SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
Baixar para ler offline
RTABELAS DE CONVERSÃO E FÓRMULAS:
Aplicações para motores hidráulicos.................................................................. 07
Cálculo da perda de carga em tubulação........................................................... 04
Cálculo do diâmetro nominal (interno e externo) de tubulação....................... 03
Circuitos hidráulicos............................................................................................. 08
Conversões de unidades................................................................................... 01
Fórmulas de cálculo.............................................................................................. 02
Roscas:
- Rosca NPT e UNF SAE...................................................................................... 05
- Rosca BSP......................................................................................................... 05
- Rosca métrica.................................................................................................... 06
TABELA DE CONVERSÕES E
FÓRMULAS
Conversões
Maiores informações, consulte nosso depto de vendas técnicas.
Av. Vila Ema 1351 Vila Graciosa São Paulo SP Brasil 03156-001 • Fone: ++55 (11) 6100-7400 • Fax: ++55 (11) 6100-7409 • E-mail: verion@verion.com.br • http://www.verion.com.bra
TABELAS DE CONVERSÃO E FÓRMULAS
01
R
Energía
ft-lbs kg-m kw-hr hp-hr in-lb Joule
1 .1383 12 1.356
7.233 1 86.80 9.806
1 1.341 859.9
.7457 1 641.2
.0833 .01152 1 .113
Velocidade
mtr/sec ft/sec km/hr mph ft/min
1 3.281 3.6 2.237 196.85
.3048 1 1.097 .6818 60
.2778 .9113 1 .6214 54.68
.4470 1.467 1.609 1 88
.00508 .01667 .01829 .01136 1
Volume
in3
cm3
litros quart galón
1 16.39 .01639 .0173 .004
.06102 1 .001 .0010 .00026
61.02 1000 1 1.05 .26
57.75 947 .9463 1 .25
231.26 3790 3.79 3.98 1
Força e Peso
newt daN kg (kp) lbs
1 .1 .1020 .224
10 1 1.020 2.24
9.807 .9807 1 2.20
4.4482 .4448 .4536 1
Temperatura
de ºC a ºF de ºF a ºC
32 + (1,8 x ºC) (ºF - 32) x 0,55
Área
in2
cm2
mm2
1 6.452 645.2
.1550 1 .01
.001550 100 1
Potência
hp kw met hp
1 .7457 1.014
1.341 1 1.360
.9863 .7355 1
Torque
ft-lbs lbs-in da-Nm Nm kp-m kg-m
1 12 .13556 1.356 .1382 .1382
.08333 1 .01130 .1130 .01152 .01152
7.376 88.51 1 10 1.019 1.019
.7376 8.851 .1 1 .102 .102
7.2359 86.80 .9806 9.806 1 1
Comprimento
cm inch pés mtr km milhas
1 .3937 .03281 .01 .00001
2.54 1 .08333 .02778
30.48 12 1 .3048
100 39.37 3.281 1 .001
100000 39370 3281 1000 1 .6214
160934 63360 5280 1609 1.609 1
Viscosidade
(SSU) ISO-VG CentiStoke CentiPoise*
31 2 1.0 0.876
35 3 2.5 2.19
40 5 4.2 3.68
45 5/7 5.9 5.17
50 7 7.5 6.57
55 7/10 8.8 7.71
60 10 10.5 9.20
70 10/15 13.2 11.56
80 15 15.7 13.75
90 22 18.2 15.94
100 22 20.6 18.05
150 32 32.0 28.03
200 46 43.2 37.84
300 68 65.0 56.94
400 68/100 86.0 75.34
500 100 108 94.61
750 150 162 141.91
1000 220 216 189.22
1500 320 323 282.95
2000 460 431 377.56
3000 680 648 567.65
4000 1000 862 755.11
Pressão
kgf/mm2
kgf/cm2
bar psi Mpa
1 100 98.066 1422.334 9.807
0.01 1 0.9807 14.223 0.098
0.0102 1.0197 10 14.5038 0.1
0.0007 0.0703 0.06895 1 0.066895
0.10197 10.197 10 145.037 1
TABELA DE CONVERSÕES E
FÓRMULAS
Fórmulas
Maiores informações, consulte nosso depto de vendas técnicas.
Av. Vila Ema 1351 Vila Graciosa São Paulo SP Brasil 03156-001 • Fone: ++55 (11) 6100-7400 • Fax: ++55 (11) 6100-7409 • E-mail: verion@verion.com.br • http://www.verion.com.bra
TABELAS DE CONVERSÃO E FÓRMULAS
02
R
Equações para Bombas e Motores
Vazão (GPM) = n (RPM) Cilindrada (in.3
)
231
Cilindrada (cm3
/rev) = Vazão (lts/min) x 1000
n (RPM)
Nº de voltas (RPM) = =Vazão (lts/min) x 1000
Cilindrada (cm3
/rev)
Vazão (GPM) x 231
Cilindrada (in.3
)
Potência (HP) = =Pressão (PSI) x Vazão (GPM)
1714
Potência (KW) = Pressão (bar) x Vazão (lts/min)
600
Pressão (PSI) = Potência (HP) x 1714
Vazão (GPM)
Vazão (GPM) = Potência (HP) x 1714
Pressão (PSI)
Vazão (lts/min) = Potência (HP) x 450
Pressão (bar)
= Potência (KW) x 600
Pressão (bar)
Pressão (bar) x Vazão (lts/min)
450 x η
Pressão (bar) = =Potência (HP) x 450
Vazão (lts/min)
Potência (KW) x 600
Vazão (lts/min)
Vazão (lts/min) = n (RPM) x Cilindrada (cm3
/rev)
1000
Equações para Cilindros Hidráulicos:
Área do embolo (cm2
) = d1
2
[mm]2
. π
400
Área da haste (cm2
) = d2
2
[mm]2
. π
400
Área diferencial (cm2
) = (d1
2
[mm]2
- d2
2
[mm]2
) π
400
Força de avanço (kN) = p . d1
2
[mm]2
π
40.000
Força de recuo (kN) = p . (d1
2
[mm]2
- d2
2
[mm]2
) π
40.000
Velocidade (m/s) vazão (lts/min) . 10-3
área (cm2
) . 60
Equações para Motores:
Torque (daNm) = ∆p (bar) x Cilindrada (cm3
/rev)
628
Equações para Motores de Roda:
Velocidade (km/h) = n (RPM) x Raio estático (mm) x 0,000754
Nº de voltas (RPM) = Velocidade (km/hs)
Raio estático (mm) x 0,000754
Raio estático (mm) = Velocidade (km/hs)
n (RPM) x 0,000754
Cilindrada (cm3
/rev.) = Torque (da Nm) x 628
∆p (bar)
Torque (kgm) = Potência (HP) x 716,2
n (RPM)
Nº de volta (RPM) = Potência (HP) x 716,2
Torque (kgm)
Potência gerada (HP) = Torque (kgm) x n (RPM)
716,2
TABELA DE CONVERSÕES E
FÓRMULAS
Cálculo de diâmetro nominal
Maiores informações, consulte nosso depto de vendas técnicas.
Av. Vila Ema 1351 Vila Graciosa São Paulo SP Brasil 03156-001 • Fone: ++55 (11) 6100-7400 • Fax: ++55 (11) 6100-7409 • E-mail: verion@verion.com.br • http://www.verion.com.bra
TABELAS DE CONVERSÃO E FÓRMULAS
03
R
Exemplo:
Para calcular o diâmetro da
