SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Baixar para ler offline
AGENTE CAUSADOR: Treponema pallidum
SINTOMAS
 - Sífilis primária: Úlcera não dolorosa, e aumento
 dos linfonodos na região da virilha. Em alguns
 casos a úlcera pode surgir na boca ou na faringe,
 caso a transmissão tenha se dado através do sexo
 oral.
 - Sífilis secundária: Erupções na pele, febre, mal
 estar, perda do apetite, dor nas articulações, queda
 de cabelo, aumento dos linfonodos pelo corpo.
 - Sífilis terciária: Úlceras que acometem ossos e
 órgãos, acomete também o sistema nervoso e
 cardiovascular.
TRATAMENTO: Depende do estágio da doença, mas
 utiliza-se antibióticos.
DIAGNÓSTICO: VDRL e TPHA
PERÍODO DE INCUBAÇÃO: Em geral de 1 a 3
 semanas
POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: Aborto espontâneo,
 natimorto,    parto  prematuro,    baixo   peso,
 endometrite pós-parto. Infecções peri e neonatal.
 Sífilis Congênita.
AGENTE CAUSADOR: Haemophilus ducreyi
SINTOMAS: úlcera avermelhada, com secreção
  purulenta, que compromete os genitais mas
  também pode acometer o ânus, em alguns
  pacientes pode haver inchação na virilha.
TRATAMENTO: Antibióticos
DIAGNÓSTICO: Pesquisa do agente em material
 colhido das lesões
PERÍODO DE INCUBAÇÃO: 2 à 5 dias
POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: Não tem.         Tratado
 adequadamente, tem cura completa.
AGENTE CAUSADOR: Candida albicans
SINTOMAS: prurido, ardor, dispareunia ,leucorreia,
  etc. Com frequência, a vulva e a vagina
  encontram-se edemaciadas e avermelhadas. No
  homem apresenta-se com edema na glande e
  prepúcio.
TRATAMENTO: Medicamentos locais e/ou
 sistêmicos
DIAGNÓSTICO: Pesquisa do agente no material
 vaginal
PERÍODO DE INCUBAÇÃO: Muito variável
POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: São raras. Pode
 ocorrer disseminação sistêmica (especialmente
 em imunodeprimidos).
AGENTE CAUSADOR: HSV-2
SINTOMAS: Ardor, prurido, formigamento, gânglios
  inflamados e erupção cutânea. Bolhas cheias
  de líquido se formam e posteriormente cicatrizam.
TRATAMENTO: Não existe ainda tratamento eficaz
 quanto a cura da doença.
DIAGNÓSTICO: O diagnóstico é essencialmente
 clínico (anamnese e exame físico).
PERÍODO DE INCUBAÇÃO: 1 a 26 dias
POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: Aborto espontâneo,
 natimorto, parto prematuro, baixo peso, endometrite
 pós-parto. Infecções peri e neonatais.
AGENTE CAUSADOR: Neisseria gonorrhoeae
SINTOMAS: corrimento pela uretra no homem e
  vagina e/ou uretra na mulher, prurido na uretra e
  disúria. Nas mulheres os sintomas são mais
  brandos ou podem estar ausentes (maioria dos
  casos).
TRATAMENTO: Antibióticos
DIAGNÓSTICO: Exame das secreções coradas pelo
 Gram e/ou cultura do mesmo material.
PERÍODO DE INCUBAÇÃO: 2 a 10 dias
POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: Aborto espontâneo,
 natimorto, parto prematuro, baixo peso,
 endometrite pós-parto, Infertilidade,gravidez
 ectópica,etc.
AGENTE CAUSADOR: Papilomavirus Humano (HPV)
