Válida a partir de
edição
ABNT NBR
IEC
NORMA
BRASILEIRA
© IEC 2008 - © ABNT 2010
ICS ISBN 978-85-07-
Número de referência
...
© IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservadosii
ABNT NBR IEC 60079-27:2010
© IEC 2008
Todos os direitos reservad...
© IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados iii
ABNT NBR IEC 60079-27:2010
Sumário Página
PrefácioNacional.......
© IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservadosiv
ABNT NBR IEC 60079-27:2010
Prefácio Nacional
A Associação Brasil...
© IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados v
ABNT NBR IEC 60079-27:2010
NOTE 1 Certification to the FISCO requ...
Exemplarparausoexclusivo-PETROLEOBRASILEIRO-33.000.167/0036-31
Impresso por: PETROBRAS
© IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados 1
NORMA BRASILEIRA ABNT NBR IEC 60079-27:2010
Atmosferas explosiva...
© IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados2
ABNT NBR IEC 60079-27:2010
ABNT NBR IEC 60079-25, Equipamentos el...
© IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados 3
ABNT NBR IEC 60079-27:2010
4.2.2 Requisitos adicionais para font...
© IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados4
ABNT NBR IEC 60079-27:2010
Adicionalmente às seções relevantes da...
© IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados 5
ABNT NBR IEC 60079-27:2010
NOTA 2 Se os componentes capacitivos ...
© IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados6
ABNT NBR IEC 60079-27:2010
John Jones Ltd
SW99 2AJ UK
Tipo: DRG O...
© IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados 7
ABNT NBR IEC 60079-27:2010
- - - - - - - - - - - - - - -
Disposi...
© IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados8
ABNT NBR IEC 60079-27:2010
A categoria de proteção (“ia”, “ib” ou...
© IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados 9
ABNT NBR IEC 60079-27:2010
Anexo A
(informativo)
Sistema típico
...
© IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados10
ABNT NBR IEC 60079-27:2010
Bibliografia
IEC 60050-426, Internatio...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Nbriec60079 27 062010 conceito fieldbus intrinsecamente seguro

193 visualizações

Publicada em

Normas NBR IEC para ambientes de Atmosfera Explosiva

Publicada em: Engenharia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
193
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nbriec60079 27 062010 conceito fieldbus intrinsecamente seguro

  1. 1. Válida a partir de edição ABNT NBR IEC NORMA BRASILEIRA © IEC 2008 - © ABNT 2010 ICS ISBN 978-85-07- Número de referência 10 páginas 60079-27 Segunda 12.05.2010 12.06.2010 Atmosferas explosivas Parte 27: Conceito de Fieldbus intrinsecamente seguro (FISCO) Explosive atmospheres Part 27: Fieldbus intrinsically safe concept (FISCO) 29.260.20 02070-7 ABNT NBR IEC 60079-27:2010 Exemplarparausoexclusivo-PETROLEOBRASILEIRO-33.000.167/0036-31 Impresso por: PETROBRAS
  2. 2. © IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservadosii ABNT NBR IEC 60079-27:2010 © IEC 2008 Todos os direitos reservados. A menos que especificado de outro modo, nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida ou utilizada por qualquer meio, eletrônico ou mecânico, incluindo fotocópia e microfilme, sem permissão por escrito da ABNT, único representante da ISO no território brasileiro. © ABNT 2010 Todos os direitos reservados. A menos que especificado de outro modo, nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida ou utilizada por qualquer meio, eletrônico ou mecânico, incluindo fotocópia e microfilme, sem permissão por escrito da ABNT. ABNT Av.Treze de Maio, 13 - 28º andar 20031-901 - Rio de Janeiro - RJ Tel.: + 55 21 3974-2300 Fax: + 55 21 3974-2346 abnt@abnt.org.br www.abnt.org.br Exemplarparausoexclusivo-PETROLEOBRASILEIRO-33.000.167/0036-31 Impresso por: PETROBRAS