linha de sucção de 01 bomba
onde a vazão é de Q= 15 l/m
deve-se marcar a vazão na
coluna da esquerda e a veloci-
dade (de 0,5 a 1,5 m/s) na
coluna da direita. Traçar uma
reta e onde houver a inter-
secção com a coluna do meio
(diâmetro mm “di”) será o
diâmetro interno ideal con-
forme a ABNT.
Velocidades indicadas:
Técnico / econômico
Linha Velocidade recomendada
Sucção 0,5 .....................1,5 m/s.
Pressão Até 100 Bar 2,0......................4,0 m/s
Até 315 Bar 4,0....................12,0 m/s
Retorno 2,0……………..3,0 m/s
TABELA DE CONVERSÕES E
FÓRMULAS
Cálculo da perda de carga
em tubulações
Maiores informações, consulte nosso depto de vendas técnicas.
Av. Vila Ema 1351 Vila Graciosa São Paulo SP Brasil 03156-001 • Fone: ++55 (11) 6100-7400 • Fax: ++55 (11) 6100-7409 • E-mail: verion@verion.com.br • http://www.verion.com.bra
TABELAS DE CONVERSÃO E FÓRMULAS
04
R
16
04
Devido a viscosidade e a capacidade da bomba, é possível determinar, mediante a tabela, a perda de carga para cada 100 m de
tubulação. Estabelece-se, nas escalas de viscosidade, capacidade e diâmetro interno do tubo, os valores correspondentes V, Q e D.
Unir os pontos V e Q com uma reta que cruza sobre a linha “índice” e o ponto de intersecção é o ponto I.
Traçar deste ponto I, uma reta que passe por D até que se encontre com a escala da perda de carga no ponto P; o valor correspon-
dente representa a perda de carga ao comprimento de 100 m de tubulação.
EXEMPLO: uma tubulação percorrida por um fluído de 150 cSt. de viscosidade, com uma vazão de 200 l/min e com um diâmetro de
40 mm, tenderá a uma perda de carga de 1 kg/cm2 por cada 100 m de comprimento.
TABLAS DE CONVERSIONES Y FÓR-
MULAS
Rosca NPT e UNF / SAE
Maiores informações, consulte nosso depto de vendas técnicas.
Av. Vila Ema 1351 Vila Graciosa São Paulo SP Brasil 03156-001 • Fone: ++55 (11) 6100-7400 • Fax: ++55 (11) 6100-7409 • E-mail: verion@verion.com.br • http://www.verion.com.bra
TABELAS DE CONVERSÃO E FÓRMULAS
05
R
NPT
FIOS POR
A B C D
POLEGADA
1/8 27 10 9 10,4 9
1/4 18 14,2 12,5 13,9 11,7
3/8 18 14,2 13,5 17,3 15,2
1/2 14 19 16,5 21,6 18,8
3/4 14 19 17,5 27 24
1 11 1/2 24 20,5 33,7 30
1.1/4 11 1/2 25 21,0 42,5 38,8
1.1/2 11 1/2 25,5 21,0 48,7 45
2 11 1/2 26 22 60,7 57
2.1/2 8 38,5 30 73,5 68
3 8 40 32 89,4 84
Rosca NPT
Cônica
Rosca UNF/SAE
Paralela
SAE
UNF FIOS POR
A B C D E G I M X
paralela POLEGADA
- 5/16 24 7,5 10 7,8 6,9
- 3/8 24 7,5 10 9,4 8,5
4 7/16 20 9,2 11,5 11 9,8 21,0 12,4 2,6 1,6 2,6
5 1/2 20 9,2 11,5 12,6 11,5 22,9 14,0 2,6 1,6 2,7
6 9/16 18 10 12,7 14,1 11,9 24,9 15,6 2,7 1,6 2,7
8 3/4 16 11,1 14,2 18,9 17,5 29,9 20,6 2,7 2,3 2,7
10 7/8 14 12,7 16,5 22,1 20,5 34,0 24,0 2,7 2,3 2,7
12 1 1/16 12 15 19 26,8 24,9 40,9 29,2 3,5 2,3 19
14 1 3/16 12 15 19 30 28 45,0 32,4 3,5 2,3 19
16 1 5/16 12 15 19 33,1 31,2 48,9 35,5 3,5 3,2 19
20 1 5/8 12 15 19 41,1 39,2 58,0 43,5 3,5 3,2 19
24 1 7/8 12 15 19 47,5 45,6 64,9 49,9 3,5 3,2 19
BSP BSPT BSP FIOS p/
A A1 B D D1 D2 D3 D4 E F
paralela cônica com O-Ring POL
1/8 BSP 1/8 BSPT 1/8 BSP 28 8 10 10 9,6 10,1 14 18 8,8 17
1/4 BSP 1/4 BSPT 1/4 BSP 19 12 14,2 13 13 13,7 18 22 11,8 22
3/8 BSP 3/8 BSPT 3/8 BSP 19 12 14,2 15 16,5 17,2 22 24,2 15,3 24
1/2 BSP 1/2 BSPT 1/2 BSP 14 14 19 16 20,8 21,6 26 30 19 31 0,5
3/4 BSP 3/4 BSPT 3/4 BSP 14 16 19 17 26,3 27 32 40 24,5 35 min
1 BSP 1 BSPT 1 BSP 11 18 24 20 33 34,1 39 46 30,7 43
1.1/4 BSP 1.1/4 BSPT 1.1/4 BSP 11 20 25 22 41,8 42,7 49 54 39,6 53
1.1/2 BSP 1.1/2 BSPT 1.1/2 BSP 11 22 25,5 22 47,7 48,6 55 60 45,4 60
2 BSP 2 BSPT - 11 24 26 24 59,5 60,0 68 - 57,2 - -
2.1/2 BSP 2.1/2 BSPT - 11 26 38,5 26 75 75,5 87 - 72,7 - -
3 BSP 3 BSPT - 11 28 40 28 87,7 89 103 - 85,5 - -
TABLAS DE CONVERSIÓN Y FÓRMULAS
Rosca BSP
norma ISO 228
Rosca métrica
norma ISO 262
Maiores informações, consulte nosso depto de vendas técnicas.
Av. Vila Ema 1351 Vila Graciosa São Paulo SP Brasil 03156-001 • Fone: ++55 (11) 6100-7400 • Fax: ++55 (11) 6100-7409 • E-mail: verion@verion.com.br • http://www.verion.com.bra
TABELAS DE CONVERSÃO E FÓRMULAS
06
R
Métrica Métrica Métrica
A B D D2 D3 D4 E F
paralela cônica com O-Ring
M 8x1 MK 8x1 8 11 8 12 - 7 18
M 10x1 MK 10x1 M 10x1 8 11 10 14 18 9 20
M 12x1,5 MK 12x1,5 M 12x1,5 12 15 12 17 20 10,5 23
M 14x1,5 MK 14x1,5 M 14x1,5 12 15 14 19 22 12,5 25
M 16x1,5 MK 16x1,5 M 16x1,5 12 15 16 21 24,2 14,5 28
M 18x1,5 MK 18x1,5 M 18x1,5 12 16 18 23 26,5 16,5 30
M 20x1,5 14 17 20 25 - 18,5
M 22x1,5 MK 22x1,5 M 22x1,5 14 17 22 27 30 20,5 34 0,5
M 24x1,5 14 17 24 29 - 22,5 min
M 26x1,5 MK 26x1,5 16 19 26 31 - 24,5
M 27x2 M 27x2 16 19 27 32 40 25 40
M 33x2 M 33x2 18 21 33 39 46 31 49
M 42x2 M 42x2 20 23 42 49 54 40 60
M 48x2 M 48x2 22 25 48 55 60 46
M 60x2 24 26 60 68 - 58
M 75x2 26 28 75 84 - 73
M 88x2 28 30 88 98 - 86
NPT
øA
B C
F
G
-3 métrica UNC-28
1/2” 13 38,1 17,5 M8 5/6-18 16
3/4” 19 47,6 22,2 M10 3/8-16 16
1” 25 52,4 26,2 M10 3/8-16 17
1.1/4” 32 58,7 30,2 M10 7/16-14 20
1.1/2” 38 69,9 35,7 M12 1/2-13 20
Flange SAE
(3000 PSI)
0 NPT
øA
B C
F
G
-3 métrica UNC-28
1/2” 13 40,5 18,2 M8 5/6-18 16
3/4” 19 50,8 23,8 M10 3/8-16 17
1” 25 57,2 27,8 M12 7/16-14 20
1.1/4” 32 66,7 31,8 M14 1/2-13 22
1.1/2” 38 79,4 26,6 M16 5/8-11 22
Flange SAE
(6000 PSI)
0
TABLAS DE CONVERSIONES Y FÓR-
MULAS
Aplicações para
motores hidráulicos
Cálculo para veículos
TABELAS DE CONVERSÃO E FÓRMULAS
07
R
Maiores informações, consulte nosso depto de vendas técnicas.
