SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Baixar para ler offline
TEXTO JORNALÍSTICO DE CUNHO
INFORMATIVO, QUE TENDE A RELATAR OS
FATOS DE MODO EXATO E IMPARCIAL.
 Relata fatos recentes;
 Objetos: informa com exatidão;
 Procura ser neutra e confiável;
 Iniciado com uma manchete bem objetiva;
 Verbo no presente.
Prof. José Antonio Ferreira da Silva
 O QUÊ : o fato, a ação (enredo);
 QUEM : personagens (protagonistas ou antagonistas);
 COMO : o modo como se desenrolou o fato ou ação;
 QUANDO : a época, o momento em que ocorreu o
fato;
 ONDE : o lugar de ocorrência;
 PORQUÊ : a causa, razão ou motivo;
 POR ISSO : resultado ou consequência.
Prof. José Antonio Ferreira da Silva
Prof. José Antonio Ferreira da Silva
QUESTÕES RESPOSTAS
O QUÊ ? Mãe atira na cabeça do filho.
QUEM ? Adolescente de 15 anos; bebê de 9 meses.
COMO ? Com um tiro acidental, mãe atinge o filho.
QUANDO ? Dia 30 de junho de 2010.
ONDE ? Rua Dr. Nélio, Zumbi Nova Luz, Zona Leste.
PORQUÊ ? (A notícia não especifica).
POR ISSO ? Até a data de publicação, o bebê estava
internado; mãe responderá o processo em
liberdade.
Prof. José Antonio Ferreira da Silva
MENINO DE 9 ANOS É INTERNADO APÓS AGRESSÃO EM ESCOLA
Segundo a mãe, de 27 anos, o filho
sofre com as brincadeiras de colegas
porque é gago. Após a agressão na
escola, ele não mencionou nada em
casa. Dentro da sala de aula (3ª
série), ele foi atingido por um soco,
um tapa e um golpe de mochila. Na
saída da escola, a inspetora o mandou
sair pelos fundos, mas os agressores
perceberam e o cercaram, desferindo
socos e chutes em seu corpo.
Na manhã de ontem, Marco acordou
com o pescoço imobilizado. A avó o
levou à escola e os cinco agressores
foram mandados para casa pela
direção. Revoltada, a mãe quer
processar a escola e ainda retirar os
três filhos de lá - Marco é o mais
velhos dos irmãos. A delegada Maria
José Quaresma,
da DDM, disse que os cinco garotos
foram identificados e serão ouvidos
nos próximos dias.
O caso, registrado na DDM
(Delegacia de Defesa da Mulher),
será investigado e passado à
Curadoria da Infância e da
Juventude. A Secretaria Estadual da
Educação informou que foi aberta
uma apuração preliminar para
averiguar a denúncia de agressão
entre alguns alunos da escola. "Caso
seja constatado que o fato aconteceu
dentro da escola, o Conselho Escolar
vai definir as medidas punitivas em
relação aos estudantes, como, por
exemplo, a transferência de unidade",
disse a nota da Secretaria.
ESTADÃO
O JORNAL DO ESTADO DO RIO 18 de Setembro de 2009
O menino Marco Antônio, de 9 anos, foi
agredido por cinco garotos da mesma faixa
etária dentro da sala de aula e na saída de uma
Escola Estadual, anteontem, numa cidade
próxima à região de Ribeirão Preto (SP). Devido
à agressão, ele foi internado e passou por exames
de tomografia e ressonância magnética em
Ribeirão Preto. Marco terá alta hospitalar
amanhã e usará colar cervical por 15 dias.
As agressões são cada vez mais comuns em escolas
Prof. José Antonio Ferreira da Silva
Prof. José Antonio Ferreira da Silva
Prof. José Antonio Ferreira da Silva
Prof. José Antonio Ferreira da Silva
A Gramática da notícia
 Cabe ao jornalista não apenas contar
um fato baseado em informações ou
fontes, mas, cabe ao jornalista contar de
maneira correta, coesa e concisa as
informações destinadas à população,
neste aspecto, enquanto leitor.
Prof. José Antonio Ferreira da Silva
ESTRUTURA DA NOTÍCIA
Estrutura
 Utilização do lead, primeiro parágrafo
da notícia, no qual se responde as seis
perguntas básicas: quem, quê, quando,
onde, como e por quê.
Prof. José Antonio Ferreira da Silva
ESTRUTURA DA NOTÍCIA
Estrutura
 Emprego da terceira pessoa na narrativa, com
algumas exceções, como é o caso de reportagens
ou matérias especiais, onde o jornalista vivencia a
situação, se passando por personagem da história.
 Utilização, se necessário ou possível, de exemplos
e comparações de fácil assimilação pelo leitor.
Prof. José Antonio Ferreira da Silva
ESTRUTURA DA NOTÍCIA
 1) Título
 Sua função principal é chamar a atenção do
leitor.
 A titulação de uma matéria depende
principalmente do espaço delimitado pelo
projeto gráfico.
 A função de titular cabe ao editor.
 Títulos devem conter ação. Use verbos.
Prof. José Antonio Ferreira da Silva
ESTRUTURA DA NOTÍCIA
 2) Lead
 Quem? Sujeito/Personagem
 O que? Fato/Acontecimento
 Quando? Tempo
 Por quê? Causa/Motivo/Finalidade
 Como? Modo/Maneira
 Onde? Lugar
Prof. José Antonio Ferreira da Silva
ESTRUTURA DA NOTÍCIA
 3) Sublead
 Tem função de aprofundar o lead e ligá-lo ao
corpo da matéria.
 Trata-se de uma criação do jornalismo brasileiro
que tem como função ligar as informações mais
importantes ao desdobramento da matéria.
 O sublead equivale ao segundo parágrafo da
matéria e contém informações menos importantes
do que a do lide e objetiva disciplinar o
ordenamento da notícia.
Prof. José Antonio Ferreira da Silva
ESTRUTURA DA NOTÍCIA
 4) Corpo da Matéria
 É o desenvolvimento da matéria.
 5) Intertítulo
 Recurso de edição que serve para
facilitar a leitura e manter o interesse do
leitor ao longo do texto através de
palavras chaves.
Prof. José Antonio Ferreira da Silva
ESTRUTURA DA NOTÍCIA
 A notícia hoje e amanhã
 Relação entre as mídias impressas e
eletrônicas.
 É possível o desaparecimento da mídia
impressa em jornal diário.
 O impresso ficará a cargo de veículos
especializados.
 Forma e conteúdo.
Prof. José Antonio Ferreira da Silva

