SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 66
MORFOLOGIA
Classes gramaticais
Professor Juscelino Freitas
Email: juscelinofreitas799@gmail.com
∗ Substantivo é a classe gramatical que nomeia os
seres:
∗ Objetos: O avião chegou.
∗ Pessoas: João vai estudar.
∗ Lugares: Moro em Campinas.
∗ Sentimentos: O amor nos engrandece.
1. SUBSTANTIVO
∗ Estados: Todos necessitam de alegria.
∗ Qualidades: A honestidade é essencial.
∗ Ações: A pescaria foi divertida.
∗ Fenômenos da natureza: Chuva é importante.
Continuação...
∗ Comum: indica um nome comum a todos os seres da
mesma espécie.
Ex: casa, homem, cidade, rio.
∗ Coletivos: entre os substantivos comuns encontram-
se os “Coletivos”, que, embora estejam no singular,
indicam uma multiplicidade da mesma espécie.
Ex: Boiada: muitos bois
Cardume: muitos peixes
Ramalhete: muitas flores
Classificação dos substantivos
∗ Próprio: é aquele que particulariza um ser da espécie
(pessoas, cidades, estados, países, rios, nomes de
animais domésticos e outros):
Marcelo, São Paulo, Brasil.
∗ Concreto: indica seres reais ou imaginários, de
existência independente de outros seres.
Casa (ser real) Bruxa (ser imaginário)
∗ Abstrato: indica seres dependentes de outros seres.
ódio trabalho solidão
Esses seres existem em função de outros seres:
- o ódio é sentido por alguém: sentimento;
- o trabalho é realizado por alguém: ação;
- a solidão é o estado em que alguém se encontra :
estado.
Continuação...
∗Primitivo: é aquele que dá origem a outras
palavras.
Ex: pedra - terra
∗Derivado: é aquele que se forma de outras
palavras.
Ex: pedreira - terreno
Formação dos substantivos
∗ Simples: é aquele formado por um radical.
Ex: flor maçã couve
∗ Composto: é aquele formado por mais de um radical.
Ex: banana-maçã (composto de banana + maçã)
couve-flor ( composto por couve + flor)
Continuação...
∗ É a palavra que se antepõe ao substantivo para
determiná-lo.
∗ O artigo se classifica em:
∗ Definido: é aquele usado para determinar o
substantivo de forma definida (precisa): o, a, os, as.
∗ Ex: O menino foi ao parque.
∗ O menino específico.
2. ARTIGO
∗ Indefinido: é aquele usado para determinar o
substantivo de forma indefinida (vaga, imprecisa):
um, uma, uns, umas.
∗ Ex: Um menino foi ao parque.
∗ (qualquer menino)
Continuação...
∗ É a palavra que caracteriza o substantivo.
Exemplos:
∗ O bom homem me ajudou.
∗ A vizinha estava alegre.
∗ O cidadão brasileiro escolheu seu presidente.
3. ADJETIVO
∗ É uma expressão formada com mais de uma palavra
e com valor de adjetivo.
∗ Exemplos:
∗ Sapatos sem meias.
∗ Touca de bolinha.
∗ Período da manhã.
∗ Faixa de idade.
Locução adjetiva
∗ É a palavra que se refere ao substantivo dando a
ideia de número.
Exemplos:
∗ Choveu durante quatro semanas.
∗ O terceiro aluno da fila era o mais alto.
∗ Comeu meia maçã.
4. NUMERAL
∗ De acordo com o que indica, o numeral pode ser:
∗ Cardinal: indica uma quantidade determinada de
seres: um, dois...
∗ Ordinal: indica a ordem (posição) que o ser ocupa
numa série: primeiro, segundo...
∗ Multiplicativo: expressa ideia de multiplicação,
indicando quantas vezes a quantidade foi aumentada:
dobro, triplo...
∗ Fracionário: expressa ideia de divisão, indicando em
quantas partes a quantidade foi dividida: meio,
terço...
Classificação do Numeral
∗ É a palavra que substitui ou acompanha um
substantivo, relacionando-o à pessoa do discurso.
∗ Ex: Paulo sorriu. Finalmente as coisas tomavam o
rumo que ele desejava.
∗ Substituindo ou acompanhando o substantivo, o
pronome indica a pessoa do discurso (pessoa
gramatical):
∗ Eu (nós): primeira pessoa (a pessoa que fala)
∗ Tu (vós): segunda pessoa (a pessoa com quem se
fala)
∗ Ele (a) (s): terceira pessoa (a pessoa de quem se fala)
5. PRONOME
∗ Pronomes Pessoais: substituem os substantivos,
indicando as pessoas do discurso. São eles: retos,
oblíquos e de tratamento.
∗ Pronomes pessoais do caso reto: eu, tu, ele (a),
nós, vós, eles (as).
∗ Pronomes pessoais do caso oblíquo:
∗ Me, mim, comigo
∗ Te, ti, contigo
∗ O, a, lhe, se, si, consigo
∗ Nos, conosco
∗ Vos, convosco
∗ Os, as, lhes, se, si, consigo
Classificação do pronome
∗ Os pronomes o, a, os, as adquirem as seguintes
formas:
∗ Lo, la, los, las, quando associados a verbos
terminados em r, s ou z:
∗ Encontra(r) + o = encontrá-lo
∗ Encontramo(s) + o = encontramo-lo
∗ Fe(z) + as = fê-las
∗ No, na, nos, nas, quando associados a verbos
terminados em som nasal:
∗ Encontraram + o = encontraram-no
∗ põe + as = põe-nas
Formas pronominais
∗ Os pronomes pessoais de tratamento representam a
forma de se tratar as pessoas, trato cortês
(cerimonioso) ou informal (íntimo). Os mais usados
são:
∗ Você: v. Pessoas familiares, íntimas
∗ Senhor, Senhora: Sr. Srª. Pessoas com as quais se
mantém um certo distanciamento respeitoso
∗ Vossa Senhoria: V. Sª. Pessoas de cerimônia,
principalmente em textos escritos como
correspondências comerciais, ofícios, requerimentos
etc.
∗ Vossa Excelência: V. Exª. Altas autoridades:
presidente da República, senadores, deputados,
embaixadores etc.
∗ Vossa Eminência: V. Emª. Cardeais
∗ Vossa Alteza: V. A. Príncipes e duques
Pronomes pessoais de tratamento
∗ Vossa Santidade: V. S. O Papa
∗ Vossa Reverendíssima: V. Vermª. Sacerdotes e
religiosos em geral
∗ Vossa Paternidade: V. P. Superiores de ordens
religiosas
∗ Vossa Magnificência: V. Magª. Reitores de
universidades
∗ Vossa Majestade: V. M. Reis e rainhas
Continuação...
∗ São palavras que, ao indicarem a pessoa gramatical
(possuidor), acrescentam a ela a ideia de posse de algo
(coisa possuída):
∗ Eu reagi quando tocaram no meu braço.
∗ São eles:
∗ Meu, minha, meus, minhas
∗ Teu, tua, teus, tuas
∗ Seu, sua, seus, suas
∗ Nosso, nossa, nossos, nossas
∗ Vosso, vossa, vossos, vossas
∗ Seu, sua, seus, suas
Pronomes Possessivos
∗ São palavras que indicam, no espaço ou no tempo, a
posição de um ser em relação às pessoas do
discurso.
∗ Posição no espaço:
∗ Este caderno é meu.
∗ Este: indica que o caderno está próximo da pessoa
que fala.
∗ Esse caderno aí é teu.
∗ Esse: indica que o caderno está próximo da pessoa
que ouve.
∗ Não sabemos de quem é aquele caderno lá.
∗ Aquele: indica o caderno distante de ambas as
pessoas.
Pronomes demonstrativos
∗ Posição no tempo
∗ Este ano está sendo bom para nós.
∗ Este: referindo-se ao ano presente
∗ Esse ano que passou foi razoável.
∗ Esse: referindo-se a um passado próximo
∗ Aquele ano foi terrível para todos nós.
∗ Aquele: referindo-se a um passado distante.
Continuação...
∗ São palavras que se referem à 3ª pessoa do discurso, dando-
lhe sentido vago (impreciso) ou expressando quantidade
indeterminada.
∗ Ex: Alguém está chegando. (Alguém refere-se à 3ª pessoa
sem identificá-la).
∗ Compareceram muitos pais à reunião. (Muitos refere-se à 3ª
pessoa sem determinar o número exato).
∗ Algum, alguma, alguns, algumas, algo
