Santa Maria, sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016 - Ano XVII - Edição 1105 - R$ 1,50
ja@jornalacidade.com-circulaàssextas-...
2 De 12 a 18 de fevereiro de 2016
CHURRASQUITO: ao longo do tempo, naValandro esquina com Olavo
Bilac, o tradicional almoç...
A CidadeA Cidade 3De 12 a 18 de fevereiro de 2016
Énecessáriosalientarasvirtudesdanos-
sacidadeondeexisteumafrotarenovada
...
A CidadeA Cidade4 De 12 a 18 de fevereiro de 2016
Principalmenteapartirdeagora,emqueasfamíli-
as,osestudantesjásabemqueque...
A CidadeA Cidade 5De 12 a 18 de fevereiro de 2016
Valdemar Roveda, “Cidadão
Santa-mariense”, Ponto do Cafezi-
nho, desde m...
A CidadeA Cidade6 De 12 a 18 de fevereiro de 2016
Na semana o STF abriu o ano jurídico e
o procurador da república, ao lad...
7De 12 a 18 de fevereiro de 2016
Se São José e Nossa Senhora Mãe Menina da capela deste
bairro nobre de Santa Maria, o pod...
8 De 12 a 18 de fevereiro de 2016
9De 12 a 18 de fevereiro de 2016
É o espaço da comunidade que valorizamos o empreendedor...
10 De 12 a 18 de fevereiro de 2016
O Bairro Nossa Senhora das Dores é extenso tanto a
direita da avenida como à esquerda. ...
A CidadeA Cidade 11De 12 a 18 de fevereiro de 2016
CREMATÓRIO DOM JOSÉ: em Santa Rosa – planeje sua
vida após a morte! Des...
A CidadeA Cidade12 De 12 a 18 de fevereiro de 2016
Enquete
Vivemos um momento de compra do material escolarVivemos um mome...
A CidadeA Cidade 13De 12 a 18 de fevereiro de 2016
Uma doença cada vez mais presente entre o
público idoso, a qual comprom...
A CidadeA Cidade14 De 12 a 18 de fevereiro de 2016
12/02
EuláliadaR.Jardim
RodrigoDaniel
MariadeLourdesAndrade
Geraldo C. ...
15De 12 a 18 de fevereiro de 2016
A nossa pauta no jornal rumo a
18 anos e no sábado das 10h às
12h, pela rádio Imembuí qu...
Sexta-Feira, 12 de fevereiro de 2016
Ano XVII - Edição 1105 - R$ 1,50
É uma empresa
santa-mariense,
trabalha com
franquia,...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1105 que circula no dia 12.02.2016 do Jornal A Cidade de Santa Maria/RS.

248 visualizações

Publicada em

Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1105 que circula no dia 12.02.2016 do Jornal A Cidade de Santa Maria/RS. O Jornal A Cidade é um jornal semanal focado no empreendorismo local.

Publicada em: Notícias e política
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1105 que circula no dia 12.02.2016 do Jornal A Cidade de Santa Maria/RS.

  1. 1. Santa Maria, sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016 - Ano XVII - Edição 1105 - R$ 1,50 ja@jornalacidade.com-circulaàssextas-feiras- www.jornalacidade.com É uma região nobre da cidade no bairro Dores. O empreendedorismo da construção civil ali chegou. Basta vermos a Rua HenriqueAbiatti e arredores o númerodeedifícios,masnãofaltamaquiasdeficiên- cias do poder público. Afotomostraaimportânciaeopotencialjurídico,profissionalecomer- cialdaBelaVistaconhecidospornóscomobairrodaJustiça.AruaAla- meda BuenosAires é o cartão postal da região e ela tem saída pela rua OsvaldoAranhaatéaGeneralNeto.Nãofaltamvirtudes,mascomoem outroslocaisháproblemaspúblicosentreoutrososaneamentobásico. MeioAmbienteeSaneamento:prevenção,trabalhoeação. Integra-se a mobilização local na prevenção, na conscientização são ações necessárias neste momento para evitar transtornos maiores.Acampanha da fraternidade lançada na semana trabalha este ano com o saneamento básico, pois uma cidade limpa não concede espaço para qualquer mal. Mas os governantes devem sim investir mais no saneamento básico que ele pode ser denominado o carro chefe para termos uma cidade limpa.Amanhã o exército fará a sua parte e você se já está em Santa Maria participe e visite regiões orientando as pessoas, pois algumas ainda estão distante do momento em que vivemos e poderá se agravar. O mosquito é a base, mas outras doenças estão rondando o ser humano. PETROBRÁS:nãojulguemaestatalesimosdirigentesequemos indicou.Umavergonha,poisrecebeuotítulomundialdeestaremse- gundo lugar no mundo em corrupção e isso vai fortalecer a Polícia Federal, o MP, o judiciário e o Procurador da República para que investiguecomprofundidadesejaquemforeaimprensaqueésempre culpadaportudodevesermantidainformada.Porquealgunsmencio- nadosqueremmanteremsigiloalgumasinvestigações?Quemnãodeve, nãoteme.Énecessáriaumamudançanacionalnaéticaenatranspa- rênciadoqueéfeito.Eaquelesquecondenamaimprensa,cuidado comela,poiséimparcialprojetaapessoaeacolocanopodium,mas tambémcomfacilidadeelaoretiradoespaçoconcedido. Elas embelezam a cidade Amalezada287 Ofimdoliquida Motor potente A Rua Osvaldo AranhaA Rua Osvaldo Aranha PÁGINA 08PÁGINA 08PÁGINA 08PÁGINA 08PÁGINA 08 PÁGINA 10PÁGINA 10PÁGINA 10PÁGINA 10PÁGINA 10 PÁGINA 06PÁGINA 06PÁGINA 06PÁGINA 06PÁGINA 06 Loteamento LonderoLoteamento Londero PÁGINA 10PÁGINA 10PÁGINA 10PÁGINA 10PÁGINA 10 PÁGINA 06PÁGINA 06PÁGINA 06PÁGINA 06PÁGINA 06 PÁGINA 07PÁGINA 07PÁGINA 07PÁGINA 07PÁGINA 07 PÁGINA 06PÁGINA 06PÁGINA 06PÁGINA 06PÁGINA 06 Bairro do Santo
  2. 2. 2 De 12 a 18 de fevereiro de 2016 CHURRASQUITO: ao longo do tempo, naValandro esquina com Olavo Bilac, o tradicional almoço meio dia Buffet e grelhadose a noite um desfile de massas e outras opções. TEM MERCADO PARATANTO: Santa Maria cresceu e com tanto curso superior veio as formaturas, seminários, congressos, nossa cidade é uma refe- rência regional para sediar eventos,junto pessoas se qualificaram na organiza- ção dos eventos, e hoje daqui são chamados para outras cidades, até dos estados vizinhos. E como por aqui tudo se copia os primeiros espaços para eventos, com preços convidativos, sozinhos, mas sempre lotados. E agora deu a febre do setor empresarial investir num espaço para acolher festas de toda natureza. Daqui a pouco a UFSM vai entregar o Centro de Eventos com capa- cidade para mil pessoas. Somando-se a tantos na nossa cidade, com as mudan- ças comportamentais, com a falta de dinheiro, será que todos vão sobreviver ou vamos entrar numa concorrência de preços e quem vai ganhar será quem promove o evento. Por isso nesse momento é necessário cautela em valores para transmitir a boa imagem e que a pessoa possa sempre estar no podium. COMIDA:Éumlinguajardiáriooidealseriachamargastronomia.Abundân- cia e o desperdício rodeia os nossos restaurantes principalmente nos Bufês livresaindabemquecriaramvalorporquilo.Pessoasconscientesquesabemo quanto custa e que preservam a saúde sabem consumir e se abastecer o sufici- ente,agoraquandoélivreparecequealgunsfazemdepropósitoéesbanjamen- to.Énecessáriolembrar-sedequantosgostariamdeestarnestelocalmaspelas soluções financeiras não podem desfrutar.Abasteça-se como e quando quiser, masnuncadeixesobranospratosimaginequantoétristeparaoempresáriover desperdícios.Fazbemparaasaúde,paraoproprietário,masmuitomelhorpara oseubolso,omundonãovaiterminarenemacomida,compareçaváriasvezes. É uma indagação que requer cautela, capacidade geren- cial e para vender ou ter serviço é necessário meditar e começar tudo de novo. Alguns segmentos acostumaram mal, principalmente os autônomos, os serviços habituais necessários e urgentes, que geralmente o sinistro vem final de semana e como não tem escolas que preparem, qualquer serviçinho tem elevados valores e eles trazem sempre a mensagem: “não tenho carteira assinada, por issomeupreçoéelevado”,trabalharpoucoeganharbem, mas pelo desemprego, pela falta de contratação, já senti- mos na cidade profissionais visitando a todos, colocando seus serviços a disposição. Chegou o momento de eles se conscientizarem, pois para trocar uma fechadura R$50 é demais, uma chave R$15 também é, com isso, você que é profissional, reduza os valores, anuncie seus serviços e o que você vai cobrar dentro da realidade atual, vai se pro- pagar entre as pessoas e com isso terá serviço sempre. SETORES COMERCIAIS: Aredegastronômicaque promove dias da semana com preços especiais bate palma pelo movimento, em algumas partes onde tem Buffet e grelhados deve ser reduzi- do o valor em kg, a realidade hoje é outra.Algumas lojas também devem reduzir a sua margem de lucro, já que o governo não colabora com os im- postos, você deve atrair o seu clien- te com preços tentadores. As con- cessionárias de veículos devem buscar alternativas junto à indústria e forçar o governo a reduzir os im- postos para desovar os estoques. A construção civil de nossa cidade chegou a um patamar elevado quase igual às grandes cidades e tanto as concessionárias como a construção civil, o consumo era tanto, as ven- das superavam a expectativa e os vendedores nem faziam esforço, pois as partes interessadas acabavam Reduzir valorescomprando igual, mas entramos numa nova fase, cons- tata-se a redução de vendas igual aos autônomos, os vendedores agora estão procurando os consumidores. É necessário chegar num patamar dentro da realidade que vivemos, é notório, se constata o quanto de veícu- los foi vendido nos últimos 05 anos e o quanto a cons- trução civil comercializou também neste prazo, foi tão fácil que até minha casa, minha vida as pessoas com- praram e agora estão devolvendo por não poder pagar. Vivemos um novo momento, o país precisa se encon- trar, um movimento se faz necessário para que os gover- nantes reduzam a carga de impostos e com isso a pro- dução vai gerar emprego e consumidores, sem pressão nada vai acontecer. Se a polícia federal, ministério públi- co e judiciário não estivessem unidos, um trabalho de- dicado, não teríamos hoje descoberto o que se passava na lava-jato, assim deviam ser os governantes, assim deve ser a indústria e o consumidor. Exigir sempre para poder desfrutar das riquezas que nosso país oferece a todos.