  3. 3. © IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados iii ABNT NBR IEC 60079-27:2010 Sumário Página PrefácioNacional...............................................................................................................................iv 1 Escopo..................................................................................................................................1 2 Referências normativas ......................................................................................................1 3 Termos,definições e abreviações.....................................................................................2 3.1 Termos e definições............................................................................................................2 3.2 Abreviações..........................................................................................................................2 4 Requisitos de equipamentos..............................................................................................2 4.1 Geral......................................................................................................................................2 4.2 Fontes de alimentação FISCO ............................................................................................2 4.2.1 Geral......................................................................................................................................2 4.2.2 Requisitos adicionais para fontes de alimentação FISCO “ia” e “ib...............................3 4.2.3 Requisitos adicionais para fontes de alimentação FISCO “ic”........................................3 4.3 Dispositivos de campo FISCO............................................................................................3 4.3.1 Geral......................................................................................................................................3 4.3.2 Requisitos adicionais para dispositivos de campo FISCO “ia” e “ib” ............................4 4.3.3 Requisito adicional para dispositivos de campo FISCO "ic" ..........................................4 4.4 Terminador ...........................................................................................................................4 4.5 Equipamentossim ples........................................................................................................5 4.6 Marcação ..............................................................................................................................5 4.7 Exemplos de marcação.......................................................................................................5 5 Requisitos de sistema.........................................................................................................7 5.1 Geral......................................................................................................................................7 5.2 Requisitos adicionais para sistemas FISCO “ic”..............................................................8 Anexo A (informativo) Sistema típico..................................................................................................9 Bibliografia ........................................................................................................................................10 Figuras Figura A.1 – Sistema típico.................................................................................................................9 Tabelas Tabela 1 – Avaliação da máxima corrente de saída para utilização com fontes retangulares FISCO “ia”e “ib.................................................................................................................3 Tabela 2 – Avaliação da máxima corrente de saída para utilização com fontes retangulares FISCO “ic”..........................................................................................................................3 Exemplarparausoexclusivo-PETROLEOBRASILEIRO-33.000.167/0036-31 Impresso por: PETROBRAS
