A ÉTICA NA SOCIEDADADE,
NA ÁREA DA INFORMAÇÃO E DA ATUAÇÃO PROFISSIONAL:
O OLHAR DA FILOSOFIA, DA SOCIOLOGIA, DA CIÊNCIA D...
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA
CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E DA EDUCAÇÃO
MESTRADO PROFISSIONAL EM GESTÃO DE UNIDA...
SUMÁRIO
ÉTICA, FILOSOFIA E SOCIOLOGIA
Ética sem fundamentos
Waldomiro José da Silva Filho
Sociologia e valores, os valores...
Ética sem fundamentos
Waldomiro José da Silva Filho
Perspectiva Pós-ética, modelo específico de tratar a racionalidade da
ação não envolvendo aprovação ou reprovação moral, m...
Ação e razão no horizonte da filosofia contemporânea é marcada pela
crítica da ideologia envolvendo posições teóricas dive...
Discute teses filosóficas apresentando seus pontos fundamentos sobre a
racionalidade, tais como:
Rejeição do racionalismo ...
Para Melden (1985) as ações não podem ter causas e, em última
instancia, não podem ser explicadas. O que pode ser explicad...
Davidson (1980-82) desenvolve uma nova perspectiva sobre a relação
entre racionalidade e ação, deslocando a teoria moral p...
Interpretação e intersubjetividade
Interpretação é o conceito central da filosofia de Davidson.
[...] enquanto não temos i...
Sociologia e valores,
os valores da sociologia
Bernardo Sorj
O conhecimento sociológico e os valores
Para Weber o conhecimento social esta ligado aos valores do pesquisador,
pois as s...
Os valores são definidos pela cultura de uma sociedade em determinado
época.
Weber relata o caráter contraditório dos valo...
Para Weber a ciência não pode decidir que fins devem orientar nossa
ação, ela pode é auxiliar na identificação dos meios p...
Os valores da sociologia
O pensamento científico supõe a liberdade de critica, do direito de
duvidar de qualquer verdade e...
Deve existir um institucional autônomo que possibilite somente aos
cientistas julgar o valor da obra de um colega.
Finalizando propõem que as ciências sociais desmistifiquem o senso
comum, que esconde sempre uma forma de dominação, ou ap...
Ética intercultural de la
información
Rafael Capurro
Como tem evoluído o conceito de ética desde o
surgimento das novas tecnologias como a
Internet até hoje? A princípio era é...
Obras de destaque
Cybernetics or Control and Communication in the
Animal and the Machine (Norbert Wiener, 1948)
Understand...
Abordagens
- Privacidade e segurança
- Impacto sóciocultural
- Autocompreensão humana ampliada
Sociedade da Informação
Cumbre Mundial sobre la Sociedad de la Información (ONU, 2003):
[...]centrada en la persona, integ...
A ética da informação é a reflexão sobre as oportunidades e problemas
ocasionados pelas novas tecnologias para se ter uma ...
Quais são os novos problemas éticos
que surgiram junto da rede digital na
América Latina?
- Falta de acesso
- Perguntar, criar estudos empíricos, formular novos conceitos e teorias
sobre a participação na web
- A...
Qual a diferença entre os problemas éticos nascidos
com a Internet e os que nasceram com os meios de
comunicação de massa?
- Controle;
- Com a rede, um receptor agora é emissor;
- Refletir para “controlar”.
Já existe uma cultura digital na
América Latina?
- Não apresenta referência empírica;
- Telefone é mais do que telefone;
- Comunidade virtual MISTICA (Metodología y Impact...
OBRAS
- Ética en la sociedad de información: reflexiones desde América Latina
y el Caribe (Alvaro Agudo Guevara. UNESCO RJ...
Quais as virtudes a se cultivar no contexto
de uma cultura digital?
- Perguntar, dialogar e pensar criticamente por si mesmo e pela
sociedade;
- Plágio;
- “Quijote y su pasión pro los libros...
