sicoob.com.br
Abra uma Poupança Sicoob. E deixe seu porquinho livre para fazer
tudo que não pode quando está cheio de moed...
OPINIÃO2
12.06.2015
SEXTA-FEIRA
Carta ao Leitor
JULIANO ROSSI |juliano@jornalcidademg.com.br
Vereador coloca em dúvida
ava...
COTIDIANO4
12.06.2015
SEXTA-FEIRA
EM SANTO ANTÔNIO DO MONTE
DOAÇÃO DE TERRENOS Foram assinadas na última segunda-feira (08...
COTIDIANO 5
12.06.2015
SEXTA-FEIRA
Lar São Vicente de Paulo
tem novo presidente
LAGOA DA PRATA
DA REDAÇÃO
redacao@jornalci...
CULTURA6
12.06.2015
SEXTA-FEIRA
EM LAGOA DA PRATA
MOTO SUNSET Acontecerá em Lagoa da Prata, do dia 2 a 5 de julho, o Moto ...
POLÍTICA8
12.06.2015
SEXTA-FEIRA
EM LAGOA DA PRATA
MAIS RECURSOS A Câmara Municipal aprovou no dia 08/06, projeto de lei q...
POLÍTICA 9
12.06.2015
SEXTA-FEIRA
Criação do Parque dos Buritis: projeto está
arquivado na Câmara Municipal
LAGOA DA PRATA...
POLÍTICA10
12.06.2015
SEXTA-FEIRA
Prefeitura pretende gastar 100 mil
reais na ExpôSamonte
S. A. DO MONTE
DA REDAÇÃO
redaca...
POLÍTICA 11
12.06.2015
SEXTA-FEIRA
Dinho do Braz: “Vou colocar ordem na
casa e tentar a reeleição”
S. A. DO MONTE
DA REDAÇ...
Untitled-1 1 26/05/15 09:52
MEIO AMBIENTE12
12.06.2015
SEXTA-FEIRA
Mobilização em prol do Rio São
Francisco reúne mais de ...
Causos e Prosas
JOSÉ ANTÔNIO |bandeirantes@isimples.com.br
Omelete
Menino matar aula é co-
mum, mas no meu tempo
era difer...
SOCIAL14
12.06.2015
SEXTA-FEIRA
Estrelando
MICHELE PACHECO |michele@jornalcidademg.com.br
Fotos: Michele Pacheco
Cobertura...
SOCIAL 15
12.06.2015
SEXTA-FEIRA
Estrelando
MICHELE PACHECO |michele@jornalcidademg.com.br
Boate Lacabana
COOPERATIVISMO16
12.06.2015
SEXTA-FEIRA
INFORME PUBLICITÁRIO
Sicoob Crediprata e Cooesteios realizam o 1º Encontro
com Pro...
Jornal Cidade - Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte e região - Ano III Nº 51
Jornal Cidade - Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte e região - Ano III Nº 51
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Jornal Cidade - Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte e região - Ano III Nº 51

674 visualizações

Publicada em

http://www.jornalcidademg.com.br |
Jornal Cidade - Ano III - Nº 51 - 12 de Junho de 2015
Principais notícias das cidades do centro-oeste mineiro. Notícias de Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte, Moema, Pedra do Indaiá e Japaraíba.

Publicada em: Notícias e política
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Jornal Cidade - Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte e região - Ano III Nº 51

  1. 1. sicoob.com.br Abra uma Poupança Sicoob. E deixe seu porquinho livre para fazer tudo que não pode quando está cheio de moedas. Poupe no Sicoob Crediprata UM JORNAL A SERVIÇO DO POVO • Ano III - Ed. Quinzenal Nº 51 - Sexta-Feira, 12/06/2015 • Lagoa da Prata, S. A. do Monte, Moema, Japaraíba e Pedra do Indaiá LAGOA DA PRATA Leia na pág. 11 Leia na pág. 05 “Vou colocar ordem na casa e tentar a reeleição” Em sua primeira entrevista desde que tomou posse, Dinho do Braz (novo prefeito de Santo Antônio do Monte) fala dos desafios que terá à frente do município. SANTO ANTÔNIO DO MONTE LAGOA DA PRATA Embaré comemora 80 anos com expectativa de crescimento de 15% em 2015 Leia na pág. 04 Foto: Lauro Júnior (Foto Rocha) Lindomar dos Santos toma posse como novo presidente do Lar São Vicente de Paulo
  2. 2. OPINIÃO2 12.06.2015 SEXTA-FEIRA Carta ao Leitor JULIANO ROSSI |juliano@jornalcidademg.com.br Vereador coloca em dúvida avaliações das imobiliárias de LP Natinho e Cida Marcelino solicitaram a contratação de um perito para avaliar terrenos que o município pretende permutar, mas foram derrotados pela maioria na Câmara EstáemtramitaçãonaCâ- mara Municipal de Lagoa da Prataumprojetodeleiqueau- torizaomunicípioapermutar (trocar) um terreno de 6.000 metros quadrados, localiza- doàsmargensdarodoviaMG- 170, no bairro Chico Miranda, porumimóvelconstruídoem umterrenode400metrosqua- drados na rua Bela Vista. Três imobiliárias fizeram a avalia- ção dos imóveis em questão, mas os vereadores Fortunato doCouto(Natinho)eCidaMar- celino,pormeiodorequerimen- to109/2015,pediramàpresidên- ciadaCâmaraquecontratasse umperitoavaliadorquenãoes- tivessevínculocomasempre- sasdacidade.Orequerimento foirejeitadopor5votosa3. Overeadorargumentaque oprojetodepermutadoExecu- tivonãoespecificacomooter- renodoadoseráutilizadoeres- saltaqueoimóvelédeproprie- dadeparticular.Masdeacordo comoprefeitoPauloTeodoroe osvereadoresquerejeitaramo requerimento, a área às mar- gensdarodoviaseráutilizada pela empresa para a constru- çãodeumcentrodedistribui- çãodaPharlabquepoderágerar maisempregoserendasaomu- nicípio.Eoimóvelqueseriado- adoemcontrapartida,deacor- docomprefeitoPauloTeodoro, iráabrigarserviçosdesaúdee diminuirosgastosoaluguel. Natinho colocou em dú- vidaasavaliaçõesfeitaspelas imobiliáriasdeLagoadaPrata. “Essaavaliação(deumperito)é muitoimportanteatéparasa- bermoscomoestãoasavalia- çõesfeitaspelasimobiliáriasda cidade,seestãocertasousenão estãocertas”,afirmouoverea- dor. Aco-autoradorequerimen- tocorroborouopedidodocole- ga. “Está certo, vai dar empre- gosparaapopulação,masvai gerarganhosparaaPharlab.O quequeroéqueaCâmaratraga umperitodevalorparaavalia- ção”. A presidente da Câmara, vereadoraQuelliCouto,apesar denãovotar,declarou-sefavo- rávelaorequerimento.“Se vai geraremprego,ótimo! Nãosa- bemosovalordosimóveis.Pe- dimos o profissional da área que nos mostre se os valores sãocondizentes.Eseforcons- tatado,ninguémtemnadacon- traàPharlabexpandirparaláe gerarempregos”. VEREADORESDISCORDAM Os vereadores apresenta- ramváriospontosdevistasso- breorequerimento.PauloRo- berto argumentou sobre o in- centivoàgeraçãodeempregos. “Seonegócioéfeitoparapoder gerarempregoerendaatravés daconstruçãodeumcentrode distribuiçãodaPharlab,ótimo. Achoatéqueomunicípiodeve- riadoaroterrenoàempresa”. OvereadorDi-Giannetam- bémseguiuamesmalinhade posicionamento.“Sedesseum loteparaaPharlabgerarempre- gosnãohaveriaquestionamen- tos.Entãoporqueapermutage- raquestionamentos?”. JáovereadorAdrianoMo- reiraargumentouquesempre queaCâmaraexigiunovasava- liações,estasapresentaramos mesmos resultados. “Pedi no outromandatoejápedinesse. E o resultado deu no mesmo. Sãotrêsimobiliáriasmuitosé- rias,commaisde20anosdeex- periência”,afirmou. OparlamentarEdmarNu- nes defendeu o histórico das imobiliárias locais. “As imobi- liáriasquefizeramaavaliação foramaJOImóveis,BReRCA queavaliaram.ADra.Janaina, daRCA,éadvogadaetemcur- sodeperitoimobiliário.Querdi- zerqueocursodelanãotemva- lidade?Aquelapermutavaiaca- barcomtrêsaluguéisqueapre- feiturapagaatualmente”,argu- mentou.