  4. 4. © IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservadosiv ABNT NBR IEC 60079-27:2010 Prefácio Nacional A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é o Foro Nacional de Normalização. As Normas Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (ABNT/CB), dos Organismos de Normalização Setorial (ABNT/ONS) e das Comissões de Estudo Especiais (ABNT/CEE), são elaboradas por Comissões de Estudo (CE), formadas por representantes dos setores envolvidos, delas fazendo parte: produtores, consumidores e neutros (universidades, laboratórios e outros). Os Documentos Técnicos ABNT são elaborados conforme as regras das Diretivas ABNT, Parte 2. A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) chama atenção para a possibilidade de que alguns dos elementos deste documento podem ser objeto de direito de patente. A ABNT não deve ser considerada responsável pela identificação de quaisquer direitos de patentes. AABNTNBRIEC60079-27foielaboradanoComitêBrasileirodeEletricidade(ABNT/CB-03),pelaComissão de Estudo de Equipamentos para atmosfera explosiva com tipo de proteção por intrínseca Ex “i”, Sistemas Ex “i”, “Fieldbus” Ex “i” (FISCO) e proteção de equipamentos e sistemas de transmissão utilizando radiação óptica (CE-03:031.04). O Projeto circulou em Consulta Nacional conforme Edital nº 02, de 18.02.2010 a 19.03.2010, com o número de Projeto ABNT NBR IEC 60079-27. Esta Norma é uma adoção idêntica, em conteúdo técnico, estrutura e redação, à IEC 60079-27:2008 (Edição 2.0), que foi elaborada pelo Technical Committee Equipment for Explosive Atmospheres (IEC/TC 31), conforme ISO/IEC Guide 21-1:2005. Esta segunda edição cancela e substitui a edição anterior (ABNT NBR IEC 60079-27:2006), a qual foi tecnicamente revisada. A aplicação desta Norma não dispensa o respeito aos regulamentos de órgãos públicos que os equipamentos, os serviços e as instalações devem satisfazer. Podem ser citadas como exemplos de regulamentos de órgãos públicos as Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e Emprego e as Portarias Ministeriais elaboradas pelo Inmetro contendo o Regulamento de Avaliação da Conformidade (RAC) para equipamentos elétricos para atmosferas explosivas, nas condições de gases e vapores inflamáveis e poeiras combustíveis. O Escopo desta Norma Brasileira em inglês é o seguinte: Scope This part of ABNT NBR IEC 60079 contains the details of apparatus, systems and installation practice for use with the Fieldbus Intrinsically Safe Concept (FISCO). It is based on the concepts of Manchester encoded, bus powered systems designed in accordance with IEC 61158-2 which is the physical layer standard for Fieldbus installations. The constructional and installation requirements of FISCO apparatus and systems are determined by ABNT NBR IEC 60079-11, ABNT NBR IEC 60079-14, and ABNT NBR IEC 60079-25, except as modified by this standard. Part of a Fieldbus device may be protected by any of the methods of explosion protection listed in ABNT NBR IEC 60079-0, appropriate to the zone of intended use. In these circumstances, the requirements of this standard apply only to that part of the apparatus directly connected to the intrinsically safe trunk or spurs. Exemplarparausoexclusivo-PETROLEOBRASILEIRO-33.000.167/0036-31 Impresso por: PETROBRAS
