A arte na primeira infancia

3.247 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.247
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
243
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A arte na primeira infancia

  1. 1. Luísa Silva A ARTE NA PRIMEIRA INFÂNCIA Data: 19 de Fevereiro de 2014 1
  2. 2. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva  Objectivo Geral: - Dotar as amas da resposta social – creche familiar, de ferramentas capazes para uma optimização de conhecimentos, que levarão ao desenvolvimento de actividades com o grupo de crianças, onde se prevê maior desenrolamento das capacidades cognitivas. 2
  3. 3. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva  Conteúdos: ◊ A arte na primeira infância: ▪ “Importância da primeira infância”. ◊ O desenvolvimento das garatujas: ▪ Garatujas desordenadas; ▪ Garatujas controladas; ▪ Atribuição de nomes às garatujas. 3
  4. 4. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva ◊ Significação da cor. ◊ As garatujas como processo de desenvolvimento: ▪ A criança que garatuja e o seu meio; ▪ As garatujas como reflexo do desenvolvimento. ◊ Motivação artística: ▪ Os materiais artísticos; ▪ O uso incorreto dos materiais. 4
  5. 5. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva A criança mobiliza todo o seu ser quando se entrega espontaneamente a uma atividade criadora. É um verdadeiro meio de disciplina interior que envolve processos de formas superiores de vida mental e que traz à criança, no plano geral, equilíbrio e harmonia, preparando-a ainda para a aprendizagem formal. Fig. 1 5
  6. 6. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva Nem sempre as palavras exprimem, em toda a sua plenitude, a intensidade de uma vivência. Por vezes são necessários meios diferentes de expressão, como os jogos, as actividades artísticas, que permitem a realização dos desejos, a satisfação de necessidades pessoais e a afirmação do eu. É através da expressão livre que a criança realiza a síntese entre a expressão do Eu e a submissão ao real. Fig. 2 6
  7. 7. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva  Exercício 1: Analise a seguinte afirmação: “Criar é um dos atributos mais preciosos de uma pessoa humana. Equivale a viver intensamente.” Malylda Bessa 7
  8. 8. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva  A arte na primeira infância - Importância da primeira infância Os primeiros anos de vida são, provavelmente, os mais decisivos no desenvolvimento da criança. Durante esse período inicial, ela começa a estabelecer padrões de aprendizagem, atitudes e um sentido de si mesma como ser, tudo o que irá ter reflexos na sua vida toda. A arte pode contribuir imensamente para esse desenvolvimento, pois é a interação entre a criança e o seu meio que se inicia a aprendizagem. 8
  9. 9. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva  Exercício 2: Analise a seguinte afirmação: “A arte é um veículo de intermediação entre pensar e saber. Se queremos futuros adultos mais equilibrados, deveríamos ajudá-los a desenvolver a capacidade de vincular sentimento com pensar e fazer. A arte é esse grande vinculo do meio, do coração.” Munir Dertkigil 9
  10. 10. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva A criança exprime-se vocalmente muito cedo, mas o seu primeiro registo permanente assume, com frequência, a forma de garatuja, por volta dos dezoito meses de idade. Podemos assim dizer, que as garatujas são os primeiros “gatafunhos” das crianças. Fig. 3 10
  11. 11. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva É lamentável que a própria palavra “garatuja” tenha conotações negativas para os adultos. Esse vocábulo pode sugerir uma perda de tempo ou, então, ausência de conteúdo válido. Na realidade, a garatuja pode ser exatamente o oposto de tudo isso, pois o modo que se recebem esses primeiros rabiscos e a atenção que se lhes presta podem ser a causa de a criança pequena desenvolver atitudes que permanecerão nela, quando iniciar a sua escolaridade formal. 11
  12. 12. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva  Desenvolvimento das garatujas As garatujas tendem a seguir uma ordem bastante previsível. Começam com traços desordenados, no papel, e, gradualmente, evoluem para desenhos que têm um conteúdo reconhecível pelos adultos. É entre os dezoito meses e quatro anos, aproximadamente, que aparece a primeira imagem visual, então ocorre o extraordinário desenvolvimento. 12
