SlideShare uma empresa Scribd logo
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA
CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E DA EDUCAÇÃO
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE UNIDADES DE
INFORMAÇÃO - PPGinfo
Disciplina: Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Profª: Lani Lucas
Aluna: Juliana Aparecida Gulka Data: 09/03/2015
RESENHA
TARGINO, Maria das Graças. Comunicação científica: uma revisão de seus
elementos básicos. Informação & Sociedade: Estudos, v. 10, n. 2, 2000.
ALVES, Letícia. Informação e os sistemas de comunicação científica na Ciência da
Informação. DataGramaZero: Revista de Ciência da Informação, Rio de Janeiro,
v. 12, n. 3, 2011.
CARVALHO, Kátia de et al. Aspectos gerenciais da política científica brasileira: um
olhar sobre a produção científica do campo da sociologia face aos critérios de
avaliação do CNPq e da CAPES. Em Questão: Revista da Faculdade de
Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS, v. 19, n. 1, 2013.
SILVA, Edna Lúcia; PINHEIRO, Liliane Vieira; REINHEIMER, Frederico Maragno.
Redes de conhecimento em artigos de comunicação científica: estudo baseado em
citações bibliográficas de artigos de periódicos na área de Ciência da Informação no
Brasil. Informação & Sociedade: Estudos, v. 23, n. 1, 2013.
A ciência evolui à medida que constrói processos a fim de desvendar os
fenômenos, levando em conta que verdades absolutas inexistem, e, por isso
mesmo, estão sempre sendo buscadas. Targino (2000) afirma que a ciência está
sempre trocando de paradigmas, de ideias, temas, hipóteses e visões, e que este
pode ser considerado um ciclo inesgotável e permanente, interminável. É aí que
entra o papel da comunidade científica, que analisa as teorias, os métodos e os
resultados a fim de concordar ou não com o que foi exposto.
A comunicação científica, por sua vez, vem registrando o crescimento da
ciência e o papel crucial da informação. Os cientistas e pesquisadores não estão
interessados na ampla gama de informações disponíveis atualmente, mas sim
naquelas que são exclusivas de seu grupo, de seus pares e de sua área de
pesquisa.
Essa comunicação pode ser formal ou informal. Ambas diferem pelo público
que alcançam, polarizado de grande para o primeiro, e restrito para o segundo; do
armazenamento e recuperação, e sua ausência; além do nível de atualidade da
informação. Independente de suas características, o que se nota é que um
pesquisador está sempre tanto adquirindo informações para as suas próprias
produções, quanto às disseminando para os pares.
Os autores dos textos estudados concordam que a comunicação científica,
feita tanto pelos canais formais quanto informais, auxilia na legitimação do
conhecimento gerado pelo pesquisador, pois este coloca sua produção para análise.
No entanto, uma pesquisa passa a existir formalmente para a comunidade científica
após a sua publicação, sobretudo se isso for feito por meio de artigo científico. Além
disso, existe também a busca pela reputação científica, que, como afirma Carvalho
et al. (2013) ao citar Bourdieu, trata-se do capital científico, um tipo de capital
simbólico que pode promover o reconhecimento entre os pares e a instituição
científica, promovendo inclusive o prestígio do pesquisador.
Os sistemas de reputação também envolvem organizações que fazem o
controle do trabalho científico, que ao estabelecerem normas e regras, acaba por
definir formas de distribuição de prestígio. Duas agências de fomento a pesquisa do
Brasil são citadas no trabalho de Carvalho et al. como provedoras de indicadores de
avaliação, a CAPES e o CNPq, sendo que ambas são amplamente conhecidas no
país.
A produção científica, por sua vez, é um importante critério indicador de
reputação, estando intrinsicamente ligado à escolha de bons títulos de periódicos
para se publicar. Para Alves (2011), os periódicos são tão importantes porque
registram oficialmente os conhecimentos gerados, desempenhando um papel crucial
no âmbito da comunicação científica.
É a partir da comunicação científica que se pode visualizar a evolução de uma
determinada área, pois a medida que constroem comunicações de suas próprias
pesquisas, os autores utilizam de outras que a precedem, fazendo assim uma
interligação do conhecimento científico. Dessa forma, à medida que os
pesquisadores e cientistas publicam o resultado de suas pesquisas em artigos,
também utilizam materiais já publicados por outros pesquisadores para dar
embasamento e conferir autoridade ao assunto trabalhado, o que culmina numa
rede de conhecimento científico interligando a literatura científica por meio de
remissões a variados documentos.
A citação também é considerada, portanto, um modo de obter
reconhecimento no meio científico. A análise de citações dos artigos científicos, por
sua vez, permite a identificação de redes e comunidades invisíveis formadas pelos
pesquisadores. Técnicas bibliométricas ou cientométricas podem ser utilizadas para
essa análise.
Alves (2011), no entanto, chama atenção para as perspectivas no âmbito da
comunicação científica, levando em conta a evolução dos meios de comunicação e
facilitando a comunicação eletrônica, que de forma simples já apresenta a estrutura
dos periódicos eletrônicos, mas que evolui para outras práticas.
A autora comenta sobre os blogs de comunicação científica e seu papel na
discussão de pre-prints, que a partir da colaboração dos pares pode ser republicado
e assim, passar por um processo mais rápido do que a submissão aos tradicionais
periódicos científicos.
Caminha-se para uma comunicação científica em modelo aberto, seguindo a
tendência da rápida propagação da informação por meio dos canais eletrônicos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Família e o acompanhamento escolar
Família e o acompanhamento escolarFamília e o acompanhamento escolar
Família e o acompanhamento escolar
SimoneHelenDrumond
 