A que se refere quando diz que na
América Latina só surgirá uma cultura
digital se os latinoamericanos a criem por
si mesm...
- A cultura resulta de uma série de “estereótipos”: idioma, moral, religião,
tradições, atividades comerciais... No digita...
Qual a missão das bibliotecas digitais
nesta cultura digital? E quais as
vantagens e desvantagens desta
participação?
- Missão: Levar conteúdo a quem está geograficamente distante da
informação;
- Pensar em políticas públicas para as biblio...
Qual o impacto cultural e psicológico das
novas tecnologias, em especial a Internet,
sobre os países da América Latina? Ex...
- “Países desenvolvidos”: perda de sentido do termo;
- Ganância;
- Open Source e copyleft;
- Iniciativa OLPC – One Lapton ...
Em que consistirá o “Seminário
Internacional de Ética na Informação:
filosofia, cultura e psicoanálise”, que
acontecerá no...
- Encontro para 50 profissionais da Psicologia, Pedagogia, Sociologia,
Filosofia, Computação, História, Direito e Ciências...
Há algum plano que será colocado em prática
no México a respeito da ética da informação?
- Red Latinoamericana de Ética de la
Información
- Redes e encontros regionais
Qual a função das novas tecnologias na
construção de uma ética da informação
regional ou globalmente?
- Moral e Ética;
- Construir estruturas e processos institucionais que permitam uma
reflexão sobre as problemáticas das no...
LA INFORMACIÓN EN EL
ENTORNO DIGITAL: principales
áreas con implicaciones éticas
Juan Carlos Fernández-Molina
INTRODUÇÃO
- Ética da informação remonta a antiga Grécia – parrhesia = falar sobre
qualquer coisa;
- Confusão de termos;
-...
FOCOS DAS DIFICULDADES
- Uso e mau uso da informação;
- Ética profissional.
SELEÇÃO DE INFORMAÇÃO E
DESENVOLVIMENTO DE
COLEÇÕES
- Profissional X Pessoal;
- Censura;
- Ferramentas de apoio:
- Polític...
“Em definitivo, bloquear sites é algo antiético
com a missão básica das bibliotecas”
CHILDREN’S INTERNET PROTECTION ACT
Lei nos EUA que obriga determinadas bibliotecas e escolas a adotar
políticas de seguran...
ACESSO À INFORMAÇÃO
- Responsabilidade social;
- O que cobrar e o que não cobrar?
- Organizações na web;
- Freedom of Info...
9 PRINCÍPIOS DE MENDEL PARA
UNESCO (2008)
1. Máxima transparência;
2. Publicação obrigatória;
3. Organismos públicos devem...
DISSEMINAÇÃO DA
INFORMAÇÃO
- Suicídio e fabricação de bombas;
- Qualidade, seguridade e confidencialidade;
- Atualização p...
PRIVACIDADE
- Confidencial;
- Privativo;
- Proteção de dados pessoais
DIREITOS DO AUTOR
- Discussões entre autores, editoras e
bibliotecas sobre propriedade intelectual;
- Criação de leis e re...
ASPECTOS ÉTICOS DA
ORGANIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO:
abordagens teóricas acerca da
questão de valores
José Augusto Chaves Guimarã...
Introdução
O objetivo dos autores é verificar na literatura (internacional) um
conjunto de valores que se inserem na área ...
Ética, moral e valores
Ética – estudo dos valores e conduta do homem na sociedade,
preconizando os direitos e deveres deco...
Conjunto de valores sociais,
igualdade e bem-estar social
Orientam o comportamento
do homem X sociedade
Caráter universal
...
Ética, moral e valores
Ética profissional
Denomina-se por se ater aos valores e ações que visam a um “agir
profissional co...
A dimensão ética da
organização da informação
A organização da informação como função essencial de mediação entre
a inform...
