SlideShare uma empresa Scribd logo

COMUNICACÃO VERBAL E NÃO VERBAL

John Joseph
John Joseph
John JosephAssistente operacional em Superação transportes

Funções da linguagem

COMUNICACÃO VERBAL E NÃO VERBAL

1 de 53
Baixar para ler offline
COMUNICAÇÃO
VERBAL E NÃO VERBAL
Signo
O signo linguístico é um elemento representativo que
apresenta dois aspectos: o significadosignificado e o significantesignificante.
Significante
Ao escutar a palavra cachorro, reconhecemos a
sequência de sons que formam essa palavra. Esses sons se
identificam com a lembrança deles que está em nossa memória.
Essa lembrança constitui uma real imagem sonora, armazenada
em nosso cérebro que é o significantesignificante do signo cachorro.
Significado
Quando escutamos essa palavra, logo pensamos em um
animal irracional de quatro patas, com pelos, olhos, orelhas, etc.
Esse conceito que nos vem à mente é o significadosignificado do signo
cachorro e também se encontra armazenado em nossa
memória.
FIQUE ATENTO!!!
Signo = significado (é o conceito, a ideia transmitida pelo signo,
a parte abstrata do signo) + significante (é a imagem sonora, a
forma, a parte concreta do signo, suas letras e seus fonemas).
Comunicação Verbal
∗Comunicação que utiliza palavras (escritas ou faladas).
∗Compreensão e domínio do mundo (entendimento).
Anúncio

Recomendados

Comunicação apresentação
Comunicação apresentaçãoComunicação apresentação
Comunicação apresentaçãoCassia Dias
 
Comunicação Verbal e Não Verbal
Comunicação Verbal e Não VerbalComunicação Verbal e Não Verbal
Comunicação Verbal e Não VerbalAndreza Oliveira
 
Comunicação
ComunicaçãoComunicação
Comunicaçãocattonia
 
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
Comunicação Assertiva  - Karime KamelComunicação Assertiva  - Karime Kamel
Comunicação Assertiva - Karime KamelKarime Kamel
 
Apresentação Inteligência Emocional
Apresentação Inteligência EmocionalApresentação Inteligência Emocional
Apresentação Inteligência Emocionalanaediteaires
 
[slides] Comunicação Oral e Escrita
[slides] Comunicação Oral e Escrita[slides] Comunicação Oral e Escrita
[slides] Comunicação Oral e EscritaAlessandro Almeida
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Processos de comunicação
Processos de comunicaçãoProcessos de comunicação
Processos de comunicaçãoCarina Duarte
 
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de TrabalhoRelacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de TrabalhoLuis Paulo Barros
 
Comunicação interpessoal comunicação assertiva
Comunicação interpessoal comunicação assertivaComunicação interpessoal comunicação assertiva
Comunicação interpessoal comunicação assertivaGabi1994Dinis
 
Comunicação Empresarial
Comunicação EmpresarialComunicação Empresarial
Comunicação EmpresarialThais Oliveira
 
Slides comunicação
Slides comunicaçãoSlides comunicação
Slides comunicaçãociro79
 
Relacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoalRelacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoalLeandro Lopes
 
Empatia - A arte de se colocar no lugar do outro
Empatia - A arte de se colocar no lugar do outroEmpatia - A arte de se colocar no lugar do outro
Empatia - A arte de se colocar no lugar do outroVera Lessa
 
Importância da comunicação
Importância da comunicaçãoImportância da comunicação
Importância da comunicaçãoOmar Demetrio
 
Comunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no TrabalhoComunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no TrabalhoFrancielle Hilbert
 
Comunicação: O Processo De Comunicação
Comunicação: O Processo De ComunicaçãoComunicação: O Processo De Comunicação
Comunicação: O Processo De ComunicaçãoAdm Pub
 
RELAÇÕES INTERPESSOAIS
RELAÇÕES INTERPESSOAISRELAÇÕES INTERPESSOAIS
RELAÇÕES INTERPESSOAISAndréa Dantas
 
Comunicação verbal não-verbal
Comunicação verbal não-verbalComunicação verbal não-verbal
Comunicação verbal não-verbalArmandoTeixeira12
 
Psicologia comunicação
Psicologia   comunicaçãoPsicologia   comunicação
Psicologia comunicaçãoArlane
 