  5. 5. © IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados v ABNT NBR IEC 60079-27:2010 NOTE 1 Certification to the FISCO requirements does not prevent apparatus also being certified and marked to ABNT NBR IEC 60079-11 in the conventional manner so that they may be used in other systems. Some apparatus certified before this standard was published but not necessarily complying with the electrical parameters of this standard may be marked “Suitable for FISCO systems”. This apparatus may be accepted in a FISCO system, if the comparison of the electrical parameters Uo , Io , Po , with Ui , Ii , Pi , demonstrate compatibility with the remainder of the system, and all the other requirements of this standard are met. NOTE 2 A typical system is illustrated in Annex A. NOTE 3 Generally, “ic” FISCO systems are intended for use in zone 2 locations. FISCO systems are predominantly intended for use in zone 1 and 2 locations, but may enter zone 0 locations if specifically permitted to do so by the documentation. NOTE 4 Edition 1 of this standard introduced the FNICO concept to cover the use of Fieldbus concepts in zone 2 utilizing the energy-limited [nL] concept. This standard substitutes the “ic” concept for the energy- limited concept, but permits the continued use of FNICO and nL apparatus. Exemplarparausoexclusivo-PETROLEOBRASILEIRO-33.000.167/0036-31 Impresso por: PETROBRAS
  6. 6. Exemplarparausoexclusivo-PETROLEOBRASILEIRO-33.000.167/0036-31 Impresso por: PETROBRAS
  7. 7. © IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados 1 NORMA BRASILEIRA ABNT NBR IEC 60079-27:2010 Atmosferas explosivas Parte 27: Conceito de Fieldbus intrinsecamente seguro (FISCO) 1 Escopo Esta parte da ABNT NBR IEC 60079 contém detalhes dos equipamentos, sistemas e práticas de instalação para utilização com o conceito de Fieldbus intrinsecamente seguro (FISCO). Esta Norma é baseada em conceitos da codificação Manchester e projetos de sistemas de barramentos alimentados de acordo com a IEC 61158-2, que é a Norma de meio físico para instalações em Fieldbus. Os requisitos de construção e instalação dos equipamentos e sistema FISCO são determinados pelas ABNT NBR IEC 60079-11, ABNT NBR IEC 60079-14 e ABNT NBR IEC 60079-25, exceto quando modificados por esta Norma. Parte do dispositivo Fieldbus pode ser protegida por qualquer tipo de proteção listada na ABNT NBR IEC 60079-0, apropriado para a zona na qual o dispositivo é utilizado. Nestas circunstâncias, os requisitos desta Norma são aplicáveis somente para aquela parte do dispositivo diretamente conectado ao tronco ou derivações intrinsecamente seguras. NOTA 1 A certificação dos requisitos FISCO não elimina a necessidade do equipamento também ser certificado e marcado na maneira convencional, de acordo com a ABNT NBR IEC 60079-11, de forma que podem ser utilizados em outros sistemas. Alguns equipamentos certificados antes desta Norma ser publicada, mas que não necessariamente atendem aos parâmetros elétricos desta Norma podem ser marcados como‘Apropriados para sistema FISCO‘. Estes equipamentos podem ser aceitos em sistema FISCO, se a comparação dos parâmetros elétricos Uo , Io , Po , com Ui , Ii , Pi , demonstrar compatibilidade com o restante do sistema e todos os outros requisitos desta Norma forem atendidos. NOTA 2 Um sistema típico é ilustrado no Anexo A NOTA 3 Geralmente, sistema FISCO “ic” é previsto para uso em zona 2. Sistema FISCO é predominantemente previstoparausoemzonas1e2,maspodeserutilizadoemzona0,seespecificamentepermitidopeladocumentação. NOTA 4 A Edição 1 desta Norma introduziu o conceito FNICO para cobrir o uso de redes de campo em zona 2, utilizando o conceito de limitação de energia [nL]. Esta Norma substitui o conceito “ic” pelo conceito de limitação de energia, mas permite a continuação da utilização de equipamentos FNICO e nL. 2 Referências normativas Os documentos relacionados a seguir são indispensáveis à aplicação deste documento.Para referências datadas, aplicam-se somente as edições citadas. Para referências não datadas, aplicam-se as edições mais recentes do referido documento (incluindo emendas). ABNT NBR IEC 60079-0, Atmosferas explosivas – Parte 0: Equipamentos – Requisitos gerais ABNT NBR IEC 60079-11, Atmosferas explosivas – Parte 11: Proteção de equipamento por segurança intrínseca “i” ABNT NBR IEC 60079-14, Atmosferas explosivas – Parte 14:Projeto, seleção e montagem de instalações elétricas ABNT NBR IEC 60079-15, Equipamentos elétricos para atmosferas explosivas – Parte 15: Construção, ensaio e marcação de equipamentos elétricos com tipo de proteção “n” Exemplarparausoexclusivo-PETROLEOBRASILEIRO-33.000.167/0036-31 Impresso por: PETROBRAS
