SlideShare uma empresa Scribd logo

An2 b - trabalho colaborativo com as ferramentas google - edição e publicação de conteúdos (corrigida)

1 de 7
CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA

                          APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO
                                                                                                                                       An2-B
                NAS MODALIDADES DE ESTÁGIO, PROJECTO, OFICINA DE FORMAÇÃO
                                  E CÍRCULO DE ESTUDOS
                   Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC2                                            N.º ________


 1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO

  Trabalho Colaborativo com as Ferramentas Google: Edição e Publicação de Conteúdos


 2. RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA ACÇÃO: PROBLEMA/NECESSIDADE DE FORMAÇÃO
    IDENTIFICADO



       A formação contínua constitui um processo dinâmico de aquisição e de aperfeiçoamento de
    competências humanas, técnicas e científicas requeridas pelo exercício de uma profissão
    exigente e altamente qualificada.
       Pretende-se, com esta acção de formação promover o desenvolvimento curricular, a
    integração transdisciplinar das TIC, a elaboração de recursos educativos digitais e a sua
    aplicação no processo de ensino/aprendizagem, de forma a fomentar o desenvolvimento de
    mais e melhor ensino e aprendizagem. Salientamos a oportunidade da aplicação destas
    ferramentas, por exemplo, ao nível da Área Projecto, Cursos EFA e nos diversificados
    Projectos de Turma.
       Pretende-se, assim, uma evolução das actuais práticas pedagógicas no sentido de as
    adaptar a uma realidade distinta que se caracteriza pela necessidade de informação
    relevante e fiável susceptível de se tornar útil aos seus destinatários. Os meios de
    comunicação a adoptar procurarão assegurar a necessária organização da informação e
    caracterizará o sentido de oportunidade com que será disponibilizada.
       Perspectivam-se repercussões nos modos de aprendizagem dos alunos e nos modos de
    formação dos professores.
        Em termos práticos, pretende-se apoiar os docentes a:

                   •         Criar materiais didácticos em formato digital;

                   •         Organizar e partilhar a informação;

                   •         Criar condições de auto-formação.
     Ainda um factor a considerar que está na base da concepção desta Oficina de Formação
    em regime de e-learning, é o facto de ultrapassada em escala significativa a fase da
    aquisição de competências básicas em TIC por parte de muitos professores, haver
    necessidade de redireccionar a formação contínua em quatro grandes linhas de acção:
              1.   Desenvolver a aplicação das competências básicas adquiridas na produção de
                   materiais educativos;




Os dados recolhidos são processados automaticamente, destinando-se à gestão automática de certificados e envio de correspondência. O preenchimento dos
campos é obrigatório pelo que a falta ou inexactidão das respostas implica o arquivamento do processo. Os interessados poderão aceder à informação que lhes
diga respeito, presencialmente ou por solicitação escrita ao CCPFC, nos termos dos artigos 27º e 28º da Lei nº 10/91 de 19 de Fevereiro. Entidade responsável pela
gestão da informação: CCPFC - Rua Nossa Senhora do Leite, nº 7-3º - 4701 - 902 Braga.
             2.     Modernizar os processos e os meios envolvidos na formação contínua dos
                   professores explorando as potencialidades que as TIC oferecem (nomeadamente
                   no que se refere à Internet), desenvolvendo a sua utilização como ferramenta
                   para a actividade docente e adequando a formação às novas exigências da
                   “sociedade da informação e do conhecimento”;


             3.    Facultar ao máximo o acesso à formação contínua e promove-la enquanto
                   garante da qualificação dos docentes no sentido de uma melhoria significativa das
                   suas competências e do seu desempenho;
             4. Rentabilizar os recursos materiais e humanos envolvidos na formação, reduzindo
                os custos evitando deslocações e a afectação de salas e equipamentos.


     Finalmente, salienta-se que esta acção tal como foi concebida encontra-se em perfeita
  sintonia com as grandes linhas orientadoras da actividade futura do Centro de Formação
  de Escolas do Concelho de Almada. Essas Linhas orientadoras apontam para o ensino à
  distância como forma de alargar e adaptar as ofertas e respostas formativas às
  necessidades dos diversos públicos alvo, em particular os professores e educadores.




 3. DESTINATÁRIOS DA ACÇÃO

  3.1. Equipa que propõe (caso dos Projectos e Círculos de Estudos) (Art. 12º-3 RJFCP) (Art.33º c) RJFCP)

                        3.1.1       Número de proponentes: __________

                        3.1.2       Escola(s) a que pertence(m): _____________________________________

                        _________________________________________________________________

                        3.1.3       Ciclos/Grupos de docência a que pertencem os proponentes:

                        __________________________________________________________________

                        __________________________________________________________________

             3.2. Destinatários da modalidade:                     (caso de Estágio ou Oficina de Formação)


                  Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário
4. EFEITOS A PRODUZIR: MUDANÇA DE PRÁTICAS, PROCEDIMENTOS OU MATERIAIS
  DIDÁCTICOS

   Com esta acção, a desenvolver à distância em regime semi-presencial, pretende-se:



       •   Estimulo a estratégias pedagógicas promotoras de metodologias inovadoras;
       •   Adopção de práticas que levem ao envolvimento dos alunos em trabalho prático
           com TIC;
       •   Produção, utilização e avaliação de recursos educativos digitais potenciadores da
           construção do conhecimento;
       •   Mudança de práticas, com a integração de ferramentas de comunicação e
           interacção à distância, no processo de ensino e aprendizagem;
       •   Prolongamento dos momentos de aprendizagem no tempo e no espaço,
           fomentando a disponibilização on-line de recursos educativos;
       •   Desenvolvimento de projectos/actividades que potenciem a utilização das TIC em
           contextos inter e transdisciplinares;
       •   Promoção de momentos de reflexão decorrentes da prática lectiva;