Etica profissional
Etica profissionalEtica profissional
Etica profissionalFatima Silva
 

Mais procurados (20)

Linguagem e comunicação I
Linguagem e comunicação ILinguagem e comunicação I
Linguagem e comunicação I
 
Processos de comunicação
Processos de comunicaçãoProcessos de comunicação
Processos de comunicação
 
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de TrabalhoRelacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
 
Elementos da comunicação
Elementos da comunicaçãoElementos da comunicação
Elementos da comunicação
 
Comunicação interpessoal comunicação assertiva
Comunicação interpessoal comunicação assertivaComunicação interpessoal comunicação assertiva
Comunicação interpessoal comunicação assertiva
 
Comunicação Empresarial
Comunicação EmpresarialComunicação Empresarial
Comunicação Empresarial
 
Oratória
OratóriaOratória
Oratória
 
Slides comunicação
Slides comunicaçãoSlides comunicação
Slides comunicação
 
Relacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoalRelacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoal
 
Empatia - A arte de se colocar no lugar do outro
Empatia - A arte de se colocar no lugar do outroEmpatia - A arte de se colocar no lugar do outro
Empatia - A arte de se colocar no lugar do outro
 
Importância da comunicação
Importância da comunicaçãoImportância da comunicação
Importância da comunicação
 
Comunicação
ComunicaçãoComunicação
Comunicação
 
Tecnicas de Oratória.
Tecnicas de Oratória.Tecnicas de Oratória.
Tecnicas de Oratória.
 
Comunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no TrabalhoComunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no Trabalho
 
Comunicação: O Processo De Comunicação
Comunicação: O Processo De ComunicaçãoComunicação: O Processo De Comunicação
Comunicação: O Processo De Comunicação
 
RELAÇÕES INTERPESSOAIS
RELAÇÕES INTERPESSOAISRELAÇÕES INTERPESSOAIS
RELAÇÕES INTERPESSOAIS
 
Comunicação verbal não-verbal
Comunicação verbal não-verbalComunicação verbal não-verbal
Comunicação verbal não-verbal
 
Relações humanas
Relações humanasRelações humanas
Relações humanas
 
Psicologia comunicação
Psicologia   comunicaçãoPsicologia   comunicação
Psicologia comunicação
 
Etica profissional
Etica profissionalEtica profissional
Etica profissional
 

Semelhante a COMUNICACÃO VERBAL E NÃO VERBAL

Tecnicas de comunicaca
Tecnicas de comunicacaTecnicas de comunicaca
Tecnicas de comunicacaVictor Loforte
 
Parte 1 linguística geral apresentação 2012
Parte 1   linguística geral  apresentação 2012Parte 1   linguística geral  apresentação 2012
Parte 1 linguística geral apresentação 2012Mariana Correia
 
TEORIA-DA-COMUNICAÇÃO.ppt
TEORIA-DA-COMUNICAÇÃO.pptTEORIA-DA-COMUNICAÇÃO.ppt
TEORIA-DA-COMUNICAÇÃO.pptevandro163685
 
Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013
Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013
Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013Elaine Junger
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagemJohn Joseph
 
Os signos
Os signosOs signos
Os signosLeYa
 
Apresentação comunicação oral
Apresentação comunicação oralApresentação comunicação oral
Apresentação comunicação oralSonia Amaral
 
Parte 1 linguística geral apresentação
Parte 1   linguística geral apresentaçãoParte 1   linguística geral apresentação
Parte 1 linguística geral apresentaçãoMariana Correia
 
Pet português instrumental e e geraldino r cunha
Pet português instrumental e e geraldino r cunhaPet português instrumental e e geraldino r cunha
Pet português instrumental e e geraldino r cunhaMariaLusadeJesusRodo1
 
O que é linguagem e tipologia textual - Profª Ma. Gláuci H Mora Dias
O que é linguagem e tipologia textual - Profª Ma. Gláuci H Mora DiasO que é linguagem e tipologia textual - Profª Ma. Gláuci H Mora Dias
O que é linguagem e tipologia textual - Profª Ma. Gláuci H Mora DiasUniversidade de Sorocaba
 
Resumo completo analise textual aulas 1 10
Resumo completo analise textual aulas 1 10Resumo completo analise textual aulas 1 10
Resumo completo analise textual aulas 1 10Janair E Edvonaldo
 