Av. Vila Ema 1351 Vila Graciosa São Paulo SP Brasil 03156-001 • Fone: ++55 (11) 6100-7400 • Fax: ++55 (11) 6100-7409 • E-mail: verion@verion.com.br • http://www.verion.com.bra
6- Força de tração total: TE, daN
A força de tração total é a força necessária do veículo motriz.
São a soma das forças obtidas nos itens 2 a 5, com um incre-
mento de 10% por causa da resistência do ar.
TE= 1,1 x (RR + GR + FA + DP)
RR= força necessária para vencer a resistência de locomoção.
GR= força necessária para vencer a rampa.
FA= força necessária para realizar a aceleração.
DP= força de tração adicional (arraste).
7- Torque do motor hidráulico: Mt, daN
Torque necessário para qualquer motor.
N= cilindrada do motor
ηM= eficiência mecânica (de estar disponível)
8- Aderência entre pneu e a superfície: Mw, daN
Para evitar patinamento, Ter as seguintes condições Mw > M
f = fator de atrito (tabela 3)
Gw = peso total do veículo sobre as rodas, daN
Tabela 3:
9- Carga radial do motor hidráulico: Prad, daN
Quando o veículo é utilizado com aro de roda montadas direta-
mente sobre o eixo do motor, a carga radial total sobre o eixo do
motor Prad, compreende a soma da força do movimento e força
a-tuante em cada roda.
Gw = peso total sobre cada roda
Prad = carga radial total sobre o eixo do motor
M/Rm = força de movimento
Conforme a carga calculada deve-se selecionar o motor hidráuli-
co adequado
1- Velocidade do motor:
Vkm = velocidade do veículo, km/h;
Rm = raio médio do pneu, m;
i = relação do redutor
Sem redutor usar i=1
2- Resistência ao atrito na translação do veículo: RR, daN
A resistência à locomoção depende do tipo de terreno:
RR= G x p
G= peso total do veículo, lbs daN;
p= coeficiente de atrito do pneu (tabela 1)
Tabela 1: Coeficiente de atrito do pneu as diferentes
superficie:
(*) Macadam = pavimento de pedra moída aglomerada por um
rolo compactador.
3- Rampa: GR, daN
GR= G x (sen α + p x cos α)
Ângulos de rampa (Tabela 2)
Tabela 2:
4- Força de aceleração: FA, daN
Força FA necessária para aceleração de 0 a máxima velocidade
V e tempo necessário t.
FA = Força de aceleração, daN
t = tempo
n = 2,65 x Vkm x i
Rm
Mt = TE x Rm
N x i x ηM
MW = GW x f x Rm
i x ηM
SUPERFICIE p SUPERFICIE p
Concreto defeituoso 0,01 Macadam sinuoso 0,037
Concreto plano 0,015 Neve – 5 cm 0,025
Concreto sinuoso 0,02 Neve – 10 cm 0,037
Asfalto defeituoso 0,012 Superfície lisa 0,025
Asfalto plano 0,017 Superfície arenosa 0,04
Asfalto sinuoso 0,022 Barro 0,037 + 0,150
Macadam defeituoso (*) 0,015 Areia 0,060 + 0,150
Macadam plano 0,022 Areia solta 0,160 + 0,300
SUPERFICIE FATOR DE SUPERFÍCIE FATOR DE
ATRITO ATRITO
Roda de aço x aço 0,15 + 0,20 Pneu x concreto 0,8 + 1,0
Pneu x superfície polida 0,5 + 0,7 Pneu x mato 0,4
Pneu x asfalto 0,8 + 1,0
RAMPA ÂNGULO RAMPA ÂNGULO
% α % α
1 0º 35’ 12 6º 5’
2 1º 09’ 15 8º 31’
5 2º 51’ 20 11º 19’
6 3º 26’ 25 14º 3’
8 4º 35’ 32 18º
10 5º 43’ 60 31º
Prad = Gw + M 2
Rm( )√
FA = Vkm x G, daN
3,6 x t
5- Força de tração: DP, daN
Força de tração adicional para iniciar o movimento de translação.
Deve-se agregar a Força de tração nos itens 2, 3 e 4 no caso de
força de arraste
Circuitos hidráulicos
abertos e fechados
TABELAS DE CONVERSÃO E FÓRMULAS
08
R
Conexão individual, em série e em paralelo:
Os motores podem utilizar-se individualmente ou conectar-se em
série ou paralelo.
No caso de funcionamento em série, o óleo de retorno flui de um
motor para o outro seguinte. Isto quer dizer que cada motor utiliza
a vazão de óleo total da bomba, procedimento eficaz para utilizar
a capacidade da bomba, sempre e quando as perdas de carga
através dos motores individuais são suficientes. Os valores admis-
síveis para as pressões de entrada e de retorno do motor assim
como os valores de carga através dos motores, NÃO devem ser
ultrapassados.
Os eixos dos motores conectados em série não deverão estar
acoplados mecanicamente (existem pequenas diferenças entre os
deslocamentos e as vazões de saída dos motores).
Com o funcionamento em paralelo, a vazão total de óleo proce-
dente da bomba se divide entre os motores conectados e a perda
de carga máx. admissível pode ser utilizada completamente.
Sistemas hidráulicos:
Uma combinação de funcionamento em paralelo e em série é
comumente usado para a transmissão hidrostática de veículos.
O torque elevado e a velocidade reduzida permitidos para o fun-
cionamento em paralelo são utilizados para o arranque e o deslo-
camento a velocidade lenta (trabalho em rampas elevadas inclu-
sive).
O funcionamento em série permitirá obter uma velocidade elevada
e um torque reduzido para o deslocamento em grande velocidade.
A transmissão hidrostática realizada desta forma corresponde de
forma a obter duas velocidades. Durante o funcionamento em
série, os motores estão conectados pela mesma vazão de óleo,
disposição que corresponde ao acoplamento mecânico dos
motores como um diferencial.
Se empregam válvulas de sucção entre os motores porque a
superfície sobre a qual se desloca o veículo comunica-se mecani-
camente as rodas de arraste.
Os motores hidráulicos M+S podem ser utilizados tanto para circuitos abertos como em circuitos fechados.
Motor hidráulico em circuito aberto
Funcionamento em série
Funcionamento em paralelo
Motor hidráulico em circuito fechado
Maiores informações, consulte nosso depto de vendas técnicas.
Av. Vila Ema 1351 Vila Graciosa São Paulo SP Brasil 03156-001 • Fone: ++55 (11) 6100-7400 • Fax: ++55 (11) 6100-7409 • E-mail: verion@verion.com.br • http://www.verion.com.bra

