SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 35
A Peregrinação de Israel
no Deserto até o Sinai
1
Pr. Juscelino Freitas
Email: juscelinofreitas799@gmail.com
2
TEXTO ÁUREO
3
VERDADE PRÁTICA
Os erros e pecados
de Israel servem-nos
de alerta para que
não venhamos a
cometer os mesmos
enganos.
Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
 Analisar a peregrinação de Israel pelo
deserto.
 Saber como foi a chegada e a permanência
no monte Sinai.
 Conscientizar-se de que a idolatria é pecado.
4
OBJETIVOS
5
INTRODUÇÃO
6
INTRODUÇÃO
Estude com afinco as
lições deste trimestre
e jamais siga os
caminhos da
desobediência,
rebeldia e idolatria
trilhados por Israel
no deserto.
7
I. ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO
I. ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO
1. Israel chega a Mara (Êx 15.23).
O povo de Deus estava finalmente
livre dos egípcios e começava sua
caminhada pelo deserto a caminho de
Canaã. Depois da travessia do Mar Vermelho
os israelitas foram conduzidos por
Moisés até o deserto de Sur.
Eles andaram três dias pelo deserto e
as águas que encontraram em Mara
eram impróprias para beber.
I. ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO
1. Israel chega a Mara (Êx 15.23).
1. Após três dias no deserto e não
acharam água(Êx 15.22). “A final
chegaram á Mara, todavia não
puderam beber as águas de Mara,
porque era amarga (Êx 15.23)”.
2. Mara (amarga) se encontrava
cerca de 30 km da costa oriental do
Mar Vermelho.
3. Em razão do solo ser abundante
em soda,a água era salobra e
amargosa.
I. ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO
1. Israel chega a Mara (Êx 15.23).
 Descontente, o povo começou a
murmurar contra Moisés. Na verdade
eles não estavam reclamando de
Moisés, mas de Deus (Êx 16.7,8).
 Muitos podem pensar que estão
reclamando do seu líder, mas na
verdade estão reclamando contra
aquEle que delegou autoridade ao
líder: Deus.
 A murmuração é uma característica
negativa daqueles que não confiam
no Senhor.
I. ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO
1. Israel chega a Mara (Êx 15.23).
 Mara nos ensina que os caminhos que o
Senhor leva o seu povo, pode até ser difícil,
sofrido,duro, porém é a maneira didática
de Deus ensinar os seus filhos que as
experiências difíceis são educativas e não
punitivas (Rm 5.3-5).
 Toda prova é amarga, e todos nós temos o
nosso Mara (1 Pd 4.12-13).O milagre em
Mara se deu quando Deus orientou Moisés
a lançar o lenho nas águas que serviu para
saneá-las. Todo amargo se foi. Isso significa
dizer que Cristo pode tornar doce a nossa
vida (Mt 11.28-30).
I. ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO
1. Israel chega a Mara (Êx 15.23).
 O deserto de Sim, que fica
entre Elim e Sinai (Êx 19.1,2), é
um lugar inóspito, repleto de
areia e pedra, porém um local
perfeito para Deus tratar do seu
povo.
 Diante das dificuldades o povo
volta a murmurar e quer mais
uma vez retornar ao Egito (Êx
16.2,3). Mas Deus é bom e
misericordioso.
I. ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO
2. Rumo ao Sinai (Êx 16.1).
I. - ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO
2. Rumo ao Sinai (Êx 16.1).
I. ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO
2. Rumo ao Sinai (Êx 16.1).
I. ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO
2. Rumo ao Sinai (Êx 16.1).
SINOPSE DO TÓPICO (1)
II. ISRAEL NO MONTE SINAI
II. ISRAEL NO MONTE SINAI
1. O monte Sinai (Êx 19.2).
Todo o livro de Levítico, que trata do
ministério e do culto ao Senhor, teve o
seu desenrolar no acampamento do
Sinai, ao pé do monte.
II. ISRAEL NO MONTE SINAI
1. O monte Sinai (Êx 19.2).
No Sinai tiveram também a revelação:
 A demora decorreu como parte
do julgamento divino dos
pecados de incredulidade,
murmuração, rebelião e desvio
dos israelitas (Dt 2.14,15).
Pr. Moisés Sampaio de Paula 21
II. ISRAEL NO MONTE SINAI
1. O monte Sinai (Êx 19.2).
A distância do Sinai a Canaã é de
quase 500 quilômetros, e seria
percorrida em um curto prazo
pelos israelitas, mas
infelizmente levou 38 anos.
II. ISRAEL NO MONTE SINAI
2. A permanência no Sinai.
II. ISRAEL NO MONTE SINAI
2. A permanência no Sinai.
SINOPSE DO TÓPICO (2)
III. A IDOLATRIA DOS ISRAELITAS
1. O bezerro de ouro (Êx 32.2-6).
2. Cuidado com a idolatria.
3. A idolatria no coração.
 Moisés e Josué subiram ao
monte Sinai para se encontrar
com o Senhor e receber dEle as
tábuas da Lei.
 Ali eles ficaram muitos dias, e o
povo, com pressa em saber
notícias, começou mais uma vez
a reclamar e a especular a causa
da demora de Moisés e Josué.
 Não levou muito tempo para que
uma grande confusão fosse
formada.
III. A IDOLATRIA DOS ISRAELITAS
1. O bezerro de ouro (Êx 32.2-6).
III. A IDOLATRIA DOS ISRAELITAS
1. O bezerro de ouro (Êx 32.2-6).
III. A IDOLATRIA DOS ISRAELITAS
2. Cuidado com a idolatria.
Pense Nisso!
Idolatria não é
somente adorar
a imagens de
escultura.
III. A IDOLATRIA DOS ISRAELITAS
2. Cuidado com a idolatria.
III. A IDOLATRIA DOS ISRAELITAS
Isaías, 45:20 - ... nada sabem os que
conduzem em procissão as suas imagens de
escultura, feitas de madeira, e rogam a um
deus que não pode salvar.
Isaías, 44:18 - Nada sabem, nem entendem;
porque se lhe untaram os olhos, para que não
vejam, e o coração, para que não entendam.
Isaías, 44:20 - Apascenta-se de cinza. O seu
coração enganado o desviou, de maneira que
não pode livrar a sua alma, nem dizer:
Porventura não há uma mentira na minha
mão direita?
2. Cuidado com a idolatria.
 O profeta Ezequiel adverte-nos
sobre isso em 14.2-4,7 do seu
livro.
 O primeiro mandamento do
Eterno em Êxodo 20.3, ordena:
"Não terás outros deuses diante
de mim".
 Israel, antes de ser liberto e
resgatado da escravidão do Egito,
pecou contra o Senhor, adorando
a falsos deuses (Is 24.2,15; Gn
35.2,4).
III. A IDOLATRIA DOS ISRAELITAS
3. A idolatria no coração.
III. A IDOLATRIA DOS ISRAELITAS
3. A idolatria no coração.
SINOPSE DO TÓPICO (3)
Os israelitas, liderados
por Arão, pecaram
deliberadamente
contra Deus ao
fundirem o bezerro de
ouro.
Conclusão

