Anuario ugra 2011_para_download_

1.311 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Anuario ugra 2011_para_download_

  1. 1. 1o ANUÁRIO DE FANZINES, ZINES E PUBLICACÕES ALTERNATIVAS 1
  2. 2. Um belo dia, no QG da Ugra Press... que tal fazermos um anuario de fanzines? Rapaz, acho que tive uma ideia! MANDA! maneiro!!!! e assim, apos lancar uma eles vinham de todo o pais, de o tempo passava, e eles nao convocatoria, os primeiros ja sei... zines, todos os formatos e temas... paravam de chegar! zines, zines! zines logo foram recebidos... zines! zines! advinhe O QUE EU TROUXE!? perai, eu atendo! e na mansao de peter framer... e o peter framer, aquele almofadinha. estamos trabalhando esta nos convidando duro num anuario de credo, que aparencia fanzines! para tomar um vinho horrivel! o que voces na casa dele! tem feito da vida? vamos la... eu preciso mesmo descansar um pouco! fanzine?REALIZACÃO: e alguem ainda faz essa merda? EU TE MATO, SEU FILHO DA PUTA!!Ugra Press: www.ugrapress.wordpress.com oh!APOIO:Fanzinoteca Mutação: www.fanzinotecamutacao.blogspot.com ?Zinescópio: www.zinescopio.wordpress.comPara a versão impressa deste Anuário, contate a Ugra Press.Apóie a mídia impressa alternativa. Compre zines! FIM2 UGRA PRESS - 2011 1o ANUÁRIO DE FANZINES, ZINES E PUBLICACÕES ALTERNATIVAS 3
  3. 3. V 4 ocê tem em suas mãos o 1º Anuário de Fanzines, Zines e Publicações Alternativas, um projeto da Ugra Press que busca mapear a atual produção zinística brasileira. A ForCa dos O projeto nasceu em 14 de julho de 2010. Nessa data, lançamos um convite emnosso blog para que nos enviassem seus trabalhos. Cada publicação recebida seria independentesresenhada, as resenhas reunidas em uma publicação impressa e a publicação lançadaem um evento dedicado à cultura zinística, o Ugra Zine Fest. O vibrante panorama da Lançamos a convocatória sem a mínima noção do que aconteceria. Inconseqüência, imprensa underground brasileiraloucura, perda de tempo: o princípio da realidade socava nossas mentes. Tínhamos feito em mais de 120 resenhasfanzines nos anos 90; mas hoje, após o boom da Internet, será que ainda teria alguémfazendo zine? Que tipos de zine seriam feitos? Os zineiros iriam acreditar no projeto? Um 31batalhão de gigantescas incertezas - e mesmo assim, com a insensatez dos zineiros, aempreitada nos instigava na exata medida de seus desconhecidos desdobramentos. O ANUÁRIO A acolhida surpreendeu nossas expectativas. Os e-mails começaram a chegar, oszines entupiram a caixa postal, os comentários no blog foram se multiplicando, apareceu EM NÚMEROSgente querendo saber mais sobre o projeto, feliz com a proposta e nos apoiando de inú-meras maneiras. E o Anuário, nascido no seio da diminuta Ugra Press, começou a tomar Quem faz? Como faz? Onde faz?corpo como um projeto envolvendo centenas de pessoas espalhadas por todo o Brasil. Dissecamos a produção zineira Dores de cabeça? Sim, claro que tivemos. E não foram poucas. A vida é sempre contemporânea e fizemosassim: doçura e amargura convivendo juntas. No balanço difícil de se equilibrar entre algumas descobertas inusitadas.uma e outra se dá o caminho de qualquer coisa que façamos. E no desenvolvimentodesse Anuário dedicado ao universo dos fanzines, os torrões de açúcar que adoçaram a 32vida foram os e-mails legais,os tweets espontâneos de gente que nunca tínhamos visto,os zines cheios de criatividade que recebíamos, as ideias novas surgidas após horas de ACERVOesforço coletivo. As amarguras, para sempre na memória, formam o aprendizado parao futuro, e contraponto necessário para melhor apreciar as coisas boas saboreadas ao DE ZINESlongo dos últimos meses. E uma das melhores coisas, sem dúvida, é saber que você está lendo isso. Aprecie Conheça as iniciativas espalhadassem moderação as páginas seguintes. Compartilhe com quem e como quiser. Fale para pelo Brasil que estãonós o que você achou. Porque zine é isso: partilha, criatividade, sentimento, inovação. preservando e divulgando a Boa leitura! memória da nossa fanedição.Ugradecimentos: Todos os faneditores e faneditoras que acreditaram em nós e enviaram 34seus trabalhos para o Anuário: sem esse voto de confiança nada disso seria possível.Foram vocês que somaram forças conosco e ajudaram a produzir essa obra que agora é O FANZINE NArealização de muitas mãos. Força, rebeldia e criatividade para todos vocês! SALA DE AULAUgrismos especiais para: os encantadores descivilizados do Espaço Impróprio peloapoio irrestrito ao projeto desde seu início; Cristiane e Caru da Concreto pelo espaço Descubra o potencial educativoe força com a exposição dos fanzines; Pandora e Rodrigo Okuyama pelas oficinas destas folhas xerocadas(aprendemos muito com vocês!); Gazy Andraus e Olga Defavari pelas palestras que que tanto amamos!muito acrescentaram ao evento; Renato Donisete e Fernanda Meireles por aceitaremparticipar do debate; ao Law Tissot e o espetacular vídeo que abriu o ciclo de debates; 36ao Marcio Sno que aceitou exibir o documentário “Fanzineiros do Século Passado” ; aocoletivo Você Tem Que Desistir que contou sobre a experiência de realizar uma turnê de O FUTUROfanzines; aos roqueiros do Elma, Test e Sleepwalkers Maladies por soltarem seus decibéisna festa de lançamento; ao Peter Framer pelo talento no uso de tintas, edição de vídeos DOS ZINESe fotonovelas; Jacob Crisis pela dedicada revisão dos originais; ao Paulo pelas filmagensde todo o processo; Rubens Herbst e jornal A Notícia de Joinville pela entrevista; a Papel? Pixel?Emanuela e Interrogacao.org; Vakka e Intervalo Banger; a todos os outros que em seus O mestre Gazy Andraus analisablogs, sites, zines ou revistas ajudaram a difundir o Anuário. o futuro (paratópico) dos fanzines. Editores: Ilustração da capa: Douglas Utescher e Leandro Márcio Law Tissot Projeto gráfico e diagramação: Colaboradores: Douglas Utescher Peter, Dani e Gazy Andraus Pesquisa, redação e edição de textos: Douglas Utescher e Leandro Márcio Anuário de Fanzines, Zines e Publicações Fotografia: Alternativas é uma publicação da Ugra Press. Contatos: Dani Cantuária Versão eletrônica disponível para download c/o Douglas Utescher Direção da Fotonovela: gratuito em www.ugrapress.wordpress.com Caixa Postal 777 - São Paulo / SP Ugra Press & Peter Framer CEP: 01031-970 - Brasil Revisão: É permitida (e incentivada) a reprodução deste ugra.press@gmail.com Jakob Crisis material desde que citada a fonte. www.ugrapress.com.br FEVEREIRO DE 20114 UGRA PRESS - 2011 1o ANUÁRIO DE FANZINES, ZINES E PUBLICACÕES ALTERNATIVAS 5