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio becoEstruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio becoJonatas Ramos
 
Catálogo de normas tecnicas edificações
Catálogo de normas tecnicas edificaçõesCatálogo de normas tecnicas edificações
Catálogo de normas tecnicas edificaçõesRobson Peixoto
 
Tabela diametro-furo-para-fazer-rosca
Tabela diametro-furo-para-fazer-roscaTabela diametro-furo-para-fazer-rosca
Tabela diametro-furo-para-fazer-roscaBraga2013
 
Nbr5419 4-sistema eletronicos.pdf
Nbr5419 4-sistema eletronicos.pdfNbr5419 4-sistema eletronicos.pdf
Nbr5419 4-sistema eletronicos.pdfPaulo H Bueno
 
Tabela de conversões de durezas
Tabela de conversões de durezasTabela de conversões de durezas
Tabela de conversões de durezasJosé Lima
 
Encoder para sensoriamento de posições
Encoder para sensoriamento de posiçõesEncoder para sensoriamento de posições
Encoder para sensoriamento de posiçõesmanelcci
 
Compressores embraco aspera tabela aplicação
Compressores embraco aspera tabela aplicaçãoCompressores embraco aspera tabela aplicação
Compressores embraco aspera tabela aplicaçãomanodorosa
 
Catálogo de tabelas_técnicas
Catálogo de tabelas_técnicasCatálogo de tabelas_técnicas
Catálogo de tabelas_técnicasMarcio Oliani
 
Nbr 8855 eb 168 propriedades mecanicas de elementos de fixacao parafusos e pr...
Nbr 8855 eb 168 propriedades mecanicas de elementos de fixacao parafusos e pr...Nbr 8855 eb 168 propriedades mecanicas de elementos de fixacao parafusos e pr...
Nbr 8855 eb 168 propriedades mecanicas de elementos de fixacao parafusos e pr...ejfelix
 
Exercicios resolvidos de resmat mecsol
Exercicios resolvidos de resmat mecsolExercicios resolvidos de resmat mecsol
Exercicios resolvidos de resmat mecsolDanieli Franco Mota
 
Catalogo geral schneider franklin
Catalogo geral schneider franklinCatalogo geral schneider franklin
Catalogo geral schneider franklinbene piscinas
 
Nbr 5419-3-2015-danos-fisicos-a-estrutura-e-perigo-a-vida
Nbr 5419-3-2015-danos-fisicos-a-estrutura-e-perigo-a-vidaNbr 5419-3-2015-danos-fisicos-a-estrutura-e-perigo-a-vida
Nbr 5419-3-2015-danos-fisicos-a-estrutura-e-perigo-a-vidaPaulo H Bueno
 
Tabela diametro furo_para_fazer_rosca
Tabela diametro furo_para_fazer_roscaTabela diametro furo_para_fazer_rosca
Tabela diametro furo_para_fazer_roscaKLELTON BENETÃO
 

Mais procurados (20)

Drill pipe specifications
Drill pipe specificationsDrill pipe specifications
Drill pipe specifications
 
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio becoEstruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
 
Catálogo de normas tecnicas edificações
Catálogo de normas tecnicas edificaçõesCatálogo de normas tecnicas edificações
Catálogo de normas tecnicas edificações
 
Tabela diametro-furo-para-fazer-rosca
Tabela diametro-furo-para-fazer-roscaTabela diametro-furo-para-fazer-rosca
Tabela diametro-furo-para-fazer-rosca
 
Capacidade de condução de corrente em barras de cobre
Capacidade de condução de corrente em barras de cobreCapacidade de condução de corrente em barras de cobre
Capacidade de condução de corrente em barras de cobre
 
Nbr5419 4-sistema eletronicos.pdf
Nbr5419 4-sistema eletronicos.pdfNbr5419 4-sistema eletronicos.pdf
Nbr5419 4-sistema eletronicos.pdf
 
Calculo resistencia de solda
Calculo resistencia de soldaCalculo resistencia de solda
Calculo resistencia de solda
 
tubos-catalogo-2019.pdf
tubos-catalogo-2019.pdftubos-catalogo-2019.pdf
tubos-catalogo-2019.pdf
 
Catalogo Gerdau
Catalogo GerdauCatalogo Gerdau
Catalogo Gerdau
 
Nbr 5462 (2)
Nbr 5462 (2)Nbr 5462 (2)
Nbr 5462 (2)
 
Tabela de conversões de durezas
Tabela de conversões de durezasTabela de conversões de durezas
Tabela de conversões de durezas
 
Encoder para sensoriamento de posições
Encoder para sensoriamento de posiçõesEncoder para sensoriamento de posições
Encoder para sensoriamento de posições
 
Compressores embraco aspera tabela aplicação
Compressores embraco aspera tabela aplicaçãoCompressores embraco aspera tabela aplicação
Compressores embraco aspera tabela aplicação
 
Catálogo de tabelas_técnicas
Catálogo de tabelas_técnicasCatálogo de tabelas_técnicas
Catálogo de tabelas_técnicas
 
Corrente nominal de motores trifásicos 220v
Corrente nominal de motores trifásicos 220vCorrente nominal de motores trifásicos 220v
Corrente nominal de motores trifásicos 220v
 
Nbr 8855 eb 168 propriedades mecanicas de elementos de fixacao parafusos e pr...
Nbr 8855 eb 168 propriedades mecanicas de elementos de fixacao parafusos e pr...Nbr 8855 eb 168 propriedades mecanicas de elementos de fixacao parafusos e pr...
Nbr 8855 eb 168 propriedades mecanicas de elementos de fixacao parafusos e pr...
 
Exercicios resolvidos de resmat mecsol
Exercicios resolvidos de resmat mecsolExercicios resolvidos de resmat mecsol
Exercicios resolvidos de resmat mecsol
 
Catalogo geral schneider franklin
Catalogo geral schneider franklinCatalogo geral schneider franklin
Catalogo geral schneider franklin
 
Nbr 5419-3-2015-danos-fisicos-a-estrutura-e-perigo-a-vida
Nbr 5419-3-2015-danos-fisicos-a-estrutura-e-perigo-a-vidaNbr 5419-3-2015-danos-fisicos-a-estrutura-e-perigo-a-vida
Nbr 5419-3-2015-danos-fisicos-a-estrutura-e-perigo-a-vida
 
Tabela diametro furo_para_fazer_rosca
Tabela diametro furo_para_fazer_roscaTabela diametro furo_para_fazer_rosca
Tabela diametro furo_para_fazer_rosca
 

Destaque

Kembali ke Manhaj Taghyeer Madrasah Rasulillah saw
Kembali ke Manhaj Taghyeer Madrasah Rasulillah sawKembali ke Manhaj Taghyeer Madrasah Rasulillah saw
Kembali ke Manhaj Taghyeer Madrasah Rasulillah sawAsudi Hamdun
 
Tabela de vazão potencia Aplicação defencivos
Tabela  de vazão  potencia Aplicação defencivosTabela  de vazão  potencia Aplicação defencivos
Tabela de vazão potencia Aplicação defencivosAndré Sá
 
Effects of public expenditure on economy production distribution
Effects of public expenditure on economy production distributionEffects of public expenditure on economy production distribution
Effects of public expenditure on economy production distributionBhaumiki
 
Tabela de conversão de unidades
Tabela de conversão de unidadesTabela de conversão de unidades
Tabela de conversão de unidadesRaimundo Junior
 
Tabla de medidas de agujeros para roscas
Tabla de medidas de agujeros para roscasTabla de medidas de agujeros para roscas
Tabla de medidas de agujeros para roscasdabis2011
 
Programacion torno cnc
Programacion torno cncProgramacion torno cnc
Programacion torno cncJose Mecanico
 

Destaque (12)

Nuevas metodologías y apps
Nuevas metodologías y appsNuevas metodologías y apps
Nuevas metodologías y apps
 
Gps final main
Gps final mainGps final main
Gps final main
 
Monev
MonevMonev
Monev
 
CV_Gunjan Gunjan
CV_Gunjan GunjanCV_Gunjan Gunjan
CV_Gunjan Gunjan
 
Nandakumar 1
Nandakumar 1Nandakumar 1
Nandakumar 1
 
Kembali ke Manhaj Taghyeer Madrasah Rasulillah saw
Kembali ke Manhaj Taghyeer Madrasah Rasulillah sawKembali ke Manhaj Taghyeer Madrasah Rasulillah saw
Kembali ke Manhaj Taghyeer Madrasah Rasulillah saw
 