  3. 3. COTIDIANO4 12.06.2015 SEXTA-FEIRA EM SANTO ANTÔNIO DO MONTE DOAÇÃO DE TERRENOS Foram assinadas na última segunda-feira (08), na Câmara Municipal de Santo Antônio do Monte, as escrituras de posse dos terrenos doados ao Núcleo do Câncer e à Coopersam. As doações foram solicitadas através de Projetos de Lei, aprovados por unanimidade na Câmara Municipal. Embaré comemora 80 anos com expectativa de crescimento de 15% em 2015 LAGOA DA PRATA DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.br A história da Embaré co- meçouem15demaiode1935, na Granja Embaré, em Tau- baté, no interior do estado de São Paulo. A Inglez de Souza, comoerachamadanaépoca, produziadoces,geleias,sopas e derivados de tomate. E em 1947,iniciouaproduçãodeca- ramelos. LagoadaPratadesempe- nhou um papel fundamen- talnahistóriadaEmbaré.Em 1961, Haroldo Antunes e Her- bert Schmidt compraram a empresa Laticínios Lagoa da Prata,quedoisanosmaistar- deassumiuocontroledaPro- dutosAlimentíciosEmbaré. Na década de 80, a em- presa celebrou um contrato associativo com a Kraft Foo- ds–entãoamaiorprodutora dealimentosdosEstadosUni- dos.Aparceriaresultounain- corporação de novas tecno- logiasdeproduçãoemaiores inovações. Desdeosanos90aEmba- rétemfeitoinvestimentosna expansão do parque indus- trial, em novos produtos e na análise do leite, sua princi- pal matéria-prima. Em 2000, foram investimentos 28 mi- lhões de reais para garantir a qualidademáximadoleite. CRESCIMENTOE RECONHECIMENTO Os investimentos cons- tantes em tecnologia e ino- vação, e a gestão estratégica sempre atenta às mudanças do mercado consolidaram a Embarécomoumadasmaio- resprodutorasdelaticíniosdo Brasil. Nestes 80 anos, a em- presasemanteveforte,supe- randoasdificuldadeseosde- safios do setor. Os números confirmam: 6ª maior capta- dora de leite do país; 2º lugar nas vendas de leite em pó na regiãoNordeste;presençano ranking das 50 marcas mais preferidas pelos consumido- res brasileiros (a Camponesa ocupaa36ªposição);aumento de57%noquadrodecolabora- dores nos últimos dez anos e 4 mil produtores diretos e in- diretos.Em2011,aEmbaréen- trounomercadodeleiteslon- gavida.OleiteemcaixaUHT “Camponesa”jáéomaisven- dido na Região Metropolina de Belo Horizonte e o segun- doemMinas. A Embaré pretende cres- cer 15% em 2015 em relação ao ano anterior. “Apesar das dificuldades que o mercado apresenta,sempreinvestimos muitoparagerarmaisempre- goseprodutosdequalidadea preçosjustos”,afirmaopresi- denteHamiltonAntunes. Aempresaéamaiorcon- tribuintedomunicípioegera 1.676empregosdiretosemLa- goadaPrata. REFORMADALOJA DEVAREJO Nodia28demaio,aEmba- ré apresentou a sua nova Lo- ja de Varejo (com nova deco- raçãoeespaçoreadequado)e arevitalizaçãodaPraçaChico Silveira,querecebeunovocal- çamento,canteirosrenovados emelhoriasnailuminação. Acerimôniadeinaugura- çãocontoucomapresençada diretoria executiva e colabo- radores da Embaré, políticos, empresários,profissionaisli- beraiseaapresentaçãodoco- raldaempresa. O presidente da empre- sa, Hamilton Antunes, falou em seu pronunciamento so- bre o crescimento da empre- sa. “Há 54 anos, chegávamos aestacidadeparaoperaruma modestafábricadelaticínios, quehojealcançaasextaposi- çãoentreasmaiorescaptado- ras de leite do país. Nenhum objetivotinhasidoalcançado senãofosseoconstanteeca- lorosoapoiodetodaapopula- ção,queabraça,comorgulho, anossaqueridaEmbaré”,des- tacouAntunes. O vice-prefeito Ismar Ro- berto de Araújo (Roberto do Tuim), em seu discurso du- ranteacerimônia,ressaltoua importância da empresa pa- raomunicípio.“Quantascida- desgostariamdeterumaem- presacomoaEmbaréinstala- daeseuterritório?Todas,com certeza.Enóstemosessepri- vilégioeprecisamosvalorizar. A Embaré gera riquezas, em- pregos,rendaebemestarso- cial à população de Lagoa da Prata”,disse. Três gerações da família Embaré - Hamilton, Adriana e Haroldo Antunes Embaré apresentou a sua nova Loja de Varejo e a revitalização da Praça Chico Silveira Coral da Fundação Embaré Vista aérea do parque industrial da Embaré em Lagoa da Prata Fotos: Lauro Júnior (Foto Rocha) Empresa reformou a sua Loja de Varejo e revitalizou a Praça Chico Silveira Empresainvesteemedu- cação, arte, cultura e convi- vência de qualidade para a populaçãodeLagoadaPrata. •Fundação Embaré: Criada em 2002, é respon- sável pelo Centro de Educa- çãoInfantilArletteAntunes, creche escola que atende a 90 crianças da comunidade em período integral. •Centro Cultural Hilde Schmidt e Arce: Iniciativas que levam arte e eventos de qualidade para a comunidade. •Coral da Fundação Embaré: Grupo conta com 35 canto- resformado,emmaioria,por pessoas da comunidade. •Filatropia: A empresa faz doação men- sal de leite em pó para todas asinstituiçõesassistenciais da cidade. •Meio Ambiente: A Embaré está ampliando a sua Estação de Tratamen- to de Efluentes Industriais (ETEI) RESPONSABILIDADE SOCIAL NO DNA
  4. 4. COTIDIANO 5 12.06.2015 SEXTA-FEIRA Lar São Vicente de Paulo tem novo presidente LAGOA DA PRATA DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.br Lindomar Ribeiro dos Santoséonovopresidentedo Lar São Vicente de Paulo de LagoadaPrataevaidirigiros trabalhosnobiênio2015/2017. Aposseaconteceunoúltimo domingo(07/06)nasedecen- tral. A nova diretoria preten- de dar continuidade aos tra- balhos desenvolvidos sob a gestãodoex-presidenteAloi- sioMagnodeCastro.“Agrade- çoadiretoriaquehojeencerra ostrabalhos,digoquetodosfo- ram muito importantes e pe- çoaDeusporcadaumdevo- cêsepeçoaDeustambémque permitaanós,quehojecome- çamos,quepossamosconse- guir pelo menos dar sequên- cia nos trabalhos e que não deixemospararasatividades que hoje são realizadas”, afir- mouopresidenteeleitoLindo- mar. Anovadiretoriaqueiráas- sessorar os trabalhos do pre- sidente eleito é formada por Geraldo Ângelo Lacerda (1º vice presidente), Rosimeire das Dores (2ª vice presiden- Assumindo o Lar eu gos- tariadecontarcomaajudade vocês, mas não apenas uma ajuda para darmos aos nos- sos assistidos o remédio, a moraria, o alimento, o vestu- ário,masmuitomaisqueisso, eugostariadecontarcomvo- cês para darmos aos nossos assistidosacondiçãodelesse sentirem úteis. Que eles não se sintam um peso em nos- sa vida, mas muito pelo con- trário que eles se sintam im- portantes por fazerem parte denossavida. Fico pensando que tra- balhamos muito para ter- mos uma aposentadoria, on- depossamosentãotergaran- tiasmínimasdemoradia,ali- mentação,saúde,lazereves- tuário. Nesse raciocínio eu penseicomigo,osmoradores dolartemtudoisso,napráti- ca lutamos para dar a eles o básico e me perguntei. Por- que eles não estão felizes... o que falta... gostaria que cada umpensasse,maseuacredi- to que falta eles se sentirem úteis.Fiqueipensandoquan- tas vezes já levamos o nos- soassistidoemsupermerca- do para ele comprar o sabo- nete que ele gostaria de usar, para comprar o shampoo, para comprar uma fruta que ele gostaria de comer. Fiquei pensandoquedamostudona mão dele, será que é isso que gostaríamos que fosse feito por nós quando estivermos com nossa idade avançada? Fiqueipensandoquantasve- zes levamos nosso assisti- do para fazer uma caminha- da na areia da praia, quantas vezeslevamosnossoassisti- do para uma pescaria, quan- tas vezes convidamos nos- so