   A acção decorrerá à distância, com suporte na plataforma de e-learning Tei@
 (Tecnologia Educativa, Inovação e Aprendizagem) desenvolvida pelo Centro de Formação
 de Escolas do Concelho de Almada e disponível em www.teia.almadaforma.org.
    Os formandos terão acesso, mediante login a uma área de trabalho específica em que
 estarão publicados todos os materiais produzidos pelos formadores e pelos formandos.
 Promover-se-á junto dos formandos a atitude pró-activa de, autonomamente, estes virem a
 produzir e a publicar materiais educativos da sua autoria, utilizando as técnicas propostas e
 desenvolvidas em tutoriais disponíveis na área de trabalho desta Oficina de Formação.
    Com vista a incentivar a interacção entre formandos e formadores, a manter um vínculo
 de relação interpessoal e a assegurar um acompanhamento próximo do trabalho
 desenvolvido, a acção terá três sessões presenciais de frequência obrigatória as quais
 perfazem um total de 9 horas. As restantes 21 horas, são de trabalho acompanhado a
 distância (online), compreendendo a realização de actividades propostas nos tutoriais e a
 publicação dos respectivos produtos na plataforma Tei@.
5. CONTEÚDOS DA ACÇÃO                  (Práticas Pedagógicas e Didácticas em exclusivo, quando a acção de formação decorre na
      modalidade de Estágio ou Oficina de Formação)



                  Regime                                                Conteúdos                                     Duração

                                     •    Apresentação do grupo de trabalho
                                     •    Objectivos e desenvolvimento do curso
                1ª Sessão
Módulo 1                             •    Procedimentos organizativos. Normas de funcionamento da plataforma Tei@
                Presencial                                                                                            3 horas
                                     •    Planificação do Projecto de Trabalho
                                     •    Criação ou edição de uma conta Google;
                                     •    Fundamentos do trabalho colaborativo: metodologias e avaliação.

                                     •    Trabalhar com o Google Docs:
                                              o Processador de Texto
             Trabalho autónomo                o Folha de Cálculo
Módulo 2                                                                                                              3 horas
                   on-line                    o Apresentações Electrónicas
                                              o Formulários
                                     •    Partilha de documentos
                                     •    Trabalhar com o Google Sites: Page Creator:
                                              o Criar uma nova página
                                              o Escolher o layout ou plano de página
             Trabalho autónomo
Módulo 3
                   on-line
                                              o Escolher o estilo de página                                           3 horas
                                              o Editar páginas
                                              o Inserir imagens
                                              o Criar um links (hiperligações)
                                     •    Trabalhar com o Google Sites: Page Creator:
             Trabalho autónomo                o Publicar as páginas
Módulo 4
                   on-lin                     o Administrar o sítio
                                              o Acrescentar gadgets às páginas

                                     •    Aplicação dos conhecimentos adquiridos na preparação do projecto
                 Sessão
Módulo 5
                Presencial           •    Contextos de utilização das ferramentas                                     3 horas
                                     •    Fases de desenvolvimento de um projecto que envolva trabalho colaborativo

                                     •    Utilização do Blogger:
             Trabalho autónomo                  o Criar um Blog
Módulo 6                                                                                                              3 horas
                   on-line                      o Escrever no blog
                                                o Visualização do blog?

                                     •    Utilização do Blogger:
             Trabalho autónomo                  o Apagar ou emendar um texto que já tenha sido publicado
Módulo 7                                                                                                              3 horas
                   on-line                      o O Sistema de Comentários
                                                o Inserir Imagens no blog


Módulo 8
             Trabalho autónomo       •    Gestão de Projectos com o Google Calendar                                   3 horas
                   on-line



Módulo 9
             Trabalho autónomo       •    Google Picasa:
                                                                                                                      3 horas
                   on-line                    o Localizar, editar e partilhar fotografias

                3ª Sessão            •    Apresentação dos trabalhos realizados em Formato Digital
Módulo 10                                                                                                             3 horas
                Presencial           •    Avaliação da acção
6. METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA ACÇÃO

   6.1.   Passos Metodológicos


    A acção terá uma estrutura modular em que três módulos são presenciais e de
 frequência obrigatória e sete são realizados com acompanhamento a distância. As sessões
 presenciais estão distribuídas no início, no meio e no final da acção. As sessões
 presenciais e as acompanhadas à distância serão fundamentalmente teórico-práticas.
    Na primeira sessão, presencial, serão desenvolvidas competências na utilização da
 plataforma de e-learning que suporta a realização do curso à distância e será definida a
 calendarização para a publicação dos trabalhos online. Será ainda feita urna primeira
 abordagem ao projecto de trabalho que cada formando deverá desenvolver
 individualmente e apresentar no final da acção.
    Sessões acompanhadas a distância desenvolver-se-ão em torno de tutoriais e cada
 sessão conterá um guião de actividade cujo trabalho resultante deve ser publicado pelos
 formandos na área de trabalho da acção (plataforma Tei@).
    A tutoria dos formandos (acompanhamento à distância) far-se-á em regime de
 comunicação assíncrona, através de correio electrónico, fóruns e serviços de mensagens
 instantâneas na Internet. Os formandos poderão (e deverão) estabelecer entre si contactos
 para esclarecimento de dúvidas e troca de experiências no mesmo regime de comunicação
 assíncrona.
   Do ponto de vista metodológico pretende-se fazer uma formação, o mais individualizada
 possível, tendo sempre em conta a heterogeneidade dos formandos do ponto de vista de
 conhecimentos informáticos.
    Nesta acção tentar-se-á fazer da formação um meio activo de busca de conhecimentos,
 através da prática, cabendo ao formador, essencialmente, o papel de apoio. Deste modo,
 serão os formandos a construir o seu conhecimento numa postura autónoma, mas
 constantemente apoiados pelo formador. Serão, no entanto, proporcionados, por parte do
 formador, momentos teóricos que servirão de base à reflexão sobre o trabalho produzido e
 experimentado.
   Construir-se-ão saberes adequáveis ao nível de ensino de cada formando, os quais
 serão enquadrados em contexto lectivo.
    Para além das sessões presenciais e online, os formandos desenvolverão 30 horas de
 trabalho autónomo distribuídas pelas actividades propostas nos respectivos guiões e pelo
 desenvolvimento do projecto de trabalho final.
   6.2. Calendarização