Catalogo
CatalogoCatalogo
Catalogo
 
Tabela de vazão potencia Aplicação defencivos
Tabela  de vazão  potencia Aplicação defencivosTabela  de vazão  potencia Aplicação defencivos
Tabela de vazão potencia Aplicação defencivos
 
Effects of public expenditure on economy production distribution
Effects of public expenditure on economy production distributionEffects of public expenditure on economy production distribution
Effects of public expenditure on economy production distribution
 
Tabela de conversão de unidades
Tabela de conversão de unidadesTabela de conversão de unidades
Tabela de conversão de unidades
 
Tabla de medidas de agujeros para roscas
Tabla de medidas de agujeros para roscasTabla de medidas de agujeros para roscas
Tabla de medidas de agujeros para roscas
 
Programacion torno cnc
Programacion torno cncProgramacion torno cnc
Programacion torno cnc
 

Semelhante a Tabelas de conversão

catalogo norgrenv pneumatica M46000 m46100 m46200
catalogo norgrenv pneumatica M46000 m46100 m46200catalogo norgrenv pneumatica M46000 m46100 m46200
catalogo norgrenv pneumatica M46000 m46100 m46200Marcio Carvalho
 
Weg contatores-e-reles-de-sobrecarga
Weg contatores-e-reles-de-sobrecargaWeg contatores-e-reles-de-sobrecarga
Weg contatores-e-reles-de-sobrecargaAvb Empreiteira
 
Weg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-br
Weg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-brWeg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-br
Weg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-bruspj1
 
Weg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-br
Weg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-brWeg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-br
Weg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-brIsao Chinen
 
Medidor de vazão eletromagnetico MAFETECH IND
Medidor de vazão eletromagnetico MAFETECH INDMedidor de vazão eletromagnetico MAFETECH IND
Medidor de vazão eletromagnetico MAFETECH INDBraga Cruz
 
Catalogo completo-macro-aluminio
Catalogo completo-macro-aluminioCatalogo completo-macro-aluminio
Catalogo completo-macro-aluminioSuziPinto
 
Tabelafev6policabos 1340208917
Tabelafev6policabos 1340208917Tabelafev6policabos 1340208917
Tabelafev6policabos 1340208917Miguel Silva
 
Weg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-br
Weg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-brWeg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-br
Weg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-brMauricio Machado Concalves
 
Primus overview pt br_press
Primus overview pt br_pressPrimus overview pt br_press
Primus overview pt br_pressVALMORHUMBERTO
 
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)Manoel Salazar
 
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)Manoel Salazar
 
Manual tecnico de bolso
Manual tecnico de bolsoManual tecnico de bolso
Manual tecnico de bolsoJoe Zafa
 
Contatores e relés de proteção weg
Contatores e relés de proteção wegContatores e relés de proteção weg
Contatores e relés de proteção wegitamar2019
 
Conexões galvanizadas.pdf
Conexões galvanizadas.pdfConexões galvanizadas.pdf
Conexões galvanizadas.pdfEuclidesSantana2
 
Catalogos-Metodos-de-Partida-Manobra-e-Protecao.pdf
Catalogos-Metodos-de-Partida-Manobra-e-Protecao.pdfCatalogos-Metodos-de-Partida-Manobra-e-Protecao.pdf
Catalogos-Metodos-de-Partida-Manobra-e-Protecao.pdfAndrMoreira676158
 
Catalogo produtos v-1_baixa
Catalogo produtos v-1_baixaCatalogo produtos v-1_baixa
Catalogo produtos v-1_baixaheraldo ribeiro
 

Semelhante a Tabelas de conversão (20)

catalogo norgrenv pneumatica M46000 m46100 m46200
catalogo norgrenv pneumatica M46000 m46100 m46200catalogo norgrenv pneumatica M46000 m46100 m46200
catalogo norgrenv pneumatica M46000 m46100 m46200
 
Weg contatores-e-reles-de-sobrecarga
Weg contatores-e-reles-de-sobrecargaWeg contatores-e-reles-de-sobrecarga
Weg contatores-e-reles-de-sobrecarga
 
Weg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-br
Weg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-brWeg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-br
Weg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-br
 
Weg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-br
Weg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-brWeg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-br
Weg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-br
 
Medidor de vazão eletromagnetico MAFETECH IND
Medidor de vazão eletromagnetico MAFETECH INDMedidor de vazão eletromagnetico MAFETECH IND
Medidor de vazão eletromagnetico MAFETECH IND
 
Porcas
PorcasPorcas
Porcas
 
Catálogo corrente
Catálogo   correnteCatálogo   corrente
Catálogo corrente
 
Catalogo completo-macro-aluminio
Catalogo completo-macro-aluminioCatalogo completo-macro-aluminio
Catalogo completo-macro-aluminio
 
Tabelafev6policabos 1340208917
Tabelafev6policabos 1340208917Tabelafev6policabos 1340208917
Tabelafev6policabos 1340208917
 
Catalogo do-produto-trane-chiller-cgad
Catalogo do-produto-trane-chiller-cgadCatalogo do-produto-trane-chiller-cgad
Catalogo do-produto-trane-chiller-cgad
 
Weg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-br
Weg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-brWeg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-br
Weg guia-de-selecao-de-partidas-50037327-manual-portugues-br
 
Primus overview pt br_press
Primus overview pt br_pressPrimus overview pt br_press
Primus overview pt br_press
 
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
 
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
Memorial de calculo_projeto_eletrico (1)
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 
Manual tecnico de bolso
Manual tecnico de bolsoManual tecnico de bolso
Manual tecnico de bolso
 
Contatores e relés de proteção weg
Contatores e relés de proteção wegContatores e relés de proteção weg
Contatores e relés de proteção weg
 
Conexões galvanizadas.pdf
Conexões galvanizadas.pdfConexões galvanizadas.pdf
Conexões galvanizadas.pdf
 
Catalogos-Metodos-de-Partida-Manobra-e-Protecao.pdf
Catalogos-Metodos-de-Partida-Manobra-e-Protecao.pdfCatalogos-Metodos-de-Partida-Manobra-e-Protecao.pdf
Catalogos-Metodos-de-Partida-Manobra-e-Protecao.pdf
 
Catalogo produtos v-1_baixa
Catalogo produtos v-1_baixaCatalogo produtos v-1_baixa
Catalogo produtos v-1_baixa
 

Último

Integração_de__Segurança do Trabalho.pdf
Integração_de__Segurança do Trabalho.pdfIntegração_de__Segurança do Trabalho.pdf
Integração_de__Segurança do Trabalho.pdfEderAlexandre7
 
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxSEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxavaseg
 
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxmarketing18485
 
treinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plásticatreinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plásticaleilannygaldino
 
NR10-Treinamento-Basico-Parte-2-Jul-21.pptx
NR10-Treinamento-Basico-Parte-2-Jul-21.pptxNR10-Treinamento-Basico-Parte-2-Jul-21.pptx
NR10-Treinamento-Basico-Parte-2-Jul-21.pptxMarceloLeoSanttana
 
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slides
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slidesAula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slides
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slidesAntonioJhennysonSouz1
 
Ateliê de costura trabalho final apresentação.pdf
Ateliê de costura trabalho final apresentação.pdfAteliê de costura trabalho final apresentação.pdf
Ateliê de costura trabalho final apresentação.pdfJaquelineMoura42
 
pdfcoffee.com_cod1122-treinamento-de-paleteira-eletrica-pdf-free (1).pdf
pdfcoffee.com_cod1122-treinamento-de-paleteira-eletrica-pdf-free (1).pdfpdfcoffee.com_cod1122-treinamento-de-paleteira-eletrica-pdf-free (1).pdf
pdfcoffee.com_cod1122-treinamento-de-paleteira-eletrica-pdf-free (1).pdfrwewerw
 
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptxProposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptxWiliamArmandoHarisso
 

Último (9)

Integração_de__Segurança do Trabalho.pdf
Integração_de__Segurança do Trabalho.pdfIntegração_de__Segurança do Trabalho.pdf
Integração_de__Segurança do Trabalho.pdf
 