∗ Nenhum, nenhuma, nenhuns, nenhumas, alguém
∗ Todo, toda, todos, todas, nada
∗ Muito, muita, muitos, muitas, ninguém
∗ Pouco, pouca, poucos, poucas, tudo
∗ Certo, certa, certos, certas, cada
Pronomes indefinidos
∗ Outro, outra, outros, outras, outrem
∗ Quanto, quanta, quantos, quantas, quem
∗ Tanto, tanta, tantos, tantas, mais
∗ Vário, vária, vários, várias, menos
∗ Diverso, diversa, diversos, diversas, demais
∗ Um, uma, uns, umas
∗ Qual, quais
∗ Bastante, bastantes
Continuação...
∗ São locuções pronominais indefinidas duas ou mais
palavras que equivalem a um pronome indefinido.
∗ Exemplos:
∗ Apenas uma ou outra pessoa parava para ver o
espetáculo.
∗ Qualquer um poderá participar do concurso.
Locuções Pronominais
∗ Algumas locuções pronominais indefinidas:
∗ Cada qual
∗ Cada um
∗ Quem quer que seja
∗ Seja quem for
∗ Qualquer um
∗ Todo aquele que
∗ Tal e qual
Continuação...
∗ São aqueles usados na formulação de uma pergunta
direta ou indireta. Assim como os indefinidos,
referem-se à 3ª pessoa do discurso:
∗ Que dia é hoje? (interrogativa direta)
∗ Diga-me que dia é hoje.(interrogativa indireta)
∗ Quem fez isso? (interrogativa direta)
∗ Não sei quem fez isso. (interrogativa indireta)
∗ Pronomes Interrogativos:
∗ Que, quem, qual (e variação), quanto ( e variação).
Pronomes Interrogativos
São aqueles que representam nomes já mencionados
anteriormente e com os quais se relacionam.
O nome mencionado anteriormente é o antecedente do
pronome.
∗Os livros que estou lendo são muito bons.
Livros é o termo antecedente e que é o pronome relativo
∗O sobrado onde morava fora deixado pelo avô.
∗Sobrado é o termo antecedente e onde é o pronome relativo.
∗Pronomes relativos variáveis:
O qual, a qual os quais, as quais
Cujo, cuja, cujos, cujas
Quanto, quanta, quantos, quantas
∗Pronomes relativos invariáveis:
Que, quem, onde
Pronomes Relativos
∗ Pronome Substantivo é aquele que substitui o
substantivo ao qual se refere.
∗ Pronome Adjetivo é aquele que acompanha o
substantivo com o qual se relaciona.
∗ Exemplo:
∗ Alguns alunos estudam o suficiente, outros (alunos)
não.
∗ Alguns = pronome adjetivo
∗ Outros = pronome substantivo
Pronome Substantivo e Pronome
Adjetivo
∗ Quando se pratica uma ação, a palavra que representa essa
ação, indicando o momento em que ela ocorre, é o Verbo.
Eu escrevo com rapidez.
Escrevo = ação presente
∗ Uma ideia de estado também pode ser localizada no tempo
por meio de um verbo.
Os alunos estavam preocupados.
Estavam = estado passado
∗ Uma ação ocorrida num determinado tempo também pode
constituir-se num fenômeno da natureza expresso por um
verbo.
Naquela noite trovejou muito.
Trovejou = ação passada, fenômeno da natureza
∗ Verbo é a palavra que expressa ação, estado e fenômeno da
natureza situados no tempo.
6. VERBO
∗ Na Língua Portuguesa, três vogais antecedem o
“r” na terminação do infinitivo: a – e – i. Essas
vogais caracterizam a conjugação do verbo. São
três as conjugações em que se agrupam os verbos:
∗ 1ª conjugação: AR
∗ CANTAR, ARRUMAR
∗ 2ª conjugação: ER
∗ PODER, VENDER
∗ 3ª conjugação: IR
∗ PEDIR, SENTIR
Conjugações do verbo
∗ Há duas partes principais que formam os verbos:
RADICAL e TERMINAÇÕES (desinências, vogais
temáticas).
AMAR: am= RADICAL
ar= TERMINAÇÕES (a= vogal temática, r=
desinência)
Flexão do verbo
∗ O verbo varia em pessoa e número:
∗ SINGULAR:
∗ 1ª eu amo
∗ 2ª tu amas
∗ 3ª ele/ela ama
∗ PLURAL
∗ 1ª nós amamos
∗ 2ª vós amais
∗ 3ª eles/elas amam
Pessoa e número
∗ Tempo: o fato expresso pelo verbo aparece sempre
situado nos tempos:
∗ Presente: O garoto estuda.
∗ Pretérito perfeito: O garoto estudou.
∗ Pretérito imperfeito: O garoto estudava.
∗ Pretérito mais-que-perfeito: O garoto estudara.
∗ Futuro do presente: O garoto estudará.
∗ Futuro do pretérito: O garoto estudaria, se tivesse
condições.
Tempo e Modo
∗ Além de o fato estar situado no tempo, ele também pode
indicar CERTEZA, DÚVIDA, ORDEM.
∗ Fato certo: Marcos estuda todos os dias.
∗ Fato duvidoso: Se Marcos estudasse...
∗ Ordem: Estude, Marcos!
∗ As indicações de certeza, dúvida e ordem são determinadas
pelos modos verbais:
∗ Modo Indicativo: exprime certeza.
∗ Modo Subjuntivo: exprime dúvida.
∗ Modo Imperativo: exprime ordem, conselho ou pedido.
Continuação
Tempos do Indicativo...
∗ Presente:
∗ Que eu ame, que tu ames, que ele ame,
∗ Que nós amemos, que vós ameis, que eles amem
∗ Pretérito imperfeito:
∗ Se eu amasse, se tu amasses, se ele amasse,
∗ Se nós amássemos, se vós amásseis, se eles amassem
∗ Futuro:
∗ Quando eu amar, quando tu amares, quando ele amar,
∗ Quando nós amarmos, quando vós amardes, quando eles
amarem
Tempos do modo Subjuntivo ...
∗ Ao indicar ordem, conselho, pedido, o fato verbal
pode expressar afirmação ou negação. Portanto,
são duas as formas verbais no imperativo:
∗ Imperativo afirmativo: Cantem mais alto!
∗ Imperativo negativo: Não cantem alto!
Modo Imperativo
∗ O Imperativo afirmativo é constituído da seguinte
forma:
∗ Presente do subjuntivo, com exceção da 2ª pessoa do
singular e do plural que são retiradas do presente
indicativo, sem o “s”:
∗ Canta, cante,
∗ Cantemos, cantai, cantem
∗ O Imperativo negativo é formado do presente do
subjuntivo:
∗ Não cantes, não cante,
∗ Não cantemos, não canteis, não cantem
Dicas...
∗ Os verbos possuem formas que são nominais. São
nominais porque por si só elas não expressam nem
o tempo nem o modo verbal. Também, em alguns
contextos, assumem a função de substantivos,
adjetivos ou verbos.
∗ O jantar está preparado.
∗ Jantar = substantivo
∗ Eu vou jantar.
∗ Jantar = verbo
∗ Ela está preparada para a festa.
∗ Preparada = adjetivo
∗ Ela havia preparado o jantar.
∗ Preparado = verbo
Formas Nominais do Verbo
∗ As formas nominais do verbo são três:
∗ Infinitivo: cantar
∗ Gerúndio: cantando
∗ Particípio: cantado
Continuação...
∗ É o conjunto formado por dois ou mais verbos que
expressam uma ideia (um verbo auxiliar + um verbo
principal).
∗ Exemplo:
∗ Você terá de trabalhar muito.
∗ Terá = verbo auxiliar
∗ Trabalhar = verbo principal
Locução verbal
∗ São palavras que indicam as circunstâncias em que
ocorre a ação verbal.
∗ Ontem, fomos ao cinema.
∗ Ontem = circunstância de tempo
∗ As crianças saíram depressa.
∗ Depressa = circunstância de modo
ADVÉRBIO
∗ Tempo: ontem, hoje, amanhã, logo, antes, depois....
∗ Lugar: aqui, ali, lá, perto, longe,...
∗ Modo: bem, mal, assim, depressa, devagar,
suavemente,...
∗ Afirmação: sim, certamente, realmente,...
∗ Negação: não, absolutamente, tampouco.
∗ Dúvida: quiçá, acaso, talvez,...
∗ Intensidade: muito, pouco, mais, menos,...
∗ E outras...
Classificação do advérbio
∗ É o conjunto de duas ou mais palavras com valor de
advérbio.
∗ Exemplos:
∗ De repente, as garotas chegaram.
∗ Márcia saiu às pressas.
∗ Com certeza, vamos participar.
Locução adverbial
∗ É a palavra invariável que liga dois termos. Nessa
ligação, há uma relação de subordinação