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Daniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.com
Daniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.comDaniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.com
Daniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.comleitemel
 
Aula 7 - Números
Aula 7 - NúmerosAula 7 - Números
Aula 7 - Númerosibrdoamor
 
O livro de deuteronômio
O livro de deuteronômioO livro de deuteronômio
O livro de deuteronômiombrandao7
 
41 Estudo Panorâmico da Bíblia (Levítico)
41   Estudo Panorâmico da Bíblia (Levítico)41   Estudo Panorâmico da Bíblia (Levítico)
41 Estudo Panorâmico da Bíblia (Levítico)Robson Tavares Fernandes
 
14 periodo do cativeiro e a restauracao de juda
14  periodo do cativeiro e a restauracao de juda14  periodo do cativeiro e a restauracao de juda
14 periodo do cativeiro e a restauracao de judaPIB Penha
 
Curso de Geografia Bíblica
Curso de Geografia BíblicaCurso de Geografia Bíblica
Curso de Geografia BíblicaSergio Silva
 
geografia bíblica, hidrografia de israel.
geografia bíblica, hidrografia de israel.geografia bíblica, hidrografia de israel.
geografia bíblica, hidrografia de israel.RODRIGO FERREIRA
 
Panorama do AT - Sofonias
Panorama do AT - SofoniasPanorama do AT - Sofonias
Panorama do AT - SofoniasRespirando Deus
 
"EU NÃO ERA PROFETA, MAS BOIADEIRO, E CULTIVADOR DE FIGOS."
"EU NÃO ERA PROFETA, MAS BOIADEIRO, E CULTIVADOR DE FIGOS.""EU NÃO ERA PROFETA, MAS BOIADEIRO, E CULTIVADOR DE FIGOS."
"EU NÃO ERA PROFETA, MAS BOIADEIRO, E CULTIVADOR DE FIGOS."Marcos Nascimento
 
O Livro de Números
O Livro de NúmerosO Livro de Números
O Livro de NúmerosÉlida Rolim
 
Panorama do AT - Samuel 1 e 2
Panorama do AT - Samuel 1 e 2Panorama do AT - Samuel 1 e 2
Panorama do AT - Samuel 1 e 2Respirando Deus
 

Mais procurados (20)

Daniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.com
Daniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.comDaniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.com
Daniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.com
 
Panorama do AT - Esdras
Panorama do AT - EsdrasPanorama do AT - Esdras
Panorama do AT - Esdras
 
5. O Êxodo: do Egito ao Sinai
5. O Êxodo: do Egito ao Sinai5. O Êxodo: do Egito ao Sinai
5. O Êxodo: do Egito ao Sinai
 
Ezequiel
EzequielEzequiel
Ezequiel
 
Aula 7 - Números
Aula 7 - NúmerosAula 7 - Números
Aula 7 - Números
 
29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías
 
O livro de deuteronômio
O livro de deuteronômioO livro de deuteronômio
O livro de deuteronômio
 
41 Estudo Panorâmico da Bíblia (Levítico)
41   Estudo Panorâmico da Bíblia (Levítico)41   Estudo Panorâmico da Bíblia (Levítico)
41 Estudo Panorâmico da Bíblia (Levítico)
 
Panorama do AT - Josué
Panorama do AT - JosuéPanorama do AT - Josué
Panorama do AT - Josué
 
42. O Profeta Sofonias
42. O Profeta Sofonias42. O Profeta Sofonias
42. O Profeta Sofonias
 
14 periodo do cativeiro e a restauracao de juda
14  periodo do cativeiro e a restauracao de juda14  periodo do cativeiro e a restauracao de juda
14 periodo do cativeiro e a restauracao de juda
 
Curso de Geografia Bíblica
Curso de Geografia BíblicaCurso de Geografia Bíblica
Curso de Geografia Bíblica
 
geografia bíblica, hidrografia de israel.
geografia bíblica, hidrografia de israel.geografia bíblica, hidrografia de israel.
geografia bíblica, hidrografia de israel.
 
Panorama do AT - Sofonias
Panorama do AT - SofoniasPanorama do AT - Sofonias
Panorama do AT - Sofonias
 
38. O Profeta Jonas
38. O Profeta Jonas38. O Profeta Jonas
38. O Profeta Jonas
 
35. O Profeta Joel
35. O Profeta Joel35. O Profeta Joel
35. O Profeta Joel
 
"EU NÃO ERA PROFETA, MAS BOIADEIRO, E CULTIVADOR DE FIGOS."
"EU NÃO ERA PROFETA, MAS BOIADEIRO, E CULTIVADOR DE FIGOS.""EU NÃO ERA PROFETA, MAS BOIADEIRO, E CULTIVADOR DE FIGOS."
"EU NÃO ERA PROFETA, MAS BOIADEIRO, E CULTIVADOR DE FIGOS."
 