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxSEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
 
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
 
treinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plásticatreinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plástica
 
NR10-Treinamento-Basico-Parte-2-Jul-21.pptx
NR10-Treinamento-Basico-Parte-2-Jul-21.pptxNR10-Treinamento-Basico-Parte-2-Jul-21.pptx
NR10-Treinamento-Basico-Parte-2-Jul-21.pptx
 
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slides
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slidesAula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slides
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slides
 
Ateliê de costura trabalho final apresentação.pdf
Ateliê de costura trabalho final apresentação.pdfAteliê de costura trabalho final apresentação.pdf
Ateliê de costura trabalho final apresentação.pdf
 
pdfcoffee.com_cod1122-treinamento-de-paleteira-eletrica-pdf-free (1).pdf
pdfcoffee.com_cod1122-treinamento-de-paleteira-eletrica-pdf-free (1).pdfpdfcoffee.com_cod1122-treinamento-de-paleteira-eletrica-pdf-free (1).pdf
pdfcoffee.com_cod1122-treinamento-de-paleteira-eletrica-pdf-free (1).pdf
 
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptxProposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
 

Tabelas de conversão

  • 1. RTABELAS DE CONVERSÃO E FÓRMULAS: Aplicações para motores hidráulicos.................................................................. 07 Cálculo da perda de carga em tubulação........................................................... 04 Cálculo do diâmetro nominal (interno e externo) de tubulação....................... 03 Circuitos hidráulicos............................................................................................. 08 Conversões de unidades................................................................................... 01 Fórmulas de cálculo.............................................................................................. 02 Roscas: - Rosca NPT e UNF SAE...................................................................................... 05 - Rosca BSP......................................................................................................... 05 - Rosca métrica.................................................................................................... 06
  • 2. TABELA DE CONVERSÕES E FÓRMULAS Conversões Maiores informações, consulte nosso depto de vendas técnicas. Av. Vila Ema 1351 Vila Graciosa São Paulo SP Brasil 03156-001 • Fone: ++55 (11) 6100-7400 • Fax: ++55 (11) 6100-7409 • E-mail: verion@verion.com.br • http://www.verion.com.bra TABELAS DE CONVERSÃO E FÓRMULAS 01 R Energía ft-lbs kg-m kw-hr hp-hr in-lb Joule 1 .1383 12 1.356 7.233 1 86.80 9.806 1 1.341 859.9 .7457 1 641.2 .0833 .01152 1 .113 Velocidade mtr/sec ft/sec km/hr mph ft/min 1 3.281 3.6 2.237 196.85 .3048 1 1.097 .6818 60 .2778 .9113 1 .6214 54.68 .4470 1.467 1.609 1 88 .00508 .01667 .01829 .01136 1 Volume in3 cm3 litros quart galón 1 16.39 .01639 .0173 .004 .06102 1 .001 .0010 .00026 61.02 1000 1 1.05 .26 57.75 947 .9463 1 .25 231.26 3790 3.79 3.98 1 Força e Peso newt daN kg (kp) lbs 1 .1 .1020 .224 10 1 1.020 2.24 9.807 .9807 1 2.20 4.4482 .4448 .4536 1 Temperatura de ºC a ºF de ºF a ºC 32 + (1,8 x ºC) (ºF - 32) x 0,55 Área in2 cm2 mm2 1 6.452 645.2 .1550 1 .01 .001550 100 1 Potência hp kw met hp 1 .7457 1.014 1.341 1 1.360 .9863 .7355 1 Torque ft-lbs lbs-in da-Nm Nm kp-m kg-m 1 12 .13556 1.356 .1382 .1382 .08333 1 .01130 .1130 .01152 .01152 7.376 88.51 1 10 1.019 1.019 .7376 8.851 .1 1 .102 .102 7.2359 86.80 .9806 9.806 1 1 Comprimento cm inch pés mtr km milhas 1 .3937 .03281 .01 .00001 2.54 1 .08333 .02778 30.48 12 1 .3048 100 39.37 3.281 1 .001 100000 39370 3281 1000 1 .6214 160934 63360 5280 1609 1.609 1 Viscosidade (SSU) ISO-VG CentiStoke CentiPoise* 31 2 1.0 0.876 35 3 2.5 2.19 40 5 4.2 3.68 45 5/7 5.9 5.17 50 7 7.5 6.57 55 7/10 8.8 7.71 60 10 10.5 9.20 70 10/15 13.2 11.56 80 15 15.7 13.75 90 22 18.2 15.94 100 22 20.6 18.05 150 32 32.0 28.03 200 46 43.2 37.84 300 68 65.0 56.94 400 68/100 86.0 75.34 500 100 108 94.61 750 150 162 141.91 1000 220 216 189.22 1500 320 323 282.95 2000 460 431 377.56 3000 680 648 567.65 4000 1000 862 755.11 Pressão kgf/mm2 kgf/cm2 bar psi Mpa 1 100 98.066 1422.334 9.807 0.01 1 0.9807 14.223 0.098 0.0102 1.0197 10 14.5038 0.1 0.0007 0.0703 0.06895 1 0.066895 0.10197 10.197 10 145.037 1
  • 3. TABELA DE CONVERSÕES E FÓRMULAS Fórmulas Maiores informações, consulte nosso depto de vendas técnicas. Av. Vila Ema 1351 Vila Graciosa São Paulo SP Brasil 03156-001 • Fone: ++55 (11) 6100-7400 • Fax: ++55 (11) 6100-7409 • E-mail: verion@verion.com.br • http://www.verion.com.bra TABELAS DE CONVERSÃO E FÓRMULAS 02 R Equações para Bombas e Motores Vazão (GPM) = n (RPM) Cilindrada (in.3 ) 231 Cilindrada (cm3 /rev) = Vazão (lts/min) x 1000 n (RPM) Nº de voltas (RPM) = =Vazão (lts/min) x 1000 Cilindrada (cm3 /rev) Vazão (GPM) x 231 Cilindrada (in.3 ) Potência (HP) = =Pressão (PSI) x Vazão (GPM) 1714 Potência (KW) = Pressão (bar) x Vazão (lts/min) 600 Pressão (PSI) = Potência (HP) x 1714 Vazão (GPM) Vazão (GPM) = Potência (HP) x 1714 Pressão (PSI) Vazão (lts/min) = Potência (HP) x 450 Pressão (bar) = Potência (KW) x 600 Pressão (bar) Pressão (bar) x Vazão (lts/min) 450 x η Pressão (bar) = =Potência (HP) x 450 Vazão (lts/min) Potência (KW) x 600 Vazão (lts/min) Vazão (lts/min) = n (RPM) x Cilindrada (cm3 /rev) 1000 Equações para Cilindros Hidráulicos: Área do embolo (cm2 ) = d1 2 [mm]2 . π 400 Área da haste (cm2 ) = d2 2 [mm]2 . π 400 Área diferencial (cm2 ) = (d1 2 [mm]2 - d2 2 [mm]2 ) π 400 Força de avanço (kN) = p . d1 2 [mm]2 π 40.000 Força de recuo (kN) = p . (d1 2 [mm]2 - d2 2 [mm]2 ) π 40.000 Velocidade (m/s) vazão (lts/min) . 10-3 área (cm2 ) . 60 Equações para Motores: Torque (daNm) = ∆p (bar) x Cilindrada (cm3 /rev) 628 Equações para Motores de Roda: Velocidade (km/h) = n (RPM) x Raio estático (mm) x 0,000754 Nº de voltas (RPM) = Velocidade (km/hs) Raio estático (mm) x 0,000754 Raio estático (mm) = Velocidade (km/hs) n (RPM) x 0,000754 Cilindrada (cm3 /rev.) = Torque (da Nm) x 628 ∆p (bar) Torque (kgm) = Potência (HP) x 716,2 n (RPM) Nº de volta (RPM) = Potência (HP) x 716,2 Torque (kgm) Potência gerada (HP) = Torque (kgm) x n (RPM) 716,2
