SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
Baixar para ler offline
•Tem como principal filósofo Aristóteles. 
•Produziu uma enciclopédia de todo saber que foi produzido e acumulado pelos gregos ao longo dos anos. -> FILOSOFIA. 
•Para ele, portanto, a filosofia não é o saber específico sobre alguma coisa, mas sim uma forma de conhecer todas as coisas. 
•Estabeleceu uma diferença entre a totalidade desses conhecimentos, distribuindo-os em escala. 
Período Sistemático – IV a III a. C
Cada saber, no campo que lhe é próprio, possui um objeto e procedimentos específicos -> a escala vai do mais simples para o mais complexo. 
Cada campo do saber é uma ciência, em grego, epistéme. 
Conhecer as leis gerais do pensamento = analítica.(Mais tarde a palavra analítica passou a ser chamada de lógica). 
Assim, Aristóteles é o criador da lógica como instrumento do conhecimento em qualquer campo do saber. 
ATENÇÃO!!! A lógica não é uma ciência mas sim um instrumento!
Hilemorfismo Teleológico 
•Considerado um dos primeiros biólogos que existiu, diferente de Platão, achava que o sensível e o inteligível caminhavam juntos. 
•Para ele, todas as coisas estariam constituídas de 2 princípios inseparáveis: 
•Matéria (hylé): o princípio dos seres, mas que é determinável pela forma. 
•Forma (morphé): o princípio determinado em si mesmo, mas que é determinante em relação à matéria.
•Tudo que existe, compõe-se de matéria e forma. A forma é que faz com que as coisas sejam o que são, enquanto a matéria constitui o substrato que permanece. 
•Nos processos de mudança, a forma muda; a matéria permanece.
•Rejeitou a teoria de Platão, segundo a qual, os dados transmitidos pelos sentidos não passam de distorções, sombras ou ilusões da verdadeira realidade existente no mundo das ideias. 
•Para ele, a observação da realidade por nossos sentidos leva-nos à constatação da existência real de inúmeros seres individuais, concretos, mutáveis.
Potência e Ato 
•Buscou analisar a realidade que muda. 
•Assim, devemos diferenciar: o ato – manifestação atual do ser; potência – as possibilidades do ser, aquilo que ainda não é mas pode vir a ser. 
•Ato – Forma / Potência - Matéria
Método Dedutivo 
•Assim, a ciência deveria partir da realidade sensorial – empírica – para buscar nela as estruturas essenciais de cada ser. 
•A finalidade da ciência deve ser a compreensão do universal, visando o estabelecimento de definições essenciais que possam ser utilizadas de modo generalizado.
•A dedução representa para o autor o processo intelectual básico de aquisição do conhecimento. 
•Observação sistemática das diferentes frutas às quais damos o nome de maçã. 
•Assim, o conceito maçã pode ter sentido universal, já que reúne em si a estrutura essencial aplicável ao conjunto das várias maçãs existentes no mundo.
As relações do ser 
•Tudo no mundo possui: 
•1 – Essência e acidente 
•2 – Ato e potência 
•3 – Necessidade e contingência 
•Assim, todas as coisas tem: causa formal, causa material, causa eficiente e causa final.
A filosofia como um grande sistema de conhecimento 
•Busca de um conhecimento que abarque toda realidade. 
•Esquematizar através de “departamentos” específicos de conhecimento, formando um conjunto completo e fechado capaz de produzir saber. 
•“Corpos Aristotelicum” 
•Conhecimento dividido 
em 3 esferas.
Aristóteles diferencia as ciências que formam a filosofia conforme seus objetos e finalidades. 
ciências preocupadas com a prática em si. 
ciências preocupadas exclusivamente com o conhecimento.
•1- Ciências produtivas: estudam as práticas e técnicas. Finalidade: produção de alguma coisa, objeto ou obra. 
•Poética (obra: Tratado da Poética) mimesis = imitação da natureza. 
•Retórica (obra: Tratado da Retórica) cartase = reviver os sentimentos por meio da arte para que possamos nos purificar deles. É a arte do discurso e da tragédia grega. Ao sentir o que é representado, aprende-se sobre os sentimentos e cria-se a possibilidade de amadurecimento do ser humano.
•2 – Ciências Práticas: a finalidade da ação está na realização do agente, ou seja, a finalidade da ação está nela mesma. 
•EX: Ética, moral e política. 
•Ética: estudo da virtude -> o que ela é e como nos educar. É encontrada no meio justo (meson). 
•Por exemplo, a virtude da coragem não é nem temer a tudo e também não é nunca temer: a virtude é a sabedoria da coragem na medida certa. 
•Política: “O homem é um animal político” -> O homem só realiza sua natureza essencial no convívio e na relação política com seus pares na cidade.
•3 – Ciências Teóricas ou Contemplativas: estuda as coisas da natureza e divinas. Coisas que não dependem da ação do homem. 
a)Ciência Natural: do mundo sensível. 
