SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Baixar para ler offline
ESTRUTURA DO “SERMÃO DE
SANTO ANTÓNIO AOS PEIXES”
Pregado em S. Luís
do Maranhão, três
dias antes de se
embarcar
ocultamente para o
Reino.
Tudo começa com o conceito
predicável
• “

Vos estis sal terrae”

S. Mateus, capítulo V, versículo 13

• VÓS SOIS O SAL DA TERRA
• diz Cristo, Senhor nosso, falando com os pregadores
O que é um conceito
predicável?
Os conceitos predicáveis consistem em «figuras» ou alegorias
pelas quais se pode realizar uma pretensa demonstração de fé,
ou verdades morais, ou até juízos proféticos. O processo, como
notou António Sérgio, deriva da interpretação do Velho
Testamento como conjunto de «prefigurações» do que narra o
Novo Testamento. Depois, os passos bíblicos tornaram-se
pretexto para construções mentais arbitrárias, em que brilha o
virtuosismo do orador.
(Jacinto do Prado Coelho, DICIONÁRIO DA LITERATURA)
RESUMINDO
Os conceitos predicáveis são
expressões retiradas das Sagradas
Escrituras que encerram uma
determinada verdade que vai servir
de mote ao sermão.
Como qualquer texto
argumentativo, o sermão
divide-se em

INTRODUÇÃO
DESENVOLVIMENTO
CONCLUSÃO
NO SERMÃO, A INTRODUÇÃO GANHA O NOME DE

EXÓRDIO
NO DESENVOLVIMENTO, EFECTUA-SE

A EXPOSIÇÃO E A
CONFIRMAÇÃO
A CONCLUSÃO CHAMA-SE

PERORAÇÃO
NO SERMÃO DE SANTO ANTÓNIO AOS
PEIXES, O EXÓRDIO OCUPA O
CAPÍTULO 1.
A EXPOSIÇÃO E A CONFIRMAÇÃO
OCORREM NOS CAPÍTULOS II, III, IV E V.

A PERORAÇÃO FICA NO VI E ÚLTIMO
CAPÍTULO.
No exórdio, o orador realça o papel do pregador e
apresenta o exemplo de Santo António que, quando,
em Arimino, se viu hostilizado pelos homens, se decidiu
a pregar aos peixes.

A partir do conceito predicável "vós sois o sal da
terra": "Santo António foi sal da terra e foi sal do mar."

É aqui que o Padre António Vieira apresenta a
grande ironia que está por detrás de todo o sermão:
o pregador finge falar aos peixes, quando, na
verdade, se dirige aos ouvintes humanos.
DESENVOLVIMENTO
"(...) para que procedamos com alguma clareza, dividirei, peixes, o
vosso sermão em dois pontos: no primeiro louvar-vos-ei as vossas
atitudes, no segundo repreender-vos-ei os vossos vícios."

EXPOSIÇÃO
E CONFIRMAÇÃO
Capítulos
II, III, IV e V

Capítulo II
Louvores dos peixes
em geral

Capítulo III
Louvores de peixes
em particular

Capítulo IV
Repreensão dos peixes
em geral

Capítulo V
Repreensão de peixes
em particular
Elogio das virtudes em geral
a) "ouvem e não falam"
b) "vós fostes os primeiros que Deus criou"
c) "e nas provisões (...) os primeiros nomeados foram os peixes"
d) "entre todos os animais do mundo, os peixes são os mais e os
maiores"
e) "aquela obediência, com que chamados acudistes todos pela
honra de vosso Criador e Senhor"
f) "aquela ordem, quietação e atenção com que ouvistes a palavra
de Deus da boca do seu servo António. (...) Os homens perseguindo
a António (...) e no mesmo tempo os peixes (...) acudindo a sua voz,
atentos e suspensos às suas palavras, escutando com silêncio (...) o
que não entendiam."
g) "só eles entre todos os animais se não domam nem domesticam"
Elogios em particular
Louvores
em particular

PEIXE DE TOBIAS

RÉMORA

TORPEDO

QUATRO-OLHOS

- o fel sara a cegueira;
o coração expulsa
os demónios;

-tão pequeno no corpo e
tão grande na força e
no poder;

-descarga eléctrica
que faz tremer
o braço do pescador;

-dois olhos voltados para cima
para se vigiarem das aves;
-dois olhos voltados para
baixo para se vigiarem dos
peixes.

