Atividades
Eu passei a conviver com Alzheimer na minha juventude. Minha Vó Rosa foi diagnosticada com
esta doença. Acompanhei toda a ...
A doença de Alzheimer não se restringe ao
paciente. Ela afeta e envolve toda a
família.
A doença de Alzheimer é resultado ...
Não existe nenhum exame biológico
exclusivo para a doença de Alzheimer. Por
isso, todas as opções de diagnóstico são
usado...
Por esta razão, e porque os sintomas
podem sinalizar diversos diagnósticos, é de
fundamental importância consultar um
médi...
• Esquece compromissos
• Perde noção do local onde se encontra.
• Fica perdido em um caminho e não
consegue voltar.
• Perd...
• A concentração torna-se mais difícil. Não
consegue decidir.
• Demora muito mais tempo para fazer
as mesmas coisas.
• Não...
• Fala, leitura e escrita prejudicadas.
• Comete erros de ortografia e escrita.
• Alterações no comportamento.
• Alteraçõe...
A alimentação é um dos principais pilares nos
cuidados com uma pessoa com Alzheimer.
Com o avanço da doença, o paciente to...
Eles poderão indicar alimentos moles que
possam ser engolidos com facilidade.
Se houver perda de peso, sob orientação
médi...
Atividades
As atividades, através da Terapia Ocupacional, tem como
objetivo recuperar ou manter as capacidades funcionais ...
A fisioterapia aumenta o equilíbrio e a força
muscular dos idosos e, no caso de
Alzheimer, deve ser iniciada imediatamente...
Os exercícios, ao melhorarem o equilíbrio,
ajudam a diminuir a possibilidade de
quedas.
Caminhar também é um bom exercício...
O conceito de qualidade de vida para as
pessoas com Alzheimer é similar aos das
pessoas sadias: realizar suas atividades
d...
Todas elas associadas objetivam manter
uma boa qualidade de vida ao paciente.
Porém, quais terapias poderão ser
benéficas ...
O paciente com Alzheimer percebe o mundo
através dos sentidos.
Expresse o seu carinho através do toque, som,
visão, palada...
A cura para doenças neuro degenerativas pode
estar mais perto do que se imagina e disponível
nos próximos cinco anos.
No q...
A vacina do Alzheimer ataca o acúmulo de uma
proteína chamada beta-amilóide que forma uma
prejudicial placa de cera no cér...
Outro mal que afeta muitas pessoas com o passar da
idade é a doença de Parkinson.
Aqui, a notícia animadora é de uma droga...
Pessoas que experimentaram a droga apresentaram
melhoras significativas na coordenação motora e
também controle sobre a di...
Nós, na Casa de Repouso Viva Bem, garantimos aos familiares a
tranquilidade de que nossa equipe multidisciplinar está apta...
FONTES:
http://www.medicalnewstoday.com/
www.alzheimers.net
www.alzheimers society.org
http://www.hopkinsmedicine.org/
Alzheimer: desde os sintomas até a cura.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Alzheimer: desde os sintomas até a cura.

609 visualizações

Publicada em

O Alzheimer é uma doença que envolve toda a família e não apenas o paciente. Saiba o que é, quais os sintomas e como cuidar.

O Alzheimer ainda não tem cura. Mas a cura para doenças neuro degenerativas pode estar mais perto do que se imagina e disponível nos próximos cinco anos. O tratamento está sendo testado com resultados bastante animadores no Hospital Franchay, em Bristol, na Inglaterra. Pessoas que experimentaram a droga apresentaram melhoras significativas na coordenação motora e também controle sobre a distonia – a ação involuntária em que o paciente de Parkinson se contorce.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
609
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Alzheimer: desde os sintomas até a cura.

