Texto 2 projeto técnico e visual

261 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
261
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Texto 2 projeto técnico e visual

  1. 1. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel PROJETO TÉCNICO E VISUAL Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  2. 2. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel Desenvolvimento da Rede de Inovação em Gestão do Turismo para aperfeiçoamento das práticas de planejamento e gestão dos municípios turísticos do estado da Bahia. 1.1.1 Conceber e desenvolver a plataforma tecnológica da Rede de Inovação em Gestão do Turismo através do material desenvolvido durante o programa a partir do desenvolvimento das seguintes tecnologias: 1.1.2 Selecionar e integrar 100 municípios na Rede de Inovação em Gestão do Turismo, desenvolvendo ações de planejamento do turismo de forma colaborativa construindo competências e disponibilizando recursos técnicos necessários ao cumprimento do desafio de trabalhar em uma rede de inovação e colaboração, objetivando a promoção do desenvolvimento social e econômico das suas localidades. 1.1.3 Elaborar um diagnóstico geral das estruturas municipais de Gestão do Turismo implementada nos municípios participantes; Elaborar Projetos Municipais e/ou Regionais de Ação para o desenvolvimento do turismo nos municípios participantes. 1.1.4 Disponibilizar instrumentos tecnológicos para o alcance de maior eficiência e eficácia da gestão do turismo nos municípios, mediante a difusão de informações e troca de experiências entre os gestores. 41 PROJETO TÉCNICO E VISUAL 1 OBJETO 1.1 Objetivos Específicos • desenvolvimento do hotsite da Rede de Inovação (em WORDPRESS) e • desenvolvimento do ambiente virtual de aprendizagem (AVA MOODLE). Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  3. 3. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel 1.1.5 Socializar, difundir e transferir novas aprendizagens em gestão pública com ênfase em turismo. O público alvo será composto fundamentalmente por Secretários, Gestores e Técnicos em turismo dos municípios turísticos do Estado da Bahia, totalizando 200 (duzentos) participantes. 3 METODOLOGIA DA REDE DE INOVAÇÃO E GESTÃO DO TURISMO A virtualização das interações e dos conteúdos, especialmente de conhecimentos, característica do atual paradigma tecnológico, abre novas possibilidades de relacionamento e compartilhamento entre indivíduos e organizações. Nesse contexto, assiste-se à expansão crescente dos recursos das comunicações virtuais e das plataformas de educação à distância, com especial ênfase para a utilização de abordagens de redes interorganizacionais de cooperação. Nesse sentido, a plataforma virtual que dará suporte à concepção e implantação da Rede de Inovação em Gestão do Turismo é essencial ao desenvolvimento e consolidação da construção interativa de competências, sendo uma ferramenta tecnológica projetada para fortalecer a ação de apoio da SETUR para o desenvolvimento sustentável da gestão do turismo no estado da Bahia. Esse esforço se fundamenta, por um lado, na disponibilização de instrumentos tecnológicos que contribuirão para o alcance de maior eficiência e eficácia da gestão do turismo nos municípios selecionados, mediante a difusão de informações e troca de experiências entre os gestores. Por outro lado, esse recurso possibilitará uma gestão mais efetiva do Programa tendo em vista que permitirá uma maior articulação dos municípios. Essa possibilidade torna-se ainda mais relevante considerando a grande extensão territorial do 42 2 PÚBLICO ALVO/QUANTITATIVO Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  4. 4. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel estado da Bahia que impede que os gestores possam interagir, em tempo real, com outros atores fundamentais para o desenvolvimento das ações turísticas no município e na região. É possível destacar, ainda, a importância estratégica que esse recurso poderá trazer para a SETUR, tendo em vista que poderá contribuir para o alcance mais efetivo dos objetivos e metas definidas para potencializar a economia e gestão do turismo no estado. Para atender a esses objetivos, a plataforma virtual que dá suporte à Rede de Inovação em Gestão do Turismo utiliza duas tecnologias consolidadas internacional e nacionalmente: a) Ferramenta de gestão de conteúdos que integra difusão, documentação e gestão de b) Ferramenta de educação à distância que permitirá a realização de cursos, seminários e É importante ressaltar que no uso das duas ferramentas indicadas se complementem funcionalmente para criar um espaço específico para as interações e articulação em rede, imprescindíveis para o alcance dos objetivos e metas estabelecidas no curso de capacitação proposto. Assim, a plataforma virtual que dá suporte à Rede de Inovação em Gestão do Turismo, visa tecer uma teia de conhecimentos, de pessoas e instituições relacionadas à gestão da política do turismo no estado da Bahia e no Brasil, para fazer face aos desafios atuais e perspectivas futuras para a economia e gestão do turismo local, regional e nacional. 