Semelhante a COMUNICACÃO VERBAL E NÃO VERBAL (20)

Tecnicas de comunicaca
Tecnicas de comunicacaTecnicas de comunicaca
Tecnicas de comunicaca
 
Parte 1 linguística geral apresentação 2012
Parte 1   linguística geral  apresentação 2012Parte 1   linguística geral  apresentação 2012
Parte 1 linguística geral apresentação 2012
 
Linguagem e pensamento.pptx
Linguagem e pensamento.pptxLinguagem e pensamento.pptx
Linguagem e pensamento.pptx
 
Capitulo 1
Capitulo 1Capitulo 1
Capitulo 1
 
TEORIA-DA-COMUNICAÇÃO.ppt
TEORIA-DA-COMUNICAÇÃO.pptTEORIA-DA-COMUNICAÇÃO.ppt
TEORIA-DA-COMUNICAÇÃO.ppt
 
Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013
Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013
Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Os signos
Os signosOs signos
Os signos
 
Linguagem_lingua
Linguagem_linguaLinguagem_lingua
Linguagem_lingua
 
Apresentação comunicação oral
Apresentação comunicação oralApresentação comunicação oral
Apresentação comunicação oral
 
Clc2
Clc2Clc2
Clc2
 
Parte 1 linguística geral apresentação
Parte 1   linguística geral apresentaçãoParte 1   linguística geral apresentação
Parte 1 linguística geral apresentação
 
Pet português instrumental e e geraldino r cunha
Pet português instrumental e e geraldino r cunhaPet português instrumental e e geraldino r cunha
Pet português instrumental e e geraldino r cunha
 
Apostila jurídica
Apostila jurídicaApostila jurídica
Apostila jurídica
 
O que é linguagem e tipologia textual - Profª Ma. Gláuci H Mora Dias
O que é linguagem e tipologia textual - Profª Ma. Gláuci H Mora DiasO que é linguagem e tipologia textual - Profª Ma. Gláuci H Mora Dias
O que é linguagem e tipologia textual - Profª Ma. Gláuci H Mora Dias
 
Linguagem E Sociedade
Linguagem E SociedadeLinguagem E Sociedade
Linguagem E Sociedade
 
Resumo completo analise textual aulas 1 10
Resumo completo analise textual aulas 1 10Resumo completo analise textual aulas 1 10
Resumo completo analise textual aulas 1 10
 
TP5- Unidades 17 e 18
TP5- Unidades 17  e  18TP5- Unidades 17  e  18
TP5- Unidades 17 e 18
 
Comunicação Aplicada B1
Comunicação Aplicada B1Comunicação Aplicada B1
Comunicação Aplicada B1
 
Ipt resumo
Ipt   resumoIpt   resumo
Ipt resumo
 

Mais de John Joseph

Região centro oeste
Região centro oesteRegião centro oeste
Região centro oesteJohn Joseph
 
Ondas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticasOndas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticasJohn Joseph
 
principais doenças cardiovasculares
principais doenças cardiovascularesprincipais doenças cardiovasculares
principais doenças cardiovascularesJohn Joseph
 
Reflexão da luz (italicio)
Reflexão da luz (italicio)Reflexão da luz (italicio)
Reflexão da luz (italicio)John Joseph
 
Conceitos básicos da óptica
Conceitos básicos da ópticaConceitos básicos da óptica
Conceitos básicos da ópticaJohn Joseph
 
História da música
História da músicaHistória da música
História da músicaJohn Joseph
 
História das artes visuais edite
História das artes visuais editeHistória das artes visuais edite
História das artes visuais editeJohn Joseph
 
aquecimento global
aquecimento global aquecimento global
aquecimento global John Joseph
 
Romantismo no brasil
Romantismo no brasilRomantismo no brasil
Romantismo no brasilJohn Joseph
 

Mais de John Joseph (10)

Região centro oeste
Região centro oesteRegião centro oeste
Região centro oeste
 
Ondas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticasOndas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticas
 
principais doenças cardiovasculares
principais doenças cardiovascularesprincipais doenças cardiovasculares
principais doenças cardiovasculares
 
Reflexão da luz (italicio)
Reflexão da luz (italicio)Reflexão da luz (italicio)
Reflexão da luz (italicio)
 