SINTOMAS: lesões papilares (elevações da pele),
  verrugas. Na grande maioria das vezes a infecção é
  assintomática.
TRATAMENTO: cirúrgicos, quimioterápicos,
  cauterizações, etc.
DIAGNÓSTICO: O diagnóstico é essencialmente
  clínico (anamnese e exame físico).
PERÍODO DE INCUBAÇÃO: De semanas a anos
POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: Câncer do colo do
 útero e vulva e, mais raramente, câncer do pênis e
 também do ânus.
AGENTE CAUSADOR: Chlamydia trachomatis
SINTOMAS: Ulcera que dura de três a cinco dias.
  Entre duas a seis semanas após a ferida, surge um
  inchaço doloroso dos gânglios da virilha. Podem
  haver, também, sintomas gerais como dor nas
  articulações, febre e mal estar.
TRATAMENTO: Antibióticos.
DIAGNÓSTICO: Em geral o diagnóstico é feito com
 base nas manifestações clínicas, sendo ocasional a
 necessidade de comprovação laboratorial.
PERÍODO DE INCUBAÇÃO: 7 a 60 dias.
POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: Elefantíase do pênis,
 escroto, vulva. Proctite (inflamação do reto)
 crônica. Estreitamento do reto.
AGENTE CAUSADOR: Calymmatobacterium
 granulomatis
SINTOMAS: Aparecimento de lesões (grânulos e
  caroços), ulceras(feridas) indolores e auto-
  inoculáveis.
TRATAMENTO: Antibióticos.
DIAGNÓSTICO: Clínico com confirmação por exame
 histopatológico (biópsia)
PERÍODO DE INCUBAÇÃO: Variável. De 3 dias a 6
 meses.
POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: Deformidades genitais,
 elefantíase, tumores
AGENTE CAUSADOR: HBV (Hepatitis B Virus)
SINTOMAS: Falta de apetite, febre, náuseas, vômitos,
  astenia, diarréia, dores articulares, icterícia entre
  os mais comuns.
TRATAMENTO: Não há medicamento para combater
 diretamente o agente da doença, tratam-se apenas
 os sintomas e as complicações.
DIAGNÓSTICO: exames realizados no sangue do
 paciente.
PERÍODO DE INCUBAÇÃO: 30 à 180 dias (em média
 75 dias).
POSSÍVEIS     COMPLICAÇÕES:Hepatite crônica,
 Cirrose    hepática,   Câncer   do   fígado
 (Hepatocarcinoma), além de formas agudas
AGENTE CAUSADOR: vírus HIV
SINTOMAS: Os primeiros sintomas(fase aguda) são
  sintomas como: febre, tosse, dor de garganta, etc.
  Mas na maioria das vezes esses sintomas passam
  despercebidos.
TRATAMENTO: Não há tratamento curativo. O
 tratamento serve apenas para diminuir a velocidade
 de multiplicação dos vírus no organismo.
DIAGNÓSTICO: Exames de sangue.
PERÍODO DE INCUBAÇÃO: De 3 a 10 (ou mais) anos
POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: Doenças
 oportunísticas e distúrbios neurológicos.
AGENTE CAUSADOR: De 3 a 10 (ou mais) anos
SINTOMAS: Nas mulheres: Leucorreia(amarelo-
  esverdeada), dispaurenia, prurido vaginal. Nos
  homens: Prurido uretral, secreção branca, disuria.
TRATAMENTO: Quimioterapico
DIAGNÓSTICO: Pesquisa do agente em material
 uretral e/ou vaginal.
PERÍODO DE INCUBAÇÃO: 10 a 30 dias, em média.
POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: Prematuridade. Baixo
 peso ao nascer. Ruptura prematura de bolsa etc.
OBRIGADA PELA ATENÇÃO !