•->FÍSICA/ASTRONOMIA: movimento dos corpos sensíveis. 
•->VIDA/BIOLOGIA: movimento do ser vivo. 
•-> PSICOLOGIA: movimento do ser racional, da alma humana.
b) Filosofia Primeira: ciência do ser. 
•-> ARQUELOLOGIA: busca a causa primeira de qualquer ser. 
•-> ONTOLOGIA: reflexão do ser; do que é real. 
•-> TEOLOGIA: compreensão do Primeiro Ser, que é perfeito, denominado de Theos.
LÓGICA 
•Não é uma ciência, mas um instrumento que todas as ciências tomam parte. 
•Qualquer área do conhecimento pressupõe a lógica e a usa para produzir sentido. 
•“Organom” -> Refutações Sofísticas, Tópicos, Primeiros Analíticos, Segundos Analíticos, Interpretação e Categorias.
•Refutações Sofísticas: reflexões sobre o sentido dos argumentos sofistas que, após um olhar crítico da lógica, não sobrevive. 
•Tópicos: busca encontrar um método que faça uso da lógica nas discussões argumentativas. 
•Primeiros Analíticos: teoria da dedução. 
–Todo Homem é mortal; 
–Aristóteles é Homem; 
–Logo, Aristóteles é mortal
•Segundos Analíticos: uso do raciocínio para criar um método sistemático de conhecimento. 
•Interpretação: análise de sentenças e frases, que são chamadas de proposições. Relação com a verdade ou a falsidade. 
•Categorias: análise do termo ser e de suas inúmeras variações.
Teoria do Conhecimento 
•Diferente de Platão, que faz uso da alegoria e da metáfora, Aristóteles escreve a obra Metafísica para, sistematicamente, demonstrar a experiência do conhecer. 
•1- Sensação 
•2- Memória 
•3- Experiência 
•4- Arte 
•5- Teoria
1. (Uenp 2011) As discussões iniciais sobre Lógica foram organizadas por Aristóteles no texto conhecido como “Organon”, onde o filósofo sistematiza e problematiza algumas das afirmações que tinham sido feitas pelos pré-socráticos (Parmênides, Heráclito) e por Platão. Sobre a lógica aristotélica é incorreto afirmar: 
•a) Aristóteles considera que a dialética não é um procedimento seguro para o pensamento, tendo em vista posições contrárias de debatedores, e a escolha de uma opinião contra a outra não garante chegar à essência da coisa investigada, por isso sugere a substituição da dialética pela lógica. 
•b) Entre as principais diferenças que existem entre a lógica aristotélica e a dialética platônica estão: a primeira é um instrumento para o conhecer que antecede o exercício do pensamento e da linguagem; a segunda é um modo de conhecer e pressupõe a aplicação imediata do pensamento e da linguagem. 
•c) A lógica aristotélica é um instrumento para trabalhar os contrários, e as contradições para superá- los e chegar ao conhecimento da essência das coisas e da realidade. 
•d) A lógica aristotélica sistematiza alguns princípios e procedimentos que devem ser empregados nos raciocínios para a produção de conhecimentos universais e necessários. 
•e) Contemporaneamente não se pode considerar a lógica aristotélica como plenamente formal, tendo em vista que Aristóteles não afasta por completo os conteúdos pensados, para ficar com formas vazias (como se faz na lógica puramente formal). Embora tenha avançado no sentido da lógica formal, se comparada com a dialética platônica, que dependia absolutamente do conteúdo dos juízos.
2. (UFU 2012) Em primeiro lugar, é claro que, com a expressão “ser segundo a potência e o ato”, indicam-se dois modos de ser muito diferentes e, em certo sentido, opostos. Aristóteles, de fato, chama o ser da potência até mesmo de não-ser, no sentido de que, com relação ao ser-em-ato, o ser-em-potência é não-ser-em-ato. 
(REALE, Giovanni. História da Filosofia Antiga. Vol. II. Trad. de Henrique Cláudio de Lima Vaz e Marcelo Perine. São Paulo: Loyola, 1994, p. 349.) 
A partir da leitura do trecho acima e em conformidade com a Teoria do Ato e Potência de Aristóteles, assinale a alternativa correta. 
•a) Para Aristóteles, ser-em-ato é o ser em sua capacidade de se transformar em algo diferente dele mesmo, como, por exemplo, o mármore (ser-em-ato) em relação à estátua (ser-em- potência). 
•b) Segundo Aristóteles, a teoria do ato e potência explica o movimento percebido no mundo sensível. Tudo o que possui matéria possui potencialidade (capacidade de assumir ou receber uma forma diferente de si), que tende a se atualizar (assumindo ou recebendo aquela forma). 
•c) Para Aristóteles, a bem da verdade, existe apenas o ser-em-ato. Isto ocorre porque o movimento verificado no mundo material é apenas ilusório, e o que existe é sempre imutável e imóvel. 
•d) Segundo Aristóteles, o ato é próprio do mundo sensível (das coisas materiais) e a potência se encontra tão-somente no mundo inteligível, apreendido apenas com o intelecto.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