O Livro de Números
O Livro de NúmerosO Livro de Números
O Livro de Números
 
Panorama do AT - Samuel 1 e 2
Panorama do AT - Samuel 1 e 2Panorama do AT - Samuel 1 e 2
Panorama do AT - Samuel 1 e 2
 
28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas
 

Destaque

A peregrinação de Israel no deserto até o Sinai
A peregrinação de Israel no deserto até o SinaiA peregrinação de Israel no deserto até o Sinai
A peregrinação de Israel no deserto até o SinaiMoisés Sampaio
 
a peregrinação de Israel no deserto ao Sinai
a peregrinação de Israel no deserto ao Sinaia peregrinação de Israel no deserto ao Sinai
a peregrinação de Israel no deserto ao SinaiAilton da Silva
 
Harold diaz 9 3 san felipe9-a
Harold diaz 9 3 san felipe9-aHarold diaz 9 3 san felipe9-a
Harold diaz 9 3 san felipe9-aharoldgabrieldiaz
 
A Peregrinação de Israel no Deserto até o Sinai
A Peregrinação de Israel no Deserto até o SinaiA Peregrinação de Israel no Deserto até o Sinai
A Peregrinação de Israel no Deserto até o Sinaipralucianaevangelista
 
Lição 6 A Peregrinação de Israel no Deserto até o Sinai
Lição 6   A Peregrinação de Israel no Deserto até o SinaiLição 6   A Peregrinação de Israel no Deserto até o Sinai
Lição 6 A Peregrinação de Israel no Deserto até o SinaiAntonio Fernandes
 
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardoApresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardoProf. Robson Santos
 

Destaque (8)

A peregrinação de Israel no deserto até o Sinai
A peregrinação de Israel no deserto até o SinaiA peregrinação de Israel no deserto até o Sinai
A peregrinação de Israel no deserto até o Sinai
 
a peregrinação de Israel no deserto ao Sinai
a peregrinação de Israel no deserto ao Sinaia peregrinação de Israel no deserto ao Sinai
a peregrinação de Israel no deserto ao Sinai
 
Harold diaz 9 3 san felipe9-a
Harold diaz 9 3 san felipe9-aHarold diaz 9 3 san felipe9-a
Harold diaz 9 3 san felipe9-a
 
A Peregrinação de Israel no Deserto até o Sinai
A Peregrinação de Israel no Deserto até o SinaiA Peregrinação de Israel no Deserto até o Sinai
A Peregrinação de Israel no Deserto até o Sinai
 
O POVO DE DEUS NO DESERTO
O POVO DE DEUS NO DESERTOO POVO DE DEUS NO DESERTO
O POVO DE DEUS NO DESERTO
 
Lição 6 A Peregrinação de Israel no Deserto até o Sinai
Lição 6   A Peregrinação de Israel no Deserto até o SinaiLição 6   A Peregrinação de Israel no Deserto até o Sinai
Lição 6 A Peregrinação de Israel no Deserto até o Sinai
 
4. êxodo
4. êxodo4. êxodo
4. êxodo
 
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardoApresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
 

Semelhante a A peregrinação no deserto

2014 1 tri lição 6 a peregrinação de israel no deserto até o sinai
2014 1 tri lição 6   a peregrinação de israel no deserto até o sinai2014 1 tri lição 6   a peregrinação de israel no deserto até o sinai
2014 1 tri lição 6 a peregrinação de israel no deserto até o sinaiNatalino das Neves Neves
 
Lição 6 (1° 14) a peregrinação de israel no Deserto até o sinai
Lição 6 (1° 14) a peregrinação de israel no Deserto até o sinaiLição 6 (1° 14) a peregrinação de israel no Deserto até o sinai
Lição 6 (1° 14) a peregrinação de israel no Deserto até o sinaiPr. Andre Luiz
 
