2 curso básico de gerente

656 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
656
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
147
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2 curso básico de gerente

  1. 1. CURSO BÁSICO DE GERENTE
  2. 2. JoRoberto Cursos Livres www.joroberto.blogspot.com.br www.facebook/jorobertocursoslivres twitter@ProfJorgeRobert Cel.: (21) 8687-2439 Prof. Jorge Roberto Pós-Graduado em Planejamento e Gestão Estratégica: Fundação Getulio Vargas – FGV/EBAPE/EPGE. Introdução ao Planejamento Estratégico – FGV/Cademp. Pensamento Estratégico – FGV Online. Inteligência Competitiva – FGV Online. Tutorial de Professores – FGV Online. Metodologia do Ensino Superior – Tutorial – FGV Online. Professor da Fundação Getulio Vargas – FGV/Cademp, no seguinte curso: Como Gerenciar em Pequenos e Médios Negócios (2012). Coordenador Acadêmico do Curso de Pós-Graduação (MBA Executive) de Direito Econômico e Empresarial – FGV/EPGE – ACEI, 1997/1998. Professor de Gestão Estratégica. Treinamento para Micro e Pequenas Empresas. Ex-membro do Instituto Carvalho de Mendonça de Direito Comercial – ICMDC e da Associação Brasileira de Inteligência Competitiva – ABRAIC. Contato: www.joroberto.blogspot.com.br E-mail: joroberto2010@gmail.com 2
  3. 3. JoRoberto Cursos Livres www.joroberto.blogspot.com.br www.facebook/jorobertocursoslivres twitter@ProfJorgeRobert Cel.: (21) 8687-2439 CURSO BÁSICO DE GERENTE Programa Elementos de empreendedorismo estratégico. Visão e missão da empresa. Gestão empreendedora. Contrato social. Organização da empresa: elementos estruturais do departamento financeiro, comercial, material e patrimônio. RH – recursos humanos. Liderar, dirigir e tomar decisões para alavancar os negócios. Conquista, recuperação e fidelização de clientes. Produção de qualidade, conduta estratégica na prestação de serviços. Noções sobre plano de negócios. Público Alvo Iniciantes ou profissionais que já atuam em várias atividades ligadas a gestão de equipes e/ou relacionamento direto ou indireto com clientes. Metodologia Aulas expositivas em PowerPoint, seguidas de leitura de textos e debates em grupo. Carga Horária 24 horas/aula.
  4. 4. ESTUDAR EMPREENDEDORISMO “Existe um crescente interesse nacional e internacional em estudar temas voltados ao empreendedorismo, uma vez que a geração de negócios está diretamente ligada à prosperidade das nações, e a ação empreendedora é o processo dinâmico pelo qual se pode gerar mais riquezas. Essa prosperidade é obtida por pessoas que assumem riscos, em termos de patrimônio ou comprometimento. Tais pessoas são chamadas empreendedores e podem ser encontradas em diversas situações.” FARAH, Osvaldo Elias. CAVALCANTI, Marly. DIAS, Elaine Aparecida. JUNQUEIRA, Carmen Rita Cardoso. Capítulo 1 O Empreendedor. Empreendedorismo estratégico: criação e gestão de pequenas empresas. FARAH, Osvaldo Elias. CAVALCANTI, Marly. MARCONDES, Luciana Passos (orgs.). São Paulo: Cengage Learning, 2008, p. 1. 4
  5. 5. “O empreendedor é o responsável pelo processo de destruição criativa, sendo o impulso fundamental que aciona e mantém em marcha o motor capitalista, constantemente criando novos produtos, novos métodos de produção, novos mercados e, implacavelmente, sobrepondo-se aos antigos métodos eficientes e mais caro.” SCHUMPETER, J. “Managers and entrepreneurs: a useffill disction.” Administrative science quaterly. V. 42, p. 429-51, 1959. “Teoria do Desenvolvimento economico.” Joseph Alois Schumpeter (1883-1950). 5
  6. 6. CENÁRIO DO MERCADO ATUAL  aumento considerável da concorrência;  cliente mais exigente e com respaldo do Código do Consumidor;  poder aquisitivo em baixa;  entrada de produtos estrangeiros no país;  alta carga de tributos;  falta de profissionais qualificados;  mudanças constantes nas motivações de consumo;  outras situações turbulentas. 6