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAMarcelo Cordeiro Souza
 
O gênero textual entrevista
O gênero textual   entrevistaO gênero textual   entrevista
O gênero textual entrevistaRenally Arruda
 
PLANEJAMENTO ANUAL DE LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO.pdf
PLANEJAMENTO ANUAL DE LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO.pdfPLANEJAMENTO ANUAL DE LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO.pdf
PLANEJAMENTO ANUAL DE LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO.pdfIagoMelo14
 
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aulaOficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aulaJosilene Borges
 
Jogos de-lingua-portuguesa
Jogos de-lingua-portuguesaJogos de-lingua-portuguesa
Jogos de-lingua-portuguesaJorge Luciano
 
Gêneros Textuais
Gêneros TextuaisGêneros Textuais
Gêneros TextuaisEdna Brito
 
Acentuação gráfica
Acentuação gráficaAcentuação gráfica
Acentuação gráficaMara dalto
 
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdfFICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdfNatália Moura
 
Apresentação Adverbios
Apresentação AdverbiosApresentação Adverbios
Apresentação AdverbiosLeisiane Jesus
 

Mais procurados (20)

Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
 
Diferença entre fato e opinião
Diferença entre fato e opiniãoDiferença entre fato e opinião
Diferença entre fato e opinião
 
Notícia e reportagem
Notícia e reportagemNotícia e reportagem
Notícia e reportagem
 
Notícia e Reportagem
Notícia e ReportagemNotícia e Reportagem
Notícia e Reportagem
 
Genero textual charge
Genero textual chargeGenero textual charge
Genero textual charge
 
