Conguefu

432 visualizações

Publicada em

recursos marítimos

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
432
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Conguefu

  1. 1. Trabalho por: Alina lopes nº3 Leandra Da Veiga nº17 Daniela Nogueira nº8
  2. 2. 1. Potencialidades do litoral A ação erosiva do mar sobre a linha de costa As águas do mar exercem erosão sobre a linha da costa modelando-a, através do: Desgaste Transporte Acumulação
  3. 3. Consequências da ação erosiva do mar • Confere à linha de costa nacional um traçado muito retilíneo e pouco recortado, ou seja, com poucas reentrâncias e saliências; • Surgimento de formas de relevo no litoral diversificadas, como os promontórios, os ilhéus, as grutas, as baias, etc. Os tipos de costa O litoral de Portugal Continental é dominado fundamentalmente por dois tipos de costa: • costa de Arriba; • Costa de praia.
  4. 4. Costa De Arriba Costa Da Praia
  5. 5. Formação de uma arriba morta ou fóssil
  6. 6. Os principais ocidentes do litoral O acidente litoral é uma deformação ao longo do litoral que constitui uma exceção ao traçado retilíneo da costa. Os principais acidentes litorais são: • Ria de Aveiro (Haff-Delta); • Tômbolo de Peniche; • Lido de Faro; • Concha de São Martinho; • Estuários do Tejo e do Sado; • Cabos.
  7. 7. Ria de Aveiro Concha de São Martinho Tômbolo de Peniche Estuário do Tejo Lido de Faro Estuário do Sado
  8. 8. As características da plataforma continental com a obtenção de pescado A riqueza da plataforma continental e a abundância do pescado resultam: • Da elevada agitação das águas; • Da sua pouca profundidade; • Da abundância de plânctlon; • Da afluência de resíduos orgânicos e inorgânicos transportados pelos rios; • Da baixa salinidade.
  9. 9. A influência das correntes marítimas na obtenção de pescado • As correntes marítimas são importantes fontes de espécies marinhas. • As zonas de contato entre correntes quentes e frias concentram a maior quantidade e diversidade destas espécies. • Existe mais um tipo de corrente marítima que se desloca de norte para o sul, que se chama Deriva.
  10. 10. Upwelling
  11. 11. A zona Económica Exclusiva A importância para Portugal do alargamento da plataforma continental O alargamento da plataforma continental portuguesa poderá ser positivo para o país quer : • Ao nível de soberania • Ao nível dos recursos naturais • Em termos de recursos piscícolas e de recursos minerais.
  12. 12. 2. Atividade piscatória As principais áreas de pesca procuradas pela frota nacional localizam-se: • No Atlântico Norte • No Atlântico Central • No Atlântico Sul. Principais áreas de pesca
  13. 13. Importância das pescas para Portugal O sector das pescas sempre foi vital para Portugal, tendo adquirido uma importância social, local e regional, uma vez que é: • Uma importante fonte de subsistência para muitas populações ribeirinhas; • Os seus efeitos multiplicadores traduzem o surgimento das outras atividades, geradoras de emprego, como a indústria de transformação do pescado, o abastecimento do mercado com os respetivos produtos, o turismo, sobretudo o ligado a restauração, o fabrico de redes e apetrechos de pesca e uma fração significativa da indústria da construção naval.
  14. 14. Importância do PCP, no âmbito das disponibilidades de pesca, para Portugal • Portugal tem beneficiado de acordos: no âmbito de organizações regionais de pesca para águas internacionais (como os estabelecidos tradicionalmente nas áreas do Atlântico noroeste (NAFO) e do Atlântico Nordeste (NEAFC) de parcerias de pesca celebrados entra a comunidade europeia e países terceiros, dos quais se destacam os referentes às capturas nas principais zonas de pesca procuradas pelas frotas de largo nacionais (como os acordos com Marrocos, Mauritânia e Guiné Bissau).