Capa resenha
Capa resenhaCapa resenha
Capa resenha
Antonio Paulo
 
Pré-projeto de Mestrado
Pré-projeto de MestradoPré-projeto de Mestrado
Pré-projeto de Mestrado
Luiz Guilherme Leite Amaral
 
Relatório Final de Estágio Supervisionado - Recursos Humanos
Relatório Final de Estágio Supervisionado - Recursos HumanosRelatório Final de Estágio Supervisionado - Recursos Humanos
Relatório Final de Estágio Supervisionado - Recursos Humanos
AlessandraLoureiro
 
Apresentação TCC
Apresentação TCCApresentação TCC
Apresentação TCC
Taiane Arruda
 
Pesquisa Bibliografica
Pesquisa BibliograficaPesquisa Bibliografica
Pesquisa Bibliografica
Leticia Strehl
 
061 relatorio modelo
061 relatorio modelo061 relatorio modelo
061 relatorio modelo
Marcos Azevedo
 
TCC SLIDE DE APRESENTAÇÃO
TCC SLIDE DE APRESENTAÇÃOTCC SLIDE DE APRESENTAÇÃO
TCC SLIDE DE APRESENTAÇÃO
professsorcarlinho
 
Elaboração de trabalhos acadêmicos APA 6ª edição (atualizado 2015)
Elaboração de trabalhos acadêmicos APA 6ª edição (atualizado 2015)Elaboração de trabalhos acadêmicos APA 6ª edição (atualizado 2015)
Elaboração de trabalhos acadêmicos APA 6ª edição (atualizado 2015)
Biblioteca FEAUSP
 
Observação, Questionário e Entrevista. Autor: Profa Anna Buy - PUC Rio.
Observação, Questionário e Entrevista. Autor: Profa Anna Buy - PUC Rio. Observação, Questionário e Entrevista. Autor: Profa Anna Buy - PUC Rio.
Observação, Questionário e Entrevista. Autor: Profa Anna Buy - PUC Rio.
Fran Maciel
 
Trabalho metáfora
Trabalho metáforaTrabalho metáfora
Trabalho metáfora
Marcio Braz Silva
 
Portfólio pronto
Portfólio prontoPortfólio pronto
Portfólio pronto
familiaestagio
 
Resenha crítica
Resenha crítica Resenha crítica
Aula 02 - Tipos de Pesquisas
Aula 02 - Tipos de PesquisasAula 02 - Tipos de Pesquisas
Aula 02 - Tipos de Pesquisas
Ghiordanno Bruno
 
Alfabetização e linguagem_2014
Alfabetização e linguagem_2014Alfabetização e linguagem_2014
Alfabetização e linguagem_2014
Naysa Taboada
 
Apresentação TCC - Plano de Negócios
Apresentação TCC - Plano de Negócios Apresentação TCC - Plano de Negócios
Apresentação TCC - Plano de Negócios
Maxwendell Silva
 
Formatação De Trabalhos
Formatação De TrabalhosFormatação De Trabalhos
Formatação De Trabalhos
Josi Amato
 
Gestão da sala de aula : o desafio da integração das tecnologias
Gestão da sala de aula : o desafio da integração  das tecnologiasGestão da sala de aula : o desafio da integração  das tecnologias
Gestão da sala de aula : o desafio da integração das tecnologias
Maria de los Dolores J Peña
 
Modelo pre projeto- tcc-
Modelo pre projeto- tcc-Modelo pre projeto- tcc-
Modelo pre projeto- tcc-
Rosane Domingues
 
Normas abnt - Referências. figuras, sumário
Normas abnt - Referências. figuras, sumárioNormas abnt - Referências. figuras, sumário
Normas abnt - Referências. figuras, sumário
Mike Barria
 

Mais procurados (20)

Família e o acompanhamento escolar
Família e o acompanhamento escolarFamília e o acompanhamento escolar
Família e o acompanhamento escolar
 
Capa resenha
Capa resenhaCapa resenha
Capa resenha
 
Pré-projeto de Mestrado
Pré-projeto de MestradoPré-projeto de Mestrado
Pré-projeto de Mestrado
 
Relatório Final de Estágio Supervisionado - Recursos Humanos
Relatório Final de Estágio Supervisionado - Recursos HumanosRelatório Final de Estágio Supervisionado - Recursos Humanos
Relatório Final de Estágio Supervisionado - Recursos Humanos
 
Apresentação TCC
Apresentação TCCApresentação TCC
Apresentação TCC
 
Pesquisa Bibliografica
Pesquisa BibliograficaPesquisa Bibliografica
Pesquisa Bibliografica
 
061 relatorio modelo
061 relatorio modelo061 relatorio modelo
061 relatorio modelo
 
