Ornitopatologia 5.

2.207 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.207
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
34
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ornitopatologia 5.

  1. 1. Doença Infecciosa da Bolsa de Fabrício ou Doença de Gumboro
  2. 2. Definição• Infecção viral aguda das aves jovens, altamente contagiosa, que afeta o tecido linfóide em particular a bolsa de Fabrício. “Não é zoonose”.
  3. 3. Histórico• Cosgrove (1962) em Gumboro – Delaware. - década de 80 - isolamento de cepas variantes.
  4. 4. Etiologia• Vírus da família Birnaviridae.- Sorotipo 1 – infecta galinhas e raramente perus.- Sorotipo 2 – infecta perus e galinhas, menos virulento que o anterior.
  5. 5. Resistência do vírus• Altamente resistente ao calor – 30 min. a 60ºC.• 100 dias em instalações e 60 dias em fezes.• Formalina 0,5% por 6 h – diminui a infectividade.
  6. 6. Hospedeiros• H. naturais – galinhas.• Atualmente - diagnosticada também em perus, patos e pintinhos de avestruz (infecção natural).
  7. 7. Suscetibilidade• Ligada a idade:- Pintos menores de 3 semanas – doença subclínica, com severa imunossupressão.- Pintos entre 3 e 6 semanas de idade – doença clínica.- Frangos e galinhas suscetíveis até 18 semanas.
  8. 8. Fontes de infecção• Galinhas (doentes ou portadoras), patos, perus e avestruzes infectados, roedores e “cascudinho” (Alphitobius diaperinus).
  9. 9. Vias de eliminação etransmissão• Eliminação – fezes• Transmissão – horizontal
  10. 10. Sinais clínicos• Aves até 3 semanas de idade – imunossupressão severa.• Aves entre 3 e 6 semanas de idade – depressão, diarréia branca aquosa, anorexia, penas arrepiadas e morte súbita.
  11. 11. Morbidade e mortalidade• Variando de acordo com a cepa: - Morbidade – 10 a 100% - Mortalidade – 0 a 20%
  12. 12. Lesões• Petéquias na musculatura das pernas, coxas e peito.• Bursa:- 3 dias p.i – aumentada de volume e hiperemia.- 3 a 6 dias p.i. – transudato amarelado.- 10 a 12 dias p.i. – degeneração do tecido linfóide e redução do volume.
  13. 13. Diagnóstico• Laboratorial – isolamento viral em o.e., ELISA, AGP, vírus- neutralilzação, PCR.
  14. 14. Tratamento• Não existe.
  15. 15. Profilaxia• Vacinas vivas – atenuadas (suaves, intermediárias, fortes ou quentes)• Vacinas inativadas oleosas – cepas padrão ou variantes.

×