Comparativo entre conceitos e sistemas de produção

1.540 visualizações

Publicada em

Para auxiliar a estudantes e profissionais que se interessam pela gestão de produção, este estudo possui um resumo comentado de forma bem simples que pode ser útil para ilustrar como deve funcionar em tese uma boa gestão focada em resultados.

Publicada em: Indústria automotiva
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.540
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
103
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Comparativo entre conceitos e sistemas de produção

  1. 1. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN - COMPARATIVO ENTRE SISTEMAS DE PRODUÇÃO - “ENTENDENDO A REALIDADE” * REFLEXÃO * Jose Donizetti Moraes - 12/11/2014 BETIM , MINAS GERAIS, BRASIL
  2. 2. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN - COMPARATIVO ENTRE SISTEMAS DE PRODUÇÃO - O objetivo desta reflexão, é expor ao leitor os conceitos utilizados na gestão de uma produção, de forma bem resumida e com comentários provenientes de um profissional com 30 anos de experiência vividos na indústria automotiva e com um ponto específico fora da mesma que lhe serviu como base deste trabalho. Muito se fala, se ouve e se vende como solução para melhorar a gestão industrial nas empresas, entretanto, entre a teoria e a prática existe um buraco cheio de paradigmas, falta de conhecimento e excesso de valorização as ferramentas e conceitos difundidos. “A espécie que se adapta melhor às mudanças é a espécie que não é extinta.” Prof. Hajime Yamashina Jose Donizetti Moraes - 12/11/2014 BETIM , MINAS GERAIS, BRASIL
  3. 3. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN - COMPARATIVO ENTRE SISTEMAS DE PRODUÇÃO - Independente de qual sistema de produção sua empresa adota, existe alguns princípios básicos que são seguidos pela maioria das empresas, de forma consciente ou não. O sucesso ou não das empresas, depende de como a mesma encara seu modelo de produção. Muitas desenvolvem um modelo próprio que pode lhe gerar grandes resultados econômicos frente a uma demanda e mercado que as inviabilizam de ver suas perdas pois o resultado econômico é muito favorável. Outras perdem tanto, não conseguem identificar suas perdas e não sabem por onde começar a trabalhar para reverter a situação e quebram já nos primeiros anos. “A Identificação de perdas depende dos seus olhos... as pessoas melhoram seus olhos tal como elas aprendem.” Prof. Hajime Yamashina Jose Donizetti Moraes - 12/11/2014 BETIM , MINAS GERAIS, BRASIL
  4. 4. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN - COMPARATIVO ENTRE SISTEMAS DE PRODUÇÃO - OS 6 PRINCÍPIOS DE UM SISTEMA IDEAL DE PRODUÇÃO 1- Livre de Defeitos CQA 2 - Tamanho de Lote = 1 3 – Fornecer sob demanda (versões) 4 – Entrega Imediata 5 – Sem desperdícios (Mat./M.O./Energia/etc.) 6 – Ambiente Seguro para Funcionário FATAL SEVERE LWDC FAI NEAR MISSES UNSAFE CONDITIONS UNSAFE ACTS Jose Donizetti Moraes - 12/11/2014 BETIM , MINAS GERAIS, BRASIL
  5. 5. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN - COMPARATIVO ENTRE SISTEMAS DE PRODUÇÃO - Baseado nestes seis princípios, vamos abordar os principais modelos de gestão difundidos pelo mundo, onde o slide seguinte define de forma bem resumida com quais fundamentos os mesmos estão atrelados e em seguida teremos um comentário individual de cada sistema, considerando aqui experiências vividas com cada modelo. Espero que esta reflexão lhes permita identificar de forma clara os vários modelos aplicados nas empresas ou departamentos, sim empresas ou departamentos, pois muitas vezes os aplicamos de forma inconsciente em uma área ou processo mas não na empresa como um todo. “O ótimo é inimigo do bom e esta muito próximo do ruim.” Jose Donizetti Moraes Jose Donizetti Moraes - 12/11/2014 BETIM , MINAS GERAIS, BRASIL
