15

775 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
775
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
93
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

15

  1. 1. MENU TEMASMENU TEMAS
  2. 2. 10 Pilares Para Manter o PG Explosão da Igreja em Pequenos Grupos Como Realizar Uma Assembléia Avaliação
  3. 3. MENUMENU TEMASTEMAS
  4. 4. O desenvolvimento do ministério de PG na nossa igreja vai significarmais do que um ajuste superficial na maneira atual de fazeras coisas. Estamos a falarde uma mudança radical uma transição de um sistema velho para umsistema novo e diferente. Veja algumas mudanças que devemacontecer. MENUMENU TEMASTEMAS
  5. 5. 1. Mudança no conteúdo da função de certos elementos chave, como o pastor. 2. Mudança no papel dos leigos 3. Mudanças no estilo e na perspectivas do ministério o que fazemos, quando e onde o fazemos pode umPG substituiruma tradicional reunião semanal da igreja. 4. Mudanças na dinâmica do ministério como fazemos e o que fazemos. Ir ao encontro das pessoas5. Mudança na estrutura da igreja e no processo de tomada de decisões, querdizer, certos cargos da igreja podemtornar-se redundantes, e podemmudara função dos membros e do conselho da igreja. 6. Para que essas mudanças ocorram, vai exigir tempo, muita oração, atenção e planejamento cuidadoso. MENUMENU TEMASTEMAS
  6. 6. Quero destacar10 pilares que fundamentamuma boa manutenção. I - Compreensão, fidelidade e convicção - visão de Deus - sobre os PG. - Segurança - Prosperidade MENUMENU TEMASTEMAS
  7. 7. II - Comprometimento e integração de todos:II - Comprometimento e integração de todos: 1. Administradores e departamentais União e Campo1. Administradores e departamentais União e Campo •Reconhecimento do PG como a vida e estrutura da igreja.Reconhecimento do PG como a vida e estrutura da igreja. •Emcada concilio dedicartempo para avaliare dinamizaro PGEmcada concilio dedicartempo para avaliare dinamizaro PG •Inserir no calendário do campo datas que contemplem:Inserir no calendário do campo datas que contemplem: •Encontros de motivação para pastor, coordenador, líder, e membros.Encontros de motivação para pastor, coordenador, líder, e membros. •Treinamento para pastor, coordenado e líderes.Treinamento para pastor, coordenado e líderes. •Entrega dos relatórios de acompanhamentoEntrega dos relatórios de acompanhamento •Cronograma evangelísticoCronograma evangelístico •Ajudaros pastores aAjudaros pastores a compreenderemos princípios dos PGcompreenderemos princípios dos PG e aplica-los emsua liderançae aplica-los emsua liderança distrital.distrital. MENUMENU TEMASTEMAS
  8. 8. 2. Pastores Convicção do plano de Deus Pagaro preço vestira camisa 3. Coordenadores e Lideres Conhecimento de suas atividades e responsabilidades Convicção da visão divina - PG 4. Membros MENUMENU TEMASTEMAS
  9. 9. III - Planejamento com “Plano de Ação” Que vise alcançaros objetivos do PG Crescimento Espiritual Evangelismo IV - Permanente treinamento para: Formação de líderes Desenvolvimento Multiplicação de PG V - Dinâmico e correto funcionamento Do programa de PG. Recepção Confraternização Testemunho Oração Estudo da Bíblia MENUMENU TEMASTEMAS
  10. 10. VI - Projetos missionáriosVI - Projetos missionários ConcretosConcretos FuncionaisFuncionais ObjetivosObjetivos VII - Realização de eventos e atividadesVII - Realização de eventos e atividades extra PGextra PG AssembléiasAssembléias Reuniões sociaisReuniões sociais CongressosCongressos RetirosRetiros MENUMENU TEMASTEMAS
  11. 11. VIII - Funcionamento sistemático e no cronogramaVIII - Funcionamento sistemático e no cronograma do campo das reuniões de:do campo das reuniões de: 1. Pastores - Mensal1. Pastores - Mensal 2. Coordenadores - Semanal ou Quinzenal2. Coordenadores - Semanal ou Quinzenal 3. Líderes - Semanal3. Líderes - Semanal 4. Membros PG - Semanal4. Membros PG - Semanal IX - Diversidade de material para atenderIX - Diversidade de material para atender 1. Pastores1. Pastores 2. Coordenadores2. Coordenadores 3. Líderes3. Líderes 4. Membros4. Membros MENUMENU TEMASTEMAS