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

infecção urinária na gestação
infecção urinária na gestaçãoinfecção urinária na gestação
infecção urinária na gestaçãoAnderson Anisio
 
Doenças microbianas-do-sistema-reprodutivo-ds ts
Doenças microbianas-do-sistema-reprodutivo-ds tsDoenças microbianas-do-sistema-reprodutivo-ds ts
Doenças microbianas-do-sistema-reprodutivo-ds tsIvete Campos
 
Vulvovaginite atrófica
Vulvovaginite atróficaVulvovaginite atrófica
Vulvovaginite atróficaVanessa Boeira
 
Higiene e profilaxia
Higiene e profilaxiaHigiene e profilaxia
Higiene e profilaxiaSoraya Lima
 
DoençA InflamatóRia PéLvica Dip
DoençA InflamatóRia PéLvica   DipDoençA InflamatóRia PéLvica   Dip
DoençA InflamatóRia PéLvica Dipchirlei ferreira
 
DST'S Relacionadas com corrimentos
DST'S Relacionadas com corrimentosDST'S Relacionadas com corrimentos
DST'S Relacionadas com corrimentosWalquer Sobrinho
 
Trabalho gonorreia 8 serie
Trabalho gonorreia 8 serieTrabalho gonorreia 8 serie
Trabalho gonorreia 8 serieLucas Marques
 
13 exame proctológico e dst em proctologia
13  exame proctológico e dst em proctologia13  exame proctológico e dst em proctologia
13 exame proctológico e dst em proctologiaitsufpr
 
Como abordar o corrimento de repetição na rede de atenção básica de saúde
Como abordar o corrimento de repetição na rede de atenção básica de saúdeComo abordar o corrimento de repetição na rede de atenção básica de saúde
Como abordar o corrimento de repetição na rede de atenção básica de saúdePatricia de Rossi
 
Corrimento vaginal -_trabalho_pet
Corrimento vaginal -_trabalho_petCorrimento vaginal -_trabalho_pet
Corrimento vaginal -_trabalho_petTharles Muller
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente TransmissíveisDoenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente TransmissíveisProfessor Robson
 

Mais procurados (20)

Gonorreia
GonorreiaGonorreia
Gonorreia
 
infecção urinária na gestação
infecção urinária na gestaçãoinfecção urinária na gestação
infecção urinária na gestação
 
Doenças microbianas-do-sistema-reprodutivo-ds ts
Doenças microbianas-do-sistema-reprodutivo-ds tsDoenças microbianas-do-sistema-reprodutivo-ds ts
Doenças microbianas-do-sistema-reprodutivo-ds ts
 
Gonorreia
GonorreiaGonorreia
Gonorreia
 
IST - Gonorreia
IST - GonorreiaIST - Gonorreia
IST - Gonorreia
 
Gonorreia
GonorreiaGonorreia
Gonorreia
 
Infec
InfecInfec
Infec
 
Vulvovaginite atrófica
Vulvovaginite atróficaVulvovaginite atrófica
Vulvovaginite atrófica
 
1o ano ds ts - gonorréia
1o ano   ds ts - gonorréia1o ano   ds ts - gonorréia
1o ano ds ts - gonorréia
 
Gonorréia
GonorréiaGonorréia
Gonorréia
 
Higiene e profilaxia
Higiene e profilaxiaHigiene e profilaxia
Higiene e profilaxia
 
DoençA InflamatóRia PéLvica Dip
DoençA InflamatóRia PéLvica   DipDoençA InflamatóRia PéLvica   Dip
DoençA InflamatóRia PéLvica Dip
 
DST'S Relacionadas com corrimentos
DST'S Relacionadas com corrimentosDST'S Relacionadas com corrimentos
DST'S Relacionadas com corrimentos
 
Trabalho gonorreia 8 serie
Trabalho gonorreia 8 serieTrabalho gonorreia 8 serie
Trabalho gonorreia 8 serie
 
13 exame proctológico e dst em proctologia
13  exame proctológico e dst em proctologia13  exame proctológico e dst em proctologia
13 exame proctológico e dst em proctologia
 
Como abordar o corrimento de repetição na rede de atenção básica de saúde
Como abordar o corrimento de repetição na rede de atenção básica de saúdeComo abordar o corrimento de repetição na rede de atenção básica de saúde
Como abordar o corrimento de repetição na rede de atenção básica de saúde
 
Corrimento vaginal -_trabalho_pet
Corrimento vaginal -_trabalho_petCorrimento vaginal -_trabalho_pet
Corrimento vaginal -_trabalho_pet
 
Sífilis e Gonorréia (DST)
Sífilis e Gonorréia (DST)Sífilis e Gonorréia (DST)
Sífilis e Gonorréia (DST)
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente TransmissíveisDoenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis
 
