Anatomia veicular e epi

1.404 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.404
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
106
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Anatomia veicular e epi

  1. 1. CURSO DE SALVAMENTO TERRESTREACIDENTE DE TRÂNSITO COM VÍTIMAS PRESAS NAS FERRAGENS
  2. 2. ACIDENTE DE TRÂNSITO COMVÍTIMAS PRESAS NAS FERRAGENSDevemos proporcionar o melhor atendimento possível ! Nunca: de forma distraída, com equipamentos que não foram checados, com conhecimentosultrapassados ou com indiferença.
  3. 3. Aceitamos a responsabilidade de cuidar de pessoas nas piores situações: quando estamos cansados e com frio, debaixo de chuva, no escuro e muitas vezes quando as condições são imprevisíveis.Se não lermos e aprendermos todos os dias, não poderemos acompanhar a evolução técnica.
  4. 4. Não foram as vítimas que nos escolheram.Nós é que escolhemos atendê-las. Poderíamos ter escolhido outra profissão, mas não o fizemos.Ou aceitamos esta responsabilidade ou desistimos
  5. 5. EQUIPAMENTO DEPROTEÇÃO INDIVIDUAL
  6. 6. EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
  7. 7. EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
  8. 8. REGRAS DE SEGURANÇA Nunca se posicione entre o veículo e a ferramenta Nunca exponha as mangueiras da ferramenta a abrasão, objetos cortantes, calor, produtos químicos Nunca puxe ou transporte as ferramentas de desencarceramento pala mangueira Nunca pise nas mangueiras hidráulicas
  9. 9. REGRAS DE SEGURANÇA Componentes do veículo sob pressão podem ser ejetados com violência Ferramentas que não estão sendo utilizadas devem ser colocadas na lona de equipamentos As ferramentas devem ser carregadas somente pela alça de transporte Nunca desconecte uma ferramenta pressurizada
  10. 10. REGRAS DE SEGURANÇA Alargadores Durante a operação, sempre utilize toda superfície das ponteiras A qualquer sinal de instabilidade da ferramenta, pare e reposicione a mesma Assegure-se de que a ferramenta esteja posicionada de modo que não pressione as ferragens para dentro do veículo Nunca toque as ponteiras da ferramenta quando em operação Após sua utilização, coloque a ferramenta em posição de segurança
  11. 11. ALARGADOR
  12. 12. REGRAS DE SEGURANÇA Cortadores Posicione o cortador a 90 graus em relação ao objeto que está sendo cortado Envolva o máximo possível o material que está sendo cortado, evite cortes com a extremidade das lâminas Cuidado com acionadores de airbags ou outros dispositivos de segurança Se, durante o corte, as lâminas começarem a torcer ou se separar, pare e reposicione a ferramenta
  13. 13. CORTADOR
  14. 14. REGRAS DE SEGURANÇA Extensores Posicione sempre o extensor de modo que o mecanismo de controle esteja acessível Tenha especial atenção ao reiniciar uma operação de extensão para evitar que a carga seja abaixada acidentalmente Para garantir uma melhor aderência e estabilidade da ferramenta, use a plataforma de extensor Providencie estabilização do veículo antes de aplicar pressão em partes do mesmo
  15. 15. EXTENSORES
  16. 16. EXTENSORES
  17. 17. SEGURANÇA DE CENA 10 m 10 m 15 m O 1° cone deverá estar a 15 metros da unidade desocorro. Os demais, distantes a cada 10 metros, em númeroproporcional a velocidade permitida na via.Por exemplo: 90 Km/h de máxima – 10 cones