assistido para um jogo de truco... Creio que ainda falta muito, pois Jesus disse que eleveioparatrazeravidaevi- da em abundância. Será que estamos levando para o nos- soassistidooqueelegostaria ouoquenósentendemosque sejabomparaele. Gostaria de iniciarmos um novo tempo, um tempo ondenóscomecemosatraba- lhar pensando em fazer com queapessoaidosavivamais, aproveite mais a vida e que chegueaoestágiodeacama- doapenasnosúltimosdiasde vida.Vamostentarpensarse o que estamos fazendo para onossoassistidoéoquegos- taríamos que fosse feito por nós, se estivéssemos no lu- gar dele. Vamos começar a trabalhar pelas pessoas ido- sasenãoapenaspelaspesso- as idosas assistidas pela So- ciedadeSãoVicentedePaulo. te),ÂngelaLacerdadeOlivei- raCampos(1ªsecretária),Ma- riaAparecidaCamposeSan- tos(2ªsecretária),SérgioMu- rilodosSantos(1ºtesoureiro) e Silvana Alves Ferreira Bor- ges(2ªtesoureira).OConselho FiscaléformadoporJoséCar- losBorges,AntônioEustáquio daSilvaeIsabeldeFátimaFer- reiracomotitulares,eCláudio DiasdeCastro,AloísioMagno deCastroeCláudioHenrique dosSantoscomosuplentes. Em entrevista ao Jornal Cidade, Lindomar falou so- breasprincipaisdificuldades que espera encontrar duran- te o trabalho. “Acredito que o maior desafio será a parte fi- nanceira. Essa é uma das maioresdificuldadesdetodas asentidadesqueprestamser- viços em Lagoa da Prata. Sa- bemosqueasexigênciassão muitasequeasreceitasfixas nãocobremasdespesas.Mas aomesmotemposeidagran- deboavontadedopovodeLa- goadaPrataquesempreajuda oLarVicentino,eassim,olar temconseguidofazerosaten- dimentosparaaspessoasque dependem,sejammoradores oupessoascarentesdenossa cidade”, afirma o presidente. Atualmente,oLarSãoVicente dePaulocontacomcinquenta moradores. Vicentinohá25anos,Lin- domarnasceuemGoianésia, noestadodeGoiás.Éfilhode OraciRibeirodosSantoseAli- ceLuizadosSantos. “Souoter- ceirofilhodeumtotaldeseis irmãosecrescemostodosvi- venciando exemplos de fé, esperança e amor demons- trados por nossos pais”, afir- mou. É casado com Nara Ra- quelBessasSantos,comquem temosfilhosViniciusBessas SantoseMariaBessasSantos. Lindomar Santos Nova diretoria do Lar dos Idosos em Lagoa da Prata TRECHO DO DISCURSO DE POSSE DO NOVO PRESIDENTE
  5. 5. CULTURA6 12.06.2015 SEXTA-FEIRA EM LAGOA DA PRATA MOTO SUNSET Acontecerá em Lagoa da Prata, do dia 2 a 5 de julho, o Moto Sunset 2015. São esperados mais de 5 mil motociclistas, o evento contará shows de várias bandas, apresentação de aeromodelismo e exposição de carros antigos. Adriano Moraes lança livro em Divinópolis Garoto de Moema publica o primeiro livro aos 7 anos de idadeLAGOA DA PRATA MOEMA DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.br DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.brO escritor e sociólogo AdrianoMoraeslançaráoseu livro “Caminho à Sobrieda- de” em Divinópolis. O even- to será realizado no próximo dia 25, às 19h, no Teatro Usi- naGravatá.Apublicaçãoreú- nepalestrasmusicaisquefo- ramministradaspelopróprio autoremgruposdeajudamú- tua,comooAmorExigente.De acordocomoautor,aobrafaz questionamentossobreovalor deumserhumanonosdiasde hoje,aimportânciadoconhe- cimento e da espiritualidade parasercapazdeperdoarasi mesmo,aDeusaaosoutrose aforçaqueumapessoapreci- saserlivre.Olivrojáfoilança- doemLagoadaPrataeSanto AntôniodoMonte,comaapre- sentaçãodevárioscantorese artistasdaregião. “Caminho à Sobrieda- de” tem como objetivo servir de base e referencial para o crescimentohumano.“Osdo- ze passos do perdão, que são abordadosnaobra,fazempar- tedeumconhecimentoquele- DiogoSousaGontijotem7 anos,nasceuemMoema,éfi- lhodeAnaPaulaGontijoSou- saeAndréTeixeiradeSousa. Deacordocomamãedogaro- to, desde os dois anos de ida- deelejáapresentavaumcer- tointeressepelaspalavras.“A partirdomomentoqueadqui- riucoordenaçãomotorapara folhearlivroserevistasdeseu interesse,quefoiporvoltados vaàlibertaçãodeváriassitua- çõesesentimentosdoentios. Esse livro foi concebido para servirapalestranteseaquem desejaterumaqualidadedevi- damelhor”,afirmaMoraes. Adriano ainda destacou que as palestras musicais apresentadas nas reuniões doAmorExigentefacilitamo entendimentoeareflexãodos participantesdogrupo.“Sem- pretenhooretornodaspesso- as nos dias posteriores à rea- lização de uma palestra. Elas mostramoqueaprenderame conseguiramcolocaremprá- ticanassuasfamílias”,disse. Olançamentodolivrocon- tarácomapresentaçõesartís- ticasemusicais.Estãoconfir- madasapresençadaorques- 2anos,Diogomostrouseuinte- ressetambémemescreveras suasprópriashistórias.Assim queaprendeuaescreversem- prepraticouosensinamentos obtidos na escola redigindo pequenashistóriasecomsua evoluçãoeducacionalashis- tóriastambémevoluíramem tamanhoeprincipalmenteem conteúdo”,afirmou. Emdezembrode2014Dio- goescreveuseuprimeirolivro “Opalhaçoquenãotinhagra- traAcordesdoMonte,doCoral daEmbaré,doCoraldaComu- nidadeTerapêuticaSãoFran- cisco,doCoraldaAssembleia de Deus, de músico Juliano Rossi,dopalestranteecoorde- nadorgeraldoProgramaPapo LegalRonaldoVianaedeRui Faria Campos, presidente do conselho municipal antidro- gasepresidentedaCasaDia. Oslivrosserãodisponibi- lizadosgratuitamenteeaex- pectativa é de que compare- çacercade300pessoas.“Levo oslivrosemtodasascomuni- dades terapêutica que tenho acesso, mas no dia do lança- mentotambémserágratuito. Olivroprecisachegaraquem precisachegar“,afirmouoes- critor. ça”,ondecontaahistóriadeum palhaço que foi procurar seu sorrisoparavoltaraproporcio- naralegriaaspessoas.“Elees- creveuemsuasfériasnomês dedezembrode2014efoipu- blicadonofinaldomêsdeabril de2015.Éimportanteressaltar queapublicaçãofoifeitadefor- maartesanalpornós,pais,com oobjetivode estimularointe- ressedenossofilhoparacom aliteratura”,destacou. AnaPaularessaltaqueboa partedolazerdeDiogoédese- nhareescreverhistóriaspara quepossacontaraosseusfa- miliares.“Escreverliteraturas infantiséumdossonhosdele, poisnasuaatualmentalidade egraudematuridade,segun- do ele, existe um mundo de imaginação,oqualeledeseja compartilhar com todos. Ele quersetornarumescritorpa- raquepossacontinuarescre- vendosuashistóriasecompar- tilharoencantamentoquepos- suiporelascomoutraspesso- as e nós contribuímos com o possívelparaisso”,afirmou. Livro será distribuido gratuitamente Diogo gosta de desenhar e escrever histórias Foto: Juliano Rossi