43 informações de interesse específico dos gestores de turismo; reuniões virtuais. Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  5. 5. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel 44 4 PRODUTOS E RESULTADOS ESPERADOS Estão previstos como produtos/resultados para a execução do Programa: RESULTADOS / ATIVIDADES 1 – PROJETO ESTRUTURANTE E PLANO OPERATIVO Este produto integra a elaboração do Projeto Estruturante e do Plano Operativo (plano de trabalho) do projeto contendo os papéis, responsabilidades e perfil profissional e acadêmico dos instrutores, tutores, orientadores e palestrantes e coordenação responsável pela execução e avaliação do curso, bem como a correspondente carga horária. 2 – ELABORAÇÃO DOS CONTEÚDOS DO PROGRAMA Este produto contempla o desenvolvimento dos conteúdos que serão disponibilizados conforme o cronograma de execução que integra este TR. 3 – CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DAS PLATAFORMAS TECNOLÓGICAS E DAS METODOLOGIAS QUE INTEGRAM A REDE DE INOVAÇÃO EM GESTÃO DO TURISMO Este produto contempla a especificação e o desenvolvimento do hotsite da Rede de Inovação (em WORDPRESS) e do ambiente virtual de aprendizagem (AVA MOODLE). O fornecedor disponibilizará à equipe técnica da SETUR todas as informações e apoio técnico necessários à transferência das plataformas para a administração da SETUR durante as etapas do projeto. A plataforma será customizada de modo a possibilitar a sua utilização por outros cursos de interesse da SETUR. A instituição deverá detalhar na proposta todos os itens das plataformas tecnológicas acima que serão transferidos à SETUR. 4 – DIAGNÓSTICO GERAL DAS ESTRUTURAS MUNICIPAIS DE GESTÃO DO TURISMO Este produto caracteriza as estruturas e funções, implementadas nos municípios, responsáveis pela gestão do turismo e pela sua articulação com as políticas estadual e federal do setor. Também incluirá o mapeamento do perfil dos gestores municipais de turismo. 5 – DESENVOLVIMENTO DOS PROJETOS MUNICIPAIS E REGIONAIS DE Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  6. 6. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel O material didático é uma ferramenta básica de aprendizagem e como princípio necessariamente: auto-explicativo – permitindo a auto-aprendizagem; auto-suficiente – prever e sanar possíveis dúvidas dos alunos; motivador – incentivando e estimulando ao estudo; e variado – sendo adequado aos vários estilos de aprendizagem. • interatividade – permitindo ao aprendiz um papel ativo e proporcionando-lhe uma • praticidade – possibilitando-lhe encontrar as informações para entender qualquer ponto • autonomia – permite que o aprendiz navegue livremente pelo material proposto • consistência – sendo coerente com o plano proposto para o curso e com as metas 45 AÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TURISMO Este produto contempla o desenvolvimento dos Projetos de Gestão de Turismo – PGTs, ajustado às necessidades de cada municipalidade e as estruturas municipais. Inclui também a produção de livro contendo síntese de todos os Projetos de Gestão de Turismo – PGTs produzidos pelos participantes tendo por objetivo difundir os resultados alcançados e promover a socialização das tecnologias desenvolvidas na área de gestão pública do turismo em municípios baianos selecionados. 6 - EXECUÇÃO DAS ATIVIDADES DO PROGRAMA Este produto compreende a realização de eventos de caráter instrutivo e técnicas de apoio virtual à realização, das atividades de acordo com o cronograma de execução que integra este TR. Ao longo do projeto as plataformas serão hospedadas e suportadas pelo fornecedor contratado, que relatará periodicamente os seus indicadores de desempenho. Abrangendo também a Certificação dos municípios e projetos implantados. 