          6.2.1. Período de realização da acção durante o mesmo ano escolar:

                 Entre os meses de Março e Julho


          6.2.2. Número de sessões previstas por mês: 4

          6.2.3. Número total de horas previstas por cada tipo de sessões:


                 Sessões presenciais conjuntas: 3 sessões (9 horas)

                 Sessões de trabalho acompanhado a distância: 7 sessões (21 horas)

                 Sessões de trabalho autónomo: 30 horas
7. APROVAÇÃO DO ÓRGÃO DE GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO DA ESCOLA:
  Data: da Modalidade do Projecto) (Art. 7º, RJFCP)
  (Caso ___/___/___                 Cargo: _______________________________________________________________

  Assinatura: _____________________________________________________________________________________




8. CONSULTOR CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO OU ESPECIALISTA NA MATÉRIA (Art.25º-A,2 c) RJFCP)


   Nome: ______________________________________________________________________________________


   (Modalidade de Projecto e Ciclo de Estudos) delegação de competências do Conselho Científico-Pedagógico da
   Formação Contínua (Art. 37º f) RJFCP)


   SIM                NÃO                     Nº de acreditação do consultor




9. REGIME DE AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

     Avaliação quantitativa dos formandos, na escala de 1 a 10 valores, nos termos do nº 3 do
     artigo 13º do RJFCP e da carta circular – 3/2007, de Setembro de 2007, do CCPFC. A
     avaliação será, igualmente, expressa em termos qualitativos em conformidade com a
     escala que a seguir se insere:

                         Excelente — de 9 a 10 valores;
                         Muito bom — de 8 a 8,9 valores;
                         Bom — de 6,5 a 7,9 valores;
                         Regular — de 5 a 6,4 valores;
                         Insuficiente — de 1 a 4,9 valores.
       Será objecto de avaliação o trabalho desenvolvido nas sessões presenciais de e- learning
  e no trabalho autónomo:

     Sessões presenciais e de e-learning:
          •   Assiduidade: frequência mínima de 2/3 da carga horária total
          •   Nível de participação e qualidade da intervenção nas sessões;
          •   Apresentação clara das ideias e resultados das pesquisas;
          •   Problematização das situações em análise;
          •   Realização das tarefas propostas em cada sessão.
     Sessões não presenciais (trabalho autónomo):
          •   Regularidade do trabalho desenvolvido (demonstrado pela apresentação
              periódica dos resultados das actividades desenvolvidas);
          •   Qualidade do trabalho final e nível de aplicabilidade em situação de sala de aula;
          •   Relatório final do formando, incluindo aplicação em sala de aula;
          •   Portfolio individual do formando.
Anúncio

Recomendados

G arte romana em portugal
G arte romana em portugalG arte romana em portugal
G arte romana em portugalAntónio Silva
 
Estilo Manuelino e Estilo Renascentista Em Portugal
Estilo Manuelino e Estilo Renascentista Em PortugalEstilo Manuelino e Estilo Renascentista Em Portugal
Estilo Manuelino e Estilo Renascentista Em PortugalRui Nobre
 
Teste de História 8º ano- Porto Editora
Teste de História 8º ano- Porto EditoraTeste de História 8º ano- Porto Editora
Teste de História 8º ano- Porto EditoraZé Mário
 
O gótico em portugal
O gótico em portugalO gótico em portugal
O gótico em portugalAna Barreiros
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Arte do Renascimento em Portugal
Arte do Renascimento em PortugalArte do Renascimento em Portugal
Arte do Renascimento em PortugalMaria Gomes
 
A Arquitectura do Ferro no século XIX
A Arquitectura do Ferro no século XIXA Arquitectura do Ferro no século XIX
A Arquitectura do Ferro no século XIXJorge Almeida
 
Ficha sobre o Universo -FQ
Ficha sobre o Universo -FQFicha sobre o Universo -FQ
Ficha sobre o Universo -FQDiego Pires
 
Arte gótica
Arte gótica Arte gótica
Arte gótica kyzinha
 
Arquitectura Portuguesa
Arquitectura PortuguesaArquitectura Portuguesa
Arquitectura PortuguesaZé Diogo
 
38 portugal no século xix
38   portugal no século xix38   portugal no século xix
38 portugal no século xixCarla Freitas
 
Diferenciação pedagógica
Diferenciação pedagógicaDiferenciação pedagógica
Diferenciação pedagógicaIdalina Jorge
 
Relatório formação armanda
Relatório formação   armandaRelatório formação   armanda
Relatório formação armandaCarlos Dias
 
Revolução soviética
Revolução soviéticaRevolução soviética
Revolução soviéticaTeresa Maia
 
Arquitectura Românica dos Castelos
Arquitectura Românica dos Castelos  Arquitectura Românica dos Castelos
Arquitectura Românica dos Castelos kyzinha
 
15 a arte e a mentalidade barrocas
15   a arte e a mentalidade barrocas15   a arte e a mentalidade barrocas
15 a arte e a mentalidade barrocassofiasimao
 
Mapas Conceituais no Ensino da Matemática uma Aprendizagem Significativa
 Mapas Conceituais no Ensino da Matemática uma Aprendizagem Significativa Mapas Conceituais no Ensino da Matemática uma Aprendizagem Significativa
Mapas Conceituais no Ensino da Matemática uma Aprendizagem SignificativaDiego Costa
 
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinemaCorrecao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinemaAna Barreiros
 
Os transportes e as comunicações em portugal no século xix
Os transportes e as comunicações em portugal no século xixOs transportes e as comunicações em portugal no século xix
Os transportes e as comunicações em portugal no século xixAnabela Sobral
 
Arquitetura românica
Arquitetura românicaArquitetura românica
Arquitetura românicaAna Barreiros
 