  13. 13. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva As garatujas classificam-se em três principais categorias: - garatujas desordenadas; - garatujas controladas; - garatujas com atribuição de nomes. 13
  14. 14. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva - Garatujas desordenadas Fig. 4 Fig. 5 14
  15. 15. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva Podemos concluir que as principais características das garatujas desordenadas são: - primeiro contacto da criança com o lápis e o papel; - desenha pelo prazer do movimento; - as linhas ocorrem ao acaso em todas as direções; - aparece como traço leve pois não há controle motor dos movimentos; - variam as formas de segurar o lápis; - a criança não faz ligação do olho com a mão; - não há representação do desenho. 15
  16. 16. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva - Garatujas controladas Fig. 6 Fig. 7 16
  17. 17. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva Fig. 8 17
  18. 18. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva A maioria das crianças, nesta fase, aborda as garatujas com grande entusiasmo, uma vez que as linhas se repetem e quase sempre, são traçadas com grande vigor, pois nesta altura denota-se uma coordenação entre o desenvolvimento visual e motor. É raro encontrarmos pontos ou pequenos modelos repetidos, pois isto significa que a criança teria de levantar o lápis do papel. 18
  19. 19. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva - Atribuição de nome às garatujas Fig. 9 19
  20. 20. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva Nesta fase a criança atribui nomes às suas garatujas, sendo de grande importância pois indica uma transformação no seu pensamento. A criança opta por dar nome à sua garatuja, como por exemplo, “esta é a mamã” ou “esta sou eu a correr”, podendo não ser reconhecidos, mas para a criança é o que este indica. 20
  21. 21. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva  O significado da cor Selecionar cores, pode, muitas vezes, distrair a criança, desviando-a dos rabiscos para a atividade de jogar com elas. É de grande importância que a criança possa distinguir os seus traços do resto da página em que trabalha. Fig. 10 21
  22. 22. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva As mudanças de cor são, às vezes, significativas na fase de atribuição de nomes às garatujas, visto que, neste caso, as cores talvez tenham significado para a criança. É importante concluir que nas fases das garatujas a criança mostre gozo na criação de linhas e formas, desenvolva o domínio da sua coordenação e comece as suas primeiras relações pictóricas com o meio circundante. Fig. 11 22
  23. 23. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva  As garatujas como processo do desenvolvimento Através da garatujas a criança desenvolve métodos de trabalho, sendo a interacção entre ela e o seu meio decisivo na aprendizagem, que por sua vez favorece o progresso da criatividade infantil. Torna-se necessário que o adulto transmita diversas sugestões, aponte alternativas, dê estímulos e faça a criança sentir que o seu produto final é digno de interesse. 23
  24. 24. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva - A criança que garatuja e o seu meio (26) Existe uma grande relação entre a criança e a maneira como aborda as suas garatujas de forma e as relaciona com o seu meio. Assim sendo, é importante para a evolução emocional da criança que esta seja encorajada a desenvolver conceitos e a compreender as possibilidades das garatujas. Fig. 12 24
  25. 25. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva - As garatujas como reflexo do desenvolvimento A arte exprime as reacções do homem ao seu meio; na fase das garatujas, isto é facilmente observado, pois a garatuja pode ser considerada o reflexo do desenvolvimento físico e emocional da criança. Fig. 13 25
  26. 26. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva  Exercício 3: Analise a seguinte afirmação: “Os cuidadores devem considerar os rabiscos da criança como parte total da criança.” Retirado do “Projecto A arte na primeira infância 26