  12. 12. MENUMENU TEMASTEMAS
  13. 13. CONSI DERAÇÕES GERAI S:CONSI DERAÇÕES GERAI S: 1. Proposta do PG para a Igreja -1. Proposta do PG para a Igreja - CrescimentoCrescimento espiritual e evangelismoespiritual e evangelismo 2. Edificação X Multiplicação2. Edificação X Multiplicação 3. Porque as Igrejas Crescem?3. Porque as Igrejas Crescem? 4.4. Evangelismo empequenos grupos e crescimento dinâmico daEvangelismo empequenos grupos e crescimento dinâmico da igreja são dois lados, de uma mesma moeda. Eles são um.igreja são dois lados, de uma mesma moeda. Eles são um. 5.5. Oevangelismo é o coração do PGOevangelismo é o coração do PG 6.6. A igreja emPG não divide oA igreja emPG não divide o ministério para os perdidos e aministério para os perdidos e a edificação para os salvos emgrupos separados umdo outroedificação para os salvos emgrupos separados umdo outro. Em. Em qualquergrupo pode-se encontrar uma mistura de não-cristãos,qualquergrupo pode-se encontrar uma mistura de não-cristãos, novos convertidos e cristãos mais maduros. As pessoasnovos convertidos e cristãos mais maduros. As pessoas conhecema Cristo no grupo comos seus amigos econhecema Cristo no grupo comos seus amigos e familiares e ali permanecem e crescemrumo a maturidade.familiares e ali permanecem e crescemrumo a maturidade. MENUMENU TEMASTEMAS
  14. 14. Fatores ParaFatores Para ExplosãoExplosão da Igrejada Igreja EmEm Pequenos GruposPequenos Grupos 1- Oração1- Oração 2- EstabeleçerAlvos2- EstabeleçerAlvos 3- PrepararNovos Líderes3- PrepararNovos Líderes 4- AtrairVisitantes4- AtrairVisitantes 5- EvangelizaremEquipe5- EvangelizaremEquipe 6- EvangelizarSuprindo Necessidades6- EvangelizarSuprindo Necessidades 7- Fazeros Preparativos Para um Parto Tranquilo –7- Fazeros Preparativos Para um Parto Tranquilo – Calendário para multiplicaçãoCalendário para multiplicação MENUMENU TEMASTEMAS
  15. 15. 1.1. Vida devocional do líder é determinante naVida devocional do líder é determinante na multiplicação do PG - ouvira Deus.multiplicação do PG - ouvira Deus. 2.2. Tempo e lugarespecíficoTempo e lugarespecífico 3.3. O conteúdoO conteúdo 4.4. Ore diariamente pelos membros e visitantesOre diariamente pelos membros e visitantes 5.5. Jejume oração intercessoraJejume oração intercessora Primeiro Fat or:Primeiro Fat or: OraçãoOração MENUMENU TEMASTEMAS
  16. 16. 1. Igrejas emcrescimentos estão orientadas poralvos. 2. Alvos proporcionam direção e garantemque prioridades sejam levadas a sério. 3. Alvos desafiadores têmo potencial de produzir motivação e entusiasmo. 4. Umalvo que todo PG se esforça poralcançaré uma data prevista para a multiplicação. Segundo Fat or:Segundo Fat or: Est abeleça AlvosEst abeleça Alvos MENUMENU TEMASTEMAS
  17. 17. 1.1. Estabeleça alvos claros e específicos.Estabeleça alvos claros e específicos. 2.2. Sonhe comesses alvosSonhe comesses alvos 3.3. Anuncie esses alvos ao PGAnuncie esses alvos ao PG 4.4. Faça os preparitivos para alcançá-losFaça os preparitivos para alcançá-los ·· OAlvo Para Cada LíderÉ a MultiplicaçãoOAlvo Para Cada LíderÉ a Multiplicação ·· PG Eficaz Sabe Para Onde Estão Indo.PG Eficaz Sabe Para Onde Estão Indo. QUATRO PRINCÍPIOSQUATRO PRINCÍPIOS PARA OBTERPARA OBTER CRESCIMENTO REAL ECRESCIMENTO REAL E ILIMITADO DO PGILIMITADO DO PG MENUMENU TEMASTEMAS
  18. 18. 1.1. Descentralizaro ministério - compartilheDescentralizaro ministério - compartilhe 2.2. Esteja disposto a multiplicara liderança - dentre os novos naEsteja disposto a multiplicara liderança - dentre os novos na féfé 3.3. Ore continuamente pormais líderesOre continuamente pormais líderes 4.4. Envolva líderes empotencialEnvolva líderes empotencial 5.5. Recrute, capacite e equipe o novo líder-dê treinamentoRecrute, capacite e equipe o novo líder-dê treinamento completo- prático, viável e aplicável na mesma semana.completo- prático, viável e aplicável na mesma semana. 6.6. Forme uma equipe de liderança no PGForme uma equipe de liderança no PG 7.7. Não tema o fracassoNão tema o fracasso Ter ceiro Fat or :Ter ceiro Fat or : Preparar NovosPreparar Novos LíderesLíderes MENUMENU TEMASTEMAS