  6. 6. POLÍTICA8 12.06.2015 SEXTA-FEIRA EM LAGOA DA PRATA MAIS RECURSOS A Câmara Municipal aprovou no dia 08/06, projeto de lei que prevê o aumento de saldo da Sec. de Esportes para a realização de despesas no setor e Sec. de Educação, Procuradoria Municipal e Manutenção das Escolas de Ens. Fundamental. O valor aprovado é de R$150.000,00 Natinho acusa prefeitura de usar “dois pesos e duas medidas” na cobrança do ITBI LAGOA DA PRATA DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.br O vereador Fortunato do Couto (Natinho) acusou a Prefeitura de Lagoa da Pra- ta de estar usando duas alí- quotasdiferentesnacobran- ça do ITBI (Imposto de Tras- missão de Bens Imóveis In- ter-Vivos). As declarações aconteceram durante a dis- cussão de um requerimento de autoria dele, apresentado na sessão da Câmara no dia 1 de junho, que pede ao Mi- nistério Público que solicite informações junto aos car- tórios do município sobre as transações imobiliárias ocorridasapartirdejulhode 2013esobreosvaloresdoim- posto que foram recolhidos aos cofres públicos. Natinho argumentou que solicitou estas informa- çõesaoExecutivo,masado- cumentação não foi envia- daàCâmara.“Nãoforamen- viados os documentos, mas agora com essa permuta de áreas do Parque dos Buritis por áreas verdes dos bairros Cidade Jardim e Ernestina Bernardes,eupudeverificar na escritura o valor base da planta de valores que foi de acordo com a Lei Comple- mentar 42/2001, que insti- tuiuoCódigoTributárioMu- nicipal.Atépenseiquetives- sealgumenganonaescritu- ra e fui ao cartório verificar se realmente era verdadei- ro aquilo que eu estava ven- do,elásecomprovouquere- almente foi feito dessa ma- neira. Fica muito estranho ter duas plantas de valores no Código Tributário de La- goa da Prata para poder fa- zer o recolhimento do ITBI”, acusa. ENTENDA O CASO OmunicípiodeLagoada Prata possui um Código Tri- butário, instituído em 2001, que regulamenta o valor a ser cobrado do ITBI durante a transferência de um imó- vel,noatodaescrituraeleva em conta o valor de compra evenda.Porentenderqueos valoresestavamdesatualiza- dos,aadministraçãomunici- pal reajustou os valores por decreto instituído em julho de 2013. Em alguns casos, o impostosofreuumaumento de mais de mil por cento. Na época,osvereadoresNatinho e Quelli Couto fizeram uma representação no Ministé- rio Público contra a decisão do governo, mas o promo- tor Luis Augusto de Rezen- de Pena entendeu que ca- be à Secretaria Municipal de Fazenda verificar, caso a ca- so, quanto vale o imóvel, por meio de ato administrativo, elegitimouodecretodopre- feito Paulo Teodoro. Em abril de 2015, o Exe- cutivo enviou à Câmara um projeto de lei que autorizava a permuta de dois terrenos localizados no Parque dos Buritis, de propriedade par- ticular, por outros dois ter- renos, pertencentes ao mu- nicípio, situados nos bair- ros Cidades Jardim e Ernes- tina Bernardes. O projeto foi arquivado pela presidência do Legislativo, fundamenta- dopeloparecerdosvereado- resNatinhoeCidaMarcelino queparticipamdacomissão deLegislação,Justiçaereda- ção. Os demais parlamenta- res sequer tiveram a oportu- nidadedediscutirotextoem plenário. O vereador Natinho, ao comparar os valores dos lo- tes que seriam permutados, percebeu que o município haviacobradooITBIbaseado no código tributário de 2001, com valor menor ao que fo- radeterminadopelodecreto de2013.“Nósestamosverifi- cando que existem dois pe- sos e duas medidas. É mui- to estranho ter duas plantas devaloresnocódigotributá- rio para fazer o recolhimen- to do ITBI”, disse. “ESSAIRRESPONSABILIDA- DE NÃO TEM TAMANHO”, DIZ PREFEITO O prefeito Paulo Teo- doro se defende afirman- do que não houve ilegalida- de na cobrança do imposto e não houve prejuízo aos co- frespúblicos.Segundoele,os dois terrenos no Parque dos Buritis pertencem a dois ir- mãos, que decidiram trans- ferir a posse desses imóveis paraoadvogadodeles,como objetivodeagilizarostrâmi- tes burocráticos na permuta comomunicípio.“Nessepri- meiromomento,oadvogado procurouosetordecadastro parasaberquantovaleome- tro quadrado no Parque dos Buritis para fins de tributa- ção do ITBI. O chefe de setor de cadastro identificou que oParquedosBuritiseaPraia Municipal não têm valor de- finido na planta de valores. Não sabemos quanto vale. O advogado sugeriu que se co- brasse o que estava previsto noIPTU,valormínimodeta- bela. Cobramos até um va- lor acima do que constava naplantadoIPTU.Feitoisso, fizemos uma segunda ava- liação para fins de permuta dasáreas. Asimobiliáriasfi- zeramasavaliaçõesebusca- ram um equilíbrio. Então ti- vemos uma noção de quan- to poderíamos tributar o ci- dadãoqueestavapermutan- do a área com a prefeitura. O Ministério Público enviou um ofício mostrando que o valor desta segunda avalia- ção estava superior ao que fora declarado na transação provisória. Nós, obviamen- te, acatamos a recomenda- ção do MP e imediatamente notificamosoadvogado,que terá de complementar o va- lor recolhido do ITBI”, expli- ca o prefeito. Teodoro ainda comen- tou sobre a possibilidade de o município não conseguir viabilizar o Parque dos Bu- ritis.“Elesnãoestãofazendo oposição ao Paulinho ou ao Roberto, estão fazendo opo- sição ao povo. Nós podere- mosperderoParquedosBu- ritis porque simplesmente três vereadores e meia dú- zia de aventureiros não es- tão preocupados com a po- pulação. Está tudo travado na comissão de vereadores. Essairresponsabilidadenão tem tamanho”, lamentou. Vereador Fortunato do Couto (Natinho) Prefeito Paulo César Teodoro Fotos: Juliano Rossi Prefeito Paulo Teodoro diz que vereador é irresponsável e inconsequente. “Não há prejuízo aos cofres públicos e não há ilegalidade”.
  7. 7. POLÍTICA 9 12.06.2015 SEXTA-FEIRA Criação do Parque dos Buritis: projeto está arquivado na Câmara Municipal LAGOA DA PRATA DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.br Aáreaverdede72.600me- tros quadrados (o equivalen- teaoitoquarteirões)localiza- danaavenidaJoséBernardes Maciel, no bairro Marília, du- rantemuitosanosfoidepósi- todelixoeesgotoacéuaberto, quedisputavamoespaçocom os animais e afaunadolocal. BatizadadeParquedosBuritis (apenas no nome, porque, de fato,nuncaexistiuumparque ecológicopropriamentedito), oterrenoestádivididoemvá- rias propriedades particula- res, que foramloteadas acer- ca de 20 anos. E os proprietá- rios não podem construir por setratardeumaAPP(áreade preservaçãopermanente). A ideia de se fazer a obra do Parque dos Buritis sur- giu com o intuito de preser- var o meio ambiente, visan- do a criação de uma área de preservação ambiental no perímetro urbano. De acordo com o ambientalista e arqui- teto Carlos Brasil Guadalu- pe, desde 1965 a área do Par- quedosBuritiséconsiderada umaAPP,masfoiem1991que surgiuaideiadetornarolocal emumparque. Cravado no centro da ci- dade,acriaçãoefetivadoPar- quedosBuritisnuncafoiprio- ridade dos governos munici- pais, até que a atual adminis- traçãodecidiuproporalterna- tivas para a consolidação do parque.Aprimeira,equeestá arquivadanaCâmara,éopro- jeto de lei EM 92/2015, pedido para autorizar a permuta de terrenosentreosproprietários eomunicípio.“Atéomomento O prefeito Paulo Teodo- roexplicaqueatrocapropos- ta representa 25% da área do parque e será a primeira eta- pa do projeto. “Para viabilizar a permuta o município cede- riaumaáreadevalorfinancei- ro proporcional, hoje afetada com área verde, sendo desa- fetadacomestritaobediência ao Plano Diretor, ao delibera- dopeloCodemaeConselhoda Cidade”,afirmaTeodoro. as obras não iniciaram devi- do alguns trâmites do Minis- tério Público, pois a área não pertenceaomunicípio.Desse modo,nãotemcomoelaborar umprojeto.Atéomomento,a prefeiturarealizousomentea retiradadosesgotoslançados na área de vereda, mas nada podesefazerenquantoaárea não pertencer ao município”, afirmou o secretário de meio ambiente,LessandroGabriel. ARQUIVADO O projeto de lei sequer foi debatidoedeliberadoemple- nárionaCâmara.AComissão deConstituição,JustiçaeRe- dação,formadapelosvereado- resNatinho,CidaMarceloeDi- -GianneNunes,deuumparecer contrário,fundamentadapelo parecerjurídicodoLegislativoe porumarecomendaçãodoMi- nistérioPúblico,pelainconsti- tucionalidade,ilegalidadeein- juridicidade.Di-Giannefoivoto vencidoeseposicionoufavorá- velàdeliberaçãoemplenáriodo projeto.Nasequência,oprojeto foiarquivadopelapresidência daCâmara. Dentreospontosdediver- gência entre a comissão e o chefedoExecutivo,estáade- safetaçãodasáreasverdesnos bairros Cidade Jardim e Etel- vinaMiranda,queseriamper- mutadascomosproprietários dosterrenosnoParquedosBu- ritis.