  3. 3. A CidadeA Cidade 3De 12 a 18 de fevereiro de 2016 Énecessáriosalientarasvirtudesdanos- sacidadeondeexisteumafrotarenovada eveículoscuidadosamentepreparadose principalmenteosmotoristasprofissionais altamentequalificadosepreparados.Pos- suemelesaindaaCOOPAVER,umaco- operativacriadaporsócioscomobjetivos de investir e acima de tudo montar uma logísticaparadarsuporteaoassociado.É umpatrimôniodetodoseumareferência nacional.Surgeagoraumaideiaparaque osmotoristasusemuniformes,brilhante iniciativaumparaoinvernoeoutroparao verão,masénecessárioadministrarasitu- Emtodosossegmentoscomerciais,re- sidenciais,profissionaisestãoelegendo ruaseavenidasdefácilacessooubairros que tenham uma boa logística para se manter.Tudoissoéfrutodosengarrafa- mentos,congestionamentosdeveículos- por toda parte, a falta de locais para es- tacionar, o custo mensal em pagar uma garagemejátemospessoasquevãopara os shoppings as compras por que lá en- contram segurança, estacionamento e tudooquequerem.Empreendedoresde todosossegmentosestãoescolhendolo- caisqueatéentãoeramdesertos,maslá seestabelecemfacilitandoavidadoscli- entes.Enãoencontramosumaluzquevá resolver a mobilidade urbana de nossa cidade.SãoPauloconstruiutúneisevia- dutosàvontade,masnemassimresolveu a questão. Para um futuro promissor os prefeitosdevemplanejarnovascidades em longo prazo, com amplas avenidas, projetospilotosparapoderacomodaros interesses de todos. Na real situação do Os taxistasOs taxistas ação,poissãoinúmerasmarcasdeveícu- losadquiridosemconcessionáriaslocais. Dessamaneira,épossívelqueoscondu- torestenhamseusuniformespatrocinados pelasrevendas.Ouniformevalorizaotra- balhadoreproporcionaautoestimaeres- peitoparaquempegaumtáxiequantoà maquininha,nemvamosdizerquemestá usandohoje,elaénecessária,poisninguém carregadinheiroparamanterasegurança. Vejapelafotoabelezadanossafrotade táxiedestacarasconcessionáriaslocais queoferecemfacilidadeparaacomprade veículos. VOLTAÀSAULAS: Asatividadesdeiniciodoanoletivode2016começam hoje,12, com a abertura do III Ciclo de Gestores da Rede Municipal de Ensino, tendo por local o Seminário São José e, como objetivo apresentar a proposta para o ano letivo aos gestores, devendo contar com a presença do prefeito CezarAugusto Schirmer, que irá proferir uma palestra com a temática “Alide- rança positiva do gestor e a qualidade da educação”. Conforme a secretaria Estadual de Educação, escolas estaduais e municipais privadas têm autonomia para estabelecer o início das aulas.Ainda em plena temporada de compras de material escolar, o calendário propõe para 2016, que será entre 22 e 29 de fevereiro, desde que seja respeitada a carga horária mínima de 200 dias letivos. Atividades deixam o centronossocentro,nãotemcomomexer,pin- tarfaixas,sinalizar,multa-se,masosen- garrafamentossãoinevitáveis.Equantas lojas perdem de vender porque muitas vezes o comprador não costuma ir a pé, nem de ônibus e sim como seu carro e para encontrar uma vaga ele vai depa- rar-secomdificuldade.Talvezumincen- tivo na construção de prédios e gara- gens,masemgrandequantidade,sóque da rua não tem como tirar o veículo.Ninguéméculpadoporisso,há 160anosninguémimaginavaqueSanta Maria chegasse tão rapidamente a esse patamar que está hoje. Projetos audaci- osos são necessários. Quando Jusceli- no Kubitschek mudou a capital para Brasíliafoicriticado,hojeaplaudido,tal- vez ele tentasse amenizar a corrupção, maselafoijuntoparaBrasília.Portanto teremosaseleiçõesnofinaldoanoquem sabe seja uma bandeira da campanha eleitoraldealgumcandidatoquevácri- ar uma nova Santa Maria.
  4. 4. A CidadeA Cidade4 De 12 a 18 de fevereiro de 2016 Principalmenteapartirdeagora,emqueasfamíli- as,osestudantesjásabemquequeremestudaraqui, e nossa rede de faculdades, colégios públicos e particulares,cursinhos,todosvãocomeçaracolher estudantes, quem já passou precisa buscar a sua qualificação e o estudo permanente, não basta só o canudo e a faculdade e quem não entrou prepara- se para os vestibulares e tantas alternativas para in- gresso nas instituições. Sabemos que 90% já viaja- ram final de ano, visitar amigos, familiares e os aposentados vão desfrutar deste privilégio a partir desse mês e do mês de março. Mas para quem tem familiares que estuda e trabalha, já fizeram a sua cota, vão permanecer. Chegou o momento de pre- parar a nova morada, e o santa-mariense, princi- palmente o comércio, lazer, serviços, o que estão preparando para receber os novos moradores, eles são curiosos, querem conhecer a cidade, conhecer a noite, alguns mais interessados podem até per- guntar como é Santa Maria, como começou a UFSM.Agora vocês são santa-marienses de pas- sagem, e no final dos cursos quem sabe lá quantos permaneceram aqui residindo. Por isso seja curio- so, conheça com profundidade a cidade. E as pes- soas focadas no turismo promovam city tour, cam- panhas para mostrar a essa multidão de jovens as virtudes e o potencial de nossa cidade, que não são poucas. Quantos motivos possuímos para usufruir nashorasdedescanso.Omomentoéoportunopara todos os setores empreendedores cada um na sua especialidadeemconjuntocomosórgãospúblicos. Organizar uma recepção diferenciada, a 3ª DE vai coordenar em março o dia do acolhimento em sua 3ª edição, são ações nessa ordem que vão desper- tarointeressedovisitanteedofuturoinquilino,ele vai ser um consumidor e como a cidade precisa deles.Precisamosaproveitarmais,masinvestirtam- bém nessa riqueza que a educação e o ensino pro- porcionaramaosanta-mariense.Quemvemdedis- tanteécuriosoparaconheceracidadeuniversitária e compete a cada um de nós exercer um papel de sermos um guia turístico. Professora Norma com sua secretaria, já preparou os projetos para esse ano?Acomunidadeconfianoseutrabalhoedesua equipe, turismo é isso, é congraçamento e o traba- lho em conjunto.Após os feriadões, as férias, bem vindo o mês de fevereiro. Geralmente, no final de ano, com as férias escolares em geral, as pessoas planejam visitas, viagens, visitas familiares, amigos, litoral e dão maior ênfase em janei- ro buscando alguns dias na praia, tudo isso vai até o carnaval. E nesse ano ele veio mais cedo, encurtou os planejamentos, mas dá para constatar que um pouco ou bastante, férias ou na folga final de semana, houve deslocamentos, pois as rodovias estavam lotadas. Gas- tos, consumismos de toda ordem e o cartão de crédito geralmente é o instrumento mais usado, e aí vem a volta o chefe da família começa a pensar no que deve pagar, e pela frente deve ter pago o IPVA, ou parcela- do, IPTU, sindicatos e o dinheiro para o início do ano escolar, imaginem do quadro atual a ginástica que cada um faz diante da conjuntura e realidade atual. Mesmo sendo o mês de 29 dias, já foram 12, dois feriados, mas a maior parte já está de volta para atividades, enfrentar o ano que vem pela frente, imagine os mi- lhões neste país vendo a todo instante a tecnologia ocu- pando espaço de emprego do ser humano, os próprios bancos que nunca tiveram prejuízo, só lucros, alguns fecharam por desvios, o ano passado reduziram drasti- camente as contratações e diminuíram o efetivo, feliz daquele pai que tem compromisso e encargos, conse- guiu se manter no emprego e a empresa que trabalha com tanta persistência, também está no contexto. É o momento do empregado e empregador unir-se, esque- cer os sindicatos, se a empresa está mal, encontrar so- luções para viabilizar, se ela vai bem o empregado vai bem também. Com isso terminou o carnaval, imagi- nem quanto gastaram as pessoas nas grandes cidades, muitas vezes além da receita. Graças a deus, executivo local e outras cidades viram por bem não investir no carnaval e dar prioridade a outros setores. Campanha da Fraternidade: neste ano nos encaminha com essa mensagem “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca”. Di- reito de brotar que cada ser humano não carregue só deveres, como alguns imaginam inclusive o poder, mas que os direitos lhes sejam concedidos, principalmente a liberdade de ir e vir, que fomos privados de fazê-lo, e a campanha durante a quaresma leva pessoas de fé para as orações, o caminho do bem e quem escolhe este horizonte, sempre colhe os frutos da semente que deixou. Os 40 dias teremos as vias sacras nas igrejas locais, os costumes do passado eram diferentes, avan- çaram até demais, mas alguns ainda preservam, e para quem não conhece o santuário da Medianeira estão as cruzes da via sacra e cada uma delas traz o nome das dioceses do estado, e geralmente na sexta-feira santa pela manhã é feita a pregação. Passada as férias, o lazer, os passeios, precisamos rezar para que todos in- tercedam em que os políticos, os gestores públicos en- contrem o caminho do bem, que suas administrações sejam respaldadas pela transparência, lealdade, em be- nefício do cidadão. Tem seus salários e não tendem a avançar, nem mesmo quando tentados com propinas, que num primeiro momento, elas enlouquecem, não só o beneficiado, como todos aqueles ao seu redor, mas isso é passageiro, a casa cai, como caiu para alguns empreiteiros e lá da república quem ultrapassou os li- mites aguardem, que a justiça do homem ou divina vai fazer com que o lazer e o prazer seja devolvido a quem tem direito. Tenhamos esperança que neste ano possa- mos encontrar o caminho do bem em todos os senti- dos. Só apagaremos a palavra crise quando a conscientização geral daqueles que ocupam os cargos volte-se pelas ações em favor do povo e não a favor de si próprio. Férias, passeios, carnaval terminou, agora, como diz a presidente Dilma, é trabalhar para reconquistarmos o crescimento e o progresso, só que ela em momento al- gum pronuncia uma frase em que vai economizar ou diminuir as despesas governamentais. Acreditamos em mudança e com o lema da fraternidade, seja a semen- te que possa germinar. Em parte terminou Pe. Bertilo João Morsch –Pe. Bertilo João Morsch –Pe. Bertilo João Morsch –Pe. Bertilo João Morsch –Pe. Bertilo João Morsch – Pároco da Paróquia da Ressurreição e Reitor do SeminárioPároco da Paróquia da Ressurreição e Reitor do SeminárioPároco da Paróquia da Ressurreição e Reitor do SeminárioPároco da Paróquia da Ressurreição e Reitor do SeminárioPároco da Paróquia da Ressurreição e Reitor do Seminário Maior São João Maria VianeyMaior São João Maria VianeyMaior São João Maria VianeyMaior São João Maria VianeyMaior São João Maria Vianey..... A partir deste tema a Igreja Católica juntamente com as igrejas do CONIC= Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil, realizam mais uma Campanha da Fra- ternidade Ecumênica. A motivação para essas campa- nhas fundamentou-se na compreensão de que, no cen- tro da vivência ecumênica está a fé em Jesus Cristo. Isso se deu porque o movimento ecumênico está mar- cado pela ação e pelo desafio de construir uma casa- comum (oikoumene) justa, sustentável e habitável para todos os seres vivos. Essa luta é profética pois questi- ona as estruturas que causam e legitimam vários tipos de exclusão: econômica, ambiental, social, racial, ética. São discriminações que fragilizam a dignidade de mu- lheres e homens. A Campanha da Fraternidade de 2016 apresenta o tema “Casa Comum, nossa responsabilidade” e tem como lema: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca”(Am 5,24). O objetivo principal é assegurar o direito ao saneamento básico para todas as pessoas e empenhar-nos, a luz da fé, por políticas públicas e atitudes responsáveis que garantam a integridade e o futuro de nossa casa comum. Diante da destruição sistemática da natureza a que es- tamos assistindo, da degradação do meio ambiente, da poluição indiscriminada da terra, mar e ar, é de se per- guntar se o homem deseja mesmo sobreviver. Ou se não passa de um animal suicida, como o escorpião, que jamais atravessa os rios porque tem ódio até da água que bebe. Vejamos o caso dos nossos rios: fedorentos, imundos, espumantes, estagnados, eles se transforma- ram no lixo da sociedade de consumo. No entanto, é bom que se saiba que os rios não foram feitos para virar cloacas, que a quantidade de água doce na super- fície da terra é limitada. Diminuindo na razão do au- mento da população, chegará o dia em que até para beber será pouca. Parece brincadeira, mas não é. No início do século passado ainda se pescava salmão na ponte de West- minster, em Londres; e os parisienses bebiam água di- retamente do Sena. Hoje, ambos são canais putrefatos apesar do imenso esforço para ressuscitá-los. Na Eu- ropa, o Reno é quase um esgoto, e na Rússia, o Ural está sumindo pelo uso de águas para fins industriais. Nos Estados Unidos, o lago Trumam já tem cinco me- tros de matéria podre. O tipo de poluição mais grave de um rio não é orgânico, mas aquele provocado pelo lixo industrial. Coberto de dejetos materiais ou de fungos fermentáveis, o oxigênio diminui, as bactérias prolife- ram e a vida aquática morre. É preciso que se compre- enda, urgentemente, que a água doce se constitui de inúmeros elementos que mantem complexas cadeias ali- mentares – micro-organismos, bactérias, algas e fun- gos – em frágil e suave equilíbrio, como uma sinfonia. Que a morte dos rios como a dos homens é irreversí- vel. Certos venenos industriais jamais serão eliminados dos locais onde foram lançados. O ser humano dificilmente sobreviverá à destruição sistemática que vem fazendo com a mãe natureza. Se transformarmos os rios em sangue, como nas pragas do Egito, seremos expulsos da terra prometida. Mas se levarmos em conta as palavras de Heráclito – dizia que ninguém se banha duas vezes no mesmo rio -, compre- enderemos que a vida, como a água, não é eterna, nem indestrutível. A esperança que nos resta é saber que um rio corre sempre. Corre mesmo enquanto dorme. Cor- re nas montanhas, pelos campos e verdes vales. E na sua corrida pode arrastar homens, destruir chaminés de aço, acabar com mitos e mitologias. CasaComum,nossa responsabilidade