  8. 8. © IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados2 ABNT NBR IEC 60079-27:2010 ABNT NBR IEC 60079-25, Equipamentos elétricos para atmosferas explosivas – Parte 25: Sistemas Intrinsecamente Seguros IEC 61158-2, Industrial communication networks - Fieldbus specifications – Part 2: Physical layer specification and service definition 3 Termos,definições e abreviações 3.1 Termos e definições Para os efeitos deste documento aplicam-se os termos e definições das ABNT NBR IEC 60079-0 e ABNT NBR IEC 60079-11, e os seguintes: NOTA Definições adicionais aplicáveis a atmosferas explosivas podem ser encontradas na ABNT NBR IEC 60050-426. 3.2 Abreviações FISCO conceito Fieldbus intrinsecamente seguro FNICO conceito Fieldbus não-acendível 4 Requisitos de equipamentos 4.1 Geral Equipamentos devem ser construídos em conformidade com ABNT NBR IEC 60079-11, exceto quando modificado por esta Norma. A documentação do equipamento deve confirmar que cada equipamento é apropriado para a utilização em um sistema FISCO de acordo com esta Norma. 4.2 Fontes de alimentação FISCO 4.2.1 Geral A fonte de alimentação deve ser com limitação resistiva ou ter uma característica de saída trapezoidal ou retangular. A máxima tensão de saída, Uo , não deve ultrapassar 17,5 V nem ser menor que 14 V sob condições especificadas na ABNT NBR IEC 60079-11 para o respectivo nível de proteção. A máxima capacitância interna desprotegida Ci e indutância Li , não deve ser maior que 5 nF e 10 μH, respectivamente. A saída da fonte de alimentação pode ser conectada ao terra. Nenhuma especificação dos parâmetros internos Li e Ci ou máximos parâmetros externos Lo e Co é requerida no certificado e na marcação. A determinação dos parâmetros de saída da fonte de alimentação deve levar em conta a possibilidade de abertura, curto-circuito e aterramento da fiação de campo conectada aos terminais de campo do equipamento. Exemplarparausoexclusivo-PETROLEOBRASILEIRO-33.000.167/0036-31 Impresso por: PETROBRAS
  9. 9. © IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados 3 ABNT NBR IEC 60079-27:2010 4.2.2 Requisitos adicionais para fontes de alimentação FISCO “ia” e “ib A máxima corrente de saída Io para qualquer fonte de alimentação FISCO“ia”ou“ib”deve ser determinada em conformidade com ABNT NBR IEC 60079-11, mas não deve exceder 380 mA.Para fontes retangulares a Tabela 1 pode ser utilizada para avaliação. Tabela 1 – Avaliação da máxima corrente de saída para utilização com fontes retangulares FISCO “ia” e “ib Uo V Corrente permitida, para IIC (incluindo fator de segurança 1,5) mA Corrente permitida, para IIB (incluindo fator de segurança 1,5) mA 14 183 380 15 133 354 16 103 288 17 81 240 17,5 75 213 NOTA Os dois primeiros valores para IIB são derivados de 5,32 W. A potência máxima de saída Po não deve exceder 5,32 W. 4.2.3 Requisitos adicionais para fontes de alimentação FISCO “ic” A máxima corrente de saída Io para uma fonte de alimentação FISCO “ic” deve ser determinada em conformidade com a ABNT NBR IEC 60079-11. Para fontes retangulares FISCO “ic” a Tabela 2 pode ser usada para avaliação. Tabela 2 – Avaliação da máxima corrente de saída para utilização com fontes retangulares FISCO “ic” Uo V Corrente permitida, para IIC mA Corrente permitida, para IIB mA 14 274 570 15 199 531 16 154 432 17 121 360 17,5 112 319 NOTA A máxima potência de saída Po das fontes de alimentação FISCO “ic” não é limitada a 5,32 W. 4.3 Dispositivos de campo FISCO 4.3.1 Geral Estes requisitos se aplicam a outros equipamentos que não sejam fontes de alimentação, terminadores e equipamentos simples conectadas ao barramento intrinsecamente seguro, se instalados dentro ou fora da área classificada. Exemplarparausoexclusivo-PETROLEOBRASILEIRO-33.000.167/0036-31 Impresso por: PETROBRAS
