Novas regras ortograficas

732 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Novas regras ortograficas

  1. 1. Pensando No Futuro
  2. 2. Colégio: Estadual Ouro Negro Data: 03 de novembro de 2010 Alunas (os): Caline, Geisiane, Jessiane, Tassio, Vanderson Série: 2 º ano Turma : A Turno : Matutino Professora: Priscila Disciplina: Língua Portuguesa Introdução As novas regras ortográficas começaram a valer de acordo com o decreto assinado pelo presidente Lula, em que os professores de Português defendem que o Acordo Ortográfico deve ser introduzido nas escolas juntamente com o novo programa da disciplina, de forma a evitar que o ensino da língua pareça "uma estrada esburacada". As novas normas podem ser pedidas em provas de interpretação de texto, vale a pena lembrar que o que muda é a grafia, mais a fala continua a mesma. Acordo ortográfico em 2010 Para Paulo Feytor Pinto, presidente da Associação de Professores de Português (APP), o Acordo Ortográfico deveria entrar em vigor no início do ano letivo 2010/2011, altura em que será introduzido o novo programa da Língua Portuguesa do Ensino Básico. "O ideal é que entre em vigor tudo ao mesmo tempo, que não façamos como algumas obras portuguesas em que a estrada é alcatroada hoje, dentro de uma semana vêm esburacá-la para pôr os canos da água, passado quatro semanas vêm abri-la de novo para fazer o serviço da eletricidade. Nós, no ensino de Português, gostaríamos de não estar sempre a esburacar a estrada", considerou.
  3. 3. Paulo Feytor Pinto destacou que nunca existiram compromissos concretos do Ministério da Educação com datas e pediu que se tomassem decisões sobre a data de entrada em vigor do Acordo "de uma forma clara, concreta e definitiva". "Até a declaração aprovada pela Assembléia da República de que o Acordo Ortográfico entraria em vigor até ao Verão de 2014 é muito vaga", exemplificou. O Acordo Ortográfico deverá começar ao mesmo tempo em todos os anos letivo, de forma que os alunos já alfabetizados terão de reaprender a ortografia, segundo o novo acordo. "Parece-nos um bocado estranho que alunos que agora começam a estudar Português comecem com a grafia antiga, que sabemos que não vai estar em vigor daqui a uns anos. Os alunos do primeiro e segundo anos de escolaridade deveriam começar já a aprender a escrever segundo o novo acordo", defendeu, no entanto. Quanto à preparação dos professores para o "novo Português", considerou que as alterações não são um "bicho-de-sete-cabeças". "Contrariamente ao muito que se diz por aí, as alterações que vão ser introduzidas são muito poucas e julgo que basta uma meia hora para os professores aprenderem as novas regras. E depois é aplicá-las", considerou. Paulo Feytor Pinto defendeu ainda a existência de um "período de transição, em que as duas grafias serão aceites", argumentando que "as pessoas que já estão alfabetizadas demorarão uma vida a aprender a escrever da nova forma", tal como os nossos avôs alfabetizados antes de 1911. "Eu, nas aulas, como professor de português, vou escrever na nova ortografia porque sou obrigado, mas se calhar em casa nos meus escritos pessoais vai escrever à maneira antiga", explicou. Veja as regras atuais e o que vai mudar na língua portuguesa: Alfabeto: será formado por 26 letras Como é: As letras “k”, “w” e “y” não são consideradas integrantes do alfabeto Como será: Essas letras serão usadas em unidades de medida, nomes próprios, palavras estrangeiras e outras palavras em geral. Exemplos: km, kg, watt, playground, William, Kafka, kafkiano. Trema: Não existirá mais o trema na língua portuguesa. Será mantido apenas em casos de nomes estrangeiros. Exemplo: Müller, mülleriano.
  4. 4. Como é: Agüentar, conseqüência, cinqüenta, freqüência, tranqüilo, lingüiça, bilíngüe. Como será: Aguentar, consequência, cinquenta, frequência, tranquilo, linguiça, bilíngue. Acentuação: ditongos “ei” e “oi” Os ditongos abertos “ei” e “oi” não serão mais acentuados em palavras paroxítonas Como é: Assembléia, platéia, idéia, colméia, boléia, Coréia, bóia, paranóia, jibóia, apóio, heróico, paranóico Como será: Assembleia, plateia, ideia, colmeia, boleia, Coreia, boia, paranoia, jiboia, apoio, heroico, paranoico. Obs.: Nos ditongos abertos de palavras oxítonas terminadas em éi, éu e ói e monossílabas o acento continua: herói, constrói, dói, anéis, papéis, troféu, céu, chapéu. Acentuação – “i” e “u” formando