Espectros daEspectros da
religiosidadereligiosidade
contemporânea no Brasilcontemporânea no Brasil
Profº. Dr. Juarez Apare...
Abordaremos nesta aula o fenômeno daAbordaremos nesta aula o fenômeno da
pluralidade religiosa e o desafio dopluralidade r...
Hoje apesar do prognóstico moderno em favorHoje apesar do prognóstico moderno em favor
das teses da secularização, o que s...
O Brasil, por sua formação, é umO Brasil, por sua formação, é um país quepaís que
possui uma rica diversidade religiosa, e...
Definir queDefinir que o brasileiro é marcadamenteo brasileiro é marcadamente
religioso e que isso se reflete em sua vidar...
O Brasil oferece um panorama extremamenteO Brasil oferece um panorama extremamente
vasto das transformações da esfera reli...
Dos grupos religiosos altamente etnicizantes eDos grupos religiosos altamente etnicizantes e
fechados, como os de muitas n...
Procurar um nexo lógico ou estruturante queProcurar um nexo lógico ou estruturante que
nos permita apreender como uma tota...
Heuristicamente, talvez seja mais fértilHeuristicamente, talvez seja mais fértil
postergar o momento de definir a totalida...
OO modo mais comum de definir essamodo mais comum de definir essa
articulação partiria da ideia de que todosarticulação pa...
Nenhuma religião está livre das disfunçõesNenhuma religião está livre das disfunções
institucionais, dos enrijecimentosins...
Ou seja, há uma grande dificuldade emOu seja, há uma grande dificuldade em
compreender que o elemento decompreender que o ...
Devemos ter a consciência de que não ocorreDevemos ter a consciência de que não ocorre
uma ruptura da preservação do códig...
No mundo cosmopolita e plural se torna muitoNo mundo cosmopolita e plural se torna muito
difícil a preservação de identida...
Esta nova situação terá uma influênciaEsta nova situação terá uma influência
importante no campo religioso. Com aimportant...
Esta diferença pode, entretanto, propiciar umEsta diferença pode, entretanto, propiciar um
espaço para a afirmação de um n...
Trata-se, portanto, de duas possibilidadesTrata-se, portanto, de duas possibilidades
concretas de reagir ao desafio propos...
Segundo Peter Berger, “o pluralismo cria umaSegundo Peter Berger, “o pluralismo cria uma
condição de incerteza permanente ...
Ao sentimento de insegurança responde-seAo sentimento de insegurança responde-se
com uma redução cognitiva defensiva oucom...
Todo fundamentalismo vem circundado deTodo fundamentalismo vem circundado de
uma potencialidade de violência. Aindauma pot...
Como bem acentuou Giddens, oComo bem acentuou Giddens, o
fundamentalismo quando analisado contra ofundamentalismo quando a...
Torna-se intolerável para os fundamentalistasTorna-se intolerável para os fundamentalistas
a possibilidade de esvaecimento...
Com sua capacidade de recriar nexos deCom sua capacidade de recriar nexos de
solidariedade grupal, de dotar a vida desolid...
O século XXI trouxe a presença inquietante eO século XXI trouxe a presença inquietante e
desafiadora do outro, do diferent...
O processo de globalização na sociedadeO processo de globalização na sociedade
moderna encurtou o mundo, mas instaurou omo...
O grande perigo que ronda o tempo atual é oO grande perigo que ronda o tempo atual é o
da afirmação dogmática de comunidad...
As religiões podem estar envolvidas nesteAs religiões podem estar envolvidas neste
círculo isolacionista e imobilizadas pe...
BibliografiaBibliografia
• COSTA Juarez Apº. A contribuição de Andrés Torres Queiruga para umaCOSTA Juarez Apº. A contribu...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Espectros da religiosidade contemporânea no Brasil

262 visualizações

Publicada em

Trata-se do fenômeno da pluralidade religiosa e do desafio do diálogo entre as religiões na sociedade moderna. Brasil é um país que possui uma diversidade religiosa, portanto, devemos estar atento ao diálogo e a tolerância.