  18. 18. SEGURANÇA DE CENA Área de descarte Área de equipamentos 3 a 5 metros 5 a 10 metros
  19. 19. TERMINOLOGIA TETO LINHA MÉDIA PISO PISO LINHA MÉDIA TETO
  20. 20. TERMINOLOGIA LADO DO PASSAGEIR OPARTE PARTE DA TRASEIRFRENTE A LADO DO MOTORISTA
  21. 21. TERMINOLOGIATAMPA DO MOTOR
  22. 22. TERMINOLOGIA TETO
  23. 23. TERMINOLOGIA TAMPA DO PORTA MALAS
  24. 24. TERMINOLOGIA ASSOALHO
  25. 25. TERMINOLOGIACAIXA DE RODAS
  26. 26. TERMINOLOGIA COLUNA “A”
  27. 27. TERMINOLOGIA COLUNA “B”
  28. 28. TERMINOLOGIA COLUNA “C”
  29. 29. TERMINOLOGIA COLUNA “D”
  30. 30. TERMINOLOGIA PINO TRAVA DOBRADIÇAS
  31. 31. TERMINOLOGIA ÁREA DE REFORÇO DA PORTA ESQUADRIA FECHADURA DOBRADIÇAS PÁRA-LAMA
  32. 32. TIPOS DE ACIDENTE  CAPOTAMENTO
  33. 33. TIPOS DE ACIDENTE  TOMBAMENTO
  34. 34. TIPOS DE ACIDENTE  COLISÃO
  35. 35. TIPOS DE ACIDENTE CHOQUE 
  36. 36. TIPOS DE ACIDENTE  ENGAVETAMENTO
  37. 37. ACIDENTE DE TRÂNSITO COM VÍTIMAS PRESAS NAS FERRAGENS Conferência do efetivo e guarnições; Definição das funções de cada integrante; Conferência e teste dos equipamentos; Check-up da viatura; Armar geral; Treino, muito treino !!!!!
  38. 38. ACIDENTE DE TRÂNSITO COM VÍTIMAS PRESAS NAS FERRAGENSCabe ao Cmt verificar durante o Deslocamento 1 - Tipo de Acidente 2 - Quantidade de Veículos 3 - Tipos de Veículos Check-up da viatura; 4 - Quantidades de Vítimas 5 - Riscos em Potencial
  39. 39. ACIDENTE DE TRÂNSITO COM VÍTIMAS PRESAS NAS FERRAGENSCabe ao Cmt Planejar durante o Deslocamento Tática e técnica adequadas Viaturas acionadas são ideais ? Serão necessárias viaturas de apoio ? Foi acionado policiamento ? Foi acionado Eletropaulo ?
  40. 40. EQUIPE Equipe de Salvamento Guarnição com 04 Bombeiros No. 1 – Comandante No. 2 – Subcomandante No. 3 – Motorista No. 4 – Auxiliar especializado
  41. 41. EQUIPEMateriais a serem levados para a ocorrência: No. 1 – Comandante - Leva os calços, o sacador de válvula, o puncionador de vidros, o HT e as cunhas; No. 2 – Subcomandante - Leva a lona, alavanca, ferramenta combinada e serra-sabre; No. 3 – Motorista –Leva HT, o extintor ou uma linha de mangueira pressurizada e os demais materiais para a lona (calços, outras ferramentas hidráulicas, prancha longa, bolsa de resgate e caixa de ferramentas); No. 4 – Auxiliar especializado – Leva o puncionador de vidros, cortador de cinto de segurança, o protetor de airbags, 2 cobertores, moto-bomba e O2 portátil.Obs.: O Cmt e o motorista deverão estar com HT (rádio de comunicação).
  42. 42. EQUIPE - No. 1 – COMANDANTE FASE 1 – Preparação e segurança Informes iniciais da ocorrência; Faz a Vistoria Interna; Requalifica os informes; Determina o lado de acesso e posicionamento da lona para a concentração de materiais; Estabiliza o veículo; Autoriza o acesso
  43. 43. •Calços •sacador de válvula •Cunhas•Passar informes a primeira •HTvista ao COBOM •Puncionador de vidros •Definir o lado de acesso •Calçar o veículo •Vistoria interna •Confirmar informações ao COBOM •Autoriza o acesso
  44. 44. EQUIPE - No. 2 – SUBCOMANDANTE FASE 1 – Preparação e segurança Posiciona a lona em local determinado pelo Cmt. onde serão concentrados os materiais usados na ocorrência; Faz a Vistoria Externa; Prepara a ferramenta hidráulica; Aguarda a autorização para o acesso e estabilização da vítima para iniciar a abertura de portas.