"o fel era bom para curar da
cegueira";
"o coração para lançar fora os
demónios

"(...) se se pega ao leme de uma
nau da índia (...) a prende e
amarra mais que as mesmas
âncoras, sem se poder mover,
nem ir por diante."

"Está o pescador com a cana na
mão, o anzol no fundo e a bóia
sobre a água, e em lhe picando
na isca o torpedo, começa a lhe
tremer o braço. Pode haver
maior, mais breve e mais
admirável efeito?"

"e como têm inimigos no mar e
inimigos no ar, dobrou-lhes a
natureza as sentinelas e deu-lhes
dois olhos, que direitamente
olhassem para cima, para se
vigiarem das aves, e outros dois que
direitamente olhassem para baixo,
para se vigiarem dos peixes."
Repreensão dos vícios em geral
a) "(...) é que vos comedes uns aos
outros."
b) "Não só vos comeis uns aos outros,
senão que os grandes comem os
pequenos."
c) "Se os pequenos comeram os grandes,
bastara um grande para muitos pequenos;
mas como os grandes comem os
pequenos, não bastam cem pequenos,
nem mil, para um só grande."
Repreensão dos vícios em particular
Repreensões
em particular

RONCADORES

PEGADORES

VOADORES

POLVO

- embora tão pequenos
roncam muito
(simbolizam a arrogância
e a soberba);

- sendo pequenos,
pregam-se nos maiores,
não os largando mais
(simbolizam o
parasitismo);

- sendo peixes, também
se metem a ser aves
(simbolizam a presunção
(vaidade) e a ambição);

- com aparência de santo, é o
maior traidor do mar
(simboliza a traição).

"É possível que sendo vós uns
peixinhos tão pequenos, haveis
de ser as roncas do mar?"

"Pegadores se chamam estes de
que agora falo, e com grande
propriedade, porque sendo
pequenos, não só se chegam a
outros maiores, mas de tal sorte
se lhes pegam aos costados,
que jamais os desferram."

"Dizei-me, voadores, não vos fez
Deus para peixes? Pois porque
vos meteis a ser aves? (...)
Contentai-vos com o mar e com
nadar, e não queirais voar, pois
sois peixes."

"E debaixo desta aparência tão
modesta, ou desta hipocrisia tão
santa (...) o dito polvo é o maior
traidor do mar."
Conclusão
PERORAÇÃO (Cap. VI)
"Com esta última advertência vos despido,
ou me despido de vós, meus peixes. E para
que vades consolados do sermão, que não
sei quando ouvireis outro, quero-vos aliviar
de uma desconsolação mui antiga, com que
todos ficastes desde o tempo em que se
publicou o Levítico."

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesAnaGomes40
 
Cap iii louvores particular
Cap iii louvores particularCap iii louvores particular
Cap iii louvores particularHelena Coutinho
 
Sermao de S. Antonio aos peixes - Capítulo v
Sermao de S. Antonio aos peixes - Capítulo vSermao de S. Antonio aos peixes - Capítulo v
Sermao de S. Antonio aos peixes - Capítulo vRita Magalhães
 
Sermao de santo antonio aos peixes
Sermao de santo antonio aos peixesSermao de santo antonio aos peixes
Sermao de santo antonio aos peixesLiliana Matos
 
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos PeixesEstrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos PeixesAntónio Fernandes
 
Louvor das virtudes aos peixes
Louvor das virtudes aos peixesLouvor das virtudes aos peixes
Louvor das virtudes aos peixesDina Baptista
 
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António VieiraAlexandra Madail
 
3_contraexemplos_cvj
3_contraexemplos_cvj3_contraexemplos_cvj
3_contraexemplos_cvjIsabel Moura
 
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraAlexandra Madail
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particularHelena Coutinho
 
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos PeixesEstrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos PeixesAntónio Fernandes
 
AMOR DE PERDIÇÃO análise capítulo IV
AMOR DE PERDIÇÃO análise capítulo IVAMOR DE PERDIÇÃO análise capítulo IV
AMOR DE PERDIÇÃO análise capítulo IVEmília Maij
 
11º b final
11º b   final11º b   final
11º b finalj_sdias
 
Sermão aos peixes cap. i
Sermão aos peixes   cap. iSermão aos peixes   cap. i
Sermão aos peixes cap. iameliapadrao
 
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesSíntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesCatarina Castro
 
Frei Luís de Sousa - Características trágicas
Frei Luís de Sousa - Características trágicasFrei Luís de Sousa - Características trágicas
Frei Luís de Sousa - Características trágicasMaria Rodrigues
 
