Convivendocomadiabetes

587 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
587
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Convivendocomadiabetes

  1. 1. Convivendo com o Diabetes Uma publicação Roche Diagnostica Brasil Revisão e apoio: Sociedade Brasileira de Diabetes – SBD Ilustrações, Design e Produção: Alvo Propaganda & Marketing Todos os direitos reservados pela Roche Diagnostica Brasil Ltda. O conteúdo deste manual pode ser reproduzido, em todo ou em parte, desde que citada a fonte. São Paulo/2003 3
  2. 2. 4 Olá, eu sou o Glico Estou aqui especialmente pra lhe dizer que tenho Diabetes e que, assim como eu, você pode levar uma vida normal, como qualquer outra pessoa. Podemos estudar, trabalhar, namorar, praticar esportes, ir a restaurantes, barzinhos, cinema, teatro, etc. Não devemos encarar o Diabetes como doença. Jamais devemos deixar de viajar, passear com os amigos, faltar ou sair mais cedo do trabalho por causa do Diabetes, pois tudo tem seu tempo e não necessitamos de tratamentos diferenciados. Devemos lembrar sempre que somos fortes, não devemos fazer menos do que qualquer outra pessoa. Mas que ninguém se iluda, doentes estaremos se não controlarmos o nível de açúcar no sangue e não cuidarmos corretamente do Diabetes. Aí sim, poderemos necessitar de atendimento hospitalar, vindo a sofrer seqüelas por termos sido inconseqüentes e não nos cuidando adequadamente. Quem tem Diabetes é disciplinado, aprende a lutar, busca informar-se corretamente e, assim, obtém melhor qualidade de vida possível. Além disso, freqüenta grupos e associações, não só para aprender sempre mais a respeito do Diabetes, como também para dar a mão àqueles que ainda não conquistaram toda essa segurança. Essa pode ainda não ser a sua realidade, mas na verdade o Diabetes pode abrir muitas portas pra você. Graças a ele, você pode conhecer pessoas diferentes, trocar experiências, viver momentos especiais, ter muitos amigos, pessoas que admirará e que poderão significar muito pra você.
  3. 3. 5 Introdução ........................................................................................ Pág 06 Diabetes: qual é o seu tipo?...................................................... Pág 08 Sinais e Sintomas .......................................................................... Pág 09 Diabetes: como cuidar? .............................................................. Pág 10 Atividade Física .............................................................................. Pág 12 Nutrição Balanceada – Principais Dicas .............................. Pág 13 Monitorização ................................................................................. Pág 15 Medicamentos orais mais utilizados atualmente ............. Pág 22 Insulina .............................................................................................. Pág 23 Complicações Agudas e Crônicas .......................................... Pág 26 Hipoglicemia ................................................................................... Pág 27 Hiperglicemia.................................................................................. Pág 28 SUMÁRIO
  4. 4. O Diabetes Mellitus é uma disfunção caracterizada pela deficiência total ou parcial de produção de insulina, hormônio produzido pelo pâncreas. Como consequência a glicose não é aproveitada adequadamente pelas células, provocando sua elevação no sangue, ultrapassando as taxas normais (70 a 110 mg/dL). O Diabetes, quando não diagnosticado ou, se diagnosticado e não tratado adequadamente, passa a ser um grave problema de saúde pública devido às suas complicações. Introdução 6