O que é Filosofia?
O que é Filosofia?O que é Filosofia?
O que é Filosofia?
 
Cap 4 - Filosofia Helenística
Cap 4 - Filosofia HelenísticaCap 4 - Filosofia Helenística
Cap 4 - Filosofia Helenística
 
Platão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideiasPlatão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideias
 
Aula 21 filosofia da ciência
Aula 21   filosofia da ciênciaAula 21   filosofia da ciência
Aula 21 filosofia da ciência
 
Filosofia 02 - Sócrates, Platão e Aristóteles
Filosofia 02 - Sócrates, Platão e  AristótelesFilosofia 02 - Sócrates, Platão e  Aristóteles
Filosofia 02 - Sócrates, Platão e Aristóteles
 
Os pré-socráticos
Os pré-socráticosOs pré-socráticos
Os pré-socráticos
 
Filosofia moderna
Filosofia moderna Filosofia moderna
Filosofia moderna
 
Filosofia
Filosofia Filosofia
Filosofia
 
Sócrates
SócratesSócrates
Sócrates
 
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - ObjetivaQuestões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
 
Sócrates, Platão e Aristóteles
Sócrates, Platão e AristótelesSócrates, Platão e Aristóteles
Sócrates, Platão e Aristóteles
 
História da Filosofia
História da FilosofiaHistória da Filosofia
História da Filosofia
 
A reflexão filosófica
A reflexão filosóficaA reflexão filosófica
A reflexão filosófica
 
Santo Agostinho e a Patrística
Santo Agostinho e a PatrísticaSanto Agostinho e a Patrística
Santo Agostinho e a Patrística
 
3 Descartes
3 Descartes 3 Descartes
3 Descartes
 
Senso comum x conhecimento científico
Senso comum x conhecimento científicoSenso comum x conhecimento científico
Senso comum x conhecimento científico
 
Avaliação diagnostica filosofia
Avaliação diagnostica filosofiaAvaliação diagnostica filosofia
Avaliação diagnostica filosofia
 