(dependência) em que o segundo termo se
subordina ao primeiro.
∗ Ex: Voltei para Campinas ontem.
∗ Voltei = termo regente
para = preposição
Campinas = termo subordinado
A relação se sentido estabelecida entre o termo
regente e o termo subordinado é LUGAR.
PREPOSIÇÃO
∗ Preposições essenciais (aquelas que sempre foram
preposições):
∗ A, ante, após, até, com, contra, de, desde, em, entre,
para, per, perante, por, sem, sob, sobre, trás.
∗ Preposições acidentais (aquelas que passam a ser
preposições, mas são provenientes de outras classes
gramaticais):
∗ Conforme, consoante, segundo, durante, mediante,
como, salvo, fora, que etc.
Continuação...
∗ Principais relações estabelecidas pela preposição:
∗ Autoria: Música de Caetano Veloso.
∗ Lugar: Estava na escola.
∗ Tempo: Dormi desde às dez horas.
∗ Modo: Chegar aos gritos.
∗ Causa: morreu de medo.
∗ Assunto: Falamos sobre economia.
Continuação...
∗ Finalidade: Estudou para passar de ano.
∗ Instrumento: Escreveu a lápis.
∗ Companhia: Saiu com os amigos.
∗ Meio: Viajou de trem.
∗ Matéria: Casa de madeira.
∗ Posse: Festa do João.
∗ Oposição: O São Paulo jogou contra o Flamengo.
Continuação...
∗ Conteúdo: Copo de vinho.
∗ Preço: Vendeu a prazo.
∗ Origem: Descende de família humilde.
∗ Destino: Ir a Roma.
∗ Distância: Fica a duas quadras daqui.
∗ Limite: Vá até a escola.
Continuação...
∗ É o conjunto de duas ou mais palavras com valor de
preposição.
∗ Ex: Não estou a par do assunto.
∗ Principais locuções prepositivas:
∗ Abaixo de além de acerca de
∗ Acima de antes de a par de
∗ A fim de diante de depois de
∗ Apesar de graças a junto a
∗ Ao invés de diante de em via de
∗ Em vez de junto de
∗ Defronte de através de
∗ De encontro a em frente de
∗ Sob pena de a respeito de
Locução Prepositiva
∗ Combinação: quando a preposição não sofre perda
e fonema.
∗ Fomos ao teatro.
∗ Contração : quando a preposição sofre perda de
fonema.
∗ Festa da Marcela.
∗ Da = de + a (preposição “de” + artigo “a”).
Combinação e Contração
∗ É a palavra que liga duas orações ou dois termos
semelhantes de uma mesma oração.
∗ Ex: O mascate juntou a mercadoria e fugiu quando
viu os fiscais.
∗ Meu amigo tinha aquele jeito fraco, mas era muito
forte.
CONJUNÇÃO
∗ Coordenativas: ligam orações independentes.
∗ Ex: Os filhos reuniram os familiares e fizeram uma
festa para os pais.
∗ As orações são independentes, isto é, uma não
depende de nenhum termo da outra.
∗ Os filhos reuniram os familiares.
∗ Os filhos fizeram uma festa para os pais.
Classificação das Conjunções
∗ Subordinativas: ligam orações dependentes.
∗ Ex: Acho que virei.
∗ A segunda oração depende de um termo da
primeira oração. Não possuindo sentido completo,
o verbo ACHO tem a segunda oração como seu
complemento. A segunda oração depende,
portanto, de um termo da primeira.
Continuação...
∗ Aditivas: exprimem ideia de adição.
∗ São elas: e, nem, mas também etc.
∗ Ex: Marcos trabalha, mas também estuda.
∗ Adversativas: exprimem ideia de oposição.
∗ São elas: mas, porém, todavia, contudo,
entretanto etc.
∗ Ex: A peça foi boa, mas não agradou a todos.
Conjunções Coordenativas
∗ Alternativas: exprimem ideia de alternância,
escolha.
São elas: ou, ou...ou, ora...ora, já...já, seja...seja etc.
Ex: A criança ora chora, ora ri.
∗ Explicativas: exprimem ideia de explicação, razão,
motivo.
São elas: que, porque, porquanto, pois (anteposta
ao verbo).
Ex: Chegue logo, pois haverá reunião.
Proteja-se, porque vai chover.
Continuação...
∗ Conclusivas: exprimem ideia de conclusão.
São elas: logo, portanto, por isso, por conseguinte,
pois (posposto o verbo).
Ex: As leis são importantes, respeite-as, pois.
Estudaram muito, logo irão bem nas provas.
Continuação...
∗ Conjunções Subordinativas: classificam-se em:
∗ Temporais: introduzem orações que exprimem ideia
de tempo. São elas: quando, enquanto, logo que,
depois que, antes que, sempre que, desde que, até
que, assim que etc.
∗ Ex: Assim que tocou o sinal, os alunos saíram da
classe.
Continuação...
∗ Causais: introduzem orações que dão ideia de causa.
São elas: porque, que, porquanto, já que, visto que,
uma vez que, como (no início da frase), desde que
etc.
∗ Ex: Como estivesse doente, não apareceu na aula.
∗ Condicionais: introduzem orações que exprimem
condição, hipótese. São elas: se, caso, salvo se,
contanto que, a não ser que etc.
∗ Ex: Se você em ajudar, eu participarei da atividade.
Continuação...
∗ Proporcionais: introduzem orações que exprimem
concomitância, simultaneidade. São elas: à
proporção que, à medida que, ao passo que, quanto
mais, quanto menos etc.
∗ Ex: Nosso trabalho aumenta à medida que
encontramos novos clientes.
∗ Finais: introduzem orações que exprimem
finalidade. São elas: para que, a fim de que etc.
∗ Ex: Coloquei o livro em lugar bem visível, a fim de
que possa encontrá-lo facilmente.
Continuação...
∗ Consecutivas: introduzem orações que exprimem
consequência. São elas: que (precedido de tal, tão,
tanto, tamanho), de modo que, sem que, de sorte
que etc.
∗ Ex: O calor era tão intenso, de modo que o asfalto
amoleceu..
∗ Concessivas: introduzem orações que exprimem um
certo sentido de contrariedade. São elas: embora,
conquanto que, ainda que, mesmo que etc.
∗ Ex: Embora estivesse doente, foi à escola.
Continuação...
∗ Comparativas: introduzem orações que exprimem o
segundo elemento de uma comparação. São elas:
como, assim como, que ou do que (precedidos de
mais, menos, maior, menor, melhor, pior) etc.
∗ Ex: João é mais esforçado que Marcos.
∗ Conformativas: introduzem orações que exprimem
conformidade de um fato com outro. São elas:
conforme, segundo, consoante etc.
∗ Ex: Elaboramos a aula, conforme o coordenador
solicitou.
Continuação...
∗ Integrantes: introduzem orações que equivalem a
substantivos. São elas: que, se.
∗ Ex: Desejo que ela participe. (Desejo sua
participação.)
∗ Não sei se ele virá. (Não sei de sua vinda.)
∗ Observação: São chamadas de locuções conjuntivas
as conjunções representadas por duas ou mais
palavras. Ex:
à proporção que, desde que etc.
Continuação...
∗ São palavras que expressam surpresa,
alegria, aplauso, emoções, admiração.
∗ Ex: Ah! Que alegria!
∗Ih! Que encrenca!
INTERJEIÇÃO
∗ As interjeições se classificam de acordo com as emoções ou
sentimentos:
∗ Aclamação: Viva!
∗ Advertência: Atenção! Cuidado!
∗ Agradecimento: Obrigado!
∗ Afugentamento: Fora! Sai!
∗ Alegria: Ah! Oba! Viva!
∗ Alívio: Ah! Ufa!
∗ Animação: Coragem!
∗ Apelo, pedido: Socorro!
∗ Aplauso: Bravo! Parabéns!
∗ Aversão: Credo!
∗ Cessação: Basta!
∗ Concordância: Claro! Sim!
Classificação das interjeições
∗ Desacordo: Barbaridade!
∗ Desapontamento: Ué!
∗ Desejo: Oh!
∗ Dor: Ai!
∗ Espanto, admiração: Ah! Caramba!
∗ Impaciência: Puxa!
∗ Pena: Coitado!
∗ Reprovação: Francamente!
∗ Satisfação: Oba!
∗ Saudação: Oi!
∗ Silêncio: Silêncio Psiu!
∗ Terror: Uh! Ui!
Continuação...

