SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 36
1914,
ano em quefoi publicado este álbum
Em 1914, ano em que foi publicado este álbum, o transporte
das pipas de vinho do Porto era feito em carros de bois.
Porto - Rua dos Clérigos
Porto - Praça da Ribeira
Carregamento de vinho em Gaia
Nessa época os navios entravam ainda no rio Douro para
carregarem, na zona ribeirinha de Gaia, pipas de vinho.
Panorama do Porto
Vista da Barra
Foz do rio Douro e vista parcial de Massarelos
Porto de Leixões - Construído na foz do rio Leça. Foi lançada a
primeira pedra em 1884, por proposta do ministro Hintze Ribeiro e
aprovação de Fontes Pereira de Melo. Foi ampliado em 1962 e
1970.
Sé do Porto - Iniciou-se a construção no 2º quartel do século Xll,
no tempo da rainha D. Tereza. - Estilo românico. Sofreu, no
correr dos séculos, várias modificações. A galilé que se vê
na foto é de autoria de Nasoni (1736)
Ponte de D. Luís - Projectada por Teófilo Seyrig. Inaugurada a
31-10-1886. Foi benzida pelo Cardeal D. Américo.
Ponte de D. Luís – Carregamento de vinho
Porto - Ponte de D. Luís
Torre dos Clérigos - Projectada por Nicolau Nasoni (italiano).
A igreja foi aberta ao culto a 28-07-1748. A torre é considerada
das mais belas da Europa. Tem 75 m de altura.
Jardim da Cordoaria - Construído em 1866 por proposta do
Visconde de Villar de Allen.
O projecto é de Emílio David (francês).
A burguesia portuense, após a inauguração, passou a
frequentá-lo, abandonando o Jardim de S. Lázaro.
Palácio de Cristal. Construído à semelhança do de Londres.
Inaugurado a 18-09-1865. Destruído em 1951, para dar lugar ao
Pavilhão dos Desportos.
Nave Central do Palácio de Cristal, onde se realizaram notáveis
exposições.
Gruta - Local romântico do extinto Palácio de Cristal, muito
frequentado pelos namorados no final do século XlX., hoje
destruída.
Aspecto do Mercado dos Anjos. Destruído para dar lugar à Praça
de Lisboa. Hoje é um Cento Comercial.
Aspecto do Mercado dos Anjos. Destruído para dar lugar à Praça
de Lisboa. Hoje é um Centro Comercial.
Praça da Batalha. Estátua de D. Pedro V. Inaugurada a
27-01-1866, de autoria de Teixeira Lopes (Pai).
Praça de D. Pedro – Estátua de Anotole Calmels, inaugurada a
19-10-1866.
Porto – Praça da Batalha
Igreja da Lapa – Planta do arquitecto José Figueiredo Seixas.
Sofreu alterações ao longo da construção.
Rua de Santo António em 1914
Hospital de Santo António. Actualmente remodelado e aumentado
Porto – Largo e Capela de Fradelos
Foz. Entrada do rio Douro.
Oficina de caixotaria da Casa Constantino d’Almeida. O vinho do
Porto, em garrafa, para exportação, era embalado em caixas de
madeira.
Interior do Armazém - 1ª Nave (Caves Constantino d’Almeida)
Secção de engarrafamento dos vinhos de Constantino d’ Almeida.
Note-se o trajo das operárias: a saia até aos pés das garrafeiras
do início do séc. XX.
Secção de engarrafamento dos vinhos de Constantino d’ Almeida.
Note-se o trajo das operárias: a saia até aos pés das garrafeiras
do início do séc. XX.
Engarrafadeira. Ano de 1914
Porto 1914

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Porto 1914
Porto 1914Porto 1914
Porto 1914cab3032
 
Cidade do Porto
Cidade do PortoCidade do Porto
Cidade do PortoBiaEsteves
 
Cidade do Porto-Portugal
Cidade do Porto-PortugalCidade do Porto-Portugal
Cidade do Porto-PortugalBiaEsteves
 
Arquitetura em ferro palácio de cristal
Arquitetura em ferro   palácio de cristalArquitetura em ferro   palácio de cristal
Arquitetura em ferro palácio de cristalTomsRodrigues15
 
Porto ontem e hoje bach
Porto ontem e hoje   bachPorto ontem e hoje   bach
Porto ontem e hoje bachPaula Andrade
 
Roteiro da Cidade do Porto
Roteiro da Cidade do PortoRoteiro da Cidade do Porto
Roteiro da Cidade do PortoRicardo Cruz
 