  5. 5. A CidadeA Cidade 5De 12 a 18 de fevereiro de 2016 Valdemar Roveda, “Cidadão Santa-mariense”, Ponto do Cafezi- nho, desde março 2004. Sugestões e/ou críticas para esta página: Tel.: (55) 3223.5192/8407.1000 site: www.jornalacidade.com E-mail.: ja@jornalacidade.com ELEIÇÕESMUNICIPAIS:passouocarna- val, descanso para os políticos e agora vem as negociações. Correta a postura de Farret re- centemente, desta forma cada vez mais ele con- quista prestígio e vem sendo sediado para apoiar uma campanha já garantindo emprego, faz parte da conjuntura atual, é dando que se recebe, se os gestores públicos nomeassem assessores técnicos e pela sua capacidade administrativa, te- ríamos outros caminhos, vamos em frente. COMENTÁRIO: parabenizo o professor Fabiano Lorenzon Valter, de história, e sua opinião dia 1º de fevereiro no Diário, se manifestou: “O Brasil precisa de uma revolução, todo mun- do que está aí deve cair e o país em que renascer”, concordo contigo, tudo deve ser renovado e novo. REFORMAS:quem trabalha no seguimento tem que ir para Brasília e se aproximar de políticos para reformar imóveis, os 770 mil de Guarujá é um bom cachê, se for confirmado agora nas investigações, alguém pagou. VEÍCULOS DE ÓRGÃOS PÚBLICOS: as licitações para consertos funcionam na lentidão e sempre vence o mais em conta, antigamente alguns órgãos públicos mantinham ofici- nas dentro do órgão para dar manutenção aos veículos, até chapeações eu conheci, por que terminou, não era mais eco- nômico, ou falta efetivo aqui também? QUEM NÃO PAGACONDOMÍNIO: acostumados atrasar onde moram e os demais acabam pagando toda estrutura do prédio, até os filhos passam vexame quando as crianças bri- gam entre si e na certa dizem: “teu pai não paga nem o condo- mínio”, é comum isso acontecer. Mas o código civil que entra em vigor em março, atual lei em vigor era um longo processo de conhecimentos, o credor tinha que fazer prova que real- mente ele devia e ainda promovia uma audiência de concilia- ção, e o devedor dizia posso pagar parceladamente, com a maior cara de pau. Mas o novo código CPC mudou, a execu- ção agora será título executivo, pode ser executada diretamen- te, tudo depende da convenção do condomínio, o que ela determina, por isso que o síndico deve ser atencioso e eficien- te. O devedor tem três dias para pagar, evidente pode recorrer, poderá até ser o imóvel penhorado para quitar a dívida, o importante em cada assembléia é registrar quem está inadim- plente e aqueles que tem processo em execução. E o balancete é uma peça fundamental para provar o atraso. Aos acostuma- dos a atrasar é bom que mude de cultura, pagar sempre em dia. FUNDAÇÕES E INSTITUTOS: Quem os mantém? Qual a sua função mesmo? Eu tenho a minha opinião e você? SEM LICITAÇÃO: o correto é o po- der público publicar edital para as em- presas se habilitarem para determinados serviços ou compra de material, é a fa- mosa carta de orçamento e a cultura bra- sileira na maior parte, como foi visto agora a lava-jato, a concorrência era fei- ta, com esquema montado, cada vez vai um, mas para fortalecer a corrupção, a lei deixou uma brecha, quando aconte- ce um sinistro, uma enchente, a neces- sidade urgente de compra, o governan- te através de decreto contrata uma empresa, aí mora o perigo da corrupção e já tem alguns que deixam as coisas andarem e quando não dá mais recorre ao recurso e a emergência. É apenas uma síntese na minha visão, o que a vida me ensinou. Fiquem aten- tos e analisem caso a caso. ELEGANTES:homemoumulher,commaisde18anos,den- tro das leis são livres e fazem o que querem, mas a postura, a apresentação e o modo de andar na via pública, qualquer dife- rença sempre são observados pelas pessoas, muitas vezes uma mulher linda, jovem, um visual que desperta atenção por quem paca e ela com cigarro na boca ou então sentado nos bares da via pública com um latão de cerveja. É a evolução, a tecnologia e o bota fora da autoestima e a beleza que Deus lhe deu. Mas não falo só delas, eles também se portam diferente- mente e com tantos ingredientes quando estão na direção de um carro sempre tem a provocação e aí vêm as brigas. Mas cada um faz como quer, o país é democrático, só que lá mais adiante não reclame dos males que podem surgir. BRASILIA: Congresso nacional no mês de férias abriu a sessão dia 1º e só voltarão terça- feira e o povo paga as passa- gens. E o deputado de Mato Grosso, Pedro Marum estava curtindo o nosso litoral no carnaval. Ele faz parte da equipe de Eduardo Cunha e o PT vai promover no Brasil uma manifesta- ção de desagravo ao ex-presidente Lula. Ele pode comprar um sítio e um apartamento deve ter imposto de renda ou é isento para provar as origens. E agora o juiz Sergio Moro mandou investigar as obras dos sítios e do apartamento. Se nada de- vem como dizem então por que tanto temer? Quem é honesto não precisa provocar o povo para se manifestar e a cassação pode esquecer tanto a presidente Dilma quanto Eduardo Cu- nha, este último pode renunciar sua presidência desde que, seu mandato permaneça. Faz parte do contexto político e ago- ra os parlamentares para poder negociar a vontade abre-se uma janela. Eles podem trocar de siglas sem perder a data, que tranquilidade, são criativos imaginem as negociações que vão ocorrer. Será que nesta embalada a presidente Dilma vai para o PDT? Já se fala numa ala do PT em criar um novo partido de oposição. DESLOCAMENTO:Jáimaginouumidosocomumadoença muitas vezes grave com um calor deste porte para ser atendi- do na região central, e os números que a prefeitura divulgou de pessoas que foram atendidas de outras cidades é assusta- dor. Por que não criar um centro de saúde aqui em Santa Ma- ria? Pois tem toda logística e estrutura para tal só falta vonta- de política. PIRATINI: Pretende contratar policiais temporários, ex-mili- tares das forças armadas, por que não chama os concursados e aprovados, mas aí terá estabilidade. Mas se o empresário contrata fora das leis ele é penalizado e fiscalizado e na posse do presidente do tribunal de justiça do estado cobrou ele um plano para que o governo devolva os 10 bilhões dos depósi- tos judiciais e o governo já se manifestou não tem dinheiro. Culpa da assembleia de 2004 e que algum deputado ainda autorizou o governo a sacar. Daqui a pouco quando termina o processo as partes vencedoras vão entrar no precatório. PARABÉNSAPOLICIA:Queconseguiudesmantelarumgru- po que atacava bancos e despacharam para a eternidade o Ro- naldo Bandeira Mack, 39 anos. Olha onde eles tinham sua con- centração na cidade de Mormaço, próximo a Soledade. É assustador a estrutura que possuíam só anjinhos, era um ban- do formado por oito. É não deixar agora que surja um novo líder. Alguém acha que bandidos deste porte serão recuperados? EX-GOVERNADORTARSOGENRO:Ementrevistanará- dio gaúcha entre outras ele disse que seja quem for é necessá- rio investigar, pois o Brasil está sem lideranças políticas é preciso fazer a reforma eleitoral ou uma nova constituição, criticou ele também o vazamento antecipado das ações da justiça MP e PF, discordo tem que dar publicidade só por que tem suspeita de políticos corruptos eles também devem ser condenados e devolver o que levaram e esperar o processo judicial entrar no esquecimento. BALADASEGURA:Vem aí drogômetro, adianta se o menor é flagrado e mesmo autuado em flagrante é entregue para os pais. Se o condutor estiver bêbado ou drogado pode pagar a fiança e responder em liberdade. Dá para perceber que os go- vernantes valorizam mais a fiança do que a penalidade. FOLHAS DE PAGAMENTO: Perdeu a privacidade, os go- vernantes descobriram que podem vender esta fatia e é claro que os bancos privados sempre vencem a concorrência. O Piratini vai vender as folhas do funcionalismo público estadu- al e vai deixar de lado o Banrisul, o banco dos gaúchos por que o potencial da rede privada é maior. Vendem-se tudo. STE: Mídia forte vem promovendo no Brasil para o recadas- tramento biométrico, será que o povo está entusiasmado em votar? PASSAGEM MUNICIPAL: Prefeito vetou o aumento. De- ram-se conta que é ano eleitoral e ele precisa do povo? Mas em março ele sede para aliviar os gastos do transporte urbano. SAMU: Quem dirige agora em Santa Maria é o instituto Mas- per que atua em outras cidades do estado sua sede é Fontoura Xavier, uma cidade com menos de 20 mil habitantes, capacida- de e gerenciamento não se discute lamentável com tanta es- trutura e logística não termos uma empresa para assumir. IMÓVEISIRREGULARES:Aprefeiturasinalizamultapara quem infringiu a lei. Pessoas querem regularizar só que o can- saço é grande na burocracia e morosidade. Faça um teste e depois me diga. HOMÍCIDIOS: Suspeito de ter cometido o 3º, mas já esta- mos no 4º, confessou e o magistrado entendeu que não havia prova o suficiente para fazer o flagrante, desanima a policia, assim não dá. FAMÍLIAPROFISSIONALNAPOLÍTICA:VilsonCovatti, ex-deputado estadual e federal, sua esposa agora presidente da assembleia e o filho deputado federal. Sem comentários. CONSTRUTORAS:Aquelas que não entregam o imóvel no prazo determinado. Existe uma lei de 1964 que estabelece pra- zos e tolerância. Um deputado paulista entrou com novo pro- jeto com novo objetivo até parece que eles não têm serviço é só para embolar cada vez mais. OPERADORASDETELEFONIA:sevocêroubarumcartão ou de posse do mesmo, pode ser de terceiro, liga para a empre- sa e solicita a recarga do seu celular, e o titular da conta que pague depois, quanta facilidade, fruto da moderna tecnologia, e ninguém faz nada. ALTARMONUMENTODAMEDIANEIRA:seosdevotose a comunidade ajudar será revitalizado e eu diria mais, reitor, nosso arcebispo e o arquiteto, quem sabe nessa embalada seja planejado um monumento terceirizado para que alguém construa e durante longos anos receba seu investimento com os ingressos de quem ali frequentar, e lá no alto, nas alturas, nossa senhora da medianeira, padroeira do estado. Sonhar é fácil, o difícil é concretizar. BANCO CENTRAL: Quer receber os 7 bilhões que o povo deve para eles. É um valor considerável, fruto dos emprésti- mos facilitados. POUPANÇA: Saque recorde em janeiro demonstra o que? Povo endividado e falta de dinheiro. MOTOS: pelo número estacionado nesse espaço e são dezenas espalhados pela cidade, dá para perceber o quanto ela circula em nossa cidade. Para alguns falta conscientiza- ção, quando estão na via pública e o carro que estiver em frente der sinal que vai trocar de pista eles devem respeitar quem está na frente, inclusive motoristas de carro usam essa prática. Se o condutor não é atencioso o acidente é inevitá- vel. Adianta aula prática e teórica e o rigor nos exames? OBRAS DO BOMBRIL: é um palco, regado na frente uma bela árvore, germinadas as pétalas amarelas e a reforma em ritmo lento. Seria de bom uso se estivesse pronto e não fosse pichado pelo vandalismo.