  7. 7. GESTÃO ADMINISTRATIVA  ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO (ou das operações): produção de bens ou serviços; planejamento da produção; manutenção; compras , almoxarifado e abastecimento.  ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA: tesouraria; faturamento; relações bancárias; planejamento orçamentário; contabilidade.  ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS: recrutamento e seleção de pessoal; treinamento; administração de cargos e salários; avaliação de desempenho.  ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA: pesquisa de mercado; previsão de vendas; vendas; propaganda; promoção; relações com clientes; preços. Fonte: Iniciação a Administração Geral. Idalberto Chiavenato. 7
  8. 8. ELEMENTOS DE GESTÃO Abrange: ESTRATÉGIA > PROCESSOS > FUNÇÕES E PESSOAS 8
  9. 9. GESTÃO ESTRATÉGICA COMPETITIVA Características principais: Atuação global;  Pro-atividade e foco participativo;  Incentivo à criatividade;  Controle pelo BSC – Balanced scorecard;  Organização em UEN – unidades estratégicas de negócios;  Ênfase em alianças;  Sustentabilidade;  Aprendizagem contínua. 9
  10. 10. FUNÇÕES ADMINISTRATIVAS  PLANEJAMENTO: visualiza o futuro, bem como define os objetivos e traça plano de ação no sentido de alcançá-los.  ORGANIZAÇÃO: estrutura os órgãos, bem como os cargos da empresa, define as relações entre os mesmos e elabora métodos de trabalho.  DIREÇÃO: conduz e orienta o pessoal fornecendo meios de comunicação e lideranças.  CONTROLE: avalia e verifica se o que foi planejado e organizado está sendo executado adequadamente. Fonte: Iniciação a Administração Geral. Idalberto Chiavenato. 10
  11. 11. “Toda a organização deve estar voltada para o cliente, pois a imagem da empresa é o resultado do trabalho de todos os seus funcionários. O modelo de estrutura adotado deve permitir que, da expedição à telefonista, da cobrança ao atendimento direto por vendedores, todos, empreendedor e equipe, contribuam para criar e manter a imagem da empresa. É preciso um conjunto harmonioso e solidário.” SANTOS; PEREIRA, 1995, p. 127. 11
  12. 12. Gestão por Competências CHA: que são os conhecimentos (C) e as habilidades (H), competências técnicas, e as atitudes (A), competências comportamentais, que uma pessoa possui. Conhecimento: formação acadêmica e conhecimento teórico.; Habilidade: prática, vivência e domínio do conhecimento profissional; Atitude: emoções, valores, sentimentos e comportamento humano. A proposta da Gestão por Competências objetiva compreender quais são as competências organizacionais críticas para o sucesso empresarial, desdobrá-las em termos de competências profissionais e desenvolvê-las junto ao quadro de funcionários internos. É uma metodologia de gestão moderna, sempre focada nos negócios, no mercado, bem como no desenvolvimento profissional permanente na Gestão de Pessoas. 12
  13. 13. “Em crise não há liderança. Quando o barco se está a afundar o capitão não pode convocar uma reunião para ouvir as pessoas. Tem de dar ordens. Esse o segredo da liderança partilhada: saber em que situações agir como chefe e em que situações atuar como parceiro.” Peter Drucker 13
  14. 14. “Planejamento de marketing é um processo de intenso raciocínio e coordenação de pessoas, recursos financeiros e materiais, cujo foco central é a verdadeira satisfação do consumidor. Em outras palavras, é ajudar o consumidor a se sentir um pouco mais feliz e, em consequência, gerar resultados positivos para a empresa e a sociedade. Planejamento é a reflexão sobre a realidade. Um plano é um guia, a linha central da estrada que nos leva ao objetivo. O planejamento bem feito permite ações rápidas e precisas, base da força de uma empresa, e o plano de marketing nos orienta quando aparecem obstáculos imprevistos. Sem planejar corremos o risco de parar na contramão do mercado.” AMBRÓSIO, 1999, p. 1. 14
  15. 15. “(...) posicionamento não é o que você faz com o produto; posicionamento é o que você faz na mente do cliente em perspectiva. Ou seja, você posiciona o produto na mente do comprador em potencial. O posicionamento é o primeiro sistema de pensamento que enfrenta, para valer, o difícil problema de se fazer ouvir nesta sociedade saturada de comunicação.” RIES e TROUT, 1999, p. 2. 15

×