LÍNGUA PORTUGUESAArtigos, Numerais eInterjeições.
ARTIGOS Artigos são palavras que antecedem ossubstantivos, definindo-os ou particularizando-os(Artigos definidos), indefi...
 O, A, OS, AS; AO, À, AOS, ÀS; DO, DA, DOS, DAS; NO, NA, NOS, NAS; NO, NA, NOS, NAS; Vejamos como os Artigos Definid...
 Podemos notar no exemplo que foi usado oartigo “a”; Nessa frase, o artigo definidopassou a idéia de unicidade da qualida...
 UM, UMA, UNS, UMAS; NUM, NUMA, NUNS, NUMAS; DUM, DUMA, DUNS, DUMAS. Vejamos como os Artigos Indefinidos aparecemnas o...
 Podemos notar que o artigo “um” estápresente na oração, nesse caso podemosentender de que se trata de um lugar queserve ...
NUMERAL Numeral são as classes de palavras quedenota um número exato de coisas, seres ouconceitos, ou indica a posição qu...
NUMERAIS CARDINAIS Os numerais cardinais são as denominações básicas dosnúmeros Os numerais cardinais que variam em gêne...
 Os cardinais que variam em número são:MILHÃO/MILHÕES, BILHÃO/BILHÕES, TRILHÃO/TRILHÕES, em diante. Os demais cardinais ...
NUMERAIS ORDINAIS O numeral ordinal designa a ordem de sucessãoocupada numa série pelos objetos, seres etc. Por exemplo:...
 Os ordinais podem variar em gênero e número:Ele foi o primeiro a chegar na sala de aula.Ana é a primeira da fila.João e ...
 As derivações sufixais são, também, bastantefrequentes de alguns ordinais na linguagemcoloquial, como os aumentativos, d...
 Alguns numerais ordinais, por derivaçãoimprópria, são transformados em adjetivos.É um material didático de primeira.Você...
NUMERAIS MULTUPLICATIVOS São aqueles que apontam aumento por meio demúltiplos da quantidade em uma base, como:dobro, trip...
 Em funções adjetivas, flexionam-se em gênero enúmero. Por exemplo:Teve de tomar doses triplas do medicamento.
NUMERAIS FRACIONÁRIOS Indicam diminuição proporcional, ou seja, são fraçõesde uma dada quantidade como: meio ou metade, u...
NUMERAIS COLETIVOS São como os substantivos coletivos, denominamconjuntos de seres, dando referência ao seunúmero exato, ...
EMPREGO DOS NUMERAIS Serve para designarpapas, reis, imperadores, séculos e partes em que sedivide uma obra. Quando o num...
 Para designar leis, decretos e portarias, o ordinal éutilizado até o nono, a partir desse ordinal, utiliza-se osnúmeros ...
INTERJEIÇÃO Algumas interjeições: De dor: ai!, ui! De alegria: oba!, viva!, oh!, ah! De alivío: ufa!, uf!, arre! De a...
 Na linguagem afetiva, certas interjeições, originadas depalavras de outras classes, podem aparecer flexionadasno diminut...
 A interjeição pode ser considerada uma "palavra-frase"porque sozinha pode constituir uma mensagem.Por exemplo:Socorro!Aj...
LOCUÇÃO INTERJETIVA: São grupos de duas ou três palavras quefuncionam como interjeições, exemplos: Ai, meu Deus! Minha ...
INTERJEIÇÃO EM PROPAGANDAS:
EM QUADRINHOS DE JORNAIS:
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Artigos, Numerais e Interjeições.

14.536 visualizações

Publicada em

Artigos, Numerais e Interjeições. (Língua Portuguesa)

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.536
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
113
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
433
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Artigos, Numerais e Interjeições.

