia! SegundoFrank, foi a primeira vez... Eles pegam coisas pequenas por que: A- Eles são pequenos,dããã. B- Nós,humanos,não vamos reparar (o que na verdade é uma grande MENTIRA)
  11. 11. Ele também me explicou como são as coisas na colônia.Há um REI,que manda em tudo,os OPERÁRIOS,que trabalham expandindo e protegendo a colônia e os CAÇADORES,que é a zona do Frank e seus irmãos. -Nós também usamos ratos e baratas pra... -QUÊ? -Nós usamos eles ué.Ratos quando precisamos de agilidade e as baratas são meio que nosso ‘’apoio aéreo’’...não podemos deixá-los invisíveis,mas já é bem útil. -Os ratos são tipo cavalos? -Cava o quê? -Nada,esquece...OH MEU DEUS,EU MATEI UM RATO SEMANA PASSADA! -Meu primo tava lá...pobrezinho – disse ele,com uma cara melancólica – mas não se preocupe,eu tenho outros 23. -Naquele tempo não tinha TV! – eu ri da minha própria piada -Como assim? -Nada...coisa de humano. Nós nos encaramos por alguns segundos e depois caímos na risada NOTA DE MM: Ganhei um amigo :D Frank é um jovem na idade Thrimit, apenas 20 anos. Outro fato sobre ele é que eu não consegui descobrir de onde vem seu nome.Tentei pensar em algum ‘’Frank’’ famoso mas o único que me surgiu foi o Frank Sinatra...sei lá,ele não combina com esse nome.
  12. 12. Segundo Frank, aproximadamente 300 Thrimits vivem aqui em casa. Eu não sei até onde eles operam,mas segundo eles existem outras colônias sim,com as quais eles não mantêm contato. Ah sim,são todos machos.Eles não ’’trabalham’’ como a gente,se é que você me entende...são ovos,se não me engano. Ah é,os outros irmãos: O maior de todos é o mais velho, Sheep (não sei de onde ele tirou isso).
  13. 13. O de moicano e o careca são os gêmeos Pink & Floyd..
  14. 14. Capítulo 4 Frank e seus irmãos agora me vigiavam.Bem,vigiar não é um termo muito adequado...acho que nós nos tornamos amigos nesse tempo,mas na colônia ainda é chamado de ‘’vigiar’’ (o que aliás eu acho uma coisa bem estúpida,já que eu poderia acabar com os cinco com apenas um dedo...eu acho).Ainda não sei se a colônia me vê como aliado ou inimigo,é difícil dizer. Por outro lado,eu e os rapazes nos tornamos bem amigos.Agora meus finais de semana são cheios,com filmes para ver,coisas para explicar para eles,coisas para ELES me explicarem,etc.Jogamos vídeo-game (foi meio injusto,claro...eles pegaram o Barcelona e meu goleiro falhou FEIO),comemos doces (o que é bem raro para eles) e eu tentei...agradar a colônia,comprando meias e essas coisas (foram bem recebidas,até onde eu soube). Tudo ia bem...até demais. Era Domingo à tarde, uma semana depois da descoberta dos Thrimits. Nós seis estávamos na sala vendo TV quando eu comecei a me sentir mal -Ei,você está bem? -Claro,só estou meio...tonto – disse De repente,o mundo começou a ficar grande...bem grande. -Frank...você está do meu tamanho! -Na verdade continuamos do mesmo tamanho – disse Floyd – você que encolheu. Era verdade.Os cinco irmãos cercavam um minúsculo eu sentado no sofá da sala (e que BAITA sofá era aquele). -Eu estou...minúsculo! -QUEM É MINÚSCULO AQUI?? – gritou Sheep
  15. 15. -Calma – disse Nike,tentando me defender- não foi isso que ele quis dizer,é que... -OLHEM,UMA BARATA! – gritou Pink Se você é mulher, criança ou... Bem, se você é humano, deve achar a barata um bicho muito feio. Agora imagina uma CINQUENTA VEZES MAIOR.É algo...indescritível. -Que nojo! – eu disse -É uma mensagem da colônia.Algo deve ter acontecido – disse Nike,pegando a mensagem -Leia isso logo! – gritou Frank A mensagem era algo pequeno,simples e objetivo.Apenas três palavras: COLÔNIA ATAQUE SOCORRO -Minha nossa – disseram Pink e Floyd juntos -Vocês acham que isso tem alguma ligação comigo? - perguntei -Você? Eu apontei para meu corpo todo. -Ah sim,talvez...vamos descobrir na colônia – disse Frank -Vamos logo! – berrou Sheep,já pulando do sofá. Ele fez parecer muito fácil. Descer de um sofá daquele tamanho não é nada fácil quando se tem 6 centímetros.Me senti mais tonto ainda. -Você não vem? – gritou Nike -Sim,já estou indo... Tomei toda a coragem do mundo e pulei.A queda não foi tão ruim...na verdade nem doeu,eu caí sobre o tapete fofinho que minha mãe me deu quando eu vim morar sozinho. -Me esperem!
  16. 16. A parede vermelha e cheia de musgo do corredor parecia bem maior agora. -Ninguém aparece – disse Nike,após bater palmas três vezes -Você é fraco, me deixa tentar – disse Sheep. Nada. -Chaveiro,abra esta porta AGORA! – gritou Frank Novamente nada. -E agora? – perguntei -Vamos ter que usar a entrada M...– disse Sheep -Entrada M? – perguntei,confuso Todos fizeram caras estranhas.
  17. 17. Capítulo 5 -Então essa é a... -Aham -Não tem outro jeito? -Bom,se um chaveiro não está em seu posto,acho que os outros também não – disse Nike – tem que ser aqui -Mas que mer... A privada do meu vizinho Carlos não cheirava tão mal naquele dia. A esposa dele era uma mulher caprichosa e gostava de tudo limpo (graças à Deus). -Então,como é que funciona isso? -Bem,são uma série de túneis e canos – explicou Pink – foram feitos há alguns anos,para situações como essa. -E vocês já usaram alguma vez? -Não que eu me lembre – disse Sheep – aquele maldito chaveiro sempre esteve lá! -Nós devemos pular aí dentro e... A porta do banheiro se abriu e por ela passou Dona Teresa,a esposa de Carlos.Ela devia ter entre 33 e 36 anos de idade,cabelo e olhos negros e...bem,era uma mulher ‘’de respeito’’ no mundo humano (Carlos,se você estiver lendo isso É BRINCADEIRA OK?). -Fiquei calmos – sussurrou Floyd – ela não pode nos... -AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH – ela gritou,apontando para nós – CARLOOOOS,CORRE AQUI!!