Garantia e hospitalidade
cultural (Beghtol)
A garantia de acesso as informações de maneira globalizada é desenvolvida em
v...
Ética transcultural de mediação
(Garcia Gutiérrez)
Discute a questão cultural como sendo algo complexo e decisivo
no proce...
Ética na indexação e na
classificação (Van Der Walt)
Quatro instâncias de questionamentos éticos nas atividades de
indexaç...
Ética na indexação e na
classificação (Van Der Walt)
Considera desvios como condutas tendenciosas do profissional no
momen...
Dilemas éticos na organização
da informação (Olson)
Organização da informação e do conhecimento – necessidade de
mecanismo...
Dilemas éticos na representação do
multilinguismo (Hudon)
O profissional da informação constrói linguagens de
representaçã...
Domínios de conhecimento para uma
organização ética da informação (Thellefsen
& Thellefsen)
Domínio de conhecimento – espa...
Considerações finais
As questões éticas que perpassam a área de organização da informação
devem, antes, ser discutidas e e...
REFERÊNCIA
GOMES, Henriette Ferreira; BOTTENTUIT, Aldinar Martins;
OLIVEIRA, Maria Odaisa Espinheiro de. A ética na
socied...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Seminário A ética na sociedade

2.853 visualizações

Publicada em

Seminário apresentado à disciplina de Fundamentos das Ciências da Informação, ao mestrado profissional de Gestão de Unidades de Informação.
Livro utilizado: A ÉTICA NA SOCIEDADADE, NA ÁREA DA INFORMAÇÃO E DA ATUAÇÃO PROFISSIONAL: o olhar da Filosofia, da Sociologia, da Ciência da Informação e da Formação do Exercício Profissional do Bibliotecário .

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Seminário A ética na sociedade

  1. 1. A ÉTICA NA SOCIEDADADE, NA ÁREA DA INFORMAÇÃO E DA ATUAÇÃO PROFISSIONAL: O OLHAR DA FILOSOFIA, DA SOCIOLOGIA, DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO E DA FORMAÇÃO DO EXERCÍCIO PROFISSIONAL DO BIBLIOTECÁRIO ORGANIZADORAS: HENRIETTE FERREIRA GOMES ALDINAR MARTINS BOTTENTUIT MARIA ODAISA ESPINHEIRO DE OLIVEIRA LINK PARA O LIVRO: HTTP://GOO.GL/VFRBUA
  2. 2. UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E DA EDUCAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM GESTÃO DE UNIDADES DE INFORMAÇÃO DISCIPLINA: Fundamentos das Ciências da Informação PROFª. DRA. Elisa Cristina Delfini Corrêa ACADÊMICOS: Edinei Moreno Jorge do Prado Marcelo Ladislau 2013
  3. 3. SUMÁRIO ÉTICA, FILOSOFIA E SOCIOLOGIA Ética sem fundamentos Waldomiro José da Silva Filho Sociologia e valores, os valores da Sociologia Bernardo Sorj ÉTICA E INFORMAÇÃO Ética intercultural de la información Rafael Capurro La información em el entorno digital: principales áreas con implicaciones éticas Juan Carlos Fernández-Molina Aspectos éticos da organização da informação: abordagens teóricas acerca da questão dos valores José Augusto Chaves Guimarães, Fabio Assis Pinho, Carlos Cândido de Almeida e Suellen Oliveira Milani
  4. 4. Ética sem fundamentos Waldomiro José da Silva Filho
  5. 5. Perspectiva Pós-ética, modelo específico de tratar a racionalidade da ação não envolvendo aprovação ou reprovação moral, mas a compreensão (interpretação) ou não da ação no contexto intersubjetivo.