TCC SLIDE DE APRESENTAÇÃO
TCC SLIDE DE APRESENTAÇÃOTCC SLIDE DE APRESENTAÇÃO
TCC SLIDE DE APRESENTAÇÃO
 
Elaboração de trabalhos acadêmicos APA 6ª edição (atualizado 2015)
Elaboração de trabalhos acadêmicos APA 6ª edição (atualizado 2015)Elaboração de trabalhos acadêmicos APA 6ª edição (atualizado 2015)
Elaboração de trabalhos acadêmicos APA 6ª edição (atualizado 2015)
 
Observação, Questionário e Entrevista. Autor: Profa Anna Buy - PUC Rio.
Observação, Questionário e Entrevista. Autor: Profa Anna Buy - PUC Rio. Observação, Questionário e Entrevista. Autor: Profa Anna Buy - PUC Rio.
Observação, Questionário e Entrevista. Autor: Profa Anna Buy - PUC Rio.
 
Trabalho metáfora
Trabalho metáforaTrabalho metáfora
Trabalho metáfora
 
Portfólio pronto
Portfólio prontoPortfólio pronto
Portfólio pronto
 
Resenha crítica
Resenha crítica Resenha crítica
Resenha crítica
 
Aula 02 - Tipos de Pesquisas
Aula 02 - Tipos de PesquisasAula 02 - Tipos de Pesquisas
Aula 02 - Tipos de Pesquisas
 
Alfabetização e linguagem_2014
Alfabetização e linguagem_2014Alfabetização e linguagem_2014
Alfabetização e linguagem_2014
 
Apresentação TCC - Plano de Negócios
Apresentação TCC - Plano de Negócios Apresentação TCC - Plano de Negócios
Apresentação TCC - Plano de Negócios
 
Formatação De Trabalhos
Formatação De TrabalhosFormatação De Trabalhos
Formatação De Trabalhos
 
Gestão da sala de aula : o desafio da integração das tecnologias
Gestão da sala de aula : o desafio da integração  das tecnologiasGestão da sala de aula : o desafio da integração  das tecnologias
Gestão da sala de aula : o desafio da integração das tecnologias
 
Modelo pre projeto- tcc-
Modelo pre projeto- tcc-Modelo pre projeto- tcc-
Modelo pre projeto- tcc-
 
Normas abnt - Referências. figuras, sumário
Normas abnt - Referências. figuras, sumárioNormas abnt - Referências. figuras, sumário
Normas abnt - Referências. figuras, sumário
 

Destaque

Clc 2 artigos de apreciação critica
Clc 2 artigos de apreciação criticaClc 2 artigos de apreciação critica
Clc 2 artigos de apreciação critica
Helena Cordeiro
 
Resenha crítica adm mud_persp_cap17
Resenha crítica adm mud_persp_cap17Resenha crítica adm mud_persp_cap17
Resenha crítica adm mud_persp_cap17
Giovane Gaspar Benedet
 
Resenha crítica 2
Resenha crítica 2Resenha crítica 2
Resenha crítica 2
Jéssica Boreli
 
Resenha crítica sobre o livro a arte do planejamento verdades, mentiras e p...
Resenha crítica sobre o livro a arte do planejamento   verdades, mentiras e p...Resenha crítica sobre o livro a arte do planejamento   verdades, mentiras e p...
Resenha crítica sobre o livro a arte do planejamento verdades, mentiras e p...
Angela Albarello Tolfo
 
Resenha crítica sobre o artigo liderança, poder e comportamento organizacional
Resenha crítica sobre o artigo liderança, poder e comportamento organizacionalResenha crítica sobre o artigo liderança, poder e comportamento organizacional
Resenha crítica sobre o artigo liderança, poder e comportamento organizacional
Willian Fellipe
 
EXEMPLO DE RESENHA CRITICA
EXEMPLO DE RESENHA CRITICAEXEMPLO DE RESENHA CRITICA
EXEMPLO DE RESENHA CRITICA
Larissa Gomes
 
AULA 08 - RESENHA CRÍTICA - PRONTA
AULA 08 - RESENHA CRÍTICA - PRONTAAULA 08 - RESENHA CRÍTICA - PRONTA
AULA 08 - RESENHA CRÍTICA - PRONTA
Marcelo Cordeiro Souza
 
Resenha crítica modelo
Resenha crítica   modeloResenha crítica   modelo
Resenha crítica modelo
taise_paz
 

Destaque (8)

Clc 2 artigos de apreciação critica
Clc 2 artigos de apreciação criticaClc 2 artigos de apreciação critica
Clc 2 artigos de apreciação critica
 
Resenha crítica adm mud_persp_cap17
Resenha crítica adm mud_persp_cap17Resenha crítica adm mud_persp_cap17
Resenha crítica adm mud_persp_cap17
 
Resenha crítica 2
Resenha crítica 2Resenha crítica 2
Resenha crítica 2
 
Resenha crítica sobre o livro a arte do planejamento verdades, mentiras e p...
Resenha crítica sobre o livro a arte do planejamento   verdades, mentiras e p...Resenha crítica sobre o livro a arte do planejamento   verdades, mentiras e p...
Resenha crítica sobre o livro a arte do planejamento verdades, mentiras e p...
 
