Arquitetura Contra o Crime

3.733 visualizações

Publicada em

Publicada em: Design, Negócios, Tecnologia
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.733
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
367
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
118
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Arquitetura Contra o Crime

  1. 1. Arquitetura Contra o Crime JORGE R B SAMAHÁ Arquiteto e Urbanista
  2. 2. Jorge Ricardo Baruki Samahá Arquiteto e Urbanista UNITAU 1984
  3. 3. ARQUITETURA CONTRA O CRIME A. INTRODUÇÃO B. PENSE COMO ELES C. TRÊS CHAVES D. QUATRO GRUPOS
  4. 4. A. INTRODUÇÃO <ul><ul><ul><ul><ul><li>Conjunto de ações e medidas com o objetivo de diminuir a probabilidade de ocorrência de delitos e aumentar a sensação de segurança, através de intervenções no desenho urbano. </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  5. 5. Delito: Tendência Humana (CROWE 1999): <ul><li>30% cometem crimes sempre; </li></ul><ul><li>30% quando puderem; </li></ul><ul><li>40% Nunca. </li></ul>
  6. 8. O ESPAÇO INFLUENCIA O COMPORTAMENTO
  7. 9. PONTOS A PONDERAR: COR TEMPERATURA ILUMINAÇÃO ICONES SONS
  8. 10. QUEM DESENHA O ESPAÇO MANIPULA O COMPORTAMENTO HUMANO
  9. 11. B. PENSE COMO ELES
  10. 12. O que os criminosos procuram? <ul><ul><ul><ul><ul><li>Refúgio - Lugar fora de caminho para uso de drogas. </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Local onde possam dormir. </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Lugar para esconder as drogas. </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Associação com outros marginais. </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  11. 13. O que os criminosos procuram? <ul><ul><ul><ul><ul><li>Lojas e pessoas para roubar. </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Local para pedirem esmolas / Flanelinhas. </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Necessidades Fisiológicas. </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Comida e bebida barata ou grátis. </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Baixo risco de serem presos ou incomodados. </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  12. 15. CAIXA ELETRÔNICO
  13. 17. PLAYCENTER
  14. 19. ARMA
  15. 20. Três dúvidas do criminoso: <ul><ul><ul><ul><ul><li>Estarei visível? </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Se estiver visível, serei notado? </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Se estiver visível e notado, alguém tomará alguma atitude? </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  16. 21. MARKETING PÓS-VENDA <ul><li>CLIENTES SATISFEITOS SEMPRE VOLTAM; </li></ul><ul><li>TENDEM A RECOMENDAR SUA EMPRESA A AMIGOS E FAMILIARES </li></ul>
  17. 22. PÓS-DELITO <ul><li>BANDIDOS SATISFEITOS SEMPRE VOLTAM; </li></ul><ul><li>TENDEM A REPETIR AÇÕES QUE DERAM CERTO; </li></ul><ul><li>PROMOVER MUDANÇAS VISÍVEIS (POSIÇÃO DO CAIXA, MERCADORIAS, BALCÕES, PRATELEIRAS...); </li></ul>
  18. 23. PENSE COMO ELES <ul><li>E então aplique em seus projetos as estratégias necessárias para preservar a integridade dos cidadãos, o meio ambiente e o patrimônio. </li></ul>
  19. 24. C. TRÊS CHAVES <ul><li>Vigilância natural; </li></ul><ul><li>Controle de acesso; </li></ul><ul><li>Reforço territorial. </li></ul>
  20. 25. VIGILÂNCIA NATURAL <ul><li>O desenho arquitetônico deverá: </li></ul><ul><ul><li>“ Transmitir ao potencial delinqüente a sensação de que está sendo observado e, que o risco de ser capturado é alto”. </li></ul></ul>
  21. 29. CONTROLE DE ACESSO <ul><ul><ul><ul><ul><li>Forma pré-estabelecida de </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>se controlar o acesso e a </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>permanência de pessoas em </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>determinado local. </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  22. 31. ESPAÇO DEFENSÁVEL Privado Espaço semi-público Espaço público Espaço semi-privado Privado Privado Privado Espaço semi-privado Privado Privado Privado Espaço semi-privado Privado Privado Privado Privado FONTE: NEWMAN (1973:9).
  23. 33. REFORÇO TERRITORIAL <ul><li>Instinto natural ao ser humano de ter determinado espaço como domínio pessoal. </li></ul>
  24. 34. Territorialidade
  25. 38. Vigilância natural
  26. 39. Vigilância natural Controle de acesso
  27. 40. Vigilância natural Controle de acesso Reforço Territorial
  28. 41. CASA MAIS ARRUMADA = CASA MAIS SEGURA
  29. 43. D. QUATRO GRUPOS <ul><ul><ul><ul><ul><li>ESPAÇOS RESIDENCIAIS. </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>ESPAÇOS COMERCIAIS. </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>ESPAÇOS DE LAZER. </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>ESPAÇOS PÚBLICOS. </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  30. 44. ESPAÇOS RESIDENCIAIS
  31. 47. Vilões disfarçado
  32. 48. Janelas – Forças amigas
  33. 49. Iluminação
  34. 50. ESPAÇOS COMERCIAIS
  35. 54. ESPAÇOS DE LAZER
  36. 55. Mais de 50°C em bailes Funk; Aumenta os níveis de gás carbônico; Diminui o oxigênio; Aumenta o consumo de bebidas (por vezes propositalmente).
  37. 56. Efeitos mais agressivos provocam confusão mental e irritabilidade; Luzes vermelhas provocam excitação; Maiores problemas com luz estroboscópica e luz negra.
  38. 57. Banheiros
  39. 58. ESPAÇOS PÚBLICOS Terrenos Baldios Banheiros Públicos Bosques Matagais Semáforos Praças Edifícios Abandonados
  40. 61. Pontes e viadutos
  41. 64. OBRIGADO [email_address]

×