  6. 6. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN - COMPARATIVO ENTRE SISTEMAS DE PRODUÇÃO - Programa Lean Manufacturing Teoria das Restrições Seis Sigmas TPS (Toyota) TPM TQM WCM (Fiat) Teoria Eliminar o desperdício. Lidar com as restrições Reduzir a variação no processo Melhoramento Contínuo. Extração da excelência nas máquinas. Ampla organização do sistema. Maximização da manufatura. Diretrizes de Aplicação 1) Identificar valor 2) Identificar corrente de valor 3) Fluir 4) Puxar 5) Aperfeiçoar 1) Identificar restrição 2) Explorar restrição 3) Subordinar processos 4) Melhorar restrição 5) Repetir ciclo 1) Definir 2) Medir 3) Analisar 4) Melhorar 5) Controlar 1) Fazer mais com menos 2) JIT e JIDOKA 3) Maneira Toyota: Respeito de pessoas e Kaizen 1) Apoio a produção 2) Participação de todos 3) Produtividade 4) Eficiência 5) Propositiva 1) Planejamento 2) Controle 3) Liderança 4) Comunicação 5) Qualidade e Manutenção 1) Áreas Modelo 2) Pilares técnicos e gerenciais 3) Sete passos de implementação Foco Foco no fluxo Restrições dos sistemas Foco no problema Produção por Takt Time, prevenção na saída de defeito e foco no cliente Manutenção autônoma. Melhoramento das pessoas. Performance mundial em produção. Pressuposto A não eliminação do desperdício eliminará o desempenho do negócio. Várias pequenas melhorias são melhores do que grandes rupturas. Ênfase na velocidade e volume. Utiliza os sistemas existentes. Interdependência de processos. Há um problema. Gráfico e números são valorizados. Os resultados do sistema são melhorados se a variação em todos os processos será reduzida. Produzir a quantidade certa na hora certa e com a qualidade certa através do autocontrole. Colocar a Manutenção no centro das atenções e entendida como uma parte fundamental do negócio. Criar uma estratégia de administração orientada a formação de consciência de qualidade em todos os processos organizacionais. Capturar de maneira eficaz a essência das mudanças fundamentais que acontecem na industria através da busca pelas melhores práticas. Efeito Principal Agregar Valor. Melhoria da saída do processo Resultado uniforme do processo Eliminar desperdícios e ligação direta com o cliente. Eficiência produtiva das máquinas. Satisfação do cliente e consumidor Aumento da qualidade em todos os setores. Efeito Secundário Menor variações; Resultados uniformes; Menor estoque; Qualidade melhorada; envolvimento dos funcionários e colaboração funcional. Menos estoque e desperdício. Contabilidade dos custos do processo. Sistema de medição do desempenho. Qualidade melhorada. Menos desperdícios. Melhor saída do processo. Menos estoque. Qualidade melhorada. Flutuação e avaliação pelos gerentes. Agregar valor ao produto; Menor estoque; Maior qualidade ao produto; Sequencia na produção; Organização; Envolvimento dos funcionários e colaboração funcional Qualidade de trabalho; Satisfação do cliente; Redução de custos; Prevenção de avarias; Equipe de manutenção focada nos maiores problemas; Mudanças culturais; Melhoramento continuo; Capacitação das pessoas; Potencialização das pessoas; Maximização da qualidade; Grande análise estatística. Satisfação do cliente; Redução da dispersão; Redução da variabilidade; Redução zero em desperdício, defeito, parada e inventário. Críticas A análise estatística não é valorizada. Análise demorada por especialistas remotos é desvalorizada. Influência mínima do trabalhador. Analise de dados não valorizada. A interação do sistema não é considerada. Os processos são analisados independentemente. Quando ocorre um defeito, toda a linha de produção para ate que seja resolvido o mesmo. Desvalorização do sistema pelo meio onde deveria ser aplicado ocorrendo ineficiência na produção. Bloqueio cultural, intervindo nas mudanças, gerando dificuldade na implantação. Dificuldades em aplicar com rapidez o método em todas as áreas e investimento com organização e Gestão a Jose Donizetti Moraes - 12/11/2014 BETIM , MINAS GERAIS, BRASIL Vista.