  4. 4. RESENHAS 19:59 e frequentemente absurda, sobreviver. #0 / A5 / 6 pags. / xerox / 2008 No final das contas, o que esse texto tem 3 perguntas para Zine de quadrinhos e colagens realizado de mais chocante é o quanto são óbvias por seis pessoas. Apenas uma folha A4 algumas de suas conclusões: está tudo WAGNER TEIXEIRA dobrada em três partes, muitas colagens aí para todo mundo ver, mas, por alguma de jornais e revistas convivendo caótica razão, seguimos dando de ombros. É séria essa história de que o Anormal e charmosamente com os desenhos que Vão-se quase 10 anos desde a publica- Zine é distribuído nos ônibus de Belo ilustram os questionamentos de uma ção desta edição, mas vale a pena entrar Horizonte? Há outras formas de distri- garota em crise com o seu peso. Traços em contato com o editor e ver se ele buição além dessa? propositadamente sujos, captando o ainda tem algum desse. (DU) O Anormal tem de fazer jus ao nome, processo de criação dessa experiência saulodias@terra.com.br rsrsrs, então não espere encontrá-lo em zinística coletiva. (LM) www.2veis1.blogspot.com bancas ou livrarias. Na verdade, a técnica claskate@ig.com.br de distribuição que algumas edições www.arttilldeath.blogspot.com A MURIÇOCA do Anormal tiveram foi o esquecimento #1 ao 7 / A5 / 12 pags. / xerox / proposital. Assim, o zine era “esquecido” 100% ZINE – FESTIVAL DIA D 2009 - 2010 em locais públicos dos mais diversos, n.u. / A6 / 16 pags. / offset / 2001 Fanzine editado pelo cursinho pré-vesti- principalmente naqueles onde costumam Em julho de 2001 rolou a 3ª edição do bular Educamais, de Osasco/SP, que des- transitar pessoas dos mais variados Festival Dia D, em Vitória / ES. Dentre de abril de 2009 vem sendo distribuído tipos. Por exemplo, era deixado em um uma série de atividades, o evento contou entre os alunos (que também cooperam banco de ônibus. É uma forma de obri- com a primeira Exposição de Fanzines com a produção de algumas matérias). É gar o cidadão comum, aquele que nunca realizada no Estado, e esta edição um zine muito completo para quem está viu uma publicação alternativa na vida, do 100% Zine nada mais é do que o na batalha dos estudos em busca de uma a tomar conhecimento da existência do catálogo da exposição, com endereços vaga na universidade: de questões práti- Anormal. Se ele quiser sentar no banco e comentários sobre as publicações cas como documentos necessários para do ônibus, vai ter que pegar o Anormal. participantes. Se você se interessa por o Enem e dicas de redação até outros E é curioso ver a reação das pessoas. arqueologia zinística, escreva para o assuntos mais gerais, como aquecimento Algumas não dão a mínima, mas outras Saulo e peça o seu. (DU) global, orientação profissional, etc. Cada ficam bem intrigadas, olham pra ele saulodias@terra.com.br edição também conta com a resenha como se estivessem diante de um ET. www.2veis1.blogspot.com de um filme, notícias sobre o cursinho “De que planeta terá vindo isso?” rsrsrs. Educamais, poesias e uma interessante 100% ZINE – seção chamada Confronto, onde são De onde vem a inspiração na hora de MANIFESTO CONTRA O TRABALHO entrevistadas duas pessoas com opiniões fazer um zine? n.u. / A6 / 64 pags. / offset / 2002 contrárias sobre o mesmo assunto. Uma A inspiração vem de muita coisa dife- Entre o final do século XX e o início do forma interessante de exercer o pensa- rente, no mundo artístico me inspiram século XXI, um grupo de intelectuais mento crítico e mostrar aos vestibulandos desde os contos do Conan escritos por europeus encabeçado pelo alemão o valor da pluralidade de ideias. Longa Robert E. Howard até Os Simpsons, Robert Kurz ganhou notoriedade por suas vida ao Muriçoca e que outras escolas e passando pela obra de Rubem Fonseca e pesquisas e seus textos contundentes, cursinhos sigam o exemplo! (LM) pelo som do Metal anos 80, entre outros. expondo sempre a contradições, des- fanzine.muricoca@gmail.com Cada pequena absorção feita no dia-a-dia mandos e patifarias do capitalismo. www.educamais.org é uma inspiração para produzir. Vários Um de seus textos mais famosos, “O Ma- outros zineiros me influenciam bastante. nifesto Contra o Trabalho”, foi inicialmente A VIDA É MESMO UMA MARAVILHA E também o mundo não-ficcional, as publicado em nossa terrinha pela Revista n.u. / A6 / 24 pags. / offset / 2009 coisas que vejo, as pessoas com quem Labur, do departamento de Geografia da Márcio Jr. é um notório cidadão goia- interajo. Produzir um zine, ou qualquer Universidade de São Paulo, e posterior- niense cuja lista de benfeitorias à cidade outra obra artística, é condensar e recriar mente relançado à moda zineira pela inclui os vocais na banda Mechanics, um pouco de todas essas percepções. trupe do 100% Zine. participação no selo Monstro Discos (e O que se faz aqui não é o elogio da inér- tudo o que o envolve, como os festivais Zineiro só tem prejuízo? cia nem hippismo raulseixista, mas sim a Bananada e Goiânia Noise) e a criação Depende. Se estiver falando em termos denúncia de um sistema que se colocou de alguns dos quadrinhos mais bagacei- financeiros, aí o prejuízo é certo. Mas em um beco sem saída e que tenta ros e toscos deste país. em termos de crescimento e evolu- agora, de forma desesperada, opressora Em “A vida é Mesmo uma Maravilha” ção pessoal, editar zines é altamente lucrativo. As amizades que se faz nesse meio não tem preço. A satisfação obtida ao conhecer trabalhos interessantes, N as próximas páginas, você encontrará mais de uma centena de resenhas de publicações alternativas e independentes de todo o Brasil. Desde o início, nós imaginamos este Anuário como um espaço de reflexão e crítica, além de, Siglas e medidas: conhecer pessoas interessantes, partici- par de eventos ou projetos alternativos é bastante recompensadora. Primeiro, a