Publicada em: Educação
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Espectros da religiosidade contemporânea no Brasil

  1. 1. Espectros daEspectros da religiosidadereligiosidade contemporânea no Brasilcontemporânea no Brasil Profº. Dr. Juarez Aparecido CostaProfº. Dr. Juarez Aparecido Costa
  2. 2. Abordaremos nesta aula o fenômeno daAbordaremos nesta aula o fenômeno da pluralidade religiosa e o desafio dopluralidade religiosa e o desafio do diálogo entre as religiões na sociedadediálogo entre as religiões na sociedade moderna; sociedade esta marcada pelomoderna; sociedade esta marcada pelo espectro de um fundamentalismoespectro de um fundamentalismo religioso proporcionado pelareligioso proporcionado pela modernidade. A imagem que hojemodernidade. A imagem que hoje vigora não é a da celebração evigora não é a da celebração e solidariedade inter-cultural, mas de umsolidariedade inter-cultural, mas de um mundo repleto de pessoas quemundo repleto de pessoas que glorificam alegremente seus heróis eglorificam alegremente seus heróis e diabolizam seus inimigos.diabolizam seus inimigos.
  3. 3. Hoje apesar do prognóstico moderno em favorHoje apesar do prognóstico moderno em favor das teses da secularização, o que se verificadas teses da secularização, o que se verifica é uma presença viva do fenômeno religioso eé uma presença viva do fenômeno religioso e uma nova vitalidade da religião. Comouma nova vitalidade da religião. Como sublinha Peter Berger, “não há razão parasublinha Peter Berger, “não há razão para pensar que o mundo do século XXI serápensar que o mundo do século XXI será menos religioso do que o mundo atual”menos religioso do que o mundo atual”
  4. 4. O Brasil, por sua formação, é umO Brasil, por sua formação, é um país quepaís que possui uma rica diversidade religiosa, empossui uma rica diversidade religiosa, em função da miscigenação cultural, fruto dosfunção da miscigenação cultural, fruto dos vários processos imigratórios, encontramosvários processos imigratórios, encontramos em nosso país diversas religiões (cristã,em nosso país diversas religiões (cristã, islâmica, afro-brasileira, judaíca, entre outras.islâmica, afro-brasileira, judaíca, entre outras. Por possuir um Estado laico, o BrasilPor possuir um Estado laico, o Brasil apresenta liberdade de culto religioso eapresenta liberdade de culto religioso e também a separação entre Estado e Igreja.também a separação entre Estado e Igreja.
  5. 5. Definir queDefinir que o brasileiro é marcadamenteo brasileiro é marcadamente religioso e que isso se reflete em sua vidareligioso e que isso se reflete em sua vida cotidiana, na capacidade de expressão decotidiana, na capacidade de expressão de múltiplas formas de fé religiosa, é afirmar quemúltiplas formas de fé religiosa, é afirmar que suas condutas e crenças constituem partesuas condutas e crenças constituem parte fundamental do ethos da cultura brasileira.fundamental do ethos da cultura brasileira.
  6. 6. O Brasil oferece um panorama extremamenteO Brasil oferece um panorama extremamente vasto das transformações da esfera religiosavasto das transformações da esfera religiosa ocorridas a partir do momento em aberto noocorridas a partir do momento em aberto no tempo do Ocidente, que costumamos chamartempo do Ocidente, que costumamos chamar de modernidade; do catolicismo e dode modernidade; do catolicismo e do protestantismo mais tradicionais aos estilosprotestantismo mais tradicionais aos estilos de cultos cristãos calcados na indústriade cultos cristãos calcados na indústria cultural e no simulacro televisivo; dascultural e no simulacro televisivo; das tradições religiosas afro-brasileiras maistradições religiosas afro-brasileiras mais ortodoxas, como o candomblé, o xangô, oortodoxas, como o candomblé, o xangô, o batuque e o tambor de mina, às variantesbatuque e o tambor de mina, às variantes mais sincréticas, híbridas ou imaginarias,mais sincréticas, híbridas ou imaginarias, como a umbanda, jurema, a umbandacomo a umbanda, jurema, a umbanda esotérica, entre tantos outros(as).esotérica, entre tantos outros(as).
  7. 7. Dos grupos religiosos altamente etnicizantes eDos grupos religiosos altamente etnicizantes e fechados, como os de muitas naçõesfechados, como os de muitas nações indígenas, aos novos movimentosindígenas, aos novos movimentos internacionais ou cosmopolitas, como os dainternacionais ou cosmopolitas, como os da Nova Era; de discursos teológicosNova Era; de discursos teológicos extremamente inovadores e radicais, comoextremamente inovadores e radicais, como os da Teologia da Libertação às váriasos da Teologia da Libertação às várias formas conservadoras e mesmoformas conservadoras e mesmo fundamentalistas de valores cristãos, tantofundamentalistas de valores cristãos, tanto católicos quanto protestantes. Além de tudocatólicos quanto protestantes. Além de tudo isso, ricas tradições orais e míticas, como osisso, ricas tradições orais e míticas, como os frequentes surtos messiânicos e as práticasfrequentes surtos messiânicos e as práticas chamânicas que se expandem para além dechamânicas que se expandem para além de seu contexto indígena original.seu contexto indígena original.