Resenha crítica sobre o artigo liderança, poder e comportamento organizacional
Resenha crítica sobre o artigo liderança, poder e comportamento organizacionalResenha crítica sobre o artigo liderança, poder e comportamento organizacional
Resenha crítica sobre o artigo liderança, poder e comportamento organizacional
 
EXEMPLO DE RESENHA CRITICA
EXEMPLO DE RESENHA CRITICAEXEMPLO DE RESENHA CRITICA
EXEMPLO DE RESENHA CRITICA
 
AULA 08 - RESENHA CRÍTICA - PRONTA
AULA 08 - RESENHA CRÍTICA - PRONTAAULA 08 - RESENHA CRÍTICA - PRONTA
AULA 08 - RESENHA CRÍTICA - PRONTA
 
Resenha crítica modelo
Resenha crítica   modeloResenha crítica   modelo
Resenha crítica modelo
 

Semelhante a Resenha 2 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica

943 3877-1-pb
943 3877-1-pb943 3877-1-pb
943 3877-1-pb
camargo_jr
 
A Produção Discente: atual conjuntura do Curso de Biblioteconomia da Universi...
A Produção Discente: atual conjuntura do Curso de Biblioteconomia da Universi...A Produção Discente: atual conjuntura do Curso de Biblioteconomia da Universi...
A Produção Discente: atual conjuntura do Curso de Biblioteconomia da Universi...
Zayr Silva
 
111710-488345-1-PB.pdf
111710-488345-1-PB.pdf111710-488345-1-PB.pdf
111710-488345-1-PB.pdf
MarcelloCalderariiMi
 
Ciência, Sistema de Comunicação Científica e Literatura Científica
Ciência, Sistema de Comunicação Científica e Literatura CientíficaCiência, Sistema de Comunicação Científica e Literatura Científica
Ciência, Sistema de Comunicação Científica e Literatura Científica
Cláudio França
 
Resenha 1 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Resenha 1 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e TecnológicaResenha 1 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Resenha 1 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Juliana Gulka
 
Produção Discente UFAL - ENEBD 2010
Produção Discente UFAL - ENEBD 2010Produção Discente UFAL - ENEBD 2010
Produção Discente UFAL - ENEBD 2010
Zayr Silva
 
Artigo comunicação científica uma revisão de seus elementos básicos
Artigo   comunicação científica uma revisão de seus elementos básicosArtigo   comunicação científica uma revisão de seus elementos básicos
Artigo comunicação científica uma revisão de seus elementos básicos
Jackeline Ferreira
 
Ciencia_aberta_editores_cientificos_Ebook.pdf
Ciencia_aberta_editores_cientificos_Ebook.pdfCiencia_aberta_editores_cientificos_Ebook.pdf
Ciencia_aberta_editores_cientificos_Ebook.pdf
RaphaelAndrade55
 
Altmetria de artigos de periódicos brasileiros de acesso aberto na ScienceOpe...
Altmetria de artigos de periódicos brasileiros de acesso aberto na ScienceOpe...Altmetria de artigos de periódicos brasileiros de acesso aberto na ScienceOpe...
Altmetria de artigos de periódicos brasileiros de acesso aberto na ScienceOpe...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Novas tecnologias na pesquisa histórica, busca de
Novas tecnologias na pesquisa histórica, busca deNovas tecnologias na pesquisa histórica, busca de
Novas tecnologias na pesquisa histórica, busca de
Julio de Sa
 
Artigo museu_théo_brandao_ufal-enebd-2010
Artigo  museu_théo_brandao_ufal-enebd-2010Artigo  museu_théo_brandao_ufal-enebd-2010
Artigo museu_théo_brandao_ufal-enebd-2010
Zayr Silva
 
Ciência 2.0 e a presença online de pesquisadores: visibilidade e impacto
Ciência 2.0 e a presença online de pesquisadores: visibilidade e impactoCiência 2.0 e a presença online de pesquisadores: visibilidade e impacto
Ciência 2.0 e a presença online de pesquisadores: visibilidade e impacto
Ronaldo Araújo
 
Repositório institucional da ufba atividades desenvolvidas por estudantes d...
Repositório institucional da ufba   atividades desenvolvidas por estudantes d...Repositório institucional da ufba   atividades desenvolvidas por estudantes d...
Repositório institucional da ufba atividades desenvolvidas por estudantes d...
Marília Lessa
 
Repositório institucional da UFBA: atividades desenvolvidas por estudantes de...
Repositório institucional da UFBA: atividades desenvolvidas por estudantes de...Repositório institucional da UFBA: atividades desenvolvidas por estudantes de...
Repositório institucional da UFBA: atividades desenvolvidas por estudantes de...
Marília Lessa
 
Fontes de informação online
Fontes de informação onlineFontes de informação online
Fontes de informação online
Allan Júlio Santos
 
Aula 1 - Cobertura e indexação das bases de dados
Aula 1 - Cobertura e indexação das bases de dadosAula 1 - Cobertura e indexação das bases de dados
Aula 1 - Cobertura e indexação das bases de dados
Leticia Strehl
 
bases especializadas.pdf
bases especializadas.pdfbases especializadas.pdf
bases especializadas.pdf
juliana fachin
 