obviamente, um espaço de divulgação, e por isso optamos por comentar cada um n.u. = número único liberdade criativa que o zine proporciona dos fanzines, zines e revistas que nos foram enviados. De qualquer maneira, por e.e. = edição especial permite que o editor se realize enquanto mais que tenhamos buscado o bom senso e a ponderação, as opiniões expressas n.i. = não informou criador, e depois, a troca de informações são exatamente isso: opiniões. É normal – e até mesmo desejado – que surjam A4 = 21 x 29,7 cm com outros leitores e autores o faz divergências. Nesse caso, sinta-se à vontade para entrar em contato conosco! A5 = 15 x 21 cm evoluir e se renovar constantemente. Pra As resenhas estão assinadas com as seguintes siglas: A6 = 10,5 x 15 cm mim o balanço final da atividade zinística DU = Douglas Utescher (douglas_utescher@yahoo.com.br) e A7 = 7,5 x 10,5 cm é altamente positivo. LM = Leandro Márcio (le_marcio@yahoo.com.br) Almanaque Contos da Madrugada6 UGRA PRESS - 2011 1o ANUÁRIO DE FANZINES, ZINES E PUBLICACÕES ALTERNATIVAS 7
  5. 5. muitas das características dos fanzines revista Contos da Madrugada, seus moral do personagem são questionados musicais daquela época. É o tipo de editores resolveram compilar as melhores e revistos em uma trama que envolve trabalho apaixonado e idealista, que histórias dos números anteriores e lançar drogas, sexo, feitiçaria, intrigas políticas e 3 perguntas para RENATO DONISETE se orgulha por divulgar o underground este Almanaque. A começar pela capa, moscas tsé-tsé. Tudo com o traço torto e musical em “todas suas tendências” que faz uma paródia das famosas capas os closes característicos do autor. (majoritariamente death / thrash metal, da Cripta do Terror, a publicação assume Ah, sim! Ano do Bumerangue saiu pelo Qual o segredo para manter um fanzine no discurso ficou. Desta forma, não afetou crossover, grind e hardcore). Além das um humor escrachado e repleto de selo Prego Publicações, o que por si só por 20 anos? Alguma vez lhe passou pela em nada. tradicionais entrevistas e resenhas, há referências à cultura pop(ular). Por trás deveria ser motivo de sobra para você cabeça que o Aviso Final duraria tanto? também espaço garantido para os textos da bagunça, alguns nomes conhecidos correr atrás do seu. (DU) O segredo é não criar expectativas. Edito Você chegou a migrar o Aviso Final para a de protesto tratando de política, religião e dos quadrinhos independentes, como revistaprego@gmail.com sempre que tenho vontade e assunto. Olha, internet e depois voltou ao papel. do próprio underground. Mario Cau, Laudo Ferreira e Will. É gibi www.revistaprego.blogspot.com não imaginava essa longevidade, não. O que aconteceu? Julgando pelos números recebidos, que rápido e divertido, para ler numa sentada. Quando me dei conta estava completando Primeiro vi que minha motivação vinha do compreendem a produção entre os anos Destaque para a HQ “Cosmogonia”, com ANORMAL ZINE 20 anos. fanzine impresso e na sua elaboração. de 2005 e 2008, é possível notar um excelente texto de Cadu Simões e dese- #10 / A6 / 56 pags. / digital / 2010 Curto trabalhar com recortes, montagens constante aprimoramento na redação, nho de Jozz. (DU) O número 10 do Anormal foi o que Nessas duas décadas de fanzinagem, o manuais, etc. Na net dependia de webdesig- que ficou mais coesa e fluida. A essência felipe@gasosa.net.br chegou em nossas mãos e essa edição que mudou na cena underground e como ner, necessitava uma atualização constante, do Acid Farted, no entanto, manteve-se www.gasosa.net.br é uma espécie de coletânea das outras isso afetou seu zine? etc. Depois recebi muita carta de gente que praticamente intacta com o passar do edições do fanzine, além de conter outros Não sei se podemos chamar de cena, pois me pedia para voltar a edição física. Acho tempo – para o bem dos leitores. (DU) AMOR ESCRIT@S EXPERIMENTAL conteúdos inéditos. Capa e algumas não vejo as coisas muito articuladas. Mas que o toner está em minhas veias! frajox@gmail.com n.u. / A4 / 20 pags. / xerox / 2010 páginas coloridas, colagens abusada- mudou muita coisa, surgiu muita moda e o Por incrível que pareça, uso a net para divul- www.acidfartedzine.blogspot.com Zine de poesias que reúne os trabalhos mente doentes, quadrinhos politicamente que realmente tinha verdade e consistência gar o zine impresso através de um fotolog.Artlectos e Pós-Humanos de quatro jovens autores que, até então, incorretos, desenhos toscos e podres ALEXYUS CRUZ só publicavam seus versos em blogues. e por isso legais pra caralho, poemas #1 e 2 / A5 / 20 pags. / offset / 2010 O zine é parte do Viva Literatura Viva satânicos e textos cheios de humor(auto-proclamada “a maior micro graphic “Lemuria” e “Borboletas Envenenadas”, 2010, mais uma trabalho dos incansáveis corrosivo: misture tudo isso e você terá ARLEQUIM desconhecidos. Os textos apontam paranovel da história”), Márcio narra a doentia as duas aventuras do demônio Alexyus idealizadores do Projeto Oficinativa. o excelente Anormal zine. Meus textos #19 / A5 / 24 pags. / xerox / 2010 um futuro em que religião, tecnologia e asaga de um jovem em busca de um Cruz lançadas até o fechamento deste E como o título do zine já deixa claro, preferidos são “O julgamento de Deus” e Eu já havia ouvido falar de Arlequim, própria Humanidade terão estabelecidobaseado e todos os infortúnios por ele Anuário, estão entre as publicações mais são poemas de amor. E nos versos “O fim”. Nota especial para o processo de mas, por alguma razão, nunca corri atrás. uma estranha intimidade, em um conceitosofridos antes do desfecho surpreenden- peculiares que recebemos. Buscando aqui reunidos, há amor em abundantes distribuição do zine: o editor deixa cópias Editado desde 1997, eis que agora, por muitas vezes apresentado de forma umte e edificante. unir quadrinhos e teatro, as histórias se formas: daquele mais etéreo que guarda em bancos vazios dos ônibus de BH. Um conta deste Anuário, chega às minhas pouco hermética. O editorial desta edi-Tanto o formato pocket quanto o desenho passam num palco e os personagens lembranças em pedaços de papéis até soco de criatividade e pensamento crítico