Nietzsche
NietzscheNietzsche
Nietzsche
 
Aula 08 - O Empirismo
Aula 08 - O EmpirismoAula 08 - O Empirismo
Aula 08 - O Empirismo
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
 

Destaque

Continuação do Período Helenístico
Continuação do Período HelenísticoContinuação do Período Helenístico
Continuação do Período HelenísticoLaguat
 
Introducao a Logica
Introducao a LogicaIntroducao a Logica
Introducao a LogicaAdolfo Neto
 
O nascimento da lógica 2º ano ok
O nascimento da lógica 2º ano okO nascimento da lógica 2º ano ok
O nascimento da lógica 2º ano okMilena Leite
 
Filosofía estoica- estoicismo- estoicos
Filosofía estoica- estoicismo- estoicosFilosofía estoica- estoicismo- estoicos
Filosofía estoica- estoicismo- estoicosSandra97103
 
Estoicismo em Ricardo Reis
Estoicismo em Ricardo ReisEstoicismo em Ricardo Reis
Estoicismo em Ricardo ReisEunice Carmo
 
Filosofia da-linguagem-3ano
Filosofia da-linguagem-3anoFilosofia da-linguagem-3ano
Filosofia da-linguagem-3anoEuna Machado
 
O principio da contradição de aristóteles
O principio da contradição de aristótelesO principio da contradição de aristóteles
O principio da contradição de aristótelesFelipe Bezerra Cambará
 
Princípios de lógica
Princípios de lógicaPrincípios de lógica
Princípios de lógicafiloscar
 
Lógica aristotélica
Lógica aristotélicaLógica aristotélica
Lógica aristotélicaIarley Brito
 
Estoicismo e epicurismo
Estoicismo e epicurismoEstoicismo e epicurismo
Estoicismo e epicurismoHelena Serrão
 
Estoicismo y Epicureísmo
Estoicismo y EpicureísmoEstoicismo y Epicureísmo
Estoicismo y EpicureísmoKelly Ruiz
 

Destaque (20)

Período helenístico
Período helenísticoPeríodo helenístico
Período helenístico
 
Continuação do Período Helenístico
Continuação do Período HelenísticoContinuação do Período Helenístico
Continuação do Período Helenístico
 
Introducao a Logica
Introducao a LogicaIntroducao a Logica
Introducao a Logica
 
O nascimento da lógica 2º ano ok
O nascimento da lógica 2º ano okO nascimento da lógica 2º ano ok
O nascimento da lógica 2º ano ok
 
Filosofía estoica- estoicismo- estoicos
Filosofía estoica- estoicismo- estoicosFilosofía estoica- estoicismo- estoicos
Filosofía estoica- estoicismo- estoicos
 
Estoicismo em Ricardo Reis
Estoicismo em Ricardo ReisEstoicismo em Ricardo Reis
Estoicismo em Ricardo Reis
 
Filosofia da-linguagem-3ano
Filosofia da-linguagem-3anoFilosofia da-linguagem-3ano
Filosofia da-linguagem-3ano
 
Estoicismo
EstoicismoEstoicismo
Estoicismo
 
O principio da contradição de aristóteles
O principio da contradição de aristótelesO principio da contradição de aristóteles
O principio da contradição de aristóteles
 
Estoicismo
EstoicismoEstoicismo
Estoicismo
 
Linguagem
LinguagemLinguagem
Linguagem
 
Princípios de lógica
Princípios de lógicaPrincípios de lógica
Princípios de lógica
 
Lógica
LógicaLógica
Lógica
 
Dialética
DialéticaDialética
Dialética
 
Aula 12 - Lógica
Aula 12 - LógicaAula 12 - Lógica
Aula 12 - Lógica
 
Introdução à Lógica
Introdução à LógicaIntrodução à Lógica
Introdução à Lógica
 
Lógica aristotélica
Lógica aristotélicaLógica aristotélica
Lógica aristotélica
 
Helenismo
HelenismoHelenismo
Helenismo
 
Estoicismo e epicurismo
Estoicismo e epicurismoEstoicismo e epicurismo
Estoicismo e epicurismo
 