  19. 19. 1.1. Visitas a pessoas novas - molhe os pés - iratrás de .Visitas a pessoas novas - molhe os pés - iratrás de . 2.2. Exortação no PG para convidaramigos - o líderencerra oExortação no PG para convidaramigos - o líderencerra o grupo perguntando: quemvocê irá convidar na próximagrupo perguntando: quemvocê irá convidar na próxima semana?semana? 3.3. O seu OIKOS - NT -Família. No entanto , ela não se refereO seu OIKOS - NT -Família. No entanto , ela não se refere somente aos membros da família - grupo primário- de amigos.somente aos membros da família - grupo primário- de amigos. 4.4. Os visitantes renovamo ministério do PG e fazemosOs visitantes renovamo ministério do PG e fazemos membros antigos lembrarde ummundo perdido e sofrido.membros antigos lembrarde ummundo perdido e sofrido. Quart o Fat or:Quart o Fat or: At rair Visit ant esAt rair Visit ant es MENUMENU TEMASTEMAS
  20. 20. 1.1. Parceria no evangelismo em grupo - o grupo todoParceria no evangelismo em grupo - o grupo todo planeja evangelismo regularmenteplaneja evangelismo regularmente 2.2. Cada umParticipaCada umParticipa 3.3. Evangelismo do grupo pormeio da edificação - daEvangelismo do grupo pormeio da edificação - da amizade - da Transparencia honestaamizade - da Transparencia honesta 4.4. Comprometera toda equipe no PGComprometera toda equipe no PG Quint o Fat or:Quint o Fat or: Evangelize em EquipeEvangelize em Equipe MENUMENU TEMASTEMAS
  21. 21. 1.1. Evangelismo pormeio de serviços comunitários.Evangelismo pormeio de serviços comunitários. 2.2. A hospitalidade era uma característica essencial naA hospitalidade era uma característica essencial na Igreja Primitiva.Igreja Primitiva. 3.3. Exemplo do ministério de Jesus.Exemplo do ministério de Jesus. 4.4. Necessidades sentidas .Necessidades sentidas . 5.5. Necessidades definitivas.Necessidades definitivas. Sext o Fat or:Sext o Fat or: Evangelize ao SuprirEvangelize ao Suprir as Necessidadesas Necessidades SociaisSociais MENUMENU TEMASTEMAS
  22. 22. • Nascerumnovo PG - requerplanejamento e preparo detalhado • Porque umPG não se multiplica ? 1. Os membros do PG torna-se confortáveis demais na companhia uns dos outros 2. Os membros não conhecema alegria do nascimento de um novo PG 3. Temorde que o novo PG não seja tão bom quanto outro. 4. Multiplique de acordo comos Relacionamentos Sét imo Fat or:Sét imo Fat or: Faça os Preparat ivosFaça os Preparat ivos Para Um Part oPara Um Part o TranqüiloTranqüilo MENUMENU TEMASTEMAS
  23. 23.  Se o grupo não permanece pequeno, ele perde sua Eficácia eSe o grupo não permanece pequeno, ele perde sua Eficácia e sua habilidade de cuidardas necessidades de cada membrosua habilidade de cuidardas necessidades de cada membro  OGrupo precisa serpequeno o suficiente para que todos osOGrupo precisa serpequeno o suficiente para que todos os membros possam contribuir livremente e compartilharmembros possam contribuir livremente e compartilhar necessidades pessoaisnecessidades pessoais  Crescimento emtamanho normalmente exclui crescimento naCrescimento emtamanho normalmente exclui crescimento na intimidade.Essa é a razão mais forte a favorda multiplicaçãointimidade.Essa é a razão mais forte a favorda multiplicação Quando o PGQuando o PG deve serdeve ser DivididoDividido MENUMENU TEMASTEMAS
  24. 24. VantagensVantagens • A liderança Pastoral pode planejarmais concretamenteA liderança Pastoral pode planejarmais concretamente comrelação a alvos futuroscomrelação a alvos futuros • Otreinamento dos novos líderes pode ocorrerao mesmoOtreinamento dos novos líderes pode ocorrerao mesmo tempo na igrejatempo na igreja • OPastorpode aproveitar melhoro seu tempoOPastorpode aproveitar melhoro seu tempo • PG que começamtodos juntos recebemapoio tremendoPG que começamtodos juntos recebemapoio tremendo e isso faz comque os grupos mais fracos se sintammaise isso faz comque os grupos mais fracos se sintammais seguros.seguros. O PG se Mult iplica ao mesmoO PG se Mult iplica ao mesmo t empo e normalment e em umat empo e normalment e em uma dat a pré - det erminada cadadat a pré - det erminada cada ano.ano. MENUMENU TEMASTEMAS