1 sermão de santo antónio aos peixes
1  sermão de santo antónio aos peixes1  sermão de santo antónio aos peixes
1 sermão de santo antónio aos peixesAntónio Fernandes
 

Mais procurados (20)

Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Cap iii louvores particular
Cap iii louvores particularCap iii louvores particular
Cap iii louvores particular
 
Sermao de S. Antonio aos peixes - Capítulo v
Sermao de S. Antonio aos peixes - Capítulo vSermao de S. Antonio aos peixes - Capítulo v
Sermao de S. Antonio aos peixes - Capítulo v
 
Sermao de santo antonio aos peixes
Sermao de santo antonio aos peixesSermao de santo antonio aos peixes
Sermao de santo antonio aos peixes
 
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos PeixesEstrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
 
Louvor das virtudes aos peixes
Louvor das virtudes aos peixesLouvor das virtudes aos peixes
Louvor das virtudes aos peixes
 
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
 
3_contraexemplos_cvj
3_contraexemplos_cvj3_contraexemplos_cvj
3_contraexemplos_cvj
 
Os Lusíadas Canto 8
Os Lusíadas Canto 8Os Lusíadas Canto 8
Os Lusíadas Canto 8
 
Cepticismo
CepticismoCepticismo
Cepticismo
 
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particular
 
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos PeixesEstrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
 
AMOR DE PERDIÇÃO análise capítulo IV
AMOR DE PERDIÇÃO análise capítulo IVAMOR DE PERDIÇÃO análise capítulo IV
AMOR DE PERDIÇÃO análise capítulo IV
 
11º b final
11º b   final11º b   final
11º b final
 
Sermão aos peixes cap. i
Sermão aos peixes   cap. iSermão aos peixes   cap. i
Sermão aos peixes cap. i
 
Impressões e ideias
Impressões e ideiasImpressões e ideias
Impressões e ideias
 
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesSíntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
 
Frei Luís de Sousa - Características trágicas
Frei Luís de Sousa - Características trágicasFrei Luís de Sousa - Características trágicas
Frei Luís de Sousa - Características trágicas
 
1 sermão de santo antónio aos peixes
1  sermão de santo antónio aos peixes1  sermão de santo antónio aos peixes
1 sermão de santo antónio aos peixes
 

Destaque

Cesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoCesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoDina Baptista
 
Catálogo preparação para exames Português e Matemática
Catálogo preparação para exames Português e MatemáticaCatálogo preparação para exames Português e Matemática
Catálogo preparação para exames Português e MatemáticaMargarida Botelho da Silva
 
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os LusíadasGigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os LusíadasDina Baptista
 
Tempestade e Chegada à Índia
Tempestade e Chegada à ÍndiaTempestade e Chegada à Índia
Tempestade e Chegada à Índiasin3stesia
 
Ilha dos Amores- Os Lusíadas: simbologia
Ilha dos Amores- Os Lusíadas: simbologiaIlha dos Amores- Os Lusíadas: simbologia
Ilha dos Amores- Os Lusíadas: simbologiasin3stesia
 
Despedidas em belém
Despedidas em belémDespedidas em belém
Despedidas em belémLurdes
 
Os maias análise
Os maias análiseOs maias análise
Os maias análiseluiza1973
 

Destaque (12)

Cesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoCesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-Sistematização
 
Catálogo preparação para exames Português e Matemática
Catálogo preparação para exames Português e MatemáticaCatálogo preparação para exames Português e Matemática
Catálogo preparação para exames Português e Matemática
 
Frei luis
Frei luisFrei luis
Frei luis
 
O resumo de Os Maias
O resumo de Os MaiasO resumo de Os Maias
O resumo de Os Maias
 
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os LusíadasGigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
 
Tempestade e Chegada à Índia
Tempestade e Chegada à ÍndiaTempestade e Chegada à Índia
Tempestade e Chegada à Índia
 
Ilha dos Amores- Os Lusíadas: simbologia
Ilha dos Amores- Os Lusíadas: simbologiaIlha dos Amores- Os Lusíadas: simbologia
Ilha dos Amores- Os Lusíadas: simbologia
 
Despedidas em belém
Despedidas em belémDespedidas em belém
Despedidas em belém
 
Os Maias
Os MaiasOs Maias
Os Maias
 
Adamastor
AdamastorAdamastor
Adamastor
 
. Maias simplificado
. Maias simplificado. Maias simplificado
. Maias simplificado
 