  6. 6. A CidadeA Cidade6 De 12 a 18 de fevereiro de 2016 Na semana o STF abriu o ano jurídico e o procurador da república, ao lado de Eduardo Cunha deu as cartas conforme a postura do judiciário. E no congresso a presidente Dilma lá esteve, foi recebida com aplausos e vaias e não perdeu a opor- tunidade de conclamar aos parlamenta- res que precisa da CPMF para governar, também circulou rumores que ela preci- sa criar novos impostos e entre eles seria taxar as grandes fortunas, que os cor- ruptos condenados e suspeitos de levar vantagem não gostaram, eles só falam em bilhões, mas não dão a origem, é igual à sigla partidária recebeu doações de cam- panha, tudo é registrado, aprovado pelo STE, mas não fornecem as origens. Só que o presidente nacional da OAB, que toma posse dia 18, o gaúcho Claudio La- marca, já lançou a ideia de fazer uma mo- bilização nacional contra a cobrança de impostos e dar um fim para os mesmos. Em momento algum a presidente Dilma Faltam poucos dias e horas para terminar a campanha, foi a oportunidade das pessoas em todos os seguimentos desovar os esto- ques, renovar os mesmo e deu para sentir quantos estabelecimentos da rede gastronô- mica lançaram promoções e se deram bem. As pessoas estão endividadas, o difícil é ga- nhar dinheiro e quando está no bolso a pes- soa conserva o mesmo com todo cuidado e vai a procura dos melhores preços na cidade e neste final de semana, que passou o feria- dão de carnaval, começam a chegar os estu- dantes e vai começar o ano de direito a partir de março, a grande procura deverá ser para o material escolar e para que não acumule em estoque os comerciantes devem também manter um preço convidativo, que faça bem paraoconsumidor,ganhenarotatividade,que Inicia o tempo da Quaresma, quando viven- ciamosaCampanhadaFraternidade,nesteano, aIVediçãodaCampanhadaFraternidadeEcu- mênica(CFE),nopaís,lançadaoficialmentena Quarta-FeiradeCinzas,10,tendocomofocoas questões ambientais, através do tema em âm- bito nacional: “Casa Comum, nossa responsa- bilidade”e,pelolema:“Queroverodireitobro- tar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5,24). A Campanha, que semprepropõeumareflexãoapartirdeumpro- blema específico da fragilidade humana, neste ano, trata da ausência dos serviços de sanea- mento básico no país. A temática está em sin- tonia com a Encíclica do papa Francisco “Lau- dato Si: cuidar da Casa Comum”, que têm chamado a atenção para o atual modelo de de- senvolvimento que ameaça a vida e destrói a biodiversidade. NaArquidiocese local: O bis- pometropolitanoDomHélioAdelarRubertpro- moveu o lançamento oficial da IV CFE e aber- tura da Quaresma, em entrevista coletiva, na tarde do dia 10.ACampanha será realizada em conjunto pelas Igrejas que integram o Conse- lho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Co- nic), que assumiram como missão o mandato evangélico da unidade e empreenderam juntas Se não bastasse os engarrafamentos na Faixa Nova imagine como será a partir de agora? Bem como a morosidade na dupli- cação da 509, mas quem viaja de férias ou a serviço pela capital é o caminho, sem acostamentos o mato tomando conta qual- quer descuido o pneu vai para uma panela e o motorista que se defenda e para mos- trar serviço lá em Glórinha, dia 05, sexta- feira, véspera de feriadão rodovia federal a empreiteira realizando a operação tapa bu- raco sempre comentamos isso, o homem errado em um cargo importante. Será que eles não têm visão em que as pessoas apro- veitam para viajar ou retornar em um feri- ado de carnaval? Já imaginou crianças no interior do veículo com 30 graus? É até desumano, mas é preciso mostrar serviço. E ao longo da rodovia pardais, lombadas, Rodovia radar móvel e o pedágio longas filas se ar- recada muito e pouco se faz. Não se vê pela frente uma luz para o estado investir nas rodovias, tanto a assembleia como o executivo não agem com rapidez para ter- ceirizar e que venha o pedágio, a cobrança, mas que existam rodovias em condições. Passou o verão e nada está sendo feito, pois com as chuvas nada se faz e assim em di- ante, mas o IPVA, os impostos mesmo no feriadão não são dispensados. É necessá- rio cobrar ações políticas sem remorso e sem privilégios sem falar nas rodovias ame- açadas de paralisação como acontece na 116 em Pelotas, por que as empreiteiras não re- cebem pagamentos há 6 meses. E aqui os pagamentos estão em dia? Cuide as pane- las da 287, não viaje à noite e com tempo- ral estacione o carro. Tempo de Fraternidade e Quaresma maisumavezaCFE-2016.Nacoletiva,também estivaram presentes, o Pastor Reinoldo (coor- denador da Fraternidade Ecumênica de Igrejas Cristãs (Feic), da Igreja de Confissão Luterana no Brasil e o Reverendo Sílvio, Deão da Cate- dralAnglicana de Santa Maria.QUARESMA: Como acontecem a cada ano, no período qua- resmal, os cristãos são convidados a viver e colocar em prática três gestos importantes: ora- ção,jejumeaesmola.Quaresmaéoperíodode 40 dias que antecede a Páscoa, inicia na Quar- ta-feira de Cinzas até a manhã da Quinta-feira Santa. O tempo da quaresma no qual nos pre- paramos para a Páscoa é cercado de símbolos, atitudes e iniciativas da sociedade em geral e religiosa as quais acompanham e enriquecem esse período, dentre estes, as procissões (de Ramos e do Senhor Morto) e as Via-Sacras, do latimViaCrucis,“caminhodacruz”),ouseja,a encenação do trajeto seguido por Jesus carre- gando a cruz.Areflexão é baseada em quatorze estações ou etapas, em que cada uma apresen- ta uma cena da Paixão de Cristo. As reflexões da Quaresma e na Campanha da Fraternidade encaminham à vivência da Semana Santa, nes- te ano celebrada de 20 a 24 de março e a Páscoa será no dia 27. Governoquerimpostos com sua equipe tocou na pauta de redu- zir impostos, enxugar a máquina públi- ca, a plataforma governamental é intocá- vel, na produção encontre meios de produzir para formar caixas para o go- verno federal. E na sessão da câmara, no primeiro dia, levantaram a bandeira do caso Eduardo Cunha, e o gaúcho, depu- tado federal do Mato Grosso, Pedro Ma- rum, aliado do presidente, fez sua mani- festação, o qual passou o final de ano no litoral gaúcho com os amigos. Agora uma trégua de carnaval, na certa os parlamen- tares voltam para a sua cidade ou vão para a Bahia a serviço da casa e o povo paga a viagem. A presidente estimula vendas, como é que o consumidor vai comprar endividado? Como é que o empregador vai gerar empregos, com a carga elevada de impostos? A reforma fiscal deve ser a base para a governabilidade, mas não aquela que leva dois anos para ser apro- vado. LiquidaSantaMariaos consumidores gostam de ir as compras aonde tem fila e movimento, por que ali tem preço. Vivemos o verão, mas pelas tempera- turas logo virá o inverno e o estoque de verão permanecerá, por isso nesse final de semana aproveite e que o CDL crie atrativos para fa- zer com que os compradores busquem reali- zar suas compras, poderiam até abrir no do- mingo a tarde, o visitante, que aqui vem para trazer os filhos a estudar, ele vem com a ca- beça feita, levar uma recordação ou comprar novidades que na sua cidade poderá não ter, a prefeitura prepare os shows na praça e não só os universitários, os bichos, que se reú- nam para as suas festas, é preciso uma mo- bilizaçãototal,quemnãoprecisacomercializar, basta olhar para as vitrines que encontraram preços e promoções. Não conseguimos entender e já aborda- mos essa pauta em que o governo autoriza a indústria na fabricação de potentes veí- culos e em todos eles a média da velocida- de é 220 km/h e a velocidade máxima per- mitida são 120 km/h. Dá a entender que os governantes estão interessados nas multas, pois com tanta potência o veículo e o mo- torista preparado e muitas vezes cansado, com saúde, a pista convidativa ele só vai se dar conta da sua velocidade onde tiver lombadas eletrônicas, pois elas avisam. Ninguém se mexe para modificar, ou seja, fabricar veículos com motor e potência máxima 120. Menor custo para o compra- dor não precisa fiscalização nas rodovias, o governo iria economizar no efetivo e ou- tras estruturas. Sabemos que alterar a fa- bricação mexe com o poder econômico, mas este vai ser o caminho para o futuro. Motoristas estão conscientes só que mui- tas vezes quando tem liberdade de andar aproveita, pois ele perde tempo com en- garrafamentos e condutores lentos que não são fiscalizados, dessa maneira deveriam ter um limite de velocidade para andar em Motoristaspenalizados equilíbrio na alta e na baixa. E assim de- monstra mais uma vez que os governantes estão interessados mesmo nas multas, mas será que recebem o total ou as empresas terceirizadas ganham a maior fatia? Quei- ram ou não o motorista padece e com um potente veículo a disposição não pode an- dar, vamos economizar em todos os seto- res e aos poucos a população adquire o hábito de andar devagar. Temos certeza que a indústria que tanto estuda e planeja nun- ca se deu conta de investir neste tipo de segmento.