  18. 18. Ela saiu rapidamente do banheiro para procurar pelo marido. Nesse meio tempo,Nike,Sheep,Pink e Floyd já estavam dentro da privada, mergulhando até o fundo. Eu não sabia o que temer mais: As milhares de bactérias presentes naquele vaso sanitário ou aquela mulher gigante dando chilique do lado de fora do banheiro. Alguns segundos depois ela voltou com seu marido. -Vamos! – gritou Frank,que me pegou pelo braço e pulou.Eu quase não tive tempo para respirar fundo... Fomos até o fundo do vaso também,Frank nadando e eu lá,começando a sofrer com a falta de oxigênio. -O quê foi mulher? -Amor,quando eu entrei aqui no banheiro agora pouco tinha um...TROÇO no assento da privada! -Deve ser um ratinho,pelo amor de Deus! -EU SEI O QUE É UM RATO CARLOS HENRIQUE,E AQUILO NÃO ERA UM RATO DE JEITO NENHUM! -Tá bom,que seja...de qualquer jeito ele já desceu. -Dá uma descarga,só pra garantir! Socorro eu to ficando roxo! -Mas coitadinho do bichinho... -FAZ LOGO E ele fez. Eu não sei dizer se aquilo foi radical,assustador ou nojento,mas alguma coisa foi (a sensação é como...como estar descendo por um cano de esgoto,sabe?). A câmara da entrada M não cheirava muito bem (literalmente),além de ser um lugar totalmente MEDONHO.Era uma sala escura,com paredes
  19. 19. feitas de pedra,com uma porta grande em uma ponta e um ‘’riacho’’ em outra. Frank ainda me segurava,e foi ele que me tirou da correnteza desse riacho. ‘’Meu deus,que nojo’’ você deve estar pensando agora.É,foi bem isso mesmo. -POR QUE AQUELA MULHER VIU A GENTE? – perguntou Frank -N-Não sei – disse Floyd -A Jynx nos deixa invisíveis, ela não poderia! – disse Nike,respirando fundo -Vamos logo! – gritou Sheep, enquanto a maioria ainda recuperava o fôlego e os sentidos. Seguimos ele até a porta do outro lado da sala.Era uma grande porta de madeira,com uma letra ‘’M’’ bem grande pintada nela.Havia uma pequena placa ao lado: Sheep a abriu e o que se viu foi...bem,não se viu nada,era um túnel.
  20. 20. Capítulo 6 O salão do trono era...GRANDE.Como se você estivesse em uma daquelas igrejas sabe?Com pinturas no teto e tudo mais. Só que os desenhos dessa ‘’igreja’’ não eram de anjos ou nuvens, mas sim de humanos, Thrimits e coisas que eu não consegui identificar (Aquilo é um diamante?E aquilo?Eu hein). Devo admitir que a caminhada até ali não foi nada fácil. Tivemos que seguir alguns metros por aquele túnel estreito e escuro,que ia cada vez mais para baixo (eu e Frank estávamos morrendo de medo de ter alguma coisa ali...felizmente nós chegamos ao fim dele inteiro).Demos de cara com uma sala que parecia uma sala de carga,com vários carrinhos de mão,sacos e essas coisas mas...nenhum Thrimit. -O salão principal é por aqui! – gritou Sheep Andamos por alguns minutos até o salão principal,onde uma MULTIDÃO nos aguardava. -Garotos – gritou o pai dos garotos – finalmente chegaram! – ele parecia estranhamente...fraco.TODOS pareciam. -Pai,o que houve? – perguntou Nike -Foram os Thrimitoos! – disse ele,quase sem cor -Decidiram voltar é? – gritou Sheep – O que eles fizeram? -A pedra Jynx, nossa fonte de magia que nos deixa invisíveis... foi roubada. Eles a usaram para amaldiçoar nossa colônia! -NÃO! –todos gritaram ao mesmo tempo Nesse momento eu tava mais perdido que cego em tiroteio.Sério,se coloque em meu lugar.Eu só podia fazer uma coisa: -QUÊ? – gritei
  21. 21. Acho que foi só aí que o mestre dos magos me notou. Espero que,julgando pelo nome dele,você não o tenha imaginado assim: Espero de verdade...
  22. 22. -O humano?O que você está fazendo aqui...e por que está do nosso tamanho? -Nós também gostaríamos de saber,pai – disse Frank – acha que as duas coisas tem ligação? -Talvez – disse ele,pensando – eles podem ter enviado espiões para cá,para colher informações.Sabendo que tínhamos um aliado humano,eles usaram o poder da pedra para jogar uma maldição em você também. -Mas eu encolhi,não estou fraco como vocês! -Um humano fraco ainda é um humano,mas um humano pequeno... -É inútil – disse Sheep -Exatamente NOTA DE MM: EU AINDA TÔ AQUI OUVINDO TUDO,TÁ? -Mas quem são esses Thrin...isso que você falou ali atrás! -Os Thimitoos? – disse ele -Isso!O que são? -Nunca ouviu falar deles?Estão na história! – disse Floyd -Não na minha - respondi O mestre ficou em silêncio durante alguns segundos e depois começou a falar: -Há muito tempo atrás,quando a colônia ainda se firmava neste novo lugar e minhas costas não doíam tanto,um de meus irmãos começou a pensar um pouco demais... -Irmão,por que vivemos escondidos? – dizia ele -Nós somos pequenos,Mickey.Se a raça humana nos descobrir nós podemos nos dar muito mal! (Difícil contar uma história séria com nomes tão cômicos)
  23. 23. -Mas nós temos o a pedra!Se nós usássemos todo seu poder poderíamos... -Não!Mickey,pare com isso ou eu contarei esses seus planinhos para o papai... -Sei lá,eu só...cansei de ser pequeno. -As idéias de Mickey já assustavam as pessoas da colônia desde aquela época – dizia agora o velho mestre Playboy - mas foi só alguns anos depois que ele resolver botar aquilo em prática.
  24. 24. Capítulo 7 Depois de um súbito ataque de riso por causa dos nomes presentes na história(imagina só, ‘’Eu sou Mickey, e vou dominar a raça humana, Haha! ’’) ele continuou a história. -A raiva dele contra a raça humana voltou com força total após a morte de nosso pai – dizia o mestre -Humanos e seus carros...Pai,por quê?? – ele chorava -Acidentes acontecem Mickey,esse foi só um del.... -NÃO PODEMOS VIVER ASSIM PLAYBOY!TEMOS QUE ACABAR COM ELES DE UMA VEZ POR TODAS! -Como assim?Eu não compreendo o que você quer dizer... -Eu já pensei em tudo.Olhe,veja esse papel – ele disse,desenrolando um pergaminho – esses itens combinados com nossa pedra Jynx podem matar todos os humanos.SÓ os humanos. -O quê? -Ela projeta uma nuvem vermelha que faz chover MORTE.Imagina só Playboy.Esse mundo poderia ser nosso!Acho que o mais difícil de se conseguir seria o sangue de... -Isso é loucura! -Loucura é vivermos como nós vivemos hoje! -Eu não podia o deixar fazer isso, claro – disse Playboy, novamente velho. -E o que você fez? – perguntei -Ele contou tudo diretamente ao rei – respondeu Pink X9 você hein
  25. 25. -graças a isso ele é o que é hoje...todos sabem disso – disse Floyd -E o que aconteceu com Mickey? Bem,o rei não gostou nada dos planos de Mickey – disse Frank – disse que fazer aquilo ia contra as ‘’leias naturais’’ e mandou prenderem Mickey... -E aí...? - perguntei -Bem,como você pode perceber – mestre Playboy tossiu – ele fugiu.Provavelmente reuniu aliados durante todos esses anos,que o ajudaram a escapar. De onde eu estava dava pra ver a enorme multidão de Thrimits que se amontoavam no grande salão. Todos pálidos e sem forças. -Ele então iniciou o seu plano para acabar com a sua espécie. – continuou Nike - Depois de fugir da prisão,ele tentou roubar a Jynx. -Ele matou o antigo mestre e roubou seu cajado. Mickey tinha realmente um dom para aquilo,pois dominava a magia com facilidade – dissePlayboy – coisa que eu nunca...enfim.Ele usou o cajado para jogar uma maldição no rei,que já era muito velho e... -Morreu – completei Houve um pequeno momento de silêncio após isso,quebrado pela tosse e pelos murmúrios de dor de um velho sentado em uma grande cadeira. -Então...quem é aqueleali? – eu disse,apontando para o velho -Meu irmão,oras – disse Playboy -Como assim? -Bem,depois de matar o rei,Mickey continuou com o plano de roubar a Jynx para destruir a raça humana – disse Nike -Mas o papai impediu! – gritou Floyd -Bem,na verdade eu só ajudei.Quem realmente fez tudo foi meu irmão Hitler – disse o mestre,apontando para o rei
  26. 26. SIM!O REI DA COLÔNIA,O GRANDE,O HERÓI...irônico,não? -Quando eles souberam,correram imediatamente para a sala da pedra,onde houve uma grande batalha – continuou Nike – Hitler e o papai lutaram bravamente e...