  6. 6. Ação e razão no horizonte da filosofia contemporânea é marcada pela crítica da ideologia envolvendo posições teóricas divergentes. Onde a racionalidade (crença racional e ação racional) apresenta-se plural como o exemplo dado por J. Elster (1982) que elenca na literatura filosófica recente cerca de trinta significados diferentes. Donald Davidson traz nova perspectiva sobre a racionalidade na compreensão da ação e da crença. 1º Raciocínio prático: razão explica a ação do agente para fazer o que fez? Definindo como racionalização, razão racionaliza a ação. 2º Raciocínio prático: defende uma posição controvertida, reconsiderando a idéia da causa ou de que uma razão é uma causa racional.
  7. 7. Discute teses filosóficas apresentando seus pontos fundamentos sobre a racionalidade, tais como: Rejeição do racionalismo fundacionista; sendo a racionalidade está ligada diretamente à intuição racional dos “primeiros princípios” por meio da instrospecção subjetiva que firma crenças básicas sobre a evidência epistemica do “eu”. Crítica ao reducionismo cientificista integrada por três termos:rejeição de uma conceito unificado de razão, a rejeição da teoria causalista como explicativa da ação humana e a definição de ação racional como agir intencional.
  8. 8. Para Melden (1985) as ações não podem ter causas e, em última instancia, não podem ser explicadas. O que pode ser explicado são acontecimentos, mas não a performance dos agentes. Wittgenstein e G. Ryle criticam o projeto de uma “ciência da racionalidade e do comportamento” nos moldes da Psicologia. Wittgenstien argumenta que em Psicologia existem métodos experimentais e confusão conceitual.
  9. 9. Davidson (1980-82) desenvolve uma nova perspectiva sobre a relação entre racionalidade e ação, deslocando a teoria moral para a perspectiva pós-ética. Onde localizando a ação no seu contexto, é possível identificar uma ou diversas razões de agir do agente, mas não responde a questão de como razões explicam ações e nada diz sobre o agente ter efetivamente agido por estas razões. Considera a existência da distinção entre “ação” e “descrição da ação”.
  10. 10. Interpretação e intersubjetividade Interpretação é o conceito central da filosofia de Davidson. [...] enquanto não temos idéia daquilo que ocorre nas mentes de outras pessoas, não tem sentido falar de objetividade [...] para compreender a linguagem de uma outra pessoa devemos ser capazes de conceber ou pensar aquilo que ela concebe ou pensa, o que nos permite partilha seu mundo. A comunicação na linguagem impõe que o falante tenha um conceito de mundo e julga que o outro falante também tenha um conceito correto do mundo. Concebendo assim um mundo intersubjetivo.
  11. 11. Sociologia e valores, os valores da sociologia Bernardo Sorj
  12. 12. O conhecimento sociológico e os valores Para Weber o conhecimento social esta ligado aos valores do pesquisador, pois as sociedades se modificam e junto com elas os valores, assim sendo, os objetivos de análise e as questões que a pesquisa social se coloca são significativos somente dentro de um dado contexto social.
  13. 13. Os valores são definidos pela cultura de uma sociedade em determinado época. Weber relata o caráter contraditório dos valores, ou seja que a realização absoluta de um valor pode significar abdicar ou anular outros valores. Nas construções científicas as decisões quanto aos valores que devemos priorizar, se encontram já nos campos da ação e da política, e não do conhecimento e da ciência.
  14. 14. Para Weber a ciência não pode decidir que fins devem orientar nossa ação, ela pode é auxiliar na identificação dos meios para atingir um determinado fim.
  15. 15. Os valores da sociologia O pensamento científico supõe a liberdade de critica, do direito de duvidar de qualquer verdade estabelecida, a possibilidade de se expressar e de se contrapor, de pesquisar qualquer tema e de expor as idéias no âmbito público.
  16. 16. Deve existir um institucional autônomo que possibilite somente aos cientistas julgar o valor da obra de um colega.
  17. 17. Finalizando propõem que as ciências sociais desmistifiquem o senso comum, que esconde sempre uma forma de dominação, ou apontar as virtualidades de outras sociedades de organização social que a ideologia dominante procura esconder.