Dialnet-ParadigmasDaBiblioteconomiaECienciaDaInformacao-5026067 (1).pdf
Dialnet-ParadigmasDaBiblioteconomiaECienciaDaInformacao-5026067 (1).pdfDialnet-ParadigmasDaBiblioteconomiaECienciaDaInformacao-5026067 (1).pdf
Dialnet-ParadigmasDaBiblioteconomiaECienciaDaInformacao-5026067 (1).pdf
AdrianaCosta215
 
Publicação de Artigos em Revistas Indexadas.ppt
Publicação de Artigos em Revistas Indexadas.pptPublicação de Artigos em Revistas Indexadas.ppt
Publicação de Artigos em Revistas Indexadas.ppt
ssusera55655
 
Resenha 3 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Resenha 3 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e TecnológicaResenha 3 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Resenha 3 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Juliana Gulka
 

Semelhante a Resenha 2 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica (20)

943 3877-1-pb
943 3877-1-pb943 3877-1-pb
943 3877-1-pb
 
A Produção Discente: atual conjuntura do Curso de Biblioteconomia da Universi...
A Produção Discente: atual conjuntura do Curso de Biblioteconomia da Universi...A Produção Discente: atual conjuntura do Curso de Biblioteconomia da Universi...
A Produção Discente: atual conjuntura do Curso de Biblioteconomia da Universi...
 
111710-488345-1-PB.pdf
111710-488345-1-PB.pdf111710-488345-1-PB.pdf
111710-488345-1-PB.pdf
 
Ciência, Sistema de Comunicação Científica e Literatura Científica
Ciência, Sistema de Comunicação Científica e Literatura CientíficaCiência, Sistema de Comunicação Científica e Literatura Científica
Ciência, Sistema de Comunicação Científica e Literatura Científica
 
Resenha 1 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Resenha 1 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e TecnológicaResenha 1 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Resenha 1 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
 
Produção Discente UFAL - ENEBD 2010
Produção Discente UFAL - ENEBD 2010Produção Discente UFAL - ENEBD 2010
Produção Discente UFAL - ENEBD 2010
 
Artigo comunicação científica uma revisão de seus elementos básicos
Artigo   comunicação científica uma revisão de seus elementos básicosArtigo   comunicação científica uma revisão de seus elementos básicos
Artigo comunicação científica uma revisão de seus elementos básicos
 
Ciencia_aberta_editores_cientificos_Ebook.pdf
Ciencia_aberta_editores_cientificos_Ebook.pdfCiencia_aberta_editores_cientificos_Ebook.pdf
Ciencia_aberta_editores_cientificos_Ebook.pdf
 
Altmetria de artigos de periódicos brasileiros de acesso aberto na ScienceOpe...
Altmetria de artigos de periódicos brasileiros de acesso aberto na ScienceOpe...Altmetria de artigos de periódicos brasileiros de acesso aberto na ScienceOpe...
Altmetria de artigos de periódicos brasileiros de acesso aberto na ScienceOpe...
 
Novas tecnologias na pesquisa histórica, busca de
Novas tecnologias na pesquisa histórica, busca deNovas tecnologias na pesquisa histórica, busca de
Novas tecnologias na pesquisa histórica, busca de
 
Artigo museu_théo_brandao_ufal-enebd-2010
Artigo  museu_théo_brandao_ufal-enebd-2010Artigo  museu_théo_brandao_ufal-enebd-2010
Artigo museu_théo_brandao_ufal-enebd-2010
 
Ciência 2.0 e a presença online de pesquisadores: visibilidade e impacto
Ciência 2.0 e a presença online de pesquisadores: visibilidade e impactoCiência 2.0 e a presença online de pesquisadores: visibilidade e impacto
Ciência 2.0 e a presença online de pesquisadores: visibilidade e impacto
 
Repositório institucional da ufba atividades desenvolvidas por estudantes d...
Repositório institucional da ufba   atividades desenvolvidas por estudantes d...Repositório institucional da ufba   atividades desenvolvidas por estudantes d...
Repositório institucional da ufba atividades desenvolvidas por estudantes d...
 
Repositório institucional da UFBA: atividades desenvolvidas por estudantes de...
Repositório institucional da UFBA: atividades desenvolvidas por estudantes de...Repositório institucional da UFBA: atividades desenvolvidas por estudantes de...
Repositório institucional da UFBA: atividades desenvolvidas por estudantes de...
 
Fontes de informação online
Fontes de informação onlineFontes de informação online
Fontes de informação online
 
Aula 1 - Cobertura e indexação das bases de dados
Aula 1 - Cobertura e indexação das bases de dadosAula 1 - Cobertura e indexação das bases de dados
Aula 1 - Cobertura e indexação das bases de dados
 
bases especializadas.pdf
bases especializadas.pdfbases especializadas.pdf
bases especializadas.pdf
 
Dialnet-ParadigmasDaBiblioteconomiaECienciaDaInformacao-5026067 (1).pdf
Dialnet-ParadigmasDaBiblioteconomiaECienciaDaInformacao-5026067 (1).pdfDialnet-ParadigmasDaBiblioteconomiaECienciaDaInformacao-5026067 (1).pdf
Dialnet-ParadigmasDaBiblioteconomiaECienciaDaInformacao-5026067 (1).pdf
 