  27. 27. -OBRIGADO Nike! – disse o mestre, um pouco irritado - Será que posso contar minha própria históriCOF COF COF – ele tossiu. -Papai,tio Hitler e os outros impediram Mickey de roubar a pedra e o prenderam novamente – disse Sheep Mestre Playboy o encarou. -Posso continuar? – disse Playboy,irritado As cabeças baixaram. -Bem,como eu ia dizendo,nós conseguimos detê-lo e recuperar o cajado,mas ele me deixou um presente para o resto da vida. – disse ele,olhando para cima – Minha cabeça é o efeito colateral de uma maldição. NOTA DE MM: Eu espero que você esteja entendendo tudo,porque eu não vou repetir essa história toda de novo não. -Como o antigo rei não tinha filhos,a colônia elegeu tio Hitler como novo rei, – disse Frank – que por motivos óbvios,elegeu papai como o novo mestre. -Hitler só errou em uma coisa – grunhiu Sheep – ele devia ter matado Mickey enquanto podia. -Tio Hitler e papai,mesmo depois de tudo,perdoaram Mickey e decidiram apenas banir ele e seus comparsas – disse Nike Houve outro momento de silêncio,rapidamente quebrado por Frank: -Ah, pai, isso me lembrou duma coisa – disse Frank – Lá em cima, uma humana nos viu... por quê? -A pedra se foi filho – disse Playboy – e com ela,o feitiço da invisibilidade...vocês estão totalmente visíveis. -Nós precisamos recuperá-la,pai! – gritou Sheep -Na verdade – disse Playboy,tossindo –VOCÊS precisam.
  28. 28. Capítulo 8 Frank parecia com medo momentos antes da partida.Todos pareciam.A colônia INTEIRA dependia de nós. Segundo o mestre,seus filhos foram os únicos que não foram atingidos pelo feitiço,por não estarem na colônia naquele momento.Aí você me pergunta ‘’Ah,mas e os outros caçadores?’’. Bem,vocêlembra-se de quando eu disse que tinha comprado meias e outras coisas para eles naquela hora? Então... eu meio que acabei com as chances da colônia de se salvar, pois com tantos suprimentos (segundo eles, tinham até suprimentos demais) não era mais necessário ‘’caçar’’. Os únicos Thrimits fora da colônia naquele momento eram Frank e seus irmãos, que estavam ABRE ASPAS me vigiando FECHA ASPAS. Mickey foi esperto. Ele usou o sistema de transmissão de poder da pedra (que é usado para ativar a camuflagem assim que alguém sai da colônia) a seu favor.Ele fez uns abracadabra a pedra lançar a maldição nesse sistema,e todos dentro da colônia foram atingidos.Depois foi só dar uma passadinha lá em casa,subir na janela e jogar o feitiço de encolhimento em mim. -Eu disse que ele tem um dom para isso.Fazer esse tipo de magia não é fácil - disse Playboy. Felizmente ele não viu nenhum dos cinco irmãos,que estavam do meu lado. -Eles já conseguiram alguma informação do comparsa capturado? – perguntou Sheep -Sim,ele nos deu ótimas informações – disse Playboy Até onde eu fiquei sabendo,os guardas conseguiram capturar um deles durante a invasão.Era uma criança,mais ou menos da idade de Nike.Depois de algumas horas de tortura conversa amigável ele abriu o bico.
  29. 29. -Eles estão em um terreno baldio, à umas três quadras daqui – disse Nike – papai nos deu um mapa. Eram três ou 4 horas da madrugada de domingo. Mestre Playboy nos armou com tudo que era necessário (espadas,escudos,cavalaria e um pouco de comida) -Não sei quanto tempo nos resta para até ele executar seu plano,então sejam rápidos! – disse o mestre -Nós vamos conseguir pai – garantiu Sheep -Eu sei,eu sei,é só...oh,ali estão seus ratos. Seis ratos (NÃO RATAZANAS,ESSES vieram,guiados por Pink e Floyd. ERAM ATÉ BONITINHOS) -Esses bichinhos se assustam muito facilmente! – disse Sheep -São rápidos,isso é o que importa – gritou Pink,enquanto ajeitava a sela de um. NOTA DE MM: Acho que meu rato não comeu queijo o suficiente,pois era extremamente pequeno. -Antes de irem...Nike,fique com isso– disse mestre Playboy,entregando seu cajado -Pai,eu... -Nunca fiz nada com ele...será mais útil para vocês Nike o pegou das mãos do pai.Grande,um pouco pesado,com uma pedra cinza em sua ponta. -Boa sorte meus filhos! Deixamos a colônia pela porta do muro vermelho.Por fora,era concreto puro,que se encaixava perfeitamente na parede,camuflando-o,mas por dentro era apenas uma chapa de madeira,com um grande sistema de trancas para segurança.Chaveiro não estava aqui naquele dia porque Mickey (provavelmente) lançou uma maldição especial em todos eles (os
  30. 30. chaveiros),que fez com que eles perdessem os sentidos.Ninguém sabia disso,e chaveiro só foi descoberto 20 minutos antes de nossa partida.Um chaveiro não deve nunca deixar seu posto,e as pessoas da colônia confiaram nesse juramento. -Ai meu deus,o portão está trancado! – eu disse,já no quintal em frente a minha casa -Cara, nós temos seis cm de altura... podemos passar por baixo - disse Floyd NOTA DE MM : Eu sabia,pft Após o último rato passar pelo grande portão de alumínio,Frank perguntou: -Para onde agora? -Para a direita – disse Nike,olhando o mapa – em direção á avenida Era uma avenida razoavelmente larga,de via dupla.Minha rua cruzava com essa avenida,que por acaso estava bem movimentada para um domingo à noite. -Como passamos? – perguntou Pink -Temos que esperar os dois semáforos ficarem vermelhos – eu disse,me sentindo um grande gênio Não demorou muito.Três minutos depois de chegarmos,o sinal ficou vermelho. -Vamos! Estávamos na metade do caminho quando Sheep gritou: -CUIDADO! Isso é apenas uma idéia que me surgiu um tempo depois do acontecimento, então não levem muito à sério... mas eu garanto que em algum lugar daquela cidade,havia um cara operando os semáforos.
  31. 31. As noites desse cara devem ser chatas pra CARAMBA,imagine. Ficar sentado a noite inteira,olhando pra uma tela e...’’Oh meu deus,aquilo são ratos atravessando a avenida?São sim!Juntinhos,que fofinho...seria uma pena se o sinal abrisse agora né?’’ ele deve ter pensado ‘’bem,já que não tem ninguém esperando para atravessar...parece que alguém vai ter uma noite pior que a minha’’ Novamente,é só uma hipótese...mas algo como isso deve ter acontecido,pois os carros avançaram contra nós bem na metade do caminho.