  25. 25. • Donald Mc. Grave diz: Crescimento de Igreja é:Donald Mc. Grave diz: Crescimento de Igreja é: fisgaro peixe ( evangelismo ) e não deixa-lofisgaro peixe ( evangelismo ) e não deixa-lo EscaparEscapar (discipulado )(discipulado ) • Não há ummodo ou ummétodo correto eNão há ummodo ou ummétodo correto e definitivo para multiplicarOPGdefinitivo para multiplicarOPG • Modo ou método correto é aquele que edifica osModo ou método correto é aquele que edifica os santos e atrai não cristãos para o seu Grupo.santos e atrai não cristãos para o seu Grupo. Como o Seu PG PodeComo o Seu PG Pode Crescer eCrescer e Mult iplicarMult iplicar MENUMENU TEMASTEMAS
  26. 26. MENUMENU TEMASTEMAS
  27. 27. ““Convocai uma Assembléia Solene, congregai osConvocai uma Assembléia Solene, congregai os anciãos, todos os moradores da terra, para a Casaanciãos, todos os moradores da terra, para a Casa do Senhor”.do Senhor”. ““Tocai a trombeta em Sião, promulgai um santoTocai a trombeta em Sião, promulgai um santo jejum… Congregai o povo, santificai ajejum… Congregai o povo, santificai a congregação, ajuntai os anciãos, reuni oscongregação, ajuntai os anciãos, reuni os filhinhos e os que mamam”. Joel, 1:14; 2:15,16.filhinhos e os que mamam”. Joel, 1:14; 2:15,16. MENUMENU TEMASTEMAS
  28. 28. O que é uma Assembléia de PGO que é uma Assembléia de PG Assembléias de Pequenos Grupos são reuniõesAssembléias de Pequenos Grupos são reuniões solenes e festivas, nas quais toda a igreja comparecesolenes e festivas, nas quais toda a igreja comparece comespírito de adoração e de santa alegria. É dia decomespírito de adoração e de santa alegria. É dia de santa convocação. É festa ao Senhor. Cada membrosanta convocação. É festa ao Senhor. Cada membro vemà presença de Deus, levando seus convidados evemà presença de Deus, levando seus convidados e juntando-se ao seu Pequeno Grupo.juntando-se ao seu Pequeno Grupo. Estas Assembléias podemacontecerEstas Assembléias podemacontecer mensal, bimestral ou trimestralmente,mensal, bimestral ou trimestralmente, conforme a programação da igreja.conforme a programação da igreja. MENUMENU TEMASTEMAS
  29. 29. • Nesse dia a igreja deve estarpreparada como para uma grande festa Festa ao Senhor. Faixas, cartazes, flores, convidados e batismos. • Os assentos devemestararranjados de forma que cada Pequeno Grupo tenha o seu lugarreservado, e se assentemjuntos, como na Escola Sabatina. • Omelhorque a igreja, ou o distrito tiver, emmúsica, emorganização, emapresentação, deve sercolocado à disposição do Programa. • Para que nada ameace o desempenho e os objetivos da programação, as Assembléias devem serplanejadas de tal forma a prever:  Saídas de grupos musicais;  Programas concorrentes;  Reuniões paralelas.  Em caso de inevitável conflito, recomenda-se sua realização emoutra data.  Tudo coma devida antecedência. MENUMENU TEMASTEMAS
  30. 30. Fat ores de Sucesso de UmaFat ores de Sucesso de Uma Assembléia de PGAssembléia de PG O sucesso de uma Assembléia de Pequenos Grupos dependeO sucesso de uma Assembléia de Pequenos Grupos depende da convergência de vários fatores. Alguns bem óbvios como:da convergência de vários fatores. Alguns bem óbvios como: •PrevisãoPrevisão •OrganizaçãoOrganização •Execução.Execução. Outros fatores menos previsíveis, que são:Outros fatores menos previsíveis, que são: •LíderLíder •DivulgaçãoDivulgação •ProgramaçãoProgramação •E, umfatoropcional, porém, nãoE, umfatoropcional, porém, não MENUMENU TEMASTEMAS