Publicação de Artigos em Revistas Indexadas.ppt
Publicação de Artigos em Revistas Indexadas.pptPublicação de Artigos em Revistas Indexadas.ppt
Publicação de Artigos em Revistas Indexadas.ppt
 
Resenha 3 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Resenha 3 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e TecnológicaResenha 3 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Resenha 3 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
 

Mais de Juliana Gulka

Revisão de metadados para confiabilidade de artigos publicados em acesso aberto
Revisão de metadados para confiabilidade de artigos publicados em acesso abertoRevisão de metadados para confiabilidade de artigos publicados em acesso aberto
Revisão de metadados para confiabilidade de artigos publicados em acesso aberto
Juliana Gulka
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
Juliana Gulka
 
Serviços Colaborativos com uso das TICs em Bibliotecas
Serviços Colaborativos com uso das TICs em BibliotecasServiços Colaborativos com uso das TICs em Bibliotecas
Serviços Colaborativos com uso das TICs em Bibliotecas
Juliana Gulka
 
Gestão do Conhecimento para Unidades de Informação
Gestão do Conhecimento para Unidades de InformaçãoGestão do Conhecimento para Unidades de Informação
Gestão do Conhecimento para Unidades de Informação
Juliana Gulka
 
Ações de Comunicação
Ações de ComunicaçãoAções de Comunicação
Ações de Comunicação
Juliana Gulka
 
Resenha 5 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Resenha 5 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e TecnológicaResenha 5 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Resenha 5 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Juliana Gulka
 
Resenha 4 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Resenha 4 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e TecnológicaResenha 4 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Resenha 4 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Juliana Gulka
 
Resenha: O campo científico / Os usos sociais da ciência: por uma sociologia ...
Resenha: O campo científico / Os usos sociais da ciência: por uma sociologia ...Resenha: O campo científico / Os usos sociais da ciência: por uma sociologia ...
Resenha: O campo científico / Os usos sociais da ciência: por uma sociologia ...
Juliana Gulka
 
Resenha: Um discurso sobre as ciências / Como se faz uma tese
Resenha: Um discurso sobre as ciências / Como se faz uma teseResenha: Um discurso sobre as ciências / Como se faz uma tese
Resenha: Um discurso sobre as ciências / Como se faz uma tese
Juliana Gulka
 
Discurso de Formatura
Discurso de FormaturaDiscurso de Formatura
Discurso de Formatura
Juliana Gulka
 
PROCEDIMENTOS DE INCORPORAÇÃO, CATALOGAÇÃO E REGISTRO NOS MUSEUS DE FLORIANÓP...
PROCEDIMENTOS DE INCORPORAÇÃO, CATALOGAÇÃO E REGISTRO NOS MUSEUS DE FLORIANÓP...PROCEDIMENTOS DE INCORPORAÇÃO, CATALOGAÇÃO E REGISTRO NOS MUSEUS DE FLORIANÓP...
PROCEDIMENTOS DE INCORPORAÇÃO, CATALOGAÇÃO E REGISTRO NOS MUSEUS DE FLORIANÓP...
Juliana Gulka
 
PROCEDIMENTOS DE INCORPORAÇÃO, CATALOGAÇÃO E REGISTRO NOS MUSEUS DE FLORIANÓP...
PROCEDIMENTOS DE INCORPORAÇÃO, CATALOGAÇÃO E REGISTRO NOS MUSEUS DE FLORIANÓP...PROCEDIMENTOS DE INCORPORAÇÃO, CATALOGAÇÃO E REGISTRO NOS MUSEUS DE FLORIANÓP...
PROCEDIMENTOS DE INCORPORAÇÃO, CATALOGAÇÃO E REGISTRO NOS MUSEUS DE FLORIANÓP...
Juliana Gulka
 
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO AUDIOVISUAL: o bibliotecário inserido no contexto muse...
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO AUDIOVISUAL:  o bibliotecário inserido no contexto muse...ORGANIZAÇÃO DE ACERVO AUDIOVISUAL:  o bibliotecário inserido no contexto muse...
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO AUDIOVISUAL: o bibliotecário inserido no contexto muse...
Juliana Gulka
 
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO MUSEOLÓGICO: uma experiência no Museu da Imagem e do So...
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO MUSEOLÓGICO: uma experiência no Museu da Imagem e do So...ORGANIZAÇÃO DE ACERVO MUSEOLÓGICO: uma experiência no Museu da Imagem e do So...
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO MUSEOLÓGICO: uma experiência no Museu da Imagem e do So...
Juliana Gulka
 
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO MUSEOLÓGICO: uma experiência no Museu da Imagem e do So...
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO MUSEOLÓGICO: uma experiência no Museu da Imagem e do So...ORGANIZAÇÃO DE ACERVO MUSEOLÓGICO: uma experiência no Museu da Imagem e do So...
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO MUSEOLÓGICO: uma experiência no Museu da Imagem e do So...
Juliana Gulka
 
Projeto de Índice
Projeto de ÍndiceProjeto de Índice
Projeto de Índice
Juliana Gulka
 
