Mas dois temas para a redação do Enem

4.756 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.756
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.500
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mas dois temas para a redação do Enem

  1. 1. TEMA: A importância da preservação do patrimônio histórico e artístico nacional. O patrimônio cultural (histórico e artístico) nacional são todos os bens, materiais e imateriais, naturais ou construídos, que uma pessoa ou um povo possui ou consegue acumular. É o registro (físico ou não) de elementos da realidade (cultural ou natural), passada ou presente, que guarda em si referências à identidade, à ação e à memória dos diferentes grupos sociais. Formas de expressão; os modos de criar , fazer e viver; criações científicas, artísticas, tecnológicas e documentais constituem o patrimônio cultural de um povo.
  2. 2. Por que preservar? Cada indivíduo é parte de um todo – da sociedade e do ambiente onde vive – e constrói, com os demais, a história dessa sociedade, legando às gerações futuras, por meio dos produtos criados e das intervenções no ambiente, registros capazes de propiciar a compreensão da história humana pelas gerações futuras. A destruição dos bens herdados das gerações passadas acarreta o rompimento da corrente do conhecimento, levando-nos a repetir incessantemente experiências já vividas. Atualmente, a importância da preservação ganha novo foco, decorrente da necessária consciência de diminuirmos o impacto sobre o ambiente, provocado pela produção de bens. A preservação e o reuso de edifícios e objetos contribuem para a redução de energia e matéria-prima necessárias para a produção de novos.
  3. 3. O que é tombamento? É um conjunto de ações, realizadas pelo poder público e alicerçado por legislação específica, que visa preservar os bens de valor histórico, cultural, arquitetônico, ambiental e afetivo, impedindo a sua destruição e/ou descaracterização.
  4. 4. Quando o tombamento de bens históricos começou no Brasil? Começou em 30 de novembro de 1937, com o Decreto- Lei n° 25, criou-se o Sphan - Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, que nascia para proteger cidades antigas e monumentos que corriam risco, devido à especulação imobiliária e as reformas urbanas. Entre os artistas e intelectuais envolvidos na sua criação estavam Mário de Andrade, Lúcio Costa, Gustavo Capanema e Rodrigo Melo de Andrade. Atualmente é denominado Iphan - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e possui mais de 20.000 edifícios, 83 conjuntos urbanos e sítios arqueológicos tombados, além de objetos, obras de arte, documentos, etc.
  5. 5. Quais leis amparam o tombamento? O tombamento é previsto no artigo 216 da Constituição Federal: “O poder público, com a colaboração da comunidade, promoverá e protegerá o patrimônio cultural brasileiro, por meio de inventários, registros, vigilância, tombamento, desapropriação e de outras formas de acautelamento e preservação”. Além disso, há as leis que criaram os conselhos em seus diversos níveis e estados: Lei Federal (Decreto Lei 25/1937), Lei Estadual (Lei 10.247/1968/SP) e Leis Municipais
  6. 6.  A importância de um bem não tem ligação direta com sua idade. Hoje, existem entidades de preservação da arquitetura moderna. Bens recentes podem ser indicados para tombamento, pois também estão sujeitos às descaracterizações ou demolições. Exemplo: Pampulha, Brasília, Masp, Parque do Ibirapuera, jardins de Burle Marx, etc.
  7. 7. TEMA: A obesidade na população brasileira A incidência de obesidade entre os brasileiros aumentou 54% entre 2006 e 2012. De acordo com pesquisa do Ministério da Saúde divulgada em agosto de 2013, esse mal atinge 17,1% da população do país. Em 2006, o porcentual era de 11,6%. Nesses seis anos, em nenhum momento houve recuo no avanço dos índices de obesidade.
  8. 8.  Os dados da mesma pesquisa indicam que a maioria dos brasileiros adultos está acima do peso. Ao todo, 51% da população acima de 18 anos apresenta índice de massa corporal igual ou acima de 25. Os homens são maioria: 54,5% da população adulta do sexo masculino está gordinha. Entre as mulheres, esse índice é de 48,1%.  Quando se trata de obesidade, o quadro se inverte. Pelos dados do Ministério da Saúde, 17,7% das mulheres são obesas, enquanto a doença atinge 16,6% dos homens. A escolaridade é outro fator relevante. O índice de pessoas obesas com até oito anos de escolaridade é de 21,7%; entre os brasileiros com 12 ou mais os de estudo o porcentual é de 14,4%.
  9. 9.  A diferença é mais acentuada entre as mulheres. De acordo com a pesquisa, a obesidade atinge 24,6% das brasileiras de menor escolaridade e apenas 12,9% das que estudaram 12 anos ou mais.  Hábitos alimentares e o sedentarismo ajudam a explicar avanço da doença. Embora tenha havido um aumento no porcentual de brasileiros que consomem a quantidade mínima recomendada de frutas e verduras, o crescimento ainda é tímido: o índice era de 20% em 2008 e agora passou para 22,7%. O porcentual é inferior ao de brasileiros que consomem carne com excesso de gordura – cerca de 30% dos brasileiros – e refrigerante regularmente – aproximadamente 26% da população do país.  Também houve um pequeno aumento no porcentual de brasileiros que praticam exercícios físicos com frequência. Em 2009, esse grupo correspondia a 29,9%; no ano passado, o porcentual passou para 33,5%.
  10. 10.  Quanto mais estudo, maior a ingestão de álcool, diz estudo. O consumo excessivo de álcool por parte dos brasileiros é uma das preocupações do Ministério da Saúde. De acordo com a pesquisa divulgada ontem, esse quadro é mais preocupante entre os brasileiros com 12 anos de estudo ou mais. Dentro desse cenário, 22% admitiram ter consumido 5 doses ou mais de álcool nos últimos 30 dias. Entre os homens com o maior nível de escolaridade, o porcentual é de 31,9% – o maior entre todas as faixas avaliadas. Os homens com mais de 12 anos de estudo também são a maioria dos que admitem ter dirigido após ter bebido – são 18,9% dos brasileiros. Os acidentes de trânsito são a 2ª causa de internação por trauma no SUS. Entre os internados por essa causa, os homens prevalecem – correspondendo a 78% das vítimas. O endurecimento da Lei Seca foi apontado pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, como uma das principais ações para tentar inibir a combinação bebida e volante.
  11. 11.  Abaixo, um link disponibiliza uma entrevista com Dráuzio Varella. É interessante ler a entrevista.  http://drauziovarella.com.br/obesidade/obesidade/  Lembrar que existe também a obesidade infantil, o que vem crescendo também a cada ano no país.

×