  27. 27. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva  Motivação artística Nas primeiras fases das garatujas, não é necessária motivação especial, exceto a de proporcionar à criança os materiais adequados e incentivá-la a que prossiga na sua atividade. O adulto deve sempre cativar/encorajar a criança no seu desenvolvimento artístico e nunca interferir. Fig. 14 27
  28. 28. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva Tempo esperado que a criança desenvolva a atividade: - criança muito pequena – alguns minutos; - 3 anos – 15 minutos; - 4 anos – 20 a 30 minutos. Contudo é importante salientar que, não existe nenhum relógio que deverá marcar o tempo que a criança deve assumir ou expressar no papel. Nenhum adulto deve interferir na atividade da garatuja, somente deve observar a criança a pintar/desenhar. 28
  29. 29. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva - Materiais artísticos(aqui) A criança, durante a fase das garatujas, precisa sentir, precisa experimentar sensações, os materiais usados devem estimular a livre expressão. Fig. 15 29
  30. 30. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva Alguns exemplos de materiais que não consideram próprios para crianças nesta idade: -o tipo usual de lápis é pouco apropriado para a criança uma vez que este não desliza com facilidade na superfície do papel e quebra com demasia; Fig. 16 -materiais como jornais velhos, amostras e papel de parede ou retratos de papel de embrulho, estão deslocados no que diz respeito às garatujas. Fig. 17 30
  31. 31. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva idade: (5)Alguns exemplos de materiais próprios para crianças nesta -o lápis preto, de bom tamanho e sem invólucro, é um meio excelente e fácil de se obter; - o giz branco para o quadro negro; - canetas “hidrográficas”, de ponta de feltro ou de nylon, com carga de tinta preta; - papel branco ou de cor clara, no formato A4 ou A3, é o mais adequado para o trabalho em pintura; - barro ou plasticina. O uso da tinta satisfaz as necessidades emocionais da criança dando o resultado de alegria. 31
  32. 32. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva A formação, por parte das crianças, como por exemplo de roscas e bolas, sem tentar a representação de um objecto específico, corresponde às garatujas controladas. Psicologicamente, trata-se da mesma transformação no processo mental que se descreve na parte “Atribuição de nomes às garatujas”. Também, neste caso, a criança transferiu-se do pensamento cinestésico para o pensamento imaginativo. 32
  33. 33. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva - O uso incorreto dos materiais A finalidade principal dos materiais artísticos é facultar à criança o momento de expressar-se, então, o uso incorreto dos materiais poderá interferir na actividade. Ocasionalmente, cuidadores e professores poderão programar certos trabalhos artísticos, como por exemplo, colar, cortar, dobrar, etc… com o objectivo de obter um produto final. Qualquer material novo deve ser cuidadosamente examinado, para assegurar que o seu emprego pode favorecer o desenvolvimento natural da criança, desenvolvendo a sua própria expressão criativa. 33
  34. 34. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva  Exercício 4: Analise a seguinte afirmação: “Os cuidadores de crianças com idade de primeira infância e pré-escolar, estão numa posição excelente para proporcionar a oportunidade de a criança prosseguir, por meio das suas experiências artísticas, para ajudá-la a desenvolver a confiança e a sensibilidade imprescindíveis à autoexpressão e para lhe proporcionar toda a gama de materiais e a atmosfera favorável às atividades criativas” 34
  35. 35. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva Resumindo, é extremamente importante facilitar a estimulação e a motivação necessárias ao desenvolvimento de uma crescente conscientização do meio, assim como o incentivo e a aprovação dos atos criadores. Todas estas responsabilidades recaem, indiscutivelmente , sobre os ombros dos pais e cuidadores. Fig. 18 35
  36. 36. Curso: A arte na primeira infância Nome da Formadora: Luísa Silva  Agradeço desde já a vossa colaboração, espero que esta formação tenha sido fundamental para uma melhor compreensão no que diz respeito “a arte na primeira infância”. “Toda a criança é artista. O problema é como permanecer artista depois de crescer.” Picasso Obrigado! 36

×