  32. 32. Capítulo 9 Foi bem rápido.Em apenas alguns segundos,o primeiro carro passou sobre nós,assustando todos os ratos,que se separaram imediatamente -Precisamos voltar! – Frank disse,enquanto os ratos se separavam -Se voltarmos perderemos muito tempo! – gritou Sheep – Vamos continuar. Ratos são animais fáceis de se controlar... bem,menos quando estão assustados. Nike deve ter sentido isso na pele, pois foi o primeiro a cair da montaria. Seu rato estava voltando para a calçada inicial quando PLAFT...esmagado. Meu rato também não tava muito a fim de viver.Quando os carros começaram a passar,ele desistiu. ‘’Esse cara matou meu avô,eu que não vou prestar favor pra ele’’ Vendo que só meu rato ia na direção contrária, fiz a única coisa que consegui pensar naquela hora... pulei. -Muito obrigado,viu! – gritei para ele.Infelizmente ele conseguiu voltar.Segui meu caminho até o outro lado da rua,onde os outros se reuniam. -Tá todo mundo bem? – perguntou Sheep Não parecíamos nada bem.Apenas os ratos de Frank e Sheep chegaram até o fim (o que foi meio irônico).Nike e Floyd tinham alguns arranhões nos braços por causa da queda,e Pink quase não tinha fôlego. -Eu disse,esses animais são inúteis.Esse aqui só não fugiu porque teve mais medo de mim do que dos carros – ele disse
  33. 33. Seguimos viagem por aquela rua. Para nossa sorte era madrugada e não tinha ninguém na rua,apesar do movimento na avenida. Meu bairro é um lugar muito calmo.A maior parte das casas são casas de família,trabalhadores e alguns comércios.É um lugar bom para se viver,se você eliminar o fato de que seres invisíveis VIVEM ali,te roubando e coisas do tipo. -Falta muito? – perguntou Pink -Não estamos nem na metade – disse Nike -Arrrrrrgh – pestanejou -Qualé galera, vai ser mole – disse Frank, em cima do rato. -É,claro que vai... Eu não estava muito confiante em relação às nossas armas. A minha era simplesmente um daqueles palitinhos plásticos de se comer petiscos (queijo, calabresa e etc.), em formato de espada. ROSA. Sheep levava um garfinho. Diferentemente das nossas armas, a dele era feita de metal. De repente,o rato Frank parou e começou a farejar o ar. -Frank,o que foi? - perguntei
  34. 34. -Eu não sei,ele não quer andar – disse ele,batendo com os pés na barriga do animal -Vem cá,deixa eu te ajudar – disse Pink O rato continuou farejando o nada.Antes de Pink chegar perto,suas orelhas se mexeram rapidamente e ele então saiu correndo,exatamente pelo caminho que nós havíamos percorrido. -Mas o que foi isso? – disse Frank,no chão -Não sei, mas o meu também está bastante agitado – eleapontou para a criatura no meio de suas pernas, que não parava de farejar– o que será dessa vez? Ainda era possível ver o rato de Frank correr em direção à avenida quando NHAC...uma sombra pulou de um muro próximo à esquina e o pegou. -Droga! Eu conhecia aquele gato preto.Bicho esquisito...ele costumava invadir minha casa para rasgar o lixo e fazer sujeira,o que provavelmente significa que ele não tem um dono.Mesmo assim,não é pra você sentir pena do vira-lata,porque NÓS somos as vítimas da história,ouviu? -Vamos continuar – sussurrou Nike – só aquele ratinho não vai satisfazer ele. Seguimos pela rua (um pouco mais rápido dessa vez).Passamos por casas de todos os tipos: Verdes,brancas,portões de madeira,de alumínio,casas escuras,casas claras,etc.Carros passavam na rua,no mesmo sentido do ratinho do Frank. -Galera,quando recuperarmos a pedra,ela me fará voltar ao tamanho normal? -Não temos certeza – disse Nike – até hoje nunca conseguimos fazer nada crescer com ela,apenas encolher. -Mas vamos fazer você voltar ao normal,eu juro! – disse Frank NOTA DE MM: Que notícia animadora...
  35. 35. Seguimos andando pela rua em silêncio até que Floyd o quebrou: -Isso é música?
  36. 36. Capítulo 10 Um churrasco.Madrugada de DOMINGO e...um churrasco!Oh, que maravilha! Estávamos presos entre um gato preto assassino e uma porção de humanos em uma calçada. E essa não era a pior parte, a pior parte era... Vou te esperar,na minha humilde residência,pra gente fazer amor... Michel Teló! -Legal,mais essa agora! – eu disse – esse pessoal não tem trabalho amanhã não? Meio irônico eu dizer aquilo, porque EU tinha que trabalhar no outro dia. Acho que a loja de sapatos poderia arranjar um substituto para mime é? -Podemos ir pela rua – sugeriu Floyd -E perder outro rato?Não! – disse Sheep – Temos que arranjar um jeito de passar pelo meio deles. -Mas eles podem ver o rato! Oh,claro,o rato seria a coisa mais visível dentre seis criaturas verdes e um mini-humano. -Então como é que vamos passar? – disse Frank -Com isso! – peguei o cajado da mão de Nike – Podemos usar o poder dessa pedrinha neles -Mas são humanos...e eu nem sei usar essa coisa! – respondeu Nike -Como não? – disse Frank,indignado
  37. 37. -É um cajado antigo e MÁGICO,Frank – respondeu ele – sei tanto dele quanto você. -Você consegue,vai lá! – eu disse,tentando encorajá-lo Nike saiu de trás do vaso de planta em que nós nos escondemos e apontou o cajado para o bando de humanos, à 20 metros de distância. -Er...invisibilidade! – gritou ele Nada. -Saiam da frente! – balançou o cajado -Me deixa tentar uma coisa – eu disse, tomando novamente o cajado – ABRACADABRA! Novamente,nada aconteceu.Eles ainda dançavam e bebiam. -Sim salabim, alacazam, piriri pim pim! – gritei Acho que os filmes mentiram para mim. Nike pegou seu cajado de volta -E agora? – ele disse -Bem,já que o cajado é inútil – disse Floyd - a rua parece a melhor opç....oh meu deus! Ele estava uns 10 metros atrás de nós,no meio da calçada.Seus olhos eram grandes,brilhantes e ASSUSTADORES.O rato de Sheep começou a ficar inquieto novamente. -Acha que ele nos viu? – perguntou Frank -Tá brincando né?Ele deve estar pensando ‘’Qual será o sabor daquele pequeninho ali?’’. – disse Sheep – Nike estava certo, ele não parou naquele rato. O gato preto continuava a se aproximar, olhando diretamente para... bem, acho que para todos nós ao mesmo tempo. Sheep preparava seu
  38. 38. garfinhoe nós nossas espadas. Um ato inútil, eusei, mas estávamos com muito MEDO. -Ser visto ou ser comido – sussurrou Pink – eis a questão... NOTA DE MM: Seria eu o primeiro humano a ser devorado por um gato doméstico? A festa ainda rolava atrás de nós.Parece coisa de filme,mas de repente a música mudou. Delícia,delícia,assim você me mata.Ai seu eu te pego,ai ai,se eu te pego... -Nike, me deixa tentar usar esse cajado – disse Pink. -Não,deixa eu – disse Frank,sem tirar os olhos do gato -Me dááá! Um puxava o cajado da mão do outro...menos Sheep e Floyd. -É agora! – disseram eles,se preparando para a batalha com suas ‘’armas mortais’’. Nós três ainda estávamos agarrados ao cajado quando aconteceu. -Nike...por que a pedra está brilhando? – perguntei,olhando para a ponta do cajado. -Eu não faço idéia ! – ele respondeu O brilho era azul.Um azul que iluminava a noite.Um azul...hipnotizante.
  39. 39. -Pessoal,o gato! – gritou Frank Ele parecia mais lento...assim como tudo mais.A música parou e a pedra deixou de brilhar. -O que diabos é isso? – Sheep perguntou O gato parou bem na nossa frente.Os olhos amarelos não se moviam.NADA se movia.
  40. 40. Capítulo 11 Passar por eles foi fácil.Afinal,estavam todos CONGELADOS no tempo. -Como foi que você fez isso,Nike? -Bem,eu não fiz... -Foi incrível!As pessoas pararam do jeito que estavam – disse Floyd – Olha só aquele cara,olhando pra bunda da loira hahaha hilário! -Ei,vocês,parem de perder tempo!Não sabemos quando o efeito pode acabar – disse Sheep Passamos por todos eles tranquilamente, até chegarmos na esquina. -Será que eles vão ficar assim para sempre? – perguntou Frank -Se o gato também ficar,tudo bem pra mim – disse Sheep -Sheep! -Eu sei,eu sei,só quis dizer que... Os humanos festeiros começaram a se mover novamente,devagar. -O efeito está acabando – disse Nike – vamos!