Analise crítica da tese: Leitura e Significados
Analise crítica da tese: Leitura e SignificadosAnalise crítica da tese: Leitura e Significados
Analise crítica da tese: Leitura e Significados
Juliana Gulka
 
Museu
MuseuMuseu
OAI - Open Archives Initiative
OAI - Open Archives Initiative OAI - Open Archives Initiative
OAI - Open Archives Initiative
Juliana Gulka
 

Mais de Juliana Gulka (19)

Revisão de metadados para confiabilidade de artigos publicados em acesso aberto
Revisão de metadados para confiabilidade de artigos publicados em acesso abertoRevisão de metadados para confiabilidade de artigos publicados em acesso aberto
Revisão de metadados para confiabilidade de artigos publicados em acesso aberto
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 
Serviços Colaborativos com uso das TICs em Bibliotecas
Serviços Colaborativos com uso das TICs em BibliotecasServiços Colaborativos com uso das TICs em Bibliotecas
Serviços Colaborativos com uso das TICs em Bibliotecas
 
Gestão do Conhecimento para Unidades de Informação
Gestão do Conhecimento para Unidades de InformaçãoGestão do Conhecimento para Unidades de Informação
Gestão do Conhecimento para Unidades de Informação
 
Ações de Comunicação
Ações de ComunicaçãoAções de Comunicação
Ações de Comunicação
 
Resenha 5 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Resenha 5 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e TecnológicaResenha 5 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Resenha 5 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
 
Resenha 4 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Resenha 4 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e TecnológicaResenha 4 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
Resenha 4 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica
 
Resenha: O campo científico / Os usos sociais da ciência: por uma sociologia ...
Resenha: O campo científico / Os usos sociais da ciência: por uma sociologia ...Resenha: O campo científico / Os usos sociais da ciência: por uma sociologia ...
Resenha: O campo científico / Os usos sociais da ciência: por uma sociologia ...
 
Resenha: Um discurso sobre as ciências / Como se faz uma tese
Resenha: Um discurso sobre as ciências / Como se faz uma teseResenha: Um discurso sobre as ciências / Como se faz uma tese
Resenha: Um discurso sobre as ciências / Como se faz uma tese
 
Discurso de Formatura
Discurso de FormaturaDiscurso de Formatura
Discurso de Formatura
 
PROCEDIMENTOS DE INCORPORAÇÃO, CATALOGAÇÃO E REGISTRO NOS MUSEUS DE FLORIANÓP...
PROCEDIMENTOS DE INCORPORAÇÃO, CATALOGAÇÃO E REGISTRO NOS MUSEUS DE FLORIANÓP...PROCEDIMENTOS DE INCORPORAÇÃO, CATALOGAÇÃO E REGISTRO NOS MUSEUS DE FLORIANÓP...
PROCEDIMENTOS DE INCORPORAÇÃO, CATALOGAÇÃO E REGISTRO NOS MUSEUS DE FLORIANÓP...
 
PROCEDIMENTOS DE INCORPORAÇÃO, CATALOGAÇÃO E REGISTRO NOS MUSEUS DE FLORIANÓP...
PROCEDIMENTOS DE INCORPORAÇÃO, CATALOGAÇÃO E REGISTRO NOS MUSEUS DE FLORIANÓP...PROCEDIMENTOS DE INCORPORAÇÃO, CATALOGAÇÃO E REGISTRO NOS MUSEUS DE FLORIANÓP...
PROCEDIMENTOS DE INCORPORAÇÃO, CATALOGAÇÃO E REGISTRO NOS MUSEUS DE FLORIANÓP...
 
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO AUDIOVISUAL: o bibliotecário inserido no contexto muse...
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO AUDIOVISUAL:  o bibliotecário inserido no contexto muse...ORGANIZAÇÃO DE ACERVO AUDIOVISUAL:  o bibliotecário inserido no contexto muse...
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO AUDIOVISUAL: o bibliotecário inserido no contexto muse...
 
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO MUSEOLÓGICO: uma experiência no Museu da Imagem e do So...
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO MUSEOLÓGICO: uma experiência no Museu da Imagem e do So...ORGANIZAÇÃO DE ACERVO MUSEOLÓGICO: uma experiência no Museu da Imagem e do So...
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO MUSEOLÓGICO: uma experiência no Museu da Imagem e do So...
 
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO MUSEOLÓGICO: uma experiência no Museu da Imagem e do So...
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO MUSEOLÓGICO: uma experiência no Museu da Imagem e do So...ORGANIZAÇÃO DE ACERVO MUSEOLÓGICO: uma experiência no Museu da Imagem e do So...
ORGANIZAÇÃO DE ACERVO MUSEOLÓGICO: uma experiência no Museu da Imagem e do So...
 
