Kaah e paah

372 visualizações

Publicada em

A importância dos jogos pedagógicos

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
372
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Kaah e paah

  1. 1. Jogos Pedagógicos Matemática Socialização Aprendizagem Lúdico Raciocínio Lógico ComunidadeProfessores Alunos PROFª KÁTIA E PATRÍCIA
  2. 2. Jogos Pedagógicos  Os jogos de regras são usados no contexto psicopedagógico para estimular a criança em seus vários aspectos cognitivos e pedagógicos. Eles podem e devem ser usados em casa com o mesmo fim. Por ser um material que envolve os pequenos, ele propicia a aprendizagem de uma maneira divertida e desafiadora: estão sempre procurando vencer e não medem esforços para isso.
  3. 3. Matemática  No âmbito escolar, a educação da matemática é vista como uma linguagem capaz de traduzir a realidade e estabelecer suas diferenças. Na escola a criança deve envolver-se com atividades matemáticas que a educam nas quais ao manipulá-las ele construa a aprendizagem de forma significativa, pois o conhecimento matemático se manifesta como uma estratégia para a realização das intermediações criadas pelo homem, entre sociedade e natureza.
  4. 4. Raciocínio Lógico  A mobilidade de raciocínio, a partir do trabalho com o conhecimento lógico-matemático é construída a partir de desafios cognitivos, próprios das atividades com jogos.
  5. 5. Socialização  Por meio dos jogos, as crianças são capazes de ampliar seu repertório de ação, construir conceitos e habilidades, além de colaborar no processo de construção da autonomia. Sendo assim, fazer a transposição das aprendizagens adquiridas nas propostas com jogos, para as expectativas de aprendizagem nos conteúdos do ensino é uma das vantagens quando se trabalha com jogos.
  6. 6. Comunidade  Fazendo relação do que eles conhecem do seu convívio sócio-cultural com o que a escola ensina, além de fornecer elementos básicos para a participação desses alunos para a vida em sociedade
  7. 7. Aprendizagem  A aprendizagem matemática da criança tem que acontecer com atividades que lhe tragam significação. Sem ser dado o conhecimento matemático pronto e acabado para o aluno. Deve-se permitir ao aluno construir sua aprendizagem estabelecendo essa relação de significação. O conhecimento matemático tem que ser construído pelo aluno por meio de atividades que lhe despertem o interesse para aprender. Fazendo relações do que ele vê dentro da escola com o que ele já conhece fora da escola. Compartilhado por ele no seu convívio sócio-cultural.
  8. 8. Professores  Embora o uso dos jogos, como uma excelente estratégia para a aprendizagem, seja uma premissa conhecida pelos educadores, são poucos os que se utilizam desse recurso como estratégia para favorecer uma aprendizagem mais significativa e prazerosa para o ensino da matemática. o professor tem um papel crucial na criação de ambiente material e social que encoraje a autonomia e o pensamento
  9. 9. Lúdico  Através do lúdico a criança assume o conteúdo matemático com a finalidade de desenvolver habilidades de resolução, dando a si mesma a oportunidade de estabelecer e atingir determinados objetivos. Na maioria das vezes os professores deixam de buscar alternativas pedagógicas que favoreçam aos alunos construírem a aprendizagem de forma que eles sejam capazes de desenvolverem suas habilidades e competências. As atividades lúdicas permitem a criança interagir com o meio, bem como se socializar com outras crianças, promovendo assim não somente o desenvolvimento cognitivo como também a socialização. Trabalhar com atividades concretas nas quais as crianças ao manipularem esses materiais consigam construir suas aprendizagens com significação, é sem sombra de dúvida tarefa do professor.
  10. 10. Alunos  É Fundamental ver o aluno como um ser social e político sujeito de seu próprio desenvolvimento. O professor não precisa mudar suas técnicas, seus métodos de trabalhos; precisa sim, ver o aluno como alguém capaz de estabelecer uma relação cognitiva e efetiva, mantendo uma ação interativa capaz de uma transformação libertadora, que propicia uma vivencia harmoniosa com a realidade pessoal e social que o envolve. A tarefa do professor a encorajar o pensamento espontâneo da criança, o que é muito difícil porque a maioria de nos foi treinada para obter das crianças a produção de respostas certas.
  11. 11. Conclusão  Tradicionalmente, a prática mais freqüente no ensino de Matemática era aquela em que o professor apresentava o conteúdo oralmente, partindo das definições, exemplos, demonstrações de propriedades, seguidas de exercícios de aprendizagem, fixação e aplicação, e propondo que o aluno aprenda pela reprodução. Portanto, também como incentivador da aprendizagem, o professor deve estimular o aluno a construção de uma aprendizagem significativa, que se dá a partir da realização em sala de aula de atividades que imitam a realidade vivenciada por esse aluno no seu dia-a- dia.

×