Estoicismo y Epicureísmo
Estoicismo y EpicureísmoEstoicismo y Epicureísmo
Estoicismo y Epicureísmo
 

Semelhante a Período Sistemático

Aula de filosofia
Aula de filosofiaAula de filosofia
Aula de filosofiaGutt1848
 
Aristóteles e sua Filosofia
Aristóteles e sua FilosofiaAristóteles e sua Filosofia
Aristóteles e sua FilosofiaHilton Rosas
 
INTRODUÇÃO À LÓGICA.pptx
INTRODUÇÃO À LÓGICA.pptxINTRODUÇÃO À LÓGICA.pptx
INTRODUÇÃO À LÓGICA.pptxIuri Ribeiro
 
Aula 04 filosofia clássicos gregos - iii
Aula 04   filosofia clássicos gregos - iiiAula 04   filosofia clássicos gregos - iii
Aula 04 filosofia clássicos gregos - iiiElizeu Nascimento Silva
 
Aristoteles bases do pensamento logico e cientifico
Aristoteles bases do pensamento logico e cientificoAristoteles bases do pensamento logico e cientifico
Aristoteles bases do pensamento logico e cientificoMilton Fabiano Silva
 
estudo de ciencia - Metodologia cientifica
estudo de ciencia - Metodologia cientificaestudo de ciencia - Metodologia cientifica
estudo de ciencia - Metodologia cientificaCleberDeLima2
 
Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.
Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.
Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.Altair Moisés Aguilar
 
Slides Metafísica 25.08.2020.pdf
Slides Metafísica  25.08.2020.pdfSlides Metafísica  25.08.2020.pdf
Slides Metafísica 25.08.2020.pdfalexon5
 
Platão Sociedade Grega
Platão Sociedade GregaPlatão Sociedade Grega
Platão Sociedade GregaAlan
 
Filósofos Pré-Socráticos
Filósofos Pré-SocráticosFilósofos Pré-Socráticos
Filósofos Pré-SocráticosJecyane
 
Aula 2 teoria do conhecimento
Aula 2 teoria do conhecimentoAula 2 teoria do conhecimento
Aula 2 teoria do conhecimentoAnna Luiza Coli
 

Semelhante a Período Sistemático (20)

Período Sistemático - novo
Período Sistemático - novoPeríodo Sistemático - novo
Período Sistemático - novo
 
Aula de filosofia
Aula de filosofiaAula de filosofia
Aula de filosofia
 
Aristóteles e sua Filosofia
Aristóteles e sua FilosofiaAristóteles e sua Filosofia
Aristóteles e sua Filosofia
 
A filosofia de platão
A filosofia de platãoA filosofia de platão
A filosofia de platão
 
INTRODUÇÃO À LÓGICA.pptx
INTRODUÇÃO À LÓGICA.pptxINTRODUÇÃO À LÓGICA.pptx
INTRODUÇÃO À LÓGICA.pptx
 
Aula 04 filosofia clássicos gregos - iii
Aula 04   filosofia clássicos gregos - iiiAula 04   filosofia clássicos gregos - iii
Aula 04 filosofia clássicos gregos - iii
 
Aristoteles bases do pensamento logico e cientifico
Aristoteles bases do pensamento logico e cientificoAristoteles bases do pensamento logico e cientifico
Aristoteles bases do pensamento logico e cientifico
 
mcientifica (1).ppt
mcientifica (1).pptmcientifica (1).ppt
mcientifica (1).ppt
 
mcientifica.ppt
mcientifica.pptmcientifica.ppt
mcientifica.ppt
 
estudo de ciencia - Metodologia cientifica
estudo de ciencia - Metodologia cientificaestudo de ciencia - Metodologia cientifica
estudo de ciencia - Metodologia cientifica
 
mcientifica.ppt
mcientifica.pptmcientifica.ppt
mcientifica.ppt
 
metodologia aula 1.ppt
metodologia aula 1.pptmetodologia aula 1.ppt
metodologia aula 1.ppt
 
mcientifica.ppt
mcientifica.pptmcientifica.ppt
mcientifica.ppt
 
Aula sobre Platão.pptx
Aula sobre Platão.pptxAula sobre Platão.pptx
Aula sobre Platão.pptx
 
Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.
Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.
Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.
 