  18. 18. Ética intercultural de la información Rafael Capurro
  19. 19. Como tem evoluído o conceito de ética desde o surgimento das novas tecnologias como a Internet até hoje? A princípio era ética da computação, depois ciberética e agora estamos na ética da informação?
  20. 20. Obras de destaque Cybernetics or Control and Communication in the Animal and the Machine (Norbert Wiener, 1948) Understanding Media (Marshall McLuhan, 1964) Computer Power and Human Reason (Weizenbaum, 1976) Computer Ethics (Deborah G. Johnson, 1985)
  21. 21. Abordagens - Privacidade e segurança - Impacto sóciocultural - Autocompreensão humana ampliada
  22. 22. Sociedade da Informação Cumbre Mundial sobre la Sociedad de la Información (ONU, 2003): [...]centrada en la persona, integradora y orientada al desarollo, em que todos puedan crear, consultar, utilizar y compartir la información y el conocimiento, para que las personas, las comunidades y los pueblos puedan emplear plenamente sus posibilidades en la promoción de un desarollo sostenible y en la mejora de su calidad de vida, sobre la base de los propósitos y principios de la Carta de las Naciones Unidas y respetando plenamente y defendiendo la Declaración de los Derechos Humanos.
  23. 23. A ética da informação é a reflexão sobre as oportunidades e problemas ocasionados pelas novas tecnologias para se ter uma “vida boa”, em nível local e global segundo a ONU.
  24. 24. Quais são os novos problemas éticos que surgiram junto da rede digital na América Latina?
  25. 25. - Falta de acesso - Perguntar, criar estudos empíricos, formular novos conceitos e teorias sobre a participação na web - Acesso ao saber e conhecimento - Crianças e adolescentes - Encriptação e intrusos - Dispersão da informação
  26. 26. Qual a diferença entre os problemas éticos nascidos com a Internet e os que nasceram com os meios de comunicação de massa?
  27. 27. - Controle; - Com a rede, um receptor agora é emissor; - Refletir para “controlar”.
  28. 28. Já existe uma cultura digital na América Latina?
  29. 29. - Não apresenta referência empírica; - Telefone é mais do que telefone; - Comunidade virtual MISTICA (Metodología y Impacto Social de las Tecnologías de la Información y de la Comunicación em América); - Fundamental pensar a ética da rede!; - “Creo también que en este proceso las bibliotecas pueden y deben jugar um rol importante como centros de acceso libre a dichos saberes que forman parte de la memoria cultural de una sociedad”.
  30. 30. OBRAS - Ética en la sociedad de información: reflexiones desde América Latina y el Caribe (Alvaro Agudo Guevara. UNESCO RJ, 2000) - Declaración de Rio de Janeiro (nov. 2004) - Declaración de Santo Domingo - Declaración de Lisboa (2006) - Encuentro Iberoamericano sobre Objetivos del Milenio de Naciones Unidas y TIC (Uruguai, 2006) - Programa de la Sociedad de la Información para América Latina y el Caribe INFO LAC (2008) - Portal de Cooperación Europa (2008)
  31. 31. Quais as virtudes a se cultivar no contexto de uma cultura digital?
  32. 32. - Perguntar, dialogar e pensar criticamente por si mesmo e pela sociedade; - Plágio; - “Quijote y su pasión pro los libros de caballería”; - Paciência; - Criar espaços livres e tempos individuais; - “Dosar” a informação.
  33. 33. A que se refere quando diz que na América Latina só surgirá uma cultura digital se os latinoamericanos a criem por si mesmos, para si e para os demais?
  34. 34. - A cultura resulta de uma série de “estereótipos”: idioma, moral, religião, tradições, atividades comerciais... No digital não será diferente.
  35. 35. Qual a missão das bibliotecas digitais nesta cultura digital? E quais as vantagens e desvantagens desta participação?