  8. 8. Procurar um nexo lógico ou estruturante queProcurar um nexo lógico ou estruturante que nos permita apreender como uma totalidadenos permita apreender como uma totalidade as interfaces, superposições, oposições,as interfaces, superposições, oposições, continuidades e singularidades dentro dessecontinuidades e singularidades dentro desse campo - as quais se apresentam, comocampo - as quais se apresentam, como indicam tantos estudos recentes, cada vezindicam tantos estudos recentes, cada vez mais numerosas - é uma tarefa gigantesca,mais numerosas - é uma tarefa gigantesca, ainda por realizar-se.ainda por realizar-se.
  9. 9. Heuristicamente, talvez seja mais fértilHeuristicamente, talvez seja mais fértil postergar o momento de definir a totalidade epostergar o momento de definir a totalidade e tratar esse universo religioso simplesmentetratar esse universo religioso simplesmente como um agregado intercomunicado. Oucomo um agregado intercomunicado. Ou seja, essa variedade de movimentos, igrejas,seja, essa variedade de movimentos, igrejas, seitas, cultos e grupos religiosos apresentamseitas, cultos e grupos religiosos apresentam graus distintos de inserção na sociedadegraus distintos de inserção na sociedade nacional, resultante de váriosnacional, resultante de vários condicionamentos históricos e sociais.condicionamentos históricos e sociais.
  10. 10. OO modo mais comum de definir essamodo mais comum de definir essa articulação partiria da ideia de que todosarticulação partiria da ideia de que todos esses movimentos religiosos pudessem teresses movimentos religiosos pudessem ter um diálogo – com maior ou menorum diálogo – com maior ou menor possibilidade de compatibilizar suas visõespossibilidade de compatibilizar suas visões de mundo. Segundo Andrés Torresde mundo. Segundo Andrés Torres Queiruga, o que ocorre é um distanciamentoQueiruga, o que ocorre é um distanciamento do diálogo e do entendimento devido ado diálogo e do entendimento devido a absolutez de certas linhas religiosas ouabsolutez de certas linhas religiosas ou interpretações de seus livros sagrados ouinterpretações de seus livros sagrados ou credos, traduzindo-se em umacredos, traduzindo-se em uma instrumentalização do fator religioso parainstrumentalização do fator religioso para afirmar um poder particular com respeito aosafirmar um poder particular com respeito aos outros.outros.
  11. 11. Nenhuma religião está livre das disfunçõesNenhuma religião está livre das disfunções institucionais, dos enrijecimentosinstitucionais, dos enrijecimentos particularistas e insulamentos dogmáticos. Aparticularistas e insulamentos dogmáticos. A falta de diálogo entre as religiões pode sefalta de diálogo entre as religiões pode se dar em decorrência de uma forma peculiardar em decorrência de uma forma peculiar de cada grupo religioso testemunhar ade cada grupo religioso testemunhar a verdade; também pode ocorrer pelaverdade; também pode ocorrer pela mudança no desenho da tradição namudança no desenho da tradição na sociedade moderna, que provoca tantassociedade moderna, que provoca tantas dificuldades em setores mais conservadores.dificuldades em setores mais conservadores.
  12. 12. Ou seja, há uma grande dificuldade emOu seja, há uma grande dificuldade em compreender que o elemento decompreender que o elemento de continuidade entre o passado e o presentecontinuidade entre o passado e o presente deve ser sempre dinamizado peladeve ser sempre dinamizado pela incorporação das inovações eincorporação das inovações e reinterpretações em função dos dados doreinterpretações em função dos dados do presente.presente.