Cidade do Porto
Cidade do PortoCidade do Porto
Cidade do PortoBiaEsteves
 
A cidade do porto
A cidade do portoA cidade do porto
A cidade do portoSofia Pinto
 
Turismo no Porto
Turismo no PortoTurismo no Porto
Turismo no Portokyzinha
 
Retratos portugueses cm1
Retratos portugueses cm1Retratos portugueses cm1
Retratos portugueses cm1Isabel DA COSTA
 
Ô GLÓRIA! – HISTÓRIA, CULTURA, BOEMIA E PAISAGENS (PARTE 1) _ O CLUSTER
Ô GLÓRIA! – HISTÓRIA, CULTURA, BOEMIA E PAISAGENS (PARTE 1) _ O CLUSTERÔ GLÓRIA! – HISTÓRIA, CULTURA, BOEMIA E PAISAGENS (PARTE 1) _ O CLUSTER
Ô GLÓRIA! – HISTÓRIA, CULTURA, BOEMIA E PAISAGENS (PARTE 1) _ O CLUSTERMaria Claudia Pompeo
 
Tiat- Lisboa Patrimonio
Tiat- Lisboa PatrimonioTiat- Lisboa Patrimonio
Tiat- Lisboa PatrimonioArtur Cristo
 

Mais procurados (18)

Porto 1914
Porto 1914Porto 1914
Porto 1914
 
Cidade do Porto
Cidade do PortoCidade do Porto
Cidade do Porto
 
História do Porto Os miradouros da cidade do Porto - Artur Filipe dos Santos ...
História do Porto Os miradouros da cidade do Porto - Artur Filipe dos Santos ...História do Porto Os miradouros da cidade do Porto - Artur Filipe dos Santos ...
História do Porto Os miradouros da cidade do Porto - Artur Filipe dos Santos ...
 
Cidade do Porto-Portugal
Cidade do Porto-PortugalCidade do Porto-Portugal
Cidade do Porto-Portugal
 
Arquitetura em ferro palácio de cristal
Arquitetura em ferro   palácio de cristalArquitetura em ferro   palácio de cristal
Arquitetura em ferro palácio de cristal
 
Porto ontem e hoje bach
Porto ontem e hoje   bachPorto ontem e hoje   bach
Porto ontem e hoje bach
 
Monumentos
MonumentosMonumentos
Monumentos
 
Roteiro da Cidade do Porto
Roteiro da Cidade do PortoRoteiro da Cidade do Porto
Roteiro da Cidade do Porto
 
Cidade do Porto
Cidade do PortoCidade do Porto
Cidade do Porto
 
A cidade do porto
A cidade do portoA cidade do porto
A cidade do porto
 
Turismo no Porto
Turismo no PortoTurismo no Porto
Turismo no Porto
 
Centro HistóRico Do Porto
Centro HistóRico Do PortoCentro HistóRico Do Porto
Centro HistóRico Do Porto
 
Retratos portugueses cm1
Retratos portugueses cm1Retratos portugueses cm1
Retratos portugueses cm1
 
S-T-C-6
S-T-C-6S-T-C-6
S-T-C-6
 
Ô GLÓRIA! – HISTÓRIA, CULTURA, BOEMIA E PAISAGENS (PARTE 1) _ O CLUSTER
Ô GLÓRIA! – HISTÓRIA, CULTURA, BOEMIA E PAISAGENS (PARTE 1) _ O CLUSTERÔ GLÓRIA! – HISTÓRIA, CULTURA, BOEMIA E PAISAGENS (PARTE 1) _ O CLUSTER
Ô GLÓRIA! – HISTÓRIA, CULTURA, BOEMIA E PAISAGENS (PARTE 1) _ O CLUSTER
 
História da cidade e dos monumentos portuenses capelas do porto Professor D...
História da cidade e dos monumentos portuenses   capelas do porto Professor D...História da cidade e dos monumentos portuenses   capelas do porto Professor D...
História da cidade e dos monumentos portuenses capelas do porto Professor D...
 