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Morfologia - Classes Gramaticais
Morfologia - Classes GramaticaisMorfologia - Classes Gramaticais
Morfologia - Classes Gramaticais
 
Concordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adrianaConcordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adriana
 
Substantivo
SubstantivoSubstantivo
Substantivo
 
Slide pronomes
Slide  pronomesSlide  pronomes
Slide pronomes
 
Verbos
VerbosVerbos
Verbos
 
Verbete teoria
Verbete teoriaVerbete teoria
Verbete teoria
 
Aposto e vocativo
Aposto e vocativoAposto e vocativo
Aposto e vocativo
 
Flexão e grau do substantivo
Flexão e grau do substantivoFlexão e grau do substantivo
Flexão e grau do substantivo
 
Acentuacao
AcentuacaoAcentuacao
Acentuacao
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Aposto e vocativo
Aposto e vocativoAposto e vocativo
Aposto e vocativo
 
Adjetivos
AdjetivosAdjetivos
Adjetivos
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
 
Ortografia
OrtografiaOrtografia
Ortografia
 
Conectivos
ConectivosConectivos
Conectivos
 
Adjunto Adnominal
Adjunto AdnominalAdjunto Adnominal
Adjunto Adnominal
 
Slides aula verbos
Slides   aula verbosSlides   aula verbos
Slides aula verbos
 
Substantivo 6
Substantivo 6Substantivo 6
Substantivo 6
 
Figuras de linguagem slide
Figuras de linguagem   slideFiguras de linguagem   slide
Figuras de linguagem slide
 
Crase
CraseCrase
Crase
 

Destaque

Seminar IM. Presentation week 5.
Seminar IM. Presentation week 5.Seminar IM. Presentation week 5.
Seminar IM. Presentation week 5.J Au
 
Cronograma março
Cronograma marçoCronograma março
Cronograma marçoProfessor
 
Michael Wenzel Component Engineer
Michael Wenzel Component EngineerMichael Wenzel Component Engineer
Michael Wenzel Component Engineerfolsom17
 
Faculdade betesda-curso-de-teologia-in termediario-modulo-09
Faculdade betesda-curso-de-teologia-in termediario-modulo-09Faculdade betesda-curso-de-teologia-in termediario-modulo-09
Faculdade betesda-curso-de-teologia-in termediario-modulo-09Giuliano Alves Santana
 
Metalinguagem greco latina [v2]
Metalinguagem greco latina [v2]Metalinguagem greco latina [v2]
Metalinguagem greco latina [v2]MarliQLeite
 
FreshGrade Four Page Brochure
FreshGrade Four Page BrochureFreshGrade Four Page Brochure
FreshGrade Four Page BrochureFreshGrade
 
Gramática - Sujeito e Predicado
Gramática - Sujeito e PredicadoGramática - Sujeito e Predicado
Gramática - Sujeito e PredicadoMentor Concursos
 
Mk2. perkembangan sejarah keperawatan
Mk2. perkembangan sejarah keperawatanMk2. perkembangan sejarah keperawatan
Mk2. perkembangan sejarah keperawatanocto zulkarnain
 
Poesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - ResumoPoesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - ResumoGijasilvelitz 2
 
Lensen products introduction
Lensen products introductionLensen products introduction
Lensen products introductionSunny Chou
 

Destaque (20)

Guia prático da nova ortografia
Guia prático da nova ortografiaGuia prático da nova ortografia
Guia prático da nova ortografia
 
BPowers
BPowersBPowers
BPowers
 
Seminar IM. Presentation week 5.
Seminar IM. Presentation week 5.Seminar IM. Presentation week 5.
Seminar IM. Presentation week 5.
 
Alifia tugas
Alifia tugasAlifia tugas
Alifia tugas
 
Cronograma março
Cronograma marçoCronograma março
Cronograma março
 
Michael Wenzel Component Engineer
Michael Wenzel Component EngineerMichael Wenzel Component Engineer
Michael Wenzel Component Engineer
 
Material álcool e drogas
Material álcool e drogasMaterial álcool e drogas
Material álcool e drogas
 
Faculdade betesda-curso-de-teologia-in termediario-modulo-09
Faculdade betesda-curso-de-teologia-in termediario-modulo-09Faculdade betesda-curso-de-teologia-in termediario-modulo-09
Faculdade betesda-curso-de-teologia-in termediario-modulo-09
 
Template 2-customer 3333
Template 2-customer   3333Template 2-customer   3333
Template 2-customer 3333
 
Metalinguagem greco latina [v2]
Metalinguagem greco latina [v2]Metalinguagem greco latina [v2]
Metalinguagem greco latina [v2]
 
FreshGrade Four Page Brochure
FreshGrade Four Page BrochureFreshGrade Four Page Brochure
FreshGrade Four Page Brochure
 
Português completo
Português completoPortuguês completo
Português completo
 
Gramática - Sujeito e Predicado
Gramática - Sujeito e PredicadoGramática - Sujeito e Predicado
Gramática - Sujeito e Predicado
 
Mk2. perkembangan sejarah keperawatan
Mk2. perkembangan sejarah keperawatanMk2. perkembangan sejarah keperawatan
Mk2. perkembangan sejarah keperawatan
 
Ead
EadEad
Ead
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Acentuação com gabarito
Acentuação com gabaritoAcentuação com gabarito
Acentuação com gabarito
 
Poesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - ResumoPoesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - Resumo
 
Ssc chsl
Ssc chslSsc chsl
Ssc chsl
 
Lensen products introduction
Lensen products introductionLensen products introduction
Lensen products introduction
 

Semelhante a Morfologia classes gramaticais

MORFOLOGIA E CLASSES MORFOLOGICAS aula e
MORFOLOGIA E CLASSES MORFOLOGICAS aula eMORFOLOGIA E CLASSES MORFOLOGICAS aula e
MORFOLOGIA E CLASSES MORFOLOGICAS aula eTailsonSantos1
 
1 SLIDESClasses-de-palavras - importantes.pptx
1 SLIDESClasses-de-palavras - importantes.pptx1 SLIDESClasses-de-palavras - importantes.pptx
1 SLIDESClasses-de-palavras - importantes.pptxLauraYouTuber
 
morfologia portuguesa, classes de palavras
morfologia portuguesa, classes de palavrasmorfologia portuguesa, classes de palavras
morfologia portuguesa, classes de palavrasNdilaIrineu
 
Cefet/Coltec Aula 4 Morfologia
Cefet/Coltec Aula 4   MorfologiaCefet/Coltec Aula 4   Morfologia
Cefet/Coltec Aula 4 MorfologiaProfFernandaBraga
 
Plano de aula elizete
Plano de aula elizetePlano de aula elizete
Plano de aula elizetemachadolize
 
Plano de aula elizete
Plano de aula elizetePlano de aula elizete
Plano de aula elizetemachadolize
 
CLASSES GRAMATICAIS.pptx
CLASSES GRAMATICAIS.pptxCLASSES GRAMATICAIS.pptx
CLASSES GRAMATICAIS.pptxJosimarElias1
 
Aula 3 - Gramática Normativa: Pronome I
Aula 3 - Gramática Normativa: Pronome IAula 3 - Gramática Normativa: Pronome I
Aula 3 - Gramática Normativa: Pronome ITio Hatiro
 
7 estude-o-uso-dos-pronomes-faça-o-download-do-anexo-07
7 estude-o-uso-dos-pronomes-faça-o-download-do-anexo-077 estude-o-uso-dos-pronomes-faça-o-download-do-anexo-07
7 estude-o-uso-dos-pronomes-faça-o-download-do-anexo-07marcelestevao
 
Morfologia.pdf
Morfologia.pdfMorfologia.pdf
Morfologia.pdfJoana Lapa
 
Apresentação1 pronomes
Apresentação1 pronomesApresentação1 pronomes
Apresentação1 pronomesRquel las
 