4.1 Característica do Material Didático Tem como características: construção do seu aprendizado; que porventura não tenha compreendido; implicando numa estruturação própria do seu conhecimento; propostas. Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  7. 7. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel O programa foi estruturado em Quatro Eixos, integrados e articulados entre si, com vistas a possibilitar aos secretários, gestores e técnicos municipais que atuam nas áreas turísticas do Estado da Bahia uma formação socioprofissional reflexiva (SCHÖN, 1995), que permita estabelecer uma afinidade positiva e proativa entre teoria-prática-teoria-prática. O objetivo dessa metodologia é possibilitar, portanto, aos participantes conhecimentos e técnicas que facilitem a compreensão das relações complexas que fundamentam e orientam a gestão pública brasileira na atualidade, com ênfase na gestão municipal do turismo. As atividades do programa serão realizadas de forma interligada e sequencial, conforme a ordem estabelecida no quadro abaixo: Objetivos: Mobilizar, sensibilizar e alinhar os atores institucionais e participantes envolvidos; Promover nivelamento dos aspectos teórico-metodológicos que fundamentarão o programa; Comprometer os participantes com o desenvolvimento, do programa, Desenvolver metodologias específicas para o diagnóstico das competências profissionais e 46 4.2 Estruturação do Programa QUADRO 1 – PERCURSO PEDAGÓGICO EIXO DE APRENDIZAGEM I Sensibilização, Comprometimento e Planejamento do Curso de Capacitação. organizacionais dos municípios, visando a adequação dos instrumentos de gestão. Módulos/Atividades Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014 Carga horária Oficina 1 – Sensibilização e mobilização dos participantes em Regiões selecionadas pela SETUR 08 Seminário de Abertura - Turismo Sustentável 08 Oficina 2 – Fundamentos Metodológicos do Programa 08 Oficina 3 – Metodologia de Governança de Redes de Cooperação 08 Oficina 4 – Metodologia de Mapeamento de Competências Profissional e Organizacional 08 Carga horária 40
  8. 8. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel Objetivos: Possibilitar que os participantes do Programa reconheçam os fundamentos teóricos e práticos da Administração Pública contemporânea, por meio de estudos analíticos que permitam uma visão ampla das relações históricas e complexas entre Estado, Governo e Sociedade; Contribuir para uma compreensão atualizada acerca dos principais desafios e perspectivas a serem enfrentados pelo poder público municipal, com ênfase na política nos programas, projetos e ações turísticas. 47 EIXO DE APRENDIZAGEM II Tendências Contemporâneas da Administração Pública Brasileira e as Singularidades da Gestão Municipal Atividades Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014 Carga horária Seminário 2 – Cenário e Desafios da Administração Pública Brasileira e Baiana com Ênfase na Gestão do Turismo 08 Oficina 1 – Conceitos Fundamentais no Turismo 08 Oficina 2 – Lei Geral do Turismo 12 Carga horária 28 EIXO DE APRENDIZAGEM III Novos Processos e Instrumentos de Gestão Pública Objetivos: Reconhecer e analisar, de forma crítica e contextualizada, os novos processos e instrumentos de gestão que tem orientado a administração pública brasileira; Identificar as principais influências dessas mudanças na gestão pública municipal; Desenvolver competências práticas em gestão pública com vistas a contribuir, de forma efetiva, para o alcance da modernização administrativa municipal e melhoria continuada da qualidade dos bens e serviços disponibilizados a população. Atividades Carga horária Oficina – 1 - Planejamento Estratégico, Planejamento Governamental (PPA) e Orçamentação (LDO, LOA e LRF) – com base nas Leis nº 4.320 e nº 8.666 16 Oficina 2 – Monitoramento e Avaliação de Políticas na área de turismo 20 Oficina 3 – Elaboração e Gestão de Projetos 16 Oficina 4 – Convênios e Contratos: celebração, execução e prestação de contas com ênfase em captação de recursos – com base na Portaria nº 112/2013 e no SICONV 36 Carga horaria 88
