Aplicação para a Caracterização
Florestal
Aplicação para a Caracterização
Florestal
19 de Maio 2011
João Gaspar
Ana Navarro
Software CyberTracker na
Caracterização de Prédios Rústicos
Software CyberTracker na
Caracterização de Prédios Rústicos
19...
MotivaçãoMotivação
2 Criação de aplicações gratuitas, práticas e úteis;
2 Informatizar o preenchimento de fichas de campo;...
Problemas DetectadosProblemas Detectados
4
2 Inexistência de uma metodologia comum a todas as associações florestais
para ...
ObjectivosObjectivos
2 Criar um conjunto de atributos válidos para harmonizar as bases de
dados de todas as associações fl...
Definir AtributosDefinir Atributos
2 A recolha de informação das associações florestais e agro-florestais é feita através
...
Metodologia PretendidaMetodologia Pretendida
2 Através dos resultados do inquérito pretende-se
recolher quais os atributos...
Aplicação PretendidaAplicação Pretendida
2 Criar uma aplicação recorrendo ao software CyberTracker que
servirá para as Ass...
História doHistória do
9
2 Criado em 1996 com o intuito de monitorizar a fauna e
flora na Reserva Nacional de Karoo na Áfr...
2 O sucesso deste software que cria aplicações para
dispositivos móveis é grande o que já levou a ser
utilizado em várias ...
Requisitos e FuncionalidadesRequisitos e Funcionalidades
2 Actualmente usado em Tablet PC, PDA e receptores GPS com sistem...
Interface GráficaInterface Gráfica
12
Exporta para o
formato:
- Bitmap;
- ESRI Shapefile;
- JPEG;
- Windows
Metafile;
Condicionantes do CyberTrackerCondicionantes do CyberTracker
2 Só utiliza o formato vectorial ponto;
2 Tem projecções obso...
Aplicação para Caracterização de Prédio RústicosAplicação para Caracterização de Prédio Rústicos
2 Declaração de Titularid...
Declaração de TitularidadeDeclaração de Titularidade
15
Caracterização dos Prédios RústicosCaracterização dos Prédios Rústicos
16
Resultados da Recolha de InformaçãoResultados da Recolha de Informação
17
2 Declaração de Titularidade
Resultados teste na Recolha da InformaçãoResultados teste na Recolha da Informação
18
2 Caracterização dos Prédios Rústicos
Considerações FinaisConsiderações Finais
19
2 Software com inúmeras soluções para a criação
de aplicações;
2 Aplicação per...
Obrigado pela atenção.Obrigado pela atenção.
19 de Maio 2011
João Gaspar
Ana Navarro
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação II Encontro SIG - Aplicação para Caracterização Florestal

338 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
338
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação II Encontro SIG - Aplicação para Caracterização Florestal

