AdministraçãO ErgonôMica

8.070 visualizações

Publicada em

Primeira parte de um Seminário Avançado aplicado aos alunos do último ano do Curso de Administração - IPCA - SP

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.070
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
54
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
250
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

AdministraçãO ErgonôMica

  1. 1. Administração Ergonômica José Antônio L. Simas - Arquiteto [email_address]
  2. 2. <ul><li>O Homem como Unidade de Medida </li></ul><ul><li>Tudo o que o homem cria é destinado ao uso pessoal; </li></ul><ul><li>As dimensões do que fabrica devem, por isso, estar intimamente relacionadas com as do seu corpo; </li></ul><ul><li>Quando queremos formalizar uma idéia dimensional servimo- nos de frases como: </li></ul><ul><ul><ul><li>Tem a altura de um homem; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Tem o comprimento de tantas braças; </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Tem tantos pés de largura; </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><li>Estes são conceitos que não necessitam de definição, visto que, no fundo,fazem parte de nós mesmos. </li></ul><ul><li>A adoção do “Sistema Métrico” eliminou, de certa forma, estas unidades e hoje temos que comparar a nova unidade com o nosso corpo para obtermos uma noção viva das dimensões. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>O Cânone de proporções </li></ul><ul><li>O mais antigo Cânone que se tem notícia, foi encontrado nas pirâmides de Mênfis, e data de 3.000 a.C. </li></ul><ul><li>O célebre cânone de Policleto, Grécia, foi considerado modelo por muitos séculos; </li></ul><ul><li>Durante o Renascimento, Alberti, Da Vinci e Michelangelo desenvolveram inúmeros estudos sobre o dimensionamento humano. </li></ul><ul><li>O princípio de todos os trabalhos consiste em relacionar o corpo e a altura da cabeça. </li></ul>
  4. 4. a preservação dos Dez livros da arquitetura do tratadista romano Marco Vitrúvio Polião, do século I a.C., teve um papel fundamental na difusão das idéias de cânone e ordem. O Homem Vitruviano é um desenho famoso que acompanhava as notas que Leonardo da Vinci fez ao redor do ano 1490 num dos seus diários. Descreve uma figura masculina desnuda separadamente e simultaneamente em duas posições sobrepostas com os braços inscritos num círculo e num quadrado. A cabeça é calculada como sendo um oitavo da altura total. Às vezes, o desenho e o texto são chamados de Cânone das Proporções.
  5. 5. Inúmeros Arquitetos, matemáticos e pesquisadores dedicaram seus estudos e pesquisas ao cânone humano. No século XX Le Corbusier, arquiteto suíço, nacionalizado francês, em seu livro “vers une architecture” (Por uma arquitetura), fala de um movimento moderno com características funcionalistas. Pesquisa que realizou envolvendo uma nova maneira de enxergar a forma arquitetônica baseado nas necessidades humanas que revolucionou (juntamente com a atuação da Bauhaus ) a cultura arquitetônica do mundo inteiro).
  6. 6. O que é ERGONOMIA ? ? ? E NÃO ERGOLOGIA OU ERGONOMETRIA... Adaptação do trabalho ao ser humano: O trabalho tem um pano de fundo de sofrimento; *em latim trabalho= tripalium trabalhar= tripaliare (torturar com o tripalium) *conceito bíblico: ganhar o pão com o suor do rosto; *Grécia antiga => duplo sentido: ponos = penalidade ergon = criação No sentido etimológico da palavra: Ergonomia significa o “estudo das leis do trabalho”.
  7. 7. <ul><li>O termo ERGONOMIA foi aplicado pela primeira vez, em 1854, pelo polonês W. Jastrzebowski, que publicou um artigo intitulado: “Ensaio de ergonomia ou ciencia do trabalho baseada nas leis objetivas da ciência da natureza”. </li></ul><ul><li>Quase um século mais tarde, Murrel, um engenheiro inglês, criou a “Ergonomic Research Society” , que foi a primeira sociedade nacional de ergonomia. </li></ul>
  8. 8. Conceitos: “ Ergonomia é o estudo do relacionamento entre o homem e seu trabalho, equipamento e ambiente, particularmente a aplicação dos conhecimentos de anatomia, fisiologia e psicologia na solução surgida deste relacionamento.” Ergonomics Research Society “ Ergonomia é o estudo da adaptação do trabalho às características fisiológicas e psicológicas do ser humano.” Associação Brasileira de Ergonomia
