Fonética do Inglês - Resenhas

1.029 visualizações

Publicada em

Correção de Pronúncia, Transferência Fonológica.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.029
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fonética do Inglês - Resenhas

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANASDEPARTAMENTO DE LETRAS ESTRANGEIRAS (DLES) FONÉTICA DO INGLÊS RESENHAS Fonética do Inglês Prof.ª: Inês Cortez João Lennon A. Ferreira São Cristóvão/SE 2011.2
  2. 2. CORREÇÃO DE PRONÚNCIAE stá comprovada diariamente em vários métodos de ensino-aprendizagem a relação entre o aluno e a sua busca sem solução para adquirir uma pronúncia“perfeita”, onde seria uma busca em vão, pois vivemosnum mundo onde cria-se adequações linguísticas todo otempo, onde nascem inúmeros dialetos novos. Tudo isso éreferente à nossa identidade cultural, da qual devemos nosorgulhar, conhecer, respeitar e entendê-la melhor a suaorigem.Não há inglês “correto” a se ensinar, pois nós falantes doinglês como segunda língua (EFL) somos a grande maioria;com isso mostrando aos nativos a sua expansão e o porquêde nem eles terem uma fonética padrão da própria língua;ressaltando que essa severidade se aplica apenas aosotaque, entonação típica e vocabulário diferenciado.Devemos sim estabelecer padrões para a fonética inglesa eos seus ensinamentos, para não deixarmos o idioma um diatornar-se incompreensível pelos seus falantes. Não pelasvariações lingüísticas e culturais, mas pela falta de umapronúncia adequada.A questão do sotaque é algo importantíssimo muitas vezesesquecido por nós brasileiros que quase o perdemos ou oestamos a cada dia que tentamos sermos outras pessoas.
  3. 3. TRANSFERÊNCIA FONOLÓGICAN ão só os problemas no conhecimento de suas variantes, mas também devamos analisar profundamente, mais cedo, desde a base, aquelatão importante e por muitos esquecidas e não dada odevido valor. Tudo isso em referência a construção dofuturo aluno de língua estrangeira, que por não ter tidouma base digna no ginásio, não percebe e não conhece overdadeiro valor de aprender uma língua tão globalizada econsequentemente tão importante quanto à língua inglesa;pois a ele só foi dado a curiosidade ou o estranhamento e adesilusão de se perguntar o porquê de ter que aprendê-la.A produção fonológica torna-se extremamente complexaaos alunos, tendo em pensamento também asinterferências e transparências fonológicas que elesdemonstram, efetivamente, constituem impedimento àcomunicação.Se os falantes nativos fazem uso de diferentes variantes, adepender do lugar onde nasceram e viveram; por que nósfalantes do inglês como língua estrangeira, deveríamospensar que poderíamos alcançar a perfeição da fonética doidioma?Os alunos devem ter em suas mentes a adequação dosfonemas, procurando não utilizar a língua materna comosuporte à pronúncia, conhecendo-a e respeitando-a, tantoas regras do inglês quanto às do vernáculo.

×