A sexualidade e seus pilares cópia

945 visualizações

Publicada em

GÊNERO E SEXUALIDADE

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
945
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A sexualidade e seus pilares cópia

  1. 1. H istória da H omossexualidade Recorte H istórico
  2. 2. Gênero O conceito de gênero se refere a padrões de MASCULINIDADE e FEMINILIDADE construídos social e culturalmente a partir das diferenças biológicas entre homens e mulheres. Essa construção é histórica, o que significa que esta em constante processo de mudança.
  3. 3. As pessoas nascem biologicamente dos sexos masculino e feminino. Mas a sociedade utiliza-se da cultura para criar concepções masculinas e femininas e assim perpetuar estereótipos. Feminilidade Masculinidade Fragilidade Força Medo Coragem Sensibilidade Insensibilidade Organização Desorganização Delicadeza Rudeza Intuição Racionalidade Futilidade Seriedade
  4. 4. IDENTIDADE DE GÊNERO “O conceito de identidade de gênero está ligado profundamente a experiência interna e individual do gênero de cada pessoa, que pode ou não corresponder ao sexo atribuído no nascimento. Incluem- se o senso pessoal do corpo (que pode envolver, por livre escolha, modificação da aparência ou função corporal por meios médicos, cirúrgicos e outros) e outras expressões de gênero (vestimenta, modo de falar etc.)” Fonte: Princípios de Yogyakarta
  5. 5. IDENTIDADE SEXUAL Travestis Lésbicas L Transexuais G Gays B T Bissexuais
  6. 6. LEXICOGRAFIA -Homossexualidade: raiz grega (homo = semelhante) e de uma raiz latina (sexus) “sexualidade semelhante” ou sexualidade exercida com uma pessoa do mesmo sexo -GAY: “alegre”, relativo à homossexualidade, aquele que sente atração sexual e/ou mantém relação amorosa com indivíduo do mesmo sexo. (Dicionário Houaiss); -LÉSBICA: Mulher que tem preferência sexual por ou mantém relação afetiva e/ou sexual com pessoa do mesmo sexo; lésbia, lesbiana, safista. (Dicionário Houaiss)
  7. 7. BISSEXUAL: relativo a, comparável com, ou que abrange ou reúne os dois sexos; ambisséxuo, aquele que sente atração por, ou que mantém relações sexuais com indivíduos tanto do sexo masculino quanto do feminino. (Dicionário Houaiss) É importante destacar que a bissexualidade NÃO SIGNIFICA QUE a pessoa esteja indecisa quanto ao sexo que prefere, que seja mais promíscua ou que procure a bigamia em suas relações amorosas. O/a bissexual tem a mesma capacidade de fidelidade e estabilidade que pessoas de outras orientações sexuais.
  8. 8. TRANSEXUAL: aquele/a que tem a convicção de pertencer ao sexo oposto, cujas características fisiológicas aspira ter ou já adquiriu por meio de cirurgia; relativo à mudança de sexo. (Dicionário Houaiss) TRAVESTI: É quem assume características físicas e psicossociais atribuídas ao sexo oposto. Identificar-se e agir com modos do sexo oposto não significa a negação do sexo genital. Por isso, a travesti não se interessa por uma transformação cirúrgica, como as transexuais. Mas modifica o corpo, principalmente nos seios, nádegas, coxas através do uso de hormônios e silicones. (Grupo Dignidade – RS)
  9. 9. PAPÉIS SEXUAIS -Como me comporto -Comportamentos considerados masculinos e femininos -Variam de época e cultura -São determinados pela sociedade e estão em constante transformação
  10. 10. ORIENTAÇÃO DO DESEJO SEXUAL -Quem nos atrai eroticamente (afetivo e sexualmente) NÃO É OPÇÃO! É uma expressão da sexualidade espontânea.