  41. 41. ...naaa balaaadaaa,aaa galeeeraaa coomeçou a dançaaaaar.E passou a menina mais lindaaa... A música voltou ao normal.As pessoas começaram a conversar e dançar novamente.Ouvimos um grito feminino (acho que foi a loira mandando o cara tomar vergonha na cara),um ‘’Que susto!Sai daqui bicho feio!’’ e um miado alto,tudo misturado com a música. -É,parece que nosso amiguinho preto se deu mal. O segundo quarteirão foi mais tranqüilo de se atravessar. Alguns carros passavam pela rua,mas nada com o que se preocupar (graças à luz fraca dos postes).O rato de Sheep começou a ficar cansado,então ele seguiu uma parte à pé para o animal respirar um pouco. -Vocês já tem alguma idéia do que farão ao chegar na base inimiga? – perguntei -Claro que sim! – disse Nike – Nós vamos... -Vamos...? -Ok,nós não temos um plano. -Vocês ao menos sabem em quantos eles estão? -Não,mas... -Vocês precisam pensar no futuro! – eu disse – Não podem chegar lá e YAH,MAGIA PRA LÁ MAGIA PRA CÁ e pegar a pedra. -O que VOCÊ faria,então? – perguntou Sheep -Eu não sei... mas temos pouca chances de sucesso com esse plano -O que nós precisamos é de uma força maior – disse Frank – algo como... -Eu? -É...Mickey realmente pensou em tudo. -Não podemos encontrar outro humano para nos ajudar? – perguntei
  42. 42. -Quem seria tão idiota e doido para ajudar seres verdes e pequenos a salvar sua colônia às 3h da manhã? – disse Nike - Ninguém em sã consciência...oh! NOTA DE MM: VALEU HEIN -Me desculpe,eu não quis... -Tudo bem,já estou acostumado – eu disse, olhando para Sheep Depois de andarmos ¾ do quarteirão durante a conversa,o silêncio caiu.Ninguém falava nada,só andava.Foi assim durante um tempo,até que Frank disse: -O que é aquela coisa branca em baixo da árvore? -Parece uma pedra– disse Sheep Não,pedras não respiram...nem andam. -Merd... A ‘’pedra’’ acordou. -Ninguém se mexe! – disse Floyd – Esses dias eu vi na TV que a visão deles é baseada em movimentos.Se a gente ficar bem quietinhos podemos... -Aquilo era um filme sobre DINOSSAUROS – eu disse – isso aqui é um cachorro. O enorme cachorro branco se aproximou de nós e começou a farejar. -Nike,faça alguma coisa!Usa o seu cajado,que nem você fez lá atrás! – disse Floyd -Não consigo! – ele disse –Acho que tá sem energia! Droga droga droga droga droga -Ele vai matar a gente? – sussurrou Frank,enquanto era farejado pelo grande nariz do Cão. Espera...
  43. 43. -Não,eu conheço esse cachorro.Já até salvei a vida dele uma vez! Capítulo 12 -Beethoven?Meu deus,você não tem criatividade nem pra nome de cachorro! -É só como eu chamo ele...e caiu bem nele. Bem, na verdade não tinha caído TÃO bem assim. Ele tinha mais cara de Marley...talvez Pluto, não sei (caramba, eu realmente não tenho imaginação). Mas onde foi que você conheceu ele? – disse Nike,enquanto o imenso cachorro abanava o rabo na sua frente -Me deixaver... acho que faz uns dois anos.No dia estava chovendo muito – eu disse – e esse carinha estava morrendo de frio lá perto da minha casa,todo tristonho.Eu estava voltando do trabalho lá pelo fim de tarde e vi ele lá,com aquela carinha de cachorro sem dono (e ele realmente é um).Aí eu dei uma coberta pra ele e um pouquinho de comida...continuei com esse esquema por um tempo,até ele aprender a se virar e... -Nossa,linda história – disse Sheep – podemos ir agora? -Ah sim,claro! – respondi
  44. 44. O cachorro latiu para mim,abanando o rabo -Mas e ele? – disse Frank,com um ar de preocupação no rosto -O que tem ele? -É um animal grande,amigo...nós não poderíamos pedir ajuda? O animal latiu novamente. -Hm.... a ideia não é ruim – disse Nike – mas como? -Será que aquele feitiço que você jogou em mim não funciona nele? -Eu posso tentar... Nike se aproximou do cachorro e cuspiu na cara dele.De início ele só fez uma cara estranha,do tipo ‘’Por que você fez isso cara?Eu só quero ser seu amigo!’’,mas depois de um tempo ele nos olhou e latiu: -AU AU AU -O que foi que ele disse? – perguntei -Eu...não sei – ele disse -Como assim não sabe?Você jogou o feitiço nele! –gritou Sheep -Aí é que está...não existe mais feitiço! – disse Nike, pensando – Eu acho que esse feitiço também era mantido pela Jynx. Assim como nós perdemos nossa invisibilidade perante as outras criaturas, também perdemos a camuflagem na nossa fala. -Oh,maravilha! – exclamou Sheep -Então pedir ajuda pra ele está fora de questão? – Perguntou Frank O cachorro brincava com Pink perto de nós. -Bem,levando em conta que ele não pode nos entender...acho que não temos outra escolha se não seguir em frente – disse Nike -Pessoal... – disse Floyd
  45. 45. Pink estava montado no cachorro, enquanto ele tentava pegar o próprio rabo. -HAHAHA vocês deveriam tentar,é legal! Nós todos nos encaramos,pensando exatamente a mesma coisa. É isso! -Você tinha razão, é realmente legal – disse Frank. -Aí está a sua ‘’força maior’’ Frank! O terceiro quarteirão passou voando nas costas deBeethoven. Andar de cachorro é um pouco assustador no começo,mas depois de um tempo você se acostuma.Foi um pouco difícil de guiar ele no início,mas Pink é ótimo com animais (estranho,por que o cachorro deveria ser o melhor amigo DO HOMEM). -Estamos quase lá – disse Nike,olhando o mapa – só precisamos virar aquela esquina ali -Maravilha!Bom garoto Beethoven,bom garoto! – gritava Pink,quase em cima da cabeça da cabeça do cachorro A rua continuava escura, mas nas costas de Beethoven parecia que nada poderia nos machucar. Eu garanto que esse não foi o pensamento do rato de Sheep, que foi dispensado de baixo daquela mesma árvore. -Você acha que o Beethoven entendeu o que a gente disse,mesmo sem o feitiço? – Frank perguntou -Não...isso é coisa de cachorro mesmo - eu disse,enquanto me segurava no pelo dele - eles estão contigo pro que der e vier. Algum minutos depois nós finalmente chegamos ao ‘’covil do mal’’. Playboy estava certo, era realmente um grande terreno vazio... com um pequeno problema: -Como vamos entrar aí? – disse Floyd
  46. 46. -Não podemos passar por baixo do portão como fizemos lá em casa? – perguntei,olhando para o pequeno (e único) portão de madeira daquele terreno. -Impossível... isso aí está caindo aos pedaços – disse Sheep – vejam, ele está totalmente encostado no chão.Pra abrir ele só se fosse um... -Humano – completei Ele deu de ombros. -E agora? – disse Pink,enquanto acariciava o focinho de Beethoven -Bem,nós... Ouvimos um barulho.Não um barulho de carro,folhas ao vento ou cachorro,mas um barulho...que já tínhamos ouvido antes.Nos escondemos atrás de uma grande pedra que estava na calçada. -Cara,eu odeio ficar de guarda! – disse a criatura verde,saindo de uma porta semelhante a da colônia Thrimit – Eles podiam nos colocar em algo interessante ao invés disso. -É nosso dever,não reclame – disse o segundo,segurando uma lança (que mais me parecia um palito de churrasco) – e além do mais,o papai e os outros estão ocupados lá dentro.Hoje é o ‘’grande dia’’ -Sério? -Paradinhos aí, os dois – disse Sheep, acompanhado de Beethoven, que mostrava os dentes para os inimigos – se quiserem sair vivos dessa.