  7. 7. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN - COMPARATIVO ENTRE SISTEMAS DE PRODUÇÃO - Lean Manufacturing: Atualmente em moda, onde a venda de consultorias se alastrou saturando o mercado mas sem resultados sistêmicos as empresas. Observa-se projetos pontuais em uma determinada área ou processo, partindo-se da avaliação de uma VSM (Value Stream Map) – Mapa do Fluxo de Valor, onde infelizmente muitos gestores de primeiro nível nem sabe como avaliar um respectivo mapa, além de que muitos técnicos a fazem por fazer, a fazem para se livrar rapidamente da solicitação mediante um consultor ou chefia imediata. Sistema de difícil expansão, onde melhora-se uma respectiva área ou processo que possui uma vida curta ou longa mas com um fim, e que dependendo do comportamento de mercado, os ganhos esperados não ocorrem. Difunde-se a aplicação do 5S como premissa, mas muitas empresas falham na manutenção do conceito. Os dados coletados são mensurados antes e depois mas seu monitoramento ao longo do tempo mostra a perda dos conceitos aplicados nos projetos nas maiorias das empresas. A cultura não se mantem e não sobrevive as mudanças de comando nas empresas, a cada novo gestor, novas metas são definidas e novas prioridades elencadas. Jose Donizetti Moraes - 12/11/2014 BETIM , MINAS GERAIS, BRASIL
  8. 8. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN - COMPARATIVO ENTRE SISTEMAS DE PRODUÇÃO - Teoria das Restrições: Atualmente esquecida nas escolas e nas empresas, leve lembrança ocorre somente quando necessitamos aumentar o out put de um determinado processo. Pautado sobre a necessidade de se quebrar os gargalos de produção, este sistema visa identificar os gargalos nas empresas e promover ações para fazer com que um fluxo continuo seja mantido. Muitas empresas se enganam e frente a uma situação de mercado aquecido, parte já para quebrar gargalos em seus processos, algumas até investimentos fazem e depois quando o mercado se restabelece, sofrem com peças em estoque ou ociosidade nos processos. Vale lembrar aqui por exemplo o caso da Toyota que quase faliu aplicando este sistema lhes mostrado pelos ocidentais na recuperação do Japão. Ela teve carros demais e mercado de menos, foi depois disso que nasceu o TPS (Toyota Production System), em nossas empresas, a cada vez que somos questionados quanto ao atendimento de uma demanda, antes de partirmos para quebrar gargalos, devemos avaliar todas as nossas possibilidades pois os custos envolvidos em atividades para se quebrar gargalos, não são todos mensuráveis em um primeiro momento, precisamos de uma visão futura da empresa, e muitas opções de gestão podem resolver um problema de demanda. Este sistema não pode mais ser usado como definição para um Sistema de Produção, mas sim como uma ferramenta de desenvolvimento dos processos e cadeia produtiva. Jose Donizetti Moraes - 12/11/2014 BETIM , MINAS GERAIS, BRASIL
  9. 9. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN - COMPARATIVO ENTRE SISTEMAS DE PRODUÇÃO - Seis Sigmas: Nos últimos anos este sistema esteve também em moda, gerando por exemplo as certificações Black Belt, Green Belt, Etc... Tivemos muita comercialização deste sistema por consultorias, atualmente um pouco esquecido pelas empresas e também pelas consultorias, este sistema não é mais tão comum as empresas. Pautado sobre estudos estatísticos, este sistema visa avaliar processos, produtos ou empresas, detectar anormalidades nos processos e na gestão das mesmas e propor projetos para recuperação econômica a conta de resultado operativo. Atualmente, muitas empresas possuem até uma função denominada e remunerada com estas nomenclaturas, entretanto, a maioria das empresas ligadas ao setor automotivo por exemplo, não possuem tempo para um sistema deste tipo, onde um projeto demora muito tempo entre analise e solução para um problema. Sabemos que os resultados serão robustos mas o tempo e a vida curta de nossos produtos ou processos, não nos permite este luxo. Outro fator crítico é a nossa falta de cultura em assimilar a necessidade de mensurarmos tudo o que fazemos, e o mensuramento de tudo é a essência deste modelo, tudo deve ser medido e monitorado com ações de contramedidas tomadas para restabelecimento da normalidade. Em teoria, isso é ótimo e deveria ser seguido por todos, mas até isso tem um custo que deve ser medido. Jose Donizetti Moraes - 12/11/2014 BETIM , MINAS GERAIS, BRASIL