Projeto de Índice
Projeto de ÍndiceProjeto de Índice
Projeto de Índice
 
Analise crítica da tese: Leitura e Significados
Analise crítica da tese: Leitura e SignificadosAnalise crítica da tese: Leitura e Significados
Analise crítica da tese: Leitura e Significados
 
Museu
MuseuMuseu
Museu
 
OAI - Open Archives Initiative
OAI - Open Archives Initiative OAI - Open Archives Initiative
OAI - Open Archives Initiative
 

Último

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 

Último (20)

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 

Resenha 2 - Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica

  • 1. UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE UNIDADES DE INFORMAÇÃO - PPGinfo Disciplina: Estudo dos Processos de Comunicação Científica e Tecnológica Profª: Lani Lucas Aluna: Juliana Aparecida Gulka Data: 09/03/2015 RESENHA TARGINO, Maria das Graças. Comunicação científica: uma revisão de seus elementos básicos. Informação & Sociedade: Estudos, v. 10, n. 2, 2000. ALVES, Letícia. Informação e os sistemas de comunicação científica na Ciência da Informação. DataGramaZero: Revista de Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v. 12, n. 3, 2011. CARVALHO, Kátia de et al. Aspectos gerenciais da política científica brasileira: um olhar sobre a produção científica do campo da sociologia face aos critérios de avaliação do CNPq e da CAPES. Em Questão: Revista da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS, v. 19, n. 1, 2013. SILVA, Edna Lúcia; PINHEIRO, Liliane Vieira; REINHEIMER, Frederico Maragno. Redes de conhecimento em artigos de comunicação científica: estudo baseado em citações bibliográficas de artigos de periódicos na área de Ciência da Informação no Brasil. Informação & Sociedade: Estudos, v. 23, n. 1, 2013. A ciência evolui à medida que constrói processos a fim de desvendar os fenômenos, levando em conta que verdades absolutas inexistem, e, por isso mesmo, estão sempre sendo buscadas. Targino (2000) afirma que a ciência está sempre trocando de paradigmas, de ideias, temas, hipóteses e visões, e que este pode ser considerado um ciclo inesgotável e permanente, interminável. É aí que entra o papel da comunidade científica, que analisa as teorias, os métodos e os resultados a fim de concordar ou não com o que foi exposto. A comunicação científica, por sua vez, vem registrando o crescimento da ciência e o papel crucial da informação. Os cientistas e pesquisadores não estão interessados na ampla gama de informações disponíveis atualmente, mas sim naquelas que são exclusivas de seu grupo, de seus pares e de sua área de pesquisa.
  • 2. Essa comunicação pode ser formal ou informal. Ambas diferem pelo público que alcançam, polarizado de grande para o primeiro, e restrito para o segundo; do armazenamento e recuperação, e sua ausência; além do nível de atualidade da informação. Independente de suas características, o que se nota é que um pesquisador está sempre tanto adquirindo informações para as suas próprias produções, quanto às disseminando para os pares. Os autores dos textos estudados concordam que a comunicação científica, feita tanto pelos canais formais quanto informais, auxilia na legitimação do conhecimento gerado pelo pesquisador, pois este coloca sua produção para análise. No entanto, uma pesquisa passa a existir formalmente para a comunidade científica após a sua publicação, sobretudo se isso for feito por meio de artigo científico. Além disso, existe também a busca pela reputação científica, que, como afirma Carvalho et al. (2013) ao citar Bourdieu, trata-se do capital científico, um tipo de capital simbólico que pode promover o reconhecimento entre os pares e a instituição científica, promovendo inclusive o prestígio do pesquisador. Os sistemas de reputação também envolvem organizações que fazem o controle do trabalho científico, que ao estabelecerem normas e regras, acaba por definir formas de distribuição de prestígio. Duas agências de fomento a pesquisa do Brasil são citadas no trabalho de Carvalho et al. como provedoras de indicadores de avaliação, a CAPES e o CNPq, sendo que ambas são amplamente conhecidas no país. A produção científica, por sua vez, é um importante critério indicador de reputação, estando intrinsicamente ligado à escolha de bons títulos de periódicos para se publicar. Para Alves (2011), os periódicos são tão importantes porque registram oficialmente os conhecimentos gerados, desempenhando um papel crucial no âmbito da comunicação científica. É a partir da comunicação científica que se pode visualizar a evolução de uma determinada área, pois a medida que constroem comunicações de suas próprias pesquisas, os autores utilizam de outras que a precedem, fazendo assim uma interligação do conhecimento científico. Dessa forma, à medida que os pesquisadores e cientistas publicam o resultado de suas pesquisas em artigos, também utilizam materiais já publicados por outros pesquisadores para dar embasamento e conferir autoridade ao assunto trabalhado, o que culmina numa
  • 3. rede de conhecimento científico interligando a literatura científica por meio de remissões a variados documentos. A citação também é considerada, portanto, um modo de obter reconhecimento no meio científico. A análise de citações dos artigos científicos, por sua vez, permite a identificação de redes e comunidades invisíveis formadas pelos pesquisadores. Técnicas bibliométricas ou cientométricas podem ser utilizadas para essa análise. Alves (2011), no entanto, chama atenção para as perspectivas no âmbito da comunicação científica, levando em conta a evolução dos meios de comunicação e facilitando a comunicação eletrônica, que de forma simples já apresenta a estrutura dos periódicos eletrônicos, mas que evolui para outras práticas. A autora comenta sobre os blogs de comunicação científica e seu papel na discussão de pre-prints, que a partir da colaboração dos pares pode ser republicado e assim, passar por um processo mais rápido do que a submissão aos tradicionais periódicos científicos. Caminha-se para uma comunicação científica em modelo aberto, seguindo a tendência da rápida propagação da informação por meio dos canais eletrônicos.