Arquitectura neoclassica em Portugal
Arquitectura neoclassica em Portugal Arquitectura neoclassica em Portugal
Arquitectura neoclassica em Portugal Carlos Vieira
 
Património Cultural - As Catedrais de Portugal - Sé Velha de Coimbra- Artur F...
Património Cultural - As Catedrais de Portugal - Sé Velha de Coimbra- Artur F...Património Cultural - As Catedrais de Portugal - Sé Velha de Coimbra- Artur F...
Património Cultural - As Catedrais de Portugal - Sé Velha de Coimbra- Artur F...Artur Filipe dos Santos
 
Relatór reflexcrític.vaniacanteiro
Relatór reflexcrític.vaniacanteiro Relatór reflexcrític.vaniacanteiro
Relatór reflexcrític.vaniacanteiro Vânia Canteiro
 

Mais procurados (20)

Arte do Renascimento em Portugal
Arte do Renascimento em PortugalArte do Renascimento em Portugal
Arte do Renascimento em Portugal
 
A Arquitectura do Ferro no século XIX
A Arquitectura do Ferro no século XIXA Arquitectura do Ferro no século XIX
A Arquitectura do Ferro no século XIX
 
Ficha sobre o Universo -FQ
Ficha sobre o Universo -FQFicha sobre o Universo -FQ
Ficha sobre o Universo -FQ
 
Arte gótica
Arte gótica Arte gótica
Arte gótica
 
Rafael sanzio
Rafael sanzioRafael sanzio
Rafael sanzio
 
Arquitectura Portuguesa
Arquitectura PortuguesaArquitectura Portuguesa
Arquitectura Portuguesa
 
38 portugal no século xix
38   portugal no século xix38   portugal no século xix
38 portugal no século xix
 
Diferenciação pedagógica
Diferenciação pedagógicaDiferenciação pedagógica
Diferenciação pedagógica
 
Relatório formação armanda
Relatório formação   armandaRelatório formação   armanda
Relatório formação armanda
 
Revolução soviética
Revolução soviéticaRevolução soviética
Revolução soviética
 
Arquitectura Românica dos Castelos
Arquitectura Românica dos Castelos  Arquitectura Românica dos Castelos
Arquitectura Românica dos Castelos
 
Arte Século XX
Arte Século XXArte Século XX
Arte Século XX
 
15 a arte e a mentalidade barrocas
15   a arte e a mentalidade barrocas15   a arte e a mentalidade barrocas
15 a arte e a mentalidade barrocas
 
Mapas Conceituais no Ensino da Matemática uma Aprendizagem Significativa
 Mapas Conceituais no Ensino da Matemática uma Aprendizagem Significativa Mapas Conceituais no Ensino da Matemática uma Aprendizagem Significativa
Mapas Conceituais no Ensino da Matemática uma Aprendizagem Significativa
 
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinemaCorrecao 2ª ficha formativa cultura do cinema
Correcao 2ª ficha formativa cultura do cinema
 
Os transportes e as comunicações em portugal no século xix
Os transportes e as comunicações em portugal no século xixOs transportes e as comunicações em portugal no século xix
Os transportes e as comunicações em portugal no século xix
 
Arquitetura românica
Arquitetura românicaArquitetura românica
Arquitetura românica
 
Arquitectura neoclassica em Portugal
Arquitectura neoclassica em Portugal Arquitectura neoclassica em Portugal
Arquitectura neoclassica em Portugal
 
Património Cultural - As Catedrais de Portugal - Sé Velha de Coimbra- Artur F...
Património Cultural - As Catedrais de Portugal - Sé Velha de Coimbra- Artur F...Património Cultural - As Catedrais de Portugal - Sé Velha de Coimbra- Artur F...
Património Cultural - As Catedrais de Portugal - Sé Velha de Coimbra- Artur F...
 
Relatór reflexcrític.vaniacanteiro
Relatór reflexcrític.vaniacanteiro Relatór reflexcrític.vaniacanteiro
Relatór reflexcrític.vaniacanteiro
 

Destaque

COMPUTAÇÃO EM NUVEM: ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
COMPUTAÇÃO EM NUVEM: ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃOCOMPUTAÇÃO EM NUVEM: ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
COMPUTAÇÃO EM NUVEM: ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃOAllan Reis
 
An2B da oficina de formação
An2B da oficina de formaçãoAn2B da oficina de formação
An2B da oficina de formaçãogoretebranco
 
Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação
Trabalho de Conclusão de Curso de GraduaçãoTrabalho de Conclusão de Curso de Graduação
Trabalho de Conclusão de Curso de GraduaçãoDaniel Fernando Pigatto
 
Os Perigos da Internet
Os Perigos da InternetOs Perigos da Internet
Os Perigos da InternetROFLCOPTER
 
Segurança na internet power point
Segurança na internet power pointSegurança na internet power point
Segurança na internet power pointturma4N
 
Segurança na internet
Segurança na internetSegurança na internet
Segurança na internetJotaefe93
 
Perigos Da Internet
Perigos Da InternetPerigos Da Internet
Perigos Da InternetAna José
 
As 10 regras da segurança na internet
As 10 regras da segurança na internetAs 10 regras da segurança na internet
As 10 regras da segurança na internetDiogo Guerreiro
 

Destaque (14)

Entendendo a computação em nuvem
Entendendo a computação em nuvemEntendendo a computação em nuvem
Entendendo a computação em nuvem
 
Computação em nuvem
Computação em nuvemComputação em nuvem
Computação em nuvem
 
Prazer, computação em nuvem
Prazer, computação em nuvemPrazer, computação em nuvem
Prazer, computação em nuvem
 
Manual google docs
Manual google docsManual google docs
Manual google docs
 
COMPUTAÇÃO EM NUVEM: ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
COMPUTAÇÃO EM NUVEM: ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃOCOMPUTAÇÃO EM NUVEM: ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
COMPUTAÇÃO EM NUVEM: ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
 
An2B da oficina de formação
An2B da oficina de formaçãoAn2B da oficina de formação
An2B da oficina de formação
 