  10. 10. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN - COMPARATIVO ENTRE SISTEMAS DE PRODUÇÃO - TPS (Toyota Production System): A muito, o modelo a ser copiado, muitas empresas tentaram ou tentam copiar este modelo e nenhuma, posso lhes assegurar, nenhuma obteve resultado completo, mesmo porque até hoje a Toyota esta ainda em evolução e este é seu princípio, a busca pelo melhoramento contínuo. O maior impedimento para implantação deste sistema é a nossa cultura, onde disciplina e rigor não é nosso forte e para os ocidentais isso é cultivado no berço. Temos sim empresas que se aproximaram deste modelo, mas ainda sim sofrem com os mesmos problemas de uma empresa que está iniciando a implantação. Produzir na hora certa, na quantidade certa, com preço justo e com a qualidade certa, embora fácil de se falar ou escrever, esta longe de se alcançar, temos problemas fora de nosso alcance e das nossas empresas que inviabilizam este pressuposto. Para este modelo, podemos dizer que nossos clientes não pagam pelo resultado esperado. Quando colocamos todas as nossas necessidades para se atender a este modelo, embora muitos irão dizer exatamente o contrário, nosso custo interno frente aos conceitos e ferramentas exigidos na gestão se tornam um problema e acabamos nos entregando para o paradigmas e depois corremos para tentarmos a recuperação. Muitas vezes confundimos beleza com organização, muitas vezes as primeiras ações tomadas são de ordem estética e isso tem um custo não mensurado o benefício, que pode ser negativo no tempo. Jose Donizetti Moraes - 12/11/2014 BETIM , MINAS GERAIS, BRASIL
  11. 11. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN - COMPARATIVO ENTRE SISTEMAS DE PRODUÇÃO - TPM (Total Prventive Maintenance): Sistema um pouco abandonado pelas empresas e pelas consultorias, muito se falou no passado, pouco se fez ou conquistou-se devido a complexidade de nossa cultura humana e empresarial. O custo da prevenção hoje é algo restritivo as empresas e que mesmo mensurado com dados otimistas, falta-nos os recursos para se manter este sistema e muitas vezes as alegações estão focadas no custo da gestão e não da prevenção em si. As poucas empresas que podem se orgulhar de ter este modelo de gestão, o utiliza única e exclusivamente no foco da Manutenção mesmo e não da gestão empresarial como um todo, onde para este modelo o principal objetivo é o melhor aproveitamento e ocupação das máquinas para produção, o que presume-se ter além de mercado para explorar toda a disponibilidade oferecida, deve-se ter um excelente planejamento da produção. O normal em nossas empresas, são máquinas compradas, linhas de montagem desenvolvidas que trabalham em um ou dois turnos e não mais. Este sistema deve partir da premissa que a empresa irá ocupar toda a disponibilidade de seu parque industrial, e infelizmente alguns que se dizem expertos neste modelo, difundem que a premissa deste modelo é ter a certeza de que a máquina irá estar disponível quando necessária e não a todo o tempo e com isso geramos ociosidade de nosso parque fabril. O fator humano é hoje para este modelo o maior desafio a ser conquistado frente a nossa cultura. Jose Donizetti Moraes - 12/11/2014 BETIM , MINAS GERAIS, BRASIL
  12. 12. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN - COMPARATIVO ENTRE SISTEMAS DE PRODUÇÃO - TQM (Total Quality Management): Sistema também um pouco abandonado pelas empresas e pelas consultorias, muito se falou no passado, pouco se fez ou conquistou-se devido a complexidade de nossa cultura humana e empresarial. O custo da Qualidade hoje não é percebida pelo clientes, somente o custo da não Qualidade que vem a cada ano gerando mais stress entre os profissionais. As exigências hoje são enormes e nossas respostas um tanto evasivas para com os clientes. Na verdade, nem o custo da não Qualidade hoje é nosso maior problemas, muitas