“Hádivergênciasnadou- trinaejurisprudência.Basea- donoEstatutodaCidadeana lei6.766/79,atualmenteéim- possíveldesafetaráreaverde”, informouoparecer. Outropontodediscordân- ciafoiaavaliaçõesdosterrenos. “Existem alguns imóveis que foramavaliadospelasimobili- áriasTerraVivaeHélioBento deBessas.Nosmesmos,notou- -sequeoproprietárioparticular estarialevandoumprejuízode aproximadamente344milre- ais, e mesmo com este preju- ízo,oproprietárioaindaassu- miuoencargodepagarasava- liações. Sugere-se então que sejamelhoravaliadaaquestão dosimóveis”,informaoparecer. O prefeito Paulo Teodoro enviou um recurso à Câmara nodia1dejunho.Elepedeque o projeto de lei seja apreciado portodososvereadores.“Com aremessadoprojetoaoarqui- vo, a Comissão, representada pelosnobresvereadoresCidae Natinho,retiroudosdemaisve- readoresodireitoconstitucio- naldevoto,apreciaçãoedebate deprojetos,constituindo-seum verdadeiro‘tapanacara’dade- mocracia”,argumentouopre- feito. OJornalCidadeentrouem contatocomaCâmaraMuni- cipalnaúltimaquarta-feirapa- rasaberqualseriaoposiciona- mentodoLegislativoapósore- curso do chefe do Executivo, masnãoconseguiuainforma- çãocomoservidorresponsável atéofechamentodestaedição. OParquedosBuritispossuiumaáreade72.600metrosquadrados,oequivalenteaoitoquarteirões. DeacordocomoengenheirodoSAAE,AstácioCorretaNeto,aáreafuncionacomoumpontode recargaparatodoolençolfreáticoqueabasteceospoçosartesianosdeLagoadaPrata.Semessa recarga,aáguadolençolfreáticopodeacabar.“Semfalarnospontosdeminasquefluemdali,po- demosconsiderarqueummilhãodelitrosdeáguaescorremdiariamenteparaaLagoaVerdeeo RioJacaré.Éumpontoestratégicoedesumaimportânciaparaacidade”,explicaNeto.
  8. 8. POLÍTICA10 12.06.2015 SEXTA-FEIRA Prefeitura pretende gastar 100 mil reais na ExpôSamonte S. A. DO MONTE DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.br O Poder Executivo de Santo Antônio do Mon- te enviou para a Câmara Municipal um projeto de lei que concede uma con- tribuição de 100 mil reais ao Sindicato Rural e que tem o objetivo de contri- buir para a 34ª Exposição Agropecuária de Santo Antônio do Monte. A Exposição já tem da- ta marcada e acontecerá de 30 de julho a 2 de agos- to, com a presença dos cantores Marcos e Belutti, Gustavo Lima, Chico Rey e Paraná, Thales Lessa e Ataíde e Alexandre. Em uma entrevista ao Jornal Cidade publicada no mês passado, o presi- dente do Sindicato Rural, Vilmar Otávio de Olivei- ra, afirmou que o ex-pre- feito Wilmar Filho assu- miu o compromisso que a prefeitura iria custear par- te da festa, mas não citou valores. “A festa será or- ganizada como nos ou- tros anos. O público pode contar com a organização, assim como no ano passa- do. Teremos os camaro- tes empresarial, Alex Bu- ffet e Sindicato Rural, o ro- deio com vários peões na- cionais e internacionais e com ótimas premiações este ano. A prefeitura vai ajudar com uma quantia que ainda não foi defini- da. No domingo os portões serão abertos ao público”, afirmou. O projeto deverá ser votado nas próximas se- manas e gerou muitas dis- cussões no plenário da Câ- mara na última segunda- -feira. Proposta da administração municipal contrariou os vereadores AMÉRICOLIBÉRIO Foi um compromisso firma- doentreoex-prefeitoWilmar FilhoeopresidentedoSindi- cato, e com certeza foi firma- doestevalordecemmilreais. Eoorganizadordafestatam- bém deve ter feito o compro- misso com esse valor firma- do. Eu tenho a certeza que se os vereadores estivessem do nosso lado, do lado do prefei- to,elesvotariamafavordeste projeto. A população fica es- perando o ano inteiro para a festadeexposição,queéuma maneiradevalorizaroprodu- torrural.Achoquenóstemos que largar um pouco de fazer politicagem. Sou totalmente afavordafestadaexposição. O povo de S. A. do Monte vai ter benefício sim, pois no do- mingo a festa será aberta pa- raapopulação.Promessafei- ta é promessa que deve ser cumprida. RONAN(Canelinha) Estamos atravessando uma crise. O Sindicato Rural me- rece esta ajuda, mas o muni- cípio não está podendo. Nin- guémacompanhouumapla- nilha de custo para se saber quetipodefestairáfazer.Che- ga nos dias e não tem bene- fícionenhumparaopovo,to- do mundo tem que pagar (in- gresso).Seomunicípiotives- sedinheiroemcaixaparafa- zerestafestaeuapoiaria,mas tem algumas pendências do município em atraso, e para doar 100 mil reais está meio apertado.Existemcoisasque precisam fazer e alegam que não tem dinheiro. O Américo falouquefoiumcompromis- sodooutroprefeitocomosin- dicato,maseunãoconcordo. Hoje o prefeito é outro. O que passou, passou. Eu sou vere- adorparafiscalizarosgastos, não sou oposição nem situa- ção. Estamos atravessamos uma crise e tudo o que pede prafazernãotemrecurso.Se- ráqueosdocumentosdaam- bulânciaquefoiguinchadahá trêsmesesfoipago?Issoéde primeiranecessidade. MARQUINHO(Sindicato) Nãoestouaquiagoraparavo- tar a favor ou contra. O ex- -prefeito assumiu juntamen- tecomaatualdiretoriadosin- dicado a doação deste valor. Os shows firmados só pode- rãoacontecermedianteaes- taparceria,casocontrárionão tem como. E o benefício para a população será os portões abertosnodomingo. CARLOS(Campinho) Sou suspeito para falar, pois no ano passado fui contra. Não sou contra a festa. Se os cofres do município estives- sem organizados, tudo bem. Sou contrário a esse valor, e acho um absurdo. O prefeito acabou de assumir, sabe que a situação está difícil demais e antes de ter mandado esse projeto para a Câmara deve- riaanalisar.Eleéoexecutivo, ele que sabe onde o barco es- táafundando.Elenãodeveria nem ter mandado este proje- to para a Câmara, pois chega aqui e a gente veta, e a gen- te que sai errado. Ele deveria sentarcomosindicatoemos- trar a situação da prefeitura. Existem outras maneira de ajudar. A coisa está crítica, e nãodáparabrincardeserpre- feito.Soutotalmentecontrae está em tempo dele rever es- sasituação. ANTÔNIO(TõeVassoura) A prefeitura deve renegociar com o sindicato. A popula- ção não terá benefício, pois não poderá assistir o show que quiser. As pessoas preci- sam de ajuda para fazer exa- mesenãotemdinheiro,agora paraafestatem?Afestaépa- rabeneficiarosprodutoresru- rais,masamaioriadasestra- das estão intransitáveis. Não dá para votar a favor para ce- der este dinheiro para a festa eoprodutorruralnãotercon- diçõesdechegaratéela.Tem que ter mais responsabilida- de e ver que agora não dá pa- ra deixar a saúde, o transpor- te,asestradaseoutrascoisas parafazerumafesta.SeDeus quiser o ano que vem já tere- mos saído desta crise e dará parafazerafesta. ANTÔNIO(TiãoMiranda) Este valor deverá ser revisto. Não sou contra a exposição, mas já que vai fazer esta par- ceriaentãoparedecortarou- tros gastos. Tem estudantes precisando de ajuda, exames parados,transporte,estradas eoutrascoisas. Depoimentos de alguns vereadores sobre o projeto que ainda será votado pela Câmara: Fotos: Maurício Costa e Asscom Câmara