  36. 36. - Missão: Levar conteúdo a quem está geograficamente distante da informação; - Pensar em políticas públicas para as bibliotecas digitais.
  37. 37. Qual o impacto cultural e psicológico das novas tecnologias, em especial a Internet, sobre os países da América Latina? Existe alguma diferença em relação aos países desenvolvidos?
  38. 38. - “Países desenvolvidos”: perda de sentido do termo; - Ganância; - Open Source e copyleft; - Iniciativa OLPC – One Lapton Per Child; - Iniciativa Room to Read; - Falta um estudo sério com detalhes técnicos, culturais, jurídicos, sociais e que leve em conta a participação política.
  39. 39. Em que consistirá o “Seminário Internacional de Ética na Informação: filosofia, cultura e psicoanálise”, que acontecerá no México?
  40. 40. - Encontro para 50 profissionais da Psicologia, Pedagogia, Sociologia, Filosofia, Computação, História, Direito e Ciências Políticas; - Pré-seminário virtual para troca de saberes; - Objetivo acadêmico: discutir o impacto das novas tecnologias na cultura, economia e política; - Objetivo prático: criar um núcleo de pesquisa.
  41. 41. Há algum plano que será colocado em prática no México a respeito da ética da informação?
  42. 42. - Red Latinoamericana de Ética de la Información - Redes e encontros regionais
  43. 43. Qual a função das novas tecnologias na construção de uma ética da informação regional ou globalmente?
  44. 44. - Moral e Ética; - Construir estruturas e processos institucionais que permitam uma reflexão sobre as problemáticas das normas e leis.
  45. 45. LA INFORMACIÓN EN EL ENTORNO DIGITAL: principales áreas con implicaciones éticas Juan Carlos Fernández-Molina
  46. 46. INTRODUÇÃO - Ética da informação remonta a antiga Grécia – parrhesia = falar sobre qualquer coisa; - Confusão de termos; - Foco: bibliotecas e centros de informação; - Privacidade e controle; - Censura e propriedade intelectual.
  47. 47. FOCOS DAS DIFICULDADES - Uso e mau uso da informação; - Ética profissional.
  48. 48. SELEÇÃO DE INFORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES - Profissional X Pessoal; - Censura; - Ferramentas de apoio: - Política bem definida - Apoio de associações e documentos profissionais
  49. 49. “Em definitivo, bloquear sites é algo antiético com a missão básica das bibliotecas”
  50. 50. CHILDREN’S INTERNET PROTECTION ACT Lei nos EUA que obriga determinadas bibliotecas e escolas a adotar políticas de segurança da Internet e implantar filtros de segurança. Caso contrário, perderiam financiamento público e direito de acesso a descontos em tarifas de acesso à Internet.
  51. 51. ACESSO À INFORMAÇÃO - Responsabilidade social; - O que cobrar e o que não cobrar? - Organizações na web; - Freedom of Information Act Amendments, 1996; - Bibliotecários são guias.
  52. 52. 9 PRINCÍPIOS DE MENDEL PARA UNESCO (2008) 1. Máxima transparência; 2. Publicação obrigatória; 3. Organismos públicos devem promover o governo aberto; 4. Exceções ao livre acesso devem ser limitadas; 5. Procedimentos estabelecidos devem facilitar o acesso; 6. Cidadãos não devem aceitar custos; 7. Reuniões de organismos públicos devem ser abertas; 8. Transparência tem prioridade; 9. Proteção para críticos e denunciantes.
  53. 53. DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO - Suicídio e fabricação de bombas; - Qualidade, seguridade e confidencialidade; - Atualização profissional.
