Cerrado

977 visualizações

Publicada em

Trabalho de Ecologia sobre os mamíferos e o bioma do Cerrado , que se encontra ameaçado nos dias atuais.

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
977
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
26
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cerrado

  1. 1. Cerrado: Um Bioma em extinçãoAutoras: Athaís Gomes, 109306 Elza M. F. Thomaz, 092300 Joyce Cavalcante, 110115 Juliana Rochele, 109923 Keisy Souza, 112167
  2. 2. Vegetação do Cerrado: O bioma Cerrado é a segunda maior formaçãovegetacional do Brasil. Sua formação do tipo savanatropical possui fisionomia mais comum composta deárvores e arbustos baixos coexistindo com uma camadagraminosa.Abrange oito estados do Brasil Central: Minas Gerais,Goiás, Tocantins, Bahia, Maranhão, Mato Grosso, MatoGrosso do Sul, Piauí e o Distrito Federal.
  3. 3. - FAUNA -Animais típicos
  4. 4. Anta (Tapirus terrestris)Peso adulto entre 140 a 250 kg, locomove em todos os subsistemas do Cerrado, embora encontra-se com maior frequência em subsistemas de veredas, ambientes alagadiços e matas ciliares. Segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), esta espécie encontra-se vulnerável .
  5. 5. Ariranha (Pteronura brasiliensis)Peso adulto de 20 kg, transita em mata ciliar. Segundo a IUCN, encontra-se em perigo.
  6. 6. Bugio-preto ou guariba (Alouatta caraya)Peso adulto: 8 a 10 kg, apresenta-se no subsistema de mata ciliar. Segundo a IUCN, está em risco mínimo de extinção.
  7. 7. Cachorro-do-mato (Cerdocyon thous)Peso adulto: 8 kg, transita no subsistema de campo e cerrado. Segundo a IUCN, também está em risco mínimo de extinção.
  8. 8. Cangambá ou Jaratataca (Conepatus semistriatus)Peso adulto: 1 kg, transita nos subsistemas de campo e cerrado. Risco mínimo de extinção.
  9. 9. Capivara (Hydrochoerus hydrochaeris)Peso adulto: 60 a 70 kg, apresenta-se nos subsistemas de veredas e ambientes alagadiços e em matas ciliares. Risco mínimo de extinção.
  10. 10. Cervo (Blastocerus dichotomus)Peso adulto: 100 kg, apresenta-se com maior frequência nos subsistemas de campo, veredas e ambientes alagadiços, mata e mata ciliar. Segundo a IUCN, vulnerável.
  11. 11. Cuíca (Philander opossum)Peso adulto: 4 kg, transita em todos os subsistemas. Risco mínimo de extinção.
  12. 12. Gambá (Didelphis albiventris)Peso adulto: 1 kg, transita nos subsistema cerradão e mata. Risco mínimo de extinção.
  13. 13. Gato-maracajá (Leopardus wiedii)Peso adulto: 6 kg, transita na mata. Segundo a IUCN, é uma espécie quase ameaçada.
  14. 14. Gato-mourisco (Puma yagouaroundi)Peso adulto: 10 kg, transita nas veredas e em ambientesalagadiços. Risco mínimo de extinção.
  15. 15. Gato-palheiro (Leopardus colocolo)Peso adulto: 3 kg, transita no subsistema de cerrado. Espécie quase ameaçada.
  16. 16. Jaguatirica (Leopardus pardalis)Peso adulto: 15 kg, apresenta-se no cerrado, cerradão, mata e mata ciliar. Risco mínimo de extinção.
  17. 17. Lobo-guará (Chrysocyon brachyurus)Peso adulto: 20 kg, transita nos subsistema de campo, cerrado e mata ciliar. Espécie quase ameaçada.
  18. 18. Lontra (Lontra longicaudis)Peso adulto: 10 kg, transita na mata ciliar. Dados insuficientes relativos ao seu status de conservação.
  19. 19. Mão-pelada (Procyon cancrivorus)Peso adulto: 15 kg, transita no subsistema de mata ciliar. Risco mínimo de extinção.
  20. 20. Onça-pintada (Panthera onca)Peso adulto: 80 a 100 kg, transita nos subsistemas de cerradão, mata e mata ciliar. Espécie quase ameaçada.
  21. 21. Ouriço-cacheiro (Coendou prehensilis)Peso adulto: 6 a 8 kg, transita no cerradão, mata, mata ciliar, veredas e ambientes alagadiços. Risco mínimo de extinção.