mãos o número 19 do fanzine. ção, por exemplo, diz: “Raios catódicosdespojado e o estilo insano da HQ lem- agem como se fossem atores. É difícil aquele que só se contenta com o calor do mostrando que “a vida é bela, e o belo é Não há como fugir da sensação de ter como rituais canônicos / Gnose algorítmi-bram muito a saudosa coleção Mini Tonto, precisar o momento histórico em que os outro na epiderme suada. (LM) podre”. (LM) perdido algo: basta uma breve folhe- ca, telecinésia telemática / Mitos vindoseditada pelo Fábio Zimbres. Ou seja: episódios se passam, mas certamente projetooficinativa@hotmail.com nyhyw@yahoo.com.br ada para perceber que é um trabalho de modems, vírus com nomes de moças /diversão garantida. (DU) não é na atualidade. O texto é prolixo e os www.oficinativa.blogspot.com www.anormalzine.blogspot.com especial, complexo e rico em idéias. Sabá dos Elétrons, meditação telemítica / marciomechanics@hotmail.com personagens se vestem como se fossem Mas, por se tratar de uma história que Novos cultos imateriais, velhos orgasmos www.monstrodiscos.com.br integrantes da banda Lacrimosa. No meio ANJOS DA MATA ÁREA 71 vem se desenrolando desde o primeiro virtuais”. Não é à toa que Edgar Franco, de tudo isso, ainda há espaço para crítica n.u. / A5 / 68 pags. / digital / 2009 #1 / 17 x 26 cm / 48 pags. / offset / 2010 número, é impossível ao leitor iniciante ter ao lado de autores como Gazy Andraus eA ZICA social: Alexyus Cruz, o protagonista, Um jovem estudante da cidade grande, Área 71 é uma revista que se propõe a compreensão total de suas minúcias, das Flávio Calazans, representa um estilo que#0 / A5 / 40 pags. / offset / 2010 é uma figura que vaga solitariamente, uma autêntica cowgirl e uma garota com compilar, semestralmente, trabalhos de singularidades dos personagens e das ficou conhecido como “poético-filosófico”.Esse é um zine muito louco só com sendo constantemente repudiada e tida capacidade de ouvir o grito das árvores quadrinistas cujo único ponto comum é o relações entre eles. Nesta terceira edição de Artlectos e Pós-ilustrações cujos temas são morte, ma- como demoníaca apenas por ter a pele se unem para lutar contra madeireiros fato de serem baianos. Eclética, reúne no- Resumidamente, trata-se de uma ousada Humanos, Edgard prossegue investigan-cumba, espiritualidade, política e classe escura. Confuso? Sim! inescrupulosos e salvar a Mata Atlântica. vatos e veteranos e abrange as HQs de aventura em que personagens de dife- do e expandindo o curioso universo quemédia. Pelos diferentes traços dá para O fato é que, para dar conta da ambição Esse é o argumento de Anjos da Mata, o herói, de humor, de aventura e de terror. rentes obras literárias se vêem reunidos ele inventou, e ainda que o leitor não seperceber que são muitas as mãos envol- do autor, ainda há muita coisa aqui que mangá politicamente correto criado por Como portfolio do que está sendo em um reino paralelo ao nosso. Eventu- sinta atraído pelos textos, valem as intri-vidas na parada, e o eclético resultado carece de amadurecimento. A primeira Wilson Kohama. Apesar de cercada de produzido no quadrinho contemporâneo almente, sob determinadas circunstân- gantes imagens que os acompanham. Oobtido é bem legal. Gostei bastante da delas é o texto: considerando o estilo boas intenções, a história é demasiada- daquele Estado, a revista é, portanto, cias, porém, esses personagens podem único “porém” fica por conta do uso insis-série de cartas de baralho com temática pomposo e rebuscado que foi adotado, mente inverossímil e apresenta algumas muito bem sucedida. Porém, a exemplo passar para o lado de cá. tente de gradientes e sombras projetadascaveirística, altamente tatuáveis, diga-se é indesejável que haja tantos erros sequências muito forçadas, além de um da maior parte das coletâneas, Área 71 Criado por Roberto Hollanda, Arlequim pelo Photoshop. Entendo que, conceitu-de passagem... gramaticais. Um perfil mais definido para desfecho previsível. De qualquer forma, a tem seus altos e baixos. Os roteiros são o recebeu em 1998 o Prêmio Especial almente, a relação manual x computadorA ilustração que ocupa as páginas cen- Alexyus também ajudaria, pois não raro arte é competente e deve agradar os fãs elemento que mais carece de aprimora- Nova, da SBAF (Sociedade Brasileira de seja pertinente aqui, mas no resultadotrais é um soco bem dado (e fica patente tem-se a impressão de que nem o criador do estilo. (DU) mento: algumas histórias dão a impressão Arte Fantástica) e teve seus três primei- final esses efeitos estão mais distraindoporquê diabos o editor declara a classe sabe exatamente quem é sua cria. thiagospyked@uol.com.br de existirem apenas como pretexto para ros capítulos compilados em um álbummédia como um tema): um homem e uma É admirável que um autor busque www.editoracras.com.br o artista ter o que desenhar. Os desenhos lançado pela Marca de Fantasia.mulher sebosamente gordos deitados originalidade e seja ambicioso com suas são em sua maioria muito bons, mas Para quem se interessar, é possível fazerno chão da sala soterrados por sofás, obras. Nesse sentido, Marcelo Andrade, ANO DO BUMERANGUE ainda há bastante espaço para a ousadia download de várias edições antigas atra-televisores e hambúrgueres. Quem tiver a mente criativa por trás desta série, #1 / A4 / 32 pags. / offset / 2010 e a experimentação. Destaco especial- vés do blog do autor. (DU)que olhos que veja. Saravá! (LM) merece todo respeito e apoio. Mas, ao Ano do Bumerangue é sem dúvidas uma mente os trabalhos de Hélcio Rogério e arlequimhq@yahoo.com.br navarroluiz@yahoo.com.br estabelecer patamares elevados, deve-se das HQs mais estranhas que eu já li. A André Leal. www.hollandacomics.blogspot.com www.urubois.org/azica ter o cuidado de não tentar dar um passo começar pela capa, que apresenta a foto Apesar de irregular, Área 71 é uma boa maior do que a própria perna. (DU) de um velho vestido de Fantasma (ele revista, pronta para revelar novos e sur- ARTLECTOS E PÓS-HUMANOSACID FARTED tchelodarkinalone@hotmail.com mesmo, o personagem criado por Lee preendentes talentos. Mais do que isso, #3 / 14 x 20 cm / 32 pags. /#5 / A5 / 8 pags. / xerox / 2005 gibiscomcarisma.blogspot.com Falk) e a sigla A.D.B., nada além. Quando é uma iniciativa que comprova a força digital + offset / 2009#7 / A5 / 8 pags. / xerox / 2005 você começa a ler a história percebe de e o poder de articulação dos quadrinis- Amem-no ou odeiem-no, ninguém pode#8 / A5 / 8 pags. / xerox / 2006 ALMANAQUE CONTOS cara que se trata, de fato, de uma espé- tas baianos. Que venham as próximas dizer que os quadrinhos de Edgar Franco#10 / A5 / 12 pags. / xerox / 2008 DA MADRUGADA cie de homenagem do quadrinista Diego edições! (DU) carecem de personalidade. Seu desenhoEm atividade desde 1994, esta veterana #1 / 18 x 26 cm / 32 pags. / offset / 2010 Gerlach ao famoso “espírito que anda”. marcelo@area71.com.br detalhista e cheio de curvas dá vida apublicação do Distrito Federal preserva Enquanto não sai uma nova edição da Só que aqui o heroísmo e a integridade www.roteirizandohq.wordpress.com personagens excêntricas de mundos Café Espacial 8 UGRA PRESS - 2011 1o ANUÁRIO DE FANZINES, ZINES E PUBLICACÕES ALTERNATIVAS 9
  6. 6. do que acrescentando. Já estaria bom o das panelas e subdivisões comuns a este acordo com o editorial de sua edição do Lourenço Mutarelli. Dos veteranos, que as páginas ficam poluídas demais esuficiente sem eles. (DU) meio, Aviso Final consolidou-se como um de estréia. Assim, Café Espacial é uma saliento “Dia de Pedir Demissão”, de a atenção do leitor acaba dividida entre henriquemais@gmail.com espaço democrático em que tendências publicação que oferece HQ, música, Bira Dantas, com a crítica social mordaz 3 perguntas para a algazarra publicitária e o bom desenho www.marcadefantasia.com diferentes (e frequentemente divergentes) cinema, fotografia e literatura. característica do autor. Gazy Andraus e do autor. do punk são apresentadas. Contemplar O grande destaque da Café Espacial Edgard Franco, legítimos representantes RIC RAMOS A edição de número 57 trazia uma históriaAVISO FINAL estas capas, portanto, é contemplar uma são as HQs. Colaboradores como Mário dos quadrinhos poético-filosóficos, tam- longa com o personagem Dagoberto,#24 ao 26 / A5 / 12 pags. / xerox / parte significativa do que foi o punk brasi- Cau, Laudo Ferreira, D.W., Sueli Mendes bém marcam presença de maneira muito Por que o nome Janela Poderosa? além de algumas tiras e piadas quadrini-2009-2010 leiro nas últimas duas décadas. (DU) e, especialmente, Allan Ledo, garantem interessante: além das HQs propriamente O nome partiu de duas idéias. A primeira, zadas. Já o número 58, lançado em meioResenhar um dos zines mais antigos e avisofinal@gmail.com um excelente nível para a revista que, por ditas, ambos detalham em textos o pro- mais simples, quando você abre uma às eleições presidenciais, foi praticamen-produtivos do país não é uma tarefa fácil. www.fotolog.com/aviso_final si só, justificariam sua aquisição. A parte cesso de criação de suas histórias e as revista ou um livro, você vê uma te um especial do personagem Omar Ajá,Afinal, o Aviso Final está há mais de 20 textual é mais cheia de altos e baixos. referências utilizadas. paisagem de ideias. É como se abrisse um político tipicamente brasileiro. (DU)anos apoiando a cena musical punk/ BACANA PEOPLE As entrevistas com as bandas poderiam Boa revista que, se mantiver o fôlego, uma janela. Uma “Janela Poderosa”! revistascartum@gmail.comhardcore. Atravessou crises financei- #1 / A5 / xx pags. / digital / 2010 ter perguntas mais consistentes, fugirem certamente surpreenderá nas próximas A segunda idéia que reforça o nome vemras, o boom da Internet e ainda está na Fanzine de quadrinhos que cativa pelo mais dos clichês. A entrevista com a edições. (DU) do álbum intitulado “Power Windows” CGZINEativa com o mesmo espírito de sempre. bom humor e nonsense de suas histórias. Banda Gentileza (#7), em formato foto- caminhodirato@gmail.com (Janela de Força) da banda canadense de e.e. / A5 / 4 pags. / xerox / 2009Entrevistas muito bem conduzidas e A mais longa é “O que tem no bosque?”, novela, por exemplo, foi uma grande www.tokadirato.blogspot.com rock progressivo, Rush. Esse zine já é editado há mais de 10resenhas de zines, discos, livros e vídeos que fala sobre a bebedeira de Amador, sacada. Também foram muito boas a anos. Nessa edição especial bemcompõe as suas edições que, embora um tipo que se embrenha no bosque para entrevista com Daniel Galera (#2) e as CANCRO Como você define os temas das edições simples (uma folha A4 dobrada em dois)sem periodicidade definida, sempre estão pegar as cachaças de uma macumba matérias “Esse Mundo É Nosso” (#7) #1 ao 5 / A6 / 16 pags. / xerox / 2010 do fanzine? temos como principal texto o “Guerra docirculando por aí. Um verdadeiro monu- e volta em companhia de um cara bem e “No Coração do Cinema, a Sala de Um zine literário que aposta em contos, Os zines são definidos por assuntos de Paraguai Zombie”, seguindo a tendênciamento vivo de resistência (contra)cultural esquisito que faz a noite ficar ainda mais Projeção”(#6). Por outro lado, eu não poesias e alguns quadrinhos, com parti- meu interesse, mas que são de de certa literatura em revisitar certosque, se você ainda não conhece, deveria louca. O humor fica por conta das tirinhas vejo o ponto em dedicar matérias para cipação de autores variados. O que mais interesse pra muita gente também. livros/eventos e reescrevê-los em umamorrer de vergonha. (LM) “Quase engenheiros”, uma boa sátira diretores como Quentin Tarantino (#5), me chamou a atenção nesse zine foram Escolho um tema “X” e faço uma tônica fantástica. Nesse caso, o texto avisofinal@gmail.com com esse pessoal das calculadoras e Tim Burton (#4) ou Woody Allen (#3). São os contos: curtos, retos e, por vezes, sur- pequena pesquisa criando um pequeno mostra muito bem o que foi a carnificina www.fotolog.com/aviso_final fórmulas incompreensíveis. Importante escolhas meio óbvias e, excetuando o preendentes. Alguns deles conseguiram conteúdo como introdução. dessa guerra covarde, onde o Brasil teve comentar também sobre o editorial, que caso de uma entrevista exclusiva ou de alcançar aquele grau de tensão que Julio Pra ficar mais divertido, eu