  10. 10. © IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados4 ABNT NBR IEC 60079-27:2010 Adicionalmente às seções relevantes da ABNT NBR IEC 60079-11, terminais portáteis devem atender aos requisitos de terminais de campo. Os requisitos são os seguintes: a) os dispositivos de campo devem ter um parâmetro de tensão de entrada mínimo de Ui : 17,5 V; b) a máxima capacitância interna não protegida Ci de cada dispositivo de campo não deve exceder 5 nF; c) os terminais de barramento devem ser isolados do terra de acordo com a ABNT NBR IEC 60079-11; d) os terminais de barramento dos dispositivos de campo com alimentação separada devem ser isolados galvanicamente de outras fontes em conformidade com a ABNT NBR IEC 60079-11, de forma a assegurar que estes terminais permaneçam passivos, evitando-se múltiplos aterramentos do barramento; e) sob condições normais ou de falha conforme especificado na ABNT NBR IEC 60079-11, os terminais do barramento devem permanecer passivos, ou seja, os terminais não devem ser fonte de energia para o sistema, exceto para uma corrente de fuga máxima de 50 μA; f) aos dispositivos de campo deve ser atribuído um nível de proteção e ser adequado ao grupo IIC em conformidade com ABNT NBR IEC 60079-11. g) dispositivos de campo a serem instalados em áreas classificadas devem ter classe de temperatura em conformidade com a ABNT NBR IEC 60079-11. 4.3.2 Requisitos adicionais para dispositivos de campo FISCO “ia” e “ib” Os requisitos adicionais para dispositivos de campo FISCO “ia” e “ib” são os seguintes: a) os dispositivos de campo devem ter os parâmetros de entrada mínimos de Ii = 380 mA e Pi = 5,32 W b) os dispositivos de campo devem ter uma indutância interna Li máxima de 10 μH. 4.3.3 Requisito adicional para dispositivos de campo FISCO "ic" O requisito adicional para equipamento de campo FISCO "ic" é que eles devem ter uma indutância interna Li máxima de 20 μH. 4.4 Terminador Os terminadores de linha necessários ao sistema devem ser compostos por uma combinação resistor- capacitor que apresente em seus terminais um circuito equivalente a um resistor de 90 : em série com um capacitor de no máximo 2,2 μF (incluindo tolerâncias). NOTA 1 IEC 61158-2 especifica os valores de componentes necessários por razões operacionais. O terminador deve a) ter atribuído um nível de proteção e ser adequado ao grupo IIC; b) ter um parâmetro de tensão de entrada Ui mínimo de 17,5 V; Exemplarparausoexclusivo-PETROLEOBRASILEIRO-33.000.167/0036-31 Impresso por: PETROBRAS
  11. 11. © IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados 5 ABNT NBR IEC 60079-27:2010 NOTA 2 Se os componentes capacitivos forem considerados passíveis de provocar um curto-circuito, então a potência nominal necessária dos resistores é 5,1 W e a classe de temperatura deve ser determinada com uma dissipação de potência de 3,4 W. c) ser isolado do terra em conformidade com a ABNT NBR IEC 60079-11; d) ter uma indutância máxima interna não protegida Li menor que 10 μH; e) terminadores a serem instalados em área classificada devem ter classe de temperatura em conformidade com a ABNT NBR IEC 60079-11. Os terminadores podem ser incorporados nos dispositivos de campo ou nas fontes de alimentação. NOTA 3 Para fins de avaliação de segurança é considerado que a capacitância efetiva (Ci ) do terminador não afeta a segurança intrínseca do sistema. 