PREVENÇÃO DE INCÊNDIOS“O    incêndio     acontecequando a prevenção falha.”
CAUSAS DOS INCÊNDIOS NATURAIS: são aquelas originárias de fenômenos da natureza, tais como: raios, terremotos, vulcões, e...
CAUSAS DOS INCÊNDIOS   ARTIFICIAIS:    são aquelas de    origem material e    pessoal.   ação culposa: o    homem não qu...
CAUSAS DOS INCÊNDIOS Ação  dolosa: o homem quer o resultado (incendiarismo); é causa rara, não chega a 4% de acordo com a...
CAUSAS MAIS FREQUENTES   Equipamento de aquecimento ....................................                    19,4%   Ciga...
incêndios provocados por                        eletricidade   Fiação ......................................................
Combustão ExpontâneaA observação de quesubstâncias diversas sãocapazes de inflamar-sesem que para tal ocorra oconcurso de ...
Combustão Expontânea        A combustão espontânea pode ser definida, ou conceituada, daseguinte maneira: “Fogo que se ini...
RISCOS DE INCÊNDIO     A classificação do risco decorrente de um incêndio estádiretamente relacionada a sua LOCALIZAÇÃO às...
RISCOS DE INCÊNDIO     Dentre as características construtivas os aspectos maisrelevantes são a ÁREA CONSTRUÍDA, a ALTURA, ...
RISCOS DE INCÊNDIO      A LOCALIZAÇÃO da edificação, sua vizinhança, vias de acesso,distância de locais de aglomeração de ...
CARGA DE INCÊNDIO É a soma das energias caloríficas possíveisde serem liberadas pela combustão completade todos os materia...
CLASSIFICAÇÃO DA CARGA DE             INCÊNDIO       Risco     Carga de Incêndio MJ/m²         Baixo        até 300MJ/m²  ...
CARGA DE INCÊNDIOOcupação/Uso          Descrição       Divisão Carga de incêndio                                          ...
CARGA DE INCÊNDIO ESPECÍFICA      É o valor da carga de incêndio divididopela área de piso do espaço considerado,expresso ...
CARGA DE INCÊNDIO ESPECÍFICA  Método para levantamento da carga de incêndio específica  Os valores da carga de incêndio es...
Valores do potencial calorífico         específicoTIPO DE MATERIAL         H                       (MJ/kg)      Algodão   ...
CONDIÇÕES BÁSICAS PARA A        PREVENÇÃO  Há três pontos básicos, nos quais se fundamenta um trabalhoprevencionista, que ...
FASES DA PREVENÇÃO  A     prevenção     deincêndio é um conjuntode providências, desdeas mais simples, comoconservação,lub...
FASES DA PREVENÇÃO PrevençãoConstrutural PrevençãoOperacional
Prevenção Construtural  É aquela que trata da aplicação da legislação e dasmedidas preventivas de incêndio, relacionadas c...
Prevenção Operacional  Também          denominadaprevenção ocupacional, seuobjetivo é tratar da aplicaçãoda legislação, no...
"A grandeza não consiste em receber    honras, mas em merecê-las."                       Aristóteles
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

01 prevencao

636 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
636
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