  9. 9. OBJETO E OBJETIVO DA ERGONOMIA Se, para um certo número de disciplinas, o trabalho é o campo de aplicação ou uma extensão do objeto próprio da disciplina, para a ergonomia o trabalho é o único possível método de intervenção. A ergonomia tem como objetivo produzir conhecimentos específicos sobre a atividade do trabalho humano. O objetivo desejado no processo de produção de conhecimentos é o de informar sobre a carga do trabalhador, sendo a atividade do trabalho específica a cada trabalhador. O procedimento ergonômico é orientado pela perspectiva de transformação da realidade, cujos resultados obtidos irão depender em grande parte da necessidade da mudança. Mesmo que o objetivo possa ser diferente de acordo com a especialização de cada pesquisador, o objeto do estudo não pode ser definido “a priori”, pois sua construção depende do objetivo da transformação. Em ergonomia o objeto sobre o qual pretende-se produzir conhecimentos, deve ser construido por um processo de decomposição/recomposição da atividade complexa do trabalho, que é analisada e que deve ser transformada. O objetivo é ocultar o mínimo possível a complexidade do trabalho real. Quanto mais a ergonomia aprofunda o seu questionamento sobre a realidade, mais ela é interpelada por ela mesma.
  10. 10. Segundo a Associação Internacional de Ergonomia (IEA – International Ergonomics Association): “ A Ergonomia é o estudo científico do homem e seus meios,métodos e espaços de trabalho. Seu objetivo é elaborar, mediante a contribuição de diversas disciplinas científicas que a compõem, um corpo de conhecimentos que, dentro de uma perspectiva de aplicação, deve resultar em uma melhor adaptação ao homem dos meios tecnológicos e dos ambientes de trabalho e de vida.”
  11. 11. <ul><li>Atualmente o desenvolvimento da Ergonomia pode ser caracterizado, segundo quatro principais níveis de exigência: </li></ul><ul><li>Exigências tecnológicas: técnicas de produção; </li></ul><ul><li>Exigências econômicas: custo/qualidade da produção; </li></ul><ul><li>Exigências sociais: melhoria das condições de trabalho; </li></ul><ul><li>Exigências organizacionais: gestão participativa. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>A abordagem da Ergonomia pode ser caracterizada, segundo dois níveis de abrangência: </li></ul><ul><li>Ergonomia dos postos de trabalho: uma abordagem microeconômica. </li></ul><ul><li>O posto de trabalho corresponde a um papel definido, comporta instruções e procedimentos (o que, quando e como fazer) e meios (onde e com o que fazer). É uma localização dentro de um sistema de produção. </li></ul><ul><li>Ergonomia dos sistemas de produçaõ: uma abordagem macroeconômica. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>A abordagem da Ergonomia pode ser caracterizada, ainda, quanto à interdisciplinaridade: </li></ul><ul><li>Engenharia: projeto e produção ergonomicamente seguros; </li></ul><ul><li>Design: metodologia de projeto e design do produto; </li></ul><ul><li>Psicologia: treinamento e motivação pessoal; </li></ul><ul><li>Medicina e enfermagem: prevenção de acidentes e doenças de trabalho; </li></ul><ul><li>Administração: projetos organizacionais e gestão de R.H. </li></ul>
  14. 14. <ul><li>A abordagem da Ergonomia pode ser caracterizada, também, quanto à contribuição: </li></ul><ul><ul><li>Ergonomia de concepção: normas e especificações de projeto; </li></ul></ul><ul><ul><li>Ergonomia de correção: modificações das situações existentes; </li></ul></ul><ul><ul><li>Ergonomia de arranjo físico: melhoria das seqüências e fluxos de produção; </li></ul></ul><ul><ul><li>Ergonomia de conscientização: capacitaçao em ergonomia. </li></ul></ul>
  15. 15. <ul><li>Temos, ainda, a abordagem sistêmica da Ergonomia: </li></ul><ul><li>A teoria de Sistemas surgiu com os trabalhos do biólogo alemão Ludwig Von Bertalanffy , publicados entre 1950 e 1968. </li></ul><ul><li>Os pressupostos básicos da teoria de sistemas: </li></ul><ul><li>Existe uma nítida tendência para a integração das várias ciências naturais e sociais; </li></ul><ul><li>Essa integração disciplinar parece orientar-se no sentido de uma teoria de sistemas. </li></ul>
  16. 16. <ul><li>a abordagem sistêmica da Ergonomia: </li></ul><ul><li>Homeostasia: a capacidade que os sistemas têm de manter um equilíbrio dinâmico, entre os componentes diversos ou as partes,por intrmédio do mecanismo de auto-controle ou auto-regulação (mecanismo de retroação). </li></ul>DADO INFORMAÇÃO CONHECIMENTO COMPETÊNCIA Um evento, registro de um sinal para o sistema. Conjunto de dados com um significado para o sistema. Informação tratada muda o comportamento do sistema.

×