vezes o reconhecemos mas o aceitamos com naturalidade. Ter hoje um sistema de produção pautado pela Qualidade Total é quase que uma utopia, o máximo que conseguimos é administrar os clientes e muitas empresas e profissionais não compreendem bem esta necessidade, que de fato é uma realidade a ser admitida como necessidade fundamental. Hoje temos IS0-9000, IS0/TS, QSB, VDA, Etc... Todos modelos de auditorias montados para avaliar um Sistema de Qualidade montado pelas empresas e que na maioria das auditorias encontram-se não conformidades que se analisadas no detalhe são sempre pela falta das condições básicas de processo ou de controle. Posso dizer que tirando a parte da utopia querer ter uma empresa com este sistema de produção, este deveria ser o buscado e na essência por todas as empresas, pois qualquer outro sistema seria atendido se este tiver sucesso. Jose Donizetti Moraes - 12/11/2014 BETIM , MINAS GERAIS, BRASIL
  13. 13. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN - COMPARATIVO ENTRE SISTEMAS DE PRODUÇÃO - WCM (Fiat): Atualmente em moda junto aos fornecedores desta montadora espalhados pelo mundo todo. Temos já algumas consultorias vendendo este sistema de produção, entretanto como pelo mesmo fundamento do TPS pela busca do melhoramento contínuo, este busca pelas melhores práticas e isso inviabiliza a venda de consultorias pois o que é bom hoje pode não ser amanhã e isso vem sendo um ponto de conflito entre montadora e fornecedor quanto as avalições e auditorias junto aos programas de implantação. Neste caso o melhor é aprender com a implantação. Mesmo sendo moda hoje, existe um certo conflito entre o mentor deste sistema o Prof. Hijimi Yamashina e a própria montadora quanto os aspectos de uma implantação, onde o responsáveis pela implantação e monitoramento focam muito na organização e limpeza atrelados a um ambiente de trabalho garboso, o que fica fora da essência asiática para este aspecto, onde por exemplo no Japão, as fábricas não possuem áreas produtivas lindas, coloridas, com corredores largos, tudo muito bem sinalizado, lá eles fazem tudo literalmente a mão, com croquis, apontamentos manuais etc... Depois, a estrutura humana, o número de reuniões e papeis gerados, se levantados o custo benefício, pode não ser atrativo as empresas. Vende-se que o WCM se paga, mas em quanto tempo? Muitas vezes o pay back pode não ser atrativo a um investidor ou a uma empresa e esse entendimento é sempre motivo de longas discussões, gerando assim a necessidade de projetos específicos, o que é também, um dos fundamentos do WCM, áreas modelo, primeiro uma, depois outra e depois outra até que se chegue a planta inteira. Bom fundamento mas com muitas batalhas a serem vencidas, não é fácil como se vende. Jose Donizetti Moraes - 12/11/2014 BETIM , MINAS GERAIS, BRASIL
  14. 14. GESTÃO INDUSTRIAL EM UM SISTEMA LEAN - COMPARATIVO ENTRE SISTEMAS DE PRODUÇÃO - Conclusão: Independente de qual sistema de produção uma empresa adote, é fato que enfrentará problemas de ordem disciplinar e de rigor a ser aplicado a gestão e aos resultados esperados. Não se deve poupar agentes disciplinadores e nem ter medo da mudança, muitas decisões difíceis devem ser tomadas e muitas mudanças deverão ocorrer até que se atinja uma equipe de gestores de fato comprometidos com a empresa e com os resultados. Uma implantação para um sistema de produção deve ser pautada pelo exemplo, todos, todos devem ser exemplos multiplicadores de mudança e a gestão pela mudança sempre será em ritmo de batalha, onde haverá sempre ganhadores e perdedores. Administrar uma empresa hoje é um desafio muito interessante, mas ha poucos gestores capazes de enfrentar este desafio, porém o que deve ser sempre buscado é a sinergia entre os focos, não podemos mirar somente em um preceito, precisamos pensar de forma um pouco mais ampla, pois para se ter o foco no cliente precisamos também focar em nossas pessoas, na segurança das mesmas, na qualidade de nossos produtos, em nossas entregas, em nossos custos e na conservação de nosso patrimônio. Grato Jose Donizetti Moraes Jose Donizetti Moraes - 12/11/2014 BETIM , MINAS GERAIS, BRASIL

×