O gênero textual entrevista
O gênero textual   entrevistaO gênero textual   entrevista
O gênero textual entrevista
 
PLANEJAMENTO ANUAL DE LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO.pdf
PLANEJAMENTO ANUAL DE LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO.pdfPLANEJAMENTO ANUAL DE LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO.pdf
PLANEJAMENTO ANUAL DE LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO.pdf
 
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aulaOficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
 
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANOINTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
 
FATO E OPINIAO.pptx
FATO E OPINIAO.pptxFATO E OPINIAO.pptx
FATO E OPINIAO.pptx
 
Jogos de-lingua-portuguesa
Jogos de-lingua-portuguesaJogos de-lingua-portuguesa
Jogos de-lingua-portuguesa
 
Gêneros Textuais
Gêneros TextuaisGêneros Textuais
Gêneros Textuais
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
 
Plano de Aula
Plano de AulaPlano de Aula
Plano de Aula
 
Acentuação gráfica
Acentuação gráficaAcentuação gráfica
Acentuação gráfica
 
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdfFICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
 
Anúncio publicitário (exercícios)
Anúncio publicitário (exercícios)Anúncio publicitário (exercícios)
Anúncio publicitário (exercícios)
 
Apresentação Adverbios
Apresentação AdverbiosApresentação Adverbios
Apresentação Adverbios
 
A redação aula 1
A redação   aula 1A redação   aula 1
A redação aula 1
 

Semelhante a Gêneros Textuais - Notícia.pptx

Aula 5- 8º LP - Gênero Notícias_construção composicional..pptx
Aula 5- 8º LP - Gênero Notícias_construção composicional..pptxAula 5- 8º LP - Gênero Notícias_construção composicional..pptx
Aula 5- 8º LP - Gênero Notícias_construção composicional..pptxLeidianyLaiz
 
Plano de aula de português
Plano de aula de portuguêsPlano de aula de português
Plano de aula de portuguêsJANDINHA
 
Plano de aula de português
Plano de aula de portuguêsPlano de aula de português
Plano de aula de portuguêsJANDINHA
 
Plano de aula de português
Plano de aula de portuguêsPlano de aula de português
Plano de aula de portuguêsJANDINHA
 
Apostila-Monitoria-Laboratrio-Ensino-II (1).pdf
Apostila-Monitoria-Laboratrio-Ensino-II (1).pdfApostila-Monitoria-Laboratrio-Ensino-II (1).pdf
Apostila-Monitoria-Laboratrio-Ensino-II (1).pdfJosdeOliveiraJunior5
 
Estudo dirigido - gênero notícia - jornal
Estudo dirigido - gênero notícia - jornalEstudo dirigido - gênero notícia - jornal
Estudo dirigido - gênero notícia - jornalTânia Regina
 
Orientação vocacional e educacional artigo
Orientação vocacional e educacional artigoOrientação vocacional e educacional artigo
Orientação vocacional e educacional artigoKatia da Silva
 
A aprofundamento aula_3_textos_jornalísticos
A aprofundamento aula_3_textos_jornalísticosA aprofundamento aula_3_textos_jornalísticos
A aprofundamento aula_3_textos_jornalísticosZofia Santos
 
Tse 2011 quarta aula
Tse 2011  quarta aulaTse 2011  quarta aula
Tse 2011 quarta aulacursinhofea
 
Tse2011 quartaaula-110525092310-phpapp02
Tse2011 quartaaula-110525092310-phpapp02Tse2011 quartaaula-110525092310-phpapp02
Tse2011 quartaaula-110525092310-phpapp02cursinhofea
 
Redação - Características da dissertação em prosa e argumentação.
Redação - Características da dissertação em prosa e argumentação. Redação - Características da dissertação em prosa e argumentação.
Redação - Características da dissertação em prosa e argumentação. cursinhofea
 
Tutorial jornalismo impresso
Tutorial jornalismo impressoTutorial jornalismo impresso
Tutorial jornalismo impressotalentos_uftm
 
A notícia nas diferentes mídias 2
A notícia nas diferentes mídias 2A notícia nas diferentes mídias 2
A notícia nas diferentes mídias 2Célia Polotto
 
