Descartes

333 visualizações

Publicada em

Pai do Racionalismo, Descartes cria seu método para facilitar a compreensão filosófica.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
333
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Descartes

  1. 1. MODERNIDADE
  2. 2. TEMPO DE DESCARTES •Podemos dizer que a filosofia de Descartes foi uma reflexão de seu próprio tempo. •De fato, do séc. XV ao XVII ocorreram grandes transformações: Teoria Heliocêntrica, Reforma Protestante, Mercantilismo, Renascimento, etc. •Tem como objetivo sistematizar a nova visão de mundo que está surgindo. •Rompe com a tradição medieval e vê a razão como o ponto mais forte do ser humano.
  3. 3. •Para o autor, o progresso colocado nas mãos da razão faz com que a sociedade conheça de fato a ciência e a Filosofia. •Buscou produzir um conhecimento seguro da filosofia (Discurso do Método), no qual busca um método seguro para o conhecimento. •Também usou o método sistemático para analisar elementos não racionais da alma humana. •Trouxe a filosofia para uma problemática mais pessoal (Como Platão e Santo Agostinho). •Descreve que o bom senso (racionalidade) é inerente de todo homem, no entanto, alguns fazem mau uso da razão.
  4. 4. •Logo, é preciso educar a razão para se chegar ao conhecimento. •O Objetivo de Descartes era reformular a maneira pela qual se produzia conhecimento em sua época. O método é que vai educar e indicar o caminho para a razão. •Usa a lógica de Aristóteles para tratar das questões, mas sem as formalidades dos escolásticos. •Era preciso um método mais simples para garantir a verdade.
  5. 5. As Regras do Método •1 – Jamais aceitar como verdadeira uma coisa que não soubesse ser evidentemente como tal. •2 – Dividir cada uma das dificuldades examinadas em tantas partes possíveis para resolvê-las. •3 – Sintetizar do pensamento mais simples ao mais complexo. •4 – Revisar para ter certeza de não ter omitido nada.
  6. 6. •Assim o conhecimento seguro está dentro do ser humano (Platão e Agostinho) -> a compreensão do mundo só viria após uma verificação filosófica sobre o próprio sujeito. •Como encontrar o alicerce do conhecimento? Duvidando. •Descartes faz uso da dúvida para encontrar aquilo que é seguro (Dúvida Metódica).
  7. 7. •TRADIÇÃO: devemos duvidar daquilo que nos é passado por tradição, por geração. •Os sentidos: também podem ser colocados em dúvida (graveto dentro da água). •Argumento do sonho: até mesmo a memória pode ser dubitável. •Até mesmo a matemática pode ser dúbia! Dúvida Hiperbólica. •A dúvida é a primeira verdade da qual não podemos duvidar!
  8. 8. Cogito, ergo sum. •Se duvido, é porque penso. Isso faz com que eu tenha certeza da minha existência, pois, se duvido penso....se penso, logo, existo! •CUIDADO!! Só posso ter certeza da minha existência, não da existência dos outros -> silopsismo. •Há 3 tipos de ideias: inatas, adventícias (sensorial) e imaginação.

×