13 numeros 1 10
13 numeros 1   1013 numeros 1   10
13 numeros 1 10PIB Penha
 
REDESCOBRINDO SUA BIBLIA - NUMEROS
REDESCOBRINDO SUA BIBLIA - NUMEROSREDESCOBRINDO SUA BIBLIA - NUMEROS
REDESCOBRINDO SUA BIBLIA - NUMEROSRubens Luz
 
13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx
13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx
13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptxPIB Penha
 
O Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.com
O Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.comO Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.com
O Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.comleitemel
 
aexpansodoevangelhoforadejerusalm-160402003643.pptx
aexpansodoevangelhoforadejerusalm-160402003643.pptxaexpansodoevangelhoforadejerusalm-160402003643.pptx
aexpansodoevangelhoforadejerusalm-160402003643.pptxTiago Silva
 
Licao 7 - 1T - 2019 - CPAD - 16x9.pptx
Licao 7 - 1T - 2019 - CPAD - 16x9.pptxLicao 7 - 1T - 2019 - CPAD - 16x9.pptx
Licao 7 - 1T - 2019 - CPAD - 16x9.pptxAndreLuizMontanheiro
 
Lição 20230108 O Avivamento no Antigo Testamento.pptx
Lição 20230108 O Avivamento no Antigo Testamento.pptxLição 20230108 O Avivamento no Antigo Testamento.pptx
Lição 20230108 O Avivamento no Antigo Testamento.pptxCelso Napoleon
 

Semelhante a A peregrinação no deserto (20)

2014 1 tri lição 6 a peregrinação de israel no deserto até o sinai
2014 1 tri lição 6   a peregrinação de israel no deserto até o sinai2014 1 tri lição 6   a peregrinação de israel no deserto até o sinai
2014 1 tri lição 6 a peregrinação de israel no deserto até o sinai
 
Lição 6 (1° 14) a peregrinação de israel no Deserto até o sinai
Lição 6 (1° 14) a peregrinação de israel no Deserto até o sinaiLição 6 (1° 14) a peregrinação de israel no Deserto até o sinai
Lição 6 (1° 14) a peregrinação de israel no Deserto até o sinai
 
13 numeros 1 10
13 numeros 1   1013 numeros 1   10
13 numeros 1 10
 
Lição 2 ebd jovens a terra de jesus hoje
Lição 2   ebd jovens a terra de jesus hojeLição 2   ebd jovens a terra de jesus hoje
Lição 2 ebd jovens a terra de jesus hoje
 
3 aula profetas menores
3 aula profetas menores3 aula profetas menores
3 aula profetas menores
 
Hist Mov Wesl 1
Hist Mov Wesl 1Hist Mov Wesl 1
Hist Mov Wesl 1
 
Numeros
NumerosNumeros
Numeros
 
REDESCOBRINDO SUA BIBLIA - NUMEROS
REDESCOBRINDO SUA BIBLIA - NUMEROSREDESCOBRINDO SUA BIBLIA - NUMEROS
REDESCOBRINDO SUA BIBLIA - NUMEROS
 
13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx
13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx
13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx
 
Marcos
MarcosMarcos
Marcos
 
O Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.com
O Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.comO Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.com
O Livro de Êxodo a 1 Samuel Disponível em: www.portadesiao.blogspot.com
 
aexpansodoevangelhoforadejerusalm-160402003643.pptx
aexpansodoevangelhoforadejerusalm-160402003643.pptxaexpansodoevangelhoforadejerusalm-160402003643.pptx
aexpansodoevangelhoforadejerusalm-160402003643.pptx
 
2 isaias
2    isaias2    isaias
2 isaias
 
Profetas menores lição 6 - Jonas
Profetas menores   lição 6 - JonasProfetas menores   lição 6 - Jonas
Profetas menores lição 6 - Jonas
 