  15. 15. Infraestruturas portuárias As infraestruturas portuárias nacionais têm constituído um impedimento à boa conservação e ao rápido escoamento do pescado no mercado, devido, na generalidade: • Às técnicas de descargas serem ainda, no geral, rudimentares; a pequena dimensão; • À ausência de barreiras protetoras e de cais de acostagem e desembarque; a sua localização; • À existência de algumas lotas sem os mínimos de condições higiénicas. Importância das infraestruturas portuárias As infraestruturas portuárias são muito importantes para a atividade das pescas, porque permitem: • A realização de operações de carga e descarga de pescado; • A conservação do pescado; o escoamento do pescado no mercado.
  16. 16. Frota pesqueira nacional
  17. 17. Consequências da PCP na frota de pesca nacional
  18. 18. Importância socioeconómica das embarcações de pequena dimensão
  19. 19. Importância da agricultura no setor das pescas nacional • A aquicultura é uma das soluções para o repovoamento dos mares e para o setor pesqueiro, sobretudo, numa altura em que cresce a consciência que os recursos dos oceanos não são inesgotáveis e que a sobre-exploração dos stocks pode por em causa a viabilidade económica das pescas e a manutenção e reprodução das espécies.
  20. 20. Fatores responsáveis pelo decréscimo, geral, da produção aquícola desde 1999 O decréscimo da produção aquícola é uma consequência dos fatores como: • A conjuntura económica pouco favorável, sobretudo para colocação no mercado de espécies tradicionalmente produzidas; • Afraca aposta na diversificação das espécies a produzir; • A reduzida certificação do produto e do processo produtivo; • O predomínio de pequenas empresas, com estabelecimento de pequena dimensão, o que representa dificuldades de redução dos custos de produção, sendo por isso pouco competitivas no mercado.
  21. 21. Aquicultura nacional A aquicultura nacional evidencia: o decréscimo da produção em águas doces; a manutenção da sua importância e tendência do crescimento da produção em águas salobras e marinhas. Espécies aquícolas predominantes
  22. 22. Repartição espacial da produção aquícola
  23. 23. População ativa do setor pesqueiro
  24. 24. 3. Gestão dos recursos hídricos Os principais princípios da PCP Os princípios da PCP (Politica Comum de Pesca) para uma gestão integrada passam pela: • Conservação e gestão dos recursos piscícolas do espaço comunitário; • Pela utilização dos recursos externos das águas comunitárias; • Pelas relações com países extracomunitários; pelas estruturas de apoio financeiros e a organização comum do mercado.
  25. 25. As medidas de controlo das disponibilidades de pesca • Limitar o volume de capturas; • Pelo mecanismo de troca de quotas com outros estados-membros; • Pelas Organizações Regionais de Pesca; • Pelos acordos de parceria entre a Comunidade Europeia e países terceiros. Unidade de controlo costeira
  26. 26. As medidas da PCP que visam o crescimento e desenvolvimento das pesca nacional As medidas são: • o incentivo a construção ou modernização da frota; • adaptação das capacidades da frota; • o incentivo ao desenvolvimento da aquicultura; • o incentivo às indústrias e à comercialização dos produtos de pesca; • o incentivo ao desenvolvimento de projetos de prospeção e investigação; • a constituição de sociedades mistas com países terceiros.
  27. 27. Outras atividades que permitem explorar os recursos marinhos A atividades dos mares, a lei da atividade piscatória, passa pela: • produção de energias a partir de fontes renováveis; • salicultura; • recolha de algas; • exploração de hidrocarbonetos e minerais no subsolo marinho.
  28. 28. Os POOC Objetivo : • Desenvolvimento da orla costeira e a promoção da defesa e conservação da natureza. A sua atuação é definida em: • Faixas de proteção de acordo com cada plano. Na zona terrestre a largura máxima dessa faixa não excede os 500 m contados a partir da linha de costa e sobre a faixa marítima. O seu limite máximo é: • A batimétrica dos 30 m.

×