  7. 7. 7De 12 a 18 de fevereiro de 2016 Se São José e Nossa Senhora Mãe Menina da capela deste bairro nobre de Santa Maria, o poder público deveria dar atenção ao seguimento de fé para que a região tivesse uma atenção maior. É um bairro de uma comunidade que nasceu da devoção de moradores do redor da pequena capela, cons- Nem o santo é prestigiado truída nos anos 50, ao Santo que existe na localidade entre o centro de Santa Maria e o bairro Camobi. Bairro tranquilo, com baixo índice de violência, habitado por trabalhadores e gente de bem. Alguns pequenos comércios e empreendi- mentos estão localizados no bairro São José, bem como a Escola Naura Teixeira Pinheiro, que oferece ensino funda- mental completo aos alunos da- quela região. O bairro São José hoje tem uma população de cer- ca de seis mil pessoas, mais do que muitos pequenos municípi- os da região, e está localizado entre as faixas Nova e Velha de Camobi, tendo, no mínimo, dois acessos à cada uma delas. É considerado um bairro de mo- radia,já que está divididoem vi- las, parques e condomínios residenciais (alguns deles fe- chados e de alto padrão). Mesmo assim, quem precisa transitar pelas ruas do bairro para sair de casa em direção ao trabalho ou ao seu local de estudo, passa dificuldades devi- do às más condições destas vias. Em precário estado de conservação, elas são as principais ligações entre as faixas nova e velha de Camobi. São poucas ruas asfaltadas.Amai- oria das vias do bairro é de chão batido e há tempos não recebemmelhorias.Algumasdelasforampavimentadasainda nos anos 90, mas nunca tiveram manutenção e hoje são um desafio aos motoristas que precisam passar por ali, como é o caso da rua Antônio Botega, que corta todo o bairro e ainda recebe as principais linhas de ônibus; a rua João Fran- ciscatto, principal acesso à escola Naura Teixeira Pinheiro; a rua Leonel Farias, com trechos intransitáveis devido aos buracos; bem como a rua Helena Toniolo Figueira, que dá acesso ao cemitério de São José. Esta última via está em precárias condições e seria de extrema importância que fosse asfaltada, pois facilitaria a ligação entre os bairros Pé de Plátano e Diácono João Luiz Pozzobon. Bem como aAntô- nio Botega, a qual já teve o seu asfaltamento anunciado pela pre- feitura no ano passado, mas as máquinas responsáveis pelo ser- viço ainda não apareceram pelo bairro. Os moradores cansaram de pedir pela falta de máquinas e equipe vai voltar o tempo antigo, que no interior existia o líder cha- mado comissário, hoje chama-se subprefeito e os moradores lim- pavam valeta, operações tapa buraco, tudo manual, as es- tradas em perfeitas condições, só não pagavam IPTU, hoje além de não ter o serviço eles tem os encargos a pagar. No cemitério São José, o mato alto e o descaso com restos de materiais de construção na parte que faz limite com o cemitério Santa Rita é o que mais chama a atenção daqueles que vão visitar seus entes queridos que já falece- ram. Buracos estão por toda a parteBuracos estão por toda a parteBuracos estão por toda a parteBuracos estão por toda a parteBuracos estão por toda a parte na Rna Rna Rna Rna Rua Helena Tua Helena Tua Helena Tua Helena Tua Helena Toniolo Foniolo Foniolo Foniolo Foniolo Figueiraigueiraigueiraigueiraigueira Igreja de SãoIgreja de SãoIgreja de SãoIgreja de SãoIgreja de São José carregaJosé carregaJosé carregaJosé carregaJosé carrega imagem doimagem doimagem doimagem doimagem do santo quesanto quesanto quesanto quesanto que nomeia o bairronomeia o bairronomeia o bairronomeia o bairronomeia o bairro Moradores colocaram placa debochando daMoradores colocaram placa debochando daMoradores colocaram placa debochando daMoradores colocaram placa debochando daMoradores colocaram placa debochando da situação da Rsituação da Rsituação da Rsituação da Rsituação da Rua Helena Tua Helena Tua Helena Tua Helena Tua Helena Toniolo Foniolo Foniolo Foniolo Foniolo Figueiraigueiraigueiraigueiraigueira
  8. 8. 8 De 12 a 18 de fevereiro de 2016 9De 12 a 18 de fevereiro de 2016 É o espaço da comunidade que valorizamos o empreendedorismo em todos os segmentos,É o espaço da comunidade que valorizamos o empreendedorismo em todos os segmentos,É o espaço da comunidade que valorizamos o empreendedorismo em todos os segmentos,É o espaço da comunidade que valorizamos o empreendedorismo em todos os segmentos,É o espaço da comunidade que valorizamos o empreendedorismo em todos os segmentos, basta mandar fotos e dados que dentro do possível vincularemos.basta mandar fotos e dados que dentro do possível vincularemos.basta mandar fotos e dados que dentro do possível vincularemos.basta mandar fotos e dados que dentro do possível vincularemos.basta mandar fotos e dados que dentro do possível vincularemos. CASAMENTO DA FERNANDA E DO PAU- LO:Aconteceurecentementeacerimôniareligiosana Paróquia das Dores, o Padre Xico presidiu a celebra- ção do casamento e após os convidados confraterni- zaram no Espaço Esmeralda. JornalACidade em Comunidade Aniversário:Aniversário:Aniversário:Aniversário:Aniversário: Cristiane Forgiarini Saccol festeja a data no dia 14 defevereiro,elaéexecutivadaMedianeiraRandonMecânicae foi homenageada em 2011 pelo Jornal A Cidade no grupo de jovensempreendedoras. Cerimôniasemigualosnoivoseospadrinhosnacerimôniareligiosa. Os pais do noivos, Marta Elisabeth e Paulo Roberto Argenta Bassan e Roberto e Nilce Fratton junto com os nubentes. Osvaldo Euclides de Souza Aranha, conhecido como Osvaldo Aranha, nasceu em 15 de novembro de 1834, emAlegrete. Filho de fazendeiros estudou no colégio mi- litar, estudou em Paris e formou-se em direito em 1916, no Rio de Janeiro. Quando veio para o Rio Grande do Sul, como advogado atuando no Alegrete, em 1925 foi eleito prefeito municipal, posteriormente deputado fede- ral e chamado por Vargas para a Secretaria do Interior e Justiça. Quando Vargas foi empossado com o governo provisório, ele foi ministro, embaixador do Brasil nos Es- tados Unidos e nomeado ministro das relações exterio- res, onde presidiu a Assembléia das Nações Unidas que criou a Nação Israel. Voltou para o Brasil em 1946, fez parte do governo Vargas, falecendo em 27 de janeiro de 1960. A RUA TRAZ SEU NOME: Ela inicia na Rua Gene- ral Neto, vai dar acesso a Av. Nossa Senhora das Dores Antigamente as pessoas eram mais solidárias, cui- dava a sua família, sua empresa e sobrava tempo para trabalhar pela comunidade. É só olharmos as paróquias e capelas, os salões paroquiais, construí- dos pelos paroquianos para uso da sua comunidade. Qual a igreja local que não tem um excelente salão paroquial? Como toda estrutura é fruto do trabalho cooperativado. Mas tivemos aqui o privilégio de se- diar inúmeras entidades e instituições todas como base sólida o associado e lamentavelmente toma- ram rumos diferenciados, podemos até citar alguns casos: Monte Pio dos funcionários do município, de âmbito estadual, sede em Santa Maria. A SUCV, sociedade dos caixeiros viajantes, onde é o palácio do governo municipal hoje. A SBOFA, sociedade beneficente dos oficiais das forças armadas. O centro médico hospitalar, que foi vendido sem qual- quer conhecimento para os sócios. O clube 21 de abril, grêmio ferroviário rio-grandense, clube espor- tivo, AEVF/RS e outros clubes sociais com patri- mônio invejável, fruto do trabalho de cada associa- do e temos hoje na corda bamba o Clube Comercial, o Caixeral, o Santamariense e o Jóquei Club, um patrimônio ali está, difícil dos fundadores ou seus familiaresreceberemqualquerdividendo,umdireito que seria dos mesmos. Diante de tanta sujeira em Brasília, só citando o caso da Petrobras e o mensa- lão,comtantasfigurasilustresenvolvidaselesabrem caminho para que o povo assim também aja. Vocês leitor pode imaginar o trabalho que os nossos ante- passados tiveram para construir tantos bens? E deve ser destacada aqui com todos os méritos a honesti- dade, o zelo, que as famílias se sucedem e continu- am zelando pelo patrimônio das nossas paróquias e igrejas locais. Não se tem informação de qualquer desvio ou abandono da manutenção dos centros comunitários, ao contrário, sempre sendo reinventa- dos, e no entanto algumas entidades e instituições desapareceram sem dar qualquer satisfação aos as- sociados, e quando alguém vai para a justiça recebe a resposta que não tem dinheiro. Rodrigo Décimo, empresário e presidente da CACISM juntamente com sua esposa. Odil eOdil eOdil eOdil eOdil e esposa,esposa,esposa,esposa,esposa, presidentepresidentepresidentepresidentepresidente do CRECI.do CRECI.do CRECI.do CRECI.do CRECI. PatrimôniodoassociadoVocê conhece a sua rua? e a partir do Bella Vista, onde inicia a Rua Alameda Bu- enosAires. É um caminho indicado para o acesso a aquela região, mas Osvaldo Aranha deixa a desejar em termos de estrutura, rua estreita, calçamento com dificuldades, mas uma parte crescente em prédios, parte comercial e muito mais, pelas proximidades da parte comercial do Bairro Nossa Senhora de Lourdes, e toda estrutura exis- tente no Bairro da justiça. O Jornal A Cidade sempre valoriza essa região pelo potencial da justiça comum do trabalho federal promotorias sem falar no empreendedo- rismo da iniciativa privada, principalmente advogados. Além disso, inúmeras entidades instalaram aqui suas se- des. Com isso torna-se fácil acesso, pela Osvaldo Ara- nha, pela Motorista Mariano e outros acessos desta re- gião. Ali próximo a Rua Osvaldo Aranha, denominado a Vila São Luiz, comporta um tratamento melhor por parte do poder público. Só quem acompanha esta parte da ci- dade sabe o quanto ela é importante para Santa Maria, só contabilizar o número de pessoas que frequentam o poder judiciá- rio, o Royal Plaza Shopping e toda a re- gião. Dá para ter uma ideia do potencial existente. PROBLEMAS: Os moradores e todos os segmentos destas três quadras que constantemente surge reformas, prédios novos inúmeros segmentos ali querem es- tabelecer por ter toda a logística nas duas pontas e fácil acesso, só que a Rua Oswal- do Aranha seu calçamento ondulado com sérios problemas, a rede de esgoto antiga, superada não suporta água que ali desem- boca produzindo mau cheiro insuportável e o conserto da calçada. O poder público é acionado, mas acaba não acontecendo, mas além dessa rua as próximas que são de importância para a região o calçamen- to deixa tudo a desejar e os moradores não param de investir. ThamilaCorreiaBrum,arquitetaeRafaelSaccolBaggulin advogado, felizes juntamente com os pais pelo recente noivado abre seu caminho para o casamento. O pedido do Rafael foi num passseio nos Estado Unidos. Alameda Buenos AiresAlameda Buenos AiresAlameda Buenos AiresAlameda Buenos AiresAlameda Buenos Aires Os noivos, o mestre de cerimônia Josias Ribeiro, colaborador da Casa de Cultura, mas nas horas vagas comanda com muita qualidade os cerimoniais para todo tipo de evento e segundo ele graças a Deus a agenda está lotada.
  9. 9. 10 De 12 a 18 de fevereiro de 2016 O Bairro Nossa Senhora das Dores é extenso tanto a direita da avenida como à esquerda. Queremos mencionar hoje o loteamento Londero que é uma unidade habitacional que se limita com a Rua HenriqueAbiatti, com a RuaAntô- nio Abraão Berleze e também com a Vila Rossato e Sinhá. Para facilitar a localização passando o trevo da rótula Eu- clides da Cunha a esquerda, mas com acesso pela Rua HenriqueAbiatti pela Euclides da Cunha encontramos uma região próspera praticamente comercial, mas também o comércio prospera. Principalmente prédios são inúmeros nesta parte da cidade existentes que embelezam a região. Algum tempo passado a capital do estado nas praças e ruas encontrávamos as vaquinhas artisticamente constru- ída pelo setor artístico, essa ideia veio da Europa. Agora em Florianópolis encontramos os elefantes que empolgam as crianças. Em nossa cidade começou a mais de 03 anos valorizando as esculturas não foi dada muita importância, Loteamento LonderoEmpreendedores apostaram na escolha deste local perto de tudo e a tranquilidade para residir. Ali encontramos as ruas Luiz Tombesi, Humberto de Campos, Dr. Fernando C. Carvalho, Gentil Maciel, Pedro Londero e outras. O que falta mesmo é a conclamação geral é a manutenção, a conservação do calçamento das ruas ele deixa a desejar. Não são poucas as reivindicações, pela Oswaldo Cruz foi construído o asfalto, pela Gentil Maciel que vai ligar até a Fontoura Ilha. Veja pelas fotos as condições do calçamen- to e a beleza dos prédios que cada vez mais desperta o interesse do comércio nessa região. A arte na via pública resumiram-se os artistas no espaço da Gare, mas agora elas estão espalhadas pelas ruas da cidade. É um referen- cial turístico e acima de tudo é valorizar o artista criativo. Quem conhece Nova Palma sabe que lá existem centenas de esculturas uma obra de arte e que atrai o turismo da região. Quem não sabe só quem colou que nossa cidade foi desta- que nacional pela indústria de vagões daAmérica do sul, por ser um centro ferroviário do estado e destacou-se pelas gre- ves promovidas pela classe ferroviária e como resultado dos movimentos reivindicatórios aí está à falência da estatal. In- teligentemente uma empresa arrendou, aproveitaram as má- quinas, vagões, toda a ferrovia pronta só dar a manutenção e colher os frutos dos investimentos que os governantes fize- ram no passado. Poucas reformas aconteceram, ao contrá- rio, o tempo destruiu até a GARE, a estação modelo da fer- rovia do estado, porque daqui passavam e partiam trens para todas as partes, não tinha outra ferrovia a não ser a nossa malha ferroviária para chegar a Rio Grande, a fronteira e a capital. E como era gestão pública uma locomotiva puxava no máximo dez vagões, hoje a empresa privada faz um com- boio com uma centena de máquinas e vagões, sempre as crianças querem ir ver o trem, mas só restam os escombros da GARE, uma parte melhorada e os vagões que por aqui passam. E o projeto da norte-sul, São Paulo, Curitiba e Rio Ferrovias Grande comentam-se tanto, mas por enquanto é uma bandei- ra para alguns políticos, nesta ótica perguntamos e o projeto gasoduto, será que esqueceram? Lamentavelmente o político idealizador, saudoso Renan Curtes nos deixou. Teremos elei- ções brevemente e essas pautas serão colocadas novamente.