  9. 9. POLÍTICA 11 12.06.2015 SEXTA-FEIRA Dinho do Braz: “Vou colocar ordem na casa e tentar a reeleição” S. A. DO MONTE DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.br OprefeitodeSantoAntô- niodoMonteEdmilsonApa- recido da Costa (Dinho do Braz)recebeuoJornalCidade naúltimasegunda-feirapara uma longa entrevista exclu- siva. Com muita disposição e aberto ao diálogo, o man- datáriorespondeuatodosos questionamentosdareporta- gemsemrodeiosecomuma objetividadeque,geralmente, nãosepercebeempolíticos. Dinho do Braz ressaltou as mudanças que está pro- movendo dentro do organo- grama da prefeitura, com a demissãodemais de60 fun- cionáriosqueocupavamcar- gos comissionados ou con- tratados, se comprometeu a inaugurar a UPA, falou so- bre a dívida de 1 milhão de reais com fornecedores, pe- diu o apoio da população pa- ra conduzir os 19 meses que restamdomandatoeavisou: “Sou candidato à reeleição”. Confiraaentrevista: JornalCidade:Comovocêre- cebeu a informação sobre a renúncia do ex-prefeito Wil- mar Filho? Qual foi a sensa- ção? Ele já havia sinalizado quearenúnciapoderiaacon- tecer? Dinho do Braz: Devido a um problema particular dele, a gente já havia conversado antes e ele me falou que iria dar um tempo, por questões particulares. Esperávamos o afastamentotemporáriodele, uma licença de 120 dias. Ele iria me ajudar durante o pe- ríodo em que estivesse afas- tado.Eudisseaelequefizes- se o que fosse bom para ele e que eu estaria preparado pa- raajudá-lo.Mesmosendoum viceeueramuitoatuante,fre- quentava e frequento todas as secretarias, sabia e sei de todos os problemas do mu- nicípio. Depois que ele (Wil- mar), tomou essa decisão fi- queipasmoepensei:Eagora? JC:Comovocêencarouomo- mento da renúncia definiti- va, inédito na história políti- cadeSamonte? Dinho: Com muita força de vontade, encarei o desafio. Essa é a minha vez de resol- ver essas pendências, que, querendo ou não, e por mais que o município esteja bem, elas sempre existem. Com essa falta de dinheiro está muito complicado. Contudo, eu encarei com muita boa vontade,eacreditoqueomeu empenho,mesmoemapenas 27 dias, está fazendo a dife- rença. Isso fica claro quando vemos cidadãos esperanço- sos,obrasquecomeçaramno mandatodoDr.Wilmarsede- sembaraçando. JC: Como você recebeu a ad- ministraçãodomunicípiono que se refere à estrutura ad- ministrativa e fiscal da pre- feitura? Dinho:Asituaçãofiscalead- ministrativa do município nãoestádesorganizada,mas tambémnãoestáorganizada. Mas essa resposta eu vou ter nofinaldejunho,quandosair obalancetefiscaldomunicí- pio,oqueacontecedeseisem seis meses. O que já se sabe é que tem alguns fornecedo- resemdébito.Euacreditoque o valor deve dar em torno de 1 milhão de reais. A salvação do município é que está vin- dooIPTU,eacreditoqueapo- pulaçãovainosajudar.Nodia daposse,pediajudaàpopula- ção.Seelaentenderadificul- dadefinanceiradaprefeitura jáestábom. Hojeomunicípiotemumadí- vidaativadeIPTUdecercade 1 milhão e 200 mil reais. Pro- vavelmente, no dia primeiro de julho, esses contribuintes irão ser executados. As co- branças serão feitas via pro- testoemcartórioderegistros denotas. JC: Quais foram as suas pri- meirasmedidascomoprefei- to?Quantosservidoresforam exonerados? Qual o critério adotado ao decidir pela exo- neração? Dinho: Não sei falar precisa- mente, porqueatéhojeestão ocorrendoexonerações.Mas acredito que seja cerca de sessenta. Nos cargos comis- sionadosquetínhamossófi- caramdezporcento.Comis- so conseguimos economi- zar. Inicialmente eu preciso deumaeconomiamínimade cem mil reais por mês. O cri- tério para a exoneração foi a atuação no setor, o tempo de casa e a confiança que eu te- nhonele. JC: Ao assumir o governo, você mudou o slogan da Ad- ministração Municipal para “UmaCidadedeTodos”,sina- lizando que o município te- rá um novo modo de gover- nar. Essa mudança de con- ceito deve-se à pretensão de desvincular-se da imagem doex-mandatário,quetinha elevadosíndicesdeimpopu- laridade? Dinho:Nãotenhoointuitode desvincular minha imagem à do Dr Wilmar. Deixo mui- to claro que se tem alguém a quemeudevonapolítica,es- sealguéméele. A comunidade tem que es- tar mais próxima do Execu- tivo e do Legislativo. E quan- doeudisse“Samonte,umaci- dadedetodos”,éparaqueto- dos tenham consciência de queogabineteestáabertopa- ratodos,paraquepossamfa- zer sugestões e críticas. Em momentoalgumtenhomedo decrítica,eusouumapessoa pública,todomundoestásu- jeitoaacertoseaerros. A minha administração se- rá a continuação do governo doDrWilmar.Oaceleramen- to das obras é uma priorida- de e resultados já podem ser vistos como a construção de quatro unidades básicas de saúde. JC: Você é candidato à ree- leição? Dinho: Eu acredito que a re- eleiçãoéumacoisaautomá- tica do governo. Envolve vá- riosaspectos,comoapoio,ba- se política, mas acredito que sim.AntesdeoDr.Wilmarre- nunciar eu já era pré-candi- dato.Agoraoquemudaéque soucandidatoàreeleição. JC: É verdade que o municí- pio vinha registrando défi- cits no orçamento nos últi- mosmeses? Dinho: Realmente, o muni- cípio vem trabalhando com déficit nos últimos meses. É oquetenhoderesolver.Nes- se mandato que estou con- duzindo, não queremos tra- balharcomexpectativas.Por exemplo, tínhamos uma ex- pectativa de arrecadar com o FPM (Fundo de Participa- ção dos Municípios) 550 mil reais e veio 310 mil reais. Irei reduziraomáximoosgastos para evitar o déficit finan- ceiro. Estamos em dívida de dois meses com o FAAS que serãoquitadosnaquarta-fei- ra (10 de junho), mas o paga- mentodosparcelamentoses- tãoemdia. JC:Comovaificarasituação do pronto atendimento mu- nicipal? Vai continuar fun- cionando na Fundação ou será repassado à Santa Ca- sa? Como o senhor pretende resolveroimbrógliodaUPA? Dinho: Para a UPA, estou de- pendendo do dinheiro para compra dos equipamentos. O que falta é o Ministério da Saúde fazer a portaria, o em- penho e fazer o pagamen- to no valor de 600 mil reais. Só isso. A parte técnica está toda resolvida, está depen- dendo apenas do pagamen- to.QuemvaigerenciaraUPA é a Prefeitura. Se deu certo a responsabilidade será mi- nha. Se der errado, a respon- sabilidade será minha tam- bém. Assim que a UPA esti- verprontaparafuncionareu vouoficializarostrezemuni- cípios(queirãoutilizarecon- tribuir com o custeio do ser- viço).PedradoIndaiáeAraú- josjáconfirmaramaadesão. Seeunãoatingirapopulação de 50 mil habitantes, eu não recebo o repasse de custeio do governo federal, que é de 170 mil reais mensais. Se is- so acontecer, nossa propos- ta é aproveitar o prédio da UPA para instalar alguns se- tores da Secretaria de Saúde que hoje pagam aluguel. Se até agosto, que é o prazo se- gundo o deputado deu para gente, não estiver liberada a UPA,usaremosoprédiocomo ProntoAtendimento. JC: Temos a informação de que a agência do INSS está prestesaserinaugurada,in- clusive, funcionários do ór- gãojáestariampassandopor cursos para iniciar o atendi- mento.Osenhortemalguma informaçãosobreisso? Dinho:EufuiàBrasíliasema- napassadaparaliquidardois problemas,aUPAeaagência do INSS. O deputado federal Newton Cardoso Júnior está marcando para semana que vem uma audiência com o Ministro para