01 prevencao

  1. 1. PREVENÇÃO DE INCÊNDIOS“O incêndio acontecequando a prevenção falha.”
  2. 2. CAUSAS DOS INCÊNDIOS NATURAIS: são aquelas originárias de fenômenos da natureza, tais como: raios, terremotos, vulcões, etc.
  3. 3. CAUSAS DOS INCÊNDIOS ARTIFICIAIS: são aquelas de origem material e pessoal. ação culposa: o homem não quer o resultado, mas age com negligência, imprudência ou imperícia.
  4. 4. CAUSAS DOS INCÊNDIOS Ação dolosa: o homem quer o resultado (incendiarismo); é causa rara, não chega a 4% de acordo com as estatísticas.
  5. 5. CAUSAS MAIS FREQUENTES Equipamento de aquecimento .................................... 19,4% Cigarros e fósforos ..................................................... 17,1% Eletricidade ................................................................ 16,3% Indeterminado ............................................................ 7,2% Chamas diretas ou fagulhas ....................................... 6,7% Líquidos inflamáveis ................................................. 6,7% Combustão espontânea .............................................. 6,6% Crianças com fósforo ................................................. 5,9% Incendiarismo ............................................................ 3,3% Radiação de calor ...................................................... 2,3% Raio ........................................................................... 2,3% Equipamento de gás .................................................. 1,2% Explosão ................................................................... 0,8%
  6. 6. incêndios provocados por eletricidade Fiação ................................................................................ 40,06% Motores ............................................................................. 21,40% Origem mista ou não especificada ................................... 12,27% Equipamentos aquecidos (inclusive lâmpadas)................ 9,36% Cabo de ligação ............................................................... 7,93% Aparelho de TV ............................................................... 4,24% Transformadores e reatores ............................................. 3,32% Aparelho de rádio ............................................................ 0,79% Fiação de árvores de natal ............................................... 0,71%
  7. 7. Combustão ExpontâneaA observação de quesubstâncias diversas sãocapazes de inflamar-sesem que para tal ocorra oconcurso de qualquer causaaparente é bastante antiga.Tal fenômeno é denominadocombustão espontânea, auto-combustão ou aindaauto-inflamação.
  8. 8. Combustão Expontânea A combustão espontânea pode ser definida, ou conceituada, daseguinte maneira: “Fogo que se inicia sem a ação de agente ígneo externo, ou de interferência humana”.
  9. 9. RISCOS DE INCÊNDIO A classificação do risco decorrente de um incêndio estádiretamente relacionada a sua LOCALIZAÇÃO às características daCONSTRUÇÃO, à natureza de sua OCUPAÇÃO.
  10. 10. RISCOS DE INCÊNDIO Dentre as características construtivas os aspectos maisrelevantes são a ÁREA CONSTRUÍDA, a ALTURA, os MATERIAISEMPREGADOS na estrutura, revestimento e acabamento, bem comosuas características arquitetônicas.
  11. 11. RISCOS DE INCÊNDIO A LOCALIZAÇÃO da edificação, sua vizinhança, vias de acesso,distância de locais de aglomeração de pessoas, estradas, ferrovias,instalações de risco potencial de incêndio, e principalmente sua distância deunidades do Corpo de Bombeiros, irá definir sua classificação de risco deincêndio.
  12. 12. CARGA DE INCÊNDIO É a soma das energias caloríficas possíveisde serem liberadas pela combustão completade todos os materiais combustíveis em umespaço, inclusive os revestimentos dasparedes, divisórias, pisos e tetos.
  13. 13. CLASSIFICAÇÃO DA CARGA DE INCÊNDIO Risco Carga de Incêndio MJ/m²  Baixo até 300MJ/m² Médio Acima de 300 até  1.200MJ/m² Alto Acima de 1.200MJ/m²
  14. 14. CARGA DE INCÊNDIOOcupação/Uso Descrição Divisão Carga de incêndio (qfi) em MJ/m2Residencial Apartamentos  A-3 300Comercial varejista Calçados C –2 500 (Loja)Industrial Artigos de  I – 2 1000 cera
  15. 15. CARGA DE INCÊNDIO ESPECÍFICA  É o valor da carga de incêndio divididopela área de piso do espaço considerado,expresso em megajoule (MJ) por metroquadrado (m²).
  16. 16. CARGA DE INCÊNDIO ESPECÍFICA  Método para levantamento da carga de incêndio específica Os valores da carga de incêndio específica para as edificações destinadas a depósitos, explosivos e ocupações especiais podem ser determinadas pela seguinte expressão:   Qfi =    Mi  x Hi  Σ                  _____________          A f qfi - valor da carga de incêndio específica, em megajoule por metro quadrado de área de piso; Mi  -  massa  total  de  cada  componente  i  do  material  combustível,  em  quilograma.  Esse  valor não  poderá  ser  excedido  durante  a  vida  útil  da  edificação  exceto  quando  houver  alteração  de ocupação, ocasião em que Mi deverá ser reavaliado; Hi  -  potencial  calorífico  específico  de  cada  componente  i  do  material  combustível,  em megajoule por quilograma, conforme tabela B.1 abaixo; Af - área do piso do compartimento, em metro quadrado. 
  17. 17. Valores do potencial calorífico específicoTIPO DE MATERIAL H (MJ/kg) Algodão 18 Madeira 19 Graxa, Lubrificante 41
  18. 18. CONDIÇÕES BÁSICAS PARA A PREVENÇÃO Há três pontos básicos, nos quais se fundamenta um trabalhoprevencionista, que incidem exatamente nas atividades que se buscadesenvolver no indivíduo, para que ele esteja apto a atuar naPrevenção de Incêndios:a)    Conhecimento – é necessário conhecer as características do fogo;as propriedades e riscos dos materiais; as causas dos incêndios e oestudo dos combustíveis.b)   Atuação – adquiridos os conhecimentos técnicos, é preciso saber aforma de empregá-los, isto é, em atuar.c)    Comportamento – de nada adianta conhecer e saber atuar, se nãose treina a pessoa na arte de manter o controle das próprias reaçõesnervosas, sem se deixar amedrontar e sem perder a presença deespírito.
  19. 19. FASES DA PREVENÇÃO A prevenção deincêndio é um conjuntode providências, desdeas mais simples, comoconservação,lubrificação e limpeza,até as mais complexas,como instalaçõesautomáticas decombate a incêndio,sistemas automáticosde detecção, ou aindasistemas inibidores deexplosões.
  20. 20. FASES DA PREVENÇÃO PrevençãoConstrutural PrevençãoOperacional
  21. 21. Prevenção Construtural É aquela que trata da aplicação da legislação e dasmedidas preventivas de incêndio, relacionadas com aconstrução de prédios, é o planejamento dos meios fixosde prevenção taticamente neles instalados, conforme aárea, altura e ocupação, com a finalidade de evitar oirrompimento de incêndio, combatê-lo em sua fase inicial eretardar sua ação até a chegada dos bombeiros. Tem,ainda, o objetivo de dotar as edificações dos meios de fuganecessários, estabelecendo uma rota para o público emcaso de ocorrência de sinistro.
  22. 22. Prevenção Operacional Também denominadaprevenção ocupacional, seuobjetivo é tratar da aplicaçãoda legislação, normas einstruções relacionadas como armazenamento demateriais, métodos eprocessos de utilização deequipamentos econhecimentos deprevenção a incêndio, bemcomo da disposiçãotemporária de equipamentoe elemento humano em localou evento, com vista aprevenir a ocorrência deincêndios.
  23. 23. "A grandeza não consiste em receber honras, mas em merecê-las." Aristóteles

×