A Indústria Cultural e o Consumismo

1.864 visualizações

Publicada em

A industria cultural e o consumismo

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.864
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Indústria Cultural e o Consumismo

  1. 1. A Industrial Cultural e o Consumismo
  2. 2. O que é consumismo? As definições associam a palavra consumismo ao ato de comprar, na situação em que não há necessidade por parte do comprador. Isso quer dizer basicamente que a palavra consumismo, em suma, significa o ato de comprar coisas que, em sua maioria, não é necessário.
  3. 3. Qual é a diferença entre consumo e consumismo? No consumo, o ato de comprar está diretamente relacionado à necessidade ou à sobrevivência. Já quando se trata de consumismo, essa relação está rompida, ou seja, a pessoa não precisa daquilo que está adquirindo. O consumismo está vinculado ao gasto de produtos sem utilidade imediata, supérfluos. Alguns estudiosos apontam a importância da publicidade na construção da obsessão pelo ato de comprar.
  4. 4. Consumismo é doença? Quando o ato de comprar está vinculado diretamente à ansiedade e à satisfação, podemos dizer que se trata de uma compulsão. Para que seja considerado doentio, o consumismo precisa representar uma parcela significativa da vida e dos pensamentos da pessoa. Nesses casos, a pessoa definitivamente não precisa da maioria dos produtos que consome e, muitas vezes, nem se dá conta do que está comprando.
  5. 5. Reflexão A sociedade fundada na competitividade e no êxito individual favorece o desamor, pois instaura concorrência onde deveria haver solidariedade. Não adiantará leis que coíbam a publicidade dirigida ao público infantil, se os próprios adultos, entregues ao consumismo e à cultura da vaidade, forem às compras.
  6. 6. A febre das compras funciona para como “símbolo de aventura”, o fantasma da obra, a pequena loucura cotidiana. O frenesi de comprar nos faz encarar o consumo como uma compensação. A sociedade de consumo é baseada na infelicidade e no engano dos indivíduos que dela fazem parte e não podem prosperar senão dessa maneira.
  7. 7. “Querem viver? Estão cansados de girar inutilmente num circulo vicioso? De se agitarem incessantemente sem fazerem nada? Querem inventar, criar, agir e pensar como seres humanos críticos? Renunciem ao mundo consumista, burguês, aos seus preconceitos, às suas vaidades, e ponham na cabeça um ideal. Abracem a sua causa, dediquem-se a ela, deem-lhe o vosso pensamento e ela dar-vos-á força e vida.” – Mikhail Bakunin
  8. 8. Vídeos: Início: Consumismo e Materialismo Destroem a Sociedade (The high price of materialism, by Tim Kasser); Fim: Ética e consumismo no mundo contemporaneo.
  9. 9. Vídeos: Início: Consumismo e Materialismo Destroem a Sociedade (The high price of materialism, by Tim Kasser); Fim: Ética e consumismo no mundo contemporaneo.

×