DSTS E DIP
DSTS E DIPDSTS E DIP
DSTS E DIP
 

Destaque

Segunda Guerra Mundial (1939-1945)
Segunda Guerra Mundial (1939-1945)Segunda Guerra Mundial (1939-1945)
Segunda Guerra Mundial (1939-1945)Juliana Maciel
 
Dst – doenças sexualmente transmissíveis
Dst – doenças sexualmente transmissíveisDst – doenças sexualmente transmissíveis
Dst – doenças sexualmente transmissíveisJuliana Maciel
 
Aleitamento materno
Aleitamento maternoAleitamento materno
Aleitamento maternoNadjadBarros
 
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuroAssistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuroJuliana Maciel
 
Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno Juliana Maciel
 
Biossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagemBiossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagemJuliana Maciel
 

Destaque (8)

Segunda Guerra Mundial (1939-1945)
Segunda Guerra Mundial (1939-1945)Segunda Guerra Mundial (1939-1945)
Segunda Guerra Mundial (1939-1945)
 
Dst – doenças sexualmente transmissíveis
Dst – doenças sexualmente transmissíveisDst – doenças sexualmente transmissíveis
Dst – doenças sexualmente transmissíveis
 
Ciclo menstrual
Ciclo menstrualCiclo menstrual
Ciclo menstrual
 
Aleitamento
AleitamentoAleitamento
Aleitamento
 
Aleitamento materno
Aleitamento maternoAleitamento materno
Aleitamento materno
 
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuroAssistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
 
Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno
 
Biossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagemBiossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagem
 

Semelhante a Doenças Sexualmente Transmissíveis: Sintomas, Agentes e Tratamentos

Slide doenças sexualmente transmissíveis (dst)
Slide doenças sexualmente transmissíveis (dst)Slide doenças sexualmente transmissíveis (dst)
Slide doenças sexualmente transmissíveis (dst)DEIZYSOUZA
 
apresentação estudo de caso LUZA.pptx
apresentação estudo de caso LUZA.pptxapresentação estudo de caso LUZA.pptx
apresentação estudo de caso LUZA.pptxCHRISLAYNESILVA2
 
apresentação estudo de caso LUZA - Copia.pptx
apresentação estudo de caso LUZA - Copia.pptxapresentação estudo de caso LUZA - Copia.pptx
apresentação estudo de caso LUZA - Copia.pptxENFERMAGEMELAINNE
 
Mononucleose Infecciosa
Mononucleose InfecciosaMononucleose Infecciosa
Mononucleose Infecciosablogped1
 
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEISDOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEISUrovideo.org
 
Saúde Coletiva - 3. doenças sexualmente transmissíveis
Saúde Coletiva - 3. doenças sexualmente transmissíveisSaúde Coletiva - 3. doenças sexualmente transmissíveis
Saúde Coletiva - 3. doenças sexualmente transmissíveisMario Gandra
 
Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)
Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)
Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)Alina del Carmen Cowen
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis Maria Monteiro Soares
 
Dst apresentacao [salvo automaticamente]
Dst apresentacao [salvo automaticamente]Dst apresentacao [salvo automaticamente]
Dst apresentacao [salvo automaticamente]paulinhavelten
 

Semelhante a Doenças Sexualmente Transmissíveis: Sintomas, Agentes e Tratamentos (20)

Dst pronto mesmo2
Dst pronto mesmo2Dst pronto mesmo2
Dst pronto mesmo2
 
DST
DSTDST
DST
 
Slide doenças sexualmente transmissíveis (dst)
Slide doenças sexualmente transmissíveis (dst)Slide doenças sexualmente transmissíveis (dst)
Slide doenças sexualmente transmissíveis (dst)
 
IST ESCS
IST ESCSIST ESCS
IST ESCS
 
DST
DSTDST
DST
 
apresentação estudo de caso LUZA.pptx
apresentação estudo de caso LUZA.pptxapresentação estudo de caso LUZA.pptx
apresentação estudo de caso LUZA.pptx
 
apresentação estudo de caso LUZA - Copia.pptx
apresentação estudo de caso LUZA - Copia.pptxapresentação estudo de caso LUZA - Copia.pptx
apresentação estudo de caso LUZA - Copia.pptx
 
