Eros, Tânatos, Id, Ego, Superego, Freud...

2.197 visualizações

Publicada em

Eros, Tânatos, Id, Ego, Superego, Freud...

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.197
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
68
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Eros, Tânatos, Id, Ego, Superego, Freud...

  1. 1. Eros e Tânatos: nossas porções de vida e morte
  2. 2. Amor e ódio, sexualidade e agressividade, vida e morte, são forças que habitam o ser humano e estão presentes no cotidiano, tanto nos conflitos mais banais quanto nos mais sublimes da humanidade. Tais pares de opostos estão misturados em tudo que o ser humano faz, pensa e sente. Dualidade
  3. 3. Eros e Tânatos  Na psicanálise e na Filosofia esses sentimentos podem ser nomeados de pulsão de vida (Eros) e pulsão de morte (Tânatos).  Essas expressões vem da mitologia grega, onde Eros representa o cupido, o deus do amor, e Tânatos, o deus da morte.
  4. 4. Mitologia  Eros, o mais belo dos deuses, possui um arco e flecha com os quais costuma enlaçar de amor homens, mulheres e deuses. Segundo consta na mitologia, certo dia Eros adormeceu numa caverna. Ao sonhar suas flechas se espalharam pelo chão, misturando-se às flechas da morte. Ao acordar, Eros recolheu-as, e sem querer levou algumas que pertenciam a Tânatos. Sendo assim, Eros passou a portar flechas de amor e morte (Tanatos).
  5. 5. Sigmund Freud  Essa dualidade foi estudada pelo psicanalista Sigmund Freud. Ele atendia pessoas traumatizadas pelas cenas de violência presenciadas na Primeira Guerra Mundial e se questionavas porque os seres humanos, que aparentemente deveriam buscar prazer, se envolvem em guerras. Chegou à conclusão de que o ser humano obedecia inconscientemente a duas pulsões: a pulsão de vida e de morte.
  6. 6.  Freud chama a pulsão de vida (ligada à sexualidade e a reprodução) de Eros, a de morte (ligada à agressividade e destruição) de Tânatos.  Estas duas pulsões geram entre si um conflito que dinamiza o psiquismo humano.
  7. 7. Id, Ego e Superego  De acordo com Freud, o aparelho psíquico está subdividido em três instâncias, cada uma com um papel específico: id, ego e superego.  O id é a zona inconsciente, primitiva, instintiva; rege-se pelo princípio do prazer, que tem como objetivo a realização, a satisfação imediata dos desejos. O id é o reservatório da libido, energia das pulsões sexuais. Dizemos muitas vezes, quando agimos sem pensar: “foi mais forte que eu”. Daí a necessidade da lei de manter as pulsões sob controle.
  8. 8. Ego  O ego está relacionado à consciência. Rege-se pelo princípio da realidade, decidindo quais os desejos e impulsos podem ser realizados.  Pelo Ego estamos ligados à realidade, o mundo, no qual vivemos e cujas limitações somos obrigados a aceitar.
  9. 9. Superego  O Superego que se localiza entre o Ego e o Id. É a zona que corresponde à interiorização das normas, é a componente ético- moral.  Podemos definir esse conflito como a oposição de duas forças com intensidade semelhante que são, no fundo, os princípios do prazer e da realidade: o querer e o dever.
  10. 10. Resumo Eros Tânatos Presença da dualidade Autor abordado Id Ego Superego
  11. 11. Conclusão Como diria o oráculo de Delfos: conhece-te a ti mesmo.

×