Htii pressões hiperbáricas

606 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
606
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Htii pressões hiperbáricas

  1. 1. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES HIPERBÁRICAS Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO II
  2. 2. MERGULHO Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO II MERGULHO CIVIL MERGULHO MILITAR
  3. 3. Mergulho Livre Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO Mergulho Civil É a atividade hiperbárica mais antiga, praticada desde os tempos pré históricos, tendo sido encontrados sinais de objetos marinhos como madrepérolas em cavernas e monumentos da época. Características: Ar contido nos pulmões sem ajuda de qualquer equipamento respiratório, sendo por isso limitado o tempo e a profundidade (20 metros) Mergulho Raso Considera-se mergulho raso aquele praticado a profundidade de até 50 metros, com auxílio de equipamentos respiratórios que fornecem ar comprimido. Tem duração variável, normalmente não ultrapassando uma hora, encontrando grande aplicação profissional. Ex: Fotógrafos sub marinos
  4. 4. Mergulho Raso Dependente (Standart Diving) Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO II Mergulho Civil É o tipo de mergulho em que a pessoa recebe seu suprimento de ar diretamente da superfície por meio de recipientes pressurizados, ou mais comumente através de um compressor de ar que pode ser movido por eletricidade ou por motor a explosão. O ar é conduzido através de uma mangueira (“umbilical”) que, além de conduzir o ar,pode ser composta também de outras partes como a linha de vida, que dá mais sustentação física à mangueira, e a linha de comunicação, que conduz sinais de áudio.
  5. 5. Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO II
  6. 6. Mergulho Raso Dependente (Standart Diving) Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO II Mergulho Civil O mergulhador respira através da peça bucal (mouthpiece) que está conectada a uma parte fundamental que é a válvula de demanda ou regulador. Este equipamento regula a pressão de ar necessária à respiração, de acordo com a pressão ambiente. No mergulho comercial, o capacete rígido permite a comunicação oral, ao passo que no equipamento simples ( máscara e válvula) a comunicação com a equipe de superfície se faz por meio de sinais convencionados (puxões no umbilical)
  7. 7. Mergulho Raso Dependente (Standart Diving) Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO II Mergulho Civil A partir dos 30 m de profundidade o comprimento da mangueira torna difícil o seu manejo pelo assistente da superfície, o que implica mais um fator de risco, sendo recomendável a utilização de um sino aberto. Sino aberto: é um dispositivo que funciona como uma estação intermediária onde o mergulhador pode se apoiar. O sino permite melhor comunicação por voz com a superfície e transporta todas as ferramentas necessárias ao trabalho a ser executado no fundo. É muito empregado profissionalmente.
  8. 8. Prof. Maria Regina Lemos Guimarães Mergulhador no cesto em operação de mergulho raso Manobra com os mergulhadores para a operação de mergulho - raso HIGIENE DO TRABALHO II
  9. 9. Mergulho Raso Autônomo (Aqualung, SCUBA – Self Contained) (Underwater Breathing Apparatus) Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO II Mergulho Civil Consiste essencialmente em um suprimento de mistura respiratória (geralmente ar comprimido) que é fornecida através de uma vávula redutora (primeiro estágio) seguida de uma válvula de demanda (segundo estágio) e peça bucal. O ar expirado é, como no mergulho dependente de circuito aberto, liberado na água, de modo que não haja praticamente mistura entre o ar inspirado e expirado. O suprimento de ar é feito por cilindros que devem ser de boa qualidade e testados periódicamente.
  10. 10. Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO II
  11. 11. Mergulho Profundo Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO II Mergulho Civil É aquele realizado em profundidades maiores de 50 m. É uma prática essecialmente profissional, demandando equipamentos mais sofisticados para a operação, bem como equipe especializada. É obrigatória a mudança da mistura respiratória, geralmente para mistura heliox, composta de hélio, que substitui o nitrogênio do ar como diluente do oxigênio, a fim de evitar o efeito narcótico do nitrogênio a pressões maiores e de oxigênio É necessário o emprego de complexo hiperbárico na superfície: navio de apoio ou plataforma marítima, constituído basicamente de câmaras, sino de mergulho com dispositivo de aquecimento, sendo o mais comum a circulação de água quente em seu interior
  12. 12. Mergulho Profundo Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO II Mergulho Civil O umbilical é mais completo: com mangueiras para suprimento da mistura respiratória, cabos de reforço da estrutura, mangueira de água quente, cabo elétrico para comunicação, dispositivo de iluminação, eventualmente cabos para medições bioelétricas, mangueira de amostra de gases, etc..