  31. 31. LíderLíder O Líderé responsável porinformare criarumaO Líderé responsável porinformare criaruma saudável expectativa quanto à realização dasaudável expectativa quanto à realização da Assembléia. Ele deve confirmarna véspera, e mesmoAssembléia. Ele deve confirmarna véspera, e mesmo no dia, a presença de todos; bem como conferirsuasno dia, a presença de todos; bem como conferirsuas presenças na programação. Recomenda-se quepresenças na programação. Recomenda-se que o Lídercrie incentivos para que oso Lídercrie incentivos para que os membros levemseus convidados.membros levemseus convidados. MENUMENU TEMASTEMAS
  32. 32. DivulgaçãoDivulgação ·· A Assembléia de Pequenos Grupos é uma festa espiritual e,A Assembléia de Pequenos Grupos é uma festa espiritual e, como tal, precisa de uma divulgação à altura. Uma Assembléia nãocomo tal, precisa de uma divulgação à altura. Uma Assembléia não poderá ocorrersemque todos os membros da igreja saibamo dia e apoderá ocorrersemque todos os membros da igreja saibamo dia e a hora de seu acontecimento, coma devida antecedência, parahora de seu acontecimento, coma devida antecedência, para programarsua presença juntamente comseu Pequeno Grupo e seusprogramarsua presença juntamente comseu Pequeno Grupo e seus convidados especiais.convidados especiais. É uma grande oportunidade para aqueles membros que temÉ uma grande oportunidade para aqueles membros que tem dificuldades para testemunhar, realizaro seu trabalho de ganhardificuldades para testemunhar, realizaro seu trabalho de ganhar almas, pois, levando seus convidados a umaalmas, pois, levando seus convidados a uma programação tão alegre, festiva e, ao mesmoprogramação tão alegre, festiva e, ao mesmo tempo espiritual, abre-se a porta para contatostempo espiritual, abre-se a porta para contatos diretos a respeito de sua fé.diretos a respeito de sua fé. MENUMENU TEMASTEMAS
  33. 33. ProgramaçãoProgramação Uma Assembléia de Pequenos Grupos deve terUma Assembléia de Pequenos Grupos deve ter na programação o seu ponto alto. Preparada comana programação o seu ponto alto. Preparada coma devida antecedência, criará umclima de expectativa edevida antecedência, criará umclima de expectativa e proporcionará o envolvimento de maiornúmero deproporcionará o envolvimento de maiornúmero de pessoas. Evitam-se aquelas improvisações quepessoas. Evitam-se aquelas improvisações que enfraquecema proposta e o objetivoenfraquecema proposta e o objetivo da Assembléia e comprometemda Assembléia e comprometem seus resultados.seus resultados. MENUMENU TEMASTEMAS
  34. 34. HorárioHorário A Assembléia deve serrealizada rigorosamente noA Assembléia deve serrealizada rigorosamente no horário programado, de tal maneira que a igreja sejahorário programado, de tal maneira que a igreja seja educada a estarpresente e esperando o início doeducada a estarpresente e esperando o início do programa, que deve terminarno horário previsto.programa, que deve terminarno horário previsto. Oprograma deve serrealizadoOprograma deve serrealizado em uma hora e meia a duas horas, no máximo.em uma hora e meia a duas horas, no máximo. Em caso de grandes batismosEm caso de grandes batismos a programação deve seradaptada.a programação deve seradaptada. MENUMENU TEMASTEMAS
  35. 35. AberturaAbertura Oprograma sugere uma abertura solene, comumOprograma sugere uma abertura solene, comum grupo representativo na plataforma. Deve serrealizadagrupo representativo na plataforma. Deve serrealizada rigorosamente no horário programado, de tal maneirarigorosamente no horário programado, de tal maneira que a igreja esteja esperando e se prepare para começar.que a igreja esteja esperando e se prepare para começar. É ummomento emque a igreja deveÉ ummomento emque a igreja deve serimpressionada. A Assembléia deveserimpressionada. A Assembléia deve serforte desde o início.serforte desde o início. MENUMENU TEMASTEMAS