  22. 22. Paca (Cuniculus paca)Peso adulto: 6 a 8 kg, transita no subsistema de mata ciliar. Risco mínimo de extinção.
  23. 23. Porco-do-mato, ou queixada (Tayassu pecari)Peso adulto: 35 a 40 kg, transita pelos subsistemas do cerrado, cerradão, mata e mata ciliar. Espécie quase ameaçada.
  24. 24. Quati (Nasua nasua)Peso adulto: 5 kg, transita nos subsistemas de cerradão e mata. Risco mínimo de extinção.
  25. 25. Raposa-do-campo (Pseudalopex vetulus)Peso adulto: 8 kg, transita no subsistema de campo. Risco mínimo de extinção.
  26. 26. Suçuarana (Puma concolor)Peso adulto: 60 kg, apresenta-se nos subsistemas de campo, cerrado, cerradão, mata e mata ciliar. Risco mínimo de extinção.
  27. 27. Tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla)Peso adulto: 25 a 30 kg, transita em subsistema de campo e cerrado. Situação da espécie: vulnerável.
  28. 28. Tamanduá-mirim (Tamandua tetradactyla)Peso adulto: 5 a 8 kg, transita em todos os subsistemas, mas apresenta-se com maior frequência no campo. Risco mínimo de extinção.
  29. 29. Tatu-canastra (Priodontes maximus)Peso adulto: 30 kg, é encontrado nos subsistemas de campo, cerrado, cerradão e mata ciliar.Situação da espécie: vulnerável.
  30. 30. Tatupeba (Euphractus sexcinctus)Peso adulto: 3 a 4 kg, transita em campo e cerrado. Risco mínimo de extinção.
  31. 31. Tatu-bola (Tolypeutes tricinctus)Peso adulto: 2 a 3 kg, transita nos subsistemas de campo e cerrado. Situação da espécie: vulnerável.
  32. 32. Tatu-galinha (Dasypus novemcinctus)Peso adulto: 6 a 8 kg, transita no subsistema de campo, cerrado, cerradão e mata ciliar. Risco mínimo de extinção.
  33. 33. Tatu-rabo-mole (Cabassous unicinctus)Peso adulto: 3 kg, apresenta-se em subsistemas de campo e cerrado. Risco mínimo de extinção.
  34. 34. Veado-catingueiro (Mazama gouazoubira)Peso adulto: 20 kg, transita no subsistema do cerradão, mata e mata ciliar. Risco mínimo de extinção.
  35. 35. Veado-campeiro (Ozotoceros bezoarticus)Peso adulto: 40 a 60 kg, transita com maior frequência no subsistema de campo e cerrado. Espécie quase ameaçada de extinção.
  36. 36. Veado-mateiro (Mazama americana)Peso adulto: 25 a 30 kg, transita no subsistema de cerradão, mata e mata ciliar.
  37. 37. Cobra Coral Verdadeira Falsa Coral
  38. 38. Fotos do cerrado em Itirapina – Sp 21/10/2012
  39. 39. CupinzeiroOs cupins são úteis ao ambiente natural em que vivem, pois destroem troncosde árvores mortas, promovendo a sua reciclagem, isto é, transformando-os em outras formas de matéria orgânica que adubam os solos. Além disso,estudos realizados com cupins da Amazônia mostraram que eles também retiram nitrogênio do ar, contribuindo assim, para o aumento da fertilidade dos solos onde vivem. Itirapina
  40. 40. Formigueiros... Itirapina
  41. 41. SaúvasItirapina
  42. 42. Saúvas...As folhas cortadas pela saúva não serve como alimento. Essas folhas servem apenas como uma espécie de adubo, sobre o qual é semeada pelas obreiras uma espécie de cogumelo muito nutritivo que só cresce no interior dos formigueiros. As saúvas causam grandes destruições nas plantações. Porém, enterrando tamanhas quantidades de folhas todos os dias, elas também contribuem para a fertilização do solo!!!
  43. 43. Outros insetos encontrados em Itirapina
  44. 44. REFERÊNCIAS: Branco, Samuel Murgel. Cerrado. Origem, natureza e curiosidades. Editora Moderna São Paulo 2000 http://www.suapesquisa.com/geografia/vegetacao/cerrado.htm http://www.pucgoias.edu.br/hidasi/home/secao.asp? id_secao=303&id_unidade=1 http://www.dicasfree.com/animais-do-cerrado-em-extincao/ http://meioambientecef01.blogspot.com.br/2007/10/fauna-e-animais-do- cerrado.html

×