  1. 1. Atividades
  2. 2. Eu passei a conviver com Alzheimer na minha juventude. Minha Vó Rosa foi diagnosticada com esta doença. Acompanhei toda a evolução e pude observar que a doença não era só dela. Era de toda a família porque cada familiar é diretamente envolvido. Até determinado estágio ela foi cuidada em casa. Chegou um momento em que foi morar em uma casa de repouso. Difícil decisão mas foi a melhor para ela e para todos da família. Eu ia visitá-la quase todos os dias em seu novo lar. Convivi com ela e suas novas amigas durante 5 anos até que Vovó Rosa retirou-se. Gostei tanto de conviver com aquelas senhorinhas que, alguns anos depois, em 2.008, inaugurei a primeira unidade da Casa de Repouso Viva Bem. Há 7 anos, diariamente, convivo com muitas senhorinhas com Alzheimer e com os seus familiares. Administro uma equipe multidisciplinar para oferecer qualidade de vida e carinho. Estou muito entusiasmada com os avanços na descoberta da cura para Alzheimer. Nesta apresentação demonstro o que os cientistas estão fazendo. Tomara que para breve. Com este trabalho, sem nenhum valor científico, quero apenas dividir minha experiência pessoal com pessoas que enfrentam o mesmo problema que já enfrentei no passado. Pesquisei em vários sites especializados que estão relacionados ao final. Espero que seja útil para você. Juliana Teixeira da Silva www.casaderepousovivabem.com.br
  3. 3. A doença de Alzheimer não se restringe ao paciente. Ela afeta e envolve toda a família. A doença de Alzheimer é resultado da morte das células do cérebro e leva a perda de memória e declínio cognitivo. Trata-se de um tipo de demência neurodegenerativa que começa sutilmente e vai apresentando uma piora constante. Atualmente, no Brasil, existem 15 milhões de pessoas com mais de 60 anos. Embora não existam dados precisos sobre quantas pessoas têm a doença, no Brasil, estima-se que aproximadamente 1,2 milhões de pessoas sofrem de Alzheimer.
  4. 4. Não existe nenhum exame biológico exclusivo para a doença de Alzheimer. Por isso, todas as opções de diagnóstico são usados para eliminar outras razões para a demência antes de confirmar a doença de Alzheimer. Após o diagnóstico comprovado o paciente com Alzheimer deve ser cuidado por uma equipe multidisciplinar composta por médico neurologista, psicólogo, terapeuta ocupacional, fisioterapeuta, nutricionista e enfermeira. Os sintomas, com seus diferentes padrões de gravidade, podem confundir o paciente e também seus familiares.
  5. 5. Por esta razão, e porque os sintomas podem sinalizar diversos diagnósticos, é de fundamental importância consultar um médico. O paciente apresenta dificuldades para exercer suas atividades rotineiras tanto no trabalho como pessoalmente. Exemplos: • Apresenta dificuldade para gravar ou relembrar informações recentes • Pergunta ou repete as mesmas coisas. • Frequentemente perde objetos pessoais, coloca-os em locais onde não tinha o hábito e não lembra. • Às vezes acha que foi roubado e chega a acusar outras pessoas.
  6. 6. • Esquece compromissos • Perde noção do local onde se encontra. • Fica perdido em um caminho e não consegue voltar. • Perde a memória. • As tarefas mais complexas ficam mais difíceis. • O raciocínio vai ficando comprometido. • Expõe-se a riscos com sua segurança pessoal. • Não consegue controlar suas finanças.
  7. 7. • A concentração torna-se mais difícil. Não consegue decidir. • Demora muito mais tempo para fazer as mesmas coisas. • Não consegue realizar atividades complexas, sequenciais ou até as regras de um jogo costumeiro. • Tem sua visão prejudicada mas não por problemas oftalmológicos: • Tem dificuldade para reconhecer rostos ou objetos comuns. • Atrapalha-se para usar objetos do dia a dia e até para vestir-se.
  8. 8. • Fala, leitura e escrita prejudicadas. • Comete erros de ortografia e escrita. • Alterações no comportamento. • Alterações de humor, agitação; menos interesse, motivação ou iniciativa; apatia. • Pode tornar-se confuso, desconfiado, deprimido, com medo ou ansioso. • Tem dificuldade para participar de uma conversa. Não lembra de palavras comuns. • Ao identificar alguns destes sintomas o médico deverá ser consultado.
  9. 9. A alimentação é um dos principais pilares nos cuidados com uma pessoa com Alzheimer. Com o avanço da doença, o paciente torna-se mais passivo, esquece de comer ou perde o apetite. Muitas vezes, por causa de uma simples prótese dentária mal ajustada a pessoa com Alzheimer desiste de se alimentar. Outras vezes pode ser por dificuldade em engolir. Nesta hipótese consulte o médico ou o nutricionista.
  10. 10. Eles poderão indicar alimentos moles que possam ser engolidos com facilidade. Se houver perda de peso, sob orientação médica, existe a possibilidade de se adicionar suplementos alimentares. Para manter a pessoa com Alzheimer nutrida, temos que dar tempo suficiente para ela comer. Observe se ela já engoliu antes de ir para a próxima mordida. A sensação de sede diminui. Ofereça líquidos várias vezes por dia para evitar desidratação.