  5. 5. Existem mais de 150 milhões de pessoas com Diabetes no mundo. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a projeção para 2025 é que esse número supere os 300 milhões. Aproximadamente 50% das pessoas com Diabetes desconhecem sua condição. O número do Diabetes no Brasil e no mundo • • • 7 *Fonte Ministério da Saúde - Brasil, 1986 - 1988
  6. 6. Qual o seu tipo? Existem algumas formas ou tipos de Diabetes, os mais conhecidos são: Tipo 1: aparece de forma abrupta em crianças e jovens. Ocorre devido à destruição das células do pâncreas, que produzem insulina. Por isso, requer o uso de insulina no tratamento. Representa aproximadamente 10% do total de quem tem Diabetes. Tipo 2: aparece em adultos, geralmente após os 35 anos de idade, com poucos sinais e sintomas (às vezes até ausentes), o que permite a evolução do Diabetes por muitos anos sem diagnóstico, razão pela qual pode passar despercebido, em média por até 5 anos. Em sua maioria é tratado com comprimidos, mas pode também requerer o uso de insulina para que o paciente possa ter uma melhor qualidade de vida. Existem outras formas de Diabetes, como a gestacional, a provocada pelo uso de medicamentos ou por outras doenças do pâncreas (tumores etc). 8 DIABETES: ou
  7. 7. Sinais e Sintomas 9 Desânimo, cansaço Cicatrização difícil Suor frio Rápida alteração de peso (ganho ou perda) Piora da visão, visão embaçada Infecções de pele ou coceira Urinar muitas vezes e em grande quantidade Sede exagerada Palpitações Pressão arterial alta Impotência sexual Ter muita fome Câimbras, tremores
  8. 8. Quem tem Diabetes pode (e deve) levar vida normal, principalmente se estiver bem orientado e conhecer bem o assunto. Diabetes: Como cuidar ? MedicaçãoMonitorização Atividade física 10 Os 4 pontos principais para alcançar e manter a vida saudável são: Nutrição balanceada
  9. 9. Pode diminuir de 50 a 75% o risco de desenvolvimento ou progressão de: • retinopatia • nefropatia • neuropatia Evita ou diminui a incidência das complicações agudas: • hipoglicemia • hiperglicemia • cetoacidose E a manutenção da HbA1c (Hemoglobina Glicada) abaixo de 7%, previne ou retarda as complicações do Diabetes. O Controle adequado do Diabetes... 11
  10. 10. Atividade Física A atividade física é muito importante, pois ajuda a diminuir os níveis de glicose no sangue, além de auxiliar no controle do peso. Algumas das recomendações são: • fazer o que gosta! • realizar freqüentemente a atividade escolhida ou, pelo menos, 3 vezes por semana; • ter horários regulares; • fazer monitorização glicêmica; • não realizar atividade física se a glicemia estiver maior que 250 mg/dL ou na constatação de cetoacidose; • conversar com seu médico a respeito do tipo de atividade escolhida, horário, monitorização e dosagem da medicação. 12
  11. 11. 13 Nutrição balanceada - Principais dicas • Fazer 5 a 6 pequenas refeições ao dia. • Equilibrar muito bem a refeição. • Não importa se a refeição for feita na rua, no trabalho ou em casa, escolher sempre: - um bom prato de salada para começar, - uma porção de proteína (frango, peixe, carne vermelha magra, queijo, ovos) - uma porção de arroz e feijão ou macarrão ou batata. • Para a sobremesa do almoço ou jantar prefira as frutas. Deixe as preparações tipo Diet para a hora do lanche. • Utilizar alimentos integrais ricos em fibras. • Beber muito líquido. Água, chás, refrescos e sucos de frutas como limão, maracujá, caju, etc. • Deixar sucos como laranja, manga e uva para momentos com hipoglicemia ou para a atividade física. • Sempre que possível, principalmente se não estiver em emergência, evitar o uso de doces ou açúcar na correção das hipoglicemias. Dê preferência para frutas, suco de frutas (laranja, manga), um sanduíche, ou antecipe o horário do próximo lanche.