  11. 11. HISTÓRIA DA HOMOSSEXUALIDADE -Fenômeno que existe desde as origens da história humana e que sempre existiu em toda parte -É diversamente interpretada, diversamente admitida, diversamente explicada, mas nenhuma sociedade a ignorou -Não pertence ao domínio da patologia nem ao da delinqüência. -É essencialmente um fato de Civilização, Fato Social e um Fato Humano
  12. 12. RECORDAÇÃO HISTÓRICA E GEOGRÁFICA -Egito: início da III dinastia 2.500 a.C. a homossexualidade aparece em um papiro, relativo ao combate do deus Seth e do deus Hórus. - Mesopotâmia Sumeriana e Assiriana: a interpretação homossexual do mito de Gilgamesh (Hércules babilônico) que teria se deitado com seu amigo Eukiddu)
  13. 13. ORIENTE ANTIGO - Hititas: se acredita ter encontrado em seu código (1400 a.C.) uma lei autorizando casamento entre homens. -Hebreus: desenvolveram uma luta encarniçada pela homossexualidade, perpetuada pela sua religião e em seguida pelo Cristianismo. - Persas: praticaram a homossexualidade não como a Babilônia
  14. 14. Grécia Antiga Séc. VII ao III a.C., conheceu uma floração excepcional de amores pederásticos e sáficos. Atribuíram a “ invenção” da homossexualidade aos deuses ou heróis mitológicos. Amores homossexuais entre deuses e hérois: Zeus, o rei dos deuses, Hércules, Édipo, Terseu, Orfeu. Alexandre o conquistador do mundo cujo amor pelo belo Hefestion ocupou a crônica da época. Poesia grega é em grande parte de inspiração homossexual assim como a arte conta o esplendor do corpo masculino com um fervor que ficou para a história.
  15. 15. Roma As leis romanas mostram que a homossexualidade estava espalhada em todas as classes da sociedade, desde o Império até a República - César , Tibério, Calígula, Nero, Adriano, figuras célebres na história homossexual de Roma. Cristianismo A proibição da homossexualidade transcorre em toda a Idade Média. As condenações lançadas pelos papas e bispos. Renascença Séc. XV e XVI, uma nova floração da homossexualidade que lembrou a Grécia antiga. Artistas: Miguel Ângelo, Leonardo da Vinci, Ângelo Pulcione, Benevutto Cellin, Lourenço, Shaskespeare, Marlowe, Henrique III.
  16. 16. Sociedades Favoráveis A mais celebre é a Grécia. O tipo de homossexualidade era a pederastia. Adulto educava o efebo (jovem), amor à pátria, respeito às leis e aos deuses, os deveres relativos à sociedade. O adulto esforçava-se para ser ele mesmo o modelo de virtude, honestidade e de retidão moral. Este sistema era chamado de “eroto-Pedagogia”. Romanos e Árabes África e Oceânia Índios da América do Norte e Sul
  17. 17. Imperadores romanos cristãos Teodísio e Justiniano: transformaram leis eclesiásticas em leis civis, decretando a pena de morte contra a homossexualidade durante o séc. XVIII. Discurso de Justiniano: “semelhante crime provoca fome, terremotos, epidemias... É por causa dele que cidades têm sido destruídas pelo céu... É por isso que os que a ele se entregam devem ser punidos de morte, por temor que por causa deles o Império inteiro venha a perecer.” São estes os argumentos religiosos que, historicamente estão na base da atitude de todas as sociedades cristãs com relação à homossexualidade.
  18. 18. Nossos Dias Sociedades tradicionalistas. religiosas e Seitas protestantes permanecem violentamente opostas à homossexualidade.