hiato Não se acentuarão mais “i” e “u” tônicos formando hiato quando vierem depois de ditongo Como é: baiúca, boiúna, feiúra, feiúme, bocaiúva Como será: baiuca, boiuna, feiura, feiume, bocaiúva Obs. 1: Se a palavra for oxítona e o “i” ou “u” estiverem em posição final o acento permanece: tuiuiú, Piauí. Obs. 2: Nos demais “i” e “u” tônicos, formando hiato, o acento continua. Exemplo: saúde, saída, gaúcha. Hiato: Os hiatos “oo” e “ee” não serão mais acentuados Como é: enjôo, vôo, perdôo, abençoa, povôo, crêem, dêem, lêem, vêem, relêem Como será: enjoo, voo, perdoo, abençoo, povoo, creem, deem, leem, veem, relêem Palavras homônimas: Não existirá mais o acento diferencial em palavras homônimas (grafia igual, som e sentido diferentes) Como é: Pára/para, péla/pela pêlo/pelo pêra/pera, pólo/pólo Como será: para, pela, pelo, pera, pólo Obs. 1: O acento diferencial ainda permanece no verbo poder (pôde, quando usado no passado) e no verbo pôr (para diferenciar da preposição por).
  5. 5. Obs. 2: É facultativo o uso do acento circunflexo para diferenciar as palavras forma/fôrma. Em alguns casos, o uso do acento deixa a frase mais clara. Exemplo: Qual é a forma da fôrma do bolo? Hífen – “r” e “s” O hífen não será mais utilizado em prefixos terminados em vogal seguida de palavras iniciadas com “r” ou “s”. Nesse caso, essas letras deverão ser duplicadas. Como é: ante-sala, auto-retrato, anti-social, anti-rugas, arqui-rival, auto-regulamentação, auto-sugestão, contra-senso, contra-regra, contra-senha, extra-regimento, infra-som, ultra-sonografia, semi-real, supra-renal. Como será: antessala, autorretrato, antissocial, antirrugas, arquirrival, autorregulamentação, autossugestão, contrassenso, contrarregra, contrassenha, extrarregimento, infrassom, ultrassonografia, semirreal, suprarrenal. Hífen – mesmo vogal O hífen será utilizado quando o prefixo terminar com uma vogal e a segunda palavra começar com a mesma vogal. Como é: antiibérico, antiinflamatório, antiinflacionário, antiimperialista, arquiinimigo, arquiirmandade, microondas, microônibus. Como será: anti-ibérico, anti-inflamatório, anti-inflacionário, anti-imperialista, arqui- inimigo, arqui-irmandade, micro-ondas, micro-ônibus. Hífens – vogais diferentes O hífen não será utilizado quando o prefixo terminar em vogal diferente da que inicia a segunda palavra. Como é: auto-afirmação, auto-ajuda, auto-aprendizagem, auto-escola, auto-estrada, auto- instrução, co-autor, contra-exemplo, contra-indicação, contra-ordem, extra-escolar, extra- oficial, infra-estrutura, intra-ocular, intra-uterino, neo-expressionista, neo-imperialista, semi-aberto, semi-árido, semi-automático Como será: autoafirmação, autoajuda, autoaprendizagem, autoescola, autoestrada, autoinstrução, coautor, contraexemplo, contraindicação, contraordem, extraescolar, extraoficial, infraestrutura, intraocular, intrauterino, neoexpressionista, neoimperialista, semiaberto, semiárido, semiautomático. Obs.: A regra não se encaixa quando a palavra seguinte iniciar por h: anti-herói, anti- higiênico, extra-humano, semi-herbáceo.
  6. 6. Conclusão Expressar a nossa forma de falar e agir são algumas das grandiosas coisas que a escrita nos permite executar, porém ela fica perfeita quando a praticamos corretamente. E escrever maravilhosamente e bem é o que muitas pessoas sonham, porém para que isso ocorra é sempre bom ficar de olho nas mudanças que acontecem com a nossa língua portuguesa, por exemplo, e em suas novas regras ortográficas. Agora que conhecemos algumas das principais mudanças na nossa língua portuguesa é só ficarmos atentos aos erros e começar a praticar as mudanças e continuar escrevendo bem e sem nenhum erro ortográfico, portanto vamos praticar a escrita correta.
  7. 7. Conclusão Expressar a nossa forma de falar e agir são algumas das grandiosas coisas que a escrita nos permite executar, porém ela fica perfeita quando a praticamos corretamente. E escrever maravilhosamente e bem é o que muitas pessoas sonham, porém para que isso ocorra é sempre bom ficar de olho nas mudanças que acontecem com a nossa língua portuguesa, por exemplo, e em suas novas regras ortográficas. Agora que conhecemos algumas das principais mudanças na nossa língua portuguesa é só ficarmos atentos aos erros e começar a praticar as mudanças e continuar escrevendo bem e sem nenhum erro ortográfico, portanto vamos praticar a escrita correta.

×