Conceitos básicos da óptica
Conceitos básicos da ópticaConceitos básicos da óptica
Conceitos básicos da óptica
 
História da música
História da músicaHistória da música
História da música
 
História das artes visuais edite
História das artes visuais editeHistória das artes visuais edite
História das artes visuais edite
 
Pierre bourdieu
Pierre bourdieuPierre bourdieu
Pierre bourdieu
 
aquecimento global
aquecimento global aquecimento global
aquecimento global
 
Romantismo no brasil
Romantismo no brasilRomantismo no brasil
Romantismo no brasil
 

Último

PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfkeiciany
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOxogilo3990
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Mary Alvarenga
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...azulassessoriaacadem3
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Jean Carlos Nunes Paixão
 
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdfApresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdfAndreiaSilva852193
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!Psyc company
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfalexandrerodriguespk
 
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...manoelaarmani
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...AaAssessoriadll
 
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxSlides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
 
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdfApresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
 
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxSlides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 

COMUNICACÃO VERBAL E NÃO VERBAL

  • 2. Signo O signo linguístico é um elemento representativo que apresenta dois aspectos: o significadosignificado e o significantesignificante.
  • 3. Significante Ao escutar a palavra cachorro, reconhecemos a sequência de sons que formam essa palavra. Esses sons se identificam com a lembrança deles que está em nossa memória. Essa lembrança constitui uma real imagem sonora, armazenada em nosso cérebro que é o significantesignificante do signo cachorro.
  • 4. Significado Quando escutamos essa palavra, logo pensamos em um animal irracional de quatro patas, com pelos, olhos, orelhas, etc. Esse conceito que nos vem à mente é o significadosignificado do signo cachorro e também se encontra armazenado em nossa memória.
  • 5. FIQUE ATENTO!!! Signo = significado (é o conceito, a ideia transmitida pelo signo, a parte abstrata do signo) + significante (é a imagem sonora, a forma, a parte concreta do signo, suas letras e seus fonemas).
  • 6. Comunicação Verbal ∗Comunicação que utiliza palavras (escritas ou faladas). ∗Compreensão e domínio do mundo (entendimento).
  • 7. Sucesso da comunicação verbal Depende da clareza das mensagens passadas ligada à compatibilidade do acervo vocabular e intelectual dos envolvidos na troca de informações. A linguagem verbal possibilita memorização das mensagens.
  • 8. Comunicação Escrita ∗Registro de observações, como pensamentos, indagações, informações e sentimentos; ∗Substituem os signos vocais expressos nas palavras;
  • 9. Comunicação Escrita ∗Representação dos sons articulados na fala, em forma de sinais gráficos; ∗Substituem os signos vocais expressos nas palavras; ∗Transformação da língua natural num código.
  • 10. ∗ Não devemos confundir língua com escrita, pois são dois meios de comunicação distintos. LÍNGUA – Sistema de comunicação herdado, aprendido e partilhado pelos integrantes de uma mesma comunidade.
  • 12. Comunicação Oral ∗Refere-se à emissão de palavras e sons que usamos para nos comunicar. Tais como dar instruções, entrevistar ou informar; ∗Criam diversas representações do mundo; ∗Interagem, comunicam, trocam experiências e procuram soluções para seus problemas.
  • 13. Comunicação Oral ∗Espontaneidade na comunicação; ∗Improviso e mudanças instantâneas no ato comunicação;
  • 20. A Comunicação verbal escrita foi também o grande marco evolutivo na transmissão do conhecimento humano. Nas sociedades ágrafas o conhecimento era passado de forma oral, e isso impedia a evolução por conta da impossibilidade de acúmulo de conhecimento na memória humana, então suporte do saber.