Dst
DstDst
Dst
 
DST
DSTDST
DST
 
Mononucleose Infecciosa
Mononucleose InfecciosaMononucleose Infecciosa
Mononucleose Infecciosa
 
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEISDOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS
 
DST
DSTDST
DST
 
Saúde Coletiva - 3. doenças sexualmente transmissíveis
Saúde Coletiva - 3. doenças sexualmente transmissíveisSaúde Coletiva - 3. doenças sexualmente transmissíveis
Saúde Coletiva - 3. doenças sexualmente transmissíveis
 
Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)
Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)
Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis
 
Dst’s
Dst’s Dst’s
Dst’s
 
DSTs
DSTsDSTs
DSTs
 
Infectologia tetano neo e acidental
Infectologia tetano neo e acidentalInfectologia tetano neo e acidental
Infectologia tetano neo e acidental
 
Dst 8o ano
Dst 8o anoDst 8o ano
Dst 8o ano
 
Dst apresentacao [salvo automaticamente]
Dst apresentacao [salvo automaticamente]Dst apresentacao [salvo automaticamente]
Dst apresentacao [salvo automaticamente]
 

Doenças Sexualmente Transmissíveis: Sintomas, Agentes e Tratamentos

  • 1.
  • 2. AGENTE CAUSADOR: Treponema pallidum SINTOMAS - Sífilis primária: Úlcera não dolorosa, e aumento dos linfonodos na região da virilha. Em alguns casos a úlcera pode surgir na boca ou na faringe, caso a transmissão tenha se dado através do sexo oral. - Sífilis secundária: Erupções na pele, febre, mal estar, perda do apetite, dor nas articulações, queda de cabelo, aumento dos linfonodos pelo corpo. - Sífilis terciária: Úlceras que acometem ossos e órgãos, acomete também o sistema nervoso e cardiovascular.
  • 3. TRATAMENTO: Depende do estágio da doença, mas utiliza-se antibióticos. DIAGNÓSTICO: VDRL e TPHA PERÍODO DE INCUBAÇÃO: Em geral de 1 a 3 semanas POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: Aborto espontâneo, natimorto, parto prematuro, baixo peso, endometrite pós-parto. Infecções peri e neonatal. Sífilis Congênita.
  • 4. AGENTE CAUSADOR: Haemophilus ducreyi SINTOMAS: úlcera avermelhada, com secreção purulenta, que compromete os genitais mas também pode acometer o ânus, em alguns pacientes pode haver inchação na virilha. TRATAMENTO: Antibióticos DIAGNÓSTICO: Pesquisa do agente em material colhido das lesões PERÍODO DE INCUBAÇÃO: 2 à 5 dias POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: Não tem. Tratado adequadamente, tem cura completa.
  • 5. AGENTE CAUSADOR: Candida albicans SINTOMAS: prurido, ardor, dispareunia ,leucorreia, etc. Com frequência, a vulva e a vagina encontram-se edemaciadas e avermelhadas. No homem apresenta-se com edema na glande e prepúcio. TRATAMENTO: Medicamentos locais e/ou sistêmicos DIAGNÓSTICO: Pesquisa do agente no material vaginal PERÍODO DE INCUBAÇÃO: Muito variável POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: São raras. Pode ocorrer disseminação sistêmica (especialmente em imunodeprimidos).
  • 6. AGENTE CAUSADOR: HSV-2 SINTOMAS: Ardor, prurido, formigamento, gânglios inflamados e erupção cutânea. Bolhas cheias de líquido se formam e posteriormente cicatrizam. TRATAMENTO: Não existe ainda tratamento eficaz quanto a cura da doença. DIAGNÓSTICO: O diagnóstico é essencialmente clínico (anamnese e exame físico). PERÍODO DE INCUBAÇÃO: 1 a 26 dias POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: Aborto espontâneo, natimorto, parto prematuro, baixo peso, endometrite pós-parto. Infecções peri e neonatais.
