Análise elementar por via seca

3.062 visualizações

Publicada em

Relatório realizado no âmbito da discipilna de físico-química, 10º ano.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.062
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Análise elementar por via seca

  1. 1. Agrupamento de Escolas Verde Horizonte – Mação Escola Básica 2º e 3º Ciclos com Ensino Secundário de Mação Ciências Físico-Químicas Análise Elementar Por Via Seca Relatório elaborado por: João Raimundo nº17, Turno 2, C5 10ºA 10 de novembro de 2012
  2. 2. Introdução Nesta actividade prática pretendeu-se realizar um teste de chama. O teste da chama é uma experiência que nos permite identificar a cor emitida por um dado catião de um elemento químico. Os objectivos a concretizar nesta actividade laboratorial foram: • Analisar as cores emitidas pelas chamas dos diferentes elementos químicos utilizados; • Comparar a chama observada com as chamas de referência. João Raimundo 10 de novembro de 2012 2
  3. 3. Material • Estilete com ansa de fio de platina • Lamparina • Cápsula de porcelana • Cristalizadores Produtos A. LiCl (Cloreto de lítio) B. CuCl (Cloreto de cobre) C. BaCl2 (Cloreto de bário) D. KCl (Cloreto de potássio) E. NaCl (Cloreto de sódio) F. CaCl2 (Cloreto de cálcio) • Acido Clorídrico (HCl) João Raimundo 10 de novembro de 2012 3
  4. 4. Procedimento 1. Acendeu-se a lamparina e esperou-se até a chama apresentar um tom azulado. 2. Limpou-se a ansa, mergulhando-a numa solução de ácido clorídrico (HCl) concentrado e introduziu-se a mesma na zona mais quente da chama até apresentar uma cor alaranjada. 3. Deixou-se arrefecer a ansa. 4. Introduziu-se a estilete com ansa de fio de platina na amostra de cloreto de lítio (A). 5. Levou-se a ansa, de novo, à zona mais quente da chama e registaram-se os resultados. 6. Repetiram-se os passos 2, 3, 4, 5, 6 sucessivamente, mas utilizando as amostras de: cloreto de cobre (B), cloreto de bário (C), cloreto de potássio (D),cloreto de sódio (E), cloreto de cálcio (F). 7. Repetiu-se o passo 6 utilizando desta vez o sal desconhecido 8. Compararam-se os resultados para encontrar qual a chama que pertencia à amostra. João Raimundo 10 de novembro de 2012 4
  5. 5. Observações João Raimundo 10 de novembro de 2012 5 Amostra Cor da Chama Observada (A) Cloreto de Lítio Vermelho (B) Cloreto de Cobre Verde Azulada (C) Cloreto de Bário Amarela Avermelhada (D) Cloreto de Potássio Violeta (E) Cloreto de Sódio Amarela Intensa (F) Cloreto de Cálcio Amarela Avermelhada
  6. 6. Conclusão Os objectivos foram alcançados, conseguindo obter os resultados: • A chama do (A) Lítio emite uma luz de cor vermelha; • A chama do (B) Cobre emite uma luz de cor verde azulada; • A chama do (C) Bário emite uma luz de cor amarela avermelhada; • A chama do (D) Potássio emite uma luz de cor violeta; • A chama do (E) Sódio emite uma luz de cor amarela intensa; • A chama do (F) Cálcio emite uma luz de cor amarela avermelhada. Questões para Responder 1- Com que finalidade se aquece cada amostra à chama da lamparina? R.: O bico de Bunsen é empregado no laboratório como fonte de calor para diversos procedimentos, pois permite obter uma chama de alto poder energético. 2- Por que motivo a cor emitida por cada amostra aquecida tem cor diferente? R.: Porque os átomos excitados do elemento, emitem radiações características desse elemento, emitindo posteriormente radiações de cores características sob a forma de chama colorida. 3- Existe alguma relação entre a cor da luz emitida e a cor da amostra sólida? R.: Não existe relação entre a cor da luz emitida e a cor da amostra sólida. 4- A que se deve a cor da amostra sólida? R.: A cor da amostra deve-se à sua composição. 5- Como se explicam as cores das luzes obtidas no fogo-de-artifício? E nas auroras boreais? R.: O fogo-de-artifício é colorido, pois os fabricantes, ao produzi-lo misturam à pólvora compostos de certos elementos químicos apropriados e sais de diferentes metais na mistura explosiva, para que produzam cores diferentes, já as auroras boreais, são partículas ionizadas na ionosfera* que interagem com o campo magnético da Terra com cargas eléctricas, que ao interagirem com o campo magnético, sofrem dispersão e libertam fotões, que são percebidos como luz. *Ionosfera: localizada entre sessenta e mil quilómetros de altitude é composta de iões. João Raimundo 10 de novembro de 2012 6
  7. 7. Crítica O resultado foi satisfatório, pois os resultados (chamas) obtidos estiveram de acordo com os resultados (chamas) referência. Bibliografia DANTAS, Maria da Conceição; RAMALHO, Marta Duarte. Jogo de Partículas A. 7ª Edição. Lisboa: Texto Editores, 2012 http://profs.ccems.pt/PauloPortugal/CFQ/Fichas/Teste_da_Chama.htm http://www.youblisher.com/p/203253-Apl1-2_-Analise-por-via-seca_-FQA_-ano1/ http://www.educacao.te.pt/jovem/index.jsp?p=117&idArtigo=5244 http://pt.wikipedia.org/wiki/Ionosfera João Raimundo 10 de novembro de 2012 7

×