Os maias análise
Os maias análiseOs maias análise
Os maias análise
 

Semelhante a ANÁLISE DO SERMÃO DE SANTO ANTÓNIO AOS PEIXES

Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixesEstrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixesbeonline5
 
Portugues8 2
Portugues8 2Portugues8 2
Portugues8 2Pedro Vaz
 
Sermodesantoantnioaospeixes
SermodesantoantnioaospeixesSermodesantoantnioaospeixes
SermodesantoantnioaospeixesRafael Nadal
 
Sermaodesantoantonioaospeixes
SermaodesantoantonioaospeixesSermaodesantoantonioaospeixes
Sermaodesantoantonioaospeixescamoespirata
 
Sermaodesantoantonioaospeixes
SermaodesantoantonioaospeixesSermaodesantoantonioaospeixes
SermaodesantoantonioaospeixesMónica Alexandra
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)marfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)marfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)marfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesvermar2010
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesvermar2010
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixesmarfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesvermar2010
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesvermar2010
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesmarfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesmarfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesmarfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesmarfat
 

Semelhante a ANÁLISE DO SERMÃO DE SANTO ANTÓNIO AOS PEIXES (20)

sermaoest.ppt
sermaoest.pptsermaoest.ppt
sermaoest.ppt
 
Sermão Santo António
Sermão Santo AntónioSermão Santo António
Sermão Santo António
 
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixesEstrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
 
SSA_Síntese_22-23.ppsx
SSA_Síntese_22-23.ppsxSSA_Síntese_22-23.ppsx
SSA_Síntese_22-23.ppsx
 
Portugues8 2
Portugues8 2Portugues8 2
Portugues8 2
 
Sermodesantoantnioaospeixes
SermodesantoantnioaospeixesSermodesantoantnioaospeixes
Sermodesantoantnioaospeixes
 
Sermaodesantoantonioaospeixes
SermaodesantoantonioaospeixesSermaodesantoantonioaospeixes
Sermaodesantoantonioaospeixes
 
Sermaodesantoantonioaospeixes
SermaodesantoantonioaospeixesSermaodesantoantonioaospeixes
Sermaodesantoantonioaospeixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 