  10. 10. A CidadeA Cidade 11De 12 a 18 de fevereiro de 2016 CREMATÓRIO DOM JOSÉ: em Santa Rosa – planeje sua vida após a morte! Deseja ser cremado? Consulte o Rui. 3222.5362 | 9602.7736. Plano pagável em até 20 meses. ATELIER SCHULTZ: D. Maria procura profissional p/ser parceira ou deseja vender equipamento com a clientela fiel. É só trabalhar. 8448.6657. DIRETORCOMERCIAL:buscamosumprofissionalcomco- nhecimentos e liderança, agendar entrevista. 3223.5192 CIRCULAÇÃO EASSINATURAS: Vaga para trabalho na circulação do jornal e no comercio de assinaturas. Agendar 3223.5192. CONSULTORDEVENDASDEPUBLICIDADE:obtenha informações, venha conversar conosco, tenha um fixo e a receita em vendas sem limites, seja inovador e ambicioso para viver feliz. Tratar neste jornal. RELOJOEIROPAIM:Consertosemgeral.Capacidadeequa- lidade. Basta ligar que ele vem ao seu encontro, 3026.6165. Contrua a sua Casa! ImóveiseUtilidades Vendas Utilidades e Serviços Roveda Imóveis Aluga Anunciando no JC você recebe cortesia no espaço da rádio Imembuí, sábados das 10h as 12h. Ligue 32235192. APARTAMENTO:Edifício centenário 3 dor, 280 mil. Deso- cupado. APARTAMENTO: Conj.Res.Acampamento2dor,155mil. TERRENO:Itaara, 514m²,frenteSicredi,245mil. TERRENO: Rua Pedro Santini, frente para 287, 2 há. CASA: DE 285 m², Dr.Turi, frente centenário. CASA: de alvenaria na Rua Barão do Triunfo, quaseAndra- das, 03 pisos: no térreo, garagem para 02 carros, salão com churrasqueira e toda estrutura. No 1º andar uma ampla cozi- nha e no 2º andar 03 dormitórios com suíte. Pronta para famí- liascomfilhos.3223-5192. APARTAMENTO:NaruaAcampamento,defrente,esq.José Bonifácio, todo andar 133 m² de área útil, 3 dor, 3 banh. Dep. de empregada e 3 sacadas, garagem. Tr.: (55) 3223.5192/ 8407.1000. APARTAMENTONORESIDENCIALCAMOBI:03dormi- tórios desocupados, 199mil (3323-5192) LOJA: Na Floriano Peixoto, com 170 m², onde era a varan- da, condomínio baixo,aluguel 6 mil, com bonificação. CASA: Na General Neto, de alvenaria, frente Rede Vivo, 4 dor.R$1200,00. APTO:AV.BORGESDEMEDEIROS,2dor,R$580,00. APTO: Rua Pantaleão, 01dorm. c/gar, R$ 700,00. Tr. 3223- 5192. APTO NOVO:Na General Neto, 02 dorm, 2 banh., c/gar. R$ 1100,00. SHOPPINGINDEPENDÊNCIA:Temparalocaçãoumespa- ço para comércio na praça de alimentação 3027-7778. Olá amigos leitores! Num condomínio fechado, qualificado, tem tudo para todos, nós lhe oferecemos o terreno de 15 x 25, próximo a entrada. O bom mesmo nos li- gue e vamos conhe- cer o local, sua famí- lia não vai resistir. (55) 3223-5192 Você quando está conduzindo seu veículo cos- tuma respeitar a faixa de travessia de pedestres existentes em ruas, avenidas e rodovias da nossa região? Você como pedestre respeita o direito dos con- dutores e do trânsito em geral? A Constituição traz que mesmo o cidadão que não é habilitado tem suas obrigações legais pelo bem coletivo, e o código de trânsito brasileiro não da po- der absoluto ao pedestre, ou seja, aquela história que sou pedestre e os outros tem que me cuidar não pre- valece, pois hoje são muitos os entendimentos jurídi- cos e jurisprudênciasque consideram o pedestre tão responsável pela sua segurança como o condutor que se envolver em um atropelamento. Uma das ques- tões levadas em conta neste tipo de evento de trân- sito é se o pedestre vitima é habilitado,outra condi- ção é se o pedestre teve prudência ao adentrar na via antes do fato, e todas as outras condições de luz, clima, velocidade para o local e se a faixa é destina- da a travessia estava colocada dentro das regras de sinalização. Nas ruas da cidade de Santa Maria são muitos os exemplos de faixas colocadas de forma errada, ou apagadas e claro quando acontece um evento de trân- sito do tipo atropelamento estas particularidades tem que serem levadas em conta pelos agentes que aten- derem a ocorrência, pois, uma boa avaliação das condições gerais de sinalização e uma narrativa de- talhada da cinemática do acontecimento na cena do acidente podem facilitar o desenrolar judicial que envolve os direitos penais e cíveis em muitos casos. Um dos muitos exemplos de sinalização incorreta é na esquina da Rua Serafim valandro com a Rua Dr Bozano 2ª quadra bem no centro, é uma esquina com muitos conflitos, pois, o fluxo principal que vem da Valandro é proveniente de um semáforo e uma subi- da que ao cruzar a Dr. Bozano tem preferência; em contrapartida nesta esquina ocorre um grande fluxo de pedestres em ambas as calçadas durante o dia constantemente, as faixas de travessia de pedestres FTP popularmente chamada de faixa de pedestre ali em especial estão bem apagadas e tem falha na im- plantação, pois, não atendem as especificações do código de trânsito Brasileiro. Em um atropelamento vem as questões: O condutor do veículo atropelou isto é fato, e a sinalização estava correta, a questão do pedestre era habilitado ou não. Isto tudo acaba enchendo processos no judiciário que poderiam ser evitados se cada um fizer a sua parte, pois, se o pe- destre é habilitado tem plenas condições de não se colocar em risco. Eu sei muitos vão ler e falar que se parar na faixa aqui na cidade outro veículo vai me bater atrás, temos que lembrar que o perímetro cen- tral e arredores da Cidade de Santa Maria a veloci- dade máxima permitida é de 40KM/h quase não tem placas e quase ninguém respeita eu concordo mas, se eu ando acima da velocidade permitida e freio repentinamente para o pedestre eu aumento o risco de me baterem, se estou trafegando em uma via com grande movimentação de pedestres o segredo é an- dar em baixa velocidade e se precisar parar o trânsi- to vai parar de forma natural. Concluo que grande parte das colisões traseiras por motivo de preferên- cia aos pedestres o veículo da frente vinha acima da velocidade máxima permitida, e se não tem placas o condutor habilitado tem a obrigação de conhecer pelas características das vias a velocidade permitida e se ainda não sabe recomendo que volte para aprender nos CFCs. Morcegos, mosquitos, pombos, lagartixas, baratas, ratos e outros e limpeza na caixa d’água. São alguns lembretes para o síndico, atacar em tudo, o número um é a limpeza semestral da caixa d’água, pesquisar preços e credibilidade da empresa, aqui está à saúde de sua família. Morcegos estão na cidade, costumam infiltrar-se no ar condicionado e nas coberturas, não pode matar, deve chamar o IBAMA. Mosquitos, o momento é de prevenção, os casos estão se alar- mando, onde tem água, folhagem, ele se cria. Lagar- tixa tem por tudo também. Nossa cidade pelo visto tem poucos pombos, Caxias do Sul há poucos dias apareceu centenas de mortos, eles transmitem do- enças, no primeiro olhar ele empolga, mas é perigo- so. As lagartixas administrem como puder. Ratos se criam com facilidade, e também é um perigo, princi- palmente onde tem produtos alimentícios e em esto- que, lá estão eles investindo na produção. E as bara- tas nem se fala, é só vir o calor que elas aparecem, começam na rede de esgoto, nos bueiros e vão adi- ante. São pequenos lembretes necessários para pre- servar a saúde e o bem estar de todos, é triste quan- do alguém necessita ir buscar atendimento médico, muitas vezes com morosidade, transtornos e depois ainda enfrentar os altos custos de medicamentos, que mesmo o médico receitando o paciente muitas vezes não tem condições de comprar e no poder público é daquele jeito. São todos esses cuidados que compe- tem à fiscalização ao síndico, mas os moradores de- vem fazer a sua parte colaborando com o mesmo, é de suma importância fiscalizar, dar a manutenção é o principal. E hoje existem inúmeras empresas espe- cializadas para cada caso mencionado, tudo feito dentro da lei com qualidade e segurança, tem um custo, mas ele é indispensável, como já menciona- mos é bom prevenir do que depois buscar atendi- mento e enfrentar as dificuldades. Imóveis pintados constantemente são sujeitos a menor índice da cria- ção de todo tipo de inseto por que a tinta faz seu efeito e na pintura tudo é removido, é igual a caixa de gordura da cozinha quem prepara o almoço, as refeições em casa e coloca gordura na pia, esta vai acumulando, endurecendo até formar um queijo e com isso interrompe a circulação da água, conse- quentemente vaza para o apartamento inferior, aí vêm às reclamações. O que deve ser feito é toda semana colocar água quente para diluir as gorduras. Capão da Canoa APTO: 01 dormitório, com sacada, para 4 pessoas, com garagem, de frente para a Rua Sepe. Algumas datas para fevereiro e março com valores reduzi- dos a não ser para a páscoa. (8407-1000)
  11. 11. A CidadeA Cidade12 De 12 a 18 de fevereiro de 2016 Enquete Vivemos um momento de compra do material escolarVivemos um momento de compra do material escolarVivemos um momento de compra do material escolarVivemos um momento de compra do material escolarVivemos um momento de compra do material escolar, nas alturas, é preciso, nas alturas, é preciso, nas alturas, é preciso, nas alturas, é preciso, nas alturas, é preciso pesquisarpesquisarpesquisarpesquisarpesquisar, mas em certos casos não tem como fugir dos gastos, é como, mas em certos casos não tem como fugir dos gastos, é como, mas em certos casos não tem como fugir dos gastos, é como, mas em certos casos não tem como fugir dos gastos, é como, mas em certos casos não tem como fugir dos gastos, é como citamos numa matéria desta edição “acabaram com as livrarias”:citamos numa matéria desta edição “acabaram com as livrarias”:citamos numa matéria desta edição “acabaram com as livrarias”:citamos numa matéria desta edição “acabaram com as livrarias”:citamos numa matéria desta edição “acabaram com as livrarias”: Clesia Marreiro – professora – 28 anos: o material escolar está muito caro, fica difícil comprar tudo que é preciso. Emily Gadelha – estudante – 23 anos: não tem como comprartodomaterialeainda fazer as cópias necessárias. Gabi Mendonça – 19 anos–estudante:minha mãeaindanãocomprou meumaterialescolar,diz que a coisa está feia. Israel Bonnello – 17 anos – estudante: estudar além de difícil é muito caro, a gente gasta muito com material escolar. Jadson Pereira – 18 anos – estudante: esse é meu primeiro ano como universitário e eu acho que o quepoupeiemcadernovou gastar em xerox. Lucas Moura – 21 anos – estudante–cursarafaculda- degastamuito,alémdema- téria e xerox, ainda temos que nos preocupar com transporte e alimentação. Maiara Fernandes – estudante – 24 anos: esse ano eu me formo finalmente,estudardá muito gasto, espero ter retorno. Mayara Teixeira – dona de casa – 36 anos:tenhotrêsfilhos naescolaegastopor voltademilreaistodo ano para manter o material escolar. Raul Cavalcante – 16 anos–estudante–eu acho que meus pais gastam bastante com meusestudos,alémdo material, ainda tem a mensalidadedaescola. Roberto Araujo – 31 anos – técnico em radiologia – tenho uma filha na escola e a gente gastabastante,tudosubiu,até a folha de papel. Taise Alves – 20 anos – estudante – eu até não gasto muito em material, mais é em livro e xerox, mesmo. ThataWildes–estu- dante–21anos:ano que vem eu me for- mo, estou muito fe- liz, mas eu não gasto muitocomomateri- al da faculdade. Quanta saudade do passado a tradi- cional livraria do Globo, a Sulina, a Evangélicaetantasoutrasquetinham tudoparatodoscomsurgimentodaele- trônicaainternetnãoprecisanemestu- darsócopiar,masparaquemgostada leiturasentirogostodolivro,alivraria Saraivamantémestepatrimôniocultu- ral em todo país. Mas aqui as livrarias virarambazartemtudoparatodos,mas nãoencontramososlivrosqueprecisa- mos,muitopouco.Temosrecebidode- núncias que editoras e empresas che- gamaSantaMariaefazemumplantão noscolégiosealiosalunossão“convi- dados” para comprar livros que o co- légioadotará.Nãoentramosemméri- tosdevalores,poisexistemórgãospara fiscalizar,massimdessaformaoquan- toomunicípioperdenosimpostoseo quantoprejudicaocomércioestabele- cido.Ospaissãoconvidadosparacom- prardesseAtacadãorelâmpagoquese instala na cidade. Outra indústria que não tem como fugir são os uniformes Acabaram com as livrarias que deveriam ser padronizados no es- tado. Que todo aluno vestisse a indu- mentáriagaúchaequeaindústriadeseg- mento patrocinasse para as crianças necessitadas,maslamentavelmenteem certoscolégioséindicadoumaempre- saexclusivaqueseinstalanocolégioe ospaisnãotemcomofugirdospreços. Outrofatorinteressantesãoasfestasnos colégiosemqueasdireçõespermitem queosfotógrafosfaçamálbumdascri- ançasedepoisvisitamasfamíliaspara oferecer as fotos e os pais na tentação compramparaguardarnarecordação. Parece um absurdo, mas chegou ao nossoconhecimentoàliberdadedeco- mercializaredevendercompeteacada um,poisvivemosnumpaíslivreeoque nós nos referimos é essas promoções relâmpagoseoestabelecimentocomer- cialquepagaseusimpostosealugueis todooano.Aquiapenasescrevemoso quenosfoicomunicado,nãosomosnós quevamosfiscalizar,poisexisteórgão comessafinalidade.