  • 7. AGENTE CAUSADOR: Neisseria gonorrhoeae SINTOMAS: corrimento pela uretra no homem e vagina e/ou uretra na mulher, prurido na uretra e disúria. Nas mulheres os sintomas são mais brandos ou podem estar ausentes (maioria dos casos). TRATAMENTO: Antibióticos DIAGNÓSTICO: Exame das secreções coradas pelo Gram e/ou cultura do mesmo material. PERÍODO DE INCUBAÇÃO: 2 a 10 dias POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: Aborto espontâneo, natimorto, parto prematuro, baixo peso, endometrite pós-parto, Infertilidade,gravidez ectópica,etc.
  • 8. AGENTE CAUSADOR: Papilomavirus Humano (HPV) SINTOMAS: lesões papilares (elevações da pele), verrugas. Na grande maioria das vezes a infecção é assintomática. TRATAMENTO: cirúrgicos, quimioterápicos, cauterizações, etc. DIAGNÓSTICO: O diagnóstico é essencialmente clínico (anamnese e exame físico). PERÍODO DE INCUBAÇÃO: De semanas a anos POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: Câncer do colo do útero e vulva e, mais raramente, câncer do pênis e também do ânus.
  • 9. AGENTE CAUSADOR: Chlamydia trachomatis SINTOMAS: Ulcera que dura de três a cinco dias. Entre duas a seis semanas após a ferida, surge um inchaço doloroso dos gânglios da virilha. Podem haver, também, sintomas gerais como dor nas articulações, febre e mal estar. TRATAMENTO: Antibióticos. DIAGNÓSTICO: Em geral o diagnóstico é feito com base nas manifestações clínicas, sendo ocasional a necessidade de comprovação laboratorial. PERÍODO DE INCUBAÇÃO: 7 a 60 dias. POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: Elefantíase do pênis, escroto, vulva. Proctite (inflamação do reto) crônica. Estreitamento do reto.
  • 10. AGENTE CAUSADOR: Calymmatobacterium granulomatis SINTOMAS: Aparecimento de lesões (grânulos e caroços), ulceras(feridas) indolores e auto- inoculáveis. TRATAMENTO: Antibióticos. DIAGNÓSTICO: Clínico com confirmação por exame histopatológico (biópsia) PERÍODO DE INCUBAÇÃO: Variável. De 3 dias a 6 meses. POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: Deformidades genitais, elefantíase, tumores
  • 11. AGENTE CAUSADOR: HBV (Hepatitis B Virus) SINTOMAS: Falta de apetite, febre, náuseas, vômitos, astenia, diarréia, dores articulares, icterícia entre os mais comuns. TRATAMENTO: Não há medicamento para combater diretamente o agente da doença, tratam-se apenas os sintomas e as complicações. DIAGNÓSTICO: exames realizados no sangue do paciente. PERÍODO DE INCUBAÇÃO: 30 à 180 dias (em média 75 dias). POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES:Hepatite crônica, Cirrose hepática, Câncer do fígado (Hepatocarcinoma), além de formas agudas
  • 12. AGENTE CAUSADOR: vírus HIV SINTOMAS: Os primeiros sintomas(fase aguda) são sintomas como: febre, tosse, dor de garganta, etc. Mas na maioria das vezes esses sintomas passam despercebidos. TRATAMENTO: Não há tratamento curativo. O tratamento serve apenas para diminuir a velocidade de multiplicação dos vírus no organismo. DIAGNÓSTICO: Exames de sangue. PERÍODO DE INCUBAÇÃO: De 3 a 10 (ou mais) anos POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: Doenças oportunísticas e distúrbios neurológicos.
  • 13. AGENTE CAUSADOR: De 3 a 10 (ou mais) anos SINTOMAS: Nas mulheres: Leucorreia(amarelo- esverdeada), dispaurenia, prurido vaginal. Nos homens: Prurido uretral, secreção branca, disuria. TRATAMENTO: Quimioterapico DIAGNÓSTICO: Pesquisa do agente em material uretral e/ou vaginal. PERÍODO DE INCUBAÇÃO: 10 a 30 dias, em média. POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES: Prematuridade. Baixo peso ao nascer. Ruptura prematura de bolsa etc.