ANÁLISE DO SERMÃO DE SANTO ANTÓNIO AOS PEIXES

  • 1. ESTRUTURA DO “SERMÃO DE SANTO ANTÓNIO AOS PEIXES” Pregado em S. Luís do Maranhão, três dias antes de se embarcar ocultamente para o Reino.
  • 2. Tudo começa com o conceito predicável • “ Vos estis sal terrae” S. Mateus, capítulo V, versículo 13 • VÓS SOIS O SAL DA TERRA • diz Cristo, Senhor nosso, falando com os pregadores
  • 3. O que é um conceito predicável? Os conceitos predicáveis consistem em «figuras» ou alegorias pelas quais se pode realizar uma pretensa demonstração de fé, ou verdades morais, ou até juízos proféticos. O processo, como notou António Sérgio, deriva da interpretação do Velho Testamento como conjunto de «prefigurações» do que narra o Novo Testamento. Depois, os passos bíblicos tornaram-se pretexto para construções mentais arbitrárias, em que brilha o virtuosismo do orador. (Jacinto do Prado Coelho, DICIONÁRIO DA LITERATURA)
  • 4. RESUMINDO Os conceitos predicáveis são expressões retiradas das Sagradas Escrituras que encerram uma determinada verdade que vai servir de mote ao sermão.
  • 5. Como qualquer texto argumentativo, o sermão divide-se em INTRODUÇÃO DESENVOLVIMENTO CONCLUSÃO
  • 6. NO SERMÃO, A INTRODUÇÃO GANHA O NOME DE EXÓRDIO NO DESENVOLVIMENTO, EFECTUA-SE A EXPOSIÇÃO E A CONFIRMAÇÃO A CONCLUSÃO CHAMA-SE PERORAÇÃO
  • 7. NO SERMÃO DE SANTO ANTÓNIO AOS PEIXES, O EXÓRDIO OCUPA O CAPÍTULO 1. A EXPOSIÇÃO E A CONFIRMAÇÃO OCORREM NOS CAPÍTULOS II, III, IV E V. A PERORAÇÃO FICA NO VI E ÚLTIMO CAPÍTULO.
  • 8. No exórdio, o orador realça o papel do pregador e apresenta o exemplo de Santo António que, quando, em Arimino, se viu hostilizado pelos homens, se decidiu a pregar aos peixes. A partir do conceito predicável "vós sois o sal da terra": "Santo António foi sal da terra e foi sal do mar." É aqui que o Padre António Vieira apresenta a grande ironia que está por detrás de todo o sermão: o pregador finge falar aos peixes, quando, na verdade, se dirige aos ouvintes humanos.
  • 9. DESENVOLVIMENTO "(...) para que procedamos com alguma clareza, dividirei, peixes, o vosso sermão em dois pontos: no primeiro louvar-vos-ei as vossas atitudes, no segundo repreender-vos-ei os vossos vícios." EXPOSIÇÃO E CONFIRMAÇÃO Capítulos II, III, IV e V Capítulo II Louvores dos peixes em geral Capítulo III Louvores de peixes em particular Capítulo IV Repreensão dos peixes em geral Capítulo V Repreensão de peixes em particular
  • 10. Elogio das virtudes em geral a) "ouvem e não falam" b) "vós fostes os primeiros que Deus criou" c) "e nas provisões (...) os primeiros nomeados foram os peixes" d) "entre todos os animais do mundo, os peixes são os mais e os maiores" e) "aquela obediência, com que chamados acudistes todos pela honra de vosso Criador e Senhor" f) "aquela ordem, quietação e atenção com que ouvistes a palavra de Deus da boca do seu servo António. (...) Os homens perseguindo a António (...) e no mesmo tempo os peixes (...) acudindo a sua voz, atentos e suspensos às suas palavras, escutando com silêncio (...) o que não entendiam." g) "só eles entre todos os animais se não domam nem domesticam"
  • 11. Elogios em particular Louvores em particular PEIXE DE TOBIAS RÉMORA TORPEDO QUATRO-OLHOS - o fel sara a cegueira; o coração expulsa os demónios; -tão pequeno no corpo e tão grande na força e no poder; -descarga eléctrica que faz tremer o braço do pescador; -dois olhos voltados para cima para se vigiarem das aves; -dois olhos voltados para baixo para se vigiarem dos peixes. "o fel era bom para curar da cegueira"; "o coração para lançar fora os demónios "(...) se se pega ao leme de uma nau da índia (...) a prende e amarra mais que as mesmas âncoras, sem se poder mover, nem ir por diante." "Está o pescador com a cana na mão, o anzol no fundo e a bóia sobre a água, e em lhe picando na isca o torpedo, começa a lhe tremer o braço. Pode haver maior, mais breve e mais admirável efeito?" "e como têm inimigos no mar e inimigos no ar, dobrou-lhes a natureza as sentinelas e deu-lhes dois olhos, que direitamente olhassem para cima, para se vigiarem das aves, e outros dois que direitamente olhassem para baixo, para se vigiarem dos peixes."
  • 12. Repreensão dos vícios em geral a) "(...) é que vos comedes uns aos outros." b) "Não só vos comeis uns aos outros, senão que os grandes comem os pequenos." c) "Se os pequenos comeram os grandes, bastara um grande para muitos pequenos; mas como os grandes comem os pequenos, não bastam cem pequenos, nem mil, para um só grande."
  • 13. Repreensão dos vícios em particular Repreensões em particular RONCADORES PEGADORES VOADORES POLVO - embora tão pequenos roncam muito (simbolizam a arrogância e a soberba); - sendo pequenos, pregam-se nos maiores, não os largando mais (simbolizam o parasitismo); - sendo peixes, também se metem a ser aves (simbolizam a presunção (vaidade) e a ambição); - com aparência de santo, é o maior traidor do mar (simboliza a traição). "É possível que sendo vós uns peixinhos tão pequenos, haveis de ser as roncas do mar?" "Pegadores se chamam estes de que agora falo, e com grande propriedade, porque sendo pequenos, não só se chegam a outros maiores, mas de tal sorte se lhes pegam aos costados, que jamais os desferram." "Dizei-me, voadores, não vos fez Deus para peixes? Pois porque vos meteis a ser aves? (...) Contentai-vos com o mar e com nadar, e não queirais voar, pois sois peixes." "E debaixo desta aparência tão modesta, ou desta hipocrisia tão santa (...) o dito polvo é o maior traidor do mar."
  • 14. Conclusão PERORAÇÃO (Cap. VI) "Com esta última advertência vos despido, ou me despido de vós, meus peixes. E para que vades consolados do sermão, que não sei quando ouvireis outro, quero-vos aliviar de uma desconsolação mui antiga, com que todos ficastes desde o tempo em que se publicou o Levítico."