Emprego de pronomes[1] - layout
Emprego de pronomes[1] - layoutEmprego de pronomes[1] - layout
Emprego de pronomes[1] - layoutRenato Rodrigues
 
Tabelas.pronomes demonstrativos e etc
Tabelas.pronomes demonstrativos e etcTabelas.pronomes demonstrativos e etc
Tabelas.pronomes demonstrativos e etcAndrea Perazzo
 

Semelhante a Morfologia classes gramaticais (20)

Cd0 b14d2583d94beeefd
Cd0 b14d2583d94beeefdCd0 b14d2583d94beeefd
Cd0 b14d2583d94beeefd
 
MORFOLOGIA E CLASSES MORFOLOGICAS aula e
MORFOLOGIA E CLASSES MORFOLOGICAS aula eMORFOLOGIA E CLASSES MORFOLOGICAS aula e
MORFOLOGIA E CLASSES MORFOLOGICAS aula e
 
1 SLIDESClasses-de-palavras - importantes.pptx
1 SLIDESClasses-de-palavras - importantes.pptx1 SLIDESClasses-de-palavras - importantes.pptx
1 SLIDESClasses-de-palavras - importantes.pptx
 
Classes-de-palavras.pptx
Classes-de-palavras.pptxClasses-de-palavras.pptx
Classes-de-palavras.pptx
 
Intensivo Aula 4 morfologia
Intensivo  Aula 4   morfologiaIntensivo  Aula 4   morfologia
Intensivo Aula 4 morfologia
 
morfologia portuguesa, classes de palavras
morfologia portuguesa, classes de palavrasmorfologia portuguesa, classes de palavras
morfologia portuguesa, classes de palavras
 
Cefet/Coltec Aula 4 Morfologia
Cefet/Coltec Aula 4   MorfologiaCefet/Coltec Aula 4   Morfologia
Cefet/Coltec Aula 4 Morfologia
 
Plano de aula elizete
Plano de aula elizetePlano de aula elizete
Plano de aula elizete
 
Plano de aula elizete
Plano de aula elizetePlano de aula elizete
Plano de aula elizete
 
Pronomes marlos
Pronomes marlosPronomes marlos
Pronomes marlos
 
Pronomes
Pronomes Pronomes
Pronomes
 
CLASSES GRAMATICAIS.pptx
CLASSES GRAMATICAIS.pptxCLASSES GRAMATICAIS.pptx
CLASSES GRAMATICAIS.pptx
 
Pronomes - Prof. Ana Glades
Pronomes - Prof. Ana GladesPronomes - Prof. Ana Glades
Pronomes - Prof. Ana Glades
 
Pronome
PronomePronome
Pronome
 
Aula 3 - Gramática Normativa: Pronome I
Aula 3 - Gramática Normativa: Pronome IAula 3 - Gramática Normativa: Pronome I
Aula 3 - Gramática Normativa: Pronome I
 
7 estude-o-uso-dos-pronomes-faça-o-download-do-anexo-07
7 estude-o-uso-dos-pronomes-faça-o-download-do-anexo-077 estude-o-uso-dos-pronomes-faça-o-download-do-anexo-07
7 estude-o-uso-dos-pronomes-faça-o-download-do-anexo-07
 
Morfologia.pdf
Morfologia.pdfMorfologia.pdf
Morfologia.pdf
 
Apresentação1 pronomes
Apresentação1 pronomesApresentação1 pronomes
Apresentação1 pronomes
 
Emprego de pronomes[1] - layout
Emprego de pronomes[1] - layoutEmprego de pronomes[1] - layout
Emprego de pronomes[1] - layout
 
Tabelas.pronomes demonstrativos e etc
Tabelas.pronomes demonstrativos e etcTabelas.pronomes demonstrativos e etc
Tabelas.pronomes demonstrativos e etc
 

Mais de Pastor Juscelino Freitas

Ser criança é bom de mais. ser adulto é muito melhor
Ser criança é bom de mais. ser adulto é muito melhorSer criança é bom de mais. ser adulto é muito melhor
Ser criança é bom de mais. ser adulto é muito melhorPastor Juscelino Freitas
 
As características do Obreiro Coluna na igreja
As características do Obreiro Coluna na igrejaAs características do Obreiro Coluna na igreja
As características do Obreiro Coluna na igrejaPastor Juscelino Freitas
 
Culto de ação de graça... juscelino e edilene
Culto de ação de graça... juscelino e edileneCulto de ação de graça... juscelino e edilene
Culto de ação de graça... juscelino e edilenePastor Juscelino Freitas
 

Mais de Pastor Juscelino Freitas (20)

O verdadeiro arrependimento
O verdadeiro arrependimentoO verdadeiro arrependimento
O verdadeiro arrependimento
 
Ser criança é bom de mais. ser adulto é muito melhor
Ser criança é bom de mais. ser adulto é muito melhorSer criança é bom de mais. ser adulto é muito melhor
Ser criança é bom de mais. ser adulto é muito melhor
 
Curso Lealdade e Deslealdade
Curso Lealdade e DeslealdadeCurso Lealdade e Deslealdade
Curso Lealdade e Deslealdade
 
Que é uma liderança
Que é uma liderançaQue é uma liderança
Que é uma liderança
 
As características do Obreiro Coluna na igreja
As características do Obreiro Coluna na igrejaAs características do Obreiro Coluna na igreja
As características do Obreiro Coluna na igreja
 
Conselhos simples para ser um Bom Obreiro
Conselhos simples para ser um Bom ObreiroConselhos simples para ser um Bom Obreiro
Conselhos simples para ser um Bom Obreiro
 
Psicologia pastoral
Psicologia pastoralPsicologia pastoral
Psicologia pastoral
 
Interpretação bíblica método oica
Interpretação bíblica   método oicaInterpretação bíblica   método oica
Interpretação bíblica método oica
 
As crises dentro da familia
As crises dentro da familiaAs crises dentro da familia
As crises dentro da familia
 
I seminário para jovens 2017
I seminário para jovens 2017I seminário para jovens 2017
I seminário para jovens 2017
 
Panorama do novo e antigo testamento
Panorama do novo e antigo testamentoPanorama do novo e antigo testamento
Panorama do novo e antigo testamento
 
Figuras de linguagem biblica
Figuras de linguagem biblicaFiguras de linguagem biblica
Figuras de linguagem biblica
 
Material composição da bíblia
Material composição da bíbliaMaterial composição da bíblia
Material composição da bíblia
 
Hermeneutica bíblica cópia
Hermeneutica bíblica   cópiaHermeneutica bíblica   cópia
Hermeneutica bíblica cópia
 
Como interpretar a bíblia
Como interpretar a bíbliaComo interpretar a bíblia
Como interpretar a bíblia
 
Culto de ação de graça... juscelino e edilene
Culto de ação de graça... juscelino e edileneCulto de ação de graça... juscelino e edilene
Culto de ação de graça... juscelino e edilene
 
Dia internacional da mulher
Dia internacional da mulherDia internacional da mulher
Dia internacional da mulher
 
Secretaria de missões
Secretaria de missõesSecretaria de missões
Secretaria de missões
 
O que é e o que não ebd
O que é e o que não ebdO que é e o que não ebd
O que é e o que não ebd
 
A importancia da ebd
A importancia da ebdA importancia da ebd
A importancia da ebd
 

Último

William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 

Último (20)