Computação em Nuvem
Computação em NuvemComputação em Nuvem
Computação em Nuvem
 
Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação
Trabalho de Conclusão de Curso de GraduaçãoTrabalho de Conclusão de Curso de Graduação
Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação
 
Os Perigos da Internet
Os Perigos da InternetOs Perigos da Internet
Os Perigos da Internet
 
Os Perigos da Internet
Os Perigos da InternetOs Perigos da Internet
Os Perigos da Internet
 
Segurança na internet power point
Segurança na internet power pointSegurança na internet power point
Segurança na internet power point
 
Segurança na internet
Segurança na internetSegurança na internet
Segurança na internet
 
Perigos Da Internet
Perigos Da InternetPerigos Da Internet
Perigos Da Internet
 
As 10 regras da segurança na internet
As 10 regras da segurança na internetAs 10 regras da segurança na internet
As 10 regras da segurança na internet
 

Semelhante a An2 b - trabalho colaborativo com as ferramentas google - edição e publicação de conteúdos (corrigida)

An2avaliacao das aprendizagens
An2avaliacao das aprendizagensAn2avaliacao das aprendizagens
An2avaliacao das aprendizagensAbel Antunes
 
Criar e gerir um blogue an2
Criar e gerir um blogue an2Criar e gerir um blogue an2
Criar e gerir um blogue an2anapaulavilas
 
Programa Aprender em Parceria - saiba mais
Programa Aprender em Parceria - saiba maisPrograma Aprender em Parceria - saiba mais
Programa Aprender em Parceria - saiba maisInstituto Crescer
 
RelatóRio Crie Para Post
RelatóRio Crie Para PostRelatóRio Crie Para Post
RelatóRio Crie Para PostEduardo1
 
Utilização das TIC nos Processos de Ensino-Aprendizagem
Utilização das TIC nos Processos de Ensino-AprendizagemUtilização das TIC nos Processos de Ensino-Aprendizagem
Utilização das TIC nos Processos de Ensino-Aprendizagemnratao
 
Utilização das TIC nos processos de Ensino-Aprendizagem
Utilização das TIC nos processos de Ensino-AprendizagemUtilização das TIC nos processos de Ensino-Aprendizagem
Utilização das TIC nos processos de Ensino-Aprendizagemnratao
 
Ic 2016 apresentação_cresceremrede_11_21
Ic 2016 apresentação_cresceremrede_11_21Ic 2016 apresentação_cresceremrede_11_21
Ic 2016 apresentação_cresceremrede_11_21Instituto Crescer
 
Formação cdp nov.2010
Formação cdp nov.2010Formação cdp nov.2010
Formação cdp nov.2010Ádila Faria
 
Aprendizagens Ativas e Aplicações Digitais no processo de ensino e de aprendi...
Aprendizagens Ativas e Aplicações Digitais no processo de ensino e de aprendi...Aprendizagens Ativas e Aplicações Digitais no processo de ensino e de aprendi...
Aprendizagens Ativas e Aplicações Digitais no processo de ensino e de aprendi...João Paulo Freire
 
ProInfo Integrado
ProInfo IntegradoProInfo Integrado
ProInfo Integradodonicleo
 
1203078170 an2 qimfc_profs
1203078170 an2 qimfc_profs1203078170 an2 qimfc_profs
1203078170 an2 qimfc_profsAbel Antunes
 
Proinfo integrado aqz
Proinfo integrado aqzProinfo integrado aqz
Proinfo integrado aqzEvenio Matos
 
Motores de busca by Gilson Pires & Cleide Gomes.
Motores de busca by Gilson Pires & Cleide Gomes.Motores de busca by Gilson Pires & Cleide Gomes.
Motores de busca by Gilson Pires & Cleide Gomes.Gydyzany Pires
 
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e AplicarTécnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e AplicarJoão Paulo Freire
 
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar.pdf
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar.pdfTécnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar.pdf
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar.pdfJoão Paulo Freire
 

Semelhante a An2 b - trabalho colaborativo com as ferramentas google - edição e publicação de conteúdos (corrigida) (20)

An2avaliacao das aprendizagens
An2avaliacao das aprendizagensAn2avaliacao das aprendizagens
An2avaliacao das aprendizagens
 
Accao de formacao
Accao de formacaoAccao de formacao
Accao de formacao
 
Monografia Fatima
Monografia FatimaMonografia Fatima
Monografia Fatima
 
Criar e gerir um blogue an2
Criar e gerir um blogue an2Criar e gerir um blogue an2
Criar e gerir um blogue an2
 
An2B training pt
An2B training ptAn2B training pt
An2B training pt
 
Programa Aprender em Parceria - saiba mais
Programa Aprender em Parceria - saiba maisPrograma Aprender em Parceria - saiba mais
Programa Aprender em Parceria - saiba mais
 
RelatóRio Crie Para Post
RelatóRio Crie Para PostRelatóRio Crie Para Post
RelatóRio Crie Para Post
 
Utilização das TIC nos Processos de Ensino-Aprendizagem
Utilização das TIC nos Processos de Ensino-AprendizagemUtilização das TIC nos Processos de Ensino-Aprendizagem
Utilização das TIC nos Processos de Ensino-Aprendizagem
 
Utilização das TIC nos processos de Ensino-Aprendizagem
Utilização das TIC nos processos de Ensino-AprendizagemUtilização das TIC nos processos de Ensino-Aprendizagem
Utilização das TIC nos processos de Ensino-Aprendizagem
 
Formação Brasil UCA
Formação Brasil UCAFormação Brasil UCA
Formação Brasil UCA
 
Curso elaboração de _projetos
Curso elaboração  de _projetosCurso elaboração  de _projetos
Curso elaboração de _projetos
 
Ic 2016 apresentação_cresceremrede_11_21
Ic 2016 apresentação_cresceremrede_11_21Ic 2016 apresentação_cresceremrede_11_21
Ic 2016 apresentação_cresceremrede_11_21
 
Formação cdp nov.2010
Formação cdp nov.2010Formação cdp nov.2010
Formação cdp nov.2010
 
Aprendizagens Ativas e Aplicações Digitais no processo de ensino e de aprendi...
Aprendizagens Ativas e Aplicações Digitais no processo de ensino e de aprendi...Aprendizagens Ativas e Aplicações Digitais no processo de ensino e de aprendi...
Aprendizagens Ativas e Aplicações Digitais no processo de ensino e de aprendi...
 