  36. 36. Estas são algumas sugestões deEstas são algumas sugestões de abertura:abertura: 1.1. Entrada dos desbravadores combandeiras.Entrada dos desbravadores combandeiras. 2.2. Entrada dos Líderes com símbolos do seu respectivoEntrada dos Líderes com símbolos do seu respectivo Pequeno Grupo.Pequeno Grupo. 3.3. Abertura cominstrumentos musicais, como umtrioAbertura cominstrumentos musicais, como umtrio de trompetes tocando umhino de arrebatamento.de trompetes tocando umhino de arrebatamento. 4.4. Entrada do Pastor, líderes de Pequenos Grupos eEntrada do Pastor, líderes de Pequenos Grupos e convidados pela porta da frente, combinandoconvidados pela porta da frente, combinando comumgrupo cantando, ou umfortecomumgrupo cantando, ou umforte hino cantado pela congregação.hino cantado pela congregação. 5.5. Umgrupo musical, ou outro convidadoUmgrupo musical, ou outro convidado para o louvorespecial, abre apara o louvorespecial, abre a programação cantando alguns hinos.programação cantando alguns hinos. MENUMENU TEMASTEMAS
  37. 37. LouvorLouvor 1.1. Logo após a abertura, entra o grupo de louvor,Logo após a abertura, entra o grupo de louvor, devidamente ensaiado e com as músicas já previamentedevidamente ensaiado e com as músicas já previamente combinadas.combinadas. 2.2. Os músicos devemserconvidados comantecedência, e aOs músicos devemserconvidados comantecedência, e a eles dadas as músicas que serão utilizadas.eles dadas as músicas que serão utilizadas. 3.3. Olouvordeve criarumsentimento de bem-estarnaOlouvordeve criarumsentimento de bem-estarna congregação e a consciência de que se encontra nacongregação e a consciência de que se encontra na presença de Deus.presença de Deus. 4.4. É indispensável o preparo de umaÉ indispensável o preparo de uma coletânea com as músicas que serãocoletânea com as músicas que serão cantadas, bemcomo a programaçãocantadas, bemcomo a programação da Assembléia.da Assembléia. MENUMENU TEMASTEMAS
  38. 38. BatismoBatismo 1.1. Emtodas as Assembléias de Pequenos Grupos deve acontecerEmtodas as Assembléias de Pequenos Grupos deve acontecer batismo, mesmo que seja de uma só pessoa. Isso favorece obatismo, mesmo que seja de uma só pessoa. Isso favorece o apelo aos convidados para que aceitemJesus como seuapelo aos convidados para que aceitemJesus como seu Salvador.Salvador. 2.2. O apelo deve serdireto, mas não deve criarconstrangimentos,O apelo deve serdireto, mas não deve criarconstrangimentos, pois algumas pessoas estão ali pela primeira vez e não sabempois algumas pessoas estão ali pela primeira vez e não sabem que atitude tomar.que atitude tomar. 3.3. Daí sermuito importante que o convidadoDaí sermuito importante que o convidado esteja sentado ao lado da pessoa que oesteja sentado ao lado da pessoa que o convidou, para se sentirmais seguro econvidou, para se sentirmais seguro e favorecerao membro ajudarseu convidadofavorecerao membro ajudarseu convidado na decisão.na decisão. 4.4. Emcaso de grandes batismos devemEmcaso de grandes batismos devem serfeitos arranjos especiais.serfeitos arranjos especiais. MENUMENU TEMASTEMAS
  39. 39. TestemunhoTestemunho 1.1. As pessoas que forambatizadas são convidadas à frenteAs pessoas que forambatizadas são convidadas à frente para recebero seu certificado.para recebero seu certificado. 2.2. Deve serdada a elas a oportunidade de escolherquemDeve serdada a elas a oportunidade de escolherquem gostaria que lhe entregasse o certificado.gostaria que lhe entregasse o certificado. 3.3. Em seguida, o Pequeno Grupo ao qualEm seguida, o Pequeno Grupo ao qual o recém-batizado pertence, ou irá pertencer,o recém-batizado pertence, ou irá pertencer, é convidado a irà frente para dar-lheé convidado a irà frente para dar-lhe as boas-vindas, flores e presentes,as boas-vindas, flores e presentes, e recebero seu mais novo membro.e recebero seu mais novo membro. MENUMENU TEMASTEMAS
  40. 40. DestaquesDestaques 1.1. Algum momento deve serreservado para osAlgum momento deve serreservado para os destaques do programa de Pequeno Grupo.destaques do programa de Pequeno Grupo. 2.2. Apresentaralgum Pequeno Grupo que esteja bemApresentaralgum Pequeno Grupo que esteja bem emalgumquesito para incentivaros demais.emalgumquesito para incentivaros demais. 3.3. Utilizarsempre o positivo paraUtilizarsempre o positivo para promovero positivo.promovero positivo. 4.4. É importante dardestaque àsÉ importante dardestaque às lideranças e aos próprioslideranças e aos próprios Pequenos Grupos.Pequenos Grupos. MENUMENU TEMASTEMAS