  11. 11. Atividades As atividades, através da Terapia Ocupacional, tem como objetivo recuperar ou manter as capacidades funcionais e cognitivas dos portadores de Alzheimer. Evitar que aumentem as incapacidades. Estimular as próprias capacidades. Habilita-los para as atividades da vida diária. Diversas atividades são realizadas como, por exemplo, jogos, artesanato, colagens, música, culinária, conversas, pintura, etc. A T.O. procura retardar o avanço da doença proporcionando dignidade ao paciente e tranquilidade aos familiares. Atua no dia a dia do paciente, através da reabilitação e estimulação cognitiva. Utiliza várias atividades como: jogos, leituras, artesanais, colagens, associação, condicionamento funcional e de lazer. A Terapia Ocupacional não impedirá o avanço da doença de Alzheimer mas poderá proporcionar Qualidade de Vida.
  12. 12. A fisioterapia aumenta o equilíbrio e a força muscular dos idosos e, no caso de Alzheimer, deve ser iniciada imediatamente. A fisioterapia pode ajudar na redução do desenvolvimento da doença. Diminui ou evita complicações, deformidades. Reforça a musculatura. Além disso, colabora para a independência dos portadores da doença de Alzheimer.
  13. 13. Os exercícios, ao melhorarem o equilíbrio, ajudam a diminuir a possibilidade de quedas. Caminhar também é um bom exercício. Cuidados extras como piso antiderrapante e corrimãos são de grande importância. Na fase adiantada da doença a fisioterapia minimiza os problemas sofridos pelos acamados. Todas estas atividades devem ser monitoradas por Fisioterapeutas capacitados.
  14. 14. O conceito de qualidade de vida para as pessoas com Alzheimer é similar aos das pessoas sadias: realizar suas atividades do dia-a-dia, usar seu tempo de maneira agradável, ter convivência social, sentir-se feliz. Embora ainda não exista cura para a doença de Alzheimer o tratamento médico deve ser associado a terapia ocupacional, fisioterapia, arte-terapia, nutrição, musicoterapia e outras.
  15. 15. Todas elas associadas objetivam manter uma boa qualidade de vida ao paciente. Porém, quais terapias poderão ser benéficas ? Primeiramente, é recomendável identificar quais eram os hobbies que a pessoa com Alzheimer gostava no passado. Quais eram as atividades que lhe proporcionavam mais prazer e satisfação ? Converse com o médico. Ele poderá sugerir outras terapias eficazes.
  16. 16. O paciente com Alzheimer percebe o mundo através dos sentidos. Expresse o seu carinho através do toque, som, visão, paladar e olfato. Por exemplo, cante ou coloque um CD com sua música favorita. Mostre fotos antigas. Converse, comente. Prepare um alimento favorito. Passe uma loção com o perfume favorito na pele. Escove o cabelo da pessoa. Sente-se junto ao ar livre.
  17. 17. A cura para doenças neuro degenerativas pode estar mais perto do que se imagina e disponível nos próximos cinco anos. No que diz respeito ao Alzheimer, a forma mais comum de demência, o novo e promissor tratamento é, na realidade uma vacina capaz de interromper o avanço da doença e reparar alguns danos já causados. Já sobre o Parkinson, uma droga injetada continuamente no paciente, atua diretamente no cérebro e está apresentando resultados animadores.
  18. 18. A vacina do Alzheimer ataca o acúmulo de uma proteína chamada beta-amilóide que forma uma prejudicial placa de cera no cérebro sobre as células do cérebro. Testes do remédio, chamado Betabloc, são realizados no Reino Unido. Os cientistas britânicos, americanos e canadenses envolvidos no estudo da droga acreditam que seu trabalho oferece uma prova final de que a doença de Alzheimer é provocada por alterações químicas no cérebro, embora outros fatores também influenciem no seu desenvolvimento. Antes de chegar ao mercado a vacina ainda precisa ser testada em larga escala.
  19. 19. Outro mal que afeta muitas pessoas com o passar da idade é a doença de Parkinson. Aqui, a notícia animadora é de uma droga continuamente injetada no paciente, através de cateteres, que age diretamente na área afetada do cérebro. A administração da droga é feita por um equipamento implanta do no abdômen que faz o bombeamento do GDNF (Fator Neurotrófico Derivado da Glia ) que incentiva o crescimento de células cerebrais. As “bombas” são reabastecidas a cada dois meses com uma simples injeção e substituídas a cada doze meses ou mais. O tratamento está sendo testado com resultados bastante animadores no Hospital Franchay, em Bristol, na Inglaterra.
  20. 20. Pessoas que experimentaram a droga apresentaram melhoras significativas na coordenação motora e também controle sobre a distonia – a ação involuntária em que o paciente de Parkinson se contorce. A causa da doença é desconhecida e não há cura. Este novo tratamento, no entanto, anda precisa ser testado por mais tempo e deverá levar mais de cinco anos para estar disponível para um amplo público. Profissionais competentes ( médicos, enfermeiras, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais e familiares) devem proporcionar qualidade de vida e carinho enquanto a cura não esteja disponível.
  21. 21. Nós, na Casa de Repouso Viva Bem, garantimos aos familiares a tranquilidade de que nossa equipe multidisciplinar está apta a bem cuidar de seus entes queridos. Visite-nos: Unidade Jardim São Bento Rua Leão X III, 521 – (11) 2236-9011 Unidade Pacaembu Rua Almirante Pereira Guimarães, 405 (11) 3675-8283
  22. 22. FONTES: http://www.medicalnewstoday.com/ www.alzheimers.net www.alzheimers society.org http://www.hopkinsmedicine.org/

×