procuro por um papel preponderante. Afinal, por queAVISO FINAL - EDIÇÃO ESPECIAL é um guia divertido sobre como apreciar uma análise diferenciada de suas obras, Cortázar, um dos grandes contistas da algo que tenha alguma relação com você acha que o Paraguai é tão pobree.e. / A5 / 24 pags. / xerox / 2010 um fanzine independente. (LM) toda informação sobre as biografias e literatura mundial, acreditava ser o núcleo este tema como ciência, história, assim? Há também poesias de inspiraçãoSe manter ativa uma publicação por 20 murilo.soza@gmail.com filmografias desses senhores pode ser diferenciador do conto como gênero comportamento, cultura... Daí eu os gore e crítica social, além de uma lista deanos é um feito raro até no mercado edi- www.cavandocomacolher.blogspot.com “googleada” sem esforço algum. literário: é o caso de “Simão”, que lemos conecto formando um mosaico links para páginas de bandas, distros etorial profissional, o que dizer então sobre Algo interessante em ter a oportunidade impacientes e ao chegar ao final somos interessante. zines. (LM)um fanzine com essa idade? Aviso Final, CAFÉ ESPACIAL de ler os 7 números da revista é acom- surpreendidos por um fato completamen- enriqueddo@hotmail.comeditado por Renato Donisete, é um dos #1 / 14 x 21 cm / 48 pags. / offset / 2007 panhar seu evidente amadurecimento. te inesperado. “Manicômios juvenis” fala Fazer zines de papel em um mundo www.cgzine.blogger.com.brpoucos que conseguiram essa façanha. #2 ao 7 / 14 x 21 cm / 60 pags. / offset / Cada edição parece mais coesa e bem sobre um tipo que faz uma visita a um dominado pela Internet. Qual oComo parte das comemorações deste 2008 - 2010 resolvida que a anterior. Conquistar centro de recuperação para drogados e sentido? CHRISTA COREaniversário, foi lançada essa simpática Café Espacial é uma revista independente uma identidade é algo difícil para uma saí de lá consciente de que droga pode O sentido é passional pra quem é zineiro. e.e. / A5 / 12 pags. / xerox / 2008edição especial do Aviso Final. Nela, o que ganhou merecido reconhecimento publicação com proposta tão eclética, e ser muita coisa: “Não é só o crack ou a Nunca fui contra os ditos “e-zines”, Esse zine tem a proposta de falar deleitor encontrará uma sucinta biografia e notoriedade ao longo das 7 edições sem dúvidas eles estão caminhando na pasta, mas os sites de relacionamento, mas receber pelo correio os zines de hardcore/punk e cristianismo através dedo zine seguida de reproduções das lançadas até o fechamento deste direção certa. (DU) a masturbação, as novelas, as igrejas, papel é muito mais legal. A internet quadrinhos. Fazer essa resenha não écapas dos 27 números já lançados, Anuário. Idealizada por Sergio Chaves cafeespacial@gmail.com as lojas de roupa, as universidades, as ainda mantém um contato frio entre as algo fácil, visto que essa aproximaçãoonde se torna evidente a compreensão após alguns anos de fanzinagem, surgiu www.cafeespacial.com pizzarias (...) Toda essa merda que nos pessoas. entre algo que, pelo menos em teoria, éampla que Renato possui da cena punk/ com o objetivo ambicioso de propagar ajuda a escapar da outra merda na qual contestador e antidogmático com a podri-hardcore, foco de sua publicação. Livre arte “na total amplitude da palavra”, de CAMIÑO DI RATO chafurdamos.” Mas foi “Angústia noturna” dão ideológica cristã sempre soou para #1 ao 3 / 21 x 28 cm / 48 pags. / offset / o conto que mais me chamou a aten- mim como algo suspeito, uma tentativa 2008 - 2010 ção, por conseguir captar um pouco da de conquistar novos fiéis através de um Camiño Di Rato resgata um tipo de publi- complexa sensibilidade feminina (o autor cristianismo superficial e tolerante –e cação que gozou de certa popularidade é um homem, vale dizer) e pelas belas Tem tudo para crescer e virar um zine que garante fiéis para lotar os templos e, nos anos 90 e que revelou ao mundo metáforas envolvendo o cair da chuva, bacana. (DU) claro, pagar dízimos. alguns artistas que viriam a ser “meda- suor e esperma que transformam a cena murilo.soza@gmail.com Voltando ao zine: o personagem principal lhões” da nona arte: revistas com HQs de da morte ao final em algo muito belo. www.cavandocomacolher.blogspot.com é o Seu Madruga (isso mesmo, o eterno autores de diferentes estilos, com miolo Que o Cancro se espalhe! (LM) devedor de nove meses de aluguel) que preto e branco em papel jornal e capa gilvieiracosta@hotmail.com CARTUM luta contra o seu próprio reflexo do es- colorida. Mil Perigos, Tralha, Megazine, www.cancrozine.blogspot.com #57 e 58 / A5 / 28 pags. / offset / 2010 pelho. O roteiro é a letra de uma música Porrada Especial... Marcas de um tempo Vem da cidade de Brusque, no interior do Rodox, banda cristã fundada pelo em que as prateleiras de quadrinhos nas CARA DE PAU catarinense, essa peculiar publicação ex-vocalista do Raimundos. Difícil dizer bancas de revistas ainda não haviam sido #1 / A5 / 12 pags. / digital / 2010 humorística. Idealizada e produzida pelo qualquer outra coisa, já que para mim as divididas exclusivamente entre os enla- Zine de quadrinhos editado por Murilo prolífico Aldo Maes, Cartum é recheada coisas não se encaixam. (LM) tados americanos e os japoneses. Mas Souza e Morgana Mastrianni. Metade com os quadrinhos, tiras e passatempos cronicas34@hotmail.com deixemos de lado o saudosismo por ora. deste número é reservado à HQ “100 do autor, mantendo sempre um nível www.myspace.com/saraucomics Nas três edições já lançadas da Camiño Passos”, com desenhos da Morgana “humor para toda a família”. di Rato, nomes consagrados convivem e texto de Julio de Castro. Boa história Chama atenção a quantidade de peque- COISAS QUE SE CONTAM lado a lado com novos talentos e a sobre adolescência, com desenhos nos anúncios veiculados aqui: todos os #1 ao 5 / 10,5 x 10 cm / 12 pags. / xerox miríade de temas vai do humor político simples, soluções gráficas interessantes espaços (até mesmo a capa!) são ocupa- / 2008 aos questionamentos existenciais, com e um humor meio melancólico. O restante dos pelas extravagantes mensagens do Zine literário que reúne contos e poesias resultados na maioria das vezes bem é dividido entre duas tiras da Família Cruz comércio local. Imagino que seja assim do escritor/editor Márcio Araújo, que edita positivos. Dos autores que me eram (criação de Murilo sobre uma família de que Aldo consiga manter a periodicida- também um blog. Os contos, brevíssi- desconhecidos, destaco o Al Greco, com vampiros), dois cartuns da Morgana e de mensal e a impressão inteiramente mos, compõe a maior parte das ediçõesCancro um trabalho que remete às antigas HQs biografia dos autores. Curto e promissor. colorida de sua revista. O lado negativo é do zine, e muitas vezes com desfechos10 UGRA PRESS - 2011 1o ANUÁRIO DE FANZINES, ZINES E PUBLICACÕES ALTERNATIVAS 11