  54. 54. PRIVACIDADE - Confidencial; - Privativo; - Proteção de dados pessoais
  55. 55. DIREITOS DO AUTOR - Discussões entre autores, editoras e bibliotecas sobre propriedade intelectual; - Criação de leis e regulamentos - Digital Rights Management Systems (DRMS)
  56. 56. ASPECTOS ÉTICOS DA ORGANIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO: abordagens teóricas acerca da questão de valores José Augusto Chaves Guimarães; Fábio Assis Pinho; Carlos Cândido de Almeida; Suellen Oliveira Milani
  57. 57. Introdução O objetivo dos autores é verificar na literatura (internacional) um conjunto de valores que se inserem na área da biblioteconomia e ciência da informação nos aspectos de organização da informação, ou seja, buscar subsídios que levam ao aperfeiçoamento das regras e princípios de conduta da profissão. O paradigma é descontruir uma concepção ingênua de “mera questão de bom senso ou, simples aplicação de normativas profissionais”.
  58. 58. Ética, moral e valores Ética – estudo dos valores e conduta do homem na sociedade, preconizando os direitos e deveres decorrentes de tal conduta pressupõe a concepção de bem agir e de bem fazer. Reflete sobre a vida moral em si, centrando-se nos objetos morais em todas as suas formas de evoluir. (visão universal) Moral – refere-se a ações desenvolvidas (normas de comportamento) em um universo concreto, geográfica e temporariamente delimitado. (visão local) Valores – constituem diferentes classes de crenças, que assuem caráter prescritivo e permanecem no tempo e no espaço na medida em que correspondem a uma dada realidade. (Ex: normas, padrões sociais de, natureza econômica, moral, religiosa, artística, científica, política, profissional e legal).
  59. 59. Conjunto de valores sociais, igualdade e bem-estar social Orientam o comportamento do homem X sociedade Caráter universal Conduz indiretamente todas as sociedades Conjunto de costumes, tradições e culturas de um grupo Orientam o comportamento do homem em sociedade Caráter local Conduz sociedades específicas ÉTICA MORAL Podem ser morais ou não morais Vinculado a questões de preferência ou seleção de algo Existem nos atos e produtos humanos VALORES
  60. 60. Ética, moral e valores Ética profissional Denomina-se por se ater aos valores e ações que visam a um “agir profissional correto e adequado” para com a sociedade em que o profissional se insere, aspectos esses que, não raras vezes, podem entrar em conflito com valores pessoais. Corresponde as responsabilidades profissionais, que evidenciam a relação do profissional com a sociedade e os valores gerais defendidos pela categoria profissional que dizem respeito à credibilidade dos serviços prestados.
  61. 61. A dimensão ética da organização da informação A organização da informação como função essencial de mediação entre a informação e o usuário. Duas vertentes estruturadas em processos, produtos e instrumentos: Vertente descritiva – são os processos de catalogação; Vertente temática – ligada ao tratamento de conteúdo do documento. A questão dos aspectos éticos do exercício da profissão atuam de forma determinante na vertente temática deste processo.
  62. 62. Garantia e hospitalidade cultural (Beghtol) A garantia de acesso as informações de maneira globalizada é desenvolvida em valores que impactam nos processos, produtos e instrumentos da área e na atuação profissional. Parte da premissa que os indivíduos precisam de tipos diferentes de informações e meios de obtê-la. Com isso, acarreta uma maior complexidade nos processos de organização da informação, mas por outro, a possibilidade de uma maior visibilidade para o usuário; contribuindo para a “Garantia e hospitalidade cultural”. Dilemas éticos Desvios pré-existentes: ocorre antes do desenvolvimento do sistema; Desvios técnicos: limitações no sistema de computação e algoritmos utilizados; Desvios emergentes: decorrentes tanto do uso do programa quanto de falha de coincidências entre os valores de sistema de computação e os valores embutidos no seu programa.
  63. 63. Ética transcultural de mediação (Garcia Gutiérrez) Discute a questão cultural como sendo algo complexo e decisivo no processo de organização da informação, refletindo ao questionar se podemos trabalhar com estereótipos culturais em categorias tão formais e/ou taxonomias culturais. Isso levou a construção da expressão “Epistemografia interativa”: Consiste como novo paradigma para os procedimentos de organização da informação, consiste em uma rede de abertura semântica, que considera a interação e o diálogo por meio de categorias transculturalmente aceitas.