  47. 47. Capítulo 13 -É assim desde que nós nascemos – disse um dos guardas – papai nos ensinou que os humanos são ruins e VOCÊS também! -Isso não é verdade! – gritamos eu e Frank ao mesmo tempo Bem,não fomos muito legais com eles,pra falar a verdade.Depois de desarmados,Sheep nos disse para amarrá-los. -Quando eles pretendem usar a tal ‘’máquina’’? – disse ele,girando seu ‘’garfinho’’ com as mãos.
  48. 48. -Não sabemos,eu juro! – gritou o outro guarda. -Ah,é mesmo?Vamos ver... – ele espetou a perna do primeiro com o garfinho. -Não faça isso,para! – gritou o irmão -AHHHHHHHHHHHHHHHHHH -Sheep,para! – disse Nike,puxando o ombro do irmão – eles não sabem de nada.Vamos entrar logo -Ao amanhecer,ao amanhecer! – disse o outro guarda – Nós não sabemos o porquê, mas vão usá-la quando o sol nascer! -AC,NÃAAAAAAAAAH! -Por favor,pare de fazer isso com meu irmão...ele não tem culpa de nada. Sheep tirou o garfinho da perna do garoto. -Bom garoto! -DC,você está bem? – disse ele,se rastejando para perto do irmão -Você não deveria ter feito aquilo.O papai vai MATAR a gente! -ELE ia te matar. Calmairmão, eles darão um jeito.
  49. 49. -Pra que toda essa brutalidade? – disse Nike, encarando Sheep – eles são só crianças! -Crianças com boas informações.Vamos? A porta de entrada ficava em baixo de uma placa de ‘’Cuidado com o cão’’.Era quase igual a da colônia,mas ao invés de dar em um túnel ela saía do outro lado da parede. -Beethoven,você fica –disse Nike -Ele não parece nem um pouco afim ficar aqui fora. – eu disse – Ele passa pela porta, o deixa vir com a gente! Todos concordaram. -Vocês dois, quietinhos aí – disse Sheeppara os dois irmãos, agora amordaçados – ou se não... já sabem! – ele mostrou o garfinho Lá dentro era um lugar feio.Um terreno grande,cheio de tranqueiras e uma velha ‘’edícula’’ ao fundo. À esquerda podia se ver o pequeno portão de madeira ,que parecia ainda mais velho visto de dentro. NOTA DE MM: Que lugar assustador!Ainda bem que eu estava totalmente protegido com meu palito de plástico, né? Caso algum perigo aparecesse... -Tem alguém vindo aí! – disse Pink.Nós nos escondemos atrás de um ...capô de carro? -Fiquei sabendo que os seus filhos foram colocados na guarda hoje – disse um dos comparsas de Mickey -É,estou orgulhoso!Uma tarefa tão difícil,ainda mais no ‘’grande dia’’...que demais!Vou lá dar os parabéns pra eles. -Quais são os nomes dos três? -AC, DC e Justin. OJustin... bem, ele não voltou da última missão. -Sério? -Sim,foi capturado durante o...
  50. 50. -Nike,faça alguma coisa! – sussurrou Floyd -Eu?Mas...como? -Tenta usar o cajado de novo. -Você tem razão...eu já venho! -... certeza que ele está bem.Vamos lá ver seus fil...quem é aquele ali? É um deles? -Não.Pra falar a verdade eu nunca vi esse garoto... -Nike,você... – disse Frank -É,eu consegui!Usei o cajado! -VOCÊ ACERTOU A CABEÇA DELES COM ELE,ISSO SIM! – disse Floyd, olhando para os dois comparsas de Mickey desmaiados no chão. -Eu dei um jeito,não foi?Me ajudem a escondê-los! – disse ele,pegando o maior pelos pés Depois de escondermos eles atrás do capô,seguimos caminho até a casa.Beethoven não parecia bem ali dentro.Enquanto andávamos,ele farejou os guardas,meio que com medo.Uma forte luz vermelha emanava de dentro da casa,a qual estava completamente escura.
  51. 51. -Galera,uma dúvida – eu disse,enquanto andávamos nas partes mais escuras por ali – por que ele precisa da luz do sol pra fazer a tal máquina funcionar?Por que ele não liga ela agora? -Bom,talvez a luz do sol seja um dos ‘’ingredientes necessários’’.Talvez seja por isso que ele roubou a pedra por último. Nós finalmente chegamos na casa. O brilho vermelho iluminava nossos rostos. -Pra ter certeza que ele teria tudo preparado – disse Sheep -E porque a lua cheia aumenta o efeito do feitiço – disse uma voz misteriosavinda de dentro da casa – Então...esses são os meus sobrinhos? Capítulo 14 Ele não tinha orelhas redondas.Ele não era fofinho.Ele não ria no final das frases,como o verdadeiro Mickey.Esse Mickey tinha uma cara...cruel.
  52. 52. -Que prazer conhecê-los! – a pedra do cajado em suas mãos brilhou.Não azul e forte como a de Nike,mas verde e...morta. Imediatamente todos os cinco irmãos caíram no chão,sem forças.Eu não. -Pouparei vocês dessas,crianças.Poderão ser um dos meus seguidores quando esse mundo estiver limpo. Eu não fui atingido pelo feitiço.Fiquei lá,parado,pensando em uma boa rota de fuga. -E o humano também veio,como eu previ...obrigado pela contribuição – ele disse,me olhando com aquela cara de...eu não sei descrever a cara dele,só sei que dava muito medo. -O que você quer dizer com ‘’contribuição’’? – perguntei -O que eu quero dizer? – ele fez um som estranho com os lábios.Imediatamente,uma criatura negra e grande saiu de dentro da casa –Bem...não interessa.Você caiu! – os grandes e amarelos olhos do gato me olhavam como se eu fosse um...ratinho. Droga droga droga droga droga Eu me preparei para a batalha (ou para ser morto,o que provavelmente aconteceria).Levantei a espada e...comecei a recuar.
  53. 53. -Mas...por quê?Por que eu tinha que vir? – quis saber -Seu sangue,tolo – ele disse – é um dos ingredientes. -M-mas você demorou todos esses anos para conseguir todos os ingredientes – gritei,com medo – e não conseguiu o sangue humano? -Na verdade – ele estalou os dedos – o sangue tem que estar fresco – o gato correu em minha direção. Dizem que quando você está prestes a morrer, sua vida passa pela sua cabeça. Isso é verdade, eu vi tudo de novo. Minha infância, minha adolescência (não lembrava de ter namorado aquela gorda), até chegar à vida adulta. E durante esses dois longos segundos, tudo fez sentido. Mickey roubou a pedra da colônia porque supostamente era o ‘’último ingrediente’’ da sua máquina, quando na verdade não era. O último ingrediente era eu. O sangue tem que estar fresco... Como eu fui burro.Esse cara...ele me enganou completamente.Ele não usou a Jynx para me encolher porque eu era um perigo,mas porque eu era NECESSÁRIO.Nike,Frank e os outros não se livraram da maldição porque foram escondidos pelo meu corpo,mas porque também eram NECESSÁRIOS.Ele queria os sobrinhos vivos. O gato continuava avançando na minha direção,mas em câmera lenta.Não,não foi nenhum feitiço de Nike.Eu ainda estava tendo meu momento de reflexão. É claro... essa bola de pelos preta não estava nos caçando. ERA TUDO PARTE DO PLANO, para nós chegarmos há tempo. Realmente, caí feito um patin...espera, tem uma coisa faltando nesse Flashback. Pedra roubada e avenida e o gato negro e a festa e a longa caminhada e...como eu pude me esquecer dele. -BEETHOVEN! – o cachorro saltou por cima de mim e dos garotos e caiu em cima do gato negro,bem quando ele preparava seu bote – Bom garoto!