  7. 7. surpreendentes –como o excelente “Pe- CONVERSAS PARALELAS pelo Brasil também sejam contemplados uma frase sintetiza a mensagem: “Se a banda do ex-vocalista dos Raimundoscado”, que versa sobre a reação de um #1 / A5 / 8 pags. / xerox / 2009 com iniciativas deste tipo. (DU) você gostou da escola, vai amar o que virou crente, e a reprodução de umapadre ao ouvir a confissão dos excessos #2 / A5 / 8 pags. / xerox / 2009 sill.comix@uol.com.br trabalho”. Tão real que até dói. (DU) matéria da Veja chamada “Rebeldes,sexuais de uma linda jovem adepta dos #4 / A5 / 12 pags. / xerox / 2010 www.sillcartum.wordpress.com smartalexster@gmail.com mas nem tanto”, que mostra uma visãojogos de Safo. (LM) #5 / A5 / 16 pags. / xerox / 2010 completamente tendenciosa do punk marcioliterato@gmail.com Colagens, letras datilografadas, fotos e CURTO CIRCUITO DEUSES & METRALHADORAS brasileiro. Ora, galera, Veja é a revista www.fanzineliterario.blogspot.com rabiscos feitos a mão: a essência mais GRANDES INTERAÇÕES n.u. / 13,5 x 18,5 cm / 68 pags. / mais podre desse país, não merece ser clássica da fanzinagem é a tônica desse #1 / A4 / 13 pags. / digital / 2010 digital / 2009 reproduzida em zine não! (LM)CONSEQUÊNCIAS zine que especialmente em sua edição Interações Estéticas é um prêmio da Fu- Zine-livro que reúne as reflexões do cronicas34@hotmail.comn.u. /15 x 23 cm / 20 pags. / offset / 2008 de outubro de 2010 (a mais recente até narte que contemplou artistas residentes feiticeiro-filósofo Asmodeus, persona- www.myspace.com/saraucomicsConsequências é uma HQ de Caio a data de composição dessa resenha) de Pontos de Cultura em vários lugares gem criado pelo editor. Este “manualMajado originalmente concebida em 2006 mistura português e espanhol em seus do Brasil. Este fanzine, por sua vez, é o para hereges” possui capa colorida e DOUJINSHI TATSUpara o projeto Front, da Editora Via Lette- textos ora diretos, ora introspectivos. De resultado das intervenções de 3 artistas uma diagramação bem similar a de um #9 / A5 / 24 pags. / xerox / 2010ra. Vetada da revista por sua extensão e certa forma, esse último número é o regis- convidados a participar da etapa paulis- livro, com fontes bem grandes. Há um Fato: a produção de fanzines de mangá épor ter sido ilustrada com um traço “muito tro das impressões do editor sobre uma tana do Circuito Interações Estéticas, um apêndice de imagens (bastante inspira- uma das mais organizadas e numerosasmainstream”, ela foi finalmente editada temporada na Argentina, em contato com evento que percorreu algumas cidades das em mangás), além de mapas e uma dentre o montante de fanzines editadosem volume próprio com o apoio da ABRA a cena hardcore da província de Buenos do país levando os artistas contemplados carta manuscrita, todos feitos pelo editor. no Brasil. Os admiradores dos quadrinhos(Academia Brasileira de Arte), escola Aires. Há também a genial HQ “Politikis- pelo prêmio. Colaboram nesta edição a Tais imagens mesclam-se com o texto, e animações nipônicos constituem mes-onde Caio é professor. to”, assinada por Insekto, um nome muito Carol Ribeiro com seus haicais, o Wendell um misto de ensaio e narrativa, onde o mo uma subcultura: têm suas publica-De fato, o traço - e também o enredo, por conhecido no circuito punk/hardcore de Sacramento com suas HQs e nosso objeto da crítica é bem claro: a crença ções, seus próprios eventos e até mesmosinal - têm um jeitão bem americano e Porto Alegre. (LM) querido Law Tissot, que coordenou a em qualquer tipo de divindade como algo seu próprio linguajar.mainstream. É aquela coisa de supera- toscotilldeath@hotmail.com publicação e colaborou com algumas que diminui os homens. Sobram críticas Dentre os zines de mangá que rece-ção e vingança que todos conhecemos. www.flickr.com/setuabossafossenova ilustrações. O zine foi feito meio de sope- não apenas para as religiões, mas tam- bemos, Doujinshi Tatsu, do capixabaMas é uma história muito bem contada, tão e em condições não muito favoráveis, bém para outras “divindades” de nosso Adriano Takamura, é o que mais trazde qualquer maneira. E, goste ou não do CORDEL COMIX mas passa o recado. (DU) universo pop, como as sub-celebridades à tona o lado “fã” da coisa. Aliás, “fã”estilo, Caio está desenhando muito. As n.u. / A5 / 132 pags. / offset / 2009 tissot_law@yahoo.com.br de reality shows e até mesmo o consumo não: otaku. Além de publicar sua própriaúltimas páginas, dedicadas aos sketches Há mais de 20 anos, o caruaruense Sill www.fanzinotecamutacao.blogspot.com do “deus-cerveja”. (LM) história, Angel´s Dimension (que, por serrealizados pelo autor, onde é possível ver desenha seus cartuns e HQs de uma pá- ouroboros.santos@gmail.com continuação de episódios iniciados ema evolução e a estrutura das persona- gina carregados de referências à cultura DANDO PALA edições anteriores, não consegui acom-gens, formam um interessante comple- nordestina e de críticas à sempre contur- #1 / A5 / 8 pags. / xerox / 2010 DISCURSO ANTI-CONFORMISTA panhar direito), o autor incluiu tambémmento para a publicação. (DU) bada situação político-social brasileira. Colagens, desenhos rabiscados, recor- e.e. / A5 / 16 pags. / xerox / 2007 uma entrevista com a mangaká Monique, caiomajado@ig.com.br Parte deste trabalho, que ao longo dos tes, manuscritos: o Dando Pala aposta Zine punk cristão com matérias sobre o uma matéria sobre o anime Shoujo Kaku- www.caiomajado.blogspot.com anos foi publicado em diversos jornais na sujeira