William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 

Morfologia classes gramaticais

  • 1. MORFOLOGIA Classes gramaticais Professor Juscelino Freitas Email: juscelinofreitas799@gmail.com
  • 2. ∗ Substantivo é a classe gramatical que nomeia os seres: ∗ Objetos: O avião chegou. ∗ Pessoas: João vai estudar. ∗ Lugares: Moro em Campinas. ∗ Sentimentos: O amor nos engrandece. 1. SUBSTANTIVO
  • 3. ∗ Estados: Todos necessitam de alegria. ∗ Qualidades: A honestidade é essencial. ∗ Ações: A pescaria foi divertida. ∗ Fenômenos da natureza: Chuva é importante. Continuação...
  • 4. ∗ Comum: indica um nome comum a todos os seres da mesma espécie. Ex: casa, homem, cidade, rio. ∗ Coletivos: entre os substantivos comuns encontram- se os “Coletivos”, que, embora estejam no singular, indicam uma multiplicidade da mesma espécie. Ex: Boiada: muitos bois Cardume: muitos peixes Ramalhete: muitas flores Classificação dos substantivos
  • 5. ∗ Próprio: é aquele que particulariza um ser da espécie (pessoas, cidades, estados, países, rios, nomes de animais domésticos e outros): Marcelo, São Paulo, Brasil. ∗ Concreto: indica seres reais ou imaginários, de existência independente de outros seres. Casa (ser real) Bruxa (ser imaginário) ∗ Abstrato: indica seres dependentes de outros seres. ódio trabalho solidão Esses seres existem em função de outros seres: - o ódio é sentido por alguém: sentimento; - o trabalho é realizado por alguém: ação; - a solidão é o estado em que alguém se encontra : estado. Continuação...
  • 6. ∗Primitivo: é aquele que dá origem a outras palavras. Ex: pedra - terra ∗Derivado: é aquele que se forma de outras palavras. Ex: pedreira - terreno Formação dos substantivos
  • 7. ∗ Simples: é aquele formado por um radical. Ex: flor maçã couve ∗ Composto: é aquele formado por mais de um radical. Ex: banana-maçã (composto de banana + maçã) couve-flor ( composto por couve + flor) Continuação...
  • 8. ∗ É a palavra que se antepõe ao substantivo para determiná-lo. ∗ O artigo se classifica em: ∗ Definido: é aquele usado para determinar o substantivo de forma definida (precisa): o, a, os, as. ∗ Ex: O menino foi ao parque. ∗ O menino específico. 2. ARTIGO
  • 9. ∗ Indefinido: é aquele usado para determinar o substantivo de forma indefinida (vaga, imprecisa): um, uma, uns, umas. ∗ Ex: Um menino foi ao parque. ∗ (qualquer menino) Continuação...
  • 10. ∗ É a palavra que caracteriza o substantivo. Exemplos: ∗ O bom homem me ajudou. ∗ A vizinha estava alegre. ∗ O cidadão brasileiro escolheu seu presidente. 3. ADJETIVO
  • 11. ∗ É uma expressão formada com mais de uma palavra e com valor de adjetivo. ∗ Exemplos: ∗ Sapatos sem meias. ∗ Touca de bolinha. ∗ Período da manhã. ∗ Faixa de idade. Locução adjetiva
  • 12. ∗ É a palavra que se refere ao substantivo dando a ideia de número. Exemplos: ∗ Choveu durante quatro semanas. ∗ O terceiro aluno da fila era o mais alto. ∗ Comeu meia maçã. 4. NUMERAL
  • 13. ∗ De acordo com o que indica, o numeral pode ser: ∗ Cardinal: indica uma quantidade determinada de seres: um, dois... ∗ Ordinal: indica a ordem (posição) que o ser ocupa numa série: primeiro, segundo... ∗ Multiplicativo: expressa ideia de multiplicação, indicando quantas vezes a quantidade foi aumentada: dobro, triplo... ∗ Fracionário: expressa ideia de divisão, indicando em quantas partes a quantidade foi dividida: meio, terço... Classificação do Numeral
  • 14. ∗ É a palavra que substitui ou acompanha um substantivo, relacionando-o à pessoa do discurso. ∗ Ex: Paulo sorriu. Finalmente as coisas tomavam o rumo que ele desejava. ∗ Substituindo ou acompanhando o substantivo, o pronome indica a pessoa do discurso (pessoa gramatical): ∗ Eu (nós): primeira pessoa (a pessoa que fala) ∗ Tu (vós): segunda pessoa (a pessoa com quem se fala) ∗ Ele (a) (s): terceira pessoa (a pessoa de quem se fala) 5. PRONOME
  • 15. ∗ Pronomes Pessoais: substituem os substantivos, indicando as pessoas do discurso. São eles: retos, oblíquos e de tratamento. ∗ Pronomes pessoais do caso reto: eu, tu, ele (a), nós, vós, eles (as). ∗ Pronomes pessoais do caso oblíquo: ∗ Me, mim, comigo ∗ Te, ti, contigo ∗ O, a, lhe, se, si, consigo ∗ Nos, conosco ∗ Vos, convosco ∗ Os, as, lhes, se, si, consigo Classificação do pronome
  • 16. ∗ Os pronomes o, a, os, as adquirem as seguintes formas: ∗ Lo, la, los, las, quando associados a verbos terminados em r, s ou z: ∗ Encontra(r) + o = encontrá-lo ∗ Encontramo(s) + o = encontramo-lo ∗ Fe(z) + as = fê-las ∗ No, na, nos, nas, quando associados a verbos terminados em som nasal: ∗ Encontraram + o = encontraram-no ∗ põe + as = põe-nas Formas pronominais
  • 17. ∗ Os pronomes pessoais de tratamento representam a forma de se tratar as pessoas, trato cortês (cerimonioso) ou informal (íntimo). Os mais usados são: ∗ Você: v. Pessoas familiares, íntimas ∗ Senhor, Senhora: Sr. Srª. Pessoas com as quais se mantém um certo distanciamento respeitoso ∗ Vossa Senhoria: V. Sª. Pessoas de cerimônia, principalmente em textos escritos como correspondências comerciais, ofícios, requerimentos etc. ∗ Vossa Excelência: V. Exª. Altas autoridades: presidente da República, senadores, deputados, embaixadores etc. ∗ Vossa Eminência: V. Emª. Cardeais ∗ Vossa Alteza: V. A. Príncipes e duques Pronomes pessoais de tratamento
  • 18. ∗ Vossa Santidade: V. S. O Papa ∗ Vossa Reverendíssima: V. Vermª. Sacerdotes e religiosos em geral ∗ Vossa Paternidade: V. P. Superiores de ordens religiosas ∗ Vossa Magnificência: V. Magª. Reitores de universidades ∗ Vossa Majestade: V. M. Reis e rainhas Continuação...
  • 19. ∗ São palavras que, ao indicarem a pessoa gramatical (possuidor), acrescentam a ela a ideia de posse de algo (coisa possuída): ∗ Eu reagi quando tocaram no meu braço. ∗ São eles: ∗ Meu, minha, meus, minhas ∗ Teu, tua, teus, tuas ∗ Seu, sua, seus, suas ∗ Nosso, nossa, nossos, nossas ∗ Vosso, vossa, vossos, vossas ∗ Seu, sua, seus, suas Pronomes Possessivos
  • 20. ∗ São palavras que indicam, no espaço ou no tempo, a posição de um ser em relação às pessoas do discurso. ∗ Posição no espaço: ∗ Este caderno é meu. ∗ Este: indica que o caderno está próximo da pessoa que fala. ∗ Esse caderno aí é teu. ∗ Esse: indica que o caderno está próximo da pessoa que ouve. ∗ Não sabemos de quem é aquele caderno lá. ∗ Aquele: indica o caderno distante de ambas as pessoas. Pronomes demonstrativos
  • 21. ∗ Posição no tempo ∗ Este ano está sendo bom para nós. ∗ Este: referindo-se ao ano presente ∗ Esse ano que passou foi razoável. ∗ Esse: referindo-se a um passado próximo ∗ Aquele ano foi terrível para todos nós. ∗ Aquele: referindo-se a um passado distante. Continuação...
  • 22. ∗ São palavras que se referem à 3ª pessoa do discurso, dando- lhe sentido vago (impreciso) ou expressando quantidade indeterminada. ∗ Ex: Alguém está chegando. (Alguém refere-se à 3ª pessoa sem identificá-la). ∗ Compareceram muitos pais à reunião. (Muitos refere-se à 3ª pessoa sem determinar o número exato). ∗ Algum, alguma, alguns, algumas, algo ∗ Nenhum, nenhuma, nenhuns, nenhumas, alguém ∗ Todo, toda, todos, todas, nada ∗ Muito, muita, muitos, muitas, ninguém ∗ Pouco, pouca, poucos, poucas, tudo ∗ Certo, certa, certos, certas, cada Pronomes indefinidos