4.5 Equipamentos simples Os requisitos dos equipamentos simples utilizados em um sistema intrinsecamente seguro devem atender à ABNT NBR IEC60079-11. A capacitância e indutância de equipamentos simples devem ser conhecidas de forma que o requisito de sistema em 5.1 possa ser avaliado. A indutância e capacitância total de cada equipamento simples conectado a um sistema FISCO não devem ser maiores que 10 μH e 5 nF, respectivamente. NOTA Recomenda-se tomar cuidado na classificação de temperatura de equipamentos simples nos sistemas “ia” ou “ib”, visto que a máxima potência disponível pode ser tão alta quanto 5,32 W. A classificação de temperatura de um sistema “ic” é realizada em operação normal. 4.6 Marcação Cada equipamento, com exceção dos equipamentos simples, deve ser marcado com a palavra “FISCO”, seguido pela indicação de sua função, por exemplo: fonte de alimentação, dispositivo de campo ou terminador. Adicionalmente, cada equipamento deve ser marcado de acordo com a ABNT NBR IEC 60079-11, exceto quando modificado por esta Norma. Por exemplo, o nome e o endereço do fabricante podem também estar marcados. Quando o equipamento possui dupla marcação, de modo que possa ser utilizado em ambos os casos, sistema FISCO e sistema intrinsecamente seguro convencional, cuidados devem ser tomados para diferenciar a marcação do sistema FISCO da marcação do sistema intrinsecamente seguro convencional. Para fontes de alimentação FISCO, os parâmetros de saída Uo , Io , Co , Lo , Po e Lo /Ro não necessitam ser marcados. Para dispositivos de campo ou terminadores FISCO, os parâmetros de entradas Ui , Ii , Ci , Li , Pi e Li /Ri não necessitam ser marcados. 4.7 Exemplos de marcação a) Fonte de alimentação Fonte de alimentação FISCO Um = 250 V [Ex ia] IIC Exemplarparausoexclusivo-PETROLEOBRASILEIRO-33.000.167/0036-31 Impresso por: PETROBRAS
  12. 12. © IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados6 ABNT NBR IEC 60079-27:2010 John Jones Ltd SW99 2AJ UK Tipo: DRG OOI – 20 °C d Ta d + 50 °C PTB Nr 01A 2341 Nº de Série: 014321 b) Dispositivo de campo Dispositivo de campo FISCO Ex ia IIC T4 Paul McGregor plc GL 99 1JA UK Tipo: RWS 001 – 20 °C d Ta d + 60 °C c) Terminador Terminador FISCO Ex ia IIC T4 James Bond plc MK45 6BY UK Tipo MI5 007 BAS 01 A 4321 Nº de Série: 012345 d) Dispositivo de campo com dupla marcação A McTavish plc GL 98 1BA UK Tipo RWS 002 – 20 °C d Ta d + 60 °C INERIS 02 A 2345 Nº de Série: 060128 Exemplarparausoexclusivo-PETROLEOBRASILEIRO-33.000.167/0036-31 Impresso por: PETROBRAS
  13. 13. © IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados 7 ABNT NBR IEC 60079-27:2010 - - - - - - - - - - - - - - - Dispositivo de campo FISCO Ex ia IIC T6 - - - - - - - - - - - - - - - Ui = 28 V Ci = 3 nF Ii = 200 mA Li = 10 μH Pi = 1,2 W 5 Requisitos de sistema 5.1 Geral Um sistema usual é ilustrado no Anexo A. O cabo utilizado no sistema deve atender aos seguintes parâmetros: a) resistênciade “loop” Rc : de 15 :/km a 150 :/km; b) indutânciade “loop” Lc : de 0,4 mH/km a 1 mH/ km; c) capacitância do par Cc : de 45 nF/km a 200 nF/km; d) máximo comprimento do cabo de derivação (spur cable): 60 m para IIC e IIB; e) máximo comprimento do cabo tronco (trunk cable), incluindo a soma de todos os cabos de derivação: 1 km para IIC e 5 km para IIB. Quando o cabo utilizado atende a esta Norma, nenhum requisito adicional referente aos parâmetros do cabo é necessário. NOTA 1 Os requisitos de construção e instalação de cabos individuais e multicabos com mais de um circuito intrinsecamente seguro estão considerados na ABNT NBR IEC60079-14. O Anexo C desta Norma também apresenta orientações para determinação dos parâmetros do cabo. Quando um sistema compreende a) uma fonte de alimentação, b) até 32 dispositivos de campo, e c) até dois terminadores, todos atendendo aos requisitos desta Norma combinado com um cabo conforme as especificações acima, então o sistema é considerado adequadamente seguro. Exemplarparausoexclusivo-PETROLEOBRASILEIRO-33.000.167/0036-31 Impresso por: PETROBRAS