  19. 19. Homofobia = igual = medo É o termo usado para medo, aversão ou ódio irracional a gays, lésbicas, travestis e transexuais É a causa primária da discriminação, atitudes de repulsa e violências contra homossexuais
  20. 20. Ainda nos dias de hoje... Conseqüências da falta de públicas: políticas Um homossexual é assassinado a cada 3 dias no Brasil, sendo 69% gays, 29% travestis e 2% lésbicas De 1988 a 2000 foram catalogados 1.851 assassinatos, dos quais só 5% foram elucidados
  21. 21. PESQUISA - UNESCO “Juventudes e Sexualidade” Pesquisa feita em 2000, publicada em 2004 14 capitais brasileiras 241 escolas 16.422 alunos/as 3.099 educadores/as 4.532 pais e mães de alunos/as
  22. 22. Professores, pais e alunos não querem homossexuais na sala de aula 30,1% não gostariam de ter colega homossexual (45%H 22%M) 46,4% dos pais não querem um colega na sala de aula (60%H e 42,7%M) 4% dos corpo técnico não querem aluno homossexual na sala (5,8%H e 3,1%M)
  23. 23. Maiores Violências Entre as Meninas 1º – Atirar em alguém 2º - Estuprar 3º Bater em um homossexual Entre os Meninos 3º – Usar droga 4º - Roubar 5º - Andar armado 6º - Bater em um homossexual
  24. 24. Teorias para explicar a Homossexualidade Explicação de Ordem Física Fórmula cromossômica, sua anatomia e sua fisiologia há uma particularidade diferenciando-se dos heteros. Explicação de Ordem Psíquica Teoria Psicanalítica: é uma manifestação do Complexo de Édipo.
  25. 25. Papel da Educação e do meio familiar: mães abusivas que “chocam o seu filho tratando-o como menina que desejariam ter tido (ou vice-versa). Pais ausentes ou apagados que impelem o menino a identificar-se à sua mãe. Pais autoritários que geram afeição e suscitam o temor e mães frígidas ou indiferentes que rejeitam a criança. Ciúme com relação a uma pequena irmã que monopoliza o amor dos pais e provoca o ódio de todos. Papel de “Contágio” e do exemplo: homossexualidade frente aos moralistas tradicionais – o contágio de maus exemplos até mesmo a sedução.
  26. 26. Uma Trajetória Contra o Preconceito Leis que regulam no Mundo: 1521 - as ordenações manuelinas, o mais antigo Código Penal no Brasil, prevê a pena de morte na fogueira, confisco de bens e a infâmia sobre os filhos e descendentes do condenado por sodomia (atividades homossexuais). 1532 - nas cartas Régias de doação das capitanias hereditárias el Rei determina a pena de morte aos sodomitas, que pode ser aplicada sem consulta prévia à metrópole.
  27. 27. 1823 - No Brasil a Constituição do Império, no seu Código Penal determinava: “ toda pessoa, de qualquer qualidade que seja, que pecado de sodomia por qualquer maneira cometer, seja queimado, e feito por fogo em pó, para que nunca de seu corpo e sepultura possa haver memória, e todos os seus bens sejam confiscados para a Coroa de nosso Reino, posto que tenham descendentes; pelo mesmo caso seus filhos e netos ficarão inábiles e infames, assim como daqueles que cometerem crime de Lesa Majestade.” 1860 - No Texas, Estados Unidos, lei prevê prisão para os “sodomitas”. Tal lei vigoraria até o ano de 2000.
  28. 28. 1869 - médico austro-húngaro, Karoly M. Benckert, cria o termo homossexual, passando o homossexualismo a ser tratado como categoria científica, uma “anomalia” a ser estudada pela Ciência. 1871 - O parágrafo 175 é introduzido na legislação alemã para punir o comportamento homossexual entre homens. É prevista pena de até dez anos de prisão e reeducação para os gays.
  29. 29. 1981 - o Conselho da Europa emite resolução exortando os países membros da Comunidade Européia à descriminalização da homossexualidade e à instituição de direitos iguais; 1985 - João Silvério Trevisan escreve a 1ª edição de Devassos no Paraíso, o mais completo e importante trabalho de pesquisa sobre a história da homossexualidade no Brasil; 1989 - A Dinamarca torna-se o país pioneiro em permitir o casamento gay e garante todos os benefícios sociais ao casal; 1993 - A Noruega torna-se o segundo país a permitir o registro oficial da união de parceiros homossexuais.