  • 23. ∗ Outro, outra, outros, outras, outrem ∗ Quanto, quanta, quantos, quantas, quem ∗ Tanto, tanta, tantos, tantas, mais ∗ Vário, vária, vários, várias, menos ∗ Diverso, diversa, diversos, diversas, demais ∗ Um, uma, uns, umas ∗ Qual, quais ∗ Bastante, bastantes Continuação...
  • 24. ∗ São locuções pronominais indefinidas duas ou mais palavras que equivalem a um pronome indefinido. ∗ Exemplos: ∗ Apenas uma ou outra pessoa parava para ver o espetáculo. ∗ Qualquer um poderá participar do concurso. Locuções Pronominais
  • 25. ∗ Algumas locuções pronominais indefinidas: ∗ Cada qual ∗ Cada um ∗ Quem quer que seja ∗ Seja quem for ∗ Qualquer um ∗ Todo aquele que ∗ Tal e qual Continuação...
  • 26. ∗ São aqueles usados na formulação de uma pergunta direta ou indireta. Assim como os indefinidos, referem-se à 3ª pessoa do discurso: ∗ Que dia é hoje? (interrogativa direta) ∗ Diga-me que dia é hoje.(interrogativa indireta) ∗ Quem fez isso? (interrogativa direta) ∗ Não sei quem fez isso. (interrogativa indireta) ∗ Pronomes Interrogativos: ∗ Que, quem, qual (e variação), quanto ( e variação). Pronomes Interrogativos
  • 27. São aqueles que representam nomes já mencionados anteriormente e com os quais se relacionam. O nome mencionado anteriormente é o antecedente do pronome. ∗Os livros que estou lendo são muito bons. Livros é o termo antecedente e que é o pronome relativo ∗O sobrado onde morava fora deixado pelo avô. ∗Sobrado é o termo antecedente e onde é o pronome relativo. ∗Pronomes relativos variáveis: O qual, a qual os quais, as quais Cujo, cuja, cujos, cujas Quanto, quanta, quantos, quantas ∗Pronomes relativos invariáveis: Que, quem, onde Pronomes Relativos
  • 28. ∗ Pronome Substantivo é aquele que substitui o substantivo ao qual se refere. ∗ Pronome Adjetivo é aquele que acompanha o substantivo com o qual se relaciona. ∗ Exemplo: ∗ Alguns alunos estudam o suficiente, outros (alunos) não. ∗ Alguns = pronome adjetivo ∗ Outros = pronome substantivo Pronome Substantivo e Pronome Adjetivo
  • 29. ∗ Quando se pratica uma ação, a palavra que representa essa ação, indicando o momento em que ela ocorre, é o Verbo. Eu escrevo com rapidez. Escrevo = ação presente ∗ Uma ideia de estado também pode ser localizada no tempo por meio de um verbo. Os alunos estavam preocupados. Estavam = estado passado ∗ Uma ação ocorrida num determinado tempo também pode constituir-se num fenômeno da natureza expresso por um verbo. Naquela noite trovejou muito. Trovejou = ação passada, fenômeno da natureza ∗ Verbo é a palavra que expressa ação, estado e fenômeno da natureza situados no tempo. 6. VERBO
  • 30. ∗ Na Língua Portuguesa, três vogais antecedem o “r” na terminação do infinitivo: a – e – i. Essas vogais caracterizam a conjugação do verbo. São três as conjugações em que se agrupam os verbos: ∗ 1ª conjugação: AR ∗ CANTAR, ARRUMAR ∗ 2ª conjugação: ER ∗ PODER, VENDER ∗ 3ª conjugação: IR ∗ PEDIR, SENTIR Conjugações do verbo
  • 31. ∗ Há duas partes principais que formam os verbos: RADICAL e TERMINAÇÕES (desinências, vogais temáticas). AMAR: am= RADICAL ar= TERMINAÇÕES (a= vogal temática, r= desinência) Flexão do verbo
  • 32. ∗ O verbo varia em pessoa e número: ∗ SINGULAR: ∗ 1ª eu amo ∗ 2ª tu amas ∗ 3ª ele/ela ama ∗ PLURAL ∗ 1ª nós amamos ∗ 2ª vós amais ∗ 3ª eles/elas amam Pessoa e número
  • 33. ∗ Tempo: o fato expresso pelo verbo aparece sempre situado nos tempos: ∗ Presente: O garoto estuda. ∗ Pretérito perfeito: O garoto estudou. ∗ Pretérito imperfeito: O garoto estudava. ∗ Pretérito mais-que-perfeito: O garoto estudara. ∗ Futuro do presente: O garoto estudará. ∗ Futuro do pretérito: O garoto estudaria, se tivesse condições. Tempo e Modo
  • 34. ∗ Além de o fato estar situado no tempo, ele também pode indicar CERTEZA, DÚVIDA, ORDEM. ∗ Fato certo: Marcos estuda todos os dias. ∗ Fato duvidoso: Se Marcos estudasse... ∗ Ordem: Estude, Marcos! ∗ As indicações de certeza, dúvida e ordem são determinadas pelos modos verbais: ∗ Modo Indicativo: exprime certeza. ∗ Modo Subjuntivo: exprime dúvida. ∗ Modo Imperativo: exprime ordem, conselho ou pedido. Continuação
  • 36. ∗ Presente: ∗ Que eu ame, que tu ames, que ele ame, ∗ Que nós amemos, que vós ameis, que eles amem ∗ Pretérito imperfeito: ∗ Se eu amasse, se tu amasses, se ele amasse, ∗ Se nós amássemos, se vós amásseis, se eles amassem ∗ Futuro: ∗ Quando eu amar, quando tu amares, quando ele amar, ∗ Quando nós amarmos, quando vós amardes, quando eles amarem Tempos do modo Subjuntivo ...
  • 37. ∗ Ao indicar ordem, conselho, pedido, o fato verbal pode expressar afirmação ou negação. Portanto, são duas as formas verbais no imperativo: ∗ Imperativo afirmativo: Cantem mais alto! ∗ Imperativo negativo: Não cantem alto! Modo Imperativo
  • 38. ∗ O Imperativo afirmativo é constituído da seguinte forma: ∗ Presente do subjuntivo, com exceção da 2ª pessoa do singular e do plural que são retiradas do presente indicativo, sem o “s”: ∗ Canta, cante, ∗ Cantemos, cantai, cantem ∗ O Imperativo negativo é formado do presente do subjuntivo: ∗ Não cantes, não cante, ∗ Não cantemos, não canteis, não cantem Dicas...
  • 39. ∗ Os verbos possuem formas que são nominais. São nominais porque por si só elas não expressam nem o tempo nem o modo verbal. Também, em alguns contextos, assumem a função de substantivos, adjetivos ou verbos. ∗ O jantar está preparado. ∗ Jantar = substantivo ∗ Eu vou jantar. ∗ Jantar = verbo ∗ Ela está preparada para a festa. ∗ Preparada = adjetivo ∗ Ela havia preparado o jantar. ∗ Preparado = verbo Formas Nominais do Verbo
  • 40. ∗ As formas nominais do verbo são três: ∗ Infinitivo: cantar ∗ Gerúndio: cantando ∗ Particípio: cantado Continuação...
  • 41. ∗ É o conjunto formado por dois ou mais verbos que expressam uma ideia (um verbo auxiliar + um verbo principal). ∗ Exemplo: ∗ Você terá de trabalhar muito. ∗ Terá = verbo auxiliar ∗ Trabalhar = verbo principal Locução verbal
  • 42. ∗ São palavras que indicam as circunstâncias em que ocorre a ação verbal. ∗ Ontem, fomos ao cinema. ∗ Ontem = circunstância de tempo ∗ As crianças saíram depressa. ∗ Depressa = circunstância de modo ADVÉRBIO
  • 43. ∗ Tempo: ontem, hoje, amanhã, logo, antes, depois.... ∗ Lugar: aqui, ali, lá, perto, longe,... ∗ Modo: bem, mal, assim, depressa, devagar, suavemente,... ∗ Afirmação: sim, certamente, realmente,... ∗ Negação: não, absolutamente, tampouco. ∗ Dúvida: quiçá, acaso, talvez,... ∗ Intensidade: muito, pouco, mais, menos,... ∗ E outras... Classificação do advérbio
  • 44. ∗ É o conjunto de duas ou mais palavras com valor de advérbio. ∗ Exemplos: ∗ De repente, as garotas chegaram. ∗ Márcia saiu às pressas. ∗ Com certeza, vamos participar. Locução adverbial