Slides Metafísica 25.08.2020.pdf
Slides Metafísica  25.08.2020.pdfSlides Metafísica  25.08.2020.pdf
Slides Metafísica 25.08.2020.pdf
 
Platão Sociedade Grega
Platão Sociedade GregaPlatão Sociedade Grega
Platão Sociedade Grega
 
Filósofos Pré-Socráticos
Filósofos Pré-SocráticosFilósofos Pré-Socráticos
Filósofos Pré-Socráticos
 
Aula 2 teoria do conhecimento
Aula 2 teoria do conhecimentoAula 2 teoria do conhecimento
Aula 2 teoria do conhecimento
 
A atitude científica
A atitude científicaA atitude científica
A atitude científica
 

Mais de Juliana Corvino de Araújo (13)

Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marx
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Filosofia contemporânea - Jean Paul Sartre
Filosofia contemporânea - Jean Paul SartreFilosofia contemporânea - Jean Paul Sartre
Filosofia contemporânea - Jean Paul Sartre
 
Escola de Frankfurt - Indústria Cultural
Escola de  Frankfurt - Indústria CulturalEscola de  Frankfurt - Indústria Cultural
Escola de Frankfurt - Indústria Cultural
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Kant
KantKant
Kant
 
Francis bacon
Francis baconFrancis bacon
Francis bacon
 
Descartes
DescartesDescartes
Descartes
 
Filosofia Renascentista
Filosofia  RenascentistaFilosofia  Renascentista
Filosofia Renascentista
 
Filosofia Medieval
Filosofia MedievalFilosofia Medieval
Filosofia Medieval
 
Modernidade
ModernidadeModernidade
Modernidade
 
Período helenístico
Período helenísticoPeríodo helenístico
Período helenístico
 
Filosofia Socrática
Filosofia SocráticaFilosofia Socrática
Filosofia Socrática
 

Último

Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Susana Stoffel
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...LizanSantos1
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 

Último (20)

Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 

Período Sistemático

  • 1. •Tem como principal filósofo Aristóteles. •Produziu uma enciclopédia de todo saber que foi produzido e acumulado pelos gregos ao longo dos anos. -> FILOSOFIA. •Para ele, portanto, a filosofia não é o saber específico sobre alguma coisa, mas sim uma forma de conhecer todas as coisas. •Estabeleceu uma diferença entre a totalidade desses conhecimentos, distribuindo-os em escala. Período Sistemático – IV a III a. C
  • 2. Cada saber, no campo que lhe é próprio, possui um objeto e procedimentos específicos -> a escala vai do mais simples para o mais complexo. Cada campo do saber é uma ciência, em grego, epistéme. Conhecer as leis gerais do pensamento = analítica.(Mais tarde a palavra analítica passou a ser chamada de lógica). Assim, Aristóteles é o criador da lógica como instrumento do conhecimento em qualquer campo do saber. ATENÇÃO!!! A lógica não é uma ciência mas sim um instrumento!
  • 3. Hilemorfismo Teleológico •Considerado um dos primeiros biólogos que existiu, diferente de Platão, achava que o sensível e o inteligível caminhavam juntos. •Para ele, todas as coisas estariam constituídas de 2 princípios inseparáveis: •Matéria (hylé): o princípio dos seres, mas que é determinável pela forma. •Forma (morphé): o princípio determinado em si mesmo, mas que é determinante em relação à matéria.
  • 4. •Tudo que existe, compõe-se de matéria e forma. A forma é que faz com que as coisas sejam o que são, enquanto a matéria constitui o substrato que permanece. •Nos processos de mudança, a forma muda; a matéria permanece.
  • 5. •Rejeitou a teoria de Platão, segundo a qual, os dados transmitidos pelos sentidos não passam de distorções, sombras ou ilusões da verdadeira realidade existente no mundo das ideias. •Para ele, a observação da realidade por nossos sentidos leva-nos à constatação da existência real de inúmeros seres individuais, concretos, mutáveis.
  • 6. Potência e Ato •Buscou analisar a realidade que muda. •Assim, devemos diferenciar: o ato – manifestação atual do ser; potência – as possibilidades do ser, aquilo que ainda não é mas pode vir a ser. •Ato – Forma / Potência - Matéria
  • 7. Método Dedutivo •Assim, a ciência deveria partir da realidade sensorial – empírica – para buscar nela as estruturas essenciais de cada ser. •A finalidade da ciência deve ser a compreensão do universal, visando o estabelecimento de definições essenciais que possam ser utilizadas de modo generalizado.
  • 8. •A dedução representa para o autor o processo intelectual básico de aquisição do conhecimento. •Observação sistemática das diferentes frutas às quais damos o nome de maçã. •Assim, o conceito maçã pode ter sentido universal, já que reúne em si a estrutura essencial aplicável ao conjunto das várias maçãs existentes no mundo.
  • 9. As relações do ser •Tudo no mundo possui: •1 – Essência e acidente •2 – Ato e potência •3 – Necessidade e contingência •Assim, todas as coisas tem: causa formal, causa material, causa eficiente e causa final.
  • 10. A filosofia como um grande sistema de conhecimento •Busca de um conhecimento que abarque toda realidade. •Esquematizar através de “departamentos” específicos de conhecimento, formando um conjunto completo e fechado capaz de produzir saber. •“Corpos Aristotelicum” •Conhecimento dividido em 3 esferas.
  • 11. Aristóteles diferencia as ciências que formam a filosofia conforme seus objetos e finalidades. ciências preocupadas com a prática em si. ciências preocupadas exclusivamente com o conhecimento.
  • 12. •1- Ciências produtivas: estudam as práticas e técnicas. Finalidade: produção de alguma coisa, objeto ou obra. •Poética (obra: Tratado da Poética) mimesis = imitação da natureza. •Retórica (obra: Tratado da Retórica) cartase = reviver os sentimentos por meio da arte para que possamos nos purificar deles. É a arte do discurso e da tragédia grega. Ao sentir o que é representado, aprende-se sobre os sentimentos e cria-se a possibilidade de amadurecimento do ser humano.
  • 13. •2 – Ciências Práticas: a finalidade da ação está na realização do agente, ou seja, a finalidade da ação está nela mesma. •EX: Ética, moral e política. •Ética: estudo da virtude -> o que ela é e como nos educar. É encontrada no meio justo (meson). •Por exemplo, a virtude da coragem não é nem temer a tudo e também não é nunca temer: a virtude é a sabedoria da coragem na medida certa. •Política: “O homem é um animal político” -> O homem só realiza sua natureza essencial no convívio e na relação política com seus pares na cidade.