visual em breves oito páginas CBGB, Gang of Four, resenha dos docu- mei Utena, um artigo sobre o quanto a locais e no fanzine Cordel Comix, está que destilam inconformismo e questiona- mentários Botinada e Punks are alright e internet torna fria a relação entre os tomo-CONTRA ARTE ARTE CONTRA agora reunido em um caprichadíssimo mento. “Notas de um hedonista maldito” uma reprodução da coluna do Mario Tos- dachis, uma biografia do astro do j-rock#1 / A5 / 40 pags. / xerox / 2010 livro editado com incentivo do governo de abre o zine com o estilo gráfico bastante cano, do extinto (e ótimo) zine Contraven- Hyde e uma seção de tegamis. E se vocêZine de imagens, algumas muito abstra- Pernambuco. comum nos zines anos 90, onde se ção, abordando certas neuroses típicas não entendeu nada, relaxa: nas últimastas e outras mais figurativas. A capa, no Simplicidade é a palavra chave no traba- recortava um texto linha a linha que, em da cena punk/hardcore (acho apenas páginas tem um providencial “vocabuláriotradicional papel marrom do coletivo, tem lho de Sill – o que não é demérito algum, seguida, eram anarquicamente coladas que deveria ser citada a fonte, pois muita otaku”. Arigatô, Adriano! (DU)o nome do zine marcado sobre pince- como nos lembra o depoimento de Henry pela página. Completa o zine um trecho gente não saberia identificar isso...). adrianotatsu@yahoo.com.brladas de tinta guache negra. As ilustra- Jaepelt na contracapa do livro. O traço de Schopenhauer de “A arte de escrever” Há também uma matéria sobre o Rodox, www.tatsuestudio.blogspot.com Dr. Sexta-Feirações, variadíssimas, apresentam traços é econômico e estilizado. As piadas são e a adaptação de um conto de Rubemdiversos, denunciando que se trata de diretas e debochadas, por vezes até Alves. As informações manuscritas àsuma obra coletiva. Há espaço para histó- ingênuas, típico humor de botequim. Mas vezes são ininteligíveis - o que pode serrias em quadrinhos e algumas colagens. o conjunto, no final, funciona muito bem: até mesmo proposital, mas no caso deNão há textos, mas isso não impede que é divertido e cumpre exemplarmente seu informações de contato do editor pode 3 perguntas para Você já disse algumas vezes que criar quero trabalhar com ilustração editorial eseja possível ler nessas uma grande pro- papel de retratar sem firulas a realidade ser melhor deixar mais claro. (LM) histórias em quadrinhos é, para você, um de livros infantis; pretendo desenhar umasximidade com o discurso anticivilização. do país e do povo. dandopala600ml@gmail.com RODRIGO OKUYAMA processo penoso. Ainda assim, o resultado histórias que havia pensado e agora estáÓtima opção para presentear amigos Cordel Comix, o livro, é um justo reco- apresentado aos leitores é sempre muito amadurecida para compor alguns livros.designers ;-) (LM) nhecimento ao trabalho de um artista DELINQUÊNCIA ACADÊMICA É cada vez mais fácil e barato para um bom. O que acontece? Você já chegou a casa@riseup.net peculiar. Esperamos que outros autores n.u. / A5 / 16 pags. / xerox / n.i. editor independente lançar publicações pensar em abandonar as HQs? Em 2010, o La Permura esteve presente contraarte.noblogs.org D.A. é um zine emputecido, rebelde com aspecto profissional, chegando a re- Fazer o fanzine me força a desenhar histórias em uma exposição na Turquia. e subversivo. O foco é a crítica à sultados muito próximos aos das revistas em quadrinhos: tenho dificuldade pois tento Como surgiu essa oportunidade? HouveCONTRA MÃO Consequências universidade e ao mundo acadêmico, comerciais. Por que a decisão de apostar mudar meu traço em cada nova história. Por algum retorno?#1 / A4 / 24 pags. / xerox / 2010 enfatizando o quanto este meio em edições com acabamento artesanal e um lado acho que cada história precisa de uma A oportunidade de participar da exposiçãoProjeto coletivo idealizado durante o abandonou seu papel de disseminador tiragens limitadíssimas? abordagem única (e o visual conta muito) e, por “Even My Mum Can Make a Book” veio doPrimeiro Encontro de Zineiros, ocorrido de cultura e saber para tornar-se um Creio que as edições independentes possam outro, tenho medo de me prender a um estilo convite do Gamze Özer, um dos organiza-em janeiro de 2010 na cidade de São ambiente conformista e conivente com as ser pensadas de maneira diferente das edi- de desenho.O correto para um desenhista é dores. Ele conheceu meu trabalho no FlickrPaulo. Reúne textos de vários autores / outras esferas do poder. ções com grande tiragem: existe a possibili- se prender a um estilo e buscar um aprimora- e me contactou por e-mail perguntando seeditores com foco no universo zinístico e Felizmente, o que esta publicação dade nos zines de encadernações diferentes, mento pela prática. Por este motivo nem me não queria enviar uns trabalhos.na cultura punk, dos quais se destacam oferece não é desabafo juvenil, mas dois usar papéis diversos, pensar em outro tipo considero um “desenhista”; não tenho uma Os organizadores colocaram num siteo depoimento de Renato Donisete sobre textos bem construídos e provocativos. de impressão (que fuja do off-set), etc; pois postura de um profissional. (http://evenmymumcanmakeabook.tumblr.os 20 anos do Aviso Final e a entrevista O primeiro deles, aliás, escrito por busca um público que não está interessado Talvez o próximo número do “La Permura” com/) videos e fotos da exposição.com a banda inglesa Inca Babies. Projeto Maurício Tragtenberg em 1978, na publicação tradicional. A baixa tiragem é seja o último, ou eu fique um bom tempo sem É legal ter esse registro de edições inde-gráfico assinado por Katz (também editor impressiona por manter-se amargamente reflexo deste público diferenciado, mas de produzir quadrinhos e fanzines. Apesar de ter pendentes diferentes de tudo que é lugar dodo Kaderno Bomba Zino), com seu estilo atual mais de 30 anos após sua menor número. algumas ideias para os próximos números, mundo e um público interessado em vê-las.inconfundível. (DU) apresentação no I Semanário de contramaozine@yahoo.com.br Educação Brasileira. Na quarta capa,12 UGRA PRESS - 2011 1o ANUÁRIO DE FANZINES, ZINES E PUBLICACÕES ALTERNATIVAS 13

×