  12. 12. 14 Alimentos Diet e Light X Tradicionais A maioria dos produtos dietéticos ou mesmo as receitas diet feitas em casa pode ser bastante calórica e também aumentar a glicemia. Veja os exemplos: Edulcorantes (100 gramas) Diet/Light Tradicional Chocolate 500 calorias 533 calorias Sorvete 170 calorias 191 calorias (1copo - 240 mL) Diet/Light Tradicional Coca Cola menos do que 1 caloria 96 calorias Suco de laranja sem açúcar com açúcar 80 calorias 139 calorias Contagem de carboidrato é uma forma atual de tratamento nutricional que oferece maior liberdade de opções na alimentação de quem tem Diabetes. Qualquer alimento pode ser consumido, sendo permitido um consumo total diário das gramas de carboidratos previamente prescritas pelo médico ou nutricionista. Contagem de Carboidratos Ref. ao leite Nestlé (Diet e Tradicional) Fórmula Calorias por grama Poder adoçante (relação açúcar) Limite (p/ pessoa de 60kg) Exemplo Aspartame 4 180 60 envelopes 120 comprimidos 600 gotas 60 cafezinhos ou 60 copos de refresco Frutose 3,75 180 4,5 Aprox. 1/4 de um pote de geléia diet Sacarina e Ciclamato 15 envelopes 85 gotas 10 a 15 copos de refresco 0 300 0 30 Sorbitol 4 0,7 Encontrado nas preparações dietéticas. Seu uso em excesso pode causar flatulência, diarréia. Aprox. 1 e 1/2 pote de geléia diet Sucralose 0 600 Sem limite Stévia 3,7 300 Sem limite 60 cafezinhos
  13. 13. 15 Monitorização • Laboratorial: alguns exames, como: Glicemia em jejum, HbA1c , Colesterol total e frações, Uréia, Creatinina, Microalbuminúria e outros devem ser solicitadas trimestralmente ou de acordo com a recomendação médica. • Domiciliar: a verificação pode ser feita pelo próprio paciente, em dois tipos de amostras: urina e sangue. Nome dado à prática que permite o controle domiciliar ou ainda, que o paciente realize em casa o controle de sua glicemia. • A importância do controle glicêmico está plenamente definida, tanto para o DM tipo1, como para o DM tipo 2. • O teste de glicemia é considerado o padrão ouro da metodologia de controle do Diabetes na auto- monitorização. • A automonitorização da glicemia é a chave do sucesso para a prevenção das complicações agudas e crônicas do Diabetes. Classificada em:
  14. 14. Na urina • A glicosúria (taxa de glicose na urina) é verificada através de uma tira reagente molhada com a urina do paciente. Alguns fatores podem influenciar a determinação da glicosúria, como: função renal, ingestão de líquidos e tempo de permanência da urina na bexiga. Geralmente a glicosúria só apresentará resultado positivo, quando a glicemia ultrapassar 180 mg/dL. • Cetonúria (presença de corpos cetônicos na urina), também verificada através de tira reagente mergulhada na urina. Cetonas O corpo utiliza glicose como fonte de energia. A insulina ajuda a transferir a glicose do sangue para as células do corpo, de forma que a glicose possa ser usada como fonte de energia. Porém, caso a glicose contida no sangue aumente e não possa passar para as células, o corpo queima gorduras como energia no lugar da glicose. Quando o corpo queima gordura, são produzidas as cetonas que podem ser perigosas. Portanto, sempre que o teor de glicose no sangue estiver acima de 240 mg/dL durante alguns dias, é importante testar o nível de cetonas na urina. 17
  15. 15. 18 No sangue Glicemia (glicose no sangue) verificada através de uma gota de sangue obtida por punção capilar, aplicada em uma tira reagente com o uso de um monitor ou através da leitura visual semi quantitativa. Como checar a glicose no sangue Para checar a glicemia, você precisa de um monitor de glicemia, uma tira reagente, um lancetador e lanceta para obter uma gota de sangue. Um profissional de saúde, uma associação ou uma loja especializada podem lhe mostrar como utilizar o monitor. Existem diferentes tipos de monitores; escolha o que mais se adapta a seu estilo de vida e suas necessidades. Siga os passos abaixo para obter a gota de sangue: 1. Lave as mãos com água e sabão. Enxágüe e seque completamente. 2. Deixe o braço solto ao longo do corpo, para aumentar o fluxo sangüíneo. 3. Utilize a lanceta e o lancetador com o ajuste da penetração adequado para seu tipo de pele. 4. Mantenha a mão abaixada, faça uma leve pressão até que a gota de sangue apareça. Tenha cuidado para não apertar ou pressionar demais. 5. Aplique a gota de sangue na tira reagente, de acordo com as instruções do fabricante do monitor.