  13. 13. Mergulho Profundo de Intervenção (Bounce Diving) Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO II Mergulho Civil O trabalho, nesta categoria, é aquele executado em período de tempo normalmente de não mais que 60 minutos, requerendo um período de descompressão de muitas horas. O sino fechado de mergulho leva dois mergulhadores à profundidade de trabalho, onde após pressurizado, é aberta uma escotilha na parte inferior por onde sai um dos mergulhadores para realizar sua tarefa, ficando ligado ao sino por um umbilical. O segundo mergulhador permanece no interior do sino para apoio operacional e assistência em caso de emergência. Esta operação só serve para atividades de curta duração no fundo, sendo pouca econômica, uma vez que é grande a desproporção entre o tempo de trabalho útil e aquele gasto na preparação e depois na descompressão dos mergulhadores
  14. 14. Mergulho Profundo de Saturação Prof. Maria Regina Lemos GuimarãesEte gás HIGIENE DO TRABALHO II Mergulho Civil A fim de permitir um tempo maior de trabalho útil na água, foi desenvolvida a técnica de saturação, assim chamada porque os mergulhadores ficam saturados com gás inerte da mistura respiratória A medida que os mergulhadores respiram uma atmosfera pressurizada, o gás inerte vai se acumulando no organismo e, a uma dada pressão, a quantidade desse gás atinge um patamar, por volta de 24 h Este nível de gás inerte não aumenta mais no organismo, a não ser que se aumente a pressão. Portanto, independentemente do número de dias que os mergulhadores fiquem pressurizados, ao final do período sofrerão uma descompressão única, necessária à eliminação gradativa do gás inerte.
  15. 15. Mergulho Profundo de Saturação...cont. Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO II Mergulho Civil Tipicamente, um sistema de mergulho de saturação mantém uma equipe de quatro a seis mergulhadores comprimidos em uma câmara (câmara de vida), por duas ou três semanas. O trabalho na água é feito por duplas que descem no sino de mergulho, ficando um dos mergulhadores no sino para apoio, e o outro realiza o trabalho na água. O sino funciona como “um elevador”, servindo de meio de transporte entre a câmara de vida e o local de trabalho, permanecendo pressurizado durante essas operações de transporte. A descompressão final do período dura alguns dias.
  16. 16. Mergulho Profundo de Saturação...cont. Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO II Mergulho Civil Manutenção do Pessoal Para a manutenção do pessoal sob pressão muitos parâmetros têm que ser continuamente controlados: O nível de O2 adequado à pressão ambiente, O teor de gás carbônico e outros gases concomitantes, O conforto térmico através de ajuste da temperatura e da umidade, A nutrição, A comunicação, A higiene, O tratamento de eventuais alterações da saúde, etc..
  17. 17. Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO II Câmara de Saturação Até 320 metros de Profundidade
  18. 18. Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO II Sino com lastro de Mergulho Profundo, regime de Saturação
  19. 19. Prof. Maria Regina Lemos Guimarães Mergulhadores trabalhando em alta Profundidades 320mts, no Oleduto da Petrobras. HIGIENE DO TRABALHO II
  20. 20. Prof. Maria Regina Lemos Guimarães Interior do painel do Sino de Mergulho Profundo de Saturação HIGIENE DO TRABALHO II
  21. 21. Prof. Maria Regina Lemos Guimarães Sino descendo no mergulho de 320 metros HIGIENE DO TRABALHO II
  22. 22. Prof. Maria Regina Lemos Guimarães
  23. 23. HIGIENE DO TRABALHO II MERGULHO MILITAR A Marinha do Brasil realiza atividades convencionais de mergulho raso e profundo no desempenho de sua missão e, ainda, caracteristicamente, a modalidade de mergulho tático com oxigênio puro, com equipamento autônomo em circuito fechado, que não solta bolhas, para operações especiais. É um mergulho de uso militar exclusivo e apresenta grandes riscos pelo emprego do oxigênio puro. CONSTRUÇÃO CIVIL Em diversas obras de engenharia, como a construção de fundações em prédios, pontes e viadutos e em túneis, em terrenos alagadiços, pode ser necessário o emprego da técnica de trabalho sob ar comprimido a fim de manter o ambiente seco, permitindo as tarefas normais de construção civil.
  24. 24. HIGIENE DO TRABALHO II TUBULÃO PNEUMÁTICO É uma estrutura tubular vertical que se estende abaixo da superfície da água e/ou da terra, possuindo um compartimento superior campânula, através da qual os trabalhadores entram na estrutura e são pressurizados, podendo então realizar o seu trabalho no fundo a seco. As pressões são bem menores do que as utilizadas para o mergulho, sendo tipicamente de 0,5 a 2 kgf/cm2 e as jornadas de trabalho de quatro a oito horas. O regime de trabalho é regulamentado pela Portaria n° 3214 / 78, NR nº 15
  25. 25. Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO II TUBULÃO PNEUMÁTICO
  26. 26. Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO II TUBULÃO PNEUMÁTICO
  27. 27. Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO II TUBULÃO PNEUMÁTICO
  28. 28. Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO II TUBULÃO PNEUMÁTICO
  29. 29. Prof. Maria Regina Lemos Guimarães HIGIENE DO TRABALHO II TÚNEL PRESSURIZADO Na construção de um túnel, pode ser necessária a pressurização do ambiente com a finalidade de se contrabalançar a pressão externa oferecida pelos lençóis freáticos do terreno, evitando-se a formação de recalques, bem como impedindo desmoronamentos.

×