  41. 41. MensagemMensagem 1.1. Uma poderosa mensagemdeveria sero clímax de uma AssembléiaUma poderosa mensagemdeveria sero clímax de uma Assembléia de Pequenos Grupos.de Pequenos Grupos. 2.2. Uma mensagem ungida pelo óleo sagrado do Espírito Santo, deveUma mensagem ungida pelo óleo sagrado do Espírito Santo, deve ser pregada, coma solene responsabilidade de levara congregaçãoser pregada, coma solene responsabilidade de levara congregação a uma entrega total e irrestrita de sua vida a Deus e a umrenovadoa uma entrega total e irrestrita de sua vida a Deus e a umrenovado compromisso comsua missão.compromisso comsua missão. 3.3. Opovo deve voltarpara casa levando a claraOpovo deve voltarpara casa levando a clara sensação de que esteve na presença de Deussensação de que esteve na presença de Deus e que atenderá a convocação dae que atenderá a convocação da próxima Assembléia.próxima Assembléia. 4.4. Umlindo e empolgante hino, cantado porUmlindo e empolgante hino, cantado por convidados ou pela congregação, deveconvidados ou pela congregação, deve completaro apelo do momento.completaro apelo do momento. MENUMENU TEMASTEMAS
  42. 42. AtraçãoAtração É interessante que as Assembléias contemcom participaçõesÉ interessante que as Assembléias contemcom participações que enriqueçamsua programação. É o caso de umcantor, umgrupoque enriqueçamsua programação. É o caso de umcantor, umgrupo musical, ou pregador; ou outros convidados, desde quemusical, ou pregador; ou outros convidados, desde que comprometido comos Pequenos Grupos. Essa atração, porém, nãocomprometido comos Pequenos Grupos. Essa atração, porém, não deve desequilibrara programação e comprometeros objetivos dadeve desequilibrara programação e comprometeros objetivos da Assembléia.Assembléia. Umconvidado pode contribuirexecutandoUmconvidado pode contribuirexecutando sua parte dentro do programa, conforme o estabelecido.sua parte dentro do programa, conforme o estabelecido. A pessoa mais importante emuma AssembléiaA pessoa mais importante emuma Assembléia de Pequenos Grupos é o Espírito Santo. Ele é ode Pequenos Grupos é o Espírito Santo. Ele é o responsável pornos levarao nosso Salvadorresponsável pornos levarao nosso Salvador Jesus Cristo.Jesus Cristo. MENUMENU TEMASTEMAS
  43. 43. OraçãoOração É essencialmente importante que o pastor,É essencialmente importante que o pastor, anciãos e líderes se ocupemcom a oração.anciãos e líderes se ocupemcom a oração. Há muito o que fazerpara uma linda eHá muito o que fazerpara uma linda e empolgante e poderosa Assembléia, mas a oração nãoempolgante e poderosa Assembléia, mas a oração não pode sernegligenciada.pode sernegligenciada. Na hora da Assembléia,Na hora da Assembléia, o pastordeve estartranqüilo e sereno,o pastordeve estartranqüilo e sereno, com todas as tarefas distribuídas entrecom todas as tarefas distribuídas entre sua liderança, e ele coordenandosua liderança, e ele coordenando apenas com o olhar.apenas com o olhar. MENUMENU TEMASTEMAS
  44. 44. FinalFinal O final da programação deve sersolene eO final da programação deve sersolene e festivo ao mesmo tempo.festivo ao mesmo tempo. O pastore os convidados devem estarà saídaO pastore os convidados devem estarà saída para se despedirdos irmãos.para se despedirdos irmãos. Enquanto a igreja sai, o grupoEnquanto a igreja sai, o grupo musical responsável pelo louvordevemusical responsável pelo louvordeve continuarcantando.continuarcantando. MENUMENU TEMASTEMAS
  45. 45. MENUMENU TEMASTEMAS
  46. 46. Quemé que gosta de servigiado e que lhe digamQuemé que gosta de servigiado e que lhe digam o que está fazendo de errado? Muitas vezes escutamoso que está fazendo de errado? Muitas vezes escutamos este comentário quando se trata de avaliação. A própriaeste comentário quando se trata de avaliação. A própria palavra nos põe tensos.palavra nos põe tensos. Não vamos nos deternas razõesNão vamos nos deternas razões queque nos levarama tereste conceito tãonos levarama tereste conceito tão pobre e estreito, mas opobre e estreito, mas o importante éimportante é que nos dediquemos aque nos dediquemos a analisartodasanalisartodas as dimensões daas dimensões da avaliação.avaliação. MENUMENU TEMASTEMAS