  14. 14. © IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados8 ABNT NBR IEC 60079-27:2010 A categoria de proteção (“ia”, “ib” ou “ic”) de um sistema é determinada pelo menor nível de proteção dos equipamentos utilizados. A documentação do sistema deve registrar o nível de proteção adotado. Subsistemas de um sistema podem ter diferentes níveis de proteção, sendo isto justificado pela avaliação e registro na documentação. Por exemplo, uma derivação ”ia” pode ser criada a partir de um cabo-tronco “ib”, pela inserção de uma interface certificada. O(s) terminador(es) deve(m) estar situado(s) na(s) extremidade(s) do cabo tronco.A fonte de alimentação deve ser posicionada a menos de 60 m de uma das extremidades do cabo-tronco. Quando a fonte de alimentação é conectada via uma derivação, então o comprimento da derivação é limitado a 60 m. NOTA 2 O número de dispositivos de campo que pode ser conectado a uma derivação é restrito por condições operacionais e requisitos desta Norma, que restringe em 32 o número máximo de dispositivos em um sistema. Caixas de conexões e/ou distribuidores podem ser adicionados ao sistema sem modificar a avaliação de segurança.Outros tipos de equipamentos simples, compatíveis com a ABNT NBR IEC 60079-11, podem ser conectados a uma sistema FISCO, desde que a indutância e capacitância de cada equipamento simples sejam inferiores a 10 μH and 5 nF respectivamente, e o número total de equipamentos simples mais os dispositivos de campo não exceda 32. A documentação do sistema pode ser simplificada para uma lista de equipamentos junto com a documentação relevante dos equipamentos utilizados. A documentação deve identificar claramente o nível de proteção de cada parte do sistema. O grupo da fonte de alimentação determina o grupo do sistema. Aclassificaçãodetemperaturadecadaequipamentodeveserdeterminadaeregistradanadocumentação do sistema. É também necessário confirmar que a máxima temperatura ambiente permitida para cada equipamento seja compatível com aquela da sua localização pretendida. 5.2 Requisitos adicionais para sistemas FISCO “ic” Equipamentos projetados e aprovados para os requisitos FNICO da primeira edição desta Norma podem ser usados em um sistema FISCO “ic”. Dispositivos de campo, terminadores e outros dispositivos auxiliares que atendam aos requisitos de segurança intrínseca, mesmo não sendo equipamentos FISCO de acordo com esta Norma, podem ser utilizados com uma fonte de alimentação FISCO em um sistema FISCO “ic”, desde que eles possuam o parâmetro de entrada Ui superior a 17,5 V e os parâmetros internos de Li e Ci inferiores a 20 μH e 5 nF, respectivamente. Similarmente, equipamentos que não sejam aprovados como FISCO, mas construídos de acordo com os requisitos da ABNT NBR IEC 60079-15, como equipamentos de energia limitada “nL”, e possuindo parâmetros de entrada Ui superior a 17,5 V e os parâmetros internos de Li e Ci inferiores a 20 μH e 5 nF, respectivamente, podem ser utilizados em um sistema FISCO “ic”. Quando um equipamento FNICO, ou de segurança intrínseca ou de energia limitada é utilizado em um sistema FISCO “ic”, recomenda-se indicá-lo no seu ponto de instalação. Uma etiqueta da planta com os dizeres “sistema FISCO “ic”” é um modo aceitável de satisfazer este requisito. Exemplarparausoexclusivo-PETROLEOBRASILEIRO-33.000.167/0036-31 Impresso por: PETROBRAS
  15. 15. © IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados 9 ABNT NBR IEC 60079-27:2010 Anexo A (informativo) Sistema típico A Figura A.1 mostra um sistema típico. Legenda 1 Terminador 5 Dispositivo de campo 2 Fonte de alimentação 6 Tronco 3 Dados 7 Derivação 4 Terminal portátil Figura A.1 – Sistema típico Exemplarparausoexclusivo-PETROLEOBRASILEIRO-33.000.167/0036-31 Impresso por: PETROBRAS
  16. 16. © IEC 2008 - © ABNT 2010 - Todos os direitos reservados10 ABNT NBR IEC 60079-27:2010 Bibliografia IEC 60050-426, International Electrotechnical Vocabulary (IEV) – Chapter 426: Electrical apparatus for explosive atmospheres ___________ Exemplarparausoexclusivo-PETROLEOBRASILEIRO-33.000.167/0036-31 Impresso por: PETROBRAS

×