  54. 54. Aquele não era o tranqüilo e amigável cachorro que eu salvei há dois anos.Ele estava lutando contra o gato com unhas e dentes (literalmente).Bem,isso não é nada ruim...vai lá Beethoven! -Oh,isso não estava nos meus planos.Depois de dois anos,o verdadeiro morador desse lugar resolveu voltar – disse Mickey – nos desculpe pelo incomodo,mas precisávamosdesse lugar. Beethoven ainda lutava com o gato quando a pedra do cajado de Mickey brilhou.Dessa vez a cor era Lilás. -Legal o que isso faz não é?Roubamos de outra colônia há uns anos atrás – ele disse – infelizmente eles não tinham a Jynx. -O que você fez com ele? – gritei,com raiva -O mesmo que fiz com a minha antiga colônia,só que um pouco mais...concentrado. Beethoven desabou no chão.O gato continuava firme e forte ao seu lado.Bem,nem tão firme e forte...Beethoven fez questão de levar um pedaço da orelha dele embora. De onde eu estava deu para ver perfeitamente o céu clareando. O SOL IA NASCER DAQUI ALGUNS MINUTOS.Comparsas saíram da casa trazendonas mãos a tal ‘’máquina mortífera’’.Não parecia tão assustadora assim. -Onde foi que nós paramos mesmo? – disse Mickey,enquanto a pedra piscava.Uma hora vermelha e outra hora branca – Ah sim...o último ingrediente! – ele estalou os dedos novamente. Acabou.
  55. 55. Capítulo 15 -Frank...foi você? – perguntou Nike -É,eu acho que sim – disse o pequeno Thrimit – só não sei como. -Não importa como – disse Sheep, em pé na minha frente – o importante é que ele fez. O cajado de Nike brilhava,tão laranja como o sol nascendo.Mas ele não estava nas mãos do dono. -Acho que anulei o feitiço dele - disse Frank,já de pé.O cajado dava quase dois dele. -O gato! – gritei A pedra brilhou novamente,dessa vez verde.O gato desabou no chão,assim como fizeram os Thrimitshá um minuto. -Que demais!O que mais você pode fazer? – perguntou Floyd, do lado dele. NOTA DE MM: Tem alguém prestes a ser ASSASSINADO aqui,se lembram? -Ele também tem o dom! – disse Mickey – Vamos ver o que ele sabe fazer – ele apontou o cajado para nós DROGA É AGORA MORRI PAI MÃE JESUS CRISTO AQUI VOU EU -Espera...o que? NADA aconteceu.O cajado não brilhou. -Não pode ser... -Parece que alguém ficou um pouco sem energia depois de tantos feitiços– disse Nike
  56. 56. -Droga.Rapazes,peguem os garotos! – disse Mickey – eu cuido do último ingrediente – a máquina ainda brilhava atrás dele. Ele jogou seu cajado no chão e sacou uma espada.A dele não era um pedaço inútil de plástico,e sim uma agulha. -Venha aqui humano!O sol já está quase nascendo. -Pegue a pedra e não deixe que ele te mate! – disse Nike, lutando contra dois comparsas de Mickey com a espada de Frank. -Oh,obrigado pela dica! – eu disse,enquanto corria na direção de Mickey,ainda na frente da porta. Ao meu lado esquerdo estava o gato preto desmaiado e Beethoven,de cabeça baixa e quase sem forças. Você é meu,maldito! Bem...meu plano parecia bemmelhor na minha cabeça.Lá eu lutava bravamente contra Mickey com minha espada de plástico,matava-o e recuperava a pedra.A realidade foi bem diferente: -Toma essa! – eu atingi sua agulha com meu palitinho de plástico.Ele se partiu em dois – Ér.... Tenho que admitir: o golpe daquela agulha doeu MUITO.
  57. 57. -HAHAHAHA –riu Mickey – estúpido! – Ele molhou uma das mãos em meu sangue e se dirigiu até a máquina,enquanto eu NOTA DE MM: Poxa...eu vi tantos filmes de espadachins japoneses chineses coreanos e essas coisas assim...pensei que me sairia melhor nessa batalha. Mickey molhou a pedra com meu sangue.Ela voltou a brilhar,agora vermelha como...como sangue. -Ah,que maravilha!Tudo de acordo com o plano – ele disse.Um clarão verde surgiu atrás de mim,junto com sons de espadas e gritos. Tomara que não seja um deles. NOTA DE MM: Isso era pra ser uma história de infantil.Por que tem tanta violência? D: -Bem...já não preciso mais de você,humano inútil – Mickey pegou seu cajado do chão – Olha só quem já recuperou parte da energia.Vamos ver se dá conta. A pedra brilhou,roxa como...não sei descrever,só sei que foi aterrador. Eu me preparei para morrer (pela terceira ou quarta vez naquela noite).Assim como nas outras vezes,a morte não veio.O que eu vi não foi nada roxo,e sim branco.Branco como as nuvens,que já eram mais visíveis no céu.Branco como um dia foram as roupas que eu usava.Branco como...o pelo do Beethoven! Não...você não pode ter feito isso.Cachorro idiota.
  58. 58. Capítulo 16 Beethoven caiu no chão feito um saco de batatas. -Não...não não não NÃO NÃO – gritei,enquanto acariciava o focinho de Beethoven – você não pode morrer cara...não pode! -Criatura imbecil!Poderia ter sido poupada depois de o meu plano ter sido... -CALA A BOCA! – a luz do sol já invadia a área onde a máquina estava – OLHA O QUE VOCÊ FEZ – eu andei na direção dele depressa,com toda a raiva do mundo nos olhos – MALDITO! -Não...eu juro que não foi por queHAHA! – ele apontou o cajado para mim.Nada aconteceu . Acho que você botou toda a sua energia no último ataque – eu o chutei,com toda a força que ainda me restava – Foi o suficiente para MATAR ele! Mickey tentou usar a agulha em mim novamente,errando por um triz.Sangue ainda escorria pelo meu peito,onde o último golpe dela me atingiu Eu o chutei novamente,no peito.A agulha que estava em sua mão direita caiu...perfeito. -Oh,parece que alguém está indefeso! – eu disse,segurando a agulha – Indefeso como...MEU CACHORRO! – o golpe da agulha passou raspando pela cara de Mickey. A luz do sol estava à alguns centímetros da máquina,onde a grande pedra brilhava,vermelha. -Droga...pego você depois! – eu corri em direção à máquina,com a agulha na mão e o peito sangrando – Droga droga droga droga!