  47. 47. A ju d a a m e l h o r a r a s r e a li z a ç õ e s e d ir e c i o n a r a s a t it u d e s e m t e m p o . M o s t r a a s m u d a n ç a s q u e e s t ã o o c o r r e n d o n o s p a r t ic ip a n t e s . P e r m i t e - n o s d e s c o b r ir a s c o is a s b o a s e a c e r t a d a s q u e e s t ã o s e n d o r e a li z a d a s . I n d ic a o q u e d e f in i t i v a m e n t e n ã o e s t á f u n c io n a n d o e q u e d e v e s e r d e s c a r t a d o o u m o d if ic a d o . A v a l i a ç ã o MENUMENU TEMASTEMAS
  48. 48. OS TRÊS MOMENTOS-OS TRÊS MOMENTOS- CHAVESCHAVES ANTES:ANTES: Oque vamos avaliarantes de começaras atividades doOque vamos avaliarantes de começaras atividades do projeto? Vamos avaliarqual é a condição inicial dosprojeto? Vamos avaliarqual é a condição inicial dos participantesparticipantes ou da situação a que se querou da situação a que se quer atender.atender. Esta avaliação permitirá comparar,Esta avaliação permitirá comparar, durantedurante o processo e no seu final, seo processo e no seu final, se houve algumahouve alguma transformação na situação outransformação na situação ou condiçãocondição que se apresentava no início. Seque se apresentava no início. Se não fornão for feita esta avaliação, não haveráfeita esta avaliação, não haverá MENUMENU TEMASTEMAS
  49. 49. DURANTE:DURANTE: A avaliação precisa serpermanente, ou seja, sempre queA avaliação precisa serpermanente, ou seja, sempre que se termina uma parte ou uma atividade. Desta forma, osse termina uma parte ou uma atividade. Desta forma, os ajustes ou modificações são feitos durante o processo,ajustes ou modificações são feitos durante o processo, dede modo que não chegue ao finalmodo que não chegue ao final apresentando resultados dos quaisapresentando resultados dos quais nos lamentemos, e quenos lamentemos, e que poderiam terpoderiam ter sido evitados sesido evitados se houvesse umahouvesse uma intervenção aintervenção a tempo. Esta é a razãotempo. Esta é a razão fundamental dafundamental da avaliação contínua.avaliação contínua. MENUMENU TEMASTEMAS
  50. 50. DEPOIS:DEPOIS: Após o término do projeto, realiza-se uma avaliaçãoApós o término do projeto, realiza-se uma avaliação total que demonstrará quanto o projeto produziu e quetotal que demonstrará quanto o projeto produziu e que transformações efetivas ocorreramoutransformações efetivas ocorreramou não. Deve-senão. Deve-se contar,contar, para este fim, comaspara este fim, comas avaliaçõesavaliações realizadasrealizadas previamente.previamente. Todas as avaliações devemserTodas as avaliações devemser documentadas, pois servirãodocumentadas, pois servirão para difundiro alcance dopara difundiro alcance do projeto e,projeto e, dessa forma,dessa forma, incentivaroutras equipesincentivaroutras equipes a sea se empenharememsemelhanteempenharememsemelhante MENUMENU TEMASTEMAS
  51. 51. UMA VISÃO COMPLETA: MATERIAL 11 Folhas para Oficina de Trabalho AntesAntes DuranteDurante DepoisDepois MENUMENU TEMASTEMAS
  52. 52. Vantagens de uma boa avaliaçãoVantagens de uma boa avaliação • Detecta a falha semlançaremrosto.Detecta a falha semlançaremrosto. • Cria umclima de transparência e confiança mútua.Cria umclima de transparência e confiança mútua. • Favorece a sinceridade e o respeito.Favorece a sinceridade e o respeito. • Reflete a realidade, evitando dados incorretos ou inventados.Reflete a realidade, evitando dados incorretos ou inventados. • Fomenta a solidariedade entre os membros da equipe.Fomenta a solidariedade entre os membros da equipe. • Serve de modelo para futuros projetos.Serve de modelo para futuros projetos. Escreva outras duas vantagens:Escreva outras duas vantagens: MENUMENU TEMASTEMAS

×