7 ano caderno do aluno - volume 1 - 7 ano ef
7 ano   caderno do aluno - volume 1 - 7 ano ef7 ano   caderno do aluno - volume 1 - 7 ano ef
7 ano caderno do aluno - volume 1 - 7 ano efAlex Santos
 

Semelhante a Gêneros Textuais - Notícia.pptx (20)

Oficina 1 a 5
Oficina 1 a 5Oficina 1 a 5
Oficina 1 a 5
 
Aula 5- 8º LP - Gênero Notícias_construção composicional..pptx
Aula 5- 8º LP - Gênero Notícias_construção composicional..pptxAula 5- 8º LP - Gênero Notícias_construção composicional..pptx
Aula 5- 8º LP - Gênero Notícias_construção composicional..pptx
 
Plano de aula de português
Plano de aula de portuguêsPlano de aula de português
Plano de aula de português
 
Plano de aula de português
Plano de aula de portuguêsPlano de aula de português
Plano de aula de português
 
Plano de aula de português
Plano de aula de portuguêsPlano de aula de português
Plano de aula de português
 
Plano de aula de português
Plano de aula de portuguêsPlano de aula de português
Plano de aula de português
 
Apostila-Monitoria-Laboratrio-Ensino-II (1).pdf
Apostila-Monitoria-Laboratrio-Ensino-II (1).pdfApostila-Monitoria-Laboratrio-Ensino-II (1).pdf
Apostila-Monitoria-Laboratrio-Ensino-II (1).pdf
 
Redacao enem
Redacao enemRedacao enem
Redacao enem
 
Estudo dirigido - gênero notícia - jornal
Estudo dirigido - gênero notícia - jornalEstudo dirigido - gênero notícia - jornal
Estudo dirigido - gênero notícia - jornal
 
Orientação vocacional e educacional artigo
Orientação vocacional e educacional artigoOrientação vocacional e educacional artigo
Orientação vocacional e educacional artigo
 
[c7s] Notícia
[c7s] Notícia[c7s] Notícia
[c7s] Notícia
 
A aprofundamento aula_3_textos_jornalísticos
A aprofundamento aula_3_textos_jornalísticosA aprofundamento aula_3_textos_jornalísticos
A aprofundamento aula_3_textos_jornalísticos
 
Tse 2011 quarta aula
Tse 2011  quarta aulaTse 2011  quarta aula
Tse 2011 quarta aula
 
Tse2011 quartaaula-110525092310-phpapp02
Tse2011 quartaaula-110525092310-phpapp02Tse2011 quartaaula-110525092310-phpapp02
Tse2011 quartaaula-110525092310-phpapp02
 
Redação - Características da dissertação em prosa e argumentação.
Redação - Características da dissertação em prosa e argumentação. Redação - Características da dissertação em prosa e argumentação.
Redação - Características da dissertação em prosa e argumentação.
 
Redação ENEM 2015
Redação ENEM 2015Redação ENEM 2015
Redação ENEM 2015
 
Tutorial jornalismo impresso
Tutorial jornalismo impressoTutorial jornalismo impresso
Tutorial jornalismo impresso
 
Redação 1
Redação 1Redação 1
Redação 1
 
A notícia nas diferentes mídias 2
A notícia nas diferentes mídias 2A notícia nas diferentes mídias 2
A notícia nas diferentes mídias 2
 
7 ano caderno do aluno - volume 1 - 7 ano ef
7 ano   caderno do aluno - volume 1 - 7 ano ef7 ano   caderno do aluno - volume 1 - 7 ano ef
7 ano caderno do aluno - volume 1 - 7 ano ef
 

Mais de José Antonio Ferreira da Silva

Producao de texto_no_enem_pre_requisitos_e_temas_possiveis
Producao de texto_no_enem_pre_requisitos_e_temas_possiveisProducao de texto_no_enem_pre_requisitos_e_temas_possiveis
Producao de texto_no_enem_pre_requisitos_e_temas_possiveisJosé Antonio Ferreira da Silva
 

Mais de José Antonio Ferreira da Silva (20)