  59. 59. Atrás de mim,os gritos e sons de espada haviam parado.Os irmãos perderam?Não pode ser... -Não posso pensar nisso agora – disse,quando enfim cheguei na máquina – preciso salvar a todos! A máquina de Mickey não era assustadora.A PEDRA SIM.Era alguns simples pedaços de arame, com a pedra Jynx ao centro e os ingredientes espalhados ao redor.Foram somente alguns segundos,mas consegui ver alguns dos ingredientes.Eu vi meu sangue,espalhado por sobre a pedra;Uma coisa líquida,quase água (seriam lágrimas de cachorro?);Vi uma lente de aumento em cima da pedra.Deve ser para levar o raio até as nuvens;E uma coisa azul,que não consegui identificar.Peguei a pedra vermelha nas mãos.Ela deixou de ser vermelha e se tornou...negra. -Você não pode acabar com tudo isso!Foram anos de trabalho duro,humano sujo! – disse Mickey,levantando seu cajado acima da cabeça,pronto para me atingir. Eu posso ter espírito de gordo,mas na verdade eu não sou.Você deve ter pensado no começo ‘’Nossa,esse cara deve ser um saco de banha’’,mas saiba que EU NÃO SOU!Eu tenho reflexos de gato,olhos de águia e ok é mentira.Menos a parte dos reflexos.Foi graças a eles que eu coloquei a Jynx na frente do golpe do cajado,para me proteger.A pedra do cajado começou a se partir. -Eu não queria ser você agora – eu corri com a Jynx nos braços. A pedra trincada do cajado começou a brilhar,branca como uma lâmpada.Não foi nada bonito quando ela se partiu totalmente. BOOOOOOOOOOOM Eu não sei se eu cheguei a ficar inconsciente por um tempo...só lembro de meus ouvidos doerempor causa do barulho da explosão.Vi fumaça por todos os lados. Eu te vinguei,amigo. Uma lágrima escorreu pelo meu rosto.
  60. 60. P-por que eu não consigo tocar a fumaça? – Eu devo ter morrido.É,eu morri,só pode ser.Agora sou um espírito. -Você não morreu – disse uma voz familiar NOTA DE MM: UFA! A lágrima caiu sobre a pedra. -É...foi só o caçulinha que colocou um campo de força em volta de você – disse Sheep. Quando a fumaça baixou, eu pude ver como ele estava.Seu braço sangrava e sua orelha esquerda não estava totalmente ‘’inteira’’. -O papai devia ter dado o cajado pra ele desde o começo – disse Nike A fumaça baixou ainda mais.De onde eu estava eu pude ver claramente a pedra do cajado de Frank brilhando...amarela como o sol daquela manhã. -Cara...obrigado – eu disse,enquanto me levantava.Era tão bom ver todo mundo bem...eu até me esqueci da Jynx. -Obrigado VOCÊ por ter salvado todo mundo – ele riu,enquanto me abraçava. Eu não fiz todo o trabalho.Na verdade,eu não fiz nada comparado ao que eles fizeram.Enquanto abraçava Frank eu pude ver: Mais de 20 Thrimits de preto estavam deitados atrás deles.Ver aquilo me deixou assustado. -Não se preocupe,não estão mortos – disse Nike – Frank os paralisou durante a batalha -Bem,pelo menos a maioria – disse Sheep, sorrindo -HAHAHAHHA NÓS CONSEGUIMOS! – gritou Floyd -Bem,nem todos... – disse Pink,olhando para o corpo inconsciente de Beethoven -É,ele se jogou na frente do feitiço do Mickey.Foi realmente um...espera,era prapedra estar brilhando daquele jeito? – eu disse,enquanto a olhava.O brilho era de um laranja tão lindo.
  61. 61. A lágrima! De repente,o mundo foi ficando menor.MUITO MENOR.Ou será que fui eu que aumentei?
  62. 62. Capítulo 17 -Será que o Beethoven tá com fome? – disse Frank,olhando para o cachorro -Não,ele só está um pouco cansado – respondeu Pink Acho que Beethoven nunca teve um dia tão agitado como esse.Ele lutou,desmaiou,morreu e...bem,ele não morreu.Só foi MUITO amaldiçoado. -Sua lágrima salvou ele! – disse Nike – Foi ela que ativou o ‘’poder laranja’’ na Jynx. Frank e Nike criaram uma pequena teoria.As pedras presentes nos cajados são muito mais fracas que a grande pedra Jynx, mas elas tem uma vantagem: Podem ser usadas à vontade (bem,até a energia acabar),diferente da Jynx, que precisa de um ou mais ‘’ingredientes‘’ para executar as magias.Nike disse que para a invisibilidade e a camuflagem vocal na colônia eles fazem isso (não me pergunte quais são os ingredientes porque eu também não faço idéia!). Nós estávamos voltando para minha casa.Engraçado como a rua parecia tão menos assustadora agora que o sol brilhava no céu e eu tinha 1,80m novamente. -Mas...como foi que esse ‘’brilho laranja’’ salvou o Beethoven e eu? – perguntei –Pensei que ele só servisse para paralisa,como o Frank fez naquela hora. -Na verdade,ele não funciona só com a paralisia – disse Nike - Elaé como um ‘’antídoto’’ para feitiços...eu acho
  63. 63. -É.A pedra do meu cajado não tinha força suficiente para curar o seu encolhimento ou as maldições jogadas em Beethoven,pois havia muito poder concentrado – continuou Frank - mas conseguiu nos ‘’desparalizar’’ facilmente. Continuamos nosso caminho até minha casa.O lugar onde antes tinha uma festa agora era apenas um portão qualquer com papéis,copos e latas espalhados pela calçada. -Tira a gente daqui! – gritou uma voz desconhecida -É,tá muito abafado! – gritou outra voz -Quietos! – disse Sheep, olhando para o saco na minha mão – Quando a gente chegar na colônia,todos vocês serão julgados! NOTA DE MM: Levando em conta o sistema penal deles...vish. Não vi quase nada da luta dos garotos, mas Sheep disse que foi ÉPICA.Bem,até Frank paralisar todos. -Eu podia ter acertado mais uns quatro ou 5 – disse Sheep, agitando seu garfo para o saco onde estavam os comparsas capturados. Nós passamos pela avenida e finalmente chegamos até minha casa.Ela estava bem mais movimentada aquela hora da manhã,mas dessa vez o semáforo foi gentil com a gente. -Droga! – gritei,já na frente da minha casa -O que foi? -Eu não trouxe minhas chaves... -Fica calmo – disse Nike,agachando – alguém aqui ainda pode passar por baixo do portão. Nike, Sheep e Floyd passaram por baixo.Frank ficou comigo e Pink com Beethoven. -Engraçado!Vocês entrando na minha casa para pegar minhas chaves – eu disse para Frank – foi como tudo começou.
  64. 64. Ele riu.Alguns minutos depois os três voltaram,com as chaves nas mãos. -Finalmente cumprimos nossa missão.Pegamos as chaves! – disse Sheep -Hahaha, vai sonhando – eu disse – passa isso pra cá logo. Muita coisa aconteceu depois que nós entramos na minha casa.Frank usou aquele sistema que leva a magia para toda a colônia para curá-los (sim,eu tive que chorar novamente) e os cinco irmãos foram declarados heróis. Eu não...eles tinham algo mais legal pra mim. -Por ter lutado até o fim por seus amigos e derrotado Mickey – disse mestre Playboy – eu o declaro GUARDIÃO DA COLÔNIA! Foi o máximo ver todos os Thrimitsgritando e aplaudindo, principalmente o tio Hitler, que um dia fora um herói,assim como os garotos.Nunca pensei que um dia eu salvaria o mundo...ou a cidade...enfim,a vida de alguém.Só no vídeo-game. Depois disso a minha vida continuou a mesma...ou quase, né? Eu ainda trabalho de segunda à sexta (‘’eu estava doente naquela segunda, me desculpe!’’),mas agora tenho sempre Beethoven para me receber cheio de alegria quando chegou também continuo vagabundeando nos fins de semana, mas agora tenho os garotos para jogar vídeo game comigo (Uma vez uma galera da colônia veio aqui em casa e rolou outro campeonato. Meu time perdeu de lavada.)! Tem sido assim por muito tempo,mas será que isso vai continu... -CARA,VEM LOGO,A GENTE TÁ MORRENDO!! -Já vou Frank, jávou! Tô terminando o livro... -Termina isso outra hora,tem coisas mais urgentes acontecendo aqui! Pew pew pew pow boom Bem,é isso.Espero que vocês tenham gostado!Até logo.

×