ProInfo Integrado
ProInfo IntegradoProInfo Integrado
ProInfo Integrado
 
1203078170 an2 qimfc_profs
1203078170 an2 qimfc_profs1203078170 an2 qimfc_profs
1203078170 an2 qimfc_profs
 
Proinfo integrado aqz
Proinfo integrado aqzProinfo integrado aqz
Proinfo integrado aqz
 
Motores de busca by Gilson Pires & Cleide Gomes.
Motores de busca by Gilson Pires & Cleide Gomes.Motores de busca by Gilson Pires & Cleide Gomes.
Motores de busca by Gilson Pires & Cleide Gomes.
 
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e AplicarTécnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar
 
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar.pdf
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar.pdfTécnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar.pdf
Técnicas e Instrumentos de Avaliação Formativa – Construir e Aplicar.pdf
 

Mais de Jorge Teixeira

Mais de Jorge Teixeira (20)

Webrádio - Apresentacao dissertacao
Webrádio - Apresentacao dissertacaoWebrádio - Apresentacao dissertacao
Webrádio - Apresentacao dissertacao
 
3 criar podcasts
3   criar podcasts3   criar podcasts
3 criar podcasts
 
Divulgação
DivulgaçãoDivulgação
Divulgação
 
Aquisicao
AquisicaoAquisicao
Aquisicao
 
Audio
AudioAudio
Audio
 
Podcast
PodcastPodcast
Podcast
 
Ferramentas web 2
Ferramentas web 2Ferramentas web 2
Ferramentas web 2
 
Tutoria online
Tutoria onlineTutoria online
Tutoria online
 
Spie individual trimestre2_jorge
Spie individual trimestre2_jorgeSpie individual trimestre2_jorge
Spie individual trimestre2_jorge
 
Pré projecto de investigação
Pré projecto de investigaçãoPré projecto de investigação
Pré projecto de investigação
 
Spie individual trimestre2_jorge
Spie individual trimestre2_jorgeSpie individual trimestre2_jorge
Spie individual trimestre2_jorge
 
Pré projecto de investigação
Pré projecto de investigaçãoPré projecto de investigação
Pré projecto de investigação
 
Ti 01 modelos comunicacionais
Ti 01   modelos comunicacionaisTi 01   modelos comunicacionais
Ti 01 modelos comunicacionais
 
Jorge teixeira prova_tac
Jorge teixeira prova_tacJorge teixeira prova_tac
Jorge teixeira prova_tac
 
Ied grupo 1 pte
Ied  grupo 1 pteIed  grupo 1 pte
Ied grupo 1 pte
 
Pfap relatorio final
Pfap relatorio finalPfap relatorio final
Pfap relatorio final
 
Pfap
PfapPfap
Pfap
 
Plano tic 2007_2008
Plano tic 2007_2008Plano tic 2007_2008
Plano tic 2007_2008
 
Plano tic 2007_2008
Plano tic 2007_2008Plano tic 2007_2008
Plano tic 2007_2008
 
P.i.p
P.i.pP.i.p
P.i.p
 

Último

Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...manoelaarmani
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...excellenceeducaciona
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...azulassessoriaacadem3
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.azulassessoriaacadem3
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...azulassessoriaacadem3
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIAHisrelBlog
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...AaAssessoriadll
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...apoioacademicoead
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
 
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 

An2 b - trabalho colaborativo com as ferramentas google - edição e publicação de conteúdos (corrigida)