  16. 16. 19 Quando checar a glicose no sangue Quanto mais você souber sobre os níveis da sua glicemia, maior facilidade terá em alcançar os objetivos planejados por você e seu médico. A Associação Americana de Diabetes recomenda que se verifique a glicemia 3 a 4 vezes ao dia. As sugestões dos horários são: - antes do café da manhã - 1 a 2 horas após o café da manhã - antes do almoço - 1 a 2 horas depois do almoço - antes do jantar - 1 a 2 horas após o jantar - antes de deitar - 2 ou 3h da manhã, pelo menos uma vez por semana. Converse com sua equipe de saúde para saber se os seus resultados estão altos ou baixos. Junto com a equipe, escolha seu alvo ou objetivo de controle.
  17. 17. 20 Faça verificações extras da glicemia, quando: • Consumir bebidas alcóolicas ou alimentos aos quais não estiver acostumado. • Antes e depois de exercícios ou caso mude seu programa de atividades. Cheque também durante a atividade que durar mais do que 1 hora. • Antes de dirigir por distâncias longas. • Antes de atividades que irão precisar de muita concentração. • Se estiver doente. • Se estiver grávida. • Se achar que a sua glicemia está muito alta ou muito baixa. • Se estiver viajando. • Tenha certeza de que o seu monitor de glicemia está funcionando bem e tem a garantia do fabri- cante, além de seguir as adequadas recomenda- ções para limpeza e manutenção. • Antes de escolher seu sistema de monitorização, verificar: Lembre-se: a automonitorização da glicemia é a chave do sucesso para a prevenção das complica- ções agudas e crônicas do Diabetes. - facilidade no uso - exatidão e precisão - faixa de leitura - preço do sistema e das tiras reagentes - garantias e serviços do fabricante
  18. 18. 21 Resultados esperados para o bom controle de quem tem Diabetes (*1) (*) Referências (1) American Diabetes Association “Clinical Practice Recommendations 2002”. EXAMES VALORES Glicemia de jejum 80 – 120 mg/dL Glicemia pós-prandial 100 - 140 mg/dL Hemoglobina Glicosilada (HbA1c) < 7% Glicosúria (amostra isolada) Negativo Colesterol total < 200 mg/dL Triglicérides < 150 mg/dL Índice de massa corpórea (IMC) 20 – 25 kg/m² Pressão arterial < 130 / 80 mmHg
  19. 19. 22 Medicamentosoraismaisutilizadosatualmente SULFONILURÉIAS (estimulam a secreção pancreática de insulina) • Clorpropamida = Diabinese • Glibenclamida = Daonil, Euglucon, Glibenclamida (Genérica) • Glipizida = Minidiab • Glicazida = Diamicron, Diamicron MR, Glicazida (Genérica) • Glimepirida = Amaryl, Glimepil, Glimesec BIGUANIDAS (melhoram a resistência à insulina) • Metformina = Glifage, Glucoformin, Dimefor, Metformina (Genérica) INIBIDORES DA ALFA-GLICOSIDASE (diminuem absorção de carboidratos) • Acarbose = Glucobay METIGLINIDAS (estimulam a secreção pancreática de insulina) • Repaglinida = Novonorm, Prandin, Gluconorm • Nateglinida = Starlix GLITAZONAS (aumentam a sensibilidade à insulina no tecido muscular) • Rosiglitazona = Avandia • Pioglitazona = Actus