  13. 13. Devemos ter a consciência de que não ocorreDevemos ter a consciência de que não ocorre uma ruptura da preservação do código deuma ruptura da preservação do código de sentido anterior, mas sim uma mudança nosentido anterior, mas sim uma mudança no mesmo. Entender a tradição de formamesmo. Entender a tradição de forma estática é esvaziá-la de seu conteúdo deestática é esvaziá-la de seu conteúdo de reinvenção permanente. Com a mudança doreinvenção permanente. Com a mudança do papel da tradição, uma nova dinâmica socialpapel da tradição, uma nova dinâmica social vem introduzida, e com ela, a exigência devem introduzida, e com ela, a exigência de um modo de vida mais aberto e reflexivo.um modo de vida mais aberto e reflexivo.
  14. 14. No mundo cosmopolita e plural se torna muitoNo mundo cosmopolita e plural se torna muito difícil a preservação de identidades isoladasdifícil a preservação de identidades isoladas e estanques. É inevitável o contato e ae estanques. É inevitável o contato e a relação de umas pessoas com outras, arelação de umas pessoas com outras, a percepção da diversidade plural de formaspercepção da diversidade plural de formas de pensamento e ação e o imperativo dade pensamento e ação e o imperativo da reflexividade.reflexividade.
  15. 15. Esta nova situação terá uma influênciaEsta nova situação terá uma influência importante no campo religioso. Com aimportante no campo religioso. Com a crescente mobilidade, verifica-se o contatocrescente mobilidade, verifica-se o contato entre pessoas de crenças diferentes.entre pessoas de crenças diferentes. Instaura-se, de fato, uma realidade deInstaura-se, de fato, uma realidade de pluralismo religioso mais imediata, mas nãopluralismo religioso mais imediata, mas não menos tensa como afirma Geertz: “asmenos tensa como afirma Geertz: “as diferenças de crenças, às vezes muitodiferenças de crenças, às vezes muito radicais, são mais diretamente visíveis, comradicais, são mais diretamente visíveis, com frequência crescente, e mais diretamentefrequência crescente, e mais diretamente encontradas: prontas para a suspeita, aencontradas: prontas para a suspeita, a preocupação, a repugnância e a altercação”.preocupação, a repugnância e a altercação”.
  16. 16. Esta diferença pode, entretanto, propiciar umEsta diferença pode, entretanto, propiciar um espaço para a afirmação de um novoespaço para a afirmação de um novo entendimento e solidariedade mútuos. Naentendimento e solidariedade mútuos. Na base de conflitos religiosos em curso sebase de conflitos religiosos em curso se encontra a busca ou construção daencontra a busca ou construção da identidade. Enquanto no passado estaidentidade. Enquanto no passado esta identidade era mais garantida e unificada, noidentidade era mais garantida e unificada, no mundo moderno ela passa para um regimemundo moderno ela passa para um regime plural, que divide o sujeito entre duasplural, que divide o sujeito entre duas possibilidades: o diálogo cosmopolita ou apossibilidades: o diálogo cosmopolita ou a redução fundamentalista.redução fundamentalista.
  17. 17. Trata-se, portanto, de duas possibilidadesTrata-se, portanto, de duas possibilidades concretas de reagir ao desafio proposto pelaconcretas de reagir ao desafio proposto pela sociedade moderna. A ameaça da segundasociedade moderna. A ameaça da segunda possibilidade está muito patente nopossibilidade está muito patente no momento atual, como afirmamomento atual, como afirma AnthonyAnthony Giddens, da “recusa do diálogo num mundoGiddens, da “recusa do diálogo num mundo cujo ritmo e continuidade depende dele”.cujo ritmo e continuidade depende dele”.
  18. 18. Segundo Peter Berger, “o pluralismo cria umaSegundo Peter Berger, “o pluralismo cria uma condição de incerteza permanente comcondição de incerteza permanente com respeito ao que se deveria crer e ao modorespeito ao que se deveria crer e ao modo como se deveria viver; mas a mente humanacomo se deveria viver; mas a mente humana abomina a incerteza, sobretudo no que dizabomina a incerteza, sobretudo no que diz respeito ao que se conta na vida. Quando orespeito ao que se conta na vida. Quando o relativismo alcança certa intensidade, orelativismo alcança certa intensidade, o absolutismo volta a exercitar um grandeabsolutismo volta a exercitar um grande fascínio”.fascínio”.