  • 1. CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO An2-B NAS MODALIDADES DE ESTÁGIO, PROJECTO, OFICINA DE FORMAÇÃO E CÍRCULO DE ESTUDOS Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC2 N.º ________ 1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Trabalho Colaborativo com as Ferramentas Google: Edição e Publicação de Conteúdos 2. RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA ACÇÃO: PROBLEMA/NECESSIDADE DE FORMAÇÃO IDENTIFICADO A formação contínua constitui um processo dinâmico de aquisição e de aperfeiçoamento de competências humanas, técnicas e científicas requeridas pelo exercício de uma profissão exigente e altamente qualificada. Pretende-se, com esta acção de formação promover o desenvolvimento curricular, a integração transdisciplinar das TIC, a elaboração de recursos educativos digitais e a sua aplicação no processo de ensino/aprendizagem, de forma a fomentar o desenvolvimento de mais e melhor ensino e aprendizagem. Salientamos a oportunidade da aplicação destas ferramentas, por exemplo, ao nível da Área Projecto, Cursos EFA e nos diversificados Projectos de Turma. Pretende-se, assim, uma evolução das actuais práticas pedagógicas no sentido de as adaptar a uma realidade distinta que se caracteriza pela necessidade de informação relevante e fiável susceptível de se tornar útil aos seus destinatários. Os meios de comunicação a adoptar procurarão assegurar a necessária organização da informação e caracterizará o sentido de oportunidade com que será disponibilizada. Perspectivam-se repercussões nos modos de aprendizagem dos alunos e nos modos de formação dos professores. Em termos práticos, pretende-se apoiar os docentes a: • Criar materiais didácticos em formato digital; • Organizar e partilhar a informação; • Criar condições de auto-formação. Ainda um factor a considerar que está na base da concepção desta Oficina de Formação em regime de e-learning, é o facto de ultrapassada em escala significativa a fase da aquisição de competências básicas em TIC por parte de muitos professores, haver necessidade de redireccionar a formação contínua em quatro grandes linhas de acção: 1. Desenvolver a aplicação das competências básicas adquiridas na produção de materiais educativos; Os dados recolhidos são processados automaticamente, destinando-se à gestão automática de certificados e envio de correspondência. O preenchimento dos campos é obrigatório pelo que a falta ou inexactidão das respostas implica o arquivamento do processo. Os interessados poderão aceder à informação que lhes
  • 2. diga respeito, presencialmente ou por solicitação escrita ao CCPFC, nos termos dos artigos 27º e 28º da Lei nº 10/91 de 19 de Fevereiro. Entidade responsável pela gestão da informação: CCPFC - Rua Nossa Senhora do Leite, nº 7-3º - 4701 - 902 Braga. 2. Modernizar os processos e os meios envolvidos na formação contínua dos professores explorando as potencialidades que as TIC oferecem (nomeadamente no que se refere à Internet), desenvolvendo a sua utilização como ferramenta para a actividade docente e adequando a formação às novas exigências da “sociedade da informação e do conhecimento”; 3. Facultar ao máximo o acesso à formação contínua e promove-la enquanto garante da qualificação dos docentes no sentido de uma melhoria significativa das suas competências e do seu desempenho; 4. Rentabilizar os recursos materiais e humanos envolvidos na formação, reduzindo os custos evitando deslocações e a afectação de salas e equipamentos. Finalmente, salienta-se que esta acção tal como foi concebida encontra-se em perfeita sintonia com as grandes linhas orientadoras da actividade futura do Centro de Formação de Escolas do Concelho de Almada. Essas Linhas orientadoras apontam para o ensino à distância como forma de alargar e adaptar as ofertas e respostas formativas às necessidades dos diversos públicos alvo, em particular os professores e educadores. 3. DESTINATÁRIOS DA ACÇÃO 3.1. Equipa que propõe (caso dos Projectos e Círculos de Estudos) (Art. 12º-3 RJFCP) (Art.33º c) RJFCP) 3.1.1 Número de proponentes: __________ 3.1.2 Escola(s) a que pertence(m): _____________________________________ _________________________________________________________________ 3.1.3 Ciclos/Grupos de docência a que pertencem os proponentes: __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 3.2. Destinatários da modalidade: (caso de Estágio ou Oficina de Formação) Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário
  • 3. 4. EFEITOS A PRODUZIR: MUDANÇA DE PRÁTICAS, PROCEDIMENTOS OU MATERIAIS DIDÁCTICOS Com esta acção, a desenvolver à distância em regime semi-presencial, pretende-se: • Estimulo a estratégias pedagógicas promotoras de metodologias inovadoras; • Adopção de práticas que levem ao envolvimento dos alunos em trabalho prático com TIC; • Produção, utilização e avaliação de recursos educativos digitais potenciadores da construção do conhecimento; • Mudança de práticas, com a integração de ferramentas de comunicação e interacção à distância, no processo de ensino e aprendizagem; • Prolongamento dos momentos de aprendizagem no tempo e no espaço, fomentando a disponibilização on-line de recursos educativos; • Desenvolvimento de projectos/actividades que potenciem a utilização das TIC em contextos inter e transdisciplinares; • Promoção de momentos de reflexão decorrentes da prática lectiva; A acção decorrerá à distância, com suporte na plataforma de e-learning Tei@ (Tecnologia Educativa, Inovação e Aprendizagem) desenvolvida pelo Centro de Formação de Escolas do Concelho de Almada e disponível em www.teia.almadaforma.org. Os formandos terão acesso, mediante login a uma área de trabalho específica em que estarão publicados todos os materiais produzidos pelos formadores e pelos formandos. Promover-se-á junto dos formandos a atitude pró-activa de, autonomamente, estes virem a produzir e a publicar materiais educativos da sua autoria, utilizando as técnicas propostas e desenvolvidas em tutoriais disponíveis na área de trabalho desta Oficina de Formação. Com vista a incentivar a interacção entre formandos e formadores, a manter um vínculo de relação interpessoal e a assegurar um acompanhamento próximo do trabalho desenvolvido, a acção terá três sessões presenciais de frequência obrigatória as quais perfazem um total de 9 horas. As restantes 21 horas, são de trabalho acompanhado a distância (online), compreendendo a realização de actividades propostas nos tutoriais e a publicação dos respectivos produtos na plataforma Tei@.