  64. 64. Ética na indexação e na classificação (Van Der Walt) Quatro instâncias de questionamentos éticos nas atividades de indexação e classificação: Responsabilidade social; identificação do que efetivamente constitui o comportamento ético e não ético; delimitação das formas de manifestação de tais comportamentos; previsão das etapas a serem seguidas com o propósito de assegurar uma aproximação segura. Indexação E classificaçã o Autores Usuários Atividade mediadora
  65. 65. Ética na indexação e na classificação (Van Der Walt) Considera desvios como condutas tendenciosas do profissional no momento do tratamento temático da informação. São eles: 1) Exclusão – assunto ignorado; 2) Marginalização – assuntos constituídos por adjetivos; 3) Distorção – assuntos com representação inadequada. Alternativas de prevenção dessas situações a) Observar os princípios gerais éticos que evidenciam direitos humanos; b) Compilar códigos específicos a partir de situações reais; c) Se preocupar com os aspectos éticos já durante a formação do profissional.
  66. 66. Dilemas éticos na organização da informação (Olson) Organização da informação e do conhecimento – necessidade de mecanismos que permitam aos usuários encontrar determinados itens e/ou saber o que um determinado centro de informação possui. Consolidar a postura do bibliotecário como responsável dessas atividades. Representação do conteúdo temático do documento por meio de duas atividades: a) Síntese – a extração do tema; b) Nomeação – a descrição dessa nova informação sintetizada.
  67. 67. Dilemas éticos na representação do multilinguismo (Hudon) O profissional da informação constrói linguagens de representação como uma forma de mediação entre o documento e o usuário. Os tesauros multilíngues integram a visão de diferentes culturas no caminho da organização do conhecimento e de conceitos. Estudos revelaram que os tesauros multilíngues ainda estão voltados para o encontro de termos e conceitos equivalentes, deixando de lado um tratamento igualitário entre as línguas. A solução para construção dos tesauros multilíngues seria o desenvolvimento simultâneo de versões linguísticas, ou seja, cada cultura descrita em termos do tesauro, harmonizando a terminologia.
  68. 68. Domínios de conhecimento para uma organização ética da informação (Thellefsen & Thellefsen) Domínio de conhecimento – espaço social de produção e circulação de conhecimento, uma cultura particular, dotada de lógica própria de ordenação dos discursos e de mecanismos de busca e organização da informação. Não se restringe as disciplinas científicas, incorpora espaços sociais de produção de conhecimento, como áreas ocupacionais ou categorias profissionais. É preciso levar em conta os valores que fundamentam um domínio de conhecimento de modo que se possa chegar a uma proposta ética de organização do conhecimento.
  69. 69. Considerações finais As questões éticas que perpassam a área de organização da informação devem, antes, ser discutidas e evidenciadas nos valores predominantes de uma sociedade, assumindo questões moralmente necessárias, por meio da previsão em códigos de ética profissional. Valores Garantia cultural/transculturalidade de mediação Hospitalidade cultural Fidedignidade na representação/rotulação da informação Atualização e cooperação de registros Imparcialidade e precisão na descrição do material Multilinguismo como reflexo do multiculturalismo Responsabilidade social e profissional nos desvios originados na representação da informação Respeito ao domínio de conhecimento
  70. 70. REFERÊNCIA GOMES, Henriette Ferreira; BOTTENTUIT, Aldinar Martins; OLIVEIRA, Maria Odaisa Espinheiro de. A ética na sociedade, na área da informação e da atuação profissional: o olhar da Filosofia, da Sociologia, da Ciência da Informação e da formação do exercício profissional do bibliotecário no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Biblioteconomia, 2009. p. 07-130.

×