Metrô
MetrôMetrô
Metrô
 
Tiat- Lisboa Patrimonio
Tiat- Lisboa PatrimonioTiat- Lisboa Patrimonio
Tiat- Lisboa Patrimonio
 

Semelhante a Porto 1914

Porto 1914
Porto 1914Porto 1914
Porto 1914cab3032
 
Cidade do Porto-I
Cidade do Porto-I Cidade do Porto-I
Cidade do Porto-I BiaEsteves
 
Atrativos Turísticos Culturais do Rio de Janeiro bonito (1).pptx
Atrativos Turísticos Culturais do Rio de Janeiro bonito (1).pptxAtrativos Turísticos Culturais do Rio de Janeiro bonito (1).pptx
Atrativos Turísticos Culturais do Rio de Janeiro bonito (1).pptxFaustoBartole1
 
Monumentos de lisboa
Monumentos de lisboaMonumentos de lisboa
Monumentos de lisboaondinaribeiro
 
Vivendo em São Paulo
Vivendo em São PauloVivendo em São Paulo
Vivendo em São PauloYasmin Rópa
 
Urabanismo mobilidadedr23
Urabanismo mobilidadedr23Urabanismo mobilidadedr23
Urabanismo mobilidadedr23MSamagaio
 
Universidade Sénior contemporânea - História do Porto Rua do Almada - Artur ^...
Universidade Sénior contemporânea - História do Porto Rua do Almada - Artur ^...Universidade Sénior contemporânea - História do Porto Rua do Almada - Artur ^...
Universidade Sénior contemporânea - História do Porto Rua do Almada - Artur ^...Universidade Sénior Contemporânea do Porto
 
à Procura de um porto desaparecio (ad)
à Procura de um porto desaparecio   (ad)à Procura de um porto desaparecio   (ad)
à Procura de um porto desaparecio (ad)jmpcard
 
O Rio de Janeiro que queria ser Paris
O Rio de Janeiro que queria ser ParisO Rio de Janeiro que queria ser Paris
O Rio de Janeiro que queria ser ParisLuiz Carlos Dias
 
Monumentos de Londres
Monumentos de LondresMonumentos de Londres
Monumentos de LondresLuisMagina
 
Construções no século XVIII
Construções no século XVIIIConstruções no século XVIII
Construções no século XVIIItomastormenta
 
Rio de Janeiro - O Rio que queria ser Paris
Rio de Janeiro - O Rio que queria ser ParisRio de Janeiro - O Rio que queria ser Paris
Rio de Janeiro - O Rio que queria ser ParisLuiz Dias
 

Semelhante a Porto 1914 (20)

Porto 1914
Porto 1914Porto 1914
Porto 1914
 
Cidade do Porto-I
Cidade do Porto-I Cidade do Porto-I
Cidade do Porto-I
 
Atrativos Turísticos Culturais do Rio de Janeiro bonito (1).pptx
Atrativos Turísticos Culturais do Rio de Janeiro bonito (1).pptxAtrativos Turísticos Culturais do Rio de Janeiro bonito (1).pptx
Atrativos Turísticos Culturais do Rio de Janeiro bonito (1).pptx
 
Zona sul 2
Zona sul 2Zona sul 2
Zona sul 2
 
O%20 porto%20à%20100%20anos 6,11[1]
O%20 porto%20à%20100%20anos 6,11[1]O%20 porto%20à%20100%20anos 6,11[1]
O%20 porto%20à%20100%20anos 6,11[1]
 
Arquitetura do Ferro
Arquitetura do FerroArquitetura do Ferro
Arquitetura do Ferro
 
Monumentos de lisboa
Monumentos de lisboaMonumentos de lisboa
Monumentos de lisboa
 
Monumentos de lisboa
Monumentos de lisboaMonumentos de lisboa
Monumentos de lisboa
 
Vivendo em São Paulo
Vivendo em São PauloVivendo em São Paulo
Vivendo em São Paulo
 
Porto%20 há%20cem%20anos 10[2]
Porto%20 há%20cem%20anos 10[2]Porto%20 há%20cem%20anos 10[2]
Porto%20 há%20cem%20anos 10[2]
 
Património Cultural
Património CulturalPatrimónio Cultural
Património Cultural
 
Urabanismo mobilidadedr23
Urabanismo mobilidadedr23Urabanismo mobilidadedr23
Urabanismo mobilidadedr23
 
Universidade Sénior contemporânea - História do Porto Rua do Almada - Artur ^...
Universidade Sénior contemporânea - História do Porto Rua do Almada - Artur ^...Universidade Sénior contemporânea - História do Porto Rua do Almada - Artur ^...
Universidade Sénior contemporânea - História do Porto Rua do Almada - Artur ^...
 