  • 14. •3 – Ciências Teóricas ou Contemplativas: estuda as coisas da natureza e divinas. Coisas que não dependem da ação do homem. a)Ciência Natural: do mundo sensível. •->FÍSICA/ASTRONOMIA: movimento dos corpos sensíveis. •->VIDA/BIOLOGIA: movimento do ser vivo. •-> PSICOLOGIA: movimento do ser racional, da alma humana.
  • 15. b) Filosofia Primeira: ciência do ser. •-> ARQUELOLOGIA: busca a causa primeira de qualquer ser. •-> ONTOLOGIA: reflexão do ser; do que é real. •-> TEOLOGIA: compreensão do Primeiro Ser, que é perfeito, denominado de Theos.
  • 16. LÓGICA •Não é uma ciência, mas um instrumento que todas as ciências tomam parte. •Qualquer área do conhecimento pressupõe a lógica e a usa para produzir sentido. •“Organom” -> Refutações Sofísticas, Tópicos, Primeiros Analíticos, Segundos Analíticos, Interpretação e Categorias.
  • 17. •Refutações Sofísticas: reflexões sobre o sentido dos argumentos sofistas que, após um olhar crítico da lógica, não sobrevive. •Tópicos: busca encontrar um método que faça uso da lógica nas discussões argumentativas. •Primeiros Analíticos: teoria da dedução. –Todo Homem é mortal; –Aristóteles é Homem; –Logo, Aristóteles é mortal
  • 18. •Segundos Analíticos: uso do raciocínio para criar um método sistemático de conhecimento. •Interpretação: análise de sentenças e frases, que são chamadas de proposições. Relação com a verdade ou a falsidade. •Categorias: análise do termo ser e de suas inúmeras variações.
  • 19. Teoria do Conhecimento •Diferente de Platão, que faz uso da alegoria e da metáfora, Aristóteles escreve a obra Metafísica para, sistematicamente, demonstrar a experiência do conhecer. •1- Sensação •2- Memória •3- Experiência •4- Arte •5- Teoria
  • 20.
  • 21. 1. (Uenp 2011) As discussões iniciais sobre Lógica foram organizadas por Aristóteles no texto conhecido como “Organon”, onde o filósofo sistematiza e problematiza algumas das afirmações que tinham sido feitas pelos pré-socráticos (Parmênides, Heráclito) e por Platão. Sobre a lógica aristotélica é incorreto afirmar: •a) Aristóteles considera que a dialética não é um procedimento seguro para o pensamento, tendo em vista posições contrárias de debatedores, e a escolha de uma opinião contra a outra não garante chegar à essência da coisa investigada, por isso sugere a substituição da dialética pela lógica. •b) Entre as principais diferenças que existem entre a lógica aristotélica e a dialética platônica estão: a primeira é um instrumento para o conhecer que antecede o exercício do pensamento e da linguagem; a segunda é um modo de conhecer e pressupõe a aplicação imediata do pensamento e da linguagem. •c) A lógica aristotélica é um instrumento para trabalhar os contrários, e as contradições para superá- los e chegar ao conhecimento da essência das coisas e da realidade. •d) A lógica aristotélica sistematiza alguns princípios e procedimentos que devem ser empregados nos raciocínios para a produção de conhecimentos universais e necessários. •e) Contemporaneamente não se pode considerar a lógica aristotélica como plenamente formal, tendo em vista que Aristóteles não afasta por completo os conteúdos pensados, para ficar com formas vazias (como se faz na lógica puramente formal). Embora tenha avançado no sentido da lógica formal, se comparada com a dialética platônica, que dependia absolutamente do conteúdo dos juízos.
  • 22. 2. (UFU 2012) Em primeiro lugar, é claro que, com a expressão “ser segundo a potência e o ato”, indicam-se dois modos de ser muito diferentes e, em certo sentido, opostos. Aristóteles, de fato, chama o ser da potência até mesmo de não-ser, no sentido de que, com relação ao ser-em-ato, o ser-em-potência é não-ser-em-ato. (REALE, Giovanni. História da Filosofia Antiga. Vol. II. Trad. de Henrique Cláudio de Lima Vaz e Marcelo Perine. São Paulo: Loyola, 1994, p. 349.) A partir da leitura do trecho acima e em conformidade com a Teoria do Ato e Potência de Aristóteles, assinale a alternativa correta. •a) Para Aristóteles, ser-em-ato é o ser em sua capacidade de se transformar em algo diferente dele mesmo, como, por exemplo, o mármore (ser-em-ato) em relação à estátua (ser-em- potência). •b) Segundo Aristóteles, a teoria do ato e potência explica o movimento percebido no mundo sensível. Tudo o que possui matéria possui potencialidade (capacidade de assumir ou receber uma forma diferente de si), que tende a se atualizar (assumindo ou recebendo aquela forma). •c) Para Aristóteles, a bem da verdade, existe apenas o ser-em-ato. Isto ocorre porque o movimento verificado no mundo material é apenas ilusório, e o que existe é sempre imutável e imóvel. •d) Segundo Aristóteles, o ato é próprio do mundo sensível (das coisas materiais) e a potência se encontra tão-somente no mundo inteligível, apreendido apenas com o intelecto.