Aulão português
Aulão   portuguêsAulão   português
Aulão português
 
Política antiga e medieval aula - 3º ano
Política antiga e medieval   aula  - 3º anoPolítica antiga e medieval   aula  - 3º ano
Política antiga e medieval aula - 3º ano
 
Variação Linguística
Variação LinguísticaVariação Linguística
Variação Linguística
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Bioetica
BioeticaBioetica
Bioetica
 
Modelo para análise dos poemas
Modelo para análise dos poemasModelo para análise dos poemas
Modelo para análise dos poemas
 
Como fazer um Artigo Científico
Como fazer um Artigo CientíficoComo fazer um Artigo Científico
Como fazer um Artigo Científico
 
Palestra sobre psicografia
Palestra sobre psicografiaPalestra sobre psicografia
Palestra sobre psicografia
 
Pratica livro
Pratica livroPratica livro
Pratica livro
 
Coesão
CoesãoCoesão
Coesão
 
Metodologia do ensino
Metodologia do ensinoMetodologia do ensino
Metodologia do ensino
 
Reflexões sobre a aula de português
Reflexões sobre a aula de portuguêsReflexões sobre a aula de português
Reflexões sobre a aula de português
 
Projeto de Pesquisa
Projeto de PesquisaProjeto de Pesquisa
Projeto de Pesquisa
 
Monografia
MonografiaMonografia
Monografia
 
Romantismo prosa
Romantismo prosaRomantismo prosa
Romantismo prosa
 
Projeto de Pesquisa - ISEP
Projeto de Pesquisa -  ISEPProjeto de Pesquisa -  ISEP
Projeto de Pesquisa - ISEP
 
Erros dissertativo argumentativo
Erros dissertativo argumentativoErros dissertativo argumentativo
Erros dissertativo argumentativo
 
A estrutura do texto dissertativo
A estrutura do texto dissertativoA estrutura do texto dissertativo
A estrutura do texto dissertativo
 
Paráfrase
ParáfraseParáfrase
Paráfrase
 
Producao de texto_no_enem_pre_requisitos_e_temas_possiveis
Producao de texto_no_enem_pre_requisitos_e_temas_possiveisProducao de texto_no_enem_pre_requisitos_e_temas_possiveis
Producao de texto_no_enem_pre_requisitos_e_temas_possiveis
 

Último

Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 

Último (20)

Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 

Gêneros Textuais - Notícia.pptx

  • 1.
  • 2. TEXTO JORNALÍSTICO DE CUNHO INFORMATIVO, QUE TENDE A RELATAR OS FATOS DE MODO EXATO E IMPARCIAL.
  • 3.  Relata fatos recentes;  Objetos: informa com exatidão;  Procura ser neutra e confiável;  Iniciado com uma manchete bem objetiva;  Verbo no presente. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  • 4.  O QUÊ : o fato, a ação (enredo);  QUEM : personagens (protagonistas ou antagonistas);  COMO : o modo como se desenrolou o fato ou ação;  QUANDO : a época, o momento em que ocorreu o fato;  ONDE : o lugar de ocorrência;  PORQUÊ : a causa, razão ou motivo;  POR ISSO : resultado ou consequência. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  • 5. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  • 6. QUESTÕES RESPOSTAS O QUÊ ? Mãe atira na cabeça do filho. QUEM ? Adolescente de 15 anos; bebê de 9 meses. COMO ? Com um tiro acidental, mãe atinge o filho. QUANDO ? Dia 30 de junho de 2010. ONDE ? Rua Dr. Nélio, Zumbi Nova Luz, Zona Leste. PORQUÊ ? (A notícia não especifica). POR ISSO ? Até a data de publicação, o bebê estava internado; mãe responderá o processo em liberdade. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  • 7. MENINO DE 9 ANOS É INTERNADO APÓS AGRESSÃO EM ESCOLA Segundo a mãe, de 27 anos, o filho sofre com as brincadeiras de colegas porque é gago. Após a agressão na escola, ele não mencionou nada em casa. Dentro da sala de aula (3ª série), ele foi atingido por um soco, um tapa e um golpe de mochila. Na saída da escola, a inspetora o mandou sair pelos fundos, mas os agressores perceberam e o cercaram, desferindo socos e chutes em seu corpo. Na manhã de ontem, Marco acordou com o pescoço imobilizado. A avó o levou à escola e os cinco agressores foram mandados para casa pela direção. Revoltada, a mãe quer processar a escola e ainda retirar os três filhos de lá - Marco é o mais velhos dos irmãos. A delegada Maria José Quaresma, da DDM, disse que os cinco garotos foram identificados e serão ouvidos nos próximos dias. O caso, registrado na DDM (Delegacia de Defesa da Mulher), será investigado e passado à Curadoria da Infância e da Juventude. A Secretaria Estadual da Educação informou que foi aberta uma apuração preliminar para averiguar a denúncia de agressão entre alguns alunos da escola. "Caso seja constatado que o fato aconteceu dentro da escola, o Conselho Escolar vai definir as medidas punitivas em relação aos estudantes, como, por exemplo, a transferência de unidade", disse a nota da Secretaria. ESTADÃO O JORNAL DO ESTADO DO RIO 18 de Setembro de 2009 O menino Marco Antônio, de 9 anos, foi agredido por cinco garotos da mesma faixa etária dentro da sala de aula e na saída de uma Escola Estadual, anteontem, numa cidade próxima à região de Ribeirão Preto (SP). Devido à agressão, ele foi internado e passou por exames de tomografia e ressonância magnética em Ribeirão Preto. Marco terá alta hospitalar amanhã e usará colar cervical por 15 dias. As agressões são cada vez mais comuns em escolas
  • 8. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  • 9. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  • 10. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  • 11. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  • 12. A Gramática da notícia  Cabe ao jornalista não apenas contar um fato baseado em informações ou fontes, mas, cabe ao jornalista contar de maneira correta, coesa e concisa as informações destinadas à população, neste aspecto, enquanto leitor. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  • 13. ESTRUTURA DA NOTÍCIA Estrutura  Utilização do lead, primeiro parágrafo da notícia, no qual se responde as seis perguntas básicas: quem, quê, quando, onde, como e por quê. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  • 14. ESTRUTURA DA NOTÍCIA Estrutura  Emprego da terceira pessoa na narrativa, com algumas exceções, como é o caso de reportagens ou matérias especiais, onde o jornalista vivencia a situação, se passando por personagem da história.  Utilização, se necessário ou possível, de exemplos e comparações de fácil assimilação pelo leitor. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  • 15. ESTRUTURA DA NOTÍCIA  1) Título  Sua função principal é chamar a atenção do leitor.  A titulação de uma matéria depende principalmente do espaço delimitado pelo projeto gráfico.  A função de titular cabe ao editor.  Títulos devem conter ação. Use verbos. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  • 16. ESTRUTURA DA NOTÍCIA  2) Lead  Quem? Sujeito/Personagem  O que? Fato/Acontecimento  Quando? Tempo  Por quê? Causa/Motivo/Finalidade  Como? Modo/Maneira  Onde? Lugar Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  • 17. ESTRUTURA DA NOTÍCIA  3) Sublead  Tem função de aprofundar o lead e ligá-lo ao corpo da matéria.  Trata-se de uma criação do jornalismo brasileiro que tem como função ligar as informações mais importantes ao desdobramento da matéria.  O sublead equivale ao segundo parágrafo da matéria e contém informações menos importantes do que a do lide e objetiva disciplinar o ordenamento da notícia. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  • 18. ESTRUTURA DA NOTÍCIA  4) Corpo da Matéria  É o desenvolvimento da matéria.  5) Intertítulo  Recurso de edição que serve para facilitar a leitura e manter o interesse do leitor ao longo do texto através de palavras chaves. Prof. José Antonio Ferreira da Silva
  • 19. ESTRUTURA DA NOTÍCIA  A notícia hoje e amanhã  Relação entre as mídias impressas e eletrônicas.  É possível o desaparecimento da mídia impressa em jornal diário.  O impresso ficará a cargo de veículos especializados.  Forma e conteúdo. Prof. José Antonio Ferreira da Silva