  12. 12. A CidadeA Cidade 13De 12 a 18 de fevereiro de 2016 Uma doença cada vez mais presente entre o público idoso, a qual compromete a estrutura óssea da pessoa, deixando com mais chance de fratura em caso de quedas. Só em 2015, foram registrados mais de 65 mil casos de fratura no quadril devido a quedas em todo o país. Na mai- oria destes casos, as vítimas são pessoas com maisde60anosdeidade.Aosteoporoseédefini- da como a perda acelerada de massa óssea, que ocorre durante o envelhecimento. Essa doença provoca a diminuição da absorção de minerais e de cálcio. Três em cada quatro pacientes são do sexofeminino.Afetaprincipalmenteasmulheres que estão na fase pós-menopausa.A fragilidade dos ossos nas mulheres é causada pela ausência do hormônio feminino, o estrogênio, que os tor- namporososcomoumaesponja.Éamaiorcausa de fraturas e quedas em idosos.Os principais fa- tores de risco de desenvolvimento dessa doença são:Pelebranca;Históricofamiliardeosteoporo- se;Vida sedentária; Baixa ingestão de Cálcio e / Ocigarropodecausarcercade50doençasdife- rentes, especialmente problemas ligados ao co- ração e à circulação, cânceres de vários tipos e doençasrespiratórias,conformeoInstitutoNaci- onal do Câncer (Inca), no Rio de Janeiro.Acada tragada são inaladas 4 700 substâncias tóxicas. Entre elas, três são consideradas as piores.A pri- meira é a nicotina, que provoca dependência e chegaaocérebromaisrápidoque atemidacocaína,estandoassoci- ada aos problemas cardíacos e vasculares (de circulação sanguí- nea).Asegunda é o monóxido de carbono(CO),aquelemesmoque HIGIENEBUCALNATERCEIRAIDADE: oscuidadoscomahigienebucaldevemsermantidosnaterceiraidade.Porém,nãoéarealidade paramuitosbrasileiros:segundoumapesquisarealizadapeloIBGEem2013,41,5%daspessoasacimade60anosjáperderamosdenteseesse número correspondia a mais de 23,5 milhões de pessoas no Brasil. Os números são assustadores porque revelam que, a cada quatro idosos, trêsnãopossuemdentesnaturais.Afaltadecuidadoscomahigienebucalnestafasedavidapodecausarproblemascomoxerostomia(boca seca),cáriederaiz,problemasnaspontes/prótesestotaisouparciais,câncer,lesãomucosabucal,doençasperiodontais(atacamostecidosde suporte e sustentação dos dentes), endocardite e atrição/abrasão (bruxismo - hábito de apertar e ranger os dentes). “Há uma mentalidade equivocada de que é normal chegar à terceira idade sem dentes e que usar dentadura é uma consequência natural. É totalmente possível envelhecer de maneira saudável - o fundamental é a prevenção”, afirma Érika Vassolér, dentista e consultora de higiene bucal da Condor. Outrosfatorespodemprejudicarasaúdebucalnaterceiraidade:ousodemuitosmedicamentos(causamsensaçãodebocaseca),retraçãode gengiva(dáaimpressãodequeosdentesestãomaislongos)eotratamentocontraocâncer(diminuiasalivaepodecriarcáriesderadiação). Categoria de idosos: Independentes: vivem sem auxilio; Parcialmente dependentes: precisam de ajuda para algumas tarefas; Totalmente dependentes:nãoteminiciativaprópriaenecessitamdeumcuidador.SegundoÉrikaVassolér,quemusadentadurasouprótesesdevemanter oscuidadoscomasaúdebucal.Asplacasbacterianasseformamtambémnasprótesesepodemcausardoençassenãoforemremovidas.Uma delaséaendocardite-inflamaçãodeumtecidodocoraçãooupneumoniaporaspiraçãoquepodelevaràmorte. Éindicadocolocaraprótese ànoiteemumcopodeáguadepreferênciacomtampaparaevitaracontaminação.“Éimportanteretiraradentaduraparadormirpararelaxaros tecidosdesuporte.Paraosidososquetemausênciatotaldedentesalimpezadagengivaemucosapodeserrealizadautilizandoumasolução dedigluconatodeclorexidinaa0,12%,semálcool,quepodeseraplicadacomumagaze”,afirmaÉrika.Alimpezadalínguatambémémuito importanteepodeserfeitacomraspadorougazedemaneiradelicada.Aplacaesbranquiçadanodorsodalínguaésinaldamáhigienizaçãoe podecausarhalitoseeinfecçõesbucais.Cuidadoscomaprótesedentáriamóvel:Antesderetiraraprótese,laveasmãos;Paraevitaracidentes, coloqueumatoalhaparaevitarqueelacaianochão;Tenhaduasescovas:umaparaosdentesnaturaiseoutraparaaprótese;Limpebemcada face da prótese; Duas vezes por mês, coloque a prótese durante 30 minutos em um copo com água e três gotas de água sanitária. Lave com bastanteáguaepastadedentenãoabrasiva;Limpeabocaantesdecolocaraprótese.Façabochechocomágua,utilizeumaescovamaciapara massagear a gengiva, bochecha e língua. Osteoporose: como prevenirouvitaminaD;Fumooubebidaemex- cesso; Medicamentos, como anticon- vulsivantes,hormôniotireoideano,glo- corticoides e heparina; Doenças de base,comoartritereumatoide,diabetes, leucemia,linfoma.Oslocaismaisafeta- dos por essa doença são a coluna, o pulsoeocolodofêmur,sendoesteúlti- mo o mais perigoso. É considerada o segundomaiorproblemadesaúdemun- dial, ficando atrás apenas das doenças cardiovasculares.Todas as pessoas podem fortalecer os seus ossos ao lon- godavidaereduzirseuriscodedesen- volver osteoporose.Um estilo de vida saudável, comdietabalanceada-ricaemcálcioevitaminaD -associadaàpráticaregulardeatividadesfísicas ajuda na manutenção da saúde de todo o orga- nismo,inclusivedosossos.Algunshábitossau- dáveisajudamapreveniraosteoporose,taiscomo: FazerrefeiçõesricasemcálcioevitaminaD;man- terumarotinadeatividadesfísicasregulares;não beberemexcessoenãofumar;evitaroconsumo de muito sal ou cafeína, pois eles podem levar a perda de cálcio pelo organismo; tomar sol sem filtro solar por pelo menos 15 min ao dia, antes das10houapósas15h;manterumpesocorporal saudável. Exercícios todos os diasajudamna prevençãoda doença Os males do cigarro sai do cano de escapamento dos carros. Ele combina com a hemoglobina do sangue (res- ponsável pelo transporte de oxigênio) e acaba reduzindoaoxigenaçãosanguíneanocorpo.A terceira substância tida como grande vilã é o alcatrão, que reúne vários produtos canceríge- nos, como polônio, chumbo e arsênio.Alvos fáceis para o tabaco. Coração e pulmão estão entre as principais partes do organismo atingi- das.Dacárieaocâncer:Otabagismoprovoca váriosestragosnaregiãodaboca.Alémdemo- dificar o hálito, a fumaça irrita a gengiva e pode facilitarosurgimentodecáries.Chapapreta:Vá- rias substâncias tóxicas presentes na fumaça fa- zemostecidosdospulmõesperderemelasticida- de, o que acarreta uma destruição parcial da estruturadessesórgãos.Trabalhocomanicoti- na:Anicotina aspirada pelo fumante segue para o fígado, onde é metabolizada. Por isso, esse ór- gão também está sujeito a desenvolver câncer. Estômagoembrulhado:Jáforamencontradosre- síduosdeumagrotóxicochamadoDDTemamos- tras do alcatrão que compõe o cigarro. O DDT irrita as paredes do estômago e pode levar o fu- manteasentirnáuseas.Riscodederrame:Océ- rebro também pode ser afetado pelas dificulda- des de circulação causadas pelo cigarro. Os va- soscomprimidos,aqualidadedesangueprejudi- cada e o aumento da pressão arterial podem resultaremderramecerebral.Circulaçãocompro- metida: A nicotina diminui a espessura dos va- sossanguíneoseomonóxidodecarbonoreduza concentração de oxigênio no sangue. Assim, o fumante está mais sujeito a vários problemas re- lacionadosàcirculação.Infarto:Umdosórgãos maisafetadoséocoração.Aaçãodanicotinafaz com que o corpo absorva mais colesterol. O ci- garrotambémelevaapressãoarterialeafrequên- cia cardíaca, que sobe até 30% durante as traga- das.Tudoissoéfatorderiscoparaproblemasno coração. Oquevocêganhaseficarsemfumarpor:20 minutos: a pressão sanguínea e a pulsação vol- tam ao normal; 2 horas: não tem mais nicotina circulandonosangue;8horas:oníveldeoxigê- nio no sangue se normaliza; 2 dias: o paladar ganha sensibilidade novamente; 3 semanas: a respiração fica mais fácil e a circulação sanguí- neamelhora;5a10anos:oriscodesofrerinfar- to passa a ser igual ao de quem nunca fumou.