Jonas - A Misericórdia Divina
Jonas - A Misericórdia DivinaJonas - A Misericórdia Divina
Jonas - A Misericórdia Divina
 
Licao 7 - 1T - 2019 - CPAD - 16x9.pptx
Licao 7 - 1T - 2019 - CPAD - 16x9.pptxLicao 7 - 1T - 2019 - CPAD - 16x9.pptx
Licao 7 - 1T - 2019 - CPAD - 16x9.pptx
 
PENTATEUCO (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
PENTATEUCO (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)PENTATEUCO (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
PENTATEUCO (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
 
PENTATEUCO - Aula 06
PENTATEUCO - Aula 06PENTATEUCO - Aula 06
PENTATEUCO - Aula 06
 
4 números
4 números4 números
4 números
 
Lição 20230108 O Avivamento no Antigo Testamento.pptx
Lição 20230108 O Avivamento no Antigo Testamento.pptxLição 20230108 O Avivamento no Antigo Testamento.pptx
Lição 20230108 O Avivamento no Antigo Testamento.pptx
 

Mais de Pastor Juscelino Freitas

Ser criança é bom de mais. ser adulto é muito melhor
Ser criança é bom de mais. ser adulto é muito melhorSer criança é bom de mais. ser adulto é muito melhor
Ser criança é bom de mais. ser adulto é muito melhorPastor Juscelino Freitas
 
As características do Obreiro Coluna na igreja
As características do Obreiro Coluna na igrejaAs características do Obreiro Coluna na igreja
As características do Obreiro Coluna na igrejaPastor Juscelino Freitas
 
Culto de ação de graça... juscelino e edilene
Culto de ação de graça... juscelino e edileneCulto de ação de graça... juscelino e edilene
Culto de ação de graça... juscelino e edilenePastor Juscelino Freitas
 

Mais de Pastor Juscelino Freitas (20)

O verdadeiro arrependimento
O verdadeiro arrependimentoO verdadeiro arrependimento
O verdadeiro arrependimento
 
Ser criança é bom de mais. ser adulto é muito melhor
Ser criança é bom de mais. ser adulto é muito melhorSer criança é bom de mais. ser adulto é muito melhor
Ser criança é bom de mais. ser adulto é muito melhor
 
Curso Lealdade e Deslealdade
Curso Lealdade e DeslealdadeCurso Lealdade e Deslealdade
Curso Lealdade e Deslealdade
 
Que é uma liderança
Que é uma liderançaQue é uma liderança
Que é uma liderança
 
As características do Obreiro Coluna na igreja
As características do Obreiro Coluna na igrejaAs características do Obreiro Coluna na igreja
As características do Obreiro Coluna na igreja
 
Conselhos simples para ser um Bom Obreiro
Conselhos simples para ser um Bom ObreiroConselhos simples para ser um Bom Obreiro
Conselhos simples para ser um Bom Obreiro
 
Psicologia pastoral
Psicologia pastoralPsicologia pastoral
Psicologia pastoral
 
Interpretação bíblica método oica
Interpretação bíblica   método oicaInterpretação bíblica   método oica
Interpretação bíblica método oica
 
As crises dentro da familia
As crises dentro da familiaAs crises dentro da familia
As crises dentro da familia
 
I seminário para jovens 2017
I seminário para jovens 2017I seminário para jovens 2017
I seminário para jovens 2017
 
Panorama do novo e antigo testamento
Panorama do novo e antigo testamentoPanorama do novo e antigo testamento
Panorama do novo e antigo testamento
 
Figuras de linguagem biblica
Figuras de linguagem biblicaFiguras de linguagem biblica
Figuras de linguagem biblica
 
Material composição da bíblia
Material composição da bíbliaMaterial composição da bíblia
Material composição da bíblia
 
Hermeneutica bíblica cópia
Hermeneutica bíblica   cópiaHermeneutica bíblica   cópia
Hermeneutica bíblica cópia
 
Como interpretar a bíblia
Como interpretar a bíbliaComo interpretar a bíblia
Como interpretar a bíblia
 