  20. 20. 23 A insulina é o mais importante regulador do metabolismo dos açúcares: torna possível que a glicose presente no sangue seja absorvida pelas células. Sua mais importante função é diminuir a concentração de glicose no sangue. Para auxiliar o processo de aproveitamento da glicose, a insulina se “fixa” na membrana das células, desbloqueando-as, o que possibilita o transporte de glicose para o interior das células, isto quer dizer, para que a glicose possa participar das reações químicas que fornecem energia, ela precisa de insulina. Insulina
  21. 21. 24 Insulinas: Tempo de ação Espécie / Grau de pureza Tipo Início da ação (Horas) Pico de ação (Horas) Tempo de Ação (h) Pré-misturas de Insulinas Humanas (75/25, 85/15, 60/40, 70/30, 80/20, 90/10) Regular (R) NPH (N) Lenta (L) Regular NPH Lenta Análogos rápidos Regular NPH Lenta Ultralenta NPH + Regular NPH + LISPRO NPH + ASPART Insulinas Suínas Insulinas Mistas (bovina + suína) Insulinas Humanas 0,5 - 1 1 - 3 1 - 3 0,5 – 1 1 - 3 1 - 3 1 - 5 min 0,5 – 1 1 – 3 1 - 3 4 - 6 0,5 - 1 2 - 4 8 - 12 8 - 12 2 - 4 8 - 12 8 - 12 0,5 2 - 4 8 - 12 8 - 12 12 - 16 2 - 12 6 - 7 20 - 24 20 - 24 6 - 8 20 - 24 20 - 24 3 - 4 6 - 7 20 - 24 20 - 24 > 24 20 - 24
  22. 22. 25 Insulinas humanas disponíveis no mercado brasileiro Ação Ultra-Rápida (UR) - INSULINAS HUMANAS AVENTIS BIOBRÁS LILLY NOVO NORDISK - Humalog NovoRapid Ação (R) Insuman R Biohulin R Humulin R Novolin R Ação Intermediária • NPH (N) Insuman N Biohulin N Humulin N Novolin N • Lenta (L) - Biohulin L Humulin L Novolin L AçãoProlongada(U) - Biohulin U - Novolin U Pré-Misturas (N+R) • 90/10 - Biohulin 90/10 Humulin 90/10 Novolin 90/10 • 85/15 Insulman Comb 85/15 - - - • 80/20 - Biohulin 80/20 Humulin 80/20 Novolin 80/20 • 75/25 Insulman Comb 75/25 • 70/30 - Biohulin 70/30 Humulin 70/30 Novolin 70/30 Pré-Misturas (N+UR) • 75/25 - - HumalogMix25 - Bomba de Infusão de Insulina • Bomba de infusão de insulina é o mecanismo que fornece, através de cateter inserido no tecido subcutâneo, uma dose constante, além de bolus extras de insulina. - - - • 70/30 - - - Novo Mix 30
  23. 23. Complicações Agudas e Crônicas As complicações agudas são aquelas que acontecem rapidamente e as complicações crônicas se desenvolvem ao longo dos anos, principalmente devido ao controle inadequado da glicemia. • Sede intensa, desidratação • Volume urinário excessivo • Fraqueza e tonturas • Respiração acelerada • Face avermelhada • Dor abdominal. Complicações Agudas COMPLICAÇÃO SINTOMAS HIPOGLICEMIA • Sensação de fraqueza ou fome • Tonturas • Tremores, palpitação • Sudorese, pele fria • Convulsões • Perda de consciência. HIPERGLICEMIA 26
  24. 24. 27 É a alteração metabólica e clínica caracterizada pela queda dos níveis de glicemia abaixo de 70 mg/dL e que se manifesta com variada sintomatologia, de acordo com a duração e seriedade da mesma. Hipoglicemia Pode ser causada por: • Doses de medicação superiores às necessárias • Omissão ou diminuição da refeição, mantendo a mesma dose de medicação • Realização de exercícios não previstos • Vômitos ou diarréia, fazendo uso de doses de medicação habituais Leve 70 - 50 mg/dL Moderada 50 - 30 mg/dL Severa abaixo de 30 mg/dL, quando necessário socorro médico Classificação das Hipoglicemias