  45. 45. • lona • alavanca halligan • ferramenta combinada • serra-sabre •Posiciona a lona e as ferramentas•Vistoria externa•Passa informaçõesao cmt •Aguarda a liberação •Prepara a ferramenta do acesso e combinada estabilização da vítima
  46. 46. EQUIPE - No. 3 – MOTORISTA FASE 1 – Preparação e segurança Sinaliza o local com cones; Informa as vias de acesso para as demais viaturas; Faz a proteção do local com extintor ou linha de mangueira pressurizada; Isola o local; Leva os demais materiais para a lona; Aguarda a autorização para o acesso e estabilização da vítima para desconectar os cabos da bateria
  47. 47. • demais materiais•Sinalização da viatura para a lona (calços, outras ferramentas •Informa o melhor hidráulicas, prancha longa, bolsa de acesso ao local da resgate e caixa de emergência ferramentas); •Aguarda a vítima ser •Linha direta acessada para desligar a pressurizada bateria •Posiciona as ferramentas na lona •Isolar o local
  48. 48. EQUIPE - No. 4 – AUXILIAR ESPECIALIZADO FASE 1 – Preparação e segurança  Posiciona o motobomba  Faz a conexão da ferramenta ao moto-bomba;  Posiciona o O2 e cobertores próximo ao local determinado para o acesso  Aguarda a autorização para o acesso ao veículo
  49. 49. •2 cobertores •moto-bomba •O2 portátil. •Puncionador de vidros •Cortador de cinto de segurança •Protetor de airbag•Posiciona o motobomba •Leva ferramentas•Conecta a ferramenta para lonacombinada •De posse do puncionador, O2 e cobertores aguarda a autorização para o acesso
  50. 50. EQUIPE - No. 1 – COMANDANTE FASE 2 - desencarceramento Usa a alavanca criando o acesso para a ferramenta combinada; Opera a serra-sabre; (pára-brisas, coluna A, B e dobradiça) Apóia a prancha longa caso haja a necessidade do rebatimento de teto; Verifica riscos durante todo o atendimento.
  51. 51. EQUIPE - No. 2 – SUBCOMANDANTE FASE 2 - desencarceramento Opera a ferramenta hidráulica ( Abertura de portas, corte da coluna A, B e dobradiça no teto) Apóia a prancha longa caso haja necessidade do rebatimento de teto.
  52. 52. EQUIPE - No. 3 – MOTORISTA FASE 2 - desencarceramento Desliga a bateria; Usa o fluido de corte para a serra-sabre; Faz o rebatimento do teto caso haja necessidade; Coloca as proteções de ferragens.
  53. 53. EQUIPE - No. 4 – AUXILIAR ESPECIALIZADO FASE 2 - desencarceramento  Faz o acesso ao interior do veículo;  Puxa o freio de mão;  Desliga o carro, retira a chave do contato e joga a mesma para fora do veículo;  Destrava as portas e abaixa os vidros manuais;  Faz a Análise da Vítima, prepara o O2, cobre a mesma com cobertor e estabiliza a cervical.
  54. 54. TEMPO FASE 1 – Preparação e segurança 01 MINUTO FASE 2 – desencarceramento 10 MINUTOS DE PLATINA
  55. 55. TEMPO RESPOSTA E TEMPO DE ATENDIMENTO HORA DE OURO 10 MINUTOS DE PLATINA
  56. 56. 1Ten CARLOS A DE CAMARGO JRCentro de Ensino e Instrução de Bombeiros ca.camargojr@uol.com.br

×