Culto de ação de graça... juscelino e edilene
Culto de ação de graça... juscelino e edileneCulto de ação de graça... juscelino e edilene
Culto de ação de graça... juscelino e edilene
 
Dia internacional da mulher
Dia internacional da mulherDia internacional da mulher
Dia internacional da mulher
 
Secretaria de missões
Secretaria de missõesSecretaria de missões
Secretaria de missões
 
O que é e o que não ebd
O que é e o que não ebdO que é e o que não ebd
O que é e o que não ebd
 
A importancia da ebd
A importancia da ebdA importancia da ebd
A importancia da ebd
 

Último

HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaAula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaaulasgege
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinhaMary Alvarenga
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarIedaGoethe
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 

Último (20)

HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaAula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinha
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 

A peregrinação no deserto

  • 1. A Peregrinação de Israel no Deserto até o Sinai 1 Pr. Juscelino Freitas Email: juscelinofreitas799@gmail.com
  • 3. 3 VERDADE PRÁTICA Os erros e pecados de Israel servem-nos de alerta para que não venhamos a cometer os mesmos enganos.
  • 4. Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:  Analisar a peregrinação de Israel pelo deserto.  Saber como foi a chegada e a permanência no monte Sinai.  Conscientizar-se de que a idolatria é pecado. 4 OBJETIVOS
  • 6. 6 INTRODUÇÃO Estude com afinco as lições deste trimestre e jamais siga os caminhos da desobediência, rebeldia e idolatria trilhados por Israel no deserto.
  • 7. 7 I. ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO
  • 8. I. ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO 1. Israel chega a Mara (Êx 15.23). O povo de Deus estava finalmente livre dos egípcios e começava sua caminhada pelo deserto a caminho de Canaã. Depois da travessia do Mar Vermelho os israelitas foram conduzidos por Moisés até o deserto de Sur. Eles andaram três dias pelo deserto e as águas que encontraram em Mara eram impróprias para beber.
  • 9. I. ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO 1. Israel chega a Mara (Êx 15.23). 1. Após três dias no deserto e não acharam água(Êx 15.22). “A final chegaram á Mara, todavia não puderam beber as águas de Mara, porque era amarga (Êx 15.23)”. 2. Mara (amarga) se encontrava cerca de 30 km da costa oriental do Mar Vermelho. 3. Em razão do solo ser abundante em soda,a água era salobra e amargosa.
  • 10. I. ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO 1. Israel chega a Mara (Êx 15.23).  Descontente, o povo começou a murmurar contra Moisés. Na verdade eles não estavam reclamando de Moisés, mas de Deus (Êx 16.7,8).  Muitos podem pensar que estão reclamando do seu líder, mas na verdade estão reclamando contra aquEle que delegou autoridade ao líder: Deus.  A murmuração é uma característica negativa daqueles que não confiam no Senhor.
  • 11. I. ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO 1. Israel chega a Mara (Êx 15.23).
  • 12.  Mara nos ensina que os caminhos que o Senhor leva o seu povo, pode até ser difícil, sofrido,duro, porém é a maneira didática de Deus ensinar os seus filhos que as experiências difíceis são educativas e não punitivas (Rm 5.3-5).  Toda prova é amarga, e todos nós temos o nosso Mara (1 Pd 4.12-13).O milagre em Mara se deu quando Deus orientou Moisés a lançar o lenho nas águas que serviu para saneá-las. Todo amargo se foi. Isso significa dizer que Cristo pode tornar doce a nossa vida (Mt 11.28-30). I. ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO 1. Israel chega a Mara (Êx 15.23).
