Amazonia imperial

10.244 visualizações

Publicada em

Em 1822, a atual Amazônia brasileira ainda constituía uma unidade político-administrativa da Coroa Portuguesa.

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.244
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
599
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
184
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Amazonia imperial

  1. 1. Prof. Jonas Araújo
  2. 2. Amazonas: de Comarca à Província (1824-1850)
  3. 3. O GRÃO-PARÁ E RIO NEGROE A INDEPENDÊNCIA DOBRASIL Em 1822, a atual Amazônia brasileira ainda constituía uma unidade político- administrativa da Coroa Portuguesa. A colônia ao norte era composta em duas capitanias: as do Pará e Rio Negro(principal e subalterna).
  4. 4. Lembrando que a Capitania do Rio Negro fora criada em 1755, durante o reinado de D. José I, constituindo a unidademais distante do atual Estado do Amazonas.c
  5. 5. Separação do Brasil (1808-1822) As relações entre os Estados do Brasil e do Grão Pará e Rio Negro ficam mais fortes, visto que a Corte lusitana estava no Rio de Janeiro. A elevação do Estado do Brasil à categoria de Reino Unido a Portugal e Algarves, em 1815, não alterou o status do Grão Pará e Rio Negro.
  6. 6. Lembretes importantes Quando da viagem do coronel Matos pelo rio Negro(1842-1843), visitou os dezoito povoamentos que existiam em suas margens: -Dois sob a categoria de Vila, oito sob a de Freguesia e igual número pela categoria de povoação. -POPULAÇÃO... Estima-se que haviam 7.650 habitantes, sendo 7.200 livres e 450 escravos.
  7. 7. Vamos por partes...  A incorporação ocorreu em dois momentos: Primeiro: No campo legislativo, quereivindicava uma Segundo: pelas unidade política forças das e territorial que armas. não existia nos tempos coloniais.
  8. 8. Furo de reportagem No anteprojeto da primeira Carta Constitucional- que não chegou a ser votada , pois a Assembléia foi dissolvida por D. Pedro I em fins de 1823 – as capitanias do Pará e Rio Negro já haviam mudado de status... Províncias do Império do Brasil
  9. 9. Injustiça com o RioNEGRO... A antiga capitania do Rio Negro, recebeu o status inferior de Comarca da nova Província do Pará. Essa condição foi reconhecida na matriz de Nossa Senhora da Conceição em 06/06/1825 pela Junta Governativa e pela Câmara de Serpa( Arthur Cezar Ferreira Reis) ... É aqui que começa a rivalidade besta!!
  10. 10. 25 anos depois... Somente em 1850, esse quadro veio modificar-se, quando o Rio Negro, então Comarca do Alto Amazonas, passou à categoria de Província do Amazonas.
  11. 11. Conflito dos Poderes Internos Primeiro ouvidor: JuntaDomingos Nunes governativa. Ramos Ferreira
  12. 12. Os atos do presidente do Pará, José Félix PereiraBurgos, foram sancionados pelo governo imperial em outubro de 1825. Câmara Municipal de Barcelos transferiu-se para a Barra do Rio Negro, em dezembro de 1825. Primeiro ouvidor:Domingos Nunes Ramos Ferreira
  13. 13. Movimento Autonomista do RioNegro de 1832. “Para contornar a crise , o novo presidente do Pará, Paulo da Silva Gama, barão de Bagé, por volta de 1828, fez retornar a Câmara para Barcelos e o capitão Hilário Gurjão para Belém.” Levante militar na Barra do Rio Negro, em 12 de abril de 1832. Conselho extraordinário...Província já!!!
  14. 14. Repressão do GovernoParaense O presidente paraense, José Joaquim Machado de Oliveira, condenou a movimentação da comarca. Tropas legalistas em 10 de agosto de 1832. A viajem do frei José dos inocentes.
  15. 15. Comarca do AltoAmazonas(1832-1850) Em 29 de novembro de 1832, a Regência promulgou o Código do Processo Criminal do Império, unificando a legislação. Conselho provincial do Pará de 25 de junho 1833, organizou a “Divisão das Comarcas e Termos da Província do Pará”: GRÃO- PARÁ; BAIXO AMAZONAS, ALTO AMAZONAS.
  16. 16. Manaus, sede da Comarca No que tange a comarca do Alto Amazonas, sua área ficou menor que a da extinta Comarca do Rio Negro. Por conta dessa reforma, o lugar da Barra do Rio Negro foi elevado à categoria de vila, com o nome de Manaus.
  17. 17. 1834 anos de agitação... Fevereiro – protesto da população livre contra a medida do governo provincial em retirar as moedas de cobre. Abril – rejeição por parte da Câmara Municipal de Manaus , da presença de comandantes Militares... representantes do governo provincial na Comarca
  18. 18.  Julho e agosto – contestação do decreto de 07 de outubro de 1833, que criava o corpo de guarda policial nos distritos municipais.
  19. 19. A Cabanagem no AltoAmazonas (1836-1840) Movimento iniciado no Pará que contou com a participação de diversos setores sociais valendo destacar alguns grupos indígenas, tais como: Mundurucus, Maués e Muras.
  20. 20. O que foi aCabanage m? Fonte: NORFINI, de Alfredo, Cabano Paraense
  21. 21. O processo Revolucionário na Comarca...  As ações iniciam em 1836, mas seu líder Bernardo Sena, foi preso e mandado para Belém. Posto Militar e aldeia de Tabatinga.• As forças revolucionárias que já dominavam o Baixo Amazonas libertaram Bernardo Sena. Somados no total de 800 homens marcharam para o Alto Amazonas, dominando Luzéa (atual Maués) e depois Serpa(atual Itacoatiara).tinga
  22. 22. O processo Revolucionário naComarca... Em 6 de março de 1836, os revolucionários tomaram Manaus.
  23. 23. Atacou duramente as autoridades provinciais nomeadas pelaRegência e seus colaboradores... Principalmente o Juíz Henrique João Cordeiro e o proprietário rural, Ambrósio Aires, vulgo Bararoá Bernardo Sena
  24. 24. Sob nova direção... Novas autoridades foram constituídas pelos revolucionários: Juiz de Direito - o Pe. João Pedro Pacheco Juiz de Paz – João Ignacio Roiz do Carmo Provedor da Fazenda Pública – Martinho Joaquim do Carmo Escrivão da fazenda – Bernado Francisco de Paula e Azevedo Procurador Fiscal da Fazenda – Joaquim Roiz Calhado Almoxarife – João de Souza Coelho.
  25. 25. A vila da Prainha, a 10 léguasabaixo de Monte Alegre, no Pará
  26. 26. Os cabanos mandam eobedecem os que tiveremjuízo... De março a agosto de 1836, impuseram a autoridade de Eduardo Nogueira Angelim, como presidente interino da Província do Pará, rechaçando a do marechal Manoel Jorge Rodrigues.
  27. 27. Furo de reportagem Líderes cabanos da Comarca entram em disputar pelo poder... São eles Bernardo Sena e o capitão Antônio Freire taqueirinha
  28. 28. Socos,chutes e pontapés... No dia 02 de junho de 1836 os ânimos ficaram exaltados entre ambos , Bernardo Sena não resistiu aos ferimentos e... MORREU.
  29. 29. A queda do sonho No período de setembro a dezembro de 1836, gradativamente os cabanos foram perdendo, para as forças legalistas. Ao termino da Cabanagem, o Alto Amazonas vivia um caos econômico e uma desorganização administrativa Em 1845 o coronel João Henrique de Matos lança o Relatório do estado atual de decadência em que se acha o Alto Amazonas.

×