liberar a ques- tão de funcionamento da agência,porqueoquedepen- deparaquecomeceafuncio- narésomenteafaltadecinco funcionários. Eles falam que tem que soltar concurso pa- ranomearoservidor.Comoa agênciadoINSSemLagoada Prata recebe muita gente de SantoAntôniodoMonte,cer- ca de sessenta por cento do seu atendimento, eu propus transferir dois funcionários deláparacá.Temumfuncio- náriodeItapecericaquejápe- diutransferênciaparanossa cidadeetemumdeArcosque está destinado para S. A. do Monte.Astransferênciaspre- cisam tera anuência do fun- cionário. JC: O serviço prestado pela Copasa tem sido motivo de muitas cobranças e recla- maçõesporpartedapopula- ção. O governo está satisfei- to com a prestação do servi- çodaconcessionária? Dinho: Não é satisfatória a prestação de serviços que a Copasa está oferecendo. A gente, recentemente teve uma reunião com o Frederi- co que é o chefe da Copasa na região Centro-Oeste, para ampliar a captação de água. EupropusàCopasafazerum convênio com o município paraqueaadministraçãofa- ça os serviços de reparo e a companhia faria o repasse financeiro para a prefeitura custearoserviço. Ficoucom- binadoqueelesmandariamo contratodesteconvêniopara assinarmos. JC: Na Lei de Diretrizes Or- çamentárias do exercício de 2015, proposta em 2014 pe- lo governo e aprovada pela Câmara, constam diversas ações que seriam realiza- das ainda neste ano. Como estão a execução da criação da Guarda Municipal e De- fesa Civil; a obtenção de re- cursosparaaimplantaçãode umCTIeaviabilizaçãodare- abertura do antigo Hospital SantoAntônio? Dinho: Se continuar o aban- dono do Governo Federal com os municípios, inviabi- liza a criação da Guarda Mu- nicipal, pois tenho que con- tratar, no mínimo, 20 pesso- as, sem contar carro, moto e equipamentos. Hoje, com a situaçãofinanceiraqueestáa prefeitura,éinviável.Precisa- mostrabalharprimeiroo“ar- rozcomfeijão”,asSecretarias de Obras, Educação, Saúde e AssistênciaSocial.Comasi- tuaçãoqueestáhojenãotem comofuncionar,nãovouven- derilusão. O Hospital Santo Antônio é um prédio particular, inclu- sive é de propriedade do Dr Wilmar. O CTI é uma situação mui- to difícil. O de Lagoa da Pra- ta, por exemplo, se não esti- verfechando,deveestarqua- se.ÉSUS,nãotemcomovocê falarquevaireceberpessoas sódeSantoAntôniodoMon- te.Hojeomunicípionãotem condiçõestambém. JC:Oespaçoestáabertopara assuasconsideraçõesfinais aoleitordoJornalCidade. Dinho:Souumapessoaaces- sível a todos. Eu quero aten- der a todos os cidadãos, mas quero que as pessoas menos favorecidastenhamacessoà minhaadministração.Quero que a população me ajude a administrar, entendendo as dificuldades financeiras da prefeitura. Prefeito Edmilson Aparecido da Costa concedeu entrevista exclusiva ao Jornal Cidade Foto: Everton Costa Em sua primeira entrevista desde que tomou posse, o novo prefeito de Santo Antônio do Monte fala dos desafios que terá à frente do município.
  10. 10. Untitled-1 1 26/05/15 09:52 MEIO AMBIENTE12 12.06.2015 SEXTA-FEIRA Mobilização em prol do Rio São Francisco reúne mais de 5 mil pessoas, de acordo com o comitê Secretário de Meio Ambiente de Lagoa da Prata contesta informações de Jaqueline Filgueiras, ex-secretária de S. A. do Monte LAGOA DA PRATA COM INFORMAÇÕES DA ASCOM / CBHSF redacao@jornalcidademg.com.br NaúltimaediçãodoJor- nal Cidade a ex-secretária de Meio Ambiente de San- toAntôniodoMonte,Jaque- line Filgueiras, afirmou que Lagoa da Prata havia pago 1,5 milhão de reais no Plano deSaneamentoBásico.Ese- gundo o secretário de Meio AmbientedeLagoadaPrata, Lessandro Gabriel, o plano de saneamento não foi cus- teado pelo município, ele foi contempladocomum recur- sodoComitêdeBaciadoRio SãoFrancisco,aprovadopela CCR Alto São Francisco, on- de o recurso foi liberado pa- raaexecução,financiadope- la AGB Peixe Vivo (agência do comitê), e somente três municípios receberão esse benefício, como é o caso de: Lagoa da Prata, Bom Despa- cho e Moema. Esses benefí- cios se dão devidos aos tra- balhos ambientais. “Este fa- toestáconfirmadonositedo ComitêFederaledaagência que libera o recurso. Já es- tá pronto nosso plano, ago- ra vai para Câmara para ser aprovado. Por lei, o municí- pio que não tiver o plano de saneamento não receberá recursos federais e estadu- ais a partir do ano que vem”, afirmou. Mais de cinco mil pesso- asparticiparamdomovimen- to“EuViroaCarrancaparade- fenderoVelhoChico”,deacor- docominformaçõesdivulga- daspeloComitêdasBaciasHi- drográficasdoAltoSãoFran- cisco.Acaminhadapercorreu ocentrodacidadeatéchegar naPraçaSãoCarlosBorromeu, na manhã do dia 6 de junho. Houve ainda exposições cul- turais e distribuição de cerca de duas mil mudas de plan- tasnativas,alémdeumavisi- tatécnicaàprimeiraEstação deTratamentodeEsgoto(ETE) dacidade. Entre os participantes da caminhada, os alunos e pro- fessoresdeescolasquetraba- lham com educação inclusi- va deram um exemplo de ci- dadania e, juntamente com a populaçãodacidade.“Estamos aquihojeparapedirumpouco decuidadocomorioecomos meninos e meninas com de- ficiênciaqueprecisamserin- cluídos na sociedade”, disse a educadora Letícia da Cos- ta Santos, da Escola Estadual Helena Aparecida, que traba- lha com educação especial e integrouogrupo. DeacordocomoSecretá- riodeMeioAmbienteemem- bro do Comitê do Alto São FranciscoeintegrantedaCâ- mara Consultiva Regional do AltoSãoFrancisco,Lessandro Gabriel da Costa, que foi tam- bém o coordenador geral das ações da campanha no mu- nicípio, a ação teve o objetivo derefletirsobreasituaçãodo rio. “O objetivo dessas ações foimostrarqueoSãoFrancis- co precisa de ajuda e que ou- tras pessoas também preci- samabraçaressacausa.Acho queissomostraquetemosfor- ça e que precisamos nos unir comoutrasregiõesemprolda revitalizaçãodorio”,afirmou. O evento contou com a participaçãoeoapoiodopre- feito PauloTeodoro.“Ocomi- têrealizaumaaçãoquemere- ceaplausos, poisapopulação precisa se conscientizar pa- raoscuidadosquesedeveter comorio”,elogiou. Fotos: Ascom e Jéssica Ribeiro
  11. 11. Causos e Prosas JOSÉ ANTÔNIO |bandeirantes@isimples.com.br Omelete Menino matar aula é co- mum, mas no meu tempo era diferente, eu matava au- la e saía fazendo bagunça... umas estripulias. Eusaíadecasacomuma pastinha daquelas amareli- nhas, debaixo do braço, e dentro dela eu levava uma camisa reserva. E subindo a rua lá de casa passava nu- mamoitademamona,tirava a camisa de uniforme e ves- tia a outra.Voltava na porta de casa e “peneirava” a pas- ta lá no meio do quintal, es- condido da minha mãe, e eu saía para a rua. Na época, se a gente saísse de uniforme dava muito na cara que es- tava matando aula. Então, saíamos para fazer nossas extravagâncias, junto com o JúliodoZéCampinho,Jack- son do Zé Sulino e o Joel do Tito,“imanava”aquelacolun- dria. Nessa ocasião eu traba- lhava na oficina do Luciano, eláeuestavasabendoeraes- tragarocarrodosoutros. Nós sempresaíamose,subindoa rua a gente pegava carona e iaparaas roças, atrás de fru- tas e “vagabundando”. Certo dia a gente seguiu para o la- dodoEspraiadinho,umaco- munidade rural onde os fa- zendeiros usavam só fusca, variante,gordinievemaguet. Enóspassandopelasfazen- das,comoeujáerapráticona mecânica, eu chamava uns colegas: - Vamos mexer no motor daquele