  • 4. 5. CONTEÚDOS DA ACÇÃO (Práticas Pedagógicas e Didácticas em exclusivo, quando a acção de formação decorre na modalidade de Estágio ou Oficina de Formação) Regime Conteúdos Duração • Apresentação do grupo de trabalho • Objectivos e desenvolvimento do curso 1ª Sessão Módulo 1 • Procedimentos organizativos. Normas de funcionamento da plataforma Tei@ Presencial 3 horas • Planificação do Projecto de Trabalho • Criação ou edição de uma conta Google; • Fundamentos do trabalho colaborativo: metodologias e avaliação. • Trabalhar com o Google Docs: o Processador de Texto Trabalho autónomo o Folha de Cálculo Módulo 2 3 horas on-line o Apresentações Electrónicas o Formulários • Partilha de documentos • Trabalhar com o Google Sites: Page Creator: o Criar uma nova página o Escolher o layout ou plano de página Trabalho autónomo Módulo 3 on-line o Escolher o estilo de página 3 horas o Editar páginas o Inserir imagens o Criar um links (hiperligações) • Trabalhar com o Google Sites: Page Creator: Trabalho autónomo o Publicar as páginas Módulo 4 on-lin o Administrar o sítio o Acrescentar gadgets às páginas • Aplicação dos conhecimentos adquiridos na preparação do projecto Sessão Módulo 5 Presencial • Contextos de utilização das ferramentas 3 horas • Fases de desenvolvimento de um projecto que envolva trabalho colaborativo • Utilização do Blogger: Trabalho autónomo o Criar um Blog Módulo 6 3 horas on-line o Escrever no blog o Visualização do blog? • Utilização do Blogger: Trabalho autónomo o Apagar ou emendar um texto que já tenha sido publicado Módulo 7 3 horas on-line o O Sistema de Comentários o Inserir Imagens no blog Módulo 8 Trabalho autónomo • Gestão de Projectos com o Google Calendar 3 horas on-line Módulo 9 Trabalho autónomo • Google Picasa: 3 horas on-line o Localizar, editar e partilhar fotografias 3ª Sessão • Apresentação dos trabalhos realizados em Formato Digital Módulo 10 3 horas Presencial • Avaliação da acção
  • 5. 6. METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA ACÇÃO 6.1. Passos Metodológicos A acção terá uma estrutura modular em que três módulos são presenciais e de frequência obrigatória e sete são realizados com acompanhamento a distância. As sessões presenciais estão distribuídas no início, no meio e no final da acção. As sessões presenciais e as acompanhadas à distância serão fundamentalmente teórico-práticas. Na primeira sessão, presencial, serão desenvolvidas competências na utilização da plataforma de e-learning que suporta a realização do curso à distância e será definida a calendarização para a publicação dos trabalhos online. Será ainda feita urna primeira abordagem ao projecto de trabalho que cada formando deverá desenvolver individualmente e apresentar no final da acção. Sessões acompanhadas a distância desenvolver-se-ão em torno de tutoriais e cada sessão conterá um guião de actividade cujo trabalho resultante deve ser publicado pelos formandos na área de trabalho da acção (plataforma Tei@). A tutoria dos formandos (acompanhamento à distância) far-se-á em regime de comunicação assíncrona, através de correio electrónico, fóruns e serviços de mensagens instantâneas na Internet. Os formandos poderão (e deverão) estabelecer entre si contactos para esclarecimento de dúvidas e troca de experiências no mesmo regime de comunicação assíncrona. Do ponto de vista metodológico pretende-se fazer uma formação, o mais individualizada possível, tendo sempre em conta a heterogeneidade dos formandos do ponto de vista de conhecimentos informáticos. Nesta acção tentar-se-á fazer da formação um meio activo de busca de conhecimentos, através da prática, cabendo ao formador, essencialmente, o papel de apoio. Deste modo, serão os formandos a construir o seu conhecimento numa postura autónoma, mas constantemente apoiados pelo formador. Serão, no entanto, proporcionados, por parte do formador, momentos teóricos que servirão de base à reflexão sobre o trabalho produzido e experimentado. Construir-se-ão saberes adequáveis ao nível de ensino de cada formando, os quais serão enquadrados em contexto lectivo. Para além das sessões presenciais e online, os formandos desenvolverão 30 horas de trabalho autónomo distribuídas pelas actividades propostas nos respectivos guiões e pelo desenvolvimento do projecto de trabalho final. 6.2. Calendarização 6.2.1. Período de realização da acção durante o mesmo ano escolar: Entre os meses de Março e Julho 6.2.2. Número de sessões previstas por mês: 4 6.2.3. Número total de horas previstas por cada tipo de sessões: Sessões presenciais conjuntas: 3 sessões (9 horas) Sessões de trabalho acompanhado a distância: 7 sessões (21 horas) Sessões de trabalho autónomo: 30 horas
  • 6. 7. APROVAÇÃO DO ÓRGÃO DE GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO DA ESCOLA: Data: da Modalidade do Projecto) (Art. 7º, RJFCP) (Caso ___/___/___ Cargo: _______________________________________________________________ Assinatura: _____________________________________________________________________________________ 8. CONSULTOR CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO OU ESPECIALISTA NA MATÉRIA (Art.25º-A,2 c) RJFCP) Nome: ______________________________________________________________________________________ (Modalidade de Projecto e Ciclo de Estudos) delegação de competências do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua (Art. 37º f) RJFCP) SIM NÃO Nº de acreditação do consultor 9. REGIME DE AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS Avaliação quantitativa dos formandos, na escala de 1 a 10 valores, nos termos do nº 3 do artigo 13º do RJFCP e da carta circular – 3/2007, de Setembro de 2007, do CCPFC. A avaliação será, igualmente, expressa em termos qualitativos em conformidade com a escala que a seguir se insere: Excelente — de 9 a 10 valores; Muito bom — de 8 a 8,9 valores; Bom — de 6,5 a 7,9 valores; Regular — de 5 a 6,4 valores; Insuficiente — de 1 a 4,9 valores. Será objecto de avaliação o trabalho desenvolvido nas sessões presenciais de e- learning e no trabalho autónomo: Sessões presenciais e de e-learning: • Assiduidade: frequência mínima de 2/3 da carga horária total • Nível de participação e qualidade da intervenção nas sessões; • Apresentação clara das ideias e resultados das pesquisas; • Problematização das situações em análise; • Realização das tarefas propostas em cada sessão. Sessões não presenciais (trabalho autónomo): • Regularidade do trabalho desenvolvido (demonstrado pela apresentação periódica dos resultados das actividades desenvolvidas); • Qualidade do trabalho final e nível de aplicabilidade em situação de sala de aula; • Relatório final do formando, incluindo aplicação em sala de aula; • Portfolio individual do formando.
  • 7. 10. FORMA DE AVALIAÇÃO DA ACÇÃO Critérios a utilizar: a) Pelos formandos Resposta a um inquérito elaborado para o efeito centrado em: • Tema /Conteúdo; • Metodologias; • Dimensão Relacional; • Eficácia da Acção. b) Pelo formador Através da elaboração de um relatório crítico de incidência: • Nas respostas dos formandos ao inquérito avaliativo; • Na análise das actividades desenvolvidas. c) Pela entidade formadora Elaboração de um relatório analítico com base nos instrumentos avaliativos produzidos pelos formandos e pelo formador. 11. BIBLIOGRAFIA FUNDAMENTAL • Urbano, Magno - Google Guia de Consulta Rápida, FCA • Querido, Paulo, Blogs – Centro Atlântico.PT • Google, 2006 – Centro Atlântico.PT Data ____ / ____ / ____ Assinatura ______________________________________