  • 21. Com o desenvolvimento da escrita, o homem passou a contar com uma memória extracorpórea, que ultrapassou os limites espaço-temporais na passagem de conhecimento e viabilizou a evolução intelectual, pois, a partir de então, a memória humana passou a ser livre para buscar novos conhecimentos.
  • 23. Considerando a relação entre os usos oral e escrito da língua, tratada no texto, verifica-se que a escrita a) modifica as ideias e intenções daqueles que tiveram seus textos registrados por outros. b) permite, com mais facilidade, a propagação e a permanência de ideias ao longo do tempo. c) figura como um modo comunicativo superior ao da oralidade. d) leva as pessoas a desacreditarem nos fatos narrados por meio da oralidade. e) tem seu surgimento concomitante ao da oralidade.
  • 24. Português é fácil de aprender por que é uma língua que se escreve exatamente como se fala. ?
  • 25. “Pois é. U portuguêis é muito fáciu di aprander, purqui é uma língua qui a genti iscreve ixatamenti cumu si fala. Num é cumu inglêis qui dá até vontadi di ri quandu a genti discobri cumu é qui si iscreve algumas palavras. Im purtuguêis não. É só prestátenção. U alemão pur exemplu. Qué coisa mais doida? Num bate nada cum nada. Até nu espanhol qui é parecidu, si iscrevi muito diferenti. Qui bom qui a minha língua é u purtuguêis. Quem soube falá sabi iscrevê.”
  • 26. Escrita e Oralidade são eventos bem diferentes.
  • 27. LÍNGUA FALADA LÍNGUA ESCRITA • Uma situação de comunicação, a mensagem é transmitida de forma imediata. • Numa situação de comunicação, a mensagem é transmitida de forma não imediata.
  • 28. LÍNGUA FALADA LÍNGUA ESCRITA • O emissor e o receptor devem conhecer bem a situação e as circunstâncias que os rodeiam. Se, isso não acontecer, pode haver problemas de comunicação nem haver mensagem. • O receptor não precisa conhecer de forma direta a situação do emissor nem o contexto da mensagem.
  • 29. LÍNGUA FALADA LÍNGUA ESCRITA • Frases mais espontâneas, mais livres e menos reflexivas. • Frases mais elaboradas levando o emissor a elaborar a mensagem repensando-a e modificando-a.
  • 30. LÍNGUA FALADA LÍNGUA ESCRITA • Economia de palavras e mensagem breve. O interlocutor pode a qualquer momento interromper a conversa. Frases incompletas (ênfase nas orações coordenadas). • Construções mais complexas e planejadas. Frases mais completas (ênfase nas orações subordinadas) exigindo mais raciocínio.
  • 31. LÍNGUA FALADA LÍNGUA ESCRITA • Há elementos prosódicos como entonação, pausa, ritmo e gestos, que enfatizam o significado dos vocábulos e das frases. • Não é possível, na língua escrita, a utilização dos elementos prosódicos da língua falada, o emprego dos sinais de pontuação tenta reconstruir alguns desses elementos.
  • 32. Fala É a utilização oral da língua pelo indivíduo. É um ato individual, pois cada indivíduo, para a manifestação da fala, pode escolher os elementos da língua que lhe convém, conforme seu gosto e sua necessidade, de acordo com a situação, o contexto, sua personalidade, o ambiente sociocultural em que vive, etc.
  • 33. Dentro da unidade da língua, há uma grande diversificação nos mais variados níveis da fala. Cada indivíduo, além de conhecer o que fala, conhece também o que os outros falam; é por isso que somos capazes de dialogar com pessoas dos mais variados graus de cultura, embora nem sempre a linguagem delas seja exatamente como a nossa.
  • 34. Comunicação Não Verbal ∗É caracterizado por ser feito através da ausência dos recursos da fala ou da escrita, tipos de comunicações verbais. ∗São as simbologias textuais, como placas, gestos, aparências, cores, desenhos, e outras imagens que agem como transmissoras de informações, emoções e sensações.
  • 35. Comunicação Não Verbal ∗Engloba o uso da linguagem corporal, quando o indivíduo é capaz de se expressar utilizando o seu corpo, através de expressões faciais, posturas corporais, distâncias físicas e gestos que são de caráter inconsciente ao comunicador.
  • 36. Comunicação Não Verbal ∗Normalmente, a comunicação verbal está atrelada com a não verbal, pois quando alguém está narrando uma história (linguagem verbal), inconscientemente, executa movimentos corporais, faciais e variações sonoras que ajudam a transmitir não só as informações da narrativa, mas também as emoções e sensações.
