2 lei de_mendel

851 visualizações

Publicada em

SITE: www.tioronni.com.br
E-MAIL: tio_ronni@hotmail.com

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
851
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
46
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2 lei de_mendel

  1. 1. Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados ©2013. www.tioronni.com.br
  2. 2. 2ª LEI DE MENDEL A segunda Lei de Mendel : (Diibridismo) Os genes para dois ou mais caracteres são transmitidos aos gametas de forma totalmente independente, um em relação ao outro. A segunda lei também e conhecida como Lei de Segregação Independente. A meiose e a 2ª lei de Mendel : A segregação independente postulada por Mendel só e valida para o caso em que os genes estejam localizados em cromossomos diferentes (cromossomos não homólogos).
  3. 3. 2ª LEI DE MENDEL
  4. 4. GENEALOGIA OU HEREDOGRAMA CRUZAMENTO-TESTE: é entendido como sendo o cruzamento entre um indivíduo (I) qualquer com outro em homozigose recessiva, para os genes envolvidos no controle do caráter em estudo. Tem sido de grande importância em estudos de ligação fatorial ou em estudos de identificação de genótipos. RETOCRUZAMENTO: refere-se ao cruzamento de um descendente com qualquer um de seus genitores. O termo genitor pode ser entendido no sentido restrito, se referindo aqueles indivíduos que de fato contribuiram, por intermédio de seus gametas, para a formação do descendente ou no sentindo amplo, se referindo a indivíduos representativos da variedade, raça ou tipo dos genitores estudados. Neste último caso, retrocruzamento não é, necessariamente, um tipo de cruzamento endogâmico (ou consangüíneo). AUTOFECUNDAÇÃO: é um processo de propagação sexuado, que se verifica naturalmente em muitas espécies vegetais, que contam com os aparelhos reprodutores masculino e feminino na mesma planta. Também é utilizado em programas de melhoramento, com vistas a obtenção de linhagens homozigóticas, para obtenção de híbridos heteróticos, a partir de seus intercruzamentos. FONTE: http://www.ufv.br
  5. 5. TRIIBRIDISMO E POLIIBRIDISMO Os problemas de triibridismo e poliibridismo referem-se aos casos que dois, três ou mais pares de alelos se encontram em cromossomos diferentes (não homólogos). Isso torna mais fácil compreender a “disjunção independente” ou “segregação independente” de tais genes na formação dos gametas.
  6. 6. TERMINOLÓGIA Cariótipo: conjunto diplóide (2n) da célula recebido dos pais na fecundação. Refere-se às características morfológicas dos cromossomos (número, forma e tipos). Ser humano = 46 cromossomos Cariótipo da mulher = 44A + XX Cariótipo do homem = 44A + XY (A simboliza os cromossomos autossômicos e X e Y, os cromossomos sexuais.) Genoma: conjunto haplóide (n) de genes, típicos da espécie, em uma célula. Ser humano = 23 cromossomos Genoma da mulher = 22A + X Genoma do homem = 22A + X ou 22A + Y
  7. 7. TERMINOLÓGIA Fenótipo: são características não transmissíveis aos descendentes que simulam manifestações tipicamente hereditárias, tais como: diabete, nanismo hipofisário e catarata adquirida. Caráter: característica considerada em cada estudo (cor dos olhos, tamanho de uma planta, peso, estatura, por exemplo). Peristase: FENÓTIPO = GENÓTIPO + influência do MEIO. Genótipo: são características não transmissíveis aos descendentes que simulam manifestações tipicamente hereditárias, tais como: diabete, nanismo hipofisário e catarata adquirida.
  8. 8. TERMINOLÓGIA Cromátide: é um dos dois filamentos interligados, formado pela duplicação de um cromossomo durante os processos de divisão celular. Conhecida como uma das cópias de um cromossomo formado pela replicação do DNA, que ainda permanece unida a outra cópia pelo centrômero. Cromossomos homólogos: são aqueles que, nas células somáticas, formam um par. Eles são homólogos porque encerram genes para os mesmo caracteres. Cromossomos não-homólogos: (ou heterólogos): cromossomos que não pertencem ao mesmo par. Genes alelos (ou genes alelomórficos): são aqueles que formam par e se situam em locais correspondentes nos cromossomos homólogos. Genes não-alelos: genes que se localizam em loci diferentes. Locus gênico: lugar ocupado pelo gene no cromossomo (plural: loci).
  9. 9. TERMINOLÓGIA Alelo dominante: gene do par de alelos, que consegue se expressar sozinho, inibindo a manifestação de seu par. É representado geralmente por letras maiúsculas. Alelo recessivo: gene, do par de alelos, que só se manifesta na ausência do dominante. Geralmente é representado por letras minúsculas. Homozigose: fenômeno pelo qual um par de genes alelos, sejam dominantes ou recessivos, expressa-se na mesma intensidade. São chamados genes homozigotos. Heterozigose: fenômeno pelo qual um par de genes, um dominante e um recessivo, tem expressão diferente sobre o mesmo caráter. São chamados genes heterozitos. Penetrância: corresponde à freqüência com que a característica determinada por um gene se manifesta. Se a característica se manifesta em 100% dos portadores, o gene tem penetrância total. Se não se manifesta em 100% dos portadores, a penetrância é parcial. Expressividade: intensidade com que um gene se manifesta. Quando um gene se manifesta totalmente, inibindo seu alelo, o caso é de dominância completa. Se a manifestação do gene não inibe o efeito de seu alelo, o caso é de ausência de
  10. 10. GENEALOGIA OU HEREDOGRAMA
  11. 11. HERANÇA SEM DOMINÂNCIA Na herança sem dominância ou co-dominância, os dois alelos interagem de modo que o heterozigoto apresenta um caráter fenotípico intermediário entre os apresentados pelos indivíduos parentais. Em certos casos, os descendentes heterozigotos assemelham-se mais a um dos tipos parentais que a outro, mas essa semelhança não é completa. O fenômeno é denominado, então, de dominância incompleta.
  12. 12. EXEMPLOS: Mirabilis jalapas
  13. 13. EXEMPLOS: raça Minorca Outro caso de dominância intermediária: no gado da raça Shorthom os animais de cor castanho- avermelhada e os brancos são homozigotos. Os heterozigotos apresentam a pelagem manchada e são conhecidos como ruâos. Assim, distinguem-se os genótipos SVSV (vermelho), SBSB (branco) e SVSB (ruâos).
  14. 14. GENÉTICA Tio Ronni – BIÓLOGO – tio_ronni@hotmail.com

×