  • 4. TABELA DE CONVERSÕES E FÓRMULAS Cálculo de diâmetro nominal Maiores informações, consulte nosso depto de vendas técnicas. Av. Vila Ema 1351 Vila Graciosa São Paulo SP Brasil 03156-001 • Fone: ++55 (11) 6100-7400 • Fax: ++55 (11) 6100-7409 • E-mail: verion@verion.com.br • http://www.verion.com.bra TABELAS DE CONVERSÃO E FÓRMULAS 03 R Exemplo: Para calcular o diâmetro da linha de sucção de 01 bomba onde a vazão é de Q= 15 l/m deve-se marcar a vazão na coluna da esquerda e a veloci- dade (de 0,5 a 1,5 m/s) na coluna da direita. Traçar uma reta e onde houver a inter- secção com a coluna do meio (diâmetro mm “di”) será o diâmetro interno ideal con- forme a ABNT. Velocidades indicadas: Técnico / econômico Linha Velocidade recomendada Sucção 0,5 .....................1,5 m/s. Pressão Até 100 Bar 2,0......................4,0 m/s Até 315 Bar 4,0....................12,0 m/s Retorno 2,0……………..3,0 m/s
  • 5. TABELA DE CONVERSÕES E FÓRMULAS Cálculo da perda de carga em tubulações Maiores informações, consulte nosso depto de vendas técnicas. Av. Vila Ema 1351 Vila Graciosa São Paulo SP Brasil 03156-001 • Fone: ++55 (11) 6100-7400 • Fax: ++55 (11) 6100-7409 • E-mail: verion@verion.com.br • http://www.verion.com.bra TABELAS DE CONVERSÃO E FÓRMULAS 04 R 16 04 Devido a viscosidade e a capacidade da bomba, é possível determinar, mediante a tabela, a perda de carga para cada 100 m de tubulação. Estabelece-se, nas escalas de viscosidade, capacidade e diâmetro interno do tubo, os valores correspondentes V, Q e D. Unir os pontos V e Q com uma reta que cruza sobre a linha “índice” e o ponto de intersecção é o ponto I. Traçar deste ponto I, uma reta que passe por D até que se encontre com a escala da perda de carga no ponto P; o valor correspon- dente representa a perda de carga ao comprimento de 100 m de tubulação. EXEMPLO: uma tubulação percorrida por um fluído de 150 cSt. de viscosidade, com uma vazão de 200 l/min e com um diâmetro de 40 mm, tenderá a uma perda de carga de 1 kg/cm2 por cada 100 m de comprimento.
  • 6. TABLAS DE CONVERSIONES Y FÓR- MULAS Rosca NPT e UNF / SAE Maiores informações, consulte nosso depto de vendas técnicas. Av. Vila Ema 1351 Vila Graciosa São Paulo SP Brasil 03156-001 • Fone: ++55 (11) 6100-7400 • Fax: ++55 (11) 6100-7409 • E-mail: verion@verion.com.br • http://www.verion.com.bra TABELAS DE CONVERSÃO E FÓRMULAS 05 R NPT FIOS POR A B C D POLEGADA 1/8 27 10 9 10,4 9 1/4 18 14,2 12,5 13,9 11,7 3/8 18 14,2 13,5 17,3 15,2 1/2 14 19 16,5 21,6 18,8 3/4 14 19 17,5 27 24 1 11 1/2 24 20,5 33,7 30 1.1/4 11 1/2 25 21,0 42,5 38,8 1.1/2 11 1/2 25,5 21,0 48,7 45 2 11 1/2 26 22 60,7 57 2.1/2 8 38,5 30 73,5 68 3 8 40 32 89,4 84 Rosca NPT Cônica Rosca UNF/SAE Paralela SAE UNF FIOS POR A B C D E G I M X paralela POLEGADA - 5/16 24 7,5 10 7,8 6,9 - 3/8 24 7,5 10 9,4 8,5 4 7/16 20 9,2 11,5 11 9,8 21,0 12,4 2,6 1,6 2,6 5 1/2 20 9,2 11,5 12,6 11,5 22,9 14,0 2,6 1,6 2,7 6 9/16 18 10 12,7 14,1 11,9 24,9 15,6 2,7 1,6 2,7 8 3/4 16 11,1 14,2 18,9 17,5 29,9 20,6 2,7 2,3 2,7 10 7/8 14 12,7 16,5 22,1 20,5 34,0 24,0 2,7 2,3 2,7 12 1 1/16 12 15 19 26,8 24,9 40,9 29,2 3,5 2,3 19 14 1 3/16 12 15 19 30 28 45,0 32,4 3,5 2,3 19 16 1 5/16 12 15 19 33,1 31,2 48,9 35,5 3,5 3,2 19 20 1 5/8 12 15 19 41,1 39,2 58,0 43,5 3,5 3,2 19 24 1 7/8 12 15 19 47,5 45,6 64,9 49,9 3,5 3,2 19 BSP BSPT BSP FIOS p/ A A1 B D D1 D2 D3 D4 E F paralela cônica com O-Ring POL 1/8 BSP 1/8 BSPT 1/8 BSP 28 8 10 10 9,6 10,1 14 18 8,8 17 1/4 BSP 1/4 BSPT 1/4 BSP 19 12 14,2 13 13 13,7 18 22 11,8 22 3/8 BSP 3/8 BSPT 3/8 BSP 19 12 14,2 15 16,5 17,2 22 24,2 15,3 24 1/2 BSP 1/2 BSPT 1/2 BSP 14 14 19 16 20,8 21,6 26 30 19 31 0,5 3/4 BSP 3/4 BSPT 3/4 BSP 14 16 19 17 26,3 27 32 40 24,5 35 min 1 BSP 1 BSPT 1 BSP 11 18 24 20 33 34,1 39 46 30,7 43 1.1/4 BSP 1.1/4 BSPT 1.1/4 BSP 11 20 25 22 41,8 42,7 49 54 39,6 53 1.1/2 BSP 1.1/2 BSPT 1.1/2 BSP 11 22 25,5 22 47,7 48,6 55 60 45,4 60 2 BSP 2 BSPT - 11 24 26 24 59,5 60,0 68 - 57,2 - - 2.1/2 BSP 2.1/2 BSPT - 11 26 38,5 26 75 75,5 87 - 72,7 - - 3 BSP 3 BSPT - 11 28 40 28 87,7 89 103 - 85,5 - - TABLAS DE CONVERSIÓN Y FÓRMULAS Rosca BSP norma ISO 228
  • 7. Rosca métrica norma ISO 262 Maiores informações, consulte nosso depto de vendas técnicas. Av. Vila Ema 1351 Vila Graciosa São Paulo SP Brasil 03156-001 • Fone: ++55 (11) 6100-7400 • Fax: ++55 (11) 6100-7409 • E-mail: verion@verion.com.br • http://www.verion.com.bra TABELAS DE CONVERSÃO E FÓRMULAS 06 R Métrica Métrica Métrica A B D D2 D3 D4 E F paralela cônica com O-Ring M 8x1 MK 8x1 8 11 8 12 - 7 18 M 10x1 MK 10x1 M 10x1 8 11 10 14 18 9 20 M 12x1,5 MK 12x1,5 M 12x1,5 12 15 12 17 20 10,5 23 M 14x1,5 MK 14x1,5 M 14x1,5 12 15 14 19 22 12,5 25 M 16x1,5 MK 16x1,5 M 16x1,5 12 15 16 21 24,2 14,5 28 M 18x1,5 MK 18x1,5 M 18x1,5 12 16 18 23 26,5 16,5 30 M 20x1,5 14 17 20 25 - 18,5 M 22x1,5 MK 22x1,5 M 22x1,5 14 17 22 27 30 20,5 34 0,5 M 24x1,5 14 17 24 29 - 22,5 min M 26x1,5 MK 26x1,5 16 19 26 31 - 24,5 M 27x2 M 27x2 16 19 27 32 40 25 40 M 33x2 M 33x2 18 21 33 39 46 31 49 M 42x2 M 42x2 20 23 42 49 54 40 60 M 48x2 M 48x2 22 25 48 55 60 46 M 60x2 24 26 60 68 - 58 M 75x2 26 28 75 84 - 73 M 88x2 28 30 88 98 - 86 NPT øA B C F G -3 métrica UNC-28 1/2” 13 38,1 17,5 M8 5/6-18 16 3/4” 19 47,6 22,2 M10 3/8-16 16 1” 25 52,4 26,2 M10 3/8-16 17 1.1/4” 32 58,7 30,2 M10 7/16-14 20 1.1/2” 38 69,9 35,7 M12 1/2-13 20 Flange SAE (3000 PSI) 0 NPT øA B C F G -3 métrica UNC-28 1/2” 13 40,5 18,2 M8 5/6-18 16 3/4” 19 50,8 23,8 M10 3/8-16 17 1” 25 57,2 27,8 M12 7/16-14 20 1.1/4” 32 66,7 31,8 M14 1/2-13 22 1.1/2” 38 79,4 26,6 M16 5/8-11 22 Flange SAE (6000 PSI) 0