Fusca ali? Como o Fusca não tran- cavaocapô,euabriaearran- cavaatampadedistribuição, orotorejogavaaquilofora.O carro não pegava nem a po- der de promessa. Ou então, eu colocava um pedaço de papelão no platinado, sem- pre uma extravagância, só para ver o circo pegar fogo. Nisso, a gente ia aos sí- tios, passava pelos colche- tes e deixava aberto. E onde tinhavacasebezerrossepa- rados a gente juntava. Passandopróximodosí- tio do “seu Onofre Gulau”, ele mexia com trambique nes- sa época, amarrava umas bombinhas e fazia uns fo- guetes clandestinos. Passa- mos, cumprimentamos ele, descendotinhaumgalinhei- ro,láencontramosumninho comumcolossodeovos.Pe- guei esses ovos, “botei” na gibeira da calça de unifor- me azul, feita de tergal e saí andando com os ovos na gi- beira, eu e os meninos. Pas- samos no “seu Antônio Pa- cífico” e fizemos uma visita parao“seuRogério”.Elesme perguntaram o que tinha na minha gibeira, e eu respon- dia que eram uns ovos para fazer omelete. Ah rapaz! Voltando para pegar carona com o mesmo “seu Onofre’, para voltar pa- ra cidade. Ele tinha um car- ro antigo, um “aeroilis”, mas chegando no trambique de- leesquecidosovosnagibeira efuipassardebaixodacerca. Rapaz! Mas aqueles ovos es- patifaramnobolsodaminha calçaqueaquilovirouomele- te! Eu pensei, e agora? O que voufazer?Eacarona? Tinha umregod’águaaliparabaixo e dei uma lavada. Passouotempo,eesque- ci daquilo ali. E ele questio- nou que tinha um ninho de galinha com tantos ovos, e disse que só a gente tinha passado lá. E nós dissemos que não havia visto e que nemgostavadeovo. Edere- pente ele olha para mim, e pergunta: - Ô Zé Antônio, e essa sua gibeira que está parecendo omelete. Está juntando até mosquito, o que é isso? Gente,masnãotevejeito, o tal de “pegar” coisa dos ou- tros não dá certo, mas mes- mo assim ele deu a carona paragente.Perdemosumdia de aula e quase apanhamos ainda! COLUNISTAS • ESPORTES 13 12.06.2015 SEXTA-FEIRA •BRADESCO - Kayky Melo Mendonça Silva Agência: 2456-2 | Conta: 1003958-4 •CAIXA - Kayky Melo Mendonça Silva Agência: 2743 | Operação: 013 | Conta Poupança: 10109-2 AjudeoKaykyaarrecadarodinheiroparao seutratamento!Contribuaatravésdas seguintescontasbancárias: Atletismo traz ouro para Lagoa da Prata Apoio: Fashion Cosméticos, Lagoacred, Unopar, Luidar Tintas, Gávea, Aconchego e Sefer. Adelegaçãodeatletismo do programa “Correndo para oFuturo”daSecretariadeEs- portes participou nos dias 30 e 31 de maio do Campeona- to Mineiro de Atletismo Ju- venil, em Belo Horizonte, na pistaCTEdaUFMG. Participaram as equipes de Belo Horizonte, Contagem, Betim, Ipatinga, Uberlândia, JuizdeFora,Lavras,Lagoada Prataeoutrascidades. ACopa Jiu-JitsuValedo Eletrônica aconteceu na ci- dadedeSantaRitadoSapu- caí. no sul de Minas Gerais, O diretor da Escolinha de Futebol Craque doFuturo,deLagoadaPrata,sereuniunodia1 dejunhocomosecretáriodeEstadodeTuris- moMárioHenriqueCaixa,quefoinomeadoà frente da pasta após a sua reeleição ao cargo de deputado estadual, obtendo 1.014 votos no município. “Tratamos de diversos assuntos, dentre eles um recurso para a revitalização da praia municipaletambémapoioparaagrandefes- ta que já virou tradição em nossa cidade, que é o encontro de motociclistas Moto Sunset, a partirde2016.Tratamostambémderecursos para os projetos esportivos de nossa cidade e região”,disseWalmir. Carolayne Batista - ouro nos 3000 metros e ouro nos 1500 metros Douglas Medeiros - ouro nos 3000 metros com obstáculos Rúbia Soares - ouro no Lançamento Disco e prata no Lançamento de Dardo. Confira os resultados: Copa Jiu-Jitsu Vale do Eletrônica Walmir Franco busca apoio do secretário de Estado de Turismo Categoria Infanto- Juvenil: Iury - ouro Rafael Teixeira - ouro Caio - ouro Lucas Ribeiro - ouro Jonas Souza - ouro Iago Dolabela - ouro Gustavo - bronze Natasha Almeida - ouro Categoria adulto Amanda Caroline - ouro na categoria pluma Wesley Damasceno - ouro na categoria sênior- 1 Responsáveis pelas equipes competidoras: Wesley Damasceno - faixa preta, e Felipe Melo - faixa roxa. Confira os resultados: no dia 31 de maio. Ao todo, participaram doze atletas de Lagoa da Prata e 300 das outrastrezecidades.
  12. 12. SOCIAL14 12.06.2015 SEXTA-FEIRA Estrelando MICHELE PACHECO |michele@jornalcidademg.com.br Fotos: Michele Pacheco Cobertura especial ExpôLagoa 2015! www.pharlab.com.br facebook.com/pharlab @Pharlab Cervelli Sua saúde é preciosa para nós Produzir medicamentos exige muito mais do que tecnologia, exige responsabilidade. A Pharlab sabe que seus produtos fazem parte do dia a dia de muitas pessoas. É pensando nisso que trabalhamos todos os dias aprimorando nossos processos em todas as suas etapas, buscando respeitar e retribuir a confiança que nossos clientes depositam em nossa marca. Pharlab, porque sua saúde é preciosa para nós. Anuncio Jornal Cidade Institucional.indd 1 03/06/15 09:17
  13. 13. SOCIAL 15 12.06.2015 SEXTA-FEIRA Estrelando MICHELE PACHECO |michele@jornalcidademg.com.br Boate Lacabana
  14. 14. COOPERATIVISMO16 12.06.2015 SEXTA-FEIRA INFORME PUBLICITÁRIO Sicoob Crediprata e Cooesteios realizam o 1º Encontro com Produtores Rurais da Comunidade de Esteios O SICOOB CREDIPRATA e a Cooperativa Agropecu- ária de Esteios - Cooesteios, promoveram um encontro comosprodutoresrurais pa- raaapresentaçãodelinhasde créditodisponíveisparaoseg- mentorural,oferecerpalestras técnicasparaaculturademi- lhoe financiamentodematri- zesleiteiras,nodia03/06/2015 nasededaCooesteios. O Sr Antônio Miranda, presidentedaCooesteios,fez a abertura manifestando a importânciadarealizaçãode eventos desta natureza para os produtores rurais. Em se- guida,passouapalavraaosdi- retoresdoSICOOBCREDIPRA- TA,SrAntônioClaretRezende eIvoJonasGontijoquemani- festaramasatisfaçãodacoo- perativaemproporcionar,jun- tamentecomaparceiraCoo- esteios, um encontro com os produtoresruraisdacomuni- dade de Esteios com a finali- dadededisseminaroconhe- cimentotécnicoeboaspráti- casdeproduçãoagropecuária. Logo após, o Sr Ledimir Ledo Lange, Gerente de Negócios, fez apresentação das linhas decréditodisponibilizadaspe- loSICOOBCREDIPRATApara atender as necessidades dos produtores rurais comrecur- sospróprioserecursossubsi- diadospeloBDMGeBNDES. Após as apresentações, o Sr DaviJúnior,daempresaCo- mapeministrouapalestraso- breplantiodaculturademilho com sementes transgênicas AgrocereseoSr.Leonardo,da empresaHeringer,sobrecala- gemeadubaçãodaculturade milho. Estafoimaisumaaçãodo SICOOBCREDIPRATAnabus- ca pelo desenvolvimento so- cial e econômico de seus as- sociadosecomunidadeonde atua. Fotos: / Ass. Com. Crediprata Agradeço primeiramente a parceria ao Sicoob Crediprata, Heringer Fertilizantes, Agroceres Sementes e aos Cooperados que participaram. Pois, Wsem a participação e colaboração desses, a Cooesteios não poderia proporcionar essas palestras de grande ajuda a seus cooperados. Os assuntos que foram abordados em cada palestra foi de total importância para os agricultores, esclarecendo dúvidas, proporcionando oportunidades, abordando novas técnicas de plantio e informações sobre linhas de créditos. A Cooesteios vem buscando cada vez mais novas tecnologias para seus cooperados. SR. ANTÔNIO MIRANDA, presidente da Cooesteios

×