  1. 1. LÍNGUA PORTUGUESAArtigos, Numerais eInterjeições.
  2. 2. ARTIGOS Artigos são palavras que antecedem ossubstantivos, definindo-os ou particularizando-os(Artigos definidos), indefinindo-os ougeneralizando-os (Artigos Indefinidos). Os artigosfazem concordância com gênero e número com ossubstantivos que acompanham. Os artigos definidos especificam os substantivosque eles modificam Os artigos definidos podem ocorrer emcombinação com algumas preposições, sãoessas:
  3. 3.  O, A, OS, AS; AO, À, AOS, ÀS; DO, DA, DOS, DAS; NO, NA, NOS, NAS; NO, NA, NOS, NAS; Vejamos como os Artigos Definidos atuamnas orações. Ex:A Grife de todas as grifes.
  4. 4.  Podemos notar no exemplo que foi usado oartigo “a”; Nessa frase, o artigo definidopassou a idéia de unicidade da qualidade damarca, nos dando a entender que essa grife émelhor dentre todas as outras grifes; nessasituação o artigo recebe a denominação deartigo de notoriedade. Já os artigos indefinidos indicam um ser oualgo que deve ser tomado apenas comorepresentante de uma espécie, e sobre o qualnão se havia ainda feito referência. Aspreposições usadas nos artigos indefinidossão:
  5. 5.  UM, UMA, UNS, UMAS; NUM, NUMA, NUNS, NUMAS; DUM, DUMA, DUNS, DUMAS. Vejamos como os Artigos Indefinidos aparecemnas orações:Eu adormeço às margens de um abismo.
  6. 6.  Podemos notar que o artigo “um” estápresente na oração, nesse caso podemosentender de que se trata de um lugar queserve apenas como representante de umlocal. Por exemplo:O jornalista recebeu o prêmio por umareportagem.
  7. 7. NUMERAL Numeral são as classes de palavras quedenota um número exato de coisas, seres ouconceitos, ou indica a posição que ocupamnuma determinada ordem. O numeral podeser dividido em cinco formas; oscardinais, ordinais, multiplicativos, fracionáriose coletivos.
  8. 8. NUMERAIS CARDINAIS Os numerais cardinais são as denominações básicas dosnúmeros Os numerais cardinais que variam em gênero são:UM/UMA, DOIS/DUAS E os que indicam centenas, como:DUZENTOS/DUZENTAS,TREZENTOS/TREZENTAS, QUATROCENTOS/QUATROCENTAS, em diante.
  9. 9.  Os cardinais que variam em número são:MILHÃO/MILHÕES, BILHÃO/BILHÕES, TRILHÃO/TRILHÕES, em diante. Os demais cardinais são invariáveis.
  10. 10. NUMERAIS ORDINAIS O numeral ordinal designa a ordem de sucessãoocupada numa série pelos objetos, seres etc. Por exemplo:Fomos os primeiros a questioná-la.O atleta americano chegou em segundo lugar.
  11. 11.  Os ordinais podem variar em gênero e número:Ele foi o primeiro a chegar na sala de aula.Ana é a primeira da fila.João e Maria foram os primeiros queapresentaram o trabalho.
  12. 12.  As derivações sufixais são, também, bastantefrequentes de alguns ordinais na linguagemcoloquial, como os aumentativos, diminutivos esuperlativos.Isto é de primeiríssima qualidade !Agora o seu time disputará a segundona.Me empresta duzentinho?
  13. 13.  Alguns numerais ordinais, por derivaçãoimprópria, são transformados em adjetivos.É um material didático de primeira.Você comprou um produto de segunda.
  14. 14. NUMERAIS MULTUPLICATIVOS São aqueles que apontam aumento por meio demúltiplos da quantidade em uma base, como:dobro, triplo, quádruplo, quíntuplo, sêxtuplo, sétuplo, óctuplo, nônuplo, décuplo, cêntuplo. São invariáveis quando atuam em funçõessubstantivas. Por exemplo:Fizeram o dobro do esforço e conseguiram otriplo de produção.
  15. 15.  Em funções adjetivas, flexionam-se em gênero enúmero. Por exemplo:Teve de tomar doses triplas do medicamento.
  16. 16. NUMERAIS FRACIONÁRIOS Indicam diminuição proporcional, ou seja, são fraçõesde uma dada quantidade como: meio ou metade, umterço, um quarto, um décimo, etc. Por exemplo:Eu comi metade de uma maçã hoje.Não esqueça de comprar ¼ (um quarto) de café!
  17. 17. NUMERAIS COLETIVOS São como os substantivos coletivos, denominamconjuntos de seres, dando referência ao seunúmero exato, como:centena, par, novena, dezena, vintena, decênio,milênio, quarentena, semestre, bimestre, etc.Por exemplo:Minha mãe comprou uma dúzia de ovos parafazer um bolo.Hoje sairão as notas do primeiro semestre.
  18. 18. EMPREGO DOS NUMERAIS Serve para designarpapas, reis, imperadores, séculos e partes em que sedivide uma obra. Quando o numeral vem depois dosubstantivo, utilizam-se os ordinais até décimo e, apartir daí, os cardinais. E se o numeral vier antes dosubstantivo ainda continuará sendo aplicado oordinal, no caso das designações de séculos epartes de obras Por exemplo:Capítulo XV (quinze)Eu li até o décimo quinto capítulo desse livro.Papa João Paulo II (segundo)Século XX (vinte)
  19. 19.  Para designar leis, decretos e portarias, o ordinal éutilizado até o nono, a partir desse ordinal, utiliza-se osnúmeros cardinais. Por exemplo:Artigo 2° (artigo segundo)Artigo 10 (artigo dez) Ambos(as) também são considerados numerais, quesignificam “um(a) e outro(a)” ou “os dois”/ “as duas”. Sãoempregados apenas para retomar pares dos seres aosquais já foi feito referência. Por exemplo:Pedro e João parecem ter finalmente percebido aimportância da solidariedade. Ambosagora, participam das atividades comunitárias de seubairro.
  20. 20. INTERJEIÇÃO Algumas interjeições: De dor: ai!, ui! De alegria: oba!, viva!, oh!, ah! De alivío: ufa!, uf!, arre! De animação ou estímulo: coragem!, vamos!, avante! De aplauso: bravo!, bis!, viva! De medo ou terror: credo!, cruzes!, uh!, ai! Jesus!, ui!
  21. 21.  Na linguagem afetiva, certas interjeições, originadas depalavras de outras classes, podem aparecer flexionadasno diminutivo ou no superlativo.Por exemplo:Calminha! Adeusinho! Obrigadinho!Há, também, as interjeições onomatopaicas ouimitativas, que exprimem ruídos e vozes.Por exemplo:Pum! Miau! Bumba! Zás! Plaft! Pof!Catapimba! Tique-taque! Quá-quá-quá!, etc
  22. 22.  A interjeição pode ser considerada uma "palavra-frase"porque sozinha pode constituir uma mensagem.Por exemplo:Socorro!Ajudem-me!Silêncio!Fique quieto! Além do contexto, o que caracteriza a interejeição é oseu tom exclamativo; por isso, palavras de outrasclasses gramaticais podem aparecer como interjeições.Por exemplo:Viva! Basta! (Verbos)Fora! Francamente! (Advérbios)
  23. 23. LOCUÇÃO INTERJETIVA: São grupos de duas ou três palavras quefuncionam como interjeições, exemplos: Ai, meu Deus! Minha Nossa Senhora! Que horror! Cruz-credo! Quem me dera! Jesus Cristo! Quem diria!
  24. 24. INTERJEIÇÃO EM PROPAGANDAS:
  25. 25. EM QUADRINHOS DE JORNAIS:

×