  • 45. ∗ É a palavra invariável que liga dois termos. Nessa ligação, há uma relação de subordinação (dependência) em que o segundo termo se subordina ao primeiro. ∗ Ex: Voltei para Campinas ontem. ∗ Voltei = termo regente para = preposição Campinas = termo subordinado A relação se sentido estabelecida entre o termo regente e o termo subordinado é LUGAR. PREPOSIÇÃO
  • 46. ∗ Preposições essenciais (aquelas que sempre foram preposições): ∗ A, ante, após, até, com, contra, de, desde, em, entre, para, per, perante, por, sem, sob, sobre, trás. ∗ Preposições acidentais (aquelas que passam a ser preposições, mas são provenientes de outras classes gramaticais): ∗ Conforme, consoante, segundo, durante, mediante, como, salvo, fora, que etc. Continuação...
  • 47. ∗ Principais relações estabelecidas pela preposição: ∗ Autoria: Música de Caetano Veloso. ∗ Lugar: Estava na escola. ∗ Tempo: Dormi desde às dez horas. ∗ Modo: Chegar aos gritos. ∗ Causa: morreu de medo. ∗ Assunto: Falamos sobre economia. Continuação...
  • 48. ∗ Finalidade: Estudou para passar de ano. ∗ Instrumento: Escreveu a lápis. ∗ Companhia: Saiu com os amigos. ∗ Meio: Viajou de trem. ∗ Matéria: Casa de madeira. ∗ Posse: Festa do João. ∗ Oposição: O São Paulo jogou contra o Flamengo. Continuação...
  • 49. ∗ Conteúdo: Copo de vinho. ∗ Preço: Vendeu a prazo. ∗ Origem: Descende de família humilde. ∗ Destino: Ir a Roma. ∗ Distância: Fica a duas quadras daqui. ∗ Limite: Vá até a escola. Continuação...
  • 50. ∗ É o conjunto de duas ou mais palavras com valor de preposição. ∗ Ex: Não estou a par do assunto. ∗ Principais locuções prepositivas: ∗ Abaixo de além de acerca de ∗ Acima de antes de a par de ∗ A fim de diante de depois de ∗ Apesar de graças a junto a ∗ Ao invés de diante de em via de ∗ Em vez de junto de ∗ Defronte de através de ∗ De encontro a em frente de ∗ Sob pena de a respeito de Locução Prepositiva
  • 51. ∗ Combinação: quando a preposição não sofre perda e fonema. ∗ Fomos ao teatro. ∗ Contração : quando a preposição sofre perda de fonema. ∗ Festa da Marcela. ∗ Da = de + a (preposição “de” + artigo “a”). Combinação e Contração
  • 52. ∗ É a palavra que liga duas orações ou dois termos semelhantes de uma mesma oração. ∗ Ex: O mascate juntou a mercadoria e fugiu quando viu os fiscais. ∗ Meu amigo tinha aquele jeito fraco, mas era muito forte. CONJUNÇÃO
  • 53. ∗ Coordenativas: ligam orações independentes. ∗ Ex: Os filhos reuniram os familiares e fizeram uma festa para os pais. ∗ As orações são independentes, isto é, uma não depende de nenhum termo da outra. ∗ Os filhos reuniram os familiares. ∗ Os filhos fizeram uma festa para os pais. Classificação das Conjunções
  • 54. ∗ Subordinativas: ligam orações dependentes. ∗ Ex: Acho que virei. ∗ A segunda oração depende de um termo da primeira oração. Não possuindo sentido completo, o verbo ACHO tem a segunda oração como seu complemento. A segunda oração depende, portanto, de um termo da primeira. Continuação...
  • 55. ∗ Aditivas: exprimem ideia de adição. ∗ São elas: e, nem, mas também etc. ∗ Ex: Marcos trabalha, mas também estuda. ∗ Adversativas: exprimem ideia de oposição. ∗ São elas: mas, porém, todavia, contudo, entretanto etc. ∗ Ex: A peça foi boa, mas não agradou a todos. Conjunções Coordenativas
  • 56. ∗ Alternativas: exprimem ideia de alternância, escolha. São elas: ou, ou...ou, ora...ora, já...já, seja...seja etc. Ex: A criança ora chora, ora ri. ∗ Explicativas: exprimem ideia de explicação, razão, motivo. São elas: que, porque, porquanto, pois (anteposta ao verbo). Ex: Chegue logo, pois haverá reunião. Proteja-se, porque vai chover. Continuação...
  • 57. ∗ Conclusivas: exprimem ideia de conclusão. São elas: logo, portanto, por isso, por conseguinte, pois (posposto o verbo). Ex: As leis são importantes, respeite-as, pois. Estudaram muito, logo irão bem nas provas. Continuação...
  • 58. ∗ Conjunções Subordinativas: classificam-se em: ∗ Temporais: introduzem orações que exprimem ideia de tempo. São elas: quando, enquanto, logo que, depois que, antes que, sempre que, desde que, até que, assim que etc. ∗ Ex: Assim que tocou o sinal, os alunos saíram da classe. Continuação...
  • 59. ∗ Causais: introduzem orações que dão ideia de causa. São elas: porque, que, porquanto, já que, visto que, uma vez que, como (no início da frase), desde que etc. ∗ Ex: Como estivesse doente, não apareceu na aula. ∗ Condicionais: introduzem orações que exprimem condição, hipótese. São elas: se, caso, salvo se, contanto que, a não ser que etc. ∗ Ex: Se você em ajudar, eu participarei da atividade. Continuação...
  • 60. ∗ Proporcionais: introduzem orações que exprimem concomitância, simultaneidade. São elas: à proporção que, à medida que, ao passo que, quanto mais, quanto menos etc. ∗ Ex: Nosso trabalho aumenta à medida que encontramos novos clientes. ∗ Finais: introduzem orações que exprimem finalidade. São elas: para que, a fim de que etc. ∗ Ex: Coloquei o livro em lugar bem visível, a fim de que possa encontrá-lo facilmente. Continuação...
  • 61. ∗ Consecutivas: introduzem orações que exprimem consequência. São elas: que (precedido de tal, tão, tanto, tamanho), de modo que, sem que, de sorte que etc. ∗ Ex: O calor era tão intenso, de modo que o asfalto amoleceu.. ∗ Concessivas: introduzem orações que exprimem um certo sentido de contrariedade. São elas: embora, conquanto que, ainda que, mesmo que etc. ∗ Ex: Embora estivesse doente, foi à escola. Continuação...
  • 62. ∗ Comparativas: introduzem orações que exprimem o segundo elemento de uma comparação. São elas: como, assim como, que ou do que (precedidos de mais, menos, maior, menor, melhor, pior) etc. ∗ Ex: João é mais esforçado que Marcos. ∗ Conformativas: introduzem orações que exprimem conformidade de um fato com outro. São elas: conforme, segundo, consoante etc. ∗ Ex: Elaboramos a aula, conforme o coordenador solicitou. Continuação...
  • 63. ∗ Integrantes: introduzem orações que equivalem a substantivos. São elas: que, se. ∗ Ex: Desejo que ela participe. (Desejo sua participação.) ∗ Não sei se ele virá. (Não sei de sua vinda.) ∗ Observação: São chamadas de locuções conjuntivas as conjunções representadas por duas ou mais palavras. Ex: à proporção que, desde que etc. Continuação...
  • 64. ∗ São palavras que expressam surpresa, alegria, aplauso, emoções, admiração. ∗ Ex: Ah! Que alegria! ∗Ih! Que encrenca! INTERJEIÇÃO
  • 65. ∗ As interjeições se classificam de acordo com as emoções ou sentimentos: ∗ Aclamação: Viva! ∗ Advertência: Atenção! Cuidado! ∗ Agradecimento: Obrigado! ∗ Afugentamento: Fora! Sai! ∗ Alegria: Ah! Oba! Viva! ∗ Alívio: Ah! Ufa! ∗ Animação: Coragem! ∗ Apelo, pedido: Socorro! ∗ Aplauso: Bravo! Parabéns! ∗ Aversão: Credo! ∗ Cessação: Basta! ∗ Concordância: Claro! Sim! Classificação das interjeições
  • 66. ∗ Desacordo: Barbaridade! ∗ Desapontamento: Ué! ∗ Desejo: Oh! ∗ Dor: Ai! ∗ Espanto, admiração: Ah! Caramba! ∗ Impaciência: Puxa! ∗ Pena: Coitado! ∗ Reprovação: Francamente! ∗ Satisfação: Oba! ∗ Saudação: Oi! ∗ Silêncio: Silêncio Psiu! ∗ Terror: Uh! Ui! Continuação...