à Procura de um porto desaparecio (ad)
à Procura de um porto desaparecio   (ad)à Procura de um porto desaparecio   (ad)
à Procura de um porto desaparecio (ad)
 
O rio que queria ser paris
O rio que queria ser parisO rio que queria ser paris
O rio que queria ser paris
 
O Rio de Janeiro que queria ser Paris
O Rio de Janeiro que queria ser ParisO Rio de Janeiro que queria ser Paris
O Rio de Janeiro que queria ser Paris
 
Monumentos de Londres
Monumentos de LondresMonumentos de Londres
Monumentos de Londres
 
Recife antigo l
Recife antigo lRecife antigo l
Recife antigo l
 
Construções no século XVIII
Construções no século XVIIIConstruções no século XVIII
Construções no século XVIII
 
Rio de Janeiro - O Rio que queria ser Paris
Rio de Janeiro - O Rio que queria ser ParisRio de Janeiro - O Rio que queria ser Paris
Rio de Janeiro - O Rio que queria ser Paris
 

Último

Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarIedaGoethe
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.keislayyovera123
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 

Último (20)

Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 

Porto 1914

  • 1. 1914, ano em quefoi publicado este álbum
  • 2. Em 1914, ano em que foi publicado este álbum, o transporte das pipas de vinho do Porto era feito em carros de bois.
  • 3. Porto - Rua dos Clérigos
  • 4. Porto - Praça da Ribeira
  • 6. Nessa época os navios entravam ainda no rio Douro para carregarem, na zona ribeirinha de Gaia, pipas de vinho.
  • 9. Foz do rio Douro e vista parcial de Massarelos
  • 10. Porto de Leixões - Construído na foz do rio Leça. Foi lançada a primeira pedra em 1884, por proposta do ministro Hintze Ribeiro e aprovação de Fontes Pereira de Melo. Foi ampliado em 1962 e 1970.
  • 11. Sé do Porto - Iniciou-se a construção no 2º quartel do século Xll, no tempo da rainha D. Tereza. - Estilo românico. Sofreu, no correr dos séculos, várias modificações. A galilé que se vê na foto é de autoria de Nasoni (1736)
  • 12. Ponte de D. Luís - Projectada por Teófilo Seyrig. Inaugurada a 31-10-1886. Foi benzida pelo Cardeal D. Américo.
  • 13. Ponte de D. Luís – Carregamento de vinho
  • 14. Porto - Ponte de D. Luís
  • 15. Torre dos Clérigos - Projectada por Nicolau Nasoni (italiano). A igreja foi aberta ao culto a 28-07-1748. A torre é considerada das mais belas da Europa. Tem 75 m de altura.
  • 16. Jardim da Cordoaria - Construído em 1866 por proposta do Visconde de Villar de Allen. O projecto é de Emílio David (francês). A burguesia portuense, após a inauguração, passou a frequentá-lo, abandonando o Jardim de S. Lázaro.
  • 17. Palácio de Cristal. Construído à semelhança do de Londres. Inaugurado a 18-09-1865. Destruído em 1951, para dar lugar ao Pavilhão dos Desportos.
  • 18. Nave Central do Palácio de Cristal, onde se realizaram notáveis exposições.
  • 19. Gruta - Local romântico do extinto Palácio de Cristal, muito frequentado pelos namorados no final do século XlX., hoje destruída.
  • 20. Aspecto do Mercado dos Anjos. Destruído para dar lugar à Praça de Lisboa. Hoje é um Cento Comercial.
  • 21. Aspecto do Mercado dos Anjos. Destruído para dar lugar à Praça de Lisboa. Hoje é um Centro Comercial.
  • 22. Praça da Batalha. Estátua de D. Pedro V. Inaugurada a 27-01-1866, de autoria de Teixeira Lopes (Pai).
  • 23. Praça de D. Pedro – Estátua de Anotole Calmels, inaugurada a 19-10-1866.
  • 24. Porto – Praça da Batalha
  • 25. Igreja da Lapa – Planta do arquitecto José Figueiredo Seixas. Sofreu alterações ao longo da construção.
  • 26. Rua de Santo António em 1914
  • 27. Hospital de Santo António. Actualmente remodelado e aumentado
  • 28. Porto – Largo e Capela de Fradelos
  • 29. Foz. Entrada do rio Douro.
  • 30.
  • 31. Oficina de caixotaria da Casa Constantino d’Almeida. O vinho do Porto, em garrafa, para exportação, era embalado em caixas de madeira.
  • 32. Interior do Armazém - 1ª Nave (Caves Constantino d’Almeida)
  • 33. Secção de engarrafamento dos vinhos de Constantino d’ Almeida. Note-se o trajo das operárias: a saia até aos pés das garrafeiras do início do séc. XX.
  • 34. Secção de engarrafamento dos vinhos de Constantino d’ Almeida. Note-se o trajo das operárias: a saia até aos pés das garrafeiras do início do séc. XX.