  1. 1. Aplicação para a Caracterização Florestal Aplicação para a Caracterização Florestal 19 de Maio 2011 João Gaspar Ana Navarro
  2. 2. Software CyberTracker na Caracterização de Prédios Rústicos Software CyberTracker na Caracterização de Prédios Rústicos 19 de Maio 2011 João Gaspar Ana Navarro
  3. 3. MotivaçãoMotivação 2 Criação de aplicações gratuitas, práticas e úteis; 2 Informatizar o preenchimento de fichas de campo; 2 Inexistência de uma metodologia comum entre as várias associações florestais para a construção de uma base de dados SIG para a caracterização dos prédios dos associados; 2 Trabalho actualmente a ser desenvolvido no âmbito da tese de mestrado “O contributo do associativismo no Cadastro Florestal”. 3
  4. 4. Problemas DetectadosProblemas Detectados 4 2 Inexistência de uma metodologia comum a todas as associações florestais para a caracterização dos prédios rústicos; 2 Lei de Protecção de Dados que impossibilita a partilha de informação dos prédios rústicos a outras entidades; 2 A contínua utilização de fichas de campos em formatos rudimentares (folha e caneta); 2 Projecto SiNErGIC: 2 Associações Florestais querem contra-partidas na troca de informação dos seus associados; 2 No âmbito do SiNErGIC, o IGP reclama a falta de precisão e modo como são feitos os levantamentos perimetrais o que inviabiliza o processo de cadastro florestal;
  5. 5. ObjectivosObjectivos 2 Criar um conjunto de atributos válidos para harmonizar as bases de dados de todas as associações florestais; 2 Desenvolver uma metodologia que ajude na recolha de informação que esteja de acordo com os requisitos da caracterização dos prédios rústicos e as especificações técnicas do SiNErGIC; 2 Desenvolver uma aplicação gratuita através de software gratuito para todas as associações florestais; 2 Encontrar soluções de parceria entre Associações Florestais, Autoridade Florestal Nacional (AFN) e Instituto Geográfico Português (IGP, Projecto SiNErGIC) 5
  6. 6. Definir AtributosDefinir Atributos 2 A recolha de informação das associações florestais e agro-florestais é feita através de um inquérito sobre o Cadastro Florestal para obter informações do seu estado actual, tais como: • Dados do Associado; • Caracterização do prédio; • Caracterização Florestal; • Equipamentos GPS usados (Precisão); • Aquisição dos dados (Tempo Real ou Pós-Processamento); • Tipo de Software de recolha e tratamento de dados (Licenciamento e/ou Open-source); • Cartografia de Suporte e sua respectiva escala; • Como são armazenados os dados; • Quais as contrapartidas pelo fornecimento de dados ao IGP. 2 Esta informação irá ter o intuito de ajudar a perceber como funcionam as organizações de produtores florestais no tema do Cadastro Florestal e como se organizam (aquisição, tratamento e armazenamento de dados) permitindo criar um modelo único que possibilite a partilha de informação entre OPF e AFN sobre a Caracterização Florestal e chegar a possíveis soluções no intuito de ser integrado no projecto SiNErGIC (IGP). 6
  7. 7. Metodologia PretendidaMetodologia Pretendida 2 Através dos resultados do inquérito pretende-se recolher quais os atributos comuns entre todas as OPF; 2 Analisar as especificações técnicas do Projecto SiNErGIC e integrá-las na Caracterização dos Prédios Rústicos das Associações Florestais; 2 Criar uma metodologia uniformizada para todas as OPF para a recolha e armazenamento de dados da caracterização dos prédios rústicos de modo a contribuir para o Cadastro Florestal (SiNErGIC). 7
  8. 8. Aplicação PretendidaAplicação Pretendida 2 Criar uma aplicação recorrendo ao software CyberTracker que servirá para as Associações Florestais recolherem os dados da Caracterização dos Prédios Rústicos; 2 Minimizar o uso de ferramentas (caneta e papel) em trabalhos de campo; 2 Aumentar a rapidez de recolha de dados; 2 Agilizar o processo de transferência de dados para bases de dados das Associações Florestais; 2 Agilizar a recolha de informação para o Cadastro Florestal (SiNErGIC); 8
  9. 9. História doHistória do 9 2 Criado em 1996 com o intuito de monitorizar a fauna e flora na Reserva Nacional de Karoo na África do Sul; 2 Principais coordenadores: Justin Steventon, Carike Pepler e Louis Liebenberg; 2 O principal objectivo : 2 Criar uma monitorização dos recursos naturais a nível global; 2 Software Gratuito para ser acessível a todos os que quiserem monitorizar recursos naturais.
  10. 10. 2 O sucesso deste software que cria aplicações para dispositivos móveis é grande o que já levou a ser utilizado em várias áreas tais como: 2 Ambiente; 2 Pesquisa; 2 Educação; 2 Agricultura; 2 Floresta; 2 Saúde; 2 Inquéritos Sociais; 2 Prevenção de Crimes; 2 Efeitos de Catástrofes. Áreas de utilização do CyberTrackerÁreas de utilização do CyberTracker 10
  11. 11. Requisitos e FuncionalidadesRequisitos e Funcionalidades 2 Actualmente usado em Tablet PC, PDA e receptores GPS com sistema operativo Windows Mobile ou Windows CE (futuramente Android? ); 2 Necessidade de registo do software para monitorizarem o número de utilizadores; 2 Possibilidade de registar coordenadas geográficas por cada registo; 2 Os dados recolhidos têm diferentes formas de serem exportados: 2 Base de dados MySQL; 2 Base de dado Windows SQL Server; 2 Ficheiro Excel; 2 Ficheiro CSV; 2 Ficheiro XML; 2 Ficheiro TSV; 2 Ficheiro HTML; 11
  12. 12. Interface GráficaInterface Gráfica 12 Exporta para o formato: - Bitmap; - ESRI Shapefile; - JPEG; - Windows Metafile;
  13. 13. Condicionantes do CyberTrackerCondicionantes do CyberTracker 2 Só utiliza o formato vectorial ponto; 2 Tem projecções obsoletas precisando de uma reprojecção se for utilizado em ambiente SIG; 2 Só trabalha com receptores GPS Diferenciais e RTK, não possui nenhum módulo para tratar dados em Pós- Processamento; 2 Necessidade de associar o CyberTracker a software SIG para operações mais complexas; 13
  14. 14. Aplicação para Caracterização de Prédio RústicosAplicação para Caracterização de Prédio Rústicos 2 Declaração de Titularidade: 2 Informação referente ao prédio e respectivo proprietários (baseado nas fichas do SiNErGIC); 2 Caracterização dos Prédios Rústicos: 2 Informação referente ao que existe no prédio rústico (baseado na informação fornecida pelas Associações Florestais) 14
  15. 15. Declaração de TitularidadeDeclaração de Titularidade 15
  16. 16. Caracterização dos Prédios RústicosCaracterização dos Prédios Rústicos 16
  17. 17. Resultados da Recolha de InformaçãoResultados da Recolha de Informação 17 2 Declaração de Titularidade
  18. 18. Resultados teste na Recolha da InformaçãoResultados teste na Recolha da Informação 18 2 Caracterização dos Prédios Rústicos
  19. 19. Considerações FinaisConsiderações Finais 19 2 Software com inúmeras soluções para a criação de aplicações; 2 Aplicação permite a recolha da informação para uma correcta caracterização do prédio rústico; 2 Várias formas de output possibilitam ao utilizador organizar a informação que vê, armazena e fornece; 2 O CyberTracker associado aos softwares SIG permitem uma boa solução para recolha de dados;
  20. 20. Obrigado pela atenção.Obrigado pela atenção. 19 de Maio 2011 João Gaspar Ana Navarro

×