  9. 9. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel Objetivos: Possibilitar que os participantes do Programa estabeleçam relações entre as atividades profissionais e os conhecimentos e instrumentos de gestão trabalhados no curso, a partir do estabelecimento de uma maior integração e articulação entre teoria-prática; Ajudar os participantes do Programa na identificação dos limites, desafios e possibilidades de atuação do Promover maior integração entre os participantes do Programa em torno do desafio comum de potencializar as políticas de apoio ao turismo no estado da Bahia, tendo a SETUR como articuladora desse processo. 48 EIXO DE APRENDIZAGEM IV Rede de Inovação em Gestão de Turismo município e/ou região na política de desenvolvimento do turismo do estado da Bahia; Disciplinas/Atividades Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014 Carga horária Oficina 1 – Aprendizagem e Inovação como Atributos Essenciais para a Modernização da Gestão Pública Municipal 12 Oficina 2 – Estudos de Boas Práticas em Gestão do Turismo 24 Oficina 3 – Orientação para o desenvolvimento dos Projetos de Gestão de Turismo – PGTs. 44 Seminário 3 – Apresentação dos Projetos de Gestão de Turismo-PGTs desenvolvidos pelos cursistas (Encerramento do curso) 12 Carga horária 92
  10. 10. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel • Comprovar vínculo como gestor público na área de turismo nas prefeituras 49 QUADRO 2 – Síntese da Carga Horária do Curso EIXOS ESTRUTURANTES CARGA HORÁRIA TEÓRICA LABORATÓRIO AVA EIXO I Sensibilização, comprometimento e planejamento do programa. 32 - 8 EIXO II Tendências contemporâneas da administração pública brasileira e as singularidades da gestão municipal. 24 - 4 EIXO III Novos processos e instrumentos de gestão pública 32 24 32 EIXO IV Implantação da Rede de Inovação em gestão de turismo. 36 - 56 CARGA HORÁRIA TOTAL 124 24 100 248 Observação: Factível a ajustes conforme necessidade do programa. 5 FUNCIONAMENTO DO PROGRAMA 5.1 Pré-Requisito para Inscrição no Processo Seletivo selecionadas. • Comprovar domínio básico de informática para qualificação no SICONV. • Comprovação mínima de ensino médio completo 5.2 Pré-Requisitos para a Realização do Programa • Termo de adesão da Prefeitura. Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  11. 11. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel • Carta de compromisso do gestor se comprometendo com a realização das ações do • Comprovação de disponibilidade na Prefeitura de acesso a rede de informática Os participantes dos municípios que obtiverem índices superiores a 75% (setenta e cinco por cento) na avaliação e tiver aprovação no Projeto de Gestão de Turismo-PGT receberá certificado de Inovação na Gestão do Turismo. O programa contará com uma estrutura de suporte à plataforma e assistência aos participantes do programa. 50 programa. (internet) para acessar o SICONV. 5.3 Avaliação 6. ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DO PROGRAMA O programa contará com a seguinte infraestrutura: INFRAESTRUTURA ESPECIFICAÇÃO EQUIPAMENTOS Ambiente Virtual de Aprendizagem – Hot Site e AVA Plataformas Moodle e Word Press Acesso individual pela Internet Laboratórios de Informática (Oficina do SICONV) 200 participantes Computadores com acesso a Internet Salas para os workshops e 1 auditório 200 participantes Equipamentos Multimídia, cadeiras, mesa do professor quadro branco Sala para apoio administrativo 06 pessoas 01 mesa com 6 (seis) cadeiras Banheiros Masculino e feminino Equipamentos básicos, conforme especificação para esse tipo infraestrutura. Sala de serviços gerais Copa Mesa, água e café Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  12. 12. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel As ações aqui propostas serão executadas em 12 meses, a partir da data de assinatura do contrato. A equipe de coordenação do programa fará o acompanhamento do programa, perseguindo o alcance das metas nele estipuladas e gerenciando as intercorrências existentes, em interlocução permanente com a Coordenação da SETUR. Serão realizadas reuniões técnicas periódicas com as Equipes de Coordenação para acompanhamento e prestação de informações à contratante sobre o andamento dos trabalhos – mediante apresentação de Relatórios Técnicos circunstanciados, que devem conter descrição e avaliação dos fatos relevantes a respeito do desenvolvimento e/ou intercorrências durante a execução do programa. O processo de avaliação da gestão priorizará, ainda, destaque dos pontos críticos e recomendações de ações corretivas para eventuais desvios ao longo do desenvolvimento do programa. Durante todas as etapas do projeto será realizado o acompanhamento e monitoramento dos resultados, a partir de relatórios que deverão integrar os principais resultados alcançados, 51 7 PRAZO DE EXECUÇÃO 8 AVALIAÇÃO DE RESULTADOS 9 MONITORAMENTO DA EXECUÇÃO DO PROGRAMA Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  13. 13. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel pesquisa de satisfação dos participantes e outros mecanismos que se fizerem necessários para avaliação qualitativa e quantitativa do projeto. A Secretaria de Turismo da Bahia, por meio da Superintendência de Serviços Turísticos e seus respectivos gestores e equipe técnica, será responsável por coordenar e fiscalizar todas as etapas previstas em visitas mensais in loco durante a execução do projeto. A aprovação dos produtos será de responsabilidade da Superintendência de Serviços Turísticos – SUSET/SETUR que informará e atestará a pertinência do pagamento das parcelas. A supervisão, acompanhamento e recebimento dos trabalhos, em todas as etapas, ficarão a cargo de equipe de fiscalização, designada pela SUSET/SETUR, que facilitarão os contatos com a entidade contratada. Cada etapa concluída do trabalho deverá ser apresentada à equipe de supervisão por meio de relatórios parciais, incluindo documentação de base e registro fotográfico constando data. • Experiência comprovada em organização de projetos de inovação, envolvendo tecnologias • Experiência comprovada em desenvolvimento de projetos de Redes de Inovação e • Experiência comprovada de atuação nos dois âmbitos estratégicos: qualificação e • Experiência comprovada na execução de projetos envolvendo boas práticas de gestão • Corpo de especialistas com experiência comprovada em gestão pública, inovação 52 10 PERFIL DA EQUIPE A equipe de consultores a disposição do Programa comprova as seguintes experiências: • Experiência comprovada em desenvolvimento de projetos de inovação tecnológica; de gestão; Colaboração no Setor Público; inovação ; pública para inovação de destinos turísticos; educacional, turismo e desenvolvimento territorial; Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  14. 14. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel • Corpo de especialistas com experiência comprovada em trabalhos, preferencialmente • Corpo de especialistas contendo profissionais com formação nas áreas de turismo, 22 e 23 EIXO III – Oficina 1 – Planejamento Estratégico, Planejamento Governamental EIXO IV – Oficina 1 – Aprendizagem e Inovação na Modernização do Serviço Celebração, Execução e Prestação de Contas (base na portaria 112/13 e no SICONV) 53 acima de 10 anos, para o desenvolvimento turístico de cidades e/ou regiões da Bahia; administração e gestão pública. 11 CRONOGRAMA DO CURSO AGENDA DO CURSO DE GESTÃO NO TURISMO MÊS/2014 DATAS ATIVIDADES FEVEREIRO 21 EIXO I – Oficina 1 – Sensibilização e mobilização EIXO I – Oficina 4 – Mapeamento de Competências Profissional e Organizacional MARÇO 27 EIXO I – Seminário de Abertura: Turismo Sustentável 28 EIXO I – Oficina 2 – Fundamentos Metodológicos do Programa 29 EIXO I – Oficina 3 – Metodologia de Governança de Redes de Cooperação ABRIL 24 EIXO II – Seminário 2 – Cenários e Desafios da administração pública com ênfase na Gestão do Turismo 25 e 26 EIXO II – Oficina 1 – Conceitos Fundamentais do Turismo MAIO 22 EIXO II – Oficina 2 – Lei Geral do Turismo e Lei Estadual do Turismo (PPA) e Orçamentação (LDO, LOA, LRF) 24 EIXO III – Oficina 2 – Monitoramento e Avaliação de Políticas na área de Turismo JUNHO 05 Público 06 EIXO IV – Oficina 3 – Orientação para o Desenvolvimento dos Projetos de Gestão do Turismo (PGT’s) 07 EIXO IV – Oficina 2 – Estudos de Boas Práticas em Gestão do Turismo JULHO 24 EIXO III – Oficina 3 – Elaboração e Gestão de Projetos 25 e 26 EIXO III – Oficina 4 – Convênios e Contratos: Captação de Recursos, AGOSTO 28, 29 e 30 EIXO IV – Seminário 3 – Apresentação dos Projetos de Gestão do Turismo (PGT’s) Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  15. 15. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel 54 12 FORMAS DE CONTROLE Sugestão para controles: • Quantitativas a) taxa de participação no curso (fórum, e-mail, leitura de materiais); b) taxa de aprovação no curso (geral e por zona turística); c) taxa de desistência (geral e por zona turística); d) duração média da realização de um curso curso (geral e por zona turística); e) taxa de desistência (geral e por zona turística); f) horas gastas na realização de um curso (presencial e a Distância); g) porcentual médio de conclusão dos PGT’s curso (geral e por zona turística); h) taxa de desistência (geral e por zona turística); • Qualitativas a) nível de satisfação de alunos em relação à estrutura e conteúdo do curso; b) nível de satisfação de alunos em relação aos recursos multimídias utilizados; c) nível de satisfação de alunos em relação ao suporte (tutores e técnico); d) nível de satisfação de alunos em relação ao ambiente facilidade de encontrar informações, acessibilidade, usabilidade); e) nível de satisfação curso (geral e por zona turística); f) taxa de desistência (geral e por zona turística); g) aplicação do conteúdo à realidade; h) grau de alcance dos objetivos do curso. Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  16. 16. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel Propomos uma aprendizagem voltada para o aluno e auto-instrucional, mas sempre mediada pelo monitor e tutor. A interação e a colaboração entre alunos e professores (aluno-alunos; professor(es)-aluno) incentiva e motiva a participação de todos, tanto na orientação/mediação dos alunos quanto na criação de comunidade para o aprender. • Criação de um guia do curso a fim de estabelecer comunicação inicial e ensiná-lo a usar o ambiente e as ferramentas propostas, além de prever a forma de avaliação; • Definir plano de aula antes do início do curso, para que o aluno saiba exatamente • Orientação de estudo por módulos, com discussão e avaliação (Fórum) após cada um • Caberá a Coordenação Pedagógica deixar claro aos alunos os objetivos, a relevância, os prazos de execução e acompanhar as atividades previstas no curso através do Goolgle Docs e do LMS (Moodle). Levando em consideração o Planejamento Pedagógico exposto no item anterior, temos como objetivo com o Planejamento Tecnológico: 55 13 ORIENTAÇÕES PARA A GESTÃO DOS CURSOS Atividades a serem desenvolvidas pela Coordenação: quais serão as atividades programadas e quando deverá fazê-las; deles; 14 PLANEJAMENTO TECNOLÓGICO • Definir e validar as escolhas tecnológicas. Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  17. 17. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel Tendo em vista o projeto pedagógico definido, o ambiente virtual de aprendizagem que fará a hospedagem dos conteúdos será a plataforma Moodle. Trata-se de um software para gestão da aprendizagem e de trabalho colaborativo, permitindo a criação de cursos online, páginas de disciplinas e de grupos de trabalho. Tem diversos nomes tais como Course Management System (CMS) e ainda Learning Management System (LMS) ou Virtual Learning Environment (VLE). Os utilizadores finais só precisam de um navegador de Internet. O Moodle funciona como um centro de capacitação virtual, criando um ambiente muito próximo ao do ensino tradicional em sala de aula. O conteúdo educacional, que deve ser desenvolvido com recursos multimídia, hipertextos e links, torna o processo de aprendizado mais dinâmico e atrativo. Com o Moodle é possível administrar cursos com total agilidade e flexibilidade. De qualquer computador ligado à rede internet/intranet gestores, coordenadores e docentes podem ter acesso a notas, relatórios gerenciais e históricos dos alunos, atualizar cursos, divulgar novas atividades, verificar as oportunidades de melhorias, entre outros recursos. Utilizando uma interface amigável, tanto para os alunos quanto para os gestores, o sistema oferece diversas ferramentas de comunicação e colaboração, fóruns de discussão, mural, mensagens, glossário online, bibliotecas virtuais, permitindo aos alunos manter contato com o professor ou trocar experiências entre si. 56 15 DEFINIÇÃO DO PROJETO TECNOLÓGICO 15.1 Sistema de Gerenciamento da Aprendizagem Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  18. 18. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel Para a midiatização e gestão dos conteúdos será utilizado o ScenariChain v3.4 e modelo OPALE 3.0, pois a ferramenta facilita o trabalho de concepção e publicação de conteúdos em apostilas e em PDF no AVA, mantendo as exigências de um processo de gerenciamento de documento, ajudando o autor a construir um conteúdo com base em uma sintaxe pedagógica. Além disso, o gerenciamento dos objetos de informação ou ativos multimídia facilita o reaproveitamento e busca de conteúdo. Os fóruns são uma ferramenta de discussão assíncrona por natureza, mas podem ter outro tipo de uso, como, por exemplo, um espaço de reflexão sobre um determinado conteúdo. Os fóruns podem ser estruturados de diversas formas (discussão geral, uma única discussão, quadro de avisos etc.) e podem permitir classificação de cada mensagem. As mensagens podem também incluir anexos. Prefere-se a utilização do Fórum para discussão de temas de interesse geral da turma. O suporte divide-se em suporte administrativo, suporte técnico e suporte pedagógico. O primeiro, cujas funções geralmente são desempenhadas pela tutoria de processo e monitoria, atende e apoia os procedimentos de matrícula, cadastramento, envio de 57 15.2 Sistema de Gestão de Conteúdo 15.3 Sistema de Comunicação: Ferramenta Assíncrona Fórum 15.4 Sistema de Comunicação: Atores Envolvidos Suporte Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  19. 19. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel materiais, contabilização, acompanhamento etc., enquanto o segundo se preocupa com a gerência de recursos, cadastramento de senhas e criação e gerência do ambiente administrativo com as informações do curso, provimento e manutenção dos recursos tecnológicos, enquetes e fóruns etc. e o terceiro é para esclarecimentos e ou complementação de informações aos alunos. Este Projeto de Identidade Visual busca detalhar os elementos visuais e de navegação do Programa da Rede de Inovação e Gestão do Turismo. Neste documento, será apresentada a proposta de layout para o curso e recursos multimídia, bem como o padrão visual dos demais elementos gráficos. Todas as telas do curso mantêm um padrão visual para proporcionar uma interface lógica, cuja estrutura facilite a compreensão do curso e favoreça a sua retomada posteriormente. O conteúdo é dividido em balizas pedagógicas, que organizam as informações de modo a favorecer a sua compreensão, distinguindo o que é mais importante dentro do contexto apresentado. 58 16 PROJETO DE IDENTIDADE VISUAL A seguir, algumas telas do ambiente de aprendizagem desenvolvidas para o programa: Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  20. 20. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel 59 Tela do Portal da Rede Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  21. 21. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel 60 Tela de Login no Ambiente Virtual de Aprendizagem Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  22. 22. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel 61 Tela de Abertura do Curso Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  23. 23. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel 62 Tela de Acesso ao Curso Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  24. 24. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel 16.1 Propostas de Layout Ao projetar-se um ambiente de interação, é fundamental estar atento às capacidades e necessidades do usuário. Neste sentido, o desenvolvimento de um layout adequado está diretamente ligado ao melhor aproveitamento do conteúdo. Interfaces bem projetadas são mais facilmente compreensíveis e agradáveis, diminuindo o desperdício de tempo e a ocorrência de erros durante a navegação. Ao lado do espaço principal, um índice permanente (Menu) acompanha a navegação. Este recurso minimiza o esforço cognitivo do usuário ao fornecer-lhe flexibilidade de acesso e uma visão global da estrutura do curso, com a possibilidade de ir rapidamente desta visão global para uma visão específica. 63 Tela do Fórum Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  25. 25. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel O ambiente de aprendizagem deve ser claro ao apresentar as informações. Os ícones pedagógicos têm a função de organizar as informações, a fim de que os a l u n o s possa distinguir o que é mais importante. Abaixo, seguem exemplos da íconografia utilizada: 64 16.2 Balizas pedagógicas Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014
  26. 26. Projeto Técnico e Visual Márcia Rangel A referência possibilita ao leitor a localização da fonte de onde foi extraída a informação. Ele pode querer ir até lá buscar mais detalhes sobre o tema. Além disso, a citação de uma fonte reconhecidamente confiável pode dar maior credibilidade ao que o autor escreve em razão da autoridade da fonte citada. “Também chamado de rede, o ciberespaço é o novo meio de comunicação que surge da interconexão mundial dos computadores.” 65 16.3 Padrões Visuais 16.3.1 Fontes Temes New Roman 12 abcdefghijlmnopqrstuvxz ABCDEFGHIJLMNOPQRSTUV XZ 1234567890 16.3.2 Referência Exemplo de citação no texto: Segundo Pierre Levy (1993), Autor referenciado: LÉVY, Pierre. (1993) As tecnologias da inteligência, Tradução de Carlos Irineu da Costa. Rio de Janeiro: Ed. 34.1996 Programa da Rede de Inovação em Gestão do Turismo – SETUR- 2014

×