  25. 25. É a elevação dos níveis de glicose no sangue. Muitos não sabem, mas uma glicemia acima de 160 mg/dL, já é considerada como hiperglicemia. Ela acontece, principalmente quando o tratamento medicamentoso se torna insuficiente para sua alimentação e atividades diárias. Hiperglicemia Pode ser causada por: • Dose de medicação inferior à necessidade • Caso o uso de sua medicação não seja mais a indicação para seu caso • Abusos alimentares • Na ocorrência de gripes ou infecções em geral 28
  26. 26. Sugestões para o tratamento dos diversos estados glicêmicos Líquidos com baixo valor calórico, pequena porção de bolacha ou pão GLICEMIA LANCHE RECOMENDADO 120 - 180 mg/dL 180 - 250 mg/dL acima de 250 mg/dL Lanche usual, evitando achocolatado diet e suco de laranja Bebida de baixo valor calórico, porção de bolacha ou pão, evitar frutas Complicações Crônicas • Formigamentos • Impotência sexual • Alterações:Digestivas Urinárias Circulatórias • Ressecamento da pele • Lesões ulcerosas de pernas e pés, etc. COMPLICAÇÃO SINTOMAS MICROANGIOPATIA: • comprometimento dos vasos capilares: nefropatia e retinopatia. MACROANGIOPATIA: • comprometimento dos vasos arteriais: deficiência circulatória no cérebro, coração e membros inferiores RETINOPATIA • Alteração na visão • Pontos flutuantes • Dificuldade de enxergar de dia • Pressão ou dor nos olhos • Hipersensibilidade à luz • Anéis ou halos coloridos. NEFROPATIA • Presença de albuminúria persistente • Excreção de albumina > 300 mg/dL,na ausência de outro distúrbio renal. NEUROPATIA 29
  27. 27. Problemas de Saúde a Longo Prazo Altos níveis de glicose no sangue podem provocar alterações nos nervos e nos grandes e pequenos vasos sangüíneos. O Diabetes também pode diminuir a resistência do corpo em combater infecções. Quem tem Diabetes e mantém a glicemia elevada está mais propenso a ter sérios problemas oculares, doença renal, ataques cardíacos, derrame cerebral, pressão alta, má circulação, formigamento nas mãos e nos pés, problemas sexuais, amputações e infecções. O bom controle do Diabetes pode ajudar a evitar esses problemas. Mudanças Saudáveis no Estilo de Vida Aprender o máximo possível e a realização de mudanças saudáveis, ajuda a administrar de forma eficaz o Diabetes Selecionar um plano alimentar balanceado e rico em carboidratos complexos Diminuir a gordura da alimentação Escolher cuidadosamente a hora das refeições Monitorizar a glicemia de acordo com a recomendação do médico Realizar exercícios de baixo impacto como caminhada, natação e ciclismo É muito importante seguir as recomendações do médico. Consulte-o sempre. 30
  28. 28. A Revista De Bem com a Vida é uma publicação bimestral e gratuita feita especialmente para quem tem Dia- betes. O Accu-Chek Responde é a central de relacionamento da Roche Diagnosti- ca Brasil e oferece: Revista De Bem com a Vida (assinatura gratuita); Convivendo com o Diabetes e outros materiais educacionais; Material informativo sobre os produtos Accu-Chek; Esclarecimento de dúvidas, orientação sobre manuseio, informação sobre pontos de venda; Assistência e suporte técnico. • • • • • Publicação institucional que aborda os temas mais importantes em Diabetes. Através do site www.accu-chek.com.br você encontra informações sobre a fa- mília de produtos e serviços Accu-Chek, pode fazer a assinatura gratuita da Re- vista De Bem com a Vida e solicitar materiais educacionais.

×