  • 37. Exemplos de Comunicação Não Verbal ∗Cores (semáforo e placas de sinalização); ∗Movimentação do corpo (dança); ∗Expressões Faciais (Comportamento humano); ∗Sons produzidos (sinal do toque de ir embora); ∗Gestos (Acenar para alguém).
  • 38. Leia o texto visual do cartunista argentino Quino:
  • 39. O cartum é construído com oito cenas em quatro tiras. Nele se verifica uma situação de comunicação entre as pessoas envolvidas. De acordo com as duas cenas iniciais: a) A quem cabe o papel de locutor e interlocutor, isto é, a pessoa que fala e a pessoa ou pessoas com quem o locutor fala? b) Na segunda tira, o que representa o fato dos balões estarem separados e depois juntos? c) Qual o desfecho e sentido deste cartum?
  • 40. Tipos de comunicação Não Verbal ∗ProxêmicaProxêmica: está relacionado com o espaço e ambiente que o indivíduo utiliza ao seu redor para comunicar-se;
  • 41. Tipos de comunicação Não Verbal ∗Aparência físicaAparência física: trata-se do impacto que as características físicas do comunicador podem provocar no receptor, ou seja, as “primeiras impressões”;
  • 42. Tipos de comunicação Não Verbal ∗ParalinguagemParalinguagem: está relacionado com as características sonoras e como estas podem influenciar nos significados de um discurso, por exemplo. A intensidade, volume, velocidade, pausas, são alguns exemplos;
  • 43. Tipos de comunicação Não Verbal ∗CinésicaCinésica: trata dos movimentos executados pelo corpo, destacando as expressões faciais, os gestos e seus significados de acordo com a cultura e contexto de uma sociedade, por exemplo;
  • 44. Funções da Comunicação Não Verbal ∗Atribuir maior ênfase a argumentos da mensagem; ∗Substituir uma expressão ou frase; ∗Atribuir ajustes à fala, pausas e gestos, provendo mais compreensibilidade;
  • 45. Funções da Comunicação Não Verbal ∗Expor relações de poder e influências interpessoais; ∗Reagir contraditoriamente ao que foi dito por interlocutores; ∗Complementar uma mensagem.
  • 46. OBJETIVOS DA COMUNICAÇÃO VERBAL E NÃO VERBAL ∗Exerce um papel cada vez mais importante na vida das pessoas, tanto no trabalho quanto no convívio social; ∗Se fazem presentes em todos os contextos, contribuindo para o desenvolvimento pessoal e profissional.
  • 47. OBJETIVOS DA COMUNICAÇÃO VERBAL E NÃO VERBAL ∗A Comunicação é entendida como a transmissão de estímulos e respostas provocadas, através de um sistema completa ou parcialmente compartilhado. ∗É todo o processo de transmissão e de troca de mensagens entre seres humanos.
  • 48. ORGANIZAÇÕES DA COMUNICAÇÃO VERBAL (ORAL E ESCRITA). ∗As dificuldades de comunicação ocorrem quando as palavras têm graus distintos de abstração e variedade de sentido
  • 49. ORGANIZAÇÕES DA COMUNICAÇÃO VERBAL (ORAL E ESCRITA). ∗O significado das palavras não está nelas mesmas, mas nas pessoas (no repertório de cada um e que lhe permite decifrar e interpretar as palavras).
  • 50. ORGANIZAÇÕES DA COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL ∗As pessoas não se comunicam apenas por palavras. Os movimentos faciais e corporais, os gestos, os olhares, a entoação são também importantes.
  • 51. HORA DE PRATICAR Dentre as manifestações comunicativas citadas abaixo, reconheça o que se constitui em linguagem verbal e em linguagem não-verbal. 1. gritos da torcida 2. cores das bandeiras 3. números das camisetas 4. gestos, apitadas e cartões do juiz e dos bandeirinhas 5. conversas de torcedores
  • 52. DINÂMICA Formação de dois grupos (um representando um texto verbal oral e outro representando um texto oral escrito). Um grupo fará um pequeno relato (pessoal, profissional, sonhos ...) na oralidade e utilizando-se desse gênero textual. Uma ou duas pessoas podem fazer essa apresentação. Um grupo fará um pequeno relato (pessoal, profissional, sonhos ...) por escrito e utilizando-se desse gênero textual. Uma ou duas pessoas podem fazer essa apresentação.
  • 53. DINÂMICA Quais as vantagens e dificuldades observadas no texto verbal oral? Quais as vantagens e dificuldades observadas no texto verbal escrito?