  30. 30. Conquistas 1821 - A inquisição é extinta no Brasil e põe-se fim à pena de morte contra os sodomitas. 1830 - Inspirando-se nos ideais iluministas franceses, D. Pedro I promulga o Código Penal Imperial, eliminando a figura jurídica da sodomia. 1920 - Magnus Hirschfeld abre em Berlim o Instituto de Ciências Sexuais, que se mantém único e foi altamente comentado no Mundo. 1968 - Troy Perry, ex-pastor pentecostal, funda a primeira denominação evangélica gay. 1969 - Deixa de vigorar na Alemanha o parágrafo 175 da legislação penal alemã de 1781. 1970 - O Movimento Gay se radicaliza com a criação da Frente de Libertação em Londres. Dois anos depois, a primeira marcha do orgulho gay reúne 2 mil participantes.
  31. 31. 1973 – A diretoria da American Psychological Association (APA) retira o homossexualismo da sua lista de disfunções. 1979 - Início de um período em que surgiram diversos grupos homossexuais organizados no Brasil: Triângulo Rosa no RJ; Grupo Gay Somos SP etc. 1993 - É realizada a primeira edição do Festival Mix no Brasil da Diversidade Sexual, um amplo painel de filmes sobre as expressões marginais da sexualidade. 1994 - Em decisão inédita, o Juiz José Bahadian, então da 28ª Vara Cível, reconhece a sociedade de fato entre o fotógrafo Marcos Rodrigues e o artista Jorge Guinle. 1996 – Decisões isoladas da justiça reconhecendo a união de pessoas do mesmo sexo.
  32. 32. Direitos 1985: o Conselho Federal de Medicina do Brasil passa a desconsiderar o artigo 302.0, da classificação Internacional de Doenças (CID), onde considerava-se a homossexualidade como doença. 1998: nova lei alemã prevê a suspensão das sentenças nazistas promulgadas contra homossexuais em base ao parágrafo 175 da legislação penal do ano de 1871.
  33. 33. 2001: o INSS amplia a resolução que prevê o pagamento de pensão a viúvos de casamentos homossexuais. 2002: o Recife torna-se o primeiro município do Brasil a incluir no benefício da concessão de pensão, em caso de morte, os companheiros e filhos dos servidores públicos homossexuais. 2002 - Lei 16.780 pune a discriminação por orientação sexual no município do Recife; 2004: Lei 17.025 também de abrangência do município de Recife pune “qualquer ato discriminatório ao homossexual, bissexual ou transgênero”.
  34. 34. Em Pernambuco Em abril de 2008 o Estado de Pernambuco realizou a I Conferência Estadual LGBT com o título: “Direitos Humanos e Políticas Públicas para garantir a cidadania de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais”. Em outubro/2009 a FUNAPE (órgão que regulamenta as aposentadorias e pensões) estende o benefício previdenciário para companheiros/as de homossexuais em caso de morte; Em novembro/2009 o Governador cria a Assessoria Especial para Diversidade Sexual Em dezembro/2009 o Estado firma parceria com a ONG Movimento Gay Leões do Norte para continuidade das ações do Centro de Referência de Combate a Homofobia.
  35. 35. “Ninguém vive bem sua sexualidade numa sociedade tão restrita, hipócrita e falseadora de valores; uma sociedade que viveu a experiência trágica da interdição do corpo com repercussões políticas e ideológicas indiscutíveis; uma sociedade que nasceu negando o corpo. Viver plenamente a sexualidade sem que esses fantasmas, mesmo os mais leves, os mais meigos interfiram na intimidade do casal que ama e que faz amor é muito difícil. É preciso viver relativamente bem a sexualidade. Não podemos assumir com êxito pelo menos relativo, a paternidade, a maternidade, o professorado, a política, sem que estejamos mais ou menos em paz com a sexualidade”. PAULO FREIRE
  36. 36. • Rildo Véras Assessor Especial do Governador para Diversidade Sexual (81) 3184 - 7800 (81) 9277- 4989 rildo.veras@agovernador.pe.gov.br

×