  • 13.  O deserto de Sim, que fica entre Elim e Sinai (Êx 19.1,2), é um lugar inóspito, repleto de areia e pedra, porém um local perfeito para Deus tratar do seu povo.  Diante das dificuldades o povo volta a murmurar e quer mais uma vez retornar ao Egito (Êx 16.2,3). Mas Deus é bom e misericordioso. I. ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO 2. Rumo ao Sinai (Êx 16.1).
  • 14. I. - ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO 2. Rumo ao Sinai (Êx 16.1).
  • 15. I. ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO 2. Rumo ao Sinai (Êx 16.1).
  • 16. I. ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO 2. Rumo ao Sinai (Êx 16.1).
  • 18. II. ISRAEL NO MONTE SINAI
  • 19. II. ISRAEL NO MONTE SINAI 1. O monte Sinai (Êx 19.2). Todo o livro de Levítico, que trata do ministério e do culto ao Senhor, teve o seu desenrolar no acampamento do Sinai, ao pé do monte.
  • 20. II. ISRAEL NO MONTE SINAI 1. O monte Sinai (Êx 19.2). No Sinai tiveram também a revelação:
  • 21.  A demora decorreu como parte do julgamento divino dos pecados de incredulidade, murmuração, rebelião e desvio dos israelitas (Dt 2.14,15). Pr. Moisés Sampaio de Paula 21 II. ISRAEL NO MONTE SINAI 1. O monte Sinai (Êx 19.2). A distância do Sinai a Canaã é de quase 500 quilômetros, e seria percorrida em um curto prazo pelos israelitas, mas infelizmente levou 38 anos.
  • 22. II. ISRAEL NO MONTE SINAI 2. A permanência no Sinai.
  • 23. II. ISRAEL NO MONTE SINAI 2. A permanência no Sinai.
  • 25. III. A IDOLATRIA DOS ISRAELITAS 1. O bezerro de ouro (Êx 32.2-6). 2. Cuidado com a idolatria. 3. A idolatria no coração.
  • 26.  Moisés e Josué subiram ao monte Sinai para se encontrar com o Senhor e receber dEle as tábuas da Lei.  Ali eles ficaram muitos dias, e o povo, com pressa em saber notícias, começou mais uma vez a reclamar e a especular a causa da demora de Moisés e Josué.  Não levou muito tempo para que uma grande confusão fosse formada. III. A IDOLATRIA DOS ISRAELITAS 1. O bezerro de ouro (Êx 32.2-6).
  • 27. III. A IDOLATRIA DOS ISRAELITAS 1. O bezerro de ouro (Êx 32.2-6).
  • 28. III. A IDOLATRIA DOS ISRAELITAS 2. Cuidado com a idolatria.
  • 29. Pense Nisso! Idolatria não é somente adorar a imagens de escultura.
  • 30. III. A IDOLATRIA DOS ISRAELITAS 2. Cuidado com a idolatria.
  • 31. III. A IDOLATRIA DOS ISRAELITAS Isaías, 45:20 - ... nada sabem os que conduzem em procissão as suas imagens de escultura, feitas de madeira, e rogam a um deus que não pode salvar. Isaías, 44:18 - Nada sabem, nem entendem; porque se lhe untaram os olhos, para que não vejam, e o coração, para que não entendam. Isaías, 44:20 - Apascenta-se de cinza. O seu coração enganado o desviou, de maneira que não pode livrar a sua alma, nem dizer: Porventura não há uma mentira na minha mão direita? 2. Cuidado com a idolatria.
  • 32.  O profeta Ezequiel adverte-nos sobre isso em 14.2-4,7 do seu livro.  O primeiro mandamento do Eterno em Êxodo 20.3, ordena: "Não terás outros deuses diante de mim".  Israel, antes de ser liberto e resgatado da escravidão do Egito, pecou contra o Senhor, adorando a falsos deuses (Is 24.2,15; Gn 35.2,4). III. A IDOLATRIA DOS ISRAELITAS 3. A idolatria no coração.
  • 33. III. A IDOLATRIA DOS ISRAELITAS 3. A idolatria no coração.
  • 34. SINOPSE DO TÓPICO (3) Os israelitas, liderados por Arão, pecaram deliberadamente contra Deus ao fundirem o bezerro de ouro.