  19. 19. Ao sentimento de insegurança responde-seAo sentimento de insegurança responde-se com uma redução cognitiva defensiva oucom uma redução cognitiva defensiva ou ofensiva. Diante do risco dissolvedor daofensiva. Diante do risco dissolvedor da dúvida, reage-se com a afirmação ortodoxa.dúvida, reage-se com a afirmação ortodoxa. No primeiro caso, ocorre um fechamentoNo primeiro caso, ocorre um fechamento comunitário, é a estratégia do gueto. Nocomunitário, é a estratégia do gueto. No segundo caso, mais ameaçador, adota-se asegundo caso, mais ameaçador, adota-se a estratégia da cruzada, ou seja, o caminhoestratégia da cruzada, ou seja, o caminho da reconquista da sociedade em nome dada reconquista da sociedade em nome da tradição religiosa particular.tradição religiosa particular.
  20. 20. Todo fundamentalismo vem circundado deTodo fundamentalismo vem circundado de uma potencialidade de violência. Aindauma potencialidade de violência. Ainda segundo Giddens, há na sua base umasegundo Giddens, há na sua base uma “espiral degenerada de comunicação” e uma“espiral degenerada de comunicação” e uma recusa explícita a qualquer potenciamentorecusa explícita a qualquer potenciamento dialogal. O que “originalmente é apenas umdialogal. O que “originalmente é apenas um isolacionismo, ou talvez a insistência naisolacionismo, ou talvez a insistência na pureza de uma tradição local, pode se essapureza de uma tradição local, pode se essa for a tendência das circunstâncias,for a tendência das circunstâncias, transformar-se em um ciclo vicioso detransformar-se em um ciclo vicioso de animosidade e rancor”.animosidade e rancor”.
  21. 21. Como bem acentuou Giddens, oComo bem acentuou Giddens, o fundamentalismo quando analisado contra ofundamentalismo quando analisado contra o pano de fundo do surgimento da sociedadepano de fundo do surgimento da sociedade moderna, implica, de fato, a realidade demoderna, implica, de fato, a realidade de uma “tradição sitiada”. Diante da ameaçauma “tradição sitiada”. Diante da ameaça globalizadora, ele reage com a afirmaçãoglobalizadora, ele reage com a afirmação tradicional da tradição. Se rejeita todo etradicional da tradição. Se rejeita todo e qualquer engajamento dialogal com aqualquer engajamento dialogal com a modernidade, bem como qualquermodernidade, bem como qualquer possibilidade de reflexividade da tradição.possibilidade de reflexividade da tradição. Na raiz do fundamentalismo há o sentimentoNa raiz do fundamentalismo há o sentimento de insegurança, desorientação ou anomiade insegurança, desorientação ou anomia resultantes de uma dinâmica modernizadora.resultantes de uma dinâmica modernizadora.
  22. 22. Torna-se intolerável para os fundamentalistasTorna-se intolerável para os fundamentalistas a possibilidade de esvaecimento de seusa possibilidade de esvaecimento de seus valores tradicionais. Reagem ao abalovalores tradicionais. Reagem ao abalo provocado pelas crises do mundo modernoprovocado pelas crises do mundo moderno em suas comunidades de fé e em suasem suas comunidades de fé e em suas convicções básicas. Como medidas deconvicções básicas. Como medidas de contra-ataque, recusam todos os vetorescontra-ataque, recusam todos os vetores associados à lógica moderna: aassociados à lógica moderna: a hermenêutica, o pluralismo, o relativismo, ahermenêutica, o pluralismo, o relativismo, a evolução e o desenvolvimento e reforçam osevolução e o desenvolvimento e reforçam os canais de solidariedade grupal.canais de solidariedade grupal.
  23. 23. Com sua capacidade de recriar nexos deCom sua capacidade de recriar nexos de solidariedade grupal, de dotar a vida desolidariedade grupal, de dotar a vida de sentido e finalidade, de inventar um passadosentido e finalidade, de inventar um passado mítico em que não existiam as tensões e asmítico em que não existiam as tensões e as incertezas do mundo contemporâneo, deincertezas do mundo contemporâneo, de alimentar a esperança numa vida futura quealimentar a esperança numa vida futura que possa compensar todas as humilhações dopossa compensar todas as humilhações do presente e de fazer da religião uma trincheirapresente e de fazer da religião uma trincheira de resistência cultural, capaz de enfrentar asde resistência cultural, capaz de enfrentar as pressões niveladoras provocadas pelapressões niveladoras provocadas pela globalização, o fundamentalismo pareceglobalização, o fundamentalismo parece constituir uma resposta para todas asconstituir uma resposta para todas as frustrações da vida moderna.frustrações da vida moderna.