  • 8. TABLAS DE CONVERSIONES Y FÓR- MULAS Aplicações para motores hidráulicos Cálculo para veículos TABELAS DE CONVERSÃO E FÓRMULAS 07 R Maiores informações, consulte nosso depto de vendas técnicas. Av. Vila Ema 1351 Vila Graciosa São Paulo SP Brasil 03156-001 • Fone: ++55 (11) 6100-7400 • Fax: ++55 (11) 6100-7409 • E-mail: verion@verion.com.br • http://www.verion.com.bra 6- Força de tração total: TE, daN A força de tração total é a força necessária do veículo motriz. São a soma das forças obtidas nos itens 2 a 5, com um incre- mento de 10% por causa da resistência do ar. TE= 1,1 x (RR + GR + FA + DP) RR= força necessária para vencer a resistência de locomoção. GR= força necessária para vencer a rampa. FA= força necessária para realizar a aceleração. DP= força de tração adicional (arraste). 7- Torque do motor hidráulico: Mt, daN Torque necessário para qualquer motor. N= cilindrada do motor ηM= eficiência mecânica (de estar disponível) 8- Aderência entre pneu e a superfície: Mw, daN Para evitar patinamento, Ter as seguintes condições Mw > M f = fator de atrito (tabela 3) Gw = peso total do veículo sobre as rodas, daN Tabela 3: 9- Carga radial do motor hidráulico: Prad, daN Quando o veículo é utilizado com aro de roda montadas direta- mente sobre o eixo do motor, a carga radial total sobre o eixo do motor Prad, compreende a soma da força do movimento e força a-tuante em cada roda. Gw = peso total sobre cada roda Prad = carga radial total sobre o eixo do motor M/Rm = força de movimento Conforme a carga calculada deve-se selecionar o motor hidráuli- co adequado 1- Velocidade do motor: Vkm = velocidade do veículo, km/h; Rm = raio médio do pneu, m; i = relação do redutor Sem redutor usar i=1 2- Resistência ao atrito na translação do veículo: RR, daN A resistência à locomoção depende do tipo de terreno: RR= G x p G= peso total do veículo, lbs daN; p= coeficiente de atrito do pneu (tabela 1) Tabela 1: Coeficiente de atrito do pneu as diferentes superficie: (*) Macadam = pavimento de pedra moída aglomerada por um rolo compactador. 3- Rampa: GR, daN GR= G x (sen α + p x cos α) Ângulos de rampa (Tabela 2) Tabela 2: 4- Força de aceleração: FA, daN Força FA necessária para aceleração de 0 a máxima velocidade V e tempo necessário t. FA = Força de aceleração, daN t = tempo n = 2,65 x Vkm x i Rm Mt = TE x Rm N x i x ηM MW = GW x f x Rm i x ηM SUPERFICIE p SUPERFICIE p Concreto defeituoso 0,01 Macadam sinuoso 0,037 Concreto plano 0,015 Neve – 5 cm 0,025 Concreto sinuoso 0,02 Neve – 10 cm 0,037 Asfalto defeituoso 0,012 Superfície lisa 0,025 Asfalto plano 0,017 Superfície arenosa 0,04 Asfalto sinuoso 0,022 Barro 0,037 + 0,150 Macadam defeituoso (*) 0,015 Areia 0,060 + 0,150 Macadam plano 0,022 Areia solta 0,160 + 0,300 SUPERFICIE FATOR DE SUPERFÍCIE FATOR DE ATRITO ATRITO Roda de aço x aço 0,15 + 0,20 Pneu x concreto 0,8 + 1,0 Pneu x superfície polida 0,5 + 0,7 Pneu x mato 0,4 Pneu x asfalto 0,8 + 1,0 RAMPA ÂNGULO RAMPA ÂNGULO % α % α 1 0º 35’ 12 6º 5’ 2 1º 09’ 15 8º 31’ 5 2º 51’ 20 11º 19’ 6 3º 26’ 25 14º 3’ 8 4º 35’ 32 18º 10 5º 43’ 60 31º Prad = Gw + M 2 Rm( )√ FA = Vkm x G, daN 3,6 x t 5- Força de tração: DP, daN Força de tração adicional para iniciar o movimento de translação. Deve-se agregar a Força de tração nos itens 2, 3 e 4 no caso de força de arraste
  • 9. Circuitos hidráulicos abertos e fechados TABELAS DE CONVERSÃO E FÓRMULAS 08 R Conexão individual, em série e em paralelo: Os motores podem utilizar-se individualmente ou conectar-se em série ou paralelo. No caso de funcionamento em série, o óleo de retorno flui de um motor para o outro seguinte. Isto quer dizer que cada motor utiliza a vazão de óleo total da bomba, procedimento eficaz para utilizar a capacidade da bomba, sempre e quando as perdas de carga através dos motores individuais são suficientes. Os valores admis- síveis para as pressões de entrada e de retorno do motor assim como os valores de carga através dos motores, NÃO devem ser ultrapassados. Os eixos dos motores conectados em série não deverão estar acoplados mecanicamente (existem pequenas diferenças entre os deslocamentos e as vazões de saída dos motores). Com o funcionamento em paralelo, a vazão total de óleo proce- dente da bomba se divide entre os motores conectados e a perda de carga máx. admissível pode ser utilizada completamente. Sistemas hidráulicos: Uma combinação de funcionamento em paralelo e em série é comumente usado para a transmissão hidrostática de veículos. O torque elevado e a velocidade reduzida permitidos para o fun- cionamento em paralelo são utilizados para o arranque e o deslo- camento a velocidade lenta (trabalho em rampas elevadas inclu- sive). O funcionamento em série permitirá obter uma velocidade elevada e um torque reduzido para o deslocamento em grande velocidade. A transmissão hidrostática realizada desta forma corresponde de forma a obter duas velocidades. Durante o funcionamento em série, os motores estão conectados pela mesma vazão de óleo, disposição que corresponde ao acoplamento mecânico dos motores como um diferencial. Se empregam válvulas de sucção entre os motores porque a superfície sobre a qual se desloca o veículo comunica-se mecani- camente as rodas de arraste. Os motores hidráulicos M+S podem ser utilizados tanto para circuitos abertos como em circuitos fechados. Motor hidráulico em circuito aberto Funcionamento em série Funcionamento em paralelo Motor hidráulico em circuito fechado Maiores informações, consulte nosso depto de vendas técnicas. Av. Vila Ema 1351 Vila Graciosa São Paulo SP Brasil 03156-001 • Fone: ++55 (11) 6100-7400 • Fax: ++55 (11) 6100-7409 • E-mail: verion@verion.com.br • http://www.verion.com.bra