  13. 13. A CidadeA Cidade14 De 12 a 18 de fevereiro de 2016 12/02 EuláliadaR.Jardim RodrigoDaniel MariadeLourdesAndrade Geraldo C. Braga DionataTambara LetíciaCarvalho 13/02 Rômulo J.A. S.Aita AriostoV.Gonçalves ReginaC.Antoniazzi TainaraVieira 14/02 João Carlos E. Guido Francisco M. P. G. Preta Ana Paula da S. Diel Renata M. Machado DanielaCosta AldeniceM.daSilva CristianeSaccol 15/02 FlorinaS.Pinto Andrea Langbecker Alice da Costa JonathanPereira Otella M. da C. Maffini SilbertoE.Ratzlaff LetíciaM.Teixeira Marcelo Chagas 16/02 Joarez da S. Lopes Tania D. Resener Claudio Frota 17/02 Carolina S. Bender JulioCesarBatistela Melissa P. da Silva JulioSarkis Sônia M. B. Gonçalves Jocimara Correa 18/02 Andressa O. dos Santos Nolvar S. Spessato LetíciaSander PaulaElisemann SérgioMay Edital de interdição Parcial 2ª Vara de Família e Sucessões – Comarca de Santa Maria. Natureza: interdição Processo:027/1.14.0012310- 0 (CNPJ: 0029976-24.2014.8.21.0027). requerente: Tarci- sio Bortolin Camponogara e outros. Requerido: Nelson Renato Mario Componogara. Objeto: Ciência a quem inte- ressar possa de que foi decretada a INTERDIÇÃO do REQUERIDO(A): Nelson Renato Mario Camponogara, por sentença proferida em 22/06/2015. LIMITES DA INTERDI- ÇÃO: incapaz para o desempenho de certos atos da vida civil: que envolvam uso de dinheiro, rendimentos, bens, inventário e herança. CAUSA DA INTERDIÇÃO: CID: 10 F43.1, CID: 10 F41.1 e CID: 10 F03. PRAZO DA INTERDI- ÇÃO: Indeterminado. CURADOR(A) NOMEADO(A): Tarci- sio Bortolin Campogonara. O prazo deste edital é o do art. 1.184 do CPC. Santa Maria, 15 de dezembro de 2015. SERVIDOR: Mariomar Cristina Soares Rodrigues – Escrivã Judicial. JUIZ: Afif Jorge Simões Neto. SANTOS DA SEMANA: Eulália de Barcelona, Juliã, o, Reginaldo de Orleans (12); Catarina de Ricci, Martiniano, Gregório II, Benigno (13); Cirilo, Valentim, Valentim de Terni, Metódio (14);Cláudio Colombiere, Faustino e Jovi- ta, Teotônio (15); Onésimo, José Allamano, FelipaMareri (16); Aleixo Falconieri; Sete fundadores da Ordem dos Servitas (17); Beranardete Soubirous, Flaviano, João de Fiesole (18). AGAS: eventos agendados para este ano. Dia 23, 9º GP de kart em Viamão, momento de descontração entre for- necedores e supermercadistas. E a convenção regional de Santa Maria será dias 27 e 28 de abril. CLUBE CAIXERALSANTA-MARIENSE: criado em 14 de fevereiro de 1886, é um patrimônio dos associados, os fundadores já foram, mas os sucessores estão aí, que tenha um destino feliz. PIQUETEDELAÇADORESMANOELPINTO:foifun- dado em 12 de fevereiro de 1983, o trevo da 287, com aces- so para Boca do Monte está a placa desse herói gaúcho. PROGRAMAESCOLAABERTA: Funciona na escola Augusto Ruschi desde março de 2007, são oferecidos cursos de artesanato em chinelo, grafite e outros cursos. A escola oferece também WiFi livre grátis. Sábado das 09h às 12h e das 15h às 18h e nos domingos das 15h às 18h. Também acontece a cada segundo domingo do mês a feira comunitária você pode expor e vender. (Informa- ções 9726-3034) SMED: Com jantar baile dia 16 às 20h no Parque hotel Morotin.ASecretaria Municipal do Munícipio dará a pos- se aos diretores e vice da rede municipal. (Informações 3921-7099) GRÁFICAMULTIPRESS:Aempresa foi criada em 15 de fevereiro de 1990 por Ademar Secha. CAXIAS DO SUL: De 18 a 06 de março acontece a festa da uva. SANTUÁRIOAMEDIANEIRA: Domingo, às 10h, missa em homenagem aos idosos e aos doentes com abertura da porta da misericórdia. COMBATEAOAEDES: Após o lançamento no início do mês da campanha “Dez Minutos contra Dengue, Zika e Chi- kungunya”, no bairro Juscelino Kubitschek, juntamente com o primeiro mutirão com apoio do contingente do Exército, realizando vistorias nas residências, distribuição de materiais informativos aos moradores, além de orientações sobre o descarte de objetos e utensílios capazes de acumular água. A fim de evitar a proliferação do mosquito responsável pela transmissão da dengue, zika vírus e febre chikungunya, as equipes da Secretaria de Saúde irão participar da campanha nacional de mobilização prevista para esse sábado, em uma proposta do Governo Federal, de sensibilização da socieda- de para a eliminar focos do mosquito Aedes aegypti, trans- missor dos vírus da Dengue, Chikungunya e Zika. SÃO VALENTIM: O seu dia festivo é comemorado anual- mente em 14 de fevereiro, em todo o mundo. Mas há con- trovérsias quanto a data, que em alguns livros dizem ser o dia 13.Trata-se de um santo reconhecido pela Igreja Católi- ca e Igrejas Orientais que dá nome ao Dia dos Namorados em muitos países, onde celebram o Dia de São Valentim. O nome refere-se a pelo menos três santos martirizados na Roma antiga. Nasceu em Terni (Itália) e morreu em Roma. Diz a lenda que, na Idade Média, existia um bispo chamado Valentim que lutou contra as ordens do imperador Cláudio II, que na época, havia proibi- do o casamento durante as guerras, pois acreditava que os solteiros eram melhores combatentes.Valentim continuou celebrando casamentos, e até ele mesmo se casou se- cretamente, mesmo com as proibições.Foi descoberto, preso e condenado à morte, En- quanto aguardava o cumprimento da sua sentença, se apaixonou pela filha cega de um carcereiro e, milagrosamente, devolveu-lhe a visão. Antes da execução, Valentim escre- veu uma mensagem de adeus para ela, na qual assinava como “Seu Namorado” ou “De seu Valentim”. Tornou-se o protetor daqueles que sofrem de desmaios e ataques epilép- ticos. Na região, a devoção se concentra em Silveira Martins – na Linha 06 – onde é o padroeiro e acontece missa festiva e almoço italiano. DIADOACOLHIMENTO: lançado em 2014 pelos veículos de comunicação, entidades e instituições lotaram o Parque da Medianeira, neste ano acontece em março, um trabalho social, sob a coordenação da 3ª DE. CONSUMO DE CHIMARRÃO: Consumo diário de 100 gramas da erva diminui 29% dos níveis de colesterol e 62% nos triglicerídeos, mas é preciso saber como servir a bebida para que o consumo seja seguro e saudável. Muito mais do que um hábito da população do Sul do Brasil, a tradição de tomar chimarrão também faz bem à saúde. Estudos comprovam que a erva-mate, que pode ser consumida como chimarrão ou chá, traz diversos benefícios às funções orgânicas. Os principais componentes da planta atuam como auxiliar em dietas, como diurético, digestivo e também ajudam no tratamento da fadiga funcional. De acordo com um estudo feito recentemente pela Feevale de Novo Hamburgo (RS), o mate, além de estimulante, também faz bem ao coração. O trabalho coordenado pela biomédica Rejane Giacomelli mostra que o uso diário de 100 gramas da erva-mate pode causar a diminuição de 29% dos níveis de colesterol e de 62% nos triglicerídeos, afastando os riscos de problemas cardíacos. Mas de nada adianta consumir a erva como chimarrão se você não souber como servir a bebida. O porongo, material utilizado na fabricação de cuias, é muito poroso, absorve umidade e provoca o acúmulo de resíduos e a proliferação de bactérias, tornando-se uma ameaça à saúde. Já as cuias de cerâmica, são as melhores opções para o consumo, pois além de serem atóxicas e livres de metais pesados, as cuias ajudam a preservar a temperatura da bebida, otimi- zando o aroma e o sabor da erva. A MondoCeram – mar- ca que pertence ao grupo Ce- raflame – tem em seu mix de produtos diferentes opções de cuias. Todas são fabricadas em cerâmica, atóxicas, fáceis de lavar e não acumulam mau cheiro e resíduos. Além dis- so, a MondoCeram também oferece ao mercado porta erva, disponível em duas co- res. Segundo a fabricante, os produtos são fabricados em um processo de alta tecnolo- gia. As cuias de cerâmica são fabricadas com matéria prima de primeira qualidade e a de- coração das peças é feita ma- nualmente, tudo para garantir um resultado único e exclusi- vo aos produtos. Fonte: www.mondoceram.com.br
  14. 14. 15De 12 a 18 de fevereiro de 2016 A nossa pauta no jornal rumo a 18 anos e no sábado das 10h às 12h, pela rádio Imembuí quando vamos comemorar 15 anos. Po- demos transmitir da sua empre- sa, fortalecer a marca e a sua produção. SANTUÁRIO NOSSA SE- NHORA DE LOURDES ITA- ARA: dedicamos hoje este es- É o espaço do Empreendedorismo paço a comunidade da vizinha cidade, pois os devotos com mui- to trabalho e dedicação constru- íram um santuário para acolher a protetora dos enfermos, e nes- se domingo é a grande romaria.
  15. 15. Sexta-Feira, 12 de fevereiro de 2016 Ano XVII - Edição 1105 - R$ 1,50 É uma empresa santa-mariense, trabalha com franquia, com uma marca inter- nacional, com a locaçãodeveícu- los e o casal Vi- cente e Sandra Borin apostaram no segmento. E na época em nos- sa cidade quase não existia loca- dora de veículos, o tempo foi pas- sando, o cresci- mento da cidade, as necessidades e aUnidasfoiaem- presa por ele es- colhida,nodia12 de fevereiro de 2009 começava atividadenaAve- nida Fernando Ferrari, 1750 (telefone 3025-4200).Afamília Borin, o casal e osfilhosefilhasapostaramnosegmento O carisma pela sua programação, pela lealdade, transparência e imparcialidade, umaequipequalificadadecimaabaixo,valorizaoempreendedoreconsegueespaço ao ouvinte. Sempre presente quando o assunto é regional, assim é a gestão dos diretores Claudio e Alcides Zappe e Jonas Rosa, que comanda duas dezenas de rádios espalhadas pelo estado. Foi em 13 de fevereiro de 1942 que da Dr. Bozano entravanoarapioneiracomoéconhecida,mudou-sedepoisparaaVenâncioAires e com a aquisição do terreno construiu sua sede própria, provisória, onde acolhe além da aniversariante a rádio Nativa, muito espaço, o projeto para o futuro é a construção,naWalterJobim,umamodernasedeparaarádioqueconquistouacre- dibilidade através da postura que tem mantido ao longo dos 74 anos. Para quem visita os estúdios lá está uma galeria de fotos daqueles que por ali passaram e para este ano a esperada mudança daAM para FM onde a qualidade será ainda melhor. Diego, 20 anos de atividades neste ramo. Trabalhou em várias empresas, aprendeu e agora lança uma forma diferente de trabalhar. Ele atende a domicílio, facilitando o dia a dia do consumidor. Sempre a procura mai- or foi para a proteção nos veículos, em outras palavras, a segurança de quem está nele, a pessoa se sente mais a vontade quando o veículo foi preparado dentro da lei, nos limites previstos pela legislação, mas o em- presário também constata um gran- de crescimento e procura na colo- cação de películas decorativas. Nas salas, em todas as instalações de uma residência, pois ela protege do sol, da uma nova estética e se a loja ou imóvel for térreo, transmite segurança aos ocupantes, principalmente na fra- gilidade que vivemos. Segundo ele, em Santa Maria são inúmeras empre- sas que trabalham no ramo, mas as pessoas devem sempre realizar or- çamentos e contratar de preferência quem conhece ou que tenha referên- cias, mas também o importante a qualidade do serviço a ser prestado. Você pode solicitar o orçamento sem compromisso. Contato (55) 9167- 9857 ou (55) 9689-8567. Fotos que lembram o passado Em recente encontro em nossa cidade dos ferroramas e as fotos de arquivo do passado lembram e dão a dimensão da importância da ferrovia com suas estações do passado e a construção das estradas naquela época sem máquinas. E recente- mentepassandonoviadutosobrearedeferroviáriaalitransitava,puxadoporloco- motivas,quasecemvagões,issonainiciativaprivada,porquenosetorpúbliconão acontecia.Easestaçõesferroviáriaseramsímbolodearquiteturaebeleza,seráque a de Cacequi está assim, que foi construída em 1890. Se ela estiver nessas condi- ções, parabéns pela manutenção. Qualificado em películas Unidas locadora de veículos e hoje a locadora é uma referência pelo serviço que presta e pela qualidade dos veículos colocados a disposição. Os 74 anos da ImembuíOs 74 anos da Imembuí

×