  24. 24. O século XXI trouxe a presença inquietante eO século XXI trouxe a presença inquietante e desafiadora do outro, do diferente, daqueledesafiadora do outro, do diferente, daquele que não pode ser negado em suaque não pode ser negado em sua peculiaridade; do outro como realidadepeculiaridade; do outro como realidade irreversível e irrevogável. Como sublinhairreversível e irrevogável. Como sublinha Pierre Sanchis, “o mundo mexeu:Pierre Sanchis, “o mundo mexeu: deslocamentos, divisões, expansões.deslocamentos, divisões, expansões. Encontros, encaixes, recobrimentos”Encontros, encaixes, recobrimentos”
  25. 25. O processo de globalização na sociedadeO processo de globalização na sociedade moderna encurtou o mundo, mas instaurou omoderna encurtou o mundo, mas instaurou o impacto da presença da diversidade. Estaimpacto da presença da diversidade. Esta presença tão numerosa de outros tãopresença tão numerosa de outros tão diversos é um dado característico do séculodiversos é um dado característico do século atual. Diante desta realidade, o que éatual. Diante desta realidade, o que é intolerável não é a diferença, mas aintolerável não é a diferença, mas a indiferença, ou seja a incapacidade de reagirindiferença, ou seja a incapacidade de reagir ao desgaste da compaixão que cresce aao desgaste da compaixão que cresce a cada momento.cada momento.
  26. 26. O grande perigo que ronda o tempo atual é oO grande perigo que ronda o tempo atual é o da afirmação dogmática de comunidadesda afirmação dogmática de comunidades humanas que funcionam como “mônadashumanas que funcionam como “mônadas semânticas, quase sem janelas”,semânticas, quase sem janelas”, especializadas em cultivar a arte doespecializadas em cultivar a arte do solilóquio e da surdez.solilóquio e da surdez.
  27. 27. As religiões podem estar envolvidas nesteAs religiões podem estar envolvidas neste círculo isolacionista e imobilizadas pelacírculo isolacionista e imobilizadas pela incomunicabilidade dogmática, ou pelaincomunicabilidade dogmática, ou pela heresia maior do descompromisso com oheresia maior do descompromisso com o outro, porem podem exercer sua influênciaoutro, porem podem exercer sua influência em favor de um encontro renovador eem favor de um encontro renovador e enriquecedor, direcionadas à solidariedadeenriquecedor, direcionadas à solidariedade mútua, à paz e o bem da humanidade. Émútua, à paz e o bem da humanidade. É nesta segunda direção que se encontra anesta segunda direção que se encontra a aposta dialogal, e a possibilidade única dasaposta dialogal, e a possibilidade única das religiões poderem adquirir sua credibilidade:religiões poderem adquirir sua credibilidade: dialogam para não morrerem.dialogam para não morrerem.
  28. 28. BibliografiaBibliografia • COSTA Juarez Apº. A contribuição de Andrés Torres Queiruga para umaCOSTA Juarez Apº. A contribuição de Andrés Torres Queiruga para uma releitura moderna do Cristianismoreleitura moderna do Cristianismo. Tese em Ciências da Religião.. Tese em Ciências da Religião. PUC/SP. Defesa em 2009.PUC/SP. Defesa em 2009. • BERGER, Peter L. A dessecularização do mundo: uma visão global.BERGER, Peter L. A dessecularização do mundo: uma visão global. Religião e SociedadeReligião e Sociedade, v. 21, n. 1, 2001., v. 21, n. 1, 2001. • QUEIRUGA, Andrés Torres.QUEIRUGA, Andrés Torres. Do terror de Isaac ao Abbá de JesusDo terror de Isaac ao Abbá de Jesus: por: por uma nova imagem de Deus. São Paulo, Paulinas, 2001.uma nova imagem de Deus. São Paulo, Paulinas, 2001. • GIDDENS, Anthony.GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade.As consequências da modernidade. São Paulo:São Paulo: Unesp, 1991.Unesp, 1991. • GIDDENS, Anthony.GIDDENS, Anthony. Mundo em descontroleMundo em descontrole: o que a globalização está: o que a globalização está fazendo de nós. Rio de Janeiro, Record, 2003.fazendo de nós. Rio de Janeiro, Record, 2003. • GEERTZ, Clifford.GEERTZ, Clifford. Nova luz sobre a antropologiaNova